• Agenda

    agosto 2020
    S T Q Q S S D
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Governo Anastasia: Minas recebe prêmio em Paris pela criação do projeto Cidade das Águas

Iniciativa sustentável desenvolvida no Estado é reconhecida internacionalmente pela qualidade do projeto

O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, recebeu em Paris prêmio pela iniciativa de criação da Cidade das Águas Unesco-Hidroex, em Frutal, no Triângulo Mineiro. O projeto foi considerado o mais inovador e criativo na área de meio ambiente.

A premiação ocorreu durante a 1.618 Luxo Sustentável, feira internacional que reúne grandes empresas preocupadas com a sustentabilidade. O Unesco-Hidroex, centro âncora da Cidade das Águas, esteve presente no evento e apresentou o projeto como a grande resposta do Governo de Minas ao desafio de preservação da água no mundo.

O secretário reafirmou o compromisso do Estado em avançar significativamente na gestão dos recursos hídricos e, ao mesmo tempo, abrir o projeto para receber interessados do mundo inteiro no assunto. “Queremos que Minas Gerais seja um exemplo nas ações de preservação; estamos de portas abertas para o planeta e para consolidar o nosso trabalho”, explicou Narcio Rodrigues.

Solução para a gestão das águas

A Cidade das Águas foi um dos destaques da feira 1.618. Além de contar com estande próprio para divulgar os projetos em desenvolvimento, o Unesco-Hidroex participou de conferência com a mídia e apresentou a “Educação para as Águas” como grande solução para a melhoria da gestão dos recursos hídricos no planeta.

Com inauguração prevista para 2014, a Cidade das Águas é um complexo que reunirá instituições estaduais, federais e privadas, nacionais e internacionais, em um mesmo ambiente de convivência e interatividade, para estudar gestão, preservação e recuperação das águas superficiais e subterrâneas.

Os governos mineiro e federal já investiram R$ 50 milhões na elaboração de projetos, intercâmbios e na infraestrutura da sede do Unesco-Hidroex e do campus da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg) em Frutal, que já atende mais de 1.500 alunos.

Além de atuar no Brasil, a Cidade das Águas terá suas atividades voltadas para os países da América Latina e da África de língua portuguesa, promovendo a transferência de tecnologia em gestão de águas para a produção de alimentos.

1.618

A feira 1.618 Luxo Sustentável é organizada anualmente, desde 2009, com o apoio do Ministério da Cultura Francês e a organização não-governamental World Wild Foundation (WWF). Durante quatro dias, o evento apresenta, em Paris, uma seleção de produtos e serviços que combinam arte, criatividade, inovação e desenvolvimento sustentável.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/minas-recebe-premio-em-paris-pela-criacao-do-projeto-cidade-das-aguas/

Gestão da Educação: novo espaço promove integração das instituições públicas de ensino superior de Minas

Inauguração aconteceu durante o Fórum da Ipes, que discutiu internacionalização do ensino superior de Minas Gerais

Osvaldo Afonso/Imprensa MG
Secretário Narcio Rodrigues assina documento para criação do Fórum das Ipes
Secretário Narcio Rodrigues assina documento para criação do Fórum das Ipes

Mais um passo importante foi dado para fortalecer o ensino superior em Minas. O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, se reuniu, nesta quarta-feira (7), com as 14 instituições públicas de ensino superior de Minas Gerais, que compõem o Fórum das Ipes. Além da integração do ensino superior mineiro e da sua internacionalização, o evento foi marcado pela inauguração do espaço destinado às instituições pelo Governo de Minas na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves.

O fórum, constituído em 2003, tem como objetivo a atuação conjunta das instituições partícipes, a fim de articular e ampliar as ações de cooperação já existentes entre elas. A criação do espaço na Cidade Administrativa, que será chamado de Fórum Permanente das Ipes, é uma alternativa para aproximar ainda mais as universidades e seus reitores, reunir e estreitar as relações com o Governo de Minas, além de contribuir para o encaminhamento de processos administrativos.

Narcio Rodrigues reforçou a importância do Fórum das Ipes, destacando que é uma das experiências mais notáveis para organizar as demandas da academia e trazê-las para o Governo de Minas, como também a importância do espaço dentro da sede do governo para consolidar a qualidade do ensino superior do Estado. “Estamos vivendo um momento de reestruturação do papel das universidades estaduais, e esta integração é importante para que as instituições estejam em sintonia com os vários projetos da secretaria”, completa

Durante o evento, foi colocada em pauta a necessidade da internacionalização da educação superior, educação a distância, pesquisa, extensão e inovação. Houve apresentação do ‘Group of Eight’ – consórcio das melhores universidades da Austrália a Belo Horizonte no final de março. Durante a visita, as instituições de ensino superior mineiras serão mostradas, como também as políticas públicas da Sectes para internacionalização do ensino superior e pesquisa em Minas Gerais, criando um espaço aberto para discussões.

O Fórum das Ipes conta com 14 instituições. São elas: Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); Universidade Federal de Uberlândia (UFU); Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM); Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM); Universidade Federal de Alfenas (Unifal); Universidade Federal de Itajubá (Unifei); Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ); Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF); Universidade Federal de Lavras (Ufla); Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop); Universidade Federal de Viçosa (UFV); Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg); Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) e Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet – MG).

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: projeto mineiro Cidade das Águas vai trabalhar pela América Latina e África

FRUTAL (19/01/12) – Com a população do planeta chegando a 7 bilhões de pessoas e com o aquecimento global manifestando as suas conseqüências, a água tem se tornado cada vez mais motivo de preocupação das nações, sendo que algumas delas já vive o drama da restrição a esse bem natural. Focado em atitudes práticas e capazes de mudar o cenário pessimista que vem sendo apresentado por especialistas do mundo inteiro, o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), lançou em setembro de 2011 a Cidade das Águas, no Triângulo Mineiro.

Trata-se de uma resposta ao desafio da preservação da água, tendo um complexo que reunirá instituições estaduais, federais e privadas, nacionais e internacionais, em um mesmo ambiente de convivência e interatividade, para estudar gestão, preservação e recuperação das águas superficiais e subterrâneas.

Com inauguração prevista para 2014, a Cidade das Águas é uma iniciativa apoiada pela Unesco e ancorada no Centro Internacional de Educação, Capacitação e Pesquisa Aplicada em Água (Unesco-HidroEX). Os governos mineiro e federal já investiram R$ 50 milhões na elaboração de projetos, intercâmbios e na infraestrutura do Instituto Unesco-Hidroex e do campus da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg). Contudo, a previsão é de investir mais R$ 80 milhões nos próximos dois anos, totalizando R$ 130 milhões. Além de atender ao Brasil, a Cidade das Águas terá suas atividades voltadas para os países da América Latina e da África de língua portuguesa, promovendo a transferência de tecnologia em gestão de águas para a produção de alimentos. Esse é um compromisso do Estado de Minas Gerais com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Unesco-HidroEX

Com o lançamento da Cidade das Águas, entrou em funcionamento a nova sede do Unesco-Hidroex, localizada em Frutal,  às margens do Rio Grande, em área de cerrado e no coração do Brasil. O instituto foi criado em 2009 pelo Governo de Minas, com o objetivo de planejar, coordenar, executar, controlar e avaliar programas e projetos de defesa e preservação do meio ambiente, relativos à gestão dos recursos hídricos.

Durante a cerimônia de lançamento, Joop Schutter, diretor do Instituto para Educação em Águas (IHE) da Unesco – único centro de categoria I, localizado em Delft (Holanda) – destacou a importância da ligação do HidroEX à Unesco. “Somos a principal instituição responsável pela educação, treinamento e pesquisa em águas no mundo e temos cooperado com o HidroEX especialmente na elaboração de um currículo de pós- graduação. Acreditamos ser esta uma grande iniciativa de Minas Gerais e do Brasil, de desenvolver a Cidade das Águas e se juntar a Unesco, criando uma rede com diversas instituições trabalhando juntas em projetos de pesquisa. Estamos ansiosos em começar o trabalho juntos e ver estudantes de todas as partes do mundo realizando seus estudos no HidroEX”.

Condomínio temático

A Cidade das Águas vai abrigar o primeiro Condomínio Temático de Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa e Desenvolvimento, que reunirá oito universidades em pesquisas e projetos relacionados à água: Ufla (Lavras), Uemg, UFV (Viçosa), Ufop (Ouro Preto), UFMG, UFTM (Triângulo Mineiro), UFU (Uberlândia) e PUC Minas. O condomínio terá ainda unidades avançadas da Agência Nacional de Águas (ANA), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) com o Núcleo de Tecnologia em Irrigação (Nurii), Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) e Instituto Estadual de Florestas (IEF). Novas entidades, instituições e empresas poderão integrar o projeto.

Em parceria com instituições da Alemanha, dentre elas a University of Applied Science Weihenstephan-Triesdorf e a Technische Universität Dresden, o Unesco-HidroEX conduzirá estudos das águas superficiais e subterrâneas do Triângulo Mineiro. O projeto custará R$ 2,5 milhões, custeados pelas instituições alemãs.

Espaço Cousteau

A Cidade das Águas terá o Espaço Cousteau para as águas, projeto a ser desenvolvido pelo IFTM em parceria com o HidroEX. Trata-se de moderna estrutura arquitetônica — dentro dos melhores padrões internacionais — para abrigar um amplo espaço de visitação com a exposição das atividades de pesquisa desenvolvidas por Jacques Cousteau pelos rios e mares do mundo, incluindo o material de expedição pela Amazônia.

Fórum Mundial das Águas

Convidado pelo presidente do Conselho Mundial das Águas, Löic Fauchon, o secretário Narcio Rodrigues irá apresentar a Cidade das Águas no 6º Fórum Mundial das Águas, que acontece em Marselha, França, no mês de março. “O tema deste fórum será Soluções, e a Cidade das Águas é vista, hoje, como uma grande solução para a futura gestão dos recursos hídricos na terra”, explicou Narcio.

Cidade das Águas pode ser assumida pelas Nações Unidas

Em encontros na sede da Unesco, em Paris, o secretário mineiro e o presidente do Unesco-HidroEX, Octávio Elísio, discutiram a possibilidade da Cidade das Águas ser transformada em um centro da Unesco antes mesmo de sua conclusão. A embaixadora do Brasil na Unesco, Maria Laura da Rocha, informou que a equipe do Itamaraty está “pronta” para entrar na “campanha” visando à transformação do HidroEX, que hoje é um centro de Categoria II (chancelado pela Unesco) em um Centro de Categoria I (de propriedade da própria Unesco).

Narcio e Octavio Elísio também foram recebidos pela cúpula do IHE, responsável pela orientação pedagógica e pela implantação do Unesco-HidroEX. De acordo com o reitor do IHE, professor Andras Nagy, a Unesco planeja para os próximos anos a abertura de quatro novos campi no mundo: um para a América Latina e o Caribe, outro para a África e mais um para a Ásia. A expectativa é de que em setembro sejam abertas as inscrições para os centros que queiram abrigar esses campi. A Cidade das Águas vai preparar sua documentação, avançar na sua implantação física e nas suas atividades pedagógicas para concorrer e se transformar no campus dedicado à América Latina e ao Caribe, passando a ser propriedade das Nações Unidas.

Segundo o secretário, a equipe do Unesco-HidroEX irá “cuidar de todos os detalhes necessários à obtenção dessa conquista” e se articular, junto ao governo federal e estadual, para “fechar o orçamento necessário” à conclusão das obras. “É uma oportunidade única e nós não podemos perdê-la”, observou.

Cleo Pires ratifica  envolvimento com o Unesco-HidroEX

A atriz Cleo Pires, designada embaixadora das Águas da Unesco, atuará nos próximos três anos na divulgação de ações conduzidas pela Cidade das Águas. Segundo o secretário Narcio Rodrigues, como figura pública, a atriz pode trazer visibilidade ao complexo e à situação das águas no Brasil, chamando a atenção da opinião pública para questões ambientais.

Um dos projetos discutidos foi a capacitação de 75 professores de Frutal e região, que vão atuar com os seus alunos na revitalização do Ribeirão Frutal. Além de acertar as diretrizes do seu trabalho com o Unesco HidroEX, Cleo Pires recebeu convite do secretário Narcio para acompanhar a comitiva mineira que vai apresentar a Cidade das Águas no Fórum Mundial das Águas.

Fonte: Agência Minas

Costurando Sonhos da Escola de Design da UEMG vai capacitar artesãs costureiras

Formar profissionais na área da moda, bem como atualizar e propiciar o conhecimento de todos os aspectos que abrangem o empreendimento, por meio do design, abrange o projeto Costurando Sonhos da Escola de Design da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), em parceria com o Centro Minas Design (CMD) e ONG AFFAS, que vai capacitar 12 artesãs costureiras, durante oito meses, no bairro General Carneiro, em Sabará.

As atividades a serem realizadas incluem abordagens da moda como linguagem, conceitos, comunicação, definição de linhas e estilos, criação e design de roupas, acessórios e, por fim, um desfile com a coleção desenvolvida. O projeto vai oferecer uma troca de saberes, já que vai contar com acadêmicos e estudantes de design, que vão trabalhar com o uma visão do popular junto com as artesãs.

Para a designer do CMD, Mônica Bicalho, o mais importante desta ação é oportunizar a profissionalização dessas costureiras no setor de moda. “O conhecimento da atuação do design, a melhoria do processo de confecção, devido a uma metodologia bem aplicada vai prepará-las para o mercado, gerando produtos inovadores que vão gerar melhor renda e qualidade de vida”, disse.

Para a coordenadora do projeto da UEMG, Heloísa Santos, o interessante para essas artesãs é que elas construam uma cooperativa, que já se iniciou, e consigam manter no mercado. “O design é uma das ferramentas de todo o processo, que vai possibilitar abrir os horizontes com questões de forma, cor, estrutura, entre outros. A metodologia vai ajudá-las a ter uma noção de como melhorar seu produto”, afirmou.

O projeto será dividido em diversas etapas como diagnóstico do grupo, oficinas e palestras abordando temas referentes ao universo da moda, processos criativos, valorização cultural, monitoria e orientação no desenvolvimento de coleção, acompanhamento da confecção de peças para apresentação em desfile de lançamento. A coleção a ser desenvolvida consiste de roupas infantis, do vestuário feminino e peças de cama e mesa. No projeto anterior produziu-se 34 looks que foram mostrados em um grande desfile.

A Escola de Design da UEMG, por meio do Núcleo de Design e Responsabilidade Social, tem buscado desenvolver ações, programas e projetos capazes de modificar a realidade social de comunidades carentes.

Governo Anastasia: Design e cultura são temas de projeto aprovado em edital Fapemig

A proposta de pesquisa de uma equipe do Centro de Estudos de Teoria, Cultura e Pesquisa em Design da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) foi selecionada no primeiro edital para investimento em pesquisas inovadoras de produtos de linha branca em Minas Gerais – uma parceria da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), órgão do Governo Anastasia,  e da Whirpool Latin America, líder no mercado de eletrodomésticos. O grupo receberá R$ 91 mil para colocar em prática o projeto de criação de produtos de linha branca com características culturais brasileiras.

O resultado do 1º edital foi divulgado nessa sexta-feira (7). Os recursos serão liberados a partir da assinatura de um Termo de Outorga. O Centro de Estudos de Teoria, Cultura e Pesquisa em Design da UEMG tem como objetivo identificar e simplificar os significados presentes no design, que impactam tanto na indústria quanto no mercado.

O projeto apresentado pelo grupo se propõe a investigar a possibilidade de criar produtos de linha branca que mantenham as características culturais de cada país e se tornem mais competitivos. “A pergunta é: os produtos devem ser iguais em todos os países? Sem características locais, eles ficam massificados. O nosso objetivo é desenvolver produtos cuja tipologia de uso respeite a cultura de cada região”, explica o coordenador do trabalho, professor Dijon de Moraes Junior.

Ao todo foram recebidas seis propostas de diferentes instituições de ensino. A primeira edição foi aberta a pesquisadores ligados a universidades e centros de pesquisa nas diversas regiões de Minas para projetos de pesquisa e inovação científica e tecnológica. As áreas priorizadas foram as de design de interação, semiótica aplicada ao design, ergonomia, soluções eletroeletrônicas, entre outras, todas relacionadas à produção de linha branca, que inclui refrigeradores, freezeres, fogões, lavadoras, secadoras, fornos, coifas, climatizadores, condicionadores e depuradores de ar.

“Além da promoção do potencial intelectual local, essa parceria é uma ótima oportunidade para que os pesquisadores consigam representatividade. Para a Whirlpool é, também, uma maneira bastante eficiente de praticar a inovação, nesse caso aberta, e, principalmente, de conhecer e reter talentos”, afirma o gerente de Relações Institucionais em Tecnologia da Whirlpool Latin America, Guilherme M. Lima.

O presidente da Fapemig, Mario Neto Borges, destaca a importância da iniciativa, que une governo e setor privado em prol da inovação. Ele adianta que já existem negociações para um novo edital na área e acredita que a demanda será maior nas próximas edições. “Nesse tipo de edital, as empresas definem características muito típicas do setor empresarial e a maioria dos pesquisadores está acostumada ao setor acadêmico. Muitas vezes, eles têm boas propostas, mas que precisam ser adequadas à realidade empresarial”, explica Borges.

Parceria

Líder no mercado de eletrodomésticos, a Whirlpool Latin America – que atua no Brasil com as marcas Brastemp, Consul e KitchenAid, fechou, em outubro de 2009, um termo de cooperação técnico financeiro no valor de R$ 10 milhões com o Estado de Minas Gerais, por meio da Fapemig. O objetivo é investir recursos e esforços na interação com agências de incentivo, universidades e centros de pesquisa para busca de soluções tecnológicas e de inovação, que aumentem a competitividade dos produtos, e gerem renda e desenvolvimento ao Estado e ao país. A parceria tem duração inicial de 5 anos, com possibilidade de ser prorrogada e ampliada.

Além de gerar conhecimento, o acordo tem a missão de beneficiar universidades, Estado, empresa e a sociedade de uma forma geral, que terá ao seu alcance produtos e soluções tecnológicas capazes de facilitar seu dia a dia. A iniciativa é voltada a pesquisadores, universidades e centros de pesquisa de diversas regiões mineiras com condições de desenvolver projetos inovação – científica e tecnológica – nas áreas de interesse da empresa. Todo o potencial intelectual do Estado será de grande importância neste processo, uma vez que os processos terão, também, para a empresa, o viés de busca e retenção de talentos.

A chamada para a elaboração dos projetos se dá por editais públicos divulgados pela Fapemig, que definirão, com clareza, os objetivos, as condições e as normas que regem cada atividade proposta. Uma vez aprovados os projetos, é assinado um instrumento legal chamado ‘Termo de Outorga’, que estabelece todas as condições de execução e, também, do uso dos resultados. O monitoramento e andamento dos trabalhos e, principalmente, os resultados ao final da pesquisa, ficam a cargo da Fapemig e de profissionais da Whirlpool Latin America.

Universidade do Estado de Minas Gerais teve atuação de destaque em 2009

O ano de 2009 foi positivo para a Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) em todas as áreas de atuação. Com o reconhecimento da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC), a UEMG selecionou suas primeiras turmas para seu Mestrado de Educação e Mestrado em Design este, o único do Estado nessa área de conhecimento.

Durante o ano, a universidade foi reconhecida publicamente por órgãos governamentais e outras entidades. A Prefeitura de Belo Horizonte, por exemplo, concedeu à universidade o Mérito Educacional do município, por sua atuação no Projeto Escola Integrada, que visa trazer aos estudantes de escolas públicas atividades extracurriculares.

O reconhecimento se estendeu durante a realização do 3º Fórum Interinstitucional do AmbientAção, quando a Escola de Design da UEMG, em Belo Horizonte, recebeu a primeira colocação pela adoção de posturas de racionalização dos recursos que utilizam e estímulo à prática de reciclagem. O prêmio abrange todas os órgãos públicos estaduais participantes do projeto AmbientAção. Essa unidade da UEMG é recorrente vencedora de prêmios. Neste ano, seus alunos foram destaque no 2º Prêmio Minas Design, no qual emplacaram 10 projetos entre os vencedores, em diversas categorias. Receberam a primeira colocação no prêmio House & Gift de Design, categoria “Iluminação” e também o 2º Concurso Bureau Jovens Talentos.

Entre competidores e projetos de todo o mundo, joias produzidas por dois professores da universidade e um aluno da pós-graduação figuraram entre as trinta melhores na Swarovski Elements Jewellery Design Competition. O protótipo automotivo Sabiá 6, desenvolvido no Centro de Pesquisas da unidade e único representante brasileiro, obteve a premiação em Design da Eco Shell Marathon, realizada em abril na Califórnia (EUA).

Para a reitora da UEMG, professora Janete Gomes Barreto Paiva, 2009 foi marcado por pontos bastante expressivos para a universidade. Ela destaca a instalação dos Cursos de Mestrado, de Educação e Design e a realização de concursos públicos para Mestres e Doutores faz com que a Universidade inicie o seu 21º ano renovando seu desafio coletivo que norteia sua missão e sua visão. “Além do desafio comum a todas as universidades brasileiras as conquistas, até agora realizadas, impõem ao nosso projeto acadêmico outros níveis de demanda. Primeiro a admissão e fixação de uma massa crítica de mestres e doutores atualizados com os padrões mais avançados do estado da arte, nos vários campos do conhecimento. Segundo, a expansão de uma cultura acadêmica que priorize experimentos científicos, conteúdos programáticos de formação intelectual e atividades extensionistas voltados para as demandas e vocações do desenvolvimento das regiões mineiras. E terceiro, uma estrutura organizacional inovadora, flexível e eficiente que permita democratizar o acesso à educação superior e continuada às populações jovens e adultas do interior de Minas Gerais, possibilitando-lhes no seu próprio meio e contexto, as oportunidades de crescimento pessoal, intelectual e profissional. A UEMG contribui, assim, para se fazer de Minas o melhor estado para se viver” disse.

Conselho

Um protocolo de compromissos assinado em agosto entre Uemg e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) em 2009 assegurou o lançamento da Escola dos Conselhos do Estado de Minas Gerais. O órgão funcionará na sede da Faculdade de Políticas Públicas Tancredo Neves, no bairro São Pedro, onde também se encontra a diretoria do campus de Belo Horizonte. A UEMG também participará do grupo gestor da Escola, formado ainda pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, pela Frente de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente de Minas Gerais e pela própria Sedese.

Acredita-se que a iniciativa de cooperação técnica e operacional, fruto da parceria Sedese e UEMG, agregará novos valores à formulação dos planos de aplicação de recursos e dos planos de ação dos Conselhos Municipais da Criança e dos Adolescentes e favorecerá o trabalho em rede, inclusive, com a participação colaborativa e integrada dos diferentes campi da universidade, do interior do Estado.

Os processos seletivos para os cursos da UEMG tiveram também um grande destaque em 2009. Foram 8.577 candidatos inscritos, disputando 1.890 vagas em 28 cursos de graduação, entre bacharelados, licenciaturas e tecnológicos, em seis cidades mineiras nas quais a universidade mantém sede. O curso mais concorrido foi o de Design Gráfico, com 13,3 candidatos/vaga no turno da manhã e 12,9 no turno da noite. Outro destaque foi o curso de Design de Ambientes, com 12,7 candidatos/vaga para o turno da manhã. Nas unidades do interior, os maiores índices de concorrência estão nos cursos de Engenharia Ambiental e Engenharia de Minas, em João Monlevade, que apresentaram, cada, 6,5 candidatos/vaga.

Renovação

A Universidade do Estado de Minas Gerais se prepara para o encerramento de mais um ciclo administrativo na história de seu reitorado, cuja atual gestão finalizará suas atividades em junho de 2010. Em 2009 as maiores instâncias deliberativas da instituição se renovaram, com a entrada de integrantes diretamente eleitos entre seus pares para compor o Conselho Universitário e o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão. Nessas instâncias organizacionais são discutidos temas fundamentais ao destino da universidade.

Também o corpo docente passou por mudanças. Intercâmbios, convênios e parcerias com diversas instituições brasileiras e internacionais possibilitaram que o quadro de professores pudesse se qualificar em programas de Doutorado no Brasil e no exterior. Na Europa, o italiano Politécnico de Torino e a universidade francesa de Cergy-Pontoise são os destinos de dois doutorandos. No Brasil, convênio com a Fapemig garantiu a 16 professores concluírem cursos stricto sensu na Universidade Federal de Minas Gerais e na Universidade Federal de Uberlândia.

Foi também com objetivo de atrair professores mais bem qualificados que foram lançados, durante o ano, concursos públicos para contratação de doutores em todas as unidades, e divulgado edital para contratação temporária de professores designados.

Em outra frente de ação, no âmbito legislativo, representantes da universidade se uniram a deputados estaduais ligados à Comissão de Educação, Ciência, Tecnologia e Informática e integraram a Frente Parlamentar em Prol do Serviço Público, que, entre outras demandas, está a implementação efetiva de um plano de carreira para servidores públicos, fazendo com que a universidade estadual se torne um polo atrativo para profissionais de gabarito.

Aécio Neves diz que há sinalização de acordo em relação ao ressarcimento da União em relação à Lei Kandir

O governador Aécio Neves afirmou, nesta segunda-feira (21), que o governo federal sinalizou com a possibilidade de incluir na proposta orçamentária para 2010 o ressarcimento aos estados exportadores pelas perdas provocadas pela Lei Kandir. A informação foi repassada ao governador pelo secretário de Estado de Fazenda, Simão Cirineu, que participou hoje de reunião, em Brasília, com representantes dos ministérios da Fazenda e do Planejamento.

“Hoje, pela primeira vez, recebemos um sinal de Brasília de que há disposição do governo em avançar. Não há ainda a concretização desse entendimento. Espero que possa ocorrer ao longo dessa semana. E eu pretendo, hoje ainda, falar ao telefone com o ministro Paulo Bernardo, quem sabe, apresentando uma proposta nova de entendimento. As coisas avançaram da semana passada para cá. Não se concretizaram, mas avançaram”, disse Aécio Neves, em entrevista, durante a abertura do 8º Festival Lixo e Cidadania, em Belo Horizonte.

A compensação anual pelas perdas provocadas pela Lei Kandir, a ser feita pelo governo federal, é da ordem de R$ 5,2 bilhões. Mas o valor não está previsto no Orçamento da União para 2010. Em anos anteriores, os valores previstos no eram de R$ 3,9 bilhões anuais, além do adicional de R$ 1,3 bilhão, condicionado a aumento da arrecadação federal, totalizando os R$ 5,2 bilhões.

Na última semana, o governador afirmou que diversos estados teriam dificuldades em conceder às empresas exportadoras a isenção de imposto previsto pela Lei Kandir, caso o governo federal não compartilhasse das perdas.

“Na verdade, essa é uma reação a algo que é inconcebível, que é a omissão do Governo Federal em relação às perdas que os estados vêm tendo com a desoneração das exportações. Não faz sentido isso. A Constituição determina que essa desoneração tem de ser compartilhada”, disse Aécio Neves, nesta segunda-feira.

Confaz

Segundo o governador, caso a sinalização do governo federal se concretize em repasse dos recursos aos estados e municípios, não haverá a necessidade de se levar à reunião do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) proposta de interromper a isenção de ICMS aos exportadores, como havia sido sugerido na última semana. A reunião do Confaz acontece nesta quarta-feira (23), em São Luiz (MA).

“Já existem alguns sinais para que possa haver um entendimento, realocando recursos na proposta orçamentária para o ano que vem. Mas existe aí um débito do governo federal para com os estados de R$ 1,3 bilhão, que esperamos possa ser resolvido. Portanto, se forem incluídos aqueles recursos previstos anteriormente no orçamento de R$ 3,9 bilhões e a expectativa para o próximo ano de mais R$ 1,3 bilhão, esse condicionado ao alcance do nível de receita proposto pelo governo, e acertado o R$ 1,3 bilhão para trás, eu acho que aí há a possibilidade do entendimento”, disse Aécio Neves.

Governo Aécio Neves vai estimular criação de Unidade Básica de Apoio à Pesquisa para desenvolver etanol de segunda geração

O secretário Alberto Portugal do Governo Aécio Neves durante assinatura do protocoloComo maior produtor de açúcar e álcool de Minas Gerais, a região do Triângulo Mineiro vai abrigar uma Unidade Básica de Apoio à Pesquisa (Ubap), voltada inclusive para o desenvolvimento do etanol de segunda geração. Os investimentos previstos chegam a R$ 1 milhão para instalação do empreendimento no município de Ituiutaba, no Pontal do Triângulo. A assinatura do protocolo de intenções entre o Governo Aécio Neves, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), prefeitura municipal, entidades parceiras e instituições de ensino e pesquisa, ganhou destaque na segunda-feira (14), dentro das festividades da semana do aniversário de Ituiutaba.

Dos investimentos previstos para a construção da Ubap, R$ 800 mil virão de emenda parlamentar federal, apresentada pelo deputado Narcio Rodrigues. A contrapartida do governo mineiro é de R$ 200 mil, dentro da lógica de investir na produção de conhecimento em todo o Estado, visando à competitividade no mundo globalizado. Rodrigues destacou a iniciativa do governo Aécio Neves de descentralizar o desenvolvimento científico, tecnológico e econômico de Minas Gerais, dando oportunidade a todas as regiões.

A Unidade Básica de Apoio à Pesquisa vai trabalhar sob a coordenação da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), supervisão da Sectes e apoio logístico do município. Também poderá haver contribuição da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) e Instituto Federal de Ciência e Tecnologia (Ifet), com o apoio do Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool (Siamig), empresa Dow Chemical Brasil — que vai investir R$ 1 bilhão em Santa Vitória – Pontal do Triângulo, Instituto de Desenvolvimento Integrado (Indi) e Instituto Euvaldo Loddi (IEL/Fiemg).

O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Alberto Portugal, evidenciou o potencial do Triângulo como importante polo produtor de açúcar e álcool do Brasil. Ele destacou que há instituições e profissionais devidamente capacitados na região para desenvolver os projetos propostos para a Ubap. Os objetivos dessa unidade são: avançar nas pesquisas para o desenvolvimento do etanol de segunda geração, visando ao aumento da produção de álcool combustível sem acréscimo de novas áreas de plantio; elevar os índices globais de eficiência energética da cadeia produtiva do etanol focados na parte industrial do processo; promover novos usos para os co-produtos do etanol e trabalhar pelo desenvolvimento da indústria alcoquímica.

Portugal fez um retrospecto do trabalho do Governo de Minas em favor da inovação, destacando os investimentos na pesquisa, por meio dos recursos repassados à Fapemig, e o estímulo ao empresariado para que inove seus produtos e processos voltados à agregação de valor. O prefeito Públio Chaves ressaltou a importância de se investir em educação, ciência e tecnologia para se chegar à competitividade com os demais países. Ele reconheceu como muito significativa a decisão do governo mineiro em instalar a Ubap em Ituiutaba, cidade-polo da região.

Universidade do Estado de Minas Gerais abre concurso público para seleção de professores de Educação Superior

Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) abre concurso público para seleção de professores de Educação Superior. São dez vagas, em regime estatutário, com trabalho de 40 horas semanais, distribuídas entre os campi BH (Escola de Música, Escola de Design e Escola Guignard) e Frutal.

Entre as atribuições previstas pelo estatuto da UEMG para o professor selecionado, estão a participação da elaboração do projeto pedagógico institucional, ministrar aulas nos cursos de graduação, pós-graduação, extensão e outros, orientar e coordenar trabalhos e projetos intra e extraclasse, elaborar, coordenar e desenvolver projetos de ensino, pesquisa e extensão.

Os interessados deverão preencher e imprimir o formulário a ser disponibilizado no site e comparecer à secretaria acadêmica da unidade para a qual irá se candidatar, trazendo toda a documentação prevista no edital do concurso, disponibilizado no site www.uemg.br, além do comprovante de pagamento da inscrição, no valor de R$ 100. Aqueles que precisarem, poderão também inscrever-se por procuração ou enviar toda a documentação por Sedex.

Seleção

O concurso para o cargo da Carreira de Professor de Educação Superior da UEMG é realizado em etapa única, entre 30 e 60 dias contados após a data de encerramento das inscrições, constituindo-se de prova de títulos; prova didática e prova escrita ou prova prática (esta avaliação depende do concurso escolhido).

Para a avaliação será formada uma banca com cinco docentes com titulação igual ou superior ao exigido para o cargo, que atribuirão a cada candidato notas entre 0 e 100. O resultado final será obtido pela média aritmética obtida segundo critérios do edital. Aqueles que obtiverem média superior a 70 – na avaliação de, ao menos, três componentes da banca – estarão classificados. O detentor da vaga, entretanto, será o que se classificar com melhor média entre os concorrentes.

O edital ainda lembra que a aprovação não garante o direito de ingresso no quadro de servidores, ficando a investidura no cargo condicionada à observância das disposições legais pertinentes, da ordem de classificação, do prazo de validade do concurso e da apresentação da documentação exigida em Lei.