• Agenda

    setembro 2020
    S T Q Q S S D
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    282930  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Governo de Minas: municípios da Regional de Saúde de Pedra Azul realizam diagnóstico do Porta a Porta

O objetivo do diagnóstico é a inclusão dessas pessoas vulneráveis em ações e programas como o Travessia

Os municípios de Cachoeira de Pajeú, Comercinho, Divisa Alegre, Divisópolis, Felisburgo, Jordânia, Mata Verde, Rio do Prado, Rubim, Salto da Divisa e Santa Maria do Salto irão concluir, nesta sexta-feira (13), o diagnóstico do Projeto Porta a Porta, que visa identificar as vulnerabilidades existentes em cada município, por meio de questionários que envolvem perguntas no âmbito da saúde, educação e padrão de vida. O objetivo do diagnóstico é a inclusão dessas pessoas vulneráveis em ações e programas do Governo de Minas, como o Travessia.

O diagnóstico do Porta a Porta possibilitará aos gestores avaliar, por exemplo, a quantidade de crianças de 6 a 14 anos que frequentam a escola; se existe algum adulto ou criança desnutrida; se a casa possui energia elétrica ou banheiro; ou, se existe alguém na residência que receba o benefício do bolsa família.

Cada município, de acordo com as informações repassadas via Porta a Porta, poderão ser beneficiados com até quatro projetos. Para aqueles municípios com população mais carente, será implantado o projeto Travessia Renda que visa à criação de oportunidades de emprego e geração de renda. O Travessia Educação visa a melhoria na qualidade da gestão e da infraestrutura educacional contribuindo para a melhoria do ensino e da aprendizagem do aluno.

Já o Travessia Saúde irá melhorar a infraestrutura das Unidades Básicas de Saúde (UBS) e aumento do número de domicílios atendidos pela Estratégia Saúde da Família (ESF). Por sua vez, o Banco Travessia irá promover a mobilidade social, através do desenvolvimento escolar, das famílias que apresentam ao menos uma grave privação educacional, identificadas pelo Porta a Porta, por meio de incentivo financeiro.

O assistente social de Comercinho, Patrico Soares, informou que, no município, 11 profissionais irão ajudar na digitação das informações do diagnóstico para o sistema. “Teremos até o dia 25 de abril para informar os dados ao sistema. Até o momento, uma das maiores dificuldades que tivemos para concluir o diagnóstico foi o fato de que a maior parte da nossa população mora na zona rural. Além disso, algumas famílias têm uma certa resistência para responder o questionário, mas a presença dos agentes comunitários de saúde, que já conhecem essas famílias, ajudam a resolver esse problema”, disse, ao ressaltar o esforço na realização do diagnóstico, principalmente, porque 67,3% da população de Comercinho reside na zona rural, onde o acesso é mais difícil.

No município de Cachoeira de Pajeú, serão 2551 domicílios visitados pelos agentes comunitários de saúde. A psicóloga do Centro Referência de Assistência Social (CRAS) de Cachoeira de Pajeú, Vitória Machado, informou que o diagnóstico do Porta a Porta tem apontado três principais problemas que merecem uma atenção especial do Governo. “A nossa realidade aponta que temos um grande número de pessoas desempregadas, com baixa escolaridade e domicílios sem documentos”, relatou.

A referência técnica da secretaria municipal de Saúde de Salto da Divisa, Diego Moreira, acredita que através do projeto Porta a Porta, o Governo de Minas terá condições de realizar as devidas intervenções para minimizar as privações sociais identificadas no diagnóstico. “Os primeiros diagnósticos realizados na região nos mostram que o programa realmente funciona. Um exemplo disso é o município de Santo Antônio do Jacinto, que realizou o diagnóstico em outra oportunidade e já tem conseguido melhorar os seus indicadores de saúde, educação e de qualidade de vida. A expectativa agora é de que o nosso município possa concluir o diagnóstico com êxito e que possamos receber os investimentos necessários para melhorar a qualidade de vida da nossa população”, desejou.

Exemplo para a região

O secretário municipal de Saúde de Santo Antônio do Jacinto e presidente do Colegiado de Secretários Municipais de Saúde (Cosems) Regional de Pedra Azul, Arlan Lima, informou que uma das propostas era a de que fossem realizados no município cursos técnicos com o propósito de qualificar de uma forma simples e dinâmica o aluno para ingressar no mercado de trabalho ou um profissional que já estivesse na área e que quisesse ampliar o seu conhecimento.

O município também recebeu investimentos para criação do Banco Travessia, que visa incentivar o retorno e a inserção de pessoas aos estudos. A proposta do programa é de que cada morador inserido no programa e que retomasse aos estudos abrisse uma poupança para a família no Banco Travessia. Se passasse de ano, o morador garantia mais dinheiro no banco. Cada ação da família que garanta qualificação profissional ou eleve o nível de escolaridade também seria transformada em mais dinheiro na poupança.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/municipios-da-regional-de-saude-de-pedra-azul-realizam-diagnostico-do-porta-a-porta/

Em busca de resultados Antonio Anastasia faz balanço de 100 dias, define metas para 2011 e vai priorizar construção de 287 Unidades Básicas de Saúde

Em busca de resultados

Fonte: Alice Maciel  – Estado de Minas

wellington pedro/imprensa mg

Governador Antonio Anastasia (PSDB) faz balanço positivo dos seus 100 dias de administração estadual
O governador Antonio Anastasia (PSDB) divulgou ontem, em solenidade na Cidade Administrativa, os resultados dos 100 dias do seu mandato, entretanto, ele mesmo assumiu que ainda há muito o que fazer pelo estado. Um dos pontos fracos do seu governo, já apontados pelos prefeitos, é a saúde. Para melhorar esta área, foi traçada, como uma das metas para este ano, a construção de 287 Unidades Básicas de Saúde. Anastasia lembrou ainda do projeto Mãe de Minas, integrado com as políticas do Sistema Único de Saúde (SUS) para atender as gestantes. ”O nosso objetivo é ir melhorando a questão da saúde que tem décadas de subinvestimento e de carências. Do dia para a noite é impossível resolver tudo, mas todo o planejamento foi feito com esse objetivo”, acrescentou.
Durante o encontro, que reuniu autoridades políticas, também foram divulgadas as metas a serem alcançadas em 2011 que constam no documento assinado pelos 22 secretários do estado. Entre as prioridades, Anastasia voltou a destacar – assim como em seu discurso de posse- a geração de empregos. “A pessoa empregada melhora a sua saúde, ela vai melhorar o ambiente escolar do seu filho, ela vai ter condições de consumir mais, aumenta a receita do estado, melhora a segurança”, ressaltou.

Atrair R$25 bilhões em investimentos privados é uma das principais metas traçadas pelo governo que irá ampliar os postos de trabalho, segundo a Secretária de Planejamento Renata Vilhena. Qualificar a mão de obra também é um dos desafios de Minas. A expectativa, é de que até o final de 2011 sejam treinados mais 13.583 trabalhadores. ” Estamos lançando um projeto muito importante na área de emprego. Temos a necessidade de melhorar a formação das pessoas e lançamos ontem, em parceria com a Federação das Indústrias um projeto muito importante na área de emprego chamado Ciranda da Formação”, disse o governador.

Ao apresentar os resultados dos 100 dias de mandato, ele destacou que Minas Gerais teve o segundo melhor saldo do país em relação à geração de postos de trabalho no primeiro bimestre de 2011. Em janeiro e fevereiro, Minas gerou 393.549 postos, de acordo com os números divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Anastasia ainda observou que a Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) também apresentou desemprego abaixo da média nacional. De acordo com os dados de janeiro deste ano, 7,7% da população economicamente ativa da RMBH está desempregada.

O governador fez o balanço dos 100 dias de governo na semana em que bombeiros, policiais militares e civis reivindicam aumento salarial. Renata Vilhena disse que foi criado um comitê permanente para negociar com os sindicatos. “Na última reunião que eu tive com os sindicatos foi para estabelecer todos os critérios de funcionamento desse comitê”, disse.

Metas Ambiciosas – A Secretária Renata Vilhena ponderou que as metas traçadas para 2011 são ambiciosas, entretanto, não impossíveis. “Elas superam aquele esforço do dia a dia. Porém, o ponto de equilíbrio é de negociar metas que são ambiciosas mas ao mesmo tempo possíveis de serem alcançadas para que não haja desestímulo por parte das pessoas”, afirmou. Vilhena ainda ressaltou a importância de uma ação conjunta entre as 22 secretarias para alcançar melhorias para o estado. “Eu acredito que essa seja a diferença desse governo. Porque nós selecionamos as prioridades dos mineiro para que dessa forma nós possamos alcançar a nossa visão de futuro”, acrescentou.

100 dias de governo

Realizado

Minas colocou o Brasil no seleto grupo de países que produz o Tenofir, medicamento usado por pessoas com Aids em todo o mundo.

O número de dengue notificados no estado no primeiro trimestre caiu 81,1% em relação ao mesmo período de 2010.

Recursos para Transporte Escolar dos alunos que vivem na Zona Rural aumentou 77%

Exportação do agronegócio cresceu mais de 40%.

Entre janeiro e março, a Companhia de Habitação de Minas Gerais (Cohab/MG) entregou 361 casas e deu ordem de serviço para a construção de outras 2.584 em 78 municípios do estado.

Crescimento recorde da economia que fechou 2010 com PIB de 10,9% em relação a 2009, de acordo com números divulgados em março.

Exportações de Minas cresceram o dobro do Brasil totalizando US$ 8,5 bilhões no primeiro trimestre

Estado apresentou segundo melhor resultado na geração de empregos no primeiro bimestre de 2011. Minas gerou 393.549 postos de trabalho.

No primeiro trimestre Minas atraiu R$ 544,295 milhões em novos investimentos com expectativa de 2.672 empregos.

Minas assinou em fevereiro um decreto em que todos os órgãos e entidades da administração pública estadual que desenvolvem programas sociais ficam obrigados a destinar 1% dos recursos orçamentários para projetos de combate às drogas, o que corresponde a R$ 70 milhões.

Metas 2011

1.420 servidores do Sistema de Defesa Social capacitados em Treinamento Policial Integrado.

Aumento de 28% na arrecadação estadual decorrente do crédito e da solução da dívida ativa tributária.

74% do esgoto coletado pela Copasa tratado.

Acessos a 19 municípios pavimentados, totalizando 199 municípios com acesso pavimentado pelo Pro Acesso, em um total de 4.956 quilômetros

565 quilômetros de rodovias recuperadas pelo ProMG, totalizando 5.372 quilômetros de rodovias recuperadas pelo programa.

R$ 25 bilhões em investimentos privados atraídos nas diversas cadeias produtivas.

R$ 400 milhões em financiamentos a empresas através do Findes e do Fundese

16.800 famílias atendidas pelo Programa de Combate à Pobreza Rural

108.500 alunos atendidos pelo Programa Escola em Tempo integral.

214 municípios cofinanciados através do Piso Mineiro da Assistência Social.