• Agenda

    setembro 2020
    S T Q Q S S D
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    282930  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Governo de Minas: Estado fortalece saúde mental em Manhuaçu e firma novos compromissos

Secretário de saúde inaugura Centro de Atenção Psicossocial e firma novos compromissos na região

Ramon Jader
Secretário Antônio Jorge na cerimônia de entrega do Centro de Atenção Psicossocial
Secretário Antônio Jorge na cerimônia de entrega do Centro de Atenção Psicossocial

A população de Manhuaçu, município do Leste de Minas, recebeu, nesta sexta-feira (13), um Centro de Atenção Psicossocial voltado para usuários de álcool e drogas (CAPS/AD).

O secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, presidiu a cerimônia de entrega do centro onde anunciou a liberação de R$ 40 mil para a compra de novos móveis para uma Unidade Básica de Saúde (UBS). Ainda durante a cerimônia o secretário autorizou a formulação de um projeto para construção de um andar, com capacidade para 40 leitos no Hospital César Leite.

“Minha vinda a Manhuaçu tinha o objetivo inicial de celebrar importantes conquistas na área da saúde do município. Sem que me fosse solicitado, decidi firmar algumas parcerias para continuarmos avançando, sobretudo no que diz respeito ao Hospital César Leite, que é um serviço fundamental de toda esta região”, declarou Antônio Jorge.

O secretário ressaltou que o CAPS/AD constitui uma resposta para enfrentar o que classificou como maior problema de saúde pública atual, que é o abuso de drogas. “Independente de serem ilícitas ou lícitas, como o álcool e o tabaco, o uso destas substâncias desafia as políticas públicas de saúde. Esta unidade é um espaço de perseverança, no qual não se pode desistir mediante às frustrações. O enfrentamento deste problema não é tarefa fácil e é preciso não só domínio da técnica, mas também humanismo, amor e respeito ao próximo”, declarou.

O prefeito de Manhuaçu, Renato Cezar Von Randow, destacou o apoio do Governo de Minas por meio de parcerias importantes no intuito de fortalecer a rede de saúde do município. “Tivemos investimentos em diversas áreas, seja na atenção primária, até na Urgência e Emergência. Temos avançado, e cito como exemplo as obras das Unidades de Pronto Atendimento, a qualificação do Hospital Cesar Leite, entre tantas ações. Com o apoio do Estado estamos buscando constantemente uma atenção mais adequada e melhorando a qualidade de vida dessas pessoas”, afirmou.

O secretário Antônio Jorge participou também da inauguração da UBS e do serviço de hemodinâmica do Hospital Cesar Leite e visitou a Unidade de Pronto Atendimento.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/estado-fortalece-saude-mental-em-manhuacu-e-firma-novos-compromissos/

Governo de Minas: municípios da Regional de Saúde de Pedra Azul realizam diagnóstico do Porta a Porta

O objetivo do diagnóstico é a inclusão dessas pessoas vulneráveis em ações e programas como o Travessia

Os municípios de Cachoeira de Pajeú, Comercinho, Divisa Alegre, Divisópolis, Felisburgo, Jordânia, Mata Verde, Rio do Prado, Rubim, Salto da Divisa e Santa Maria do Salto irão concluir, nesta sexta-feira (13), o diagnóstico do Projeto Porta a Porta, que visa identificar as vulnerabilidades existentes em cada município, por meio de questionários que envolvem perguntas no âmbito da saúde, educação e padrão de vida. O objetivo do diagnóstico é a inclusão dessas pessoas vulneráveis em ações e programas do Governo de Minas, como o Travessia.

O diagnóstico do Porta a Porta possibilitará aos gestores avaliar, por exemplo, a quantidade de crianças de 6 a 14 anos que frequentam a escola; se existe algum adulto ou criança desnutrida; se a casa possui energia elétrica ou banheiro; ou, se existe alguém na residência que receba o benefício do bolsa família.

Cada município, de acordo com as informações repassadas via Porta a Porta, poderão ser beneficiados com até quatro projetos. Para aqueles municípios com população mais carente, será implantado o projeto Travessia Renda que visa à criação de oportunidades de emprego e geração de renda. O Travessia Educação visa a melhoria na qualidade da gestão e da infraestrutura educacional contribuindo para a melhoria do ensino e da aprendizagem do aluno.

Já o Travessia Saúde irá melhorar a infraestrutura das Unidades Básicas de Saúde (UBS) e aumento do número de domicílios atendidos pela Estratégia Saúde da Família (ESF). Por sua vez, o Banco Travessia irá promover a mobilidade social, através do desenvolvimento escolar, das famílias que apresentam ao menos uma grave privação educacional, identificadas pelo Porta a Porta, por meio de incentivo financeiro.

O assistente social de Comercinho, Patrico Soares, informou que, no município, 11 profissionais irão ajudar na digitação das informações do diagnóstico para o sistema. “Teremos até o dia 25 de abril para informar os dados ao sistema. Até o momento, uma das maiores dificuldades que tivemos para concluir o diagnóstico foi o fato de que a maior parte da nossa população mora na zona rural. Além disso, algumas famílias têm uma certa resistência para responder o questionário, mas a presença dos agentes comunitários de saúde, que já conhecem essas famílias, ajudam a resolver esse problema”, disse, ao ressaltar o esforço na realização do diagnóstico, principalmente, porque 67,3% da população de Comercinho reside na zona rural, onde o acesso é mais difícil.

No município de Cachoeira de Pajeú, serão 2551 domicílios visitados pelos agentes comunitários de saúde. A psicóloga do Centro Referência de Assistência Social (CRAS) de Cachoeira de Pajeú, Vitória Machado, informou que o diagnóstico do Porta a Porta tem apontado três principais problemas que merecem uma atenção especial do Governo. “A nossa realidade aponta que temos um grande número de pessoas desempregadas, com baixa escolaridade e domicílios sem documentos”, relatou.

A referência técnica da secretaria municipal de Saúde de Salto da Divisa, Diego Moreira, acredita que através do projeto Porta a Porta, o Governo de Minas terá condições de realizar as devidas intervenções para minimizar as privações sociais identificadas no diagnóstico. “Os primeiros diagnósticos realizados na região nos mostram que o programa realmente funciona. Um exemplo disso é o município de Santo Antônio do Jacinto, que realizou o diagnóstico em outra oportunidade e já tem conseguido melhorar os seus indicadores de saúde, educação e de qualidade de vida. A expectativa agora é de que o nosso município possa concluir o diagnóstico com êxito e que possamos receber os investimentos necessários para melhorar a qualidade de vida da nossa população”, desejou.

Exemplo para a região

O secretário municipal de Saúde de Santo Antônio do Jacinto e presidente do Colegiado de Secretários Municipais de Saúde (Cosems) Regional de Pedra Azul, Arlan Lima, informou que uma das propostas era a de que fossem realizados no município cursos técnicos com o propósito de qualificar de uma forma simples e dinâmica o aluno para ingressar no mercado de trabalho ou um profissional que já estivesse na área e que quisesse ampliar o seu conhecimento.

O município também recebeu investimentos para criação do Banco Travessia, que visa incentivar o retorno e a inserção de pessoas aos estudos. A proposta do programa é de que cada morador inserido no programa e que retomasse aos estudos abrisse uma poupança para a família no Banco Travessia. Se passasse de ano, o morador garantia mais dinheiro no banco. Cada ação da família que garanta qualificação profissional ou eleve o nível de escolaridade também seria transformada em mais dinheiro na poupança.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/municipios-da-regional-de-saude-de-pedra-azul-realizam-diagnostico-do-porta-a-porta/

Gestão da Saúde: Francisco Sá recebe Unidade Básica de Saúde e melhorias em hospital municipal

Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) inaugurou uma nova Unidade Básica de Saúde (UBS) no município de Francisco Sá, Norte de Minas. A unidade, que abrigará duas equipes do Programa Saúde da Família, beneficiando cerca de 6 mil moradores do bairro São Geraldo e adjacências, foi construída com recursos do Tesouro Estadual no valor de R$ 345 mil com uma contrapartida da prefeitura no valor de R$ 42 mil.

O município também recebeu a reforma e ampliação do bloco cirúrgico do Hospital Municipal, que agora passa a contar com sala de pré-parto, parto e puerpério, melhoria na central de material e esterilização. A obra foi viabilizada com recursos do Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS (Pro-Hosp) no valor de R$ 300 mil, e contrapartida do município no valor de R$ 100 mil.

Segundo o subsecretário de Estado de Políticas e Ações de Saúde, Maurício Rodrigues Botelho, a reforma e ampliação do bloco cirúrgico vai ajudar a solucionar a grande demanda de cirurgias eletivas da microrregião, que possui seis municípios e cerca de 74 mil habitantes. “Francisco Sá é sede da micro e precisava se estruturar para atender, com qualidade, suas próprias demandas e as encaminhadas pelos municípios vizinhos. Além disso, com a construção da UBS, grande parte dos atendimentos serão resolvidos na nova unidade, diminuindo a sobrecarga do hospital”, avalia o subsecretário.

A nova UBS é tipo II e foi construída dentro dos padrões exigidos pela Vigilância Sanitária e estruturada para abrigar os PSF Lua e Estrela, com dez pontos de apoio na área rural, realizando reabilitação e promoção à saúde de forma humanizada e acessível.

Com população de 26 mil habitantes, Francisco Sá possui 8 equipes de PSF, 48 agentes comunitários de saúde, cobrindo 100% dos município. “Nossa expectativa é que, com a nova unidade, todos os atendimentos da atenção primária possam ser resolvidos nas UBSs”, planeja o prefeito José Mário Pena que ressalta que uma das prioridades do município era fortalecer o hospital municipal. “Há pouco mais de quatro anos, o hospital não tinha condições de fazer nem mesmo parto normal com segurança. Graças aos recursos do Pro-Hosp a realidade é outra e hoje temos condições de atender até a urgências e emergências”, observa o prefeito.

De 2003 a 2011, o hospital municipal de Francisco Sá recebeu do Pro-Hosp R$ 2,1 milhões, que foram investidos na aquisição de equipamentos, mobiliário, apoio à gestão e em qualificação profissional. A unidade hospitalar também recebe incentivo mensal do Pro Urge no valor de R$ 37.500,00 para reorganizar a rede de resposta hospitalar às urgências e garantir a presença, em 24 por dia, de equipe mínima de profissionais para dar resposta eficiente aos casos de urgência e emergência. O hospital possui 50 leitos 100% SUS e está estruturado para atender a cirurgias nas áreas de obstetrícia, angiologia, otorrino, ortopedia, clínica geral e cirurgia geral e infantil.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/francisco-sa-recebe-unidade-basica-de-saude-e-melhorias-em-hospital-municipal/