• Agenda

    dezembro 2019
    S T Q Q S S D
    « out    
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Governo de Minas: Jovens irão ajudar na escolha de políticas públicas para crianças e adolescentes

Conferência Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente começa no dia 10

Divulgação
Conferência Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente será realizada em BH
Conferência Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente será realizada em BH

Mais de quatro mil propostas serão discutidas durante a 8ª Conferência Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, a ser realizada nos dias 10, 11 e 12 de abril, em Belo Horizonte. São esperados mais de 1.500 delegados, de 388 municípios mineiros, que realizaram conferências municipais e regionais nos meses de agosto, setembro e outubro de 2011. A conferência é promovida pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) e será realizada no Sesc Venda Nova (Rua Maria Borboleta, S/N, bairro Letícia).

De acordo com a coordenadora Especial de Políticas Pró-Criança e Adolescente, Eliane Quaresma, o diferencial da conferência deste ano será a participação direta dos jovens no debate. “Dos 1.500 delegados, 400 são adolescentes que participaram ativamente das conferências municipais e isso é muito importante. É uma política para esse público, portanto, nada melhor que a participação deles nessa discussão”, ressalta a coordenadora, lembrando que os 400 terão direito a voto, como os demais delegados.

Durante os três dias do encontro, gestores públicos, sociedade civil, representantes do Judiciário e do Legislativo irão discutir e elaborar propostas para beneficiar e atender os direitos das crianças e adolescentes de Minas Gerais. Das quatro mil propostas, 45 serão selecionadas e apresentadas por 130 delegados mineiros no encontro nacional, a ser realizado de 11 a 14 de julho deste ano, em Brasília.

Serão cinco eixos de discussão: promoção dos direitos da criança e do adolescente; proteção e defesa dos direitos; protagonismo e participação de crianças e adolescentes; controle social da efetivação dos direitos; gestão da política nacional dos direitos humanos de crianças e adolescentes.

As propostas aprovadas no encontro mineiro vão subsidiar a construção do Plano Decenal, que vai nortear as políticas voltadas para crianças e adolescentes nos próximos 10 anos em Minas Gerais.

A 8ª Conferência Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente vai ser promovida pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca), com o apoio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Violência

O combate às violações dos direitos desse público também estará em pauta no encontro estadual.  Os crimes contra crianças e adolescentes são os mais denunciados em Minas Gerais, por meio do Disque Direitos Humanos (0800 031 11 19). Foram quase nove mil denúncias nos últimos três anos, média de três mil a cada 12 meses.

Para incentivar a população a denunciar as violações dos direitos das crianças e dos adolescentes, o Governo de Minas criou, em maio de 2008, a Campanha Proteja Nossas Crianças. A iniciativa é coordenada pela Sedese, pelo Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e pelo Cedca e está consolidada como uma das maiores mobilizações já realizadas no país com foco no combate à violência doméstica e à exploração sexual de crianças e adolescentes.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/jovens-irao-ajudar-na-escolha-de-politicas-publicas-para-criancas-e-adolescentes/

Gestão em Minas: Programa Chefs do Amanhã abre inscrições para novas turmas

Curso de culinária é oferecido a alunos de escolas estaduais

Aline Pereira
O programa Chefs do Amanhã já qualificou 1.300 jovens em culinária saudável
O programa Chefs do Amanhã já qualificou 1.300 jovens em culinária saudável

A Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude (Seej) firmou convênio de cooperação técnica com o Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) e o Serviço Nacional de Apredizagem Comercial (Senac) para a execução do projeto “Chefs do Amanhã” em 2012.

Os interessados devem fazer as inscrições pelo site  www.cmrr.mg.gov.brou pelo telefone( 31) 3465-1206 até o dia 5 de abril, quando será feita a seleção. O Chefs do Amanhã é voltado a alunos de escolas públicas que estejam cursando, ou já tenham concluído a educação básica, trabalhadores empregados ou desempregados. Todos os candidatos deverão comprovar renda familiar per capita que não ultrapasse dois salários mínimos federais e tenham idade mínima de 18 anos.

Inicialmente, serão oferecidas 60 vagas, divididas em três turmas. O início das aulas está programado para o dia 23 de abril, com o final previsto para 5 de junho. O curso é gratuito e acontecerá de segunda a sexta-feira no período da tarde, entre às 13h e 17h, no CMRR, localizado na avenida Belém, 40, bairro Esplanada. Os alunos receberão transporte, alimentação e certificado.

Durante o curso, os jovens aprenderão sobre elaboração de pratos básicos utilizando técnicas específicas das áreas de legumeria, açougue e cozinha quente, bem como conceitos e boas práticas de logística, higiene e manipulação. Juntamente com o curso de auxiliar de cozinha, serão oferecidos cursos complementares nas áreas de pães, roscas e biscoitos; pizzas; preparo de bolos e tortas; quitandas tradicionais mineiras; salgados e canapés; bombons e trufas aos alunos que mais se destacarem. “Esse conhecimento extra complementará o currículo do participante, tornando-o ainda mais competitivo ao mercado de trabalho”, analisa o subsecretário.

Chefs

De 2008, quando foi criado, até agora, 1300 jovens já foram qualificados em técnicas de manipulação, congelamento, aproveitamento integral dos alimentos e noções de higiene.

O subsecretário da Juventude, Gabriel Azevedo, explica que neste ano o projeto tem como novidade a parceria com o Senac, por meio do no Programa Senac Gratuidade. “Isso possibilitou maior robustez ao Chefs do Amanhã e objetivou a inserção ou reinserção do jovem ao mercado de trabalho, através de um curso Auxiliar de Cozinha de 200 horas/aula”, explica.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/programa-chefs-do-amanha-abre-inscricoes-para-novas-turmas/

Governo de Minas: especialista dá dicas para identificar crimes sexuais contra crianças

Dado do Observatório da Infância aponta que apenas 30% dos casos de abusos deixam evidências físicas

Divulgação/Sedese MG
A campanha Proteja Nossas Crianças visa combater a violência doméstica e a exploração sexual
A campanha Proteja Nossas Crianças visa combater a violência doméstica e a exploração sexual

Os crimes sexuais contra crianças e adolescentes corresponderam a 16% das denúncias recebidas pelo Disque Direitos Humanos (0800 031 1119) em 2011, com 336 relatos. Só os crimes de violência física dentro da própria família e de negligência e abandono, com 752 e 746 denúncias, respectivamente, superaram os relatos de crimes sexuais.  Mas como identificar esse tipo de violência, que muitas vezes ocorre dentro da própria família?

A psicóloga e responsável pela Coordenadoria Especial de Política Pró-Criança e Adolescente (Cepcad), Eliane Quaresma, chama a atenção dos pais para possíveis sinais apresentados pelas crianças que sofrem esse tipo de violação. “O abuso sexual acontece de uma forma muito velada. O abusador é, geralmente, muito próximo e tem uma relação de confiança com a criança, que passa a ter uma dependência provocada pelo medo. Além disso, a criança sente vergonha e normalmente é ameaçada pelo abusador”, explica Quaresma.

Dado do Observatório da Infância aponta que apenas 30% dos casos de abusos deixam evidências físicas, o que, para a psicóloga, dificulta ainda mais a identificação da violência. “A criança dá outros sinais: passa a ficar deprimida, apática, apresenta queda no rendimento escolar e medo de ficar sozinha”, exemplifica.

Quaresma também ressalta a importância de os pais sempre acreditarem no que os filhos contam. “Muitas vezes, por vergonha, a criança, que tem o imaginário muito fértil, floreia um caso para contar um abuso e isso leva as pessoas a não acreditarem”, disse, orientando os pais a sempre apurarem o que os filhos dizem.

A criança que sofre violação e não é tratada carrega sequelas para o resto da vida e geralmente se torna um adulto com dificuldade de relacionamento social, depressivo, com impotência sexual, frigidez, além de poder cometer suicídio.

Proteja

Para incentivar a população a denunciar os crimes contra crianças e adolescentes, o Governo de Minas lançou, em maio de 2008, a Campanha Proteja Nossas Crianças, coordenada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), pelo Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca). É uma das maiores mobilizações já realizadas no país com foco no combate à violência doméstica e à exploração sexual desse público. Conta com a parceria das emissoras de TV, rádio e jornais impressos do Estado.

Fique atento a algumas táticas usadas por abusadores:

– Fazem-se passar por jovens ou crianças da mesma idade;

– Abordam assuntos que agradam suas vítimas potenciais;

– Oferecem algum benefício monetário ou presente;

– Tornam-se ‘amigos’, criando uma atmosfera de acolhimento e dependência;

– Usam informações fornecidas por crianças, adolescentes e jovens durante o contato pela internet ou nos perfis criados em sites de relacionamento;

– Podem buscar esse contato fora da internet, pessoalmente, nas escolas, clubes ou lan houses.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Bombeiros de Muriaé priorizam vistorias e boletins de ocorrência após chuvas

MURIAÉ (12/01/12) – O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Minas Gerais em Muriaé, após um período crítico de chuvas na cidade, está priorizando vistorias às áreas de risco e os boletins de ocorrência para a população mais afetada. Foram realizadas vistorias em cinco bairros: Aeroporto, Patrocínio São José, São Cristovão, Encoberta e Santa Teresinha.

O objetivo foi avaliar o risco de deslizamentos, que ainda podem ocorrer. Segundo o tenente Tassi, comandante do Corpo de Bombeiros de Muriaé, é importante que as pessoas que residem próximas a barrancos fiquem atentas caso volte a chover. “Os moradores de locais próximos a encostas estão orientados a saírem de suas casas, caso haja alguma alteração. Orientamos também o isolamento de cômodos em que possa haver risco”, destaca.

Segundo ele, foi feito também um cadastro das pessoas que precisarão do boletim de ocorrência e as equipes estão dando continuidade a esse procedimento. “O bairro Barra, por exemplo, um dos pontos que foi alagado, tem muitas lojas comerciais, então os proprietários precisarão do boletim de ocorrência para solicitar o seguro”, relata. Até o momento, já foram feitos cerca de 50 boletins.

O Corpo de Bombeiros em Muriaé resgatou, durante as chuvas, mais de 500 pessoas ilhadas, com o auxílio de quatro embarcações da corporação. De acordo com o cabo Eduardo, a principal função foi mesmo de busca e salvamento. “Trabalhei das 8h às 20h, retirando gente das casas, inclusive do segundo pavimento das residências”, afirma. Segundo ele, com as chuvas, o rio Muriaé subiu cerca de seis metros acima do nível normal. Nessa quinta-feira (12), o rio está apenas dois metros acima do nível normal.

Mobilização

Em todas as cidades mais afetadas pelas chuvas no restante do Estado, o Corpo de Bombeiros também foi mobilizado e está apoiando a Defesa Civil no resgate de pessoas ilhadas e na distribuição de medicamentos, cestas básicas, água, colchões, cobertores e roupas.

Para Além Paraíba, que se encontra em situação crítica, o governador Antonio Anastasia, após visita à cidade, determinou novas medidas emergenciais nas áreas de transportes e obras públicas, saúde e abastecimento de água, para o retorno imediato à normalidade.

Além disso, 15 toneladas de donativos e materiais de ajuda humanitária foram encaminhados, nessa quarta-feira (11), a famílias atingidas pelas chuvas no Estado. A primeira entrega de doações, arrecadadas pelo Movimento Minas Solidária, lançado no último dia 6 pelo Governo de Minas e executado pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), em parceria com o Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), saiu de Belo Horizonte, levando alimentos, leite em pó, roupas, calçados, material de higiene e limpeza e fraldas descartáveis para os municípios de Jeceaba, Juatuba, Ponte Nova e São João del-Rei.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Campanha de solidariedade inicia entrega de doações às vítimas das chuvas

 

BELO HORIZONTE (11/01/12) – Quinze toneladas de donativos e materiais de ajuda humanitária foram encaminhadas, nesta quarta-feira (11), a famílias atingidas pelas chuvas no Estado. Essa é a primeira entrega de doações, arrecadadas pelo Movimento Minas Solidária, campanha de solidariedade às vítimas das chuvas, lançada no último dia 6 pelo Governo de Minas. A campanha está sendo executada pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) em parceria com o Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas).

O primeiro comboio do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais saiu às 9h30, da Academia de Bombeiros, em Belo Horizonte, levando alimentos, leite em pó, roupas, calçados, material de higiene e limpeza e fraldas descartáveis para os municípios de Jeceaba, Juatuba, Ponte Nova e São João del-Rei.

Já foram arrecadadas 130 toneladas de alimentos e outros materiais essenciais ao suprimento das necessidades básicas da população, como higiene e limpeza. Segundo a Cedec, nesta quarta-feira (11) cerca de 25 mil pessoas estavam desalojadas e mais de 2,4 mil desabrigadas, em 182 municípios mineiros.

Para a presidente do Servas, Andrea Neves da Cunha, a solidariedade do povo mineiro demonstra o esforço de todo um Estado para ajudar aqueles que sofrem com perdas em decorrência das fortes chuvas.

“O ritmo da campanha está, felizmente, muito positivo. Já arrecadamos, de sexta-feira até hoje, 130 toneladas de alimentos e, nesse momento, eu gostaria de agradecer a cada um que pode colaborar com esse esforço que, na verdade, é um esforço de toda Minas Gerais. Esse é o primeiro comboio, vamos chamar assim, que já está partindo com essas doações, 15 toneladas estão saindo hoje para quatro municípios atingidos pelas chuvas. Nossa expectativa é que possamos continuar todos juntos mobilizados porque infelizmente ainda estamos atravessando um período difícil para Minas Gerais”, disse Andrea Neves.

Segundo o secretário-executivo da Cedec-MG, coronel Eduardo César Reis, os materiais de ajuda humanitária irão ajudar famílias que, hoje, estão sem acesso a produtos de necessidades básicas, levando em conta que, além de residências, o comércio das cidades atingidas pelas chuvas também foi afetado.

“O balanço inicial da campanha é altamente positivo, reflete o espírito de solidariedade do povo mineiro que é externado a cada dificuldade que a comunidade enfrenta em razão do período das chuvas. Sabemos, por exemplo, no caso de Guidoval, que boa parte da área comercial da cidade foi afetada e isso inviabiliza o acesso das pessoas a terem suas necessidades básicas de alimentação, de vestuário e de higiene atendidas, porque eles não vão encontrar no mercado local esses itens”, explica o coronel Eduardo.

O secretário-executivo da Cedec-MG disse que a Defesa Civil já distribuiu um volume significativo de cestas básicas, em torno de 10 mil unidades, além de colchões, cobertores, roupas, medicamentos, lonas plásticas, kits de higiene e de limpeza, que foram entregues à população logo após a ocorrência dos desastres.

Distribuição

Uma força tarefa com 50 bombeiros militares e com meninos que integram o projeto social “Voluntários da Cidadania” fizeram o carregamento de três caminhões, uma carreta e dois furgões do Corpo de Bombeiros, com as cestas básicas e o material de ajuda humanitária.

A prioridade é arrecadar leite em pó, fraldas, material de higiene e de limpeza, além de utensílios domésticos. Segundo Andrea Neves, o Governo de Minas se compromete a fazer com que as doações cheguem a quem precisa. A campanha durará o tempo indispensável ao suprimento dessas necessidades. “Estamos todos juntos acompanhando o desenvolver das chuvas, para que possamos estar o mais próximo possível dessas centenas de famílias até o momento em que elas possam retomar a sua rotina de vida diária. O nosso compromisso com cada um que fizer doação é garantir que essa doação chegue a quem realmente precisa”, destacou.

Nos municípios beneficiados, esse material será distribuído às famílias pelas coordenadorias municipais de Defesa Civil, em um trabalho articulado entre o Governo de Minas, por meio da Cedec, do Servas, do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar, com o apoio das prefeituras. A Defesa Civil e o Servas dispõem de recursos para o transporte dos donativos. “Também vamos solicitar às prefeituras municipais que tiverem condições para buscar os donativos em uma unidade da Polícia Militar ou do Corpo de Bombeiros mais próxima, fazendo com que o recurso chegue imediatamente à comunidade”, explicou coronel Eduardo.

As doações podem ser feitas nas unidades do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, na capital e no interior, e também na sede do Servas, em Belo Horizonte, localizada na avenida Cristóvão Colombo, nº 683, bairro Funcionários. As doações financeiras devem ser depositadas no Banco do Brasil, C/C 64.529-X, agência 1229-7.

Também acompanharam a saída do primeiro comboio do Corpo de Bombeiros com os donativos o chefe interino de Comunicação Social do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, major Rubem Cruz; o superintendente técnico operacional da Cedec, major Edylan Arruda; e o chefe de comunicação da Polícia Militar, major Freitas.

Fonte: Agência Minas

Governador recebe plano de ação do Banco do Brasil em apoio às cidades atingidas pelas enchentes

BELO HORIZONTE (09/01/12) – O governador Antonio Anastasia conheceu, nesta segunda-feira (9), as medidas emergenciais de apoio a regiões atingidas pelas enchentes em Minas Gerais desenvolvidas pelo Banco do Brasil. No plano de ação entregue ao governador pelo vice-presidente de Desenvolvimento Sustentável, Robson Rocha, o banco compromete-se a apoiar a reestruturação das comunidades e o retorno da atividade econômica e a promover parcerias para potencializar ações locais.

As medidas, a serem adotadas nas cidades onde for decretada situação de emergência, incluem liberação de crédito, adiamento de pagamentos, prioridade no pagamento de seguros, disponibilização das estruturas das Associações Atléticas do Banco do Brasil (AABBs) e a abertura de uma conta para recebimento de doações.

“É um conjunto de medidas extremamente pró-ativa e que eu, como governador de Minas, queria publicamente agradecer ao Banco do Brasil, que tem sido parceiro do Estado em todos os momentos, naqueles de desenvolvimento, de prosperidade, mas também nesse momento de dificuldades que estamos enfrentando”, disse o governador.

O Banco do Brasil abriu uma conta para que pessoas de todo o Brasil possam fazer doações às vítimas das chuvas em Minas Essas pessoas serão avisadas por anúncios nos terminais de autoatendimento e nos extratos bancários. O encaminhamento do dinheiro recebido será gerido pelo Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), juntamente com a Defesa Civil Estadual. Os dados da conta para doação são: Banco do Brasil – Conta: 64529-X / Agência: 1229-7.

Como apoio à retomada da economia das cidades atingidas, o banco vai instituir carência de 60 dias para dívidas de micro e pequenas empresas, mesmo prazo da prorrogação para os pagamentos de cartões de crédito. Os produtores rurais também serão beneficiados com carência de suas dívidas, que serão analisadas caso a caso.

“O alongamento de prazos das principais linhas de crédito utilizadas por esses segmentos tem por objetivo apoiar os empresários e produtores, que tiveram seu fluxo de caixa impactado pelas enchentes, e visa contribuir para a reorganização da atividade produtiva”, explicou Robson Rocha.

Outra medida é a suspensão do envio de títulos para cartório. Ainda de acordo com o vice-presidente do Banco do Brasil, os pedidos de pagamento de seguros originários das cidades em situação de emergência terão atenção imediata das unidades de atendimento da seguradora do banco.

Para o município de Guidoval, na Zona da Mata, onde a agência do Banco do Brasil foi destruída pelas enchentes, foi direcionada uma Unidade Móvel de Atendimento, já em funcionamento, para prestar atendimento aos clientes, pagamentos de benefício INSS e recebimentos diversos.

Nas cidades que contam com sedes da AABB, a estrutura dos clubes será colocada à disposição da Cedec/MG, seja para servir de base das operações da defesa civil naquela região, seja para acolhimento de desabrigados.

Com foco no cidadão, o Banco do Brasil irá disponibilizar cópia de documentos pessoais constantes de seu cadastro, acionar os funcionários participantes do programa “Voluntários BB” para ações de arrecadação e distribuição de

Fonte: Agência Minas

: Servas e Governo Anastasia iniciam campanha de solidariedade para arrecadação de donativos para vítimas das chuvas

Chuvas em Minas Gerais, solidariedade

Fonte: Agência Minas

Servas e Defesa Civil lançam campanha de solidariedade às vítimas das chuvas

BELO HORIZONTE (06/01/12) – Por meio do Movimento Minas Solidária, o Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas-MG) e a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec-MG) iniciaram, nesta sexta-feira (6), em todo o Estado, campanha de solidariedade para arrecadação de doações para atendimento emergencial a famílias desalojadas e desabrigadas em mais de 90 municípios atingidos pelas chuvas.

Até o momento, são 99 municípios que se encontram em situação de emergência, mais de 9.880 pessoas desalojadas e mais de 5.000 desabrigadas, que tiveram suas casas destruídas ou danificadas e precisam de itens como leite em pó, fraldas descartáveis, material de higiene e limpeza, roupas e utensílios domésticos.

A Cedec-MG se responsabiliza pela rápida distribuição dos itens para socorro das famílias, de acordo com o mapa dos danos causados nas regiões atingidas, atualizado o tempo todo.  “O Minas Solidária, constituído em 2003, mobiliza o poder público, prefeituras, entidades de classe, veículos de comunicação e a sociedade organizada, articula ações que têm como base a solidariedade humana. Esse é o espírito que dá caráter permanente ao Movimento”, lembra a presidente do Servas, Andrea Neves da Cunha.

Como fazer as doações

As doações podem ser entregues nos batalhões da Polícia Militar e nas unidades do Corpo de Bombeiros espalhados por todas as regiões do Estado. No site www.servas.org.br estão relacionados os batalhões e unidades da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros com os respectivos endereços para entrega das doações.

O Servas também está preparado para receber doações em sua sede localizada em Belo Horizonte à avenida Cristóvão Colombo, 683, bairro Funcionários (telefone: 3349-2400). Doações financeiras podem ser depositadas na conta do Banco do Brasil – Agência 1229-7 – C/C- 64.529-X

Sobre o Movimento Minas Solidária

O Movimento Minas Solidária foi instituído em 20 janeiro de 2003 pelo Governo Antonio Anastasia e pelo Servas e mobilizou a sociedade organizada contra as consequências das chuvas que atingiram o Estado naquela época, as piores dos últimos 18 anos.

Desde então, sob a coordenação institucional do Servas e operacional da Cedec, o movimento reúne entidades de classe, empresas privadas, sindicatos, veículos de comunicação, prefeituras e cidadãos com o objetivo de formar uma rede de solidariedade e apoio às famílias prejudicadas. Essa iniciativa tem permitido a realização de uma das maiores campanhas de voluntariado e doações da história de Minas Gerais.

O Minas Solidária é resultado dessa parceria, que se dá em duas etapas: a primeira, de socorro emergencial, para atender às necessidades imediatas de abrigo, alimentação, agasalhos e medicamentos, entre outras; a segunda, de construção de moradias para as famílias que moram em regiões atingidas pelas chuvas.