• Agenda

    julho 2020
    S T Q Q S S D
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Governo de Minas: Conceição do Mato Dentro e Serro comemoram o início das obras na MG-010

Trecho de 46 quilômetros faz parte do traçado histórico da Estrada Real

Diulgação/Vilasa Construtora Ltda
As obras devem durar aproximadamente dois anos
As obras devem durar aproximadamente dois anos

Os moradores de Conceição do Mato Dentro e do Serro, cidades da região Central do Estado, comemoram o início das obras de pavimentação e melhoramentos do trecho da MG-010, ligando os dois municípios. O segmento de 46 quilômetros faz parte do traçado histórico da Estrada Real e terá o nome do ex-embaixador José Aparecido de Oliveira. O trecho está integrado no Circuito Turístico do Diamante e vai facilitar a ligação entre Conceição do Mato Dentro, Serro e Diamantina.

Para o prefeito do Serro, Guilherme Simões Neves, a pavimentação do trecho é um antigo sonho da comunidade. “É a concretização do projeto da Estrada Real, com o asfalto entre Serro e Diamantina, passando pelos distritos de Milho Verde e São Gonçalo do Rio das Pedras. Por outro lado, aponta para um futuro promissor para a região, diminuindo a distância entre a capital em, pelo menos, 100 quilômetros e resgata a proximidade das cidades irmãs Conceição do Mato Dentro e Serro. É importante ressaltar que daqui para frente a realidade do Serro será outra”, conclui.

Ele destaca, ainda, que a obra será a ferramenta para acelerar o desenvolvimento do município. Opinião compartilhada pelo prefeito de Conceição do Mato Dentro, Reinaldo César de Lima Guimarães, que destaca a importância da pavimentação do trecho para promover integração regional e desenvolvimento. “Representa importante conquista do Médio Espinhaço, que desponta como um novo circuito econômico de Minas Gerais e do Brasil, com a implantação do empreendimento minerador Projeto Minas-Rio”, destaca.

Na avaliação do prefeito de Conceição do Mato Dentro, a história da MG-010 guarda a essência da identidade cultural da região, desde os primeiros desbravadores que, palmo a palmo, fundaram vilas e cidades, em busca do ouro e dos diamantes, ligando o Ivituruí ou Serro Frio à freguesia de Conceição e ao arraial do Tejuco, hoje Diamantina. “Sob o signo da mineração do passado e do presente e, sobretudo, guardando as belezas naturais e o acervo histórico e cultural dos nossos casarios e fazeres – patrimônio material e imaterial – a nossa região aposta no turismo como alternativa sustentável, alternativa esta finalmente viabilizada com a obra da MG-010”, conclui.

Investimento

Os investimentos serão da ordem de R$ 41 milhões, dos quais R$ 10 milhões obtidos por meio de parceria com a Anglo American, um dos maiores grupos de mineração do mundo, que atua na região.

Obras

A obra será realizada pela Vilasa Construtora Ltda., devendo durar aproximadamente dois anos, a contar da assinatura da ordem de início, autorizada este mês pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de Minas Gerais (DER-MG).

Integram os trabalhos na MG-010, no trecho entre Conceição do Mato Dentro (entroncamento para Dom Joaquim) ao Serro, a pavimentação e a implantação de 46 quilômetros e a execução de alargamento e restauração de cinco pontes, sobre os córregos Pereira, Campinas, Passa Sete, Pedra I e Zalu, todas com largura de 10 metros e comprimento de 10 metros. Além disso, será restaurada a ponte sobre o Córrego Pedras I com 26 metros de comprimento. Sobre o Rio do Peixe, será construída uma nova ponte com 37 metros de extensão e 10 metros de largura.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/conceicao-do-mato-dentro-e-serro-comemoram-o-inicio-das-obras-na-mg-010/

Gestão Anastasia: governo de Minas inicia pavimentação da MG-010 de Conceição do Mato Dentro ao Serro

Obra vai integrar circuitos turísticos importantes e incrementar a economia da região

O governador em exercício Alberto Pinto Coelho determinou que as obras de pavimentação do trecho da MG-010, ligando Conceição do Mato Dentro ao Serro, sejam iniciadas na próxima quinta-feira (15). O trecho de 46 quilômetros faz parte do traçado histórico da Estrada Real e terá o nome do ex-embaixador José Aparecido de Oliveira.

O trecho está integrado no Circuito do Diamante e vai facilitar a ligação entre Conceição do Mato Dentro, Serro e Diamantina, além de Além de fazer parte do traçado histórico da Estrada Real, integra os programas Estratégico de Logística e Transportes (PELT) e Caminhos de Minas.

Os investimentos serão da ordem de R$ 41 milhões, dos quais R$ 10 milhões obtidos por meio de parceria com a Anglo American, um dos maiores grupos de mineração do mundo, que está investindo na região cerca de R$ 5 bilhões, para a produção e escoamento de minério de ferro.

Para o governador em exercício, a obra resgata uma dívida histórica para com a região e será fundamental para o desenvolvimento econômico e social do Serro, de Conceição do Mato Dentro e de municípios do entorno. “É um antigo sonho, uma antiga reivindicação da população de toda uma região, que agora será concretizada por determinação do governador Antonio Anastasia. Esta obra é fundamental para a atração de empreendimentos, para impulsionar o turismo e para gerar renda e emprego de qualidade”, afirmou Alberto Pinto Coelho, lembrando que, com a pavimentação do trecho, a MG-010 servirá como uma opção de acesso a Diamantina, passando por um corredor turístico alternativo que vai ligar Confins, Serra do Cipó, Circuito do Queijo e Circuito dos Diamantes.

Obras

A obra será realizada pela Vilasa Construtora Ltda devendo durar aproximadamente dois anos, a contar da assinatura da ordem de início, que será dada na próxima quinta-feira pelo Departamento Estadual de Estradas de Rodagem (DER-MG). Já a partir de quarta-feira a empresa começa o processo de mobilização, que inclui deslocamento de pessoal e maquinário, além da instalação do canteiro de obras.

Integram os trabalhos na MG-010, no trecho entre Conceição do Mato Dentro (entroncamento para Dom Joaquim) ao Serro, a pavimentação e a implantação de 46 quilômetros e a execução de alargamento e restauração de cinco pontes, sobre os córregos Pereira, Campinas, Passa Sete, Pedra I e Zalu, todas com largura de 10 metros e comprimento de 10 metros e a ponte sobre o Córrego Pedras I com 26 metros de comprimento. Sobre o Rio do Peixe, será construída uma nova ponte com 37 metros de extensão e 10 metros de largura.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: DER promove cursos de educação ambiental e patrimonial para comunidades do Serro e Diamantina

Os cursos são voltados para moradores dos distritos de Milho Verde, Três Barras, São Gonçalo do Rio das Pedras e Vau

Bernadete Amado
Moradores da cidade de Milho Verde assitem a palestra sobre educação ambiental
Moradores da cidade de Milho Verde assitem a palestra sobre educação ambiental

Despertar novas atitudes, um novo jeito de agir e pensar a questão ambiental, tentando construir uma nova realidade, baseado no respeito ao patrimônio cultural e ambiental. Esse é o objetivo dos cursos de educação ambiental e patrimonial em função das obras de implantação e pavimentação da rodovia municipal Diamantina – Milho Verde – Serro, trecho da Estrada Real em Minas, organizado pela Gerência de Meio Ambiente do Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de Minas Gerais (DER/MG).

Os cursos são voltados para moradores dos distritos de Milho Verde, Três Barras, São Gonçalo do Rio das Pedras e Vau e integram o Programa “Transitando no Saber Cuidar”, com enfoque nos jovens e agentes ambientais. As atividades tiveram inicio na segunda-feira (5) e serão encerradas na sexta-feira (9).

Para a técnica em Educacão Ambiental do DER, Eliane Aparecida Silveira, o órgão tem buscado trabalhar com comunidades e pessoas envolvidas nas obras rodoviárias, buscando sensibilizar também os valores humanos, por meio de ações educativas. Ela explica que uma das dinâmicas do curso utilizadas para despertar a consciência ambiental e patrimonial é a fotografia. “Uma forma de sensibilizar os jovens e agentes sobre a importância da preservação dos espaços públicos e da cultura é a fotografia. Eles saem a campo registrando o núcleo urbano onde vivem, identificando e fotografando os bens culturais, patrimoniais e ambientais”.

Segundo Eliane, a pavimentação do trecho e outras obras de infraestrutura em andamento estão sendo acompanhadas de outras iniciativas que buscam a inserção das comunidades que ali vivem e a redução dos impactos ambientais em uma área de grande valor ecológico, cultural e turístico.

Comunidades Históricas

Às margens dos 60 quilômetros que integram o trecho Diamantina-Milho Verde –Serro, estão instaladas quatro comunidades que têm sua origem no século XVIII: Três Barras, Milho Verde, São Gonçalo do Rio das Pedras (Pertencentes ao Serro) e Vau, comunidade de Diamantina. Para reduzir o impacto para os moradores, está sendo observada a preservação do patrimônio histórico e cultural e as características das localidades. Os trechos próximos aos núcleos urbanos estão recebendo calçamento poliédrico e pistas para caminhantes.

Preservação da Flora e Fauna

A obra executada pelo DER tem se preocupado com a preservação da flora e fauna. Em toda extensão das obras, estão sendo obedecidos diversos critérios ambientais para que o impacto seja o menor possível. Segundo os biólogos do DER, Felipe Dutra de Resende e Rogério Pedersoli de Lima, os animais encontrados são capturados e soltos no interior da mata e as espécies de flora ameaçadas são levadas para um viveiro, no próprio canteiro de obras.

Obras

As obras de melhoria e pavimentação do trecho fazem parte de uma série de projetos que vem sendo implantados por meio do Programa de Desenvolvimento do Turismo no Vale do Jequitinhonha –Prodetur/NE II, convênio firmado entre o Ministério do Turismo, o Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Turismo, com interveniência da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas. O objetivo do programa é melhorar a qualidade de vida da população residente nas áreas de sua atuação, por meio da criação de condições favoráveis à expansão e melhoria da qualidade da atividade turística.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: governo investe R$ 300 milhões em saneamento básico nos Vales do Mucuri e Jequitinhonha

TEÓFILO OTONI (23/01/12) – A partir de abril deste ano o município de Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, passará a contar com uma das maiores obras de abastecimento de água e de saneamento básico que o Governo de Minas está implementando no Vale do Mucuri. Além de Teófilo Otoni, o projeto beneficiará cerca de 30 municípios da região. Os investimentos, da ordem de R$ 300 milhões, que estão sendo viabilizados por meio da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), compreendem a  construção, em Teófilo Otoni, de uma barragem de 32 metros de altura no leito do Rio Todos os Santos e a implantação de uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE).

As obras de construção da barragem e da ETE já estão em fase final e, já a partir do primeiro semestre deste ano, vão garantir a revitalização e despoluição do Rio Todos os Santos, principal fonte de abastecimento de água da população de Teófilo Otoni. Com capacidade para acumular 12 milhões de metros cúbicos de água, a barragem conta com investimentos de R$ 120 milhões. A implantação dos empreendimentos geraram 550 empregos diretos.

De acordo com os engenheiros da Copasa, José Lopes da Silva e Márcia Nogueira de Almeida, a barragem proporcionará grande ganho ambiental para a região de Teófilo Otoni, uma vez que, além de resolver o problema de abastecimento de água da população, viabilizará a recuperação de uma das mais importantes bacias hidrográficas do Vale do Mucuri.

As obras no entorno da barragem do Rio Todos os Santos já estão em fase de conclusão, com a instalação de equipamentos de controle, redes de eletrificação e calçamento de vias de acesso. Também está prevista a construção de uma adutora com 12 quilômetros de extensão, ligando a barragem à estação de tratamento de água da Copasa, sediada na área urbana de Teófilo Otoni.

Desenvolvimento regional

A previsão é de que esses investimentos do Governo de Minas vão garantir, nos próximos 50 anos, o abastecimento de água a uma população atualmente superior a 130 mil habitantes, além da regularização do Rio Todos os Santos, que seca em períodos de estiagem prolongada. Já nos períodos de chuva, a barragem contribuirá com a redução dos problemas de enchentes enfrentados pela população.

“Os investimentos que o Governo de Minas tem realizado na construção da barragem são fundamentais para a região, pois solucionarão um problema crônico de abastecimento que a população local enfrenta nos períodos de seca e que vinha se agravando nos últimos anos”, afirma o gerente do Departamento Operacional Nordeste da Copasa, Sérgio da Costa Ramos. “Além de resolver o problema de abastecimento de água pelas próximas cinco décadas, os investimentos se constituirão num fator indutor do desenvolvimento regional”.

Vila Esperança

Em janeiro do ano passado, o Governo de Minas inaugurou a Vila Esperança, conjunto habitacional construído para atender famílias que residiam na área onde está sendo construída a barragem. Localizada na região de Cabeceira de São Pedro, a vila é formada por 23 casas e recebeu investimentos de R$ 3 milhões do Estado. Além de novas casas, os moradores receberam ajuda de custo para subsidiar o primeiro plantio e o cultivo de lavouras de subsistência.

Testes de operação da ETE serão iniciados em fevereiro

Paralelo às obras de conclusão da barragem no leito do Rio Todos os Santos, a Copasa está investindo na ampliação das redes de coleta e tratamento de esgoto em Teófilo Otoni e em outras 30 cidades sediadas nos vales do Mucuri e São Mateus. Os investimentos são superiores a R$ 200 milhões e objetivam despoluir as bacias dos rios Todos os Santos e Jequitinhonha. A iniciativa contribuirá para a melhoria da saúde pública, envolvendo uma população estimada em 430 mil habitantes.

A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Teófilo Otoni, cujas obras foram iniciadas há dois anos, já está em fase final de implantação. O empreendimento terá capacidade para tratar 240 litros de esgoto por segundo e inclui a implantação de 24 quilômetros de redes de interceptores. Os trabalhos de impermeabilização dos reatores já estão sendo executados e a previsão é de que ainda neste semestre a estação entre em funcionamento, após a realização de testes de funcionamento previstos para fevereiro.

Municípios beneficiados

Além de Teófilo Otoni, outros municípios do Vale do Mucuri estão sendo contemplados com a execução de obras de saneamento e abastecimento de água por parte do Governo de Minas. Nos municípios de Serro, Itaobim, Araçuaí e Carlos Chagas, as obras de implantação de estações de tratamento de esgoto já foram concluídas. Já nas cidades de Mata Verde, Divisópolis, Serra dos Aimorés, Diamantina, Capelinha, Turmalina, Minas Novas, Pedra Azul, Itamarandiba, Jequitinhonha, Joaíma, Santa Maria do Suaçuí, Medina e Nanuque, as obras estão em andamento, algumas delas já em fase de conclusão.

Entre os investimentos viabilizados pelo Governo de Minas, a Copasa iniciará brevemente as obras de ampliação do sistema de abastecimento de água do município de Itamarandiba, totalizando R$ 9 milhões. Por outro lado, em 12 cidades de menor porte do Vale do Mucuri, o Governo do Estado investirá R$ 3 milhões neste ano, na ampliação da produção de água, visando resolver problemas enfrentados pela população em períodos de seca prolongada.

Barragem viabiliza criação de nova reserva de Mata Atlântica

Além de resolver o problema de abastecimento de água de Teófilo Otoni e de reduzir os problemas causados por enchentes em períodos de chuva, a construção da barragem no leito do Rio Todos os Santos proporcionará considerável ganho ambiental ao Vale do Mucuri, com a criação de uma nova reserva florestal. A área será constituída em 998 hectares e a região do semiárido passará a contar com uma importante reserva de Mata Atlântica.

Os engenheiros José Lopes da Silva e Márcia Nogueira de Almeida explicam que, apesar da formação do lago da barragem ocupar apenas 128 hectares, o Governo de Minas adquiriu uma área de quase mil hectares, que proporcionará a criação de uma importante reserva de Mata Atlântica no entorno da barragem. “A iniciativa trará consideráveis ganhos para a preservação da flora e da fauna”, prevêem os engenheiros.

Ganhos ambientais

Os técnicos da Copasa destacam ainda que outro importante ganho ambiental para o Vale do Mucuri foi o fato de que a construção da barragem exigiu o desmatamento de apenas 14 hectares, visto que a maior parte da área a ser inundada era composta por pastagens e brejo. Mesmo com o desmatamento de uma área considerada pequena, os engenheiros lembram que a Copasa realizou trabalho de resgate da fauna e da flora que, com a criação da área de proteção ambiental, terá condições de se desenvolver e ter suas características preservadas.

A área de proteção ambiental não será aberta à população. Só poderá ser utilizada para a realização de pesquisas, mesmo assim, depois das propostas serem analisadas por parte da equipe técnica da Copasa.

Fonte: Agência Minas

Antonio Anastasia preside solenidade de entrega da Comenda Teófilo Ottoni, na cidade do Serro, no Médio Jequitinhonha

O vice-governadorAntonio Anastasia presidiu, nesta segunda-feira (30), solenidade de entrega da Comenda Teófilo Ottoni, na cidade do Serro, no Médio Jequitinhonha. Na terceira edição da medalha, criada em 2007, foram agraciadas 32 personalidades que contribuíram para o desenvolvimento político, cultural, econômico e social das regiões Norte e Nordeste de Minas e dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri.

Para Anastasia, poucos brasileiros ofereceram tanto ao Brasil como Teófilo Ottoni, que entrou para a história brasileira especialmente pela sua atuação na Revolução Liberal de 1842 e pelo trabalho para o desenvolvimento do Vale do Rio Mucuri.

“Esse mineiro do Serro se tornou herói da cidadania nacional e modelo de virtude política para todos aqueles que vieram depois e que ainda hoje buscam nele inspiração e exemplo”, disse Anastasia, em seu pronunciamento.

Descentralização política

O vice-governador também destacou a luta de Teófilo Ottoni pela descentralização do poder nas mãos do Imperador. Ele lembrou que as ideias de Teófilo Ottoni iam de encontra ao fortalecimento da unidade nacional por meio do apoio sólido para as províncias.

“Teófilo Ottoni, um pensador moderno, em seu tempo, compreendeu perfeitamente que a centralização absoluta do poder político e administrativo nas mãos do Imperador e dos seus ministros trabalhava contra o bem do Brasil. Ao contrário do pensamento dominante na Corte, voltado para o passado, ele entendeu que a unidade nacional só teria fundamentos sólidos quando as províncias tivessem vez e voz”, disse Anastasia.

Ele também comparou o centralismo do poder político no Brasil da época de Ottoni à atual situação da federação. “O centralismo político e financeiro era – e ainda é – uma aberração, do ponto de vista da ocupação do espaço geográfico, do crescimento econômico, da eficiência administrativa e da própria garantia de liberdade dos cidadãos”, afirmou.

Ao finalizar seu pronunciamento, Anastasia enfatizou que neste momento o Brasil precisa de realismo, trabalho e eficiência. “Crescer e dividir com a sociedade os ganhos do crescimento são opções que exigem conhecimento da realidade, planejamento criterioso, uma estrutura de gestão moderna, profissionalizada e eficiente e um controle rigoroso dos investimentos e da execução dos projetos”, afirmou.

Medalha

A Medalha Teófilo Ottoni foi criada em 2007, através da Lei 16.920, por iniciativa do deputado Alberto Pinto Coelho, presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. A lei prevê que a entrega da medalha seja feita anualmente, em cerimônia realizada no mês de novembro, alternadamente nos municípios do Serro e de Teófilo Ottoni.

Neste ano, o orador oficial foi o reitor da PUC Minas, dom Joaquim Giovani Mol Guimarães. Em seu pronunciamento, ele destacou a importância da Medalha Teófilo Ottoni como um reconhecimento do Governo de Minas às pessoas e instituições que buscam se doarem ao desenvolvimento do Estado.

“É um generoso reconhecimento público do governo de nosso Estado para com todos aqueles – instituições e pessoas – que ultrapassando o mero pragmatismo das exigências de mercado, olham com responsabilidade para as demandas de cada região de nossas Minas Gerais”, disse o orador oficial.

Mineiro de Ponte Nova, dom Joaquim Guimarães é bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte. Exerceu funções de coordenação e direção do curso de Teologia, do Instituto Superior de Pastoral da Universidade e do Núcleo de Estudos avançados em Teologia. Acompanha, pela CNBB, a Comissão de Reforma Política.

Teófilo Ottoni

Teófilo Benedito Ottoni nasceu em 1807 na Vila do Príncipe que, naquela época, era sede da Comarca do Serro Frio (a maior comarca entre as cinco do estado). Aos 19 anos, entrou para a Escola da Marinha no Rio de Janeiro, onde se graduou como guarda-marinha. Em 1830, voltou ao Serro onde fundou o jornal “Sentinela do Serro”, porta-voz de suas propostas de vanguarda.
Conhecido como o Capitão da Casaca Branca, por seus ideais revolucionários, elegeu-se deputado provincial por Minas Gerais (1835) e deputado-geral (1839). Liderou a revolução liberal em Minas Gerais (1842) e, após ser derrotado, foi preso e conduzido a pé para Ouro Preto.

Anistiado pelo imperador Dom Pedro II em 1844, foi reeleito deputado por Minas Gerais no ano seguinte. Afastou-se da política, em 1850, e fundou uma empresa de comércio e colonização no interior do estado, a Companhia do Mucuri, para promover o desenvolvimento e colonização do Vale do rio Mucuri.

Através da empresa, promoveu a navegação do rio, construiu a rodovia de Santa Clara, catequizou índios e incentivou a instalação de imigrantes europeus no Vale de Mucuri. Na confluência do Ribeirão Santo Antônio com o Rio Todos os Santos, fundou a vila de Filadélfia, embrião da hoje cidade de Teófilo Ottoni.

Voltou à política em 1860 e elegeu-se senador em 1864. Muito doente, com a febre da antiga maleita, morreu no Rio de Janeiro, em 1869, vítima de intoxicação miasmática, adquirida no Mucuri.

Agraciados com a Medalha Teófilo Ottoni – 2009

ALICE LORENTZ DE FARIA GODINHO, Funcionária Pública
CÂNDIDO FERRAZ ALVES, Prefeito Municipal de Ponta dos Volantes
ÉRICA CAMPOS DRUMOND, Secretária de Estado
FÁBIO ANTÔNIO DA SILVA PEREIRA, Professor – In Memoriam
GECERNIR COLEN, Professor universitário
GERVÁSIO BARBOSA HORTA, Compositor musical
GIOVANNI BATTISTA LISA, Padre
GUSTAVO BOTELHO NETO, Delegado Geral de Polícia
ÍRIS SORIANO NUNES MIGLIO, Professora
JOAQUIM GIOVANI MOL GUIMARÃES, Dom, Reitor da PUC Minas
JORDÃO BUENO JÚNIOR, Tenente-Coronel PM
JOSÉ DOS SANTOS SILVA, Vereador
JOSÉ FERNANDO APARECIDO DE OLIVEIRA, Deputado Federal (MG)
JOSÉ SARAIVA FELIPE, Deputado Federal (MG)
JUSCELINO JOSÉ DE MAGALHÃES, Juiz de Direito
LÚCIO JOSÉ DE FIGUEIREDO SAMPAIO, Administrador de empresas
MAFRAN ABRANTES COUY, Médico
MARCELO SILVA RAMOS, Empresário
MARCELO SOARES DE ANDRADE, Produtor Cultural
MARCONI FAGUNDES GOMES, Vereador
MAURÍLIO NERIS DE ANDRADE ARRUDA, Prefeito Municipal de Januária
MAURO TUNES JÚNIOR, Empresário.
NANZA DE MIRANDA MELO, Vereadora
NEILANDO ALVES PIMENTA, Advogado
PEDRO MARTINS ABRANTES, Líder político – In Memoriam
REINALDO CÉSAR DE LIMA GUIMARÃES, ADVOGADO
RENATO VIEIRA DE SOUZA, COMANDANTE-GERAL PMMG
REYNALDO OTTONI PORTO, Historiador – In Memoriam
ROBERTO ALCÂNTARA BOTELHO, Prefeito Municipal de Jequitinhonha
SEBASTIÃO PIMENTA BARROSO, Advogado
SILVANA ALINE DUMONT HALLACK, Vereadora
WALTER ANTÔNIO ADÃO, Agrônomo