• Agenda

    agosto 2019
    S T Q Q S S D
    « out    
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

  • Anúncios

Gestão Anastasia: empresas anunciam expansão e geração de mais de 1.800 novos empregos em Minas

Investimentos se concentram no Sul, Triângulo, Zona da Mata e Grande Belo Horizonte

Leonardo Horta / SEDE
Representantes da Manser, Luiz Paulo Junqueira e Ronaldo Ribeiro Gomes, e o diretor do Iindi, Ismael Villas Boas
Representantes da Manser, Luiz Paulo Junqueira e Ronaldo Ribeiro Gomes, e o diretor do Iindi, Ismael Villas Boas

O Governo de Minas Gerais, por meio do Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (Indi), órgão da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (SEDE), assinou protocolos de intenções com empresas de vários setores, para impulsionar ainda mais o mercado de trabalho no Estado. A previsão é que os novos protocolos gerem 1.800 novos empregos em diversas regiões de Minas.

Um dos protocolos foi assinado com a Metalgear Crystal Tecnologia de Metais Ltda. Com investimento de R$ 68,7 milhões, a Metalgear irá implantar, em Cambuí, no Sul do Estado, uma fábrica e instalar um centro de distribuição destinados, respectivamente, à produção e comercialização de fios e cabos elétricos e outros condutores de cobre e de alumínio e vergalhões de cobre e de alumínio. A instalação da unidade, que irá gerar 258 empregos diretos e indiretos, deve ser concluída em 2013.

Também assinou protocolo de intenções com o Estado a Cimed Indústria de Medicamentos Ltda, que irá investir R$ 59,5 milhões na expansão da sua unidade industrial destinada à produção de medicamentos genéricos e implantação de um centro de logística. O investimento na unidade de Pouso Alegre, no Sul de Minas, irá gerar 350 novos empregos diretos e 20 indiretos.

Outro protocolo assinado pelo Governo de Minas foi com a Bonsucesso Agro Indústria e Comércio Ltda, que investirá R$ 6 milhões. Os recursos serão canalizados para a produção em Monte Santo de Minas, Sul do Estado, de sacolas reutilizáveis e descartáveis, denominadas big bags. Parte do setor de confecção da empresa, que hoje funciona na cidade paulista de Paulínia, será transferida para Monte Santo de Minas. Está prevista, ainda, a transferência total da tecelagem para o Sul de Minas.

O projeto, que irá gerar 150 empregos diretos e 500 indiretos, tem término previsto para dezembro de 2018, quando, após a conclusão, deverá atingir a capacidade de produção de 300 mil big bags por ano.

Desenvolvimento em expansão

Aumentar em cerca de 60% a sua produção de detergentes, desinfetantes e produtos de limpeza de uso profissional, em três anos, sendo 20% ainda este ano, é o principal objetivo do projeto de expansão da Mercoquímica Indústria e Comércio Ltda (Mercotech). A empresa, localizada em Uberaba, no Triângulo Mineiro, também assinou protocolo de intenções com o Governo de Minas.

Com investimento de R$ 1,1 milhão e término das obras previsto para o final de 2013, a Mercoquímica irá gerar 30 novos empregos diretos e outros dez indiretos. Seu faturamento previsto para 2012 é de R$ 7,25 milhões, devendo atingir R$ 11,3 milhões de 2014 em diante.

Já a expansão das atividades industriais também foi o objetivo da assinatura do protocolo de intençõescom a Manser – Manutenção e Serviços Ltda. A Manser está investindo R$ 5,9 milhões na expansão de suas unidades industriais, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, destinadas à manutenção de equipamentos ferroviários e à fabricação e comercialização de alternadores para locomotivas, entre outros equipamentos. Com a geração de 170 empregos diretos, a empresa pretende atingir a capacidade produtiva de 970 unidades por ano a partir de 2013.

Com o intuito de tornar-se líder no mercado de embalagens para avicultura, a EPM Embalagens de Polpa Moldada Ltda (Parapolpa) irá investir R$ 6 milhões em sua unidade de Juiz de Fora, na Zona da Mata. Com a geração de 240 empregos diretos e indiretos, a empresa pretende construir duas novas moldadoras e passar de uma participação de 30% do mercado para 50%.

Com investimento de R$ 4,5 milhões, a Vesta Indústria e Comércio de Artigos de PVC Ltda pretende implantar em Cachoeira de Minas, no Sul do Estado, umaunidade industrial destinada à fabricação de janelas, portas e esquadrias de PVC. A previsão é de uma produção de 120 unidades por dia em quatro anos. A Vesta pretende iniciar suas operações ainda este ano. O projeto deverá ser concluído em 2013 e será responsável pela geração de 66 empregos diretos e indiretos. A Vesta pertence ao Grupo Econômico da Metagal Indústria e Comércio.

Também assinou protocolo para expandir suas atividades, em Contagem, a ABB Comércio Importação e Distribuição Ltda. O investimento de R$ 130 mil será destinadoà renovação e recondicionamento de copiadoras importadas. O projeto, responsável pela geração de 45 empregos diretos e indiretos, teve início em 2011 e tem término previsto para dezembro de 2014, quando deverá atingir a capacidade de produção de 1.403 unidades por ano.

Criar um centro de distribuição de resina de PVC, tipo suspensão, em Minas Gerais, para atender aos clientes no Estado, é o objetivo do protocolo de intenções que a Solvay Indupa acaba de assinar com o Indi. Com investimento de R$ 800 mil, a empresa do Grupo Solvay Rhodia ainda não definiu o local para instalação da unidade, que irá gerar seis empregos indiretos através de operador logístico, mas pretende entrar em operação ainda este ano.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/empresas-anunciam-expansao-e-geracao-de-mais-de-1800-novos-empregos-em-minas/

Anúncios

Gestão Anastasia: Governo de Minas atrai R$ 138 milhões em investimentos

Novos contratos assinados pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico devem gerar 2.800 novos postos de trabalho

Laura Lara/Sede
Representantes da Steel Mineração, Gustavo Emina e Márcia Soares Pereira, e Frederico Álvares (Indi)
Representantes da Steel Mineração, Gustavo Emina e Márcia Soares Pereira, e Frederico Álvares (Indi)

Inovação tecnológica e desenvolvimento sustentável são as principais características dos novos protocolos de intenções assinados pelo Governo de Minas, por meio do Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (Indi), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede). Com a geração de mais de 2.800 empregos diretos e indiretos, os novos investimentos a serem implantados nas regiões Central, Sul e Zona da Mata, somam R$ 138,520 milhões.

A Steel Mineração e Exportação Ltda. implantará em Rio Piracicaba, região Central do Estado, uma usina para processar rejeitos de minério de ferro, gerados na região nas últimas décadas. O investimento de R$ 52,9 milhões irá gerar 1.600 empregos diretos e indiretos e tem como principal característica a inovação tecnológica na rota de processo.

O diretor da Steel, Gustavo Emina, explicou que o processo é pioneiro no ramo da mineração, porque permite concentrar o minério de ferro sem uso de água, evitando a contaminação do lençol freático. “Evita-se, ainda, a necessidade de construção de barragens de rejeitos, o que reduz drasticamente o impacto no meio ambiente. Várias grandes mineradoras do quadrilátero ferrífero já demonstraram grande interesse em recuperar seus rejeitos gerados nas últimas décadas, por meio do sistema desenvolvido pela Steel”, destacou.

A empresa foi constituída em outubro de 2007, inicialmente com o foco em pesquisas minerais e no estudo do mercado. Em 2010 implantou, no município de Rio Piracicaba, uma planta piloto (que utiliza um sistema inovador por via seca) para processar rejeitos de minério de ferro gerados na região nas últimas décadas. Como os testes deram resultados positivos, a Steel decidiu implantar uma planta para processamento de rejeitos de minério.

Sul de Minas

O segundo protocolo de intenções foi assinado pelo presidente da Alcoa para a América Latina, Franklin Feder. A empresa investirá, com apoio do Governo de Minas, R$ 52,6 milhões para a construção de uma área para armazenamento de resíduos de bauxita, oriundos do processo de produção de alumínio.

Durante a construção da área de armazenamento, serão gerados este ano 175 empregos temporários indiretos, 209 em 2013 e outros 50 em 2014. A previsão é de que a capacidade de produção de alumina atinja 360 mil toneladas por ano. A Alcoa está presente em cinco continentes, emprega mais de 61 mil funcionários distribuídos em 31 países. No Brasil, a Alcoa está em operação em Poços de Caldas, no Sul do Estado, desde 1970. A unidade da Alcoa neste município produz alumínio primário, alumina, químicos e pó de alumínio.

Grande BH

O terceiro protocolo de intenções assinado, esta semana, com o Governo de Minas, foi com a Mecan Indústria e Locação de Equipamentos para Construção Ltda. A empresa expandirá sua unidade em Vespasiano, visando à fabricação de um produto inovador no Brasil denominado Quikdeck.

O projeto, que consiste em uma plataforma modular elevatória, com múltiplas aplicações e tendo como mercado alvo o segmento de petróleo e gás, é em parceria com a empresa americana Safway Services LLC, e também produzirá elevadores e andaimes especiais.

Com investimento de R$ 20 milhões, e término previsto para dezembro de 2014, serão gerados 80 empregos diretos e 55 indiretos. Em 2015 deverá atingir a capacidade de produção de dez mil metros quadrados de plataformas suspensas, QuikDeck, bem como a produção de equipamentos e plataformas.

A Mecan Indústria e Locação de Equipamentos para Construção Ltda., fundada em 1978, é uma das empresas do Grupo Orguel. Dedica-se à fabricação, venda e locação de andaimes, elevadores, escoramentos para obra e produz tubos de aço, com costura, para consumo próprio e para o mercado. Oferece projetos, serviços de montagem, desmontagem e assistência técnica de seus produtos.

O Grupo Orguel é uma holding formada por 10 empresas: Orguel, Mecan, Locguel, Locbras, Bramex, Multiclean, Orguel Finanças, Construir, Orguel Plataformas e Mecanflex. Tem cerca de 2.000 colaboradores, possui 80 filiais e representantes distribuídos em todo o território nacional e países da América Latina. Fabrica, vende e loca máquinas e equipamentos para construção.

Zona da Mata

A modernização da unidade industrial e ampliação da linha de produção são os objetivos do protocolo de intenções que a Bela Ischia Alimentos Ltda. assinou com o Governo de Minas. Localizada no município de Astolfo Dutra, Zona da Mata, a empresa investirá R$ 13 milhões e criará 315 novos empregos diretos e outros 600 indiretos.

A Bela Ischia iniciou suas atividades em 1967, quando o italiano Giuseppe Di Iorio fundou uma empresa voltada para a comercialização de frutas frescas no mercado do Rio de Janeiro. Em 1996, apostando no crescimento do mercado de frutas e polpas congeladas e com desejo de produzir sucos com o verdadeiro sabor da fruta, a empresa inaugurou uma unidade de produção industrial em Astolfo Dutra. Surgiu assim a Bela Ischia Indústria e Comércio de Polpas e Frutas Congeladas Ltda.

Em 2005, com o aumento na demanda por sucos integrais, a Bela Ischia investiu em uma unidade de processamento de polpas de frutas, triplicando a produção. Nesta nova unidade foram instaladas máquinas de alta tecnologia italiana para envase de polpas assépticas, construídas câmaras frias, galpões para armazenagem de estoque, construção de box para carga e descarga de caminhões. Em 2010 foram iniciados novos projetos para instalação de geradores, nova câmara fria, nova linha de envase PET, sopradora de garrafas PET, estação de tratamento de águas e instalação de unidade de envase de sucos utilizando a tecnologia tetra-pak.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-atrai-r-138-milhoes-em-investimentos/

Gestão Anastasia: governo inicia processo de estruturação da infraestrutura viária no entorno da Cidade Administrativa

Está aberta a consulta pública para futuro processo de licitação da rede viária que contorna a sede administrativa do Governo

O Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) e da Unidade Central de Parcerias Público Privadas (PPP) da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), abriu nesta quarta-feira (28) a consulta pública da minuta do edital para o futuro processo de licitação da infraestrutura viária do entorno da Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, que compreende uma extensão de 24,3 quilômetros.

O projeto busca viabilizar uma Parceria Público-Privada, na modalidade de concessão administrativa, que prevê a implantação, pavimentação, recuperação, operação, manutenção, conservação e melhoramentos das vias que circundam a sede administrativa do Governo de Minas Gerais, em um prazo de 25 anos.

O projeto do contorno viário da Cidade Administrativa envolve a ampliação e recuperação de quatro trechos rodoviários – Alameda José Maria Alckmin, Avenida Senhor do Bonfim, Avenida Oceano Atlântico e Avenida Leontino Francisco Alves, bem como a duplicação dos viadutos São Benedito e Morro Alto. Está prevista também a implantação de duas rodovias, uma ligando a MG-010 à Via 220 e, futuramente, outra de conexão ao Contorno Metropolitano norte, projeto que vem sendo desenvolvido pelo Dnit.

A implantação e operação das vias ocorrerão por meio de uma parceria com a iniciativa privada. Nesta parceria, investidores serão responsáveis pelo financiamento e construção da infraestrutura, além da gestão e manutenção de todas as vias. A partir da efetiva disponibilização da infraestrutura para os usuários, o Governo iniciará os pagamentos ao parceiro privado. Esses pagamentos estarão submetidos a indicadores de desempenho e o concessionário privado receberá maior contraprestação pública quanto melhor for a qualidade das vias. Trata-se de um modelo inédito no Brasil, que busca criar incentivos para otimização e modernização da gestão da infraestrutura viária.

Plano Macroestrutural

A implantação desta infraestrutura viária está inserida no Plano Macroestrutural do Vetor Norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte, que introduziu os aeroportos Internacional Tancredo Neves (AITN) e o da Pampulha como âncoras do desenvolvimento desta região.

A proposta é implementar uma grande artéria que conecte os vetores Norte, Sul e Oeste da Região Metropolitana de Belo Horizonte, criando novas rotas de acesso e trafegabilidade. Além dos documentos do edital, o Governo de Minas irá disponibilizar estudos referenciais de engenharia, incluindo o projeto básico e seus quantitativos, além do Plano de Operação e Manutenção.

Durante o período de consulta pública, os interessados em participar do processo poderão apresentar comentários e sugestões, por meio do endereço eletrônico entornoca@ppp.mg.gov.br. A participação será fundamental para o aprimoramento do projeto. Os comentários e sugestões deverão ser encaminhados com a identificação completa do autor (denominação, endereço, e-mail, responsável, tele/fax). As minutas de edital e dos seus respectivos anexos, e os estudos poderão ser obtidos no link www.ppp.mg.gov.br.

De acordo com o subsecretário de Transportes, da Secretaria de Transportes e Obras Públicas, Diogo Prosdocimi “esta iniciativa representa o esforço do Governo de Minas para resolver a questão da mobilidade, decorrente do desenvolvimento do Vetor Norte da Região Metropolitana. A consulta ao setor privado e à população em geral constitui uma forma de buscar soluções que possam aumentar a viabilidade e adaptar os projetos às melhores práticas do mercado, tornando-o mais atrativo e em consonância com as demandas sociais”.

Segundo o coordenador da Unidade Central de PPP do Governo de Minas, Marcos Siqueira Moraes, o projeto representa uma enorme oportunidade de modernização das práticas de implantação e gestão de infraestrutura no Estado, já que alinha esforços do governo e da iniciativa privada para melhorar as condições da rede viária. ”O sucesso deste modelo servirá de exemplo para todo o Estado”, afirma Marcos Siqueira.

Após a conclusão da consulta pública, o Governo irá alinhar o edital e seus anexos às sugestões e considerações recebidas, consolidando o texto final dos documentos, que irá se configurar em mais um edital de PPP no Estado de Minas Gerais. Este projeto comprova a expertise do Governo de Minas Gerais em relação aos outros estados, no provimento de infraestrutura mais eficiente por meio de Parcerias Público-Privadas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-inicia-processo-de-estruturacao-da-infraestrutura-viaria-no-entorno-da-cidade-administrativa/

Gestão Anastasia: governo de Minas lança PMI do projeto de Implantação do Novo Espaço Gameleira

Proposta busca parceria com a iniciativa privada para a estruturação do modelo de concessão

Divulgação
Projeto abrange a reestruturação de um novo Parque de Exposições funcionalmente integrado ao Expominas
Projeto abrange a reestruturação de um novo Parque de Exposições funcionalmente integrado ao Expominas

O Governo de Minas lançou nesta semana o Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) do Projeto de Implantação do Novo Espaço Gameleira. O principal objetivo do empreendimento é ampliar a capacidade de realização de eventos e consolidar Belo Horizonte como uma das principais capitais do país em turismo de negócios, além de fortalecer o calendário de eventos ligados ao agronegócio. O projeto abrange a reestruturação de um novo Parque de Exposições associado à construção e operação de um novo Centro de Convenções funcionalmente integrado ao Expominas.

O novo Espaço Gameleira terá capacidade para atender, em padrão internacional, a demanda crescente por espaços para a realização de feiras e convenções. Nos últimos anos, na medida em que se amplia a visibilidade do Estado de Minas Gerais e da cidade de Belo Horizonte no cenário nacional, há uma procura cada vez maior por espaços desta natureza.

Tanto o novo Parque de Exposições quanto o novo Centro de Convenções serão localizados na área do terreno que abriga o atual Parque Bolívar de Andrade, potencializando o uso de 98 mil metros com pavilhões multiuso, integrando-os ao atual Expominas dentro do conceito “in door”, assegurando características que contemplem também os interesses do agronegócio.

Os dois empreendimentos poderão ser implantados de forma a viabilizar a possibilidade de exploração comercial de equipamentos adicionais, como shopping, hotel e outros com visão complementar e integrados às atividades de interesse público.

Grupo de trabalho

O vice-governador Alberto Pinto Coelho destacou que o grupo de trabalho seguiu as orientações do governador Antonio Anastasia, para que a alternativa encontrada levasse em consideração o diálogo permanente com os segmentos do agronegócio, ouvida a Faemg e os interesses do trade turístico.

“A solução proposta irá, de um lado, potencializar a vitrine do agronegócio, tão relevante para a nossa economia e as vocações do nosso território e, de outro, assegurar a expansão da área de feira e do centro de convenções, imprescindíveis para dinamizar nossa capital para a recepção de grandes eventos”, salientou Alberto Pinto Coelho.

Manifestações

O primeiro passo para a implantação do projeto é o lançamento do Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), que visa convidar a iniciativa privada para contribuir com estudos técnicos para a estruturação do modelo de concessão.

As manifestações deverão abranger propostas, estudos, levantamentos, dados, elementos, planos de negócio, projetos, minutas de edital, contrato público e anexos que atendam às disposições do PMI. Todos os documentos deverão ser encaminhados à Unidade Central de Parcerias Público-Privadas (Unidade PPP) da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede).

O PMI prevê a realização de uma etapa de cadastramento dos participantes, que estará vigente por 20 dias contados a partir da data de sua publicação. Esta iniciativa tem como objetivo promover um maior alinhamento entre o governo e a iniciativa privada durante o desenvolvimento dos estudos. As Manifestações de Interesse deverão ser encaminhadas até 4 de Junho de 2012, por meio digital enviado ao e-mail pmi@ppp.mg.gov.br ou mediante protocolo, para a UNIDADE PPP da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico.

Após o período de entrega das manifestações, toda a documentação será analisada levando em consideração as contribuições da iniciativa privada para o aprimoramento do projeto e estruturação do modelo de concessão.

Outras informações pelo site: http://www.ppp.mg.gov.br

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-lanca-pmi-do-projeto-de-implantacao-do-novo-espaco-gameleira/

Governo de Minas: DER inicia pavimentação do acesso à Usina Vale do Tijuco em Uberaba

Serão investidos R$ 23 milhões para a execução da pavimentação de 17,3 quilômetros da rodovia

Bernadete Amado
Representantes do Governo de Minas, da prefeitura e da Usina Vale do Tijuco durante solenidade em Uberaba
Representantes do Governo de Minas, da prefeitura e da Usina Vale do Tijuco durante solenidade em Uberaba

Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de Minas Gerais (DER-MG) iniciou a ligação asfáltica da BR-050 até a Usina Vale do Tijuco, em Uberaba, por meio da empresa BT Construções Ltda. As máquinas já estão no trecho para a execução da pavimentação de 17,3 quilômetros da rodovia municipal, que faz a ligação da BR-050 a MGC-455, representando um investimento de cerca de R$ 23 milhões, a ser utilizado com base no sistema de Parceria de Reembolso Tributário (PRT).

secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Carlos Melles, explicou que “esta obra terá uma extensão total de 82 quilômetros, partindo da BR-050, cortando a MGC-455 e terminando na MGC-497. Estamos na primeira etapa desta pavimentação, com a autorização dos serviços destes 17,3 quilômetros, nesta sexta-feira (23), resultado da parceria doGoverno de Minas, por meio das secretarias de Desenvolvimento Econômico (Sede)Planejamento e Gestão (Seplag),Fazenda (SEF), a Setop, o DERMG e a Usina Vale do Tijuco”, concluiu o secretário.

O presidente da Companhia Mineira de Açúcar e do Álcool (CMAA), José Francisco Santos, destacou que “o Governo de Minas ofereceu uma parceria e está cumprindo tudo”. De acordo com o presidente Instituto de Desenvolvimento Integrado (Indi), José Frederico Álvares, “a preocupação da secretária Dorothea Werneck é com o desenvolvimento e a atração de investimentos, e o DER vem contribuindo com a logística necessária. No momento, estamos trabalhando com 162 protocolos de intenção de investimento no Estado”, finalizou.

O prefeito de Uberaba, Anderson Adauto, ressaltou que o Governo de Minas tem cumprido religiosamente com os compromissos assumidos e, com isto, tem incentivado a confiança e a participação dos empresários nesta modalidade de parceria, que alavanca o desenvolvimento da região.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/der-inicia-pavimentacao-do-acesso-a-usina-vale-do-tijuco-em-uberaba/

Gestão Anastasia: Parceria Público-Privada é tema de workshop entre o Governo de Minas e representante do Bird

Modelo mineiro de parcerias público-privadas é considerado referência nacional

Felipe Barroca/Sede
Professor José Luis Guasch realiza palestra durante o workshop promovido pela Sede
Professor José Luis Guasch realiza palestra durante o workshop promovido pela Sede

O esforço do Governo de Minas em se manter na vanguarda do conhecimento das boas práticas de parcerias público-privadas (PPP) no mundo foi um dos temas em discussão no workshop “Cláusulas chave de contratos de PPP: experiências e tendências internacionais”, promovida pela Unidade PPP da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede). O evento teve como palestrante o professor (Universidade da Califórnia) e representante do Banco Mundial (Bird), José Luis Guasch.

Durante a abertura do workshop, realizado nesta terça-feira (20), no Edifício Minas da Cidade Administrativa, a secretária de Desenvolvimento Econômico, Dorothea Werneck, destacou que “a grande responsabilidade da Sede é a articulação dos diversos órgãos do Estado para elaborar os contratos de PPP”.

Já o superintendente da Unidade de PPP da Sede, Marcos Siqueira, lembrou que o objetivo do evento é avaliar o trabalho que está sendo desenvolvido no Estado e se ele está alinhado com as oportunidades de aprimoramento do mercado mundial. “A discussão e o estudo do tema nos permite um ajuste nas modelagens de PPP nos próximos anos em Minas Gerais”, salientou.

Durante sua palestra, o professor José Luis Guasch apresentou as práticas bem-sucedidas que empregam modelos de parcerias público-privadas e que melhoraram a infraestrutura e outros setores no Brasil e em outros países.

Guasch lembrou que “as PPPs são um instrumento fundamental para oferecer serviços públicos de qualidade”. Ao elogiar a estrutura institucional de Minas, o professor destacou que “o que está sendo feito sempre pode ser melhorado, por isso sugiro que cláusulas-chave nos contratos norteiem as ações para gerar os benefícios esperados”. Entre estas cláusulas, de acordo com o professor, estão aquelas que estabelecem o equilíbrio econômico-financeiro dos contratos, considerando eventos imprevistos, bem como a necessidade de obras complementares e, ainda, a desapropriação de terras, a contabilidade e a rentabilidade.

O evento contou com a participação de técnicos das secretarias de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), de Planejamento e Gestão (Seplag), de Transportes e Obras Públicas (Setop), de Defesa Social (Seds) e da Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa), além de representantes da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), das agências setoriais de PPP do Governo de Minas e da Advocacia-Geral do Estado (AGE). Também participaram como convidados representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) e dos Correios.

PPP em Minas

O programa de PPP instituiu as bases para a implantação de um novo modelo de contratação de serviços junto ao setor privado. Considerado estratégico para o desenvolvimento sustentável do Estado, baseia-se no princípio da boa governança e do melhor uso dos recursos públicos.

O primeiro contrato de PPP no setor rodoviário do Brasil foi concretizado em Minas Gerais. Trata-se da recuperação e operação de 327 quilômetros da MG-050, rodovia que liga Belo Horizonte a São Paulo. O contrato assinado tem validade de 25 anos e a rodovia encontra-se em pleno funcionamento.  Estão em execução contratos para a construção e administração do Complexo Penitenciário em Ribeirão das Neves; a reforma,  modernização e operação do Estádio Mineirão;e a reestruturação de seis Unidades de Atendimento Integrado (UAIs). O programa recebe recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento e do Banco Mundial.

Na lista de projetos de PPP em desenvolvimento em Minas, encontram-se: a ampliação do Sistema Rio Manso da Copasa, a reformulação do Parque da Gameleira, a estrutura viária do entorno da Cidade Administrativa e o metrô de Belo Horizonte.

Os contratos de PPP feitos em Minas foram enquadrados entre os melhores exemplos de boas-práticas de financiamentos de PPP na América Latina pelo Banco Mundial, listados no guia “Como envolver o setor privado nas PPPs em mercados emergentes”.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/parceria-publico-privada-e-tema-de-workshop-entre-o-governo-de-minas-e-representante-do-bird/

Gestão Anastasia: empresas de tecnologia, logística e radiodifusão anunciam investimentos em Minas Gerais

Protocolos de intenção visam assegurar expansão do desenvolvimento e do mercado de trabalho no Estadoa

Felipe Barroca/Sede
Eriez Minerais: Reginaldo Sérgio Liberato, João Vitor Garcia e Ismael Villas Boas
Eriez Minerais: Reginaldo Sérgio Liberato, João Vitor Garcia e Ismael Villas Boas

O Governo de Minas, através do Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (Indi), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), assinou, nesta quinta-feira (15), protocolo de intenções com o presidente do Sistema Integrado Martins (mais conhecido como Grupo Martins) – Martins Comércio e Serviços de Distribuição S.A. –, Alair Martins do Nascimento.

Com investimento de R$ 1,8 milhão, o Grupo Martins, com sede em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, mas com atuação no segmento atacadista em todo o Brasil, decidiu oferecer mais um serviço aos fornecedores. O novo empreendimento diversifica as operações e cria a armazenagem terceirizada.

Para a nova opção de serviço está sendo criada a SIM Armazéns Gerais Ltda, que tem as metas de reduzir os custos na cadeia de distribuição e maximizar as vendas. A nova empresa irá prestar serviços de armazéns gerais, com foco, principalmente, em indústrias estabelecidas em outras unidades federativas que mantêm operações comerciais com empresas atacadistas distribuidoras sediadas no Estado de Minas Gerais. O Grupo Martins atende a cerca de 700 fornecedores, incluindo grandes indústrias.

O grupo empresarial, com experiência de 59 anos no segmento atacadista/distribuidor, tem mais de 4 mil representantes comerciais que atendem a cerca de 300 mil clientes em todo o Brasil. Com a SIM Armazéns serão criados 60 empregos diretos e 75 indiretos.

A SIM Armazéns Gerais Ltda pertence ao Sistema Integrado Martins, que tem ainda as empresas Martins Comércio e Serviços de Distribuição S.A; Banco Triângulo S.A; Martins Integração Logística Ltda; Instituto Alair Martins; Tribanco Corretora de Seguros S.A, Tricard Administradora de Cartões Ltda., E-Facil (site de compras), dentre outras empresas.

Tecnologia

Já a Eriez Minerals Group Flotação Brasil Ltda, empresa americana de tecnologia, acaba de assinar protocolo de intenções com o Governo de Minas para ampliar sua unidade de negócios em Belo Horizonte. Com investimento de R$ 110 milhões, a Eriez quer ampliar o atendimento ao setor de mineração. Serão gerados 12 empregos diretos e 120 indiretos.

O escritório mineiro, que representa o Grupo Eriez na América Latina, é destinado à produção e comercialização de colunas de flotação, células mecânicas, equipamentos para laboratório, borbulhadores e feed air jet. A Eriez é uma empresa de tecnologia da cadeia do aço que fabrica equipamentos para o setor de mineração. O carro-chefe da empresa no Brasil é a fabricação, por encomenda, de células ou colunas de flotação e equipamentos com tecnologia para separação de minérios.

Até o final de 2011, a empresa já havia fornecido 220 colunas de flotação no Brasil. Os maiores clientes da Eriez no Brasil são Vale, Samarco e CBMM. Por se tratar de uma empresa detentora de tecnologia, a Eriez não possui parque fabril, atuando por meio da contratação de fabricantes mineiros e utilizando os canteiros de obra para montagem de seus equipamentos. A empresa opera 100% sob o sistema de encomenda.

Radiodifusão

 

Também assinou protocolo de intenções com o Governo de Minas a Auad Correa Equipamentos Eletrônicos Ltda – Teletronix. A empresa, que pretende crescer 10% ao ano, desenvolve e produz em Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas, equipamentos eletrônicos em radiodifusão para emissoras de rádio, como aparelhos transmissores e receptores, osciloscópios, aparelhos de recepção, conversão e transmissão ou regeneração de voz, imagens ou outros dados. É a única fabricante de transmissor AM em Minas Gerais.

A Teletronix, que já construiu uma nova sede com recursos próprios, investirá mais R$ 350 mil na expansão da sua unidade industrial e modernização da tecnologia em aparelhos de transmissão. Serão gerados 11 empregos diretos e 15 empregos indiretos. A previsão é atingir a capacidade de produção de 327 aparelhos transmissores, 214 aparelhos receptores, 91 analisadores de modulação, 200 processadores de áudio, 29 áudio consoles, 501 chaves híbridas eletrônicas por ano a partir do final de 2014.

O diretor da Teletronix, Rogério de Souza Correa, informou que a empresa está se preparando também para as mudanças que o setor deverá sofrer com a implantação da rádio digital no Brasil. “Estamos modernizando nossas instalações para ampliar a produção, mas acompanhando e aguardando as orientações do governo brasileiro, que ainda este ano deverá decidir qual o padrão – europeu ou americano – será adotado no país, a exemplo do que aconteceu com o sinal digital para a televisão”, informou.

Rogério de Souza Correa acrescentou ainda que o setor defende o desenvolvimento de um padrão de rádio brasileiro criado pelo próprio país, com a cooperação entre universidades, empresas, pesquisadores e os centros de excelência.

Fonte: Agência Minas