• Agenda

    dezembro 2019
    S T Q Q S S D
    « out    
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Governo de Minas: Alberto Pinto Coelho participa dos 40 anos do Palácio da Inconfidência

Governador em exercício destacou o papel do Legislativo para a democracia e o desenvolvimento do Estado

Omar Freire/Imprensa MG
Governador em exercício participa da Reunião Ordinária da ALMG, em que foram comemorados os 40 anos do Palácio da Inconfidência
Governador em exercício participa da Reunião Ordinária da ALMG, em que foram comemorados os 40 anos do Palácio da Inconfidência

O governador em exercício Alberto Pinto Coelho participou na tarde desta terça-feira (13) da Reunião Ordinária da Assembleia Legislativa do Estado (ALMG), em que foram comemorados os 40 anos do Palácio da Inconfidência, sede do parlamento mineiro. Durante a solenidade, Alberto Pinto Coelho, ex-presidente da Casa, ressaltou o papel do Legislativo para a democracia e o desenvolvimento constante de Minas Gerais.

“É uma solenidade expressiva, comemorando os 40 anos do Palácio dos Inconfidentes, essa Casa que faz parte da história política de Minas Gerais. Aqui passei 16 anos, quatro mandatos, tive a honra, por delegação de meus pares, de presidir o Parlamento por quatro anos. Hoje estou no Executivo, mas tenho nessa Casa a escola permanente de política. Ela nos ensina a conviver com os contrários, a estabelecer o contraditório, a respeitar aqueles que pensam diferente e, tanto quanto possível, buscar o consenso em torno das ideias para o desenvolvimento e crescimento da sociedade como um todo”, destacou Alberto.

Para ele, a Assembleia colabora não só com a criação e elaboração de leis, mas com a discussão das propostas do Executivo, melhorando projetos e representando interesses de diferentes regiões e setores da sociedade. “Estou cada vez mais convencido e mais consciente de que o Legislativo é, por excelência, o Poder que representa com legitimidade inquestionável, a liberdade cidadã como espinha dorsal do Estado Democrático de Direito e dos valores republicanos”, afirmou.

A solenidade contou com a presença de deputados, ex-deputados, servidores e ex-servidores da Casa, além de engenheiros e arquitetos que participaram da construção do prédio. Durante a cerimônia, eles lembraram a importância da obra para a época. Inaugurado em março de 1972, o Palácio da Inconfidência foi tombado como patrimônio cultural de Belo Horizonte em 2009.

Convênio

Antes da reunião, no Salão Nobre da Casa, Alberto participou da assinatura de um convênio entre a Assembleia e a Secretaria de Estado de Cultura (SEC) para microfilmagem e digitalização de documentos da Assembleia Provincial (1835/1889), que estão no Arquivo Público Mineiro. São correspondências, atas e anotações que juntas somam cerca de 35 metros lineares de documentos.

Para o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Dinis Pinheiro, a parceria será mais um importante instrumento para se guardar a memória da política de Minas Gerais. “Nós temos que ter preocupação permanente em armazenar a História. A partir do momento em que você faz isso, você prepara o seu povo, a sua gente a ter um futuro melhor. Somente a História pode conceder ao povo a consciência de si mesmo. Nada melhor do que nos transportar ao nosso passado, rever as coisas boas e, evidentemente, nos qualificar para ter um futuro muito mais promissor e realizador”, afirmou.

A secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, explicou que a digitalização poderá facilitar o acesso do cidadão aos documentos. “Esse processo é muito importante. É um grande prazer para a Secretaria de Estado de Cultura, por meio do Arquivo Público Mineiro, fazer essa parceria com a Assembleia Legislativa, não só colaborando com a História Legislativa de Minas Gerais, mas também disponibilizando esse acervo para o público”, afirmou.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: governo de Minas lança Núcleo de Interiorização da Cultura em Pouso Alegre

Haverá também encontro de secretários municipais e gestores culturais do Sul e Centro-Oeste do Estado

A Secretaria de Estado de Cultura (SEC) dá continuidade ao processo de descentralização e regionalização das políticas públicas para a área cultural e lança, nesta quinta-feira (15), seu terceiro Núcleo de Interiorização, desta vez, no município de Pouso Alegre, no Sul de Minas. Com âmbito de atuação no Sul e Centro-Oeste de Minas, o Núcleo de Interiorização funcionará como uma representação física da secretaria, promovendo e qualificando a interlocução com os 211 municípios das duas macrorregiões e atendendo às demandas de artistas, produtores culturais e gestores públicos locais.

O Núcleo de Pouso Alegre atuará em diversas frentes, como no mapeamento das manifestações culturais regionais; no levantamento de demandas dos setores artístico e cultural; no suporte técnico a prefeitos, secretários municipais de Cultura e demais gestores públicos do segmento cultural; na divulgação das ações e serviços do Sistema Estadual de Cultura junto aos municípios; na proposição de parcerias entre poder público, agentes culturais e iniciativa privada; entre outras funções.

A secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, explica que os núcleos de Interiorização fazem parte de uma estratégia do Governo de Minas de promover o planejamento compartilhado das políticas culturais, por meio de uma metodologia sustentável. “Acreditamos que o investimento em Cultura é sinônimo de investimento em desenvolvimento em todos os sentidos: humano, social e econômico. Queremos ampliar o diálogo com os agentes culturais dos municípios para que possamos desenhar uma estratégia de fomento mais focada e sistematizada”, ressalta.

Em 2011, foram lançados os núcleos de interiorização de Araçuaí, que atende os municípios das macrorregiões Norte de Minas, Vale do Jequitinhonha e Vale do Mucuri; e de São João del-Rei; com âmbito de atuação nas macrorregiões Central e Noroeste do Estado. Até o mês de abril, outros dois núcleos também serão inaugurados: em Governador Valadares, que atuará junto aos municípios das macrorregiões do Vale do Rio Doce e da Zona da Mata; e em Uberlândia, com foco nas macrorregiões do Triângulo Mineiro e do Alto Paranaíba.

Atividades

O lançamento do Núcleo de Interiorização de Pouso Alegre terá início com a realização do I Encontro de Secretários Municipais de Cultura e Gestores Culturais das macrorregiões do Sul e Centro-Oeste do Estado, onde serão definidas as prioridades dos gestores culturais públicos e privados. Em seguida, será criado um plano de orientação para a seleção das prioridades e elaboração de um cronograma de trabalho. Todo o processo será acompanhado pela equipe da Superintendência de Interiorização da SEC que, ao final, apresentará uma análise de resultados aos municípios. As vagas são limitadas e as inscrições devem ser feitas por e-mail (interiorizacao@cultura.mg.gov.br) ou telefone (31- 3915-2688).

O encontro terá como objetivos: apresentar os serviços oferecidos pelo Sistema Estadual de Cultura, incentivar o intercâmbio cultural, ampliar a capilaridade no acesso às informações culturais e intensificar a rede de articuladores da cultura em Minas Gerais.

Posteriormente ao lançamento, serão realizados encontros periódicos de secretários municipais de Cultura e gestores culturais em cada região. O evento terá a finalidade de qualificar os gestores e entidades culturais públicas e privadas com informações sobre fomento, investimento cultural e relações com o mercado.

Programação – Inauguração do Núcleo de Pouso Alegre

1º dia

– 18h – Credenciamento

– 18h – Apresentação Artística Local (a definir)

– 19h – Abertura Oficial

Palestra: Sistema Estadual de Cultura

Eliane Parreiras- Secretária de Estado de Cultura

2º dia

– Das 9h às 10h

– Palestra: Interiorização da Cultura com Fátima Tropia- Sup. de Interiorização

– Das 10h às 12h – Trabalhos Práticos

– Divisão em grupos: Levantamento das demandas dos participantes

Evento: Lançamento do Núcleo de Interiorização de Pouso Alegre,

macrorregião Sul e Centro-Oeste do estado

Local: Sede da Fiemg, Rua Adolfo Olinto, 316 – Centro – Pouso Alegre

Data: dia 15 de março de 2012

Hora: 18h

 

Outras Informações: Superintendência de Interiorização

Fone: (31) 3915-2688 ou pelo e-mail interiorização@cultura.mg.gov.br

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas assina termo de capacitação profissional para Copa do Mundo de 2014

Assinatura do termo de cooperação

Belo Horizonte (24/01/12) – Nesta terça-feira (24), foi assinado acordo de cooperação técnica na sede do Senac-MG, para qualificar mão de obra para a Copa de 2014. O documento foi firmado pelas secretarias de Estado Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa), de Turismo (Setur) e de Trabalho e Emprego (Sete); pelo Sistema Fecomércio Minas, Sesc e Senac. Serão oferecidos cursos de capacitação profissional e técnicos para várias categorias, na capital e no interior do Estado. Os cursos devem começar em março, com turmas de 20 a 40 pessoas.

Para o secretário Sergio Barroso, da Secopa, a iniciativa reforça a responsabilidade social do governo. “Assim como as obras de infraestrutura esportiva, a capacitação profissional também assume papel fundamental, porque vai representar um dos maiores legados para a sociedade com a realização da Copa. Essa mão de obra estará muito melhor preparada para trabalhar em futuros eventos”, observa.

O secretário Carlos Pimenta, da Sete, destaca a importância da iniciativa. “A qualificação profissional e o emprego de qualidade são prioridades do Governo de Minas. Queremos ser referência não apenas para a Copa do Mundo, mas ser reconhecidos como o Estado brasileiro que mais investe no trabalhador e na geração de empregos”, afirma.

O secretário de Estado de Turismo, Agostinho Patrus Filho, salienta que o trabalho integrado entre as pastas do Governo de Minas e entidades parceiras, como essa iniciativa, é fundamental para o planejamento desses grandes eventos mundiais que vão acontecer no Brasil e no Estado. “A Setur planeja, coordena e fomenta as ações relacionadas ao turismo com objetivo de incrementá-lo, com consequente geração de emprego e renda. Estamos fazendo um trabalho coeso que resulta na atração de turistas para Minas Gerais”, relata o secretário.

O presidente do Sistema Fecomércio Minas, Lázaro Luiz Gonzaga, também realça a importância do trabalho conjunto com o Governo de Minas. “Nosso objetivo é colaborar para que Minas esteja preparada ao receber a Copa do Mundo de 2014 e para que o maior número de pessoas possa se beneficiar, por meio da interiorização das ações e da oferta de cursos gratuitos de qualificação nas áreas de turismo e hospitalidade”.

Outras parcerias

O Governo de Minas tem outros acordos de ações de capacitação já firmados para a Copa das Confederações, em 2013, e a Copa do Mundo de 2014. Em outubro passado, por meio da Secopa, da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) e do Sebrae-MG, o Estado assinou o protocolo de intenção para a criação do “Laboratório de Culturas do Mundo”, que funciona dentro do Plug Minas (Centro de Formação e Experimentação Digital), da Secretaria de Estado de Cultura (SEC).

Por meio do acordo, jovens de 14 a 24 anos, de escolas públicas de Belo Horizonte e região metropolitana, terão a oportunidade de estudar inglês e espanhol, gratuitamente, a partir de 2 de fevereiro. Eles aprenderão não só o idioma, mas também sobre a cultura desses países.

Outra iniciativa voltada para o evento esportivo foi o acordo de cooperação técnica assinado entre a Secopa e a Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL),  em dezembro, visando à preparação de lojistas.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas reabre Museu Mineiro com estrutura ampliada

BELO HORIZONTE (18/01/12) – A secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, participou, nesta quarta-feira (18), da solenidade de reabertura do Museu Mineiro, após reformas em sua estrutura física. Juntamente com o superintendente de Museus e Artes Visuais da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), Léo Bahia, a secretária visitou com os convidados as salas de exposição do museu, que ganharam nova museografia, que inclui projeto luminotécnico e sistema elétrico restaurado e modernizado. O Museu Mineiro passou a contar, também, com uma Sala de Exposição Temporária, com 200 metros quadrados, e um espaço multiuso, para palestras e cursos, equipado com computadores.

Na ocasião, a secretária Eliane Parreiras ressaltou que o Governo de Minas reabre as portas do Museu Mineiro com grande satisfação, não só por seu respeitado acervo estar novamente disponibilizado ao público, mas, principalmente, por representar o esforço da SEC em fortalecer o Sistema Estadual de Museus.

Estiveram presentes à solenidade o presidente da Fiemg, Olavo Machado Júnior; o presidente da Casa Fiat de Cultura, José Eduardo de Lima Pereira; o ex-secretário de Estado de Cultura de Minas Gerais e presidente do BDMG Cultural, Washington Mello; além dos artistas plásticos Yara Tupinambá, Eymard Brandão e Priscila Freire.

Incentivo

Inaugurado em 1982 com a missão de preservar, pesquisar e difundir os registros da cultura mineira e de ser espaço de referência para as demais instituições museológicas de Minas Gerais, o Museu Mineiro teve sua obra de recuperação realizada com o patrocínio do BDMG, por meio do BDMG Cultural; da Fiat, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura; e da parceria com a Fiemg, por meio do Sesi.

A reinauguração foi realizada com a abertura da mostra “Coleções do Museu Mineiro” – com obras da Coleção Arquivo Público, Coleção Geraldo Parreiras, Coleção Pinacoteca do Estado e Coleção Amigas da Cultura. Na Sala de Exposição Temporária, também foi aberta a mostra “Palavras: dos homens, das coisas, das plantas e dos animais”, que reúne 145 desenhos criados por 71 professores índios de seis etnias de Minas Gerais.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: Museu Mineiro reabre as portas e inicia comemorações pelos 30 anos de fundação

BELO HORIZONTE (17/01/12) – Inaugurado em 1982 com a missão de preservar, pesquisar e difundir os registros da cultura mineira, além de ser espaço de referência para as demais instituições museológicas de Minas Gerais, o Museu Mineiro, órgão vinculado à Superintendência de Museus e de Artes Visuais da Secretaria de Estado de Cultura, que também integra o Circuito Cultural Praça da Liberdade, reabre suas portas ao público, ao mesmo tempo em que inicia as comemorações pelos seus 30 anos. A cerimônia de reabertura será realizada nesta quarta-feira (18), às 10h, após importantes reformas em sua estrutura física.

Com o patrocínio do BDMG, por meio do BDMG Cultural, da Fiat, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, e da parceria com a Fiemg, por meio do Sesi, foi criada nova museografia, que inclui novo projeto luminotécnico, além da recuperação e modernização do sistema elétrico. O Museu Mineiro ganhou, ainda, Sala de Exposição Temporária, com 200 metros quadrados, e um espaço multiuso para palestras e cursos, equipado com computadores.

A reinauguração será realizada com a mostra “Coleções do Museu Mineiro” – com obras da Coleção Arquivo Público, Coleção Geraldo Parreiras, Coleção Pinacoteca do Estado e Coleção Amigas da Cultura. Na Sala de Exposição Temporária, será inaugurada a mostra “Palavras: dos homens, das coisas, das plantas e dos animais”, que reúne 145 desenhos criados por 71 professores índios de seis etnias de Minas Gerais.

Ação Educativa

Mesmo interrompendo temporariamente a visitação do público, o Museu Mineiro continuou realizando regularmente suas ações educativas.  Em 2012, a instituição prepara um amplo calendário de ações educativas junto a estudantes e professores do ensino médio, com o projeto “Circulando na Liberdade”, realizado com os demais equipamentos do Circuito Cultural Praça da Liberdade.

Para a Semana Nacional dos Museus, que é promovida em maio, será aberta a exposição “Quarta Estação: Mulheres, Museus e Memória: novas inspirações”, que consiste em uma exposição de flores, elemento simbólico do universo feminino, e obras que retratam narrativas de memórias afetivas de mulheres.

A instituição mantém oficinas de capacitação de profissionais da área museológica e de educação patrimonial, realizadas junto a professores e estudantes da rede pública e particular.

Nos últimos anos, foram realizadas exposições itinerantes em outros Estados, como a exposição “300 anos de Cultura nas Minas Gerais”, em São Paulo, e seminários que promoveram o debate acerca da importância dos espaços museológicos no mundo contemporâneo, como o seminário “Ações Educativas em Debate: Museus e Centros Culturais – espaços de formação e transformação”.

Recentemente, o Museu Mineiro foi reconhecido na 3ª Edição do Prêmio Cultura Viva, promovido pelo Ministério da Cultura, por seu projeto “Museu Guardas”, ação realizada entre 2006 e 2010 com o objetivo de possibilitar o encontro e o diálogo entre a instituição e representantes do congado no Estado. Pelo mesmo projeto, o Museu Mineiro recebeu prêmio do Programa “Rumos Educação, Cultura e Arte 2011/2013”, promovido pelo Instituto Itaú Cultural.

Realizado a cada dois meses, aos domingos, o “Museu Guardas” convida Guardas de Congado mineiras a festejar seus santos de devoção durante toda uma tarde no Museu Mineiro.

Cultura ao alcance do público

Segundo a secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, o Governo de Minas reabre as portas do Museu Mineiro com grande satisfação, não só por seu respeitado acervo estar novamente disponibilizado ao público, mas, principalmente, por representar o esforço da Secretaria de Estado de Cultura em fortalecer o Sistema Estadual de Museus.

“O Museu Mineiro, assim como as demais instituições museológicas de Minas, ocupa papel estratégico na política cultural do Estado. Dessa maneira, mantemos o compromisso de, cada vez mais, aproximar os Museus da população. Seja ampliando o horário de visitação, seja promovendo ações educativas de formação de público e de promoção e valorização da história mineira registrada em seus acervos”, ressalta.

Quatro salas expositivas recebem a mostra “Coleções do Museu Mineiro”

Sala das Colunas – Com a exposição de aproximadamente 130 imagens sacras dos séculos XVIII e XIX, em que se destacam obras atribuídas a Aleijadinho (recentemente, no livro “O Aleijadinho – Catálogo Geral da Obra”, de autoria de Márcio Jardim, duas obras pertencentes ao acervo do Museu Mineiro foram atribuídas ao Grande Mestre: uma imagem de São Francisco de Assis e uma imagem de São Francisco de Paula); obras do Mestre de Piranga e do Mestre de Barão de Cocais.

Sala Vermelha – Exposição da imagem de São Miguel Arcanjo, do século XIX, esculpida em madeira policromada, da Coleção Geraldo Parreiras, além de seis telas atribuídas ao Mestre Ataíde.

Sala do Arquivo Público – Exposição de pinturas retratando os monarcas brasileiros. Possui, ainda, o retrato oficial de Mestre Aleijadinho, dentre outros objetos e documentos referentes à história do Estado de Minas Gerais.

Sala das Sessões – Apresentando a Coleção da Pinacoteca do Estado, com aproximadamente 25 obras de artistas como Aníbal Matos (Solar Tradicional – primeira obra da coleção da Pinacoteca), Belmiro de Almeida (a Má Notícia), Alberto da Veiga Guignard (Retrato de Suzana), Mário Silésio (Abstração) e Celso Renato (Ponte do Rosário), dentre outros.

As coleções do Museu Mineiro – Caracterização

O acervo do Museu Mineiro é formado por objetos que documentam períodos distintos do processo de formação da cultura mineira. Constitui-se de peças de arte sacra e de mobiliário dos séculos XVIII e XIX, pinacoteca ilustrativa de etapas marcantes das artes plásticas em Minas, utensílios pessoais, pecuniários e cerimoniais, esculturas, insígnias e armaria.

No processo de formação desse acervo, distinguem-se três coleções nucleares:

Coleção Arquivo Público Mineiro: composta por 872 peças, resultado de um longo processo de recolhimento de objetos de expressão histórica e artística – de 1895 até o final dos anos 1970 – efetuado pelo Arquivo Público, para compor o acervo do futuro museu, até a sua implantação em 1982.

Coleção Geraldo Parreiras: Composta por 187 peças de arte sacra, reúne um conjunto expressivo de obras representativas do Barroco Mineiro dos séculos XVIII e XIX, entre imaginária, alfaias e mobiliário religioso.

Coleção Pinacoteca do Estado: Tem sua origem vinculada à proposta de criação de uma Pinacoteca do Estado em 1926, por iniciativa do artista plástico Anibal Mattos.

Além dessas, existem ainda várias coleções, de procedências diversas, sob a guarda do Museu Mineiro: Coleção Iepha/MG, Coleção Conselho Estadual de Cultura, Coleção Amigas da Cultura, Coleção Hildegardo Meirelles, Coleção Servas.

Fonte: Agência Minas

Projeto social de Minas é publicado no site de arquitetura mais visitado do mundo

 

BELO HORIZONTE (21/12/11) – Nessa terça-feira (20), o projeto arquitetônico do Plug Minas – Centro de Formação e Experimentação Digital – foi publicado na página do ArchDaily (www.archdaily.com), o site especializado em arquitetura mais visitado do mundo. Ao lado de trabalhos de destaque realizados em diversos países, o projeto criado pelos arquitetos Rafael Yanni e Luciana Miglio Cajado foi detalhado em uma matéria que fala sobre suas principais características e ilustra várias delas por meio de diversas fotos.

O Plug Minas fica na rua Santo Agostinho, 1441, no bairro Horto, região Leste de Belo Horizonte. O espaço onde funciona o projeto abrigou por muitos anos uma unidade da extinta Fundação Estadual do Bem Estar do Menor (Febem). Desativada anos antes da inauguração do Plug Minas, as 15 edificações originais da Febem foram totalmente adaptadas e reestruturadas para oferecer aos jovens da capital mineira e região metropolitana cursos e atividades nas áreas da cultura digital, das artes, do empreendedorismo e de idiomas.

A arquitetura elaborada para o Plug Minas acompanha o conceito moderno e inovador do projeto. As antigas construções da Febem foram completamente transformadas e, para aprimorar ainda mais sua estrutura, outros ambientes foram construídos. Entre eles está o local onde funciona o Caminhos do Futuro, um dos oito núcleos atualmente em atividade no Centro de Formação e Experimentação Digital. O prédio foi projetado pelo arquiteto Rafael Yanni e, além de funcionar como a porta de entrada do Plug Minas, conta com uma galeria para exposições e espaço amplo para receber diversas atividades internas e externas. Esse local relativamente informal foi criado para receber manifestações artísticas variadas, no entanto suas formas também foram pensadas de maneira institucional.

Apesar do livre acesso ao Núcleo Caminhos do Futuro, para entrar nas demais dependências do Plug Minas é preciso passar pelas catracas que identificam funcionários, estudantes e visitantes. Seguindo em frente, é possível visualizar uma pequena praça arborizada localizada pouco antes do portal que dá início a uma passarela que indica o caminho a ser seguido para chegar até os outros núcleos do Plug Minas. Esse percurso foi construído em concreto pigmentado na cor vermelha e inclui totens que identificam o espaço e indicam a localização exata em determinado momento da caminhada.

Durante o trajeto é possível perceber a padronização das fachadas dos núcleos. Todas elas seguem uma linha arquitetônica que foi modificada intencionalmente e substituiu grades por generosas janelas de vidro. Cores vivas e diferentes garantem a individualidade dos núcleos, que dividem espaço com árvores já existentes e superfícies gramadas que foram implantadas como complemento. De acordo com Rafael Yanni, “apenas na rotatória de entrada foi executado paisagismo com intenções exuberantes e geometria dura, composto de várias espécies de capins, gramas e flores”.

Plug Minas – Centro de Formação e Experimentação Digital

O Plug Minas – Centro de Formação e Experimentação Digital foi criado pela Secretaria de Estado de Cultura, em parceria com a Secretaria de Estado de Esportes e Juventude, e a gestão do projeto é feita pela Oscip Instituto Cultural Sérgio Magnani. Inaugurado em junho de 2009, o Plug Minas oferece cursos e atividades nas áreas da cultura digital, das artes, do empreendedorismo e de idiomas para jovens de 14 a 24 anos que estudam ou se formaram em escolas públicas de Belo Horizonte e região metropolitana. A ideia do projeto é ajudar o jovem a construir um caminho colocando em prática o seu direito ao trabalho, à educação e à participação.

A estrutura do Plug Minas é dividida em núcleos diferentes que ocupam o mesmo espaço. Atualmente, oito núcleos estão em funcionamento e oferecem cursos voltados para as novas tecnologias, a cultura digital, o empreendedorismo e para as artes, e todos eles contam com a parceria de empresas privadas e instituições da sociedade civil para desenvolver as atividades. O educador também tem espaço garantido no Plug Minas em um núcleo inteiramente dedicado aos professores da rede pública de ensino. A comunidade em geral também é convidada especial de vários projetos realizados durante o ano dentro do centro.

Fonte: Agência minas