• Agenda

    dezembro 2019
    S T Q Q S S D
    « out    
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Gestão em Minas: Departamento de Estradas de Rodagem inicia obras em trecho da MG-030

Os trabalhos estão previstos para serem executados em 120 dias aproximadamente

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER/MG) inicia nesta sexta-feira (2) as obras no quilômetro 14 da MG-030. O problema no local foi provocado pelo período de chuvas intensas do mês de janeiro. A infiltração de água em excesso no lençol freático provocou o rompimento do aterro e, consequentemente, o abatimento da pista direita, o que obrigou desvio do tráfego para a pista da esquerda, sentido Nova Lima/Belo Horizonte.

Estudos técnicos – topográficos e geotécnicos – foram realizados por especialistas do DER/MG, que apontaram como melhor forma de resolver o problema a contenção do maciço empregando a técnica de cortina atirantada, que é um muro de contenção fixado no terreno através de tirantes de aço. Os trabalhos estão previstos para serem executados em 120 dias aproximadamente.

Os tapumes que foram colocados no quilômetro 14 têm como objetivo dar mais segurança aos trabalhadores e aos motoristas. As obras serão realizadas com recursos destinados ao Programa de Recuperação e Manutenção Rodoviária de Minas Gerais (ProMG), que gerencia na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), 524,3 km de rodovias, em um investimento total de R$ 148,6 milhões, nos quatro anos de contrato, iniciado em agosto do ano passado. Esse contrato do ProMG beneficia 30 municípios e 31 trechos rodoviários, onde se inclui a MG-030, com três trechos que somam 34,4 quilômetros: viaduto da rede ferroviária (Águas Claras) até o entroncamento para Nova Lima (8,8 quilômetros), Rio Acima até Nova Lima (20,1 quilômetros) e Itabirito a São Gonçalo do Bação (5,5 quilômetros).

Em 2011, no trecho da MG-030 entre o viaduto da rede ferroviária (Águas Claras) até o entroncamento para Nova Lima, merece destaque a recuperação do quilômetro 11,6, na pista esquerda, sentindo Nova Lima/Belo Horizonte, próximo ao Shopping Serena Mall. No local foi construído um novo bueiro e aterro para receber nova pavimentação.

No quilômetro 27, houve o rompimento de um aterro. O local está em meia pista e já foram concluídos os estudos técnicos para elaboração de projeto de engenharia que se encontra em andamento e, tão logo seja concluído, as obras entram em execução. No quilômetro 18, o abatimento da pista do lado direito deixou o tráfego em meia pista e as obras de recuperação já foram iniciadas.

Fonte: Agência Minas

DER/MG libera 50% das ocorrências de chuvas nas MGs

Desde o início do período de chuvas, em outubro de 2010, até agora, o Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG) já liberou 72 das 146 ocorrências registradas em virtude das chuvas. O trabalho está sendo realizado em pontos específicos ao longo de 23.976 quilômetros da rede estadual, o que equivale a uma ocorrência a cada 164 quilômetros. O número de trechos liberados representa 50% das ocorrências nas MGs devido ao alto índice pluviométrico registrado no início de 2011.

O monitoramento da malha rodoviária estadual, distribuída entre 17.092 quilômetros pavimentados e 6.884 não pavimentados, é realizado pelas Coordenadorias Regionais do DER/MG, localizadas em 40 cidades polo do Estado. O trabalho das equipes do Departamento consiste na cobertura e assistência imediata a toda ocorrência. A meta é de chegar ao local no prazo de três horas e garantir as condições de tráfego em, no máximo, 24 horas, garantindo desta forma o direito de ir e vir das populações do interior.

Os locais das ocorrências são devidamente sinalizados para facilitar a orientação dos motoristas, que estão em viagem e, com isto, evitar o risco de acidentes. Para aqueles que vão iniciar uma viagem, as informações sobre as Condições de Tráfego das Rodovias Estaduais estão registradas no site do DER/MG (www.der.mg.gov.br), no item serviços. Para acionar o Departamento, os usuários das rodovias mineiras podem ligar para o telefone 155, solicitar a opção 6 e comunicar a ocorrência de problemas, obter informações ou registrar reclamações.

“O atendimento por telefone tem sido uma ferramenta importantíssima para dar a agilidade necessária que o órgão precisa manter no atendimento das ocorrências. Isso é resultado da participação efetiva do cidadão que, transitando diariamente pelas nossas rodovias, utiliza esse serviço para informar os estragos que as chuvas têm ocasionado nas estradas. Essa parceria, cidadão / DER, é sempre salutar, operando em benefício de todos nós”, destaca o secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Carlos Melles.

Investimentos

Para o secretário, os investimentos do Estado em melhorias nas estradas têm papel fundamental. “Os investimentos do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas, em programas estruturadores, como o Proacesso, pavimentando mais de 200 trechos de terra, e o ProMG, recuperando, por meio de contratos de quatro anos, mais de cinco mil quilômetros de rodovias estaduais, desde 2003, veem contribuindo diretamente para a elevação do nível de qualidade das rodovias estaduais mineiras. O resultado deste trabalho se reflete no número relativamente reduzido de ocorrências verificadas neste período”, ressalta.

Ação imediata

As medidas adotadas pelo DER/MG têm início com a avaliação do estrago causado pelas chuvas e das condições de tráfego no local. Após a avaliação, o próximo passo é a sinalização. Se o problema é a retirada de barreiras sobre a pista, máquinas, homens e equipamentos são deslocados e iniciam os serviços. Nas situações mais complexas, pode haver a necessidade de interrupção do tráfego em meia pista e até a interrupção total de tráfego. Nesta última opção torna-se necessário a indicação de uma opção de tráfego alternativa, como um desvio, ou a construção de passagem provisória (variante).

Para o diretor-geral do DER/MG, José Elcio Monteze, o tempo para solucionar os estragos provocados pelas chuvas varia de acordo com a gravidade do problema e, inclusive, da intensidade das chuvas. “Nas ocorrências como quedas de barreira, por exemplo, os casos variam de acordo com a situação. Uma queda de barreira em meia pista pode ser solucionada em poucas horas. Já nos casos mais complicados, quando a queda de barreira tem um volume maior, o prazo para liberação do tráfego aumenta, tendo em vista as condições da rodovia, do tempo e a estabilidade do terreno. O mesmo acontece em outras situações como erosão de aterro, entre outros”, explica.

Problemas e soluções

Entre os problemas ocasionados pelas chuvas, os mais comumentes atendidos pelas equipes são erosões de aterros (58 ocorrências), quedas de barreira (50), atoleiros (9), avarias na infraestrutura das pontes (15), alagamentos (4), abatimento de pista (5) e outros estragos decorrentes do alto índice pluviométrico (14). Dos 19 trechos de rodovias cujos tráfegos haviam sido interrompidos, 15 já foram liberados. Além disso, desde o início das chuvas, foram contabilizados 91 segmentos onde o trânsito de veículos funcionava em meia pista. Desses, 44 já voltaram à normalidade.

Para exemplificar a solução de algumas ocorrências, Monteze cita o exemplo do quilômetro 350 ao 376, no entroncamento da BR-116 a Marilac, no Leste do Estado. “Ocorreu queda de barreira ao longo do trecho. Para solucionar o problema, o DER sinalizou o local e acionou a empresa responsável pela manutenção do trecho, por meio do ProMG, que, em poucas horas, retirou o material da pista, liberando o trecho para o tráfego de veículos”, conta.

Outro exemplo se refere ao contorno de São Lourenço, no Sul de Minas, na LMG-867, onde foram registradas quedas de barreiras. A retirada do material que obstruía a pista aconteceu em menos de 48 horas e o DER/MG apenas sinalizou o local para alertar aos motoristas da presença de homens e máquinas na desobstrução da via.

 

Governo Anastasia realiza seminário sobre mobilidade urbana

A mobilidade urbana na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) começou a ser discutida, nesta terça-feira (8), em Seminário Internacional promovido peloGoverno de Minas, com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O objetivo do evento, que termina nesta quarta-feira (9), é promover um espaço de discussão sobre soluções de mobilidade urbana visando ao desenvolvimento socioeconômico da região, por meio da troca de experiências de gestores públicos e especialistas nacionais e internacionais.

No encontro, que será dividido em seis painéis de discussões, serão apresentadas experiências e boas práticas brasileiras e estrangeiras de mobilidade, focando em três eixos de articulação, essenciais para a melhoria da mobilidade urbana das metrópoles: arranjo institucional e financiamento; circulação e planejamento urbano e soluções em transporte de massa.

O público alvo do seminário são os técnicos da área de mobilidade, pesquisadores, acadêmicos, gestores públicos, empreendedores e executivos da área e representantes da sociedade civil ligados ao assunto.

“Promovendo um seminário desta importância, fica clara a preocupação do Governo de Minas com os usuários do transporte urbano, que é um gargalo que aflige não só o Brasil, mas todo o mundo. No caso específico da RMBH, ela exige a mais alta dedicação de inteligências, em função da complexidade e das características do transporte de massa local que precisa, portanto, de soluções inovadoras e viáveis”, avaliou o secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Carlos Melles.

O secretário de Estado Extraordinário de Gestão Metropolitana, Alexandre Silveira, informou que o seminário é a concretização da intenção do Governo de Minas Gerais para o avanço da mobilidade urbana da Região Metropolitana de Belo Horizonte, da trafegabilidade com sustentabilidade e da preocupação com o cidadão.

Transporte na RMBH

Atualmente o transporte na RMBH, composta por 34 municípios, é gerido por 13 agências municipais, duas estaduais e uma da esfera federal. O transporte intermunicipal é de responsabilidade da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), que faz o planejamento operacional da rede de ônibus, e do Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG), responsável pela fiscalização. A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), através de uma superintendência regional gere o trem metropolitano de Belo Horizonte. O transporte municipal em 13 cidades é gerido pelos próprios municípios, e nos demais o DER/MG também opera o sistema municipal.

O Governo de Minas e a Prefeitura de Belo Horizonte vêm fazendo gestões junto ao governo federal para que algumas necessidades da capital, relacionadas ao transporte de massa e à circulação, entrem na pauta de importantes discussões.

Investimentos

Desde 2003, o Governo de Minas investiu cerca de R$ 3,8 bilhões em transportes e obras públicas, nos 34 municípios da RMBH. Foram realizadas, além das obras de duplicação de vias, construção de viadutos e passarelas, também a construção de escolas, creches, hospitais e outros.

Linha Verde

Foram investidos, por meio do Governo de Minas, cerca de R$ 483 milhões nas obras da Linha Verde, que incluiu a implantação do Boulevard Arrudas, na área central de Belo Horizonte, intervenções ao longo da avenida Cristiano Machado e duplicação do trecho da MG-010, entre a avenida Pedro I e o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins. Foram construídos 20 viadutos, 22 passarelas e duas trincheiras e travessias para pedestres. Foi realizada pintura anti-pichação e recuperação funcional da pista. Outras quatro passarelas serão construídas na Cristiano Machado.

Para a prolongação do Boulevard Arrudas, o Governo de Minas fez a recuperação do fundo do canal do ribeirão Arrudas, no trecho da avenida dos Andradas entre a alameda Ezequiel Dias e a rua Levi Coelho, próximo ao Centro de  Especialidades Médicas. Essa intervenção antecede o prolongamento do Boulevard Arrudas, que já tem projeto realizado (estimativa de investimentos de R$ 50 milhões). O projeto prevê a cobertura do ribeirão Arrudas, num trajeto de aproximadamente um quilômetro, entre a alameda Ezequiel Dias e a rua Levi Coelho e no sentido contrário, entre a rua Rio de Janeiro e a Carijós, cujo trajeto tem 1,2 quilômetro.

Antônio Carlos

O Governo de Minas realizou investimentos de cerca de R$ 190 milhões na obra de duplicação da avenida Antônio Carlos, realizada em parceria com a Prefeitura de Belo Horizonte que investiu cerca de R$ 62 milhões. A intervenção fez com que a via tivesse sua capacidade de tráfego dobrada, incluindo pistas exclusivas para ônibus e a construção de sete viadutos e seis passarelas acopladas. Foram implantadas duas pistas com quatro faixas de tráfego e duas pistas exclusivas para ônibus. No momento está em obras o viaduto que fará a ligação da avenida com o hipercentro da cidade, que integrou posteriormente o escopo do projeto.

ProMG

Com relação à melhoria das rodovias estaduais na RMBH, o Governo de Minas, por meio do Programa de Recuperação e Manutenção Rodoviária do Estado de Minas Gerais (ProMG), destinou R$ 51,5 milhões para recuperação, manutenção e conservação, por um período de quatro anos, de 347,1 km de vias da Coordenadoria Regional de Belo Horizonte, que contempla os municípios da RMBH, por meio de contrato entre o DER/MG e empreiteira vencedora da licitação.

PAC Arrudas

Em parceria com o governo federal e as prefeituras de Belo Horizonte e Contagem, o Governo de Minas está investindo cerca de R$ 32,2 milhões na requalificação urbana e ambiental do ribeirão Arrudas. Atualmente o investimento total soma R$ 208 milhões, sendo 75% de repasse da União, 12,5% do Governo do Estado, 6,25% da Prefeitura de Contagem e 6,25% Prefeitura de Belo Horizonte.

Entre as intervenções estão a construção de 672 apartamentos de dois e três quartos para reassentamento de famílias que ocupam área de risco; remoção de outras 124 famílias para habitações já existentes, dentro dos critérios do Programa Reassentamento Monitorado (Remo) da Prefeitura de Contagem; canalização de dois trechos do ribeirão Arrudas, bem como a extensão da avenida Tereza Cristina em 2,7 quilômetros, com impacto positivo no trânsito e no transporte na região; melhoria nas condições de saneamento e para a saúde da população. Serão beneficiadas diretamente cerca de 300 mil pessoas e outras 600 mil que moram no Vetor Oeste da RMBH serão beneficiadas indiretamente.

Proacesso

Taquaraçu de Minas era o único dos 34 municípios da RMBH que, em 2003, não contava com rodovia asfaltada até o seu perímetro urbano. Com investimentos de cerca de R$ 3,21 milhões, foram asfaltados os 9,3 quilômetros da rodovia que ligava a sede do município à BR-381, de um total de 13,1 km.

MG-020

As obras de duplicação na MG-020, entre Belo Horizonte e Santa Luzia, com 6 km de extensão, tiveram investimento de cerca de R$ 34 milhões. Também foi realizada a desapropriação necessária, ponte sobre o córrego Isidoro, obras de contenção e construção de passarela.

Reestruturação do Sistema de Transporte Metropolitano

Um novo modelo do Sistema de Transporte Metropolitano entrou em operação em 2008, quando a Setop transformou o atendimento das linhas da RMBH em sete redes integradas de transportes, RITs. A frota foi numerada com quatro algarismos, não existindo mais as letras anteriormente utilizadas no final de cada série. O critério utilizado, para definir a sequencia numérica, foi criado de acordo com o número do consórcio vencedor da licitação em que a linha irá atender. Dentre os diversos benefícios para os usuários destaca-se a renovação da frota, nova pintura externa que facilita a identificação, bilhetagem eletrônica (Cartão ÒTIMO), integração ônibus-ônibus e ônibus-metrô e o próximo passo será a construção de terminais metropolitanos que farão a integração dos ônibus.

 

Governador anuncia programa para pavimentação de estradas

O governador Antonio Anastasia anunciou, nesta segunda-feira (14), em solenidade no Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, o programa Caminhos de Minas. Trata-se do maior conjunto de obras de infraestrutura viária já realizado no Estado, que levará o asfalto a 223 trechos de estradas que fazem ligação entre as cidades mineiras. O programa beneficiará diretamente 297 municípios, com a pavimentação de 7,6 mil quilômetros de extensão, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida de milhares de mineiros que utilizam as estradas de terra. Durante a solenidade, o governador Antonio Anastasia assinou a autorização de liberação de recursos necessários à Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) para realizar licitação, execução e conclusão de projetos de engenharia.

Governador Antonio Anastasia lançou o programa Caminhos de Minas na Cidade Administrativa

Governador Anastasia lança o programa Caminhos de Minas

“O Caminhos de Minas é a continuidade do Proacesso, que foi um programa âncora do desenvolvimento de Minas. Tenho a honra agora de dar um passo avante importantíssimo para a interligação das regiões mineiras. Acredito que é um programa que vai trazer não só qualidade de vida, conforto, mas, especialmente, desenvolvimento econômico e integração regional às diversas regiões de nosso Estado. Para você ter uma ideia, o Sudoeste de Minas não é ligado ao Triângulo, a não ser por São Paulo. Vai ser ligado direto. Mesma coisa o Norte com o Centro-Oeste. Nós faremos isso”, disse o governador Antonio Anastasia em seu pronunciamento.

Apoio internacional

Durante solenidade o governador Antonio Anastasia afirmou que no início de julho irá a Washington (EUA), apresentar o novo programa do Governo do Estado aos dirigentes do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Banco Mundial (Bird), parceiros  em outros programas mineiros de infraestrutura. Participaram da solenidade 203 prefeitos de cidades mineiras, deputados estaduais e federais, secretários de Estado e lideranças políticas.

“A convite das instituições internacionais passarei dois dias em Washington para levar esse programa Caminhos de Minas aos nossos grandes parceiros, que já pediram para conhecer o projeto, porque têm interesse em manter a parceria com Minas Gerais. O nosso governo é um governo que tem a credencial e o reconhecimento das instituições financeiras internacionais, exatamente por aquilo que fizemos, desenvolvemos e implementamos ao longo desses anos, para ter o crédito, a confiança e o reconhecimento de que temos condições de fazer e fazer mais e mais”, afirmou Antonio Anastasia.

Desde 2003, quando Minas Gerais iniciou a retomada de seu equilíbrio financeiro, o Bird e o BID têm desempenhado importante papel no desenvolvimento do Estado. Uma das primeiras parcerias foi exatamente com o BID, para implantação do Proacesso, programa estadual de pavimentação que levará asfalto a 225 municípios. A instituição foi parceira do Estado no Minas Comunica, programa que garantiu sinal de telefonia celular em todos os municípios mineiros.

Projetos iniciados

O Caminhos de Minas consolida o Planejamento Estratégico de Logística de Transportes elaborado a partir do Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (PMDI) para o período 2007-2023. A proposta é dotar o Estado de moderna infraestrutura e, assim, promover o desenvolvimento econômico e reduzir a desigualdade social entre as regiões mineiras.

O projeto foi criado para solucionar inúmeros gargalos rodoviários e abrir novos rumos para o desenvolvimento dos municípios e do Estado. O Planejamento Estratégico de Logística de Transportes identificou 223 trechos que necessitavam de pavimentação emergencial e ampliações, e realizou estudos necessários para iniciar imediatamente os serviços.

“É um programa por etapas, obviamente. Ninguém faz um programa deste tamanho de uma vez só, como também não fizemos assim com o Proacesso. Já temos recursos este ano para concluirmos os projetos. Várias das obras já estão em execução, como por exemplo o trecho Uberlândia – Campo Florido. Algumas já começaram e vamos concluir os projetos neste ano. Outras tantas os projetos estão sendo concluídos”, disse o governador.

Para a primeira etapa, a Secretaria de Estado de Transportes de Obras Públicas (Setop) está autorizada a iniciar obras em 21 trechos, somando 509 quilômetros, com investimento de aproximadamente R$ 800 milhões. Outros 39 trechos estão em fase de projetos de engenharia. A Setop já contratou a elaboração de projetos de engenharia de 40 trechos e abriu o processo de licitação para contratar projetos para outras 122 estradas.

“Uma estrada, para começar, precisa de planejamento e projeto. Hoje, já temos 21 estradas com projetos prontos e acabados. Então, estamos em condições de licitar essas estradas para que elas possam ainda este ano iniciar obras. Tem um conjunto de situações em que precisamos concluir projetos que estão iniciados, e algumas outras obras que o projeto precisa ainda ser iniciado. É um programa grande, amplo, estruturador, e como tal ele tem uma dimensão de tempo muito grande, porque são 7 mil quilômetros de estradas”, explicou o secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Fuad Noman.

O Governo de Minas, por meio da Setop, estima investimento de R$ 5 bilhões nas obras. O custo final será consolidado após a conclusão de todos os projetos executivos e licitações.

Programas inovadores

Desde 2003, o Governo do Estado investiu R$ 4,7 bilhões nas estradas estaduais mineiras. Minas tem uma das maiores malhas rodoviárias do país com 34 mil km, sendo que 25 mil quilômetros são de responsabilidade do Estado. Em sete anos, foram pavimentados quase 4 mil quilômetros de estradas de municípios que só dispunham de acesso por terra. Já foram beneficiados 152 municípios. Outros 67 trechos encontram-se em andamento. Os investimentos, desde o início do programa, somam R$ 2,4 bilhões.

Os investimentos foram realizados por meio de programas inovadores como o Proacesso, que deu novo traçado ao mapa de Minas Gerais, melhorando a qualidade de vida da população e desenvolvendo a economia de todas as regiões do Estado.

Foram recuperados mais de 12 mil quilômetros de rodovias por meio do ProMG, programa que inovou na criação do mais moderno sistema de gestão de rodovias, que está garantindo a recuperação e manutenção das estradas estaduais. Por meio do programa Minas Avança, o Governo do Estado também garantiu obras de infraestrutura viária em cidades-polo implantadas em parceria com as prefeituras.

Clique aqui para ver as obras autorizadas e os trechos contemplados pelo programa (Documento do Word).

Clique aqui para ver mais detalhes sobre o programa Caminhos de Minas (Arquivo em pdf).