• Agenda

    dezembro 2019
    S T Q Q S S D
    « out    
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Governo de Minas: Polícia e Família chega a 21 bairros da Região Metropolitana de BH e interior

Serviço lançado nesta quinta-feira tem objetivo de aproximar PM e comunidade
Divulgação/PMMG
O serviço tem como foco a comunidade e estará presente em diversos bairros da capital e interior
O serviço tem como foco a comunidade e estará presente em diversos bairros da capital e interior

A Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) lançou, nesta quinta-feira (1º) na Praça da Estação, em Belo Horizonte, o Programa Polícia e Família que será levado, inicialmente, a 21 bairros da capital e região metropolitana e às cidades de Juiz de Fora, Uberlândia, Ouro Preto e Ubá. O serviço tem como foco a comunidade e estará presente nesses bairros com uma Base Comunitária Móvel e 33 policiais atuando em cada uma delas. Além disso, as bases contam com bicicletas, viaturas e motos para monitoramento.

De acordo com o comandante-geral da Polícia Militar, Márcio Martins Sant´Ana, 700 policiais militares foram especialmente treinados para atuar no serviço, que pretende contribuir na solução de problemas de segurança pública e em situações que possam desestruturar uma família ou um núcleo familiar. O comandante informou que os policiais militares do serviço já começaram a cadastrar famílias e a estabelecer contatos com a comunidade.

“O serviço Polícia e Família muda o cenário de BH, RMBH e dessas cidades do interior. Os militares tomarão a iniciativa dos contatos com a comunidade assim que as bases se instalarem nos bairros. Tudo será feito de forma amigável”, explicou.

Os militares passaram por uma capacitação com psicólogos e especialistas em rede de proteção à criança, ao adolescente, à mulher e ao idoso. Segundo o comandante-geral, a população pode esperar uma Polícia Militar organizada, com logística adequada, militares capacitados e prontos para prestar um serviço de qualidade. “O sucesso depende do trabalho de todos. A teoria do projeto foi muito bem concebida e arquitetada. Conto com o compromisso de cada um”, disse o oficial, dirigindo-se aos militares que atuarão neste novo serviço.

Para o comandante do 5º BPM, tenente-coronel João Carlos, este novo conceito de segurança vai proporcionar um maior sentimento de segurança. “É o momento de a comunidade ocupar os espaços públicos. A PM vai desarticular o crime, inviabilizando a ação do infrator, empregando, para isso, a prevenção. Para este trabalho, temos grupos formados para se envolver com o cidadão, preparados para entender e respeitar as características socioeconômicas e culturais de cada ambiente”, enfatizou o comandante.

Serviço aprovado pela população

Uma Base Comunitária foi instalada na Avenida do Contorno com Rua Curvelo, na Floresta. Trinta e três militares do 16º BPM receberam instruções do tenente Philippe Viana, comandante de setor do serviço Polícia e Família do 16º BPM, sediado no Bairro Santa Tereza. Em seguida, foram divididos em duplas para atuarem nos bairros Colégio Batista, Lagoinha e Floresta. Simultaneamente, militares utilizando motos percorreram os bairros apresentando o serviço. O próximo passo será fazer o cadastramento dos moradores, das famílias e comerciantes, além de fazer o policiamento rotineiro.

Os soldados Marcos Filipe e Ialla Garcia dos Santos percorreram as ruas e conversaram com moradores e trabalhadores. “É importante saber que a Polícia Militar está por perto”, disse Vilma Barcelar de Moura, que trabalha com reciclagem de materiais. “Se é para o bem da comunidade, este serviço será bem-vindo”, elogiou o aposentado João Rocha. A vendedora Elisabete Pinheiro Monteiro ressaltou a aproximação dos militares. “Eu gostei. Eles me falaram deste novo serviço e me disseram que, se precisar, é só fazer contatos. Deixaram um número de telefone”.

Depois de três meses, o trabalho será avaliado em todos os 21 pontos onde os militares estão trabalhando e, posteriormente, levado a outras localidades da capital e do interior. Para a implantação do serviço, a PM observou critérios, como a sensação de segurança, as zonas de criminalidade e a incidência de crimes.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: fiscalização do trânsito de animais e vegetais em Minas aumentou em 2011

BELO HORIZONTE (23/01/12) – Para controlar o transporte de animais e vegetais no Estado, o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), por meio de suas barreiras fixas, fiscalizou em 2011 mais de 140 mil documentos sanitários de permissão para transporte de animais, vegetais, seus produtos e subprodutos nas rodovias de Minas Gerais, sendo inspecionadas 10 mil documentações a mais que no ano de 2010.

Dados da Coordenadoria de Apoio à Operação Fiscal (COF) do instituto indicam que, desse total, 63.956 correspondem a documentos de Guia de Trânsito Animal (GTA) e 85.431 de Permissão de Trânsito de Vegetais (PTV).

O objetivo de fiscalizar a documentação sanitária para o transporte de animais é controlar o trânsito (incluindo o de produtos e subprodutos de origem animal) para garantir que esses produtos sejam transportados em condições adequadas, com proteção contra alterações e danos, para impedir a contaminação e proliferação de micro-organismos que possam ser prejudiciais à saúde humana.

Sendo assim, todo veículo que transporta produtos de origem animal está sujeito à fiscalização do IMA. Os produtos também devem estar devidamente identificados com rótulos, lacres, carimbos e chancelas de inspeção, esta última, indispensável a todos que são de origem animal.

Já as fiscalizações dos documentos para o transporte de vegetais visa impedir a disseminação de pragas no Estado. O trabalho é feito por meio de inspeções das cargas, aferição de notas fiscais, além da conferência da própria PTV. Todos esses documentos são exigidos por lei. A vistoria desta documentação acontece nas barreiras fixas de fiscalização sanitária e durante as blitze realizadas nas rodovias estaduais.

O IMA conta, atualmente, com 16 barreiras sanitárias fixas, que funcionam 24 horas por dia, em regime de plantão. A maioria trabalha em conjunto às barreiras fiscais da Secretaria de Estado da Fazenda (SEF) e contam com o apoio da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) e Polícia Rodoviária Federal.

Os municípios onde essas unidades estão instaladas são Além Paraíba, Borda da Mata, Carneirinho, Córrego Danta, Conceição das Alagoas, Contagem, Delta, Divisa Alegre, Espinosa, Extrema, Fronteira, Martins Soares, Matias Barbosa, Teófilo Otoni, Paracatu e Planura. E se encontram na divisa entre os estados do Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Bahia, Espírito Santo e Goiás.

De acordo com o diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto, o balanço de fiscalizações realizadas durante o ano de 2011 foi positivo. Para ele, o controle intensivo do trânsito é uma ação de extrema importância, que colabora para o rastreamento de cargas em Minas. “A vigilância nas divisas do Estado colabora com a investigação e identificação de cargas irregulares, através de um controle on-line do trânsito de animais e vegetais, evitando que doenças e pragas sejam disseminadas”, informa.

Aumento das fiscalizações móveis

Outra estratégia utilizada pelo IMA para assegurar produtos e subprodutos de origem animal e vegetal de qualidade é a realização de fiscalizações móveis em todo o território mineiro: as blitze.

Essas operações, assim como as barreiras de fiscalizações fixas, visam à checagem da carga dos veículos e a verificação de documentos sanitários, como GTA e PTV. O número de fiscalizações móveis tem aumentando a cada ano. Em 2008 foram 792, chegando em 2009 a 1.022 e, em 2010, a 1.132 blitze. Durante 2011, foram realizadas 1.220 blitze, com a fiscalização de 49.871 veículos no Estado, sendo 2.710 veículos a mais que o ano anterior.

Fonte: Agência Minas

Governador Anastasia amplia policiamento de Belo Horizonte e Região Metropolitana

BH e Região Metropolitana ganham reforço de soldados da PM para policiamento

Fonte: PSDB-MG

Governador Antonio Anastasia destaca que, reeleito, irá priorizar ações de segurança no interior e em áreas rurais em seu plano de governo

O policiamento de Belo Horizonte e da Região Metropolitana ganhou hoje mais 1.300 homens que atuarão no combate à criminalidade. Na manhã desta sexta-feira (30/07), eles receberam o diploma de formatura de Curso Técnico de Segurança Pública em solenidade no Mineirinho com a presença do governador Antonio Anastasia e da secretária de Estado de Planejamento, Renata Vilhena, escolhida como paraninfa da turma. Os novos soldados trabalharão em 17 batalhões da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

“São mais 1.300 policiais militares para segurança dos mineiros na capital e Região Metropolitana. Quando nosso governo começou, em 2003, a Polícia Militar tinha cerca de 36 mil efetivos. Hoje já são 45 mil. Um acréscimo muito expressivo de quase 10 mil policiais militares”, afirmou o governador.

Antonio Anastasia destacou que a Polícia Militar de Minas é modelo de eficiência e disciplina e tem o reconhecimento das autoridades e de especialistas em segurança pública em todo o país.

“A Polícia Militar de Minas é um modelo nacional de ética, de responsabilidade, disciplina e da ordem. Fico muito honrado e orgulhoso por presidir, como governador do Estado, essa cerimônia, na qual colocamos mais 1.300 excelentes praças, soldados, para trabalhar a favor da segurança pública em Minas Gerais”, disse.

Mais segurança no interior

Antonio Anastasia afirmou que, reeleito, intensificará as ações de segurança no interior e em áreas rurais. O Governo de Minas já está levando ao interior as Áreas Integradas de Segurança, responsáveis pelo planejamento e integração das ações das polícias. Também investiu no programa Cinturão de Segurança, levando mais policiais e viaturas aos municípios das fronteiras para inibir o crime organizado e combater a violência.

“Ainda falta muito, é claro. Sabemos das necessidades, especialmente de uma presença maior no interior do Estado e na zona rural. É interessante observar que houve uma queda dos índices de criminalidade nas cidades maiores, nas cidades médias, mas temos ainda indicadores que nos preocupam especialmente na zona rural. Estamos preparando, agora, um programa muito vigoroso de segurança pública no campo”, afirmou o governador.

A interiorização das ações de segurança será uma das principais propostas apresentadas aos eleitores no plano de governo de Antonio Anastasia coordenado pelo professor e sociólogo Claudio Beato, um dos mais importantes e reconhecidos especialistas do país na área de segurança pública.

Queda da criminalidade

Segurança pública tem sido prioridade do Governo de Minas nos últimos oito anos. Por determinação do então governador Aécio Neves e sob o comando de Antonio Anastasia, que na época ocupava o cargo de Secretário de Defesa Social, Minas foi o primeiro estado no Brasil a integrar as ações das Polícias Civil e Militar. A medida inédita permitiu a implantação de um modelo inovador de segurança que resultou numa redução histórica dos indicadores de criminalidade violenta: 45,2% em todas as regiões de Minas, segundo dados do Núcleo de Estudos em Segurança Pública da Fundação João Pinheiro.

Desde 2005, Minas apresenta queda nos índices de crimes violentos, revertendo um ciclo até então em todo país, de crescimento da violência. Em sete anos, a segurança pública recebeu R$ 27 bilhões de recursos do Estado. Apenas no sistema prisional, o Governo de Minas quadruplicou o número de vagas, chegando a 26 mil. Para os próximos anos, somente no complexo penitenciário que será construído por meio de Parceria Público-Privada, estão previstas mais 3,2 mil vagas ao sistema prisional mineiro.

O efetivo policial em Minas registrou crescimento de 25%, passando de 49.400, em 2003, para quase 61 mil policiais, em 2009. Em 2002, apenas a Polícia Militar contava com efetivo de 36.539 homens e mulheres. Em 2009, esse número saltou para 45.843, um aumento de quase 10 mil homens.

O Governo de Minas promoveu também recuperação histórica nos salários dos servidores da área de segurança pública, com ganhos importantes não só na remuneração, mas na progressão da carreira e também nas condições de trabalho. O salário do soldado de primeira classe (como os recém-formados) era de R$ 1.000,00, em 2003, e passou para R$ 2.041,74, este ano.