• Agenda

    dezembro 2019
    S T Q Q S S D
    « out    
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Pesquisa: Aécio é preferido pelos goianos

Marconi Perilo lidera com 15,4 pontos porcentuais de vantagem. Aécio Neves, candidato do PSDB à Presidência, tem 31% das intenções de votos

Eleições 2014

Fonte: Diário da Manhã

Marconi lidera com 43,2% das intenções de voto

O governador Marconi Perillo (PSDB) lidera a disputa para o Governo de Goiás com 15,4 pontos porcentuais de vantagem sobre o segundo colocado, o ex-prefeito de Goiânia Iris Rezende (PMDB), mostra a terceira rodada da Pesquisa Veritá, realizada entre os dias 28 e 30 de julho. O tucano tem 43,2% das intenções de votos e o peemedebista obtém 27,8%, segundo o levantamento

O candidato do PSB, Vanderlan Cardoso, aparece na terceira posição, com 6,2% das intenções de voto. O pessebista está empatado com o candidato do PT, Antônio Gomide, que tem 4,1% das intenções de voto, mostra o levantamento. O candidato do PSOL, professor Weslei, tem 1% dos votos. A candidata do PCBMarta Jane, tem 0,5%. Alexandre Magalhães, do PSDC, tem 0,4%.

Os eleitores que afirmam que votariam em branco ou nulo somam 9,7% e 7,2% afirmam estar indecisos quanto à escolha do candidato a governador. O Veritá entrevistou 2.203 eleitores em todo o Estado. A margem de erro da pesquisa é de 2,09 pontos porcentuais, para mais ou para menos.

Em porcentual de votos válidos, Marconi tem 52% das intenções e Iris aparece com 33,4%. Os números mostram que a eleição pode ser definida já no primeiro turno, com a vitória do tucano. Vanderlan tem 7,4% dos votos válidos e Gomide, 5%.

Na espontânea, Marconi tem 32%

A vantagem do governador Marconi Perillo (PSDB) sobre o ex-prefeito de Goiânia Iris Rezende (PMDB) na corrida pelo Governo de Goiás é ainda maior na pesquisa espontânea, mostra a última rodada da pesquisa Veritá, realizada entre os dias 28 e 30 de julho. O tucano tem 32% das intenções, diante de 17% do peemedebista.

Vanderlan Cardoso (PSB) tem 3,3% das intenções e Antônio Gomide tem 2%. Professor Weslei (PSOL) e Marta Jane (PCB) têm menos de 1% das intenções e o candidato do PSDCAlexandre Magalhães, não foi citado. Os eleitores que afirmam estar indecisos somam 38,1% e aqueles que afirmam que votarão em branco ou nulo totalizam 7,2% dos eleitores entrevistados.

Marconi vence Iris em eventual segundo turno

governador Marconi Perillo (PSDB) venceria o ex-prefeito de Goiânia Iris Rezende (PMDB) numa eventual disputa de segundo turno, mostra a pesquisa Veritá realizada entre os dias 28 e 30 de julho. O tucano tem 48,4% dos votos válidos, diante de 34,5% obtidos pelo peemedebista.

Os eleitores que disseram não saber em quem votariam ou não responderam à pergunta totalizam 4,4% dos eleitores. Outros 12,7% afirmaram que votariam em branco ou anulariam o voto da disputa de segundo turno.

Em votos válidos – em que se excluem brancos, nulos e indecisos – Marconi tem 58,4% das intenções de votos, diante de 41,6% de Iris.

Vilmar cresce na corrida ao Senado, Caiado cai

O deputado federal Vilmar Rocha (PSD) reduziu a diferença em relação ao deputado federal Ronaldo Caiado (DEM) na disputa para a vaga da eleição ao Senado, mostra a última rodada da pesquisa Veritá, realizada entre os dias 28 e 30 de julho. O parlamentar do DEM tem 29,9% das intenções de voto e o deputado pessedista alcança 16,5% das intenções.

Na comparação com a rodada anterior, realizada entre os dias 9 e 12 de julho, a distância de Vilmar para Caiado caiu de 15,9 pontos porcentuais para 13,4 pontos porcentuais. A suplente de deputada federal Marina Sant’Anna (PT), que tinha 14,9% das intenções de votos na rodada anterior, tem agora 14,3%, mostra o Veritá.

Na rodada atual, o candidato do PSBAguimar Jesuíno, tem 1,4% das intenções de votoAntônio Neto, do PCB, obtém 1,3%. Elder Sampaio (PSOL) e Aldo Muro (PSDC) têm 0,5% cada.

O porcentual de eleitores indecisos soma 19,4% dos eleitores entrevistados e 16,3% afirmam que votarão em branco ou nulo para o Senado.

Aécio está à frente de Dilma

O candidato do PSDB à Presidência da República, senador Aécio Neves (MG), lidera a disputa na preferência do eleitorado goiano, mostra a última rodada da pesquisa Veritá. O tucano tem 31% das intenções de votos, diante de 29,5% da petista.

O candidato do PSB, o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, aparece com 6% das intenções de votosPastor Everaldo, do PSC, tem 3,4% das intenções. Os demais candidatos não alcançaram 1% das intenções.

Os eleitores que afirmam que votarão em branco ou nulo somam 15,1% dos eleitores entrevistados e 13,1% não saber em quem votarão para presidente da República ou não responderam à pergunta.

Em votos válidos, Aécio tem 43,1% das intenções, diante de 41,1% de DilmaEduardo Campos tem 4,3%Pastor Everaldo obtém 4,7% das intenções e os demais candidatos não atingiram 1% dos votos válidos.

Na disputa de segundo turnoAécio vence Dilma com folga. O tucano tem 42,5% dos votos, enquanto a petista tem 33,9% das intenções. Os eleitores que afirmam que votarão em branco ou nulo somam 16,9% e 6,7% afirmaram que não sabem em quem votar ou não responderam.

Aécio responde as críticas de Campos: pesquisas não mudam meus valores

“Tenho ouvido algumas críticas de Eduardo Campos. Mas, de minha parte, nada mudou. As pesquisas não mudam meus valores” — disse.

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Aécio sobre críticas de Campos: ‘Não vou perder tempo com indelicadezas

Pré-candidato tucano concedeu entrevista a emissora local de rádio de Pernambuco

O pré-candidato do PSDB à sucessão presidencialAécio Neves, deu na manhã desta segunda-feira uma resposta às críticas que vem enfrentando do ex-governador e também presidenciável Eduardo Campos (PSB), seu provável aliado no segundo turno das eleições de outubro.

— Não vou perder tempo com indelicadezas — disse ele, em entrevista concedida por telefone a uma emissora local de rádio, onde ele deveria estar nessa segunda-feira, para falar por uma hora sobre seus planos para o Brasil.

— Tenho respeito por Eduardo, espero que ele possa fazer uma bela campanha como fez um belo governo em Pernambuco. Tenho ouvido algumas críticas de Eduardo Campos. Mas, de minha parte, nada mudou. As pesquisas eleitorais não mudam nem alteram o meus valores e minhas amizades — disse.

Ele reforçou a importância de candidaturas de oposição.

— Continuo tendo pelo ex-governador respeito pessoal, respeito político. Acho que sua candidatura faz bem à democracia. Nós sempre a estimulamos, ao contrário do que fez o PT.

O tucano cancelou a agenda que teria em Pernambuco, devido ao nascimento prematuro dos filhos gêmeos. Ele teve uma conversa rápida com o radialista Geraldo Freire, do programa Super Manhã, da Rádio Jornal do Commercio, onde prometeu estar na próxima quarta-feira, para uma conversa ao vivo com jornalistas por uma hora.

— Eu sempre, no Congresso Nacional, o estimulei pessoalmente e aos seus companheiros para que pudesse ser candidato — disse ele, referindo-se ao socialista.

Aécio acrescentou que o seu objetivo, hoje, não se limita a casos ou desentendimentos como esses:

— Meu objetivo hoje vai muito além do que tratar de questões pessoais. Eu hoje conduzo uma candidatura que tem por objetivo encerrar esse ciclo de governo do PT que tão mal vem fazendo ao Brasil, seja no campo ético, no administrativo, no ideológico, com visão atrasada de mundo. O Brasil é hoje um país que menos cresce na região, a inflaçãoestá de volta atormentando a vida dos trabalhadores brasileiros. Não vou perder tempo com indelicadezas — ratificou.

Ele disse, ainda, que as críticas que vêm sendo feitas pelo socialista não mudam a posição do seu partido na questão estadual, na qual o PSDB já liberou seus filiados para apoiar a pré candidatura do ex-secretário da Fazenda, Paulo Câmara (PSB), lançado por Campos no momento em que o PSDB se preparava para indicar um nome próprio para a sucessão estadual, do deputado estadual Daniel Coelho.

— O entendimento à pré candidatura do ex secretário da Fazenda, Paulo Câmara (PSB), foi conduzido pela direção local, da qual participei. Da minha parte, não tenho nenhum motivo para mudar os compromissos. Minha palavra foi dada. E se essa for a vontade majoritária dos companheiros do PSDB, nós manteremos esse entendimento. Acredito muito nas coisas naturais na política. Já há essa parceria há algum tempo, e eu jamais sacrificaria companheiros meus do partido, em razão de candidatura presidencial que eu possa ter. Tenho certeza que os companheiros do PSDB trabalharão no limite de suas forças e das condições pela nossa candidatura. De minha parte, a liberação é absoluta para que o partido tome essa decisão — afirmou o tucano.