• Agenda

    janeiro 2020
    S T Q Q S S D
    « out    
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Gestão Anastasia: Agricultura familiar de Minas define pauta para encontro nacional

Entre os temas, estão o fortalecimento da assistência técnica e a atenção à mulher e ao jovem

Divulgação/Seapa MG
No evento, foram debatidas questões relacionadas à assistência técnica e extensão rural e ao desenvolvimento sustentável da agricultura familiar
No evento, foram debatidas questões relacionadas à assistência técnica e extensão rural e ao desenvolvimento sustentável da agricultura familiar

Cerca de 60 propostas para o fortalecimento dos serviços de assistência técnica e extensão rural aos agricultores familiares de Minas Gerais serão apresentadas na conferência nacional sobre o tema, que será realizada em Brasília, no período de 23 a 26 de abril. Os documentos foram aprovados, nesta quinta-feira (15), pelos representantes do segmento reunidos, em Belo Horizonte, durante a conferência mineira para discutir o assunto, em uma iniciativa da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa) e Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

Nos três dias de realização do encontro, foram debatidas questões relacionadas à assistência técnica e extensão rural e ao desenvolvimento sustentável da agricultura familiar. O tema interessa, principalmente, a um contingente de cerca de 720 mil agricultores localizados em 440 mil estabelecimentos no Estado, segundo dados da Seapa.

De acordo com o subsecretário de Estado de Agricultura Familiar, Edmar Gadelha, o evento atingiu o objetivo de buscar sugestões que possam contribuir para o aprimoramento da política estadual e nacional de assistência técnica e extensão rural. Um dos destaques é a proposta de criação de programas permanentes de educação não formal dirigidos aos integrantes da agricultura familiar. “A educação é de fundamental importância para a consolidação de práticas sustentáveis”, enfatiza o subsecretário.

Gadelha acrescenta que outra proposta de consenso para apresentação na conferência nacional se refere à revisão do sistema de financiamento do programa de assistência técnica e extensão rural. Atualmente, os recursos disponibilizados por ano pelo governo do Estado, prefeituras e governo federal, são, respectivamente, da ordem de R$ 220 milhões, R$ 80 milhões e R$ 20 milhões. De acordo com os participantes da conferência estadual, é necessária uma participação maior da União.

Além disso, a conferência estadual aprovou a apresentação de diversas propostas com o foco exclusivo no desenvolvimento da assistência à mulher e aos jovens da agricultura familiar. “Principalmente para que as mulheres possam ter mais autonomia na atividade, e, nesse contexto, que seja reconhecida, por exemplo, a sua condição para assumir por conta própria compromissos junto às instituições de crédito para o desenvolvimento de projetos de agricultura familiar. Um reforço a essa proposta é que sejam consideradas de agricultura familiar todas as atividades realizadas no estabelecimento, muitas sob a iniciativa das mulheres”, explica Gadelha.

O subecretário de Agricultura Familiar ainda observa que grande parte das propostas aprovadas na conferência estadual inclui a necessidade de uma atenção especial ao fortalecimento da agroecologia na agricultura familiar de Minas Gerais.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: conferência discutirá políticas para a agricultura familiar em Minas Gerais

Objetivo é elaborar propostas para consolidação e alinhamento da política de assistência técnica e extensão rural no Estado

A Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa), por intermédio da Subsecretaria de Agricultura Familiar (SAF), irá realizar a 1ª Conferência Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais, no período de 13 a 15 de março, em Belo Horizonte. A promoção do evento é uma parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). A abertura oficial do evento será às 10h do dia 13 (terça-feira), com as presenças do secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Elmiro Nascimento; do delegado Federal do Ministério do Desenvolvimento Agrário em Minas, Alcides Guedes Filho; e do presidente do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Consea-MG), Dom Mauro Morelli.

O objetivo da conferência é elaborar propostas para consolidação e alinhamento da política de assistência técnica e extensão rural em Minas Gerais, com a ativa participação de entidades governamentais e da sociedade civil organizada, que serão apresentadas na 1ª Conferência Nacional sobre Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater). O encontro será realizado em abril, em Brasília. Também serão eleitos os delegados que representarão o Estado na conferência nacional.

Participarão da conferência estadual 150 delegados, representando os segmentos da agricultura familiar, sociedade civil, órgãos governamentais (federal e estadual) e técnicos envolvidos com o trabalho de extensão rural no Estado.

Segundo o subsecretário de Agricultura Familiar, Edmar Gadelha, o evento é fundamental para discutir maneiras de garantir um serviço de assistência técnica e extensão rural de qualidade e gratuita, levando em consideração a diversidade da agricultura familiar no Estado. “A assistência técnica e extensão rural deve atender as comunidades quilombolas, povos indígenas, extrativistas e ribeirinhos, sempre visando a inclusão social, a geração de emprego e o aumento da produção destes agricultores familiares”, afirma.

Entre os temas discutidos no encontro estão o papel da assistência técnica e extensão rural no desenvolvimento rural sustentável; na diversidade da agricultura familiar e redução das desigualdades. Também serão abordadas a gestão, o financiamento, a demanda e oferta de serviços de Ater, além da metodologia de extensão rural.

 Números da agricultura familiar

A agricultura familiar tem participação efetiva na produção alimentos em Minas Gerais. Ela responde por 45% da produção de leite, 47% da produção de milho, 32% de café e feijão; 83% de mandioca e 44% da produção de arroz. Em todo o Estado, são 437.415 propriedades de agricultora familiares, o que representa 79% de todos os estabelecimentos rurais em Minas.

No ano passado, o Governo de Minas criou a Subsecretaria de Agricultura Familiar, vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). A subsecretaria tem a atribuição de planejar, coordenar, promover e avaliar as políticas, os programas e as ações relacionadas ao desenvolvimento sustentável da agricultura familiar, dos empreendimentos familiares rurais e do abastecimento alimentar em Minas Gerais.

Serviço:

Abertura da 1ª Conferência Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais

Data: 13 de março (terça-feira)

Horário: 10h

Local: Casa de Retiro São José

Av. Itaú, 475 – Dom Bosco – Belo Horizonte (MG)

Informações: (31) 3915-8552

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: secretário Elmiro Nascimento vai a Guanhães discutir agricultura familiar

Secretário vai debater sobre as ações do Governo de Minas ligadas à agricultura familiar e o Programa Nacional de Alimentação Escolar

O secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Elmiro Nascimento visita, nesta sexta-feira (9), a cidade de Guanhães, no Vale do Rio Doce, para debater sobre as ações do Governo de Minas ligadas à agricultura familiar e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). O evento é uma promoção da Secretaria de Estado de Educação (SEE).

De acordo com a Lei Federal nº 11.947/09, 30% dos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) devem ser gastos com a compra de gêneros alimentícios produzidos pela agricultura familiar. Em 2011, o governo estadual criou a Subsecretaria de Agricultura Familiar para apoiar e promover o desenvolvimento sustentável deste setor e aumentar a participação de produtos da agricultura familiar na alimentação de alunos das escolas públicas municipais e estaduais.

O trabalho da Subsecretaria também envolve a assistência técnica fornecida pelos órgãos de extensão rural, a organização associativa para atender a demanda de forma regular, os cuidados com a qualidade e com os aspectos sanitários da produção, além da integração com os órgãos envolvidos (prefeituras, escolas, associações).

“A nossa prioridade é estimular o desenvolvimento econômico das comunidades para que os recursos fiquem no município, valorizando não só o pequeno produtor rural, mas os circuitos locais e regionais de produção de alimentos”, destaca o secretário Elmiro Nascimento.

O encontro contará com a participação de deputados, prefeitos e autoridades políticas dos municípios que abrangem a Superintendência Regional de Ensino de Guanhães, além de profissionais da educação e agricultores familiares da região.

Agricultura familiar em Minas

De acordo com o último Censo Agropecuário do IBGE, a agricultura familiar mineira totaliza 79% dos estabelecimentos agropecuários do Estado, com 437 mil propriedades. Cerca de 15% do território de Minas é ocupado pela agricultura familiar.

Ainda conforme o IBGE, o segmento tem participação efetiva na produção dos principais produtos mineiros: leite (45%); milho (47%); café (32%); mandioca (84%); arroz em casca (44%), além de responder por 62% da geração de empregos no campo, empregando 1,2 milhão de trabalhadores.

Os agricultores familiares de Minas Gerais estão isentos do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nas operações para atender aos programas de aquisição de alimentos para entidades assistenciais e alimentação escolar. O benefício alcança produtores de biscoitos, bolos, pães, doces, temperos e rapadura caseiros e artesanais, entre outros.

Este ano, o Governo de Minas também regulamentou a lei que trata da habilitação sanitária específica para agroindústrias rurais de pequeno porte. O objetivo do Estado com as novas regras é melhorar a renda do agricultor familiar, sem abrir mão da qualidade dos produtos oferecidos ao consumidor.

Com a nova lei, os empreendimentos podem sair da informalidade e ampliar o mercado para suas produções. Antes, as leis em vigor no país dificultavam a habilitação das pequenas agroindústrias. Aproximadamente 45 mil produtores que se dedicam à atividade serão beneficiados em Minas.

Serviço:

Encontro “Projeto Agricultura Familiar”

Data: 9 de março (sexta-feira)

Horário: 10h

Local: AABB (Associação Atlética do Banco do Brasil) – rua Alcindo Pereira s/nº Centro – Guanhães (MG)

Fonte: Agência Minas

Gestão em Minas: touros do Pró-Genética vão reforçar rebanho da região da Serra da Canastra

Produtores querem diversificar plantel introduzindo o gado de corte

Divulgação/IMA
O objetivo do Pró-Genética é possibilitar a melhoria da qualidade do rebanho bovino mineiro
O objetivo do Pró-Genética é possibilitar a melhoria da qualidade do rebanho bovino mineiro

Um lote de 38 touros de alta genética será colocado à venda, neste domingo (11), no Parque de Exposição de São Roque de Minas, na região da Serra da Canastra, no Centro-Oeste do Estado. O evento marca a abertura do calendário anual de feiras do Programa de Melhoria da Qualidade Genética do Rebanho Bovino (Pró-Genética), criado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa-MG) e executado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG).

O objetivo do Pró-Genética é possibilitar a melhoria da qualidade do rebanho bovino mineiro, facilitando, principalmente para os agricultores familiares, a aquisição de reprodutores selecionados pela Associação Brasileira dos Criadores de Gado Zebu (ABCZ).

“Todos os animais têm qualidade genética garantida (PO), com registro genealógico definitivo, inspecionado pela ABCZ, exame andrológico positivo, teste negativo de brucelose e tuberculose”, informa o extensionista do escritório da Emater de São Roque de Minas, Lívio Múcio de Souza Lima.

De acordo com levantamento realizado pela Emater, os produtores do município estão interessados em adquirir touros Nelore, Gir Leiteiro, Brahman e Guzerá para aprimorar seus rebanhos. “Interessam aos pecuaristas, principalmente, os animais da raça Nelore (15 pedidos)”. Segundo Souza Lima, para atender a diversos produtores de outros municípios da região será oferecido também um lote complementar de 12 tourinhos, e, neste caso, a procura maior também é por touros Nelore.

As compras dos reprodutores na feira de São Roque de Minas podem ser feitas individualmente ou em grupo, com financiamento do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e linhas de crédito oferecidas pelo banco cooperativo Sicoob Saromcredi. Como em todas as feiras do Pró-Genética, os técnicos da Emater vão ajudar os pecuaristas na definição do crédito a ser utilizado junto às instituições financeiras. Além disso, os extensionistas poderão orientar os criadores para comprarem animais reprodutores adequados à inclusão em seus rebanhos.

De acordo com Lívio Múcio de Souza Lima, os pecuaristas têm grandes expectativas em relação à primeira feira do Pró-Genética no município. “Eles estão cientes de que se trata de uma grande oportunidade para a melhoria da qualidade do gado, que deve resultar no aumento da receita das propriedades”. O extensionista diz que São Roque de Minas conta com um total de 68,5 mil cabeças de bovinos, sendo 14,9 mil machos e 53,6 mil fêmeas.

Parceiro na realização da feira do Pró-Genética no município, o Sindicato dos Produtores Rurais de São Roque de Minas participou dos trabalhos para definição das raças que podem oferecer melhores resultados no cruzamento com fêmeas do rebanho local. De acordo com o administrador da entidade, Eugênio Pacelli Maciel, a indicação de reprodutores de corte tem por objetivo diversificar os criatórios com a utilização de animais para a produção de carne em áreas ocupadas anteriormente por cafezais.

Em outra oportunidade, acrescenta Maciel, poderão ser indicados touros de raças europeias, destinados a aumentar a qualidade do rebanho leiteiro.

Saldo positivo

Com base nas informações da Emater, o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Elmiro Nascimento, considera animadoras as perspectivas do Pró-Genética no Estado para 2012. “Além da Feira de Touros de São Roque de Minas, estão programados, atualmente, mais 13 eventos. Portanto, o volume incluído no calendário já supera o total do ano passado de 12 feiras, que resultaram na venda de 254 reprodutores”.

Elmiro Nascimento ainda observa que o trabalho dos extensionistas da Emater é de fundamental importância para o desenvolvimento das ações do Pró-Genética, que atendem sobretudo às propriedades de agricultura familiar.

Além da Seapa – com suas vinculadas Emater, IMA e Epamig – e da ABCZ, são também parceiros do programa os Bancos do Brasil e do Nordeste, Sistema das Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob), sindicatos rurais, cooperativas, prefeituras e entidades dos produtores.

Fonte: Agência Minas