• Agenda

    novembro 2019
    S T Q Q S S D
    « out    
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    252627282930  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Eleições 2012: PSDB fica mais forte no Norte e Nordeste

PSDB:Norte e Nordeste 2014. Partido elege 691 prefeitos no 1º turno, no 2º disputa em 17 cidades. Guerra vai discutir eleições presidencial.

PSDB: Eleições 2012

 PSDB fica mais forte no Norte e Nordeste

PSDB: Eleições 2012 – Foto PSDB

Fonte: Raymundo Costa – Valor Econômico

Guerra destaca avanço do PSDB no Norte e Nordeste

O presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, apresentou o balanço do partido sobre o primeiro turno das eleições. O deputado destacou o fato de a sigla ter crescido “significativamente” no que ele chamou de “áreas de dificuldade” dos tucanos, as regiões Norte eNordeste, nas quais o PT teve amplo predomínio nas últimas eleições presidenciais.

O tucano criticou duramente o envolvimento do governo federal e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições. “Lula tem o vício de pensar que é o dono do povo. Mas o PT não tem a ‘reserva de mercado’ da população”, disse. “O PT é um partido que perdeu a sintonia com a opinião pública. Não adianta mais ao Lula dar conselhos ao povo. Se fizer isso, não será ouvido”, afirmou. Segundo Guerra, “a marca do PT é o mensalão“.

Entre as “áreas de dificuldade” Guerra citou como exemplos o caso do Recife, onde o PSDB lançou um candidato praticamente “secreto” (o deputado estadual Daniel Coelho) que teve quase o dobro de votos do candidato do PT, o senador Humberto Costa, indicado diretamente por Lula para a disputa. O segundo aspecto positivo destacado por Guerra foi a “renovação” ocorrida entre os tucanos. Além do exemplo de Daniel Coelho e sua surpreendente votação no Recife, o presidente do PSDB citou a eleição do deputado estadual Rui Palmeira em Maceió, a capital de Alagoas.

Segundo Sérgio Guerra, nenhum partido pode se declarar “hegemônico” e a eleição, na realidade, apresentou um quadro partidário fragmentado. O PSDB elegeu 691 prefeitos no primeiro turno e disputa o segundo em 17 cidades, das quais oito são capitais. São Paulo, João Pessoa, Manaus, Rio Branco, Teresina, Vitória, Belém e São Luís. Os tucanos comemoram o fato de terem conseguido entrar em “áreas de dificuldade” – quatro das oito capitais estão no Norte e Nordeste.

Os tucanos consideram que será “simbólica” a vitória do ex-senador Arthur Virgílio, em Manaus, devido ao envolvimento do governo para derrotar o ex-senador. Apesar do avanço nas regiões Norte e Nordeste, a direção do PSDB entende que o desempenho partidário nos “grandes centros formadores de opinião” é que pode ter influência na sucessão presidencial. A eleição de prefeitos nas cidades medias e pequenas é importante para a eleição proporcional. Neste caso, saudou a eleição de Marcio Lacerda em Belo Horizonte, que é do PSB, mas próximo do senador Aécio Neves, hoje o nome mais forte do PSDB para a disputa presidencial de 2014.

Guerra lamentou que a eleição em São Paulo tenha resvalado para a discussão do “kit-gay”, que considerou um assunto da sociedade mas irrelevante. Achou natural que o candidato José Serra não queira discutir o kit gay, pois o “foco” da campanha deve ser o governo da cidade de São Paulo. Apesar de as pesquisas demonstrarem que o PT deve vencer a eleição por ampla margem, Guerra insiste que as pesquisas internas demonstram uma disputa acirrada.

Guerra defendeu que o PSDB discuta a sucessão presidencial logo após a realização do segundo turno, não necessariamente para escolher um nome, mas dar uma indicação sobre para onde devem caminhar os tucanos. Se houver mais de um pretendente, acha que o partido deve realizar prévias. OPSDB começou um recadastramento nas eleições de 2010. Até agora, já foram recadastrados 100 mil filiados.

Guerra também defende a elaboração imediata de um estatuto para as prévias. Antes de ser questionado, Guerra falou sobre o chamado “mensalão mineiro”, que o PT cita como o similar tucano do esquemas pelo qual está sendo condenado no Supremo Tribunal Federal. “O [deputado federal] Azeredo é uma pessoa honesta e com uma grande trajetória. Não foi flagrado andando de jatinho e nem participando de negócios escusos. O que queremos em relação ao caso é também que ocorra um julgamento justo e que o Judiciário cumpra seu papel”, afirmou.

PSDB: 2014 – Link da matéria: http://www.valor.com.br/eleicoes2012/2870576/guerra-destaca-avanco-do-psdb-no-norte-e-nordeste

Dilma: presidente insiste em reforma tributária pela metade

Dilma: presidente insiste na reforma tributária meia-sola. Ordem é atacar a estrutura tributária brasileira “pelas beiradas”.

Governo Dilma: reforma tributária

 Dilma: presidente insiste na reforma tributária meia sola

Fonte: O Globo

Governo estuda fazer reforma tributária ‘pelas beiradas’

Ideia é unificar PIS e Cofins e acabar com a ‘guerra dos portos’

BRASÍLIA – Dilma – Para estimular a economia – que já dá sinais de melhora, na avaliação da equipe econômica – o governo quer avançar em uma reforma tributária fatiada que estimule a competitividade e reduza os custos da indústria nacional. O assunto entrou na ordem do dia diante da constatação de que não há mais espaço fiscal para a concessão de incentivos, como a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para veículos, móveis e linha branca, por exemplo; ou queda de juros nas linhas do BNDES, algumas já negativas.

A missão dada pela presidente Dilma Rousseff à equipe econômica é atacar a estrutura tributária brasileira “pelas beiradas” e ainda este ano. Técnicos da Fazenda e da Receita Federal trabalham em uma minuta para unificar e simplificar a cobrança das contribuições para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e o Programa de Integração Social (PIS).

– Não há muito o que fazer para estimular a economia, além das medidas já tomadas. A missão agora é tocar projetos mais estruturantes, como a unificação do PIS e da Cofins – disse uma fonte da equipe econômica.

Segundo fontes, o governo quer acabar com o regime cumulativo (que não gera crédito) do PIS e da Confins. A ideia é manter apenas o sistema não cumulativo (que tem alíquota de 9,25%, somadas as duas contribuições) adotado pela maioria das empresas. Mas, para não prejudicar quem está no regime cumulativo (que paga alíquota de 3,65%), a proposta prevê a criação de duas ou três alíquotas diferenciadas.

As normas atuais são complexas e há várias exceções, insumos que não geram crédito, por exemplo, como nas atividades de propaganda e nos serviços de advogados. A proposta em estudo garante que todos os insumos passarão a gerar crédito, o que tende a aumentar o custo do governo federal, mas reduzirá os encargos e a burocracia para as empresas. A recomendação é não elevar a carga tributária, disse a fonte. A compensação para os cofres públicos viria com maior eficiência e mais facilidade para a Receita Federal fiscalizar.

A tarefa envolve ainda uma pressão sobre os estados para colocar fim à “guerra dos portos“, a partir de janeiro de 2013. A equipe econômica e técnicos do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) fecharam no começo da semana as bases para um acordo que regulamente a resolução aprovada pelo Senado em abril, que fixa em 4% a alíquota do ICMS sobre produtos importados. Segundo uma fonte, o acerto prevê uma alíquota de 4% para toda a cadeia produtiva, desde o estado importador ao destino final.

Governo bancaria perdas de estados

Com isso, no caso de um importador do Nordeste que comprar aço no exterior e vender o produto para uma fábrica de chapa de aço no Sudeste, por exemplo, terá que ser aplicada a alíquota de 4%, se ficar caracterizado que o produto final tem conteúdo importado superior a 40%.

– Toda etapa da cadeia será analisada para verificar a participação do insumo importado no processo produtivo – explicou a fonte.

Estados de Norte, Nordeste, Centro-Oeste, além do Espírito Santo, já cobram esse percentual como um incentivo para que a empresa importadora se instale em suas regiões. Já nos estados do Sudeste e do Sul, a alíquota é de 12%. Por essas regras, um importador acaba tendo direito a um crédito em outro estado.Segundo o secretário de Fazenda de Minas Gerais, Leonardo Colombini, não procedem as reclamações de que a resolução do Senado é de difícil aplicação, pois os sistemas hoje são informatizados. O Executivo pressiona os estados a reduzir o imposto a 4%, em um prazo de oito anos. E para isso, poderá bancar as perdas dos estados que fossem prejudicados.

Governo Dilma: reforma tributária – Link da matéria: http://oglobo.globo.com/economia/reforma-tributaria-pelas-beiradas-governo-quer-unificar-pis-cofins-6279339

Governo Aécio promove seminário que vai divulgar oportunidades de investimentos no Norte de Minas Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce

Divulgar oportunidades de investimentos e potencializar a atração de empreendimentos produtivos para as regiões Norte, Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce é o objetivo do Seminário “Oportunidades de investimento em Minas Gerais”. Promovido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Sede), através doInstituto de Desenvolvimento Integrado (Indi), em parceria com o Banco do Nordeste do Brasil (BNB), o evento será realizado nesta quarta-feira (10), no Espaço Minas Gerais, em São Paulo.

Governo Aécio Neves quer mostrar aos empreendedores, empresários e investidores, que apesar de tratar-se de uma área historicamente marcada pelo fraco dinamismo econômico e pelo baixo grau de integração a mercados, a região oferece muitas oportunidades para os mais diversos investimentos, um amplo mercado consumidor a ser conquistado, além de mão-de-obra barata, terrenos a preços competitivos, infraestrutura e, ainda, pertencente à Área Mineira da Sudene, o que possibilita diversos incentivos fiscais.

O evento, de característica exclusivamente empresarial, quer também promover e disseminar informações sobre Minas Gerais e as regiões de abrangência da Sudene no Estado. Para potencializar a atração de empreendimentos produtivos, o seminário pretende divulgar não só as linhas de crédito do BNB, mas também as do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) e, ainda, o apoio do Governo do Estado para a implantação de empreendimentos. O BDMG está trabalhando para a criação de linhas especiais de financiamento com recursos de fundos de desenvolvimento, com redutor da taxa de juros.

As regiões são contempladas pelo Projeto Estruturador “Promoção de Investimentos e Inserção Regional”, criado, cujo objetivo é promover a inclusão das áreas de baixo dinamismo no processo de crescimento estadual e assim reduzir as desigualdades. O trabalho é desenvolvido mediante a estruturação e desenvolvimento da cadeia de fornecedores e de infraestrutura, bem como a promoção da gestão ambiental sustentável. A Sede e o Indi também se comprometem a disponibilizar corpo técnico para suporte e auxilio no desenvolvimento das atividades de atração de investimentos, bem como na elaboração de estudos, programas e projetos que prometem mudar o discurso de terra sofrida para a terra das oportunidades, transformando o projeto em um momento de renascimento do Norte e Leste de Minas.

Oportunidades

Dentro da diversidade de oportunidades, merece destaque o projeto que prevê a primeira perfuração de poço com potencial para extração de gás natural na Bacia do Rio São Francisco, até o final de 2010, com aportes de R$ 17 milhões. Conforme a capacidade da reserva encontrada, a perspectiva é que o gás poderá ser comercializado dentro de cinco anos.

Também o setor de mineração tem atraído investimentos. A empresa Mineração Riacho dos Machados, subsidiária da canadense Carpathian Gold INC, com matriz em Toronto, assinou protocolo de intenções com o Governo de Minas para a extração de ouro na região Norte. O investimento de R$ 250 milhões deve gerar 400 postos de trabalho diretos e 800 indiretos. Já em fase de constituição, o Consórcio Corporativo Novo Horizonte desenvolverá um projeto que prevê a exploração de uma reserva de 12 bilhões de toneladas de minério de ferro, em uma área que abrange o território de 20 municípios no Norte de Minas.

Histórico

Com o objetivo de promover ações e melhorias planejadas para o Estado, em 2003 o Governo de Minas criou 33 projetos estruturadores. Com a reestruturação administrativa do Executivo mineiro ficou definido que a função da Sede é construir um ambiente de negócios favorável e atrativo aos investimentos produtivos; simplificar a relação do setor público com o setor privado; conferir maior agilidade e efetividade ao licenciamento ambiental; implementar promoção agressiva de investimento orientada para agregação de valor e implementar política inovadora e sustentável de fomento.

A partir dos projetos estruturadores sob sua responsabilidade, os objetivos da Sede são aumentar a participação do PIB mineiro no PIB nacional; ampliar a taxa média de investimento; aumentar a participação das exportações mineiras de produtos intensivos em tecnologia; aumentar a participação das exportações mineiras nas exportações brasileiras; melhorar a posição no ranking nacional de competitividade, e ampliar o número de empresas certificadas com ISO 9000 e 14001, além de elevar a participação das regiões Norte, Jequitinhonha, Mucuri e Doce no PIB mineiro.

O convite foi feito a cerca de 60 empresas, da carteira de clientes do BNB, fornecedores de empresas âncoras mineiras, estatais e das empresas instaladas nas regiões Norte, Jequitinhonha/Mucuri. Durante o seminário haverá um estande com técnicos dos bancos para eventuais atendimentos.

Programação:

08h30 – Credenciamento e café de boas vindas

09h00 – Abertura pelo Secretário de Desenvolvimento Econômico Sérgio Barroso

09h10 – Apresentação do Presidente do INDI Adriano de Magalhães Chaves

09h40 – Apresentação do presidente do BDMG Paulo Paiva

10h10 – Apresentação do Diretor de Negócios do BNB Paulo Sergio Rebouças Ferraro

10h40 – Coffee break

11h00 – Relato da experiência vivenciada pela Novonordisk pelo Vice-presidente Marcelo Zuculin

11h20 – Relato da experiência vivenciada pela Coteminas pelo Presidente Josué Gomes da Silva

11h40 – Debate

12h30 – Encerramento

O Espaço Minas Gerais – Centro de Negócios, Turismo e Cultura está localizado à rua Minas Gerais, 246 – São Paulo. O evento será realizado de 8h30 às 12h30.