• Agenda

    agosto 2019
    S T Q Q S S D
    « out    
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

  • Anúncios

Aécio defende união por um futuro melhor aos brasileiros

Aécio mostrou que é o candidato mais preparado, apresentou propostas em áreas fundamentais, desmascarou acusações e destacou ser o candidato da mudança.

Eleições 2014

Fonte: PSDB

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda BrasilAécio Neves, participou, na noite dessa terça-feira (12/10), de debate promovido pela Rede Bandeirantes. Em perguntas e respostas à presidente e candidata do PT, Dilma Rousseff, Aécio mostrou que é o candidato mais preparado, apresentou propostas em áreas fundamentais na vida do cidadão, desmascarou acusações falsas da candidata petista e destacou ser o candidato da mudança, por mais que a presidente Dilma defenda mudanças profundas em seu governo.

Veja abaixo os trechos da participação de Aécio no debate da Band:

Continuidade ou mudança

Este debate inaugura a fase final de uma campanha onde os brasileiros terão a oportunidade de dizer de forma muito clara o que querem para o seu futuro: a continuidade do que aí está ou uma mudança profunda. O Brasil avançou muito ao longo das ultimas décadas. Teve a estabilidade da moeda, conquistada no governo do PSDB, com uma ferrenha oposição do PT. Mas, de lá para cá, no governo do próprio presidente Lula, avanços sociais importantes vieram a partir dessa estabilidade, da modernização da nossa economia, da privatização de setores que necessitavam ser privatizados, da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Emoção

Esses últimos dias foram dias de muita emoção para mim e para toda a minha família. Há nove dias, mais de 30 milhões de brasileiros confiaram na nossa proposta de mudança, acreditaram que temos condições sim de reconciliar o Brasil com o seu futuro. Eu sou imensamente grato a cada um a cada uma desses companheiros.

Marina e Renata

De lá pra cá, várias forças políticas extremamente importantes se somaram a nós. Agradeço a cada uma delas, na figura de dois companheiros aqui presentes, Beto Albuquerque, candidato a vice de Marina Silva, e Walter Feldman, porta-voz da Rede. Mas quero agradecer a esse apoio que venho recebendo em todo o Brasil através de duas mulheres, duas brasileiras que honram e orgulham o Brasil. A você, Renata Campos, quero agradecer a singeleza, a forma extremamente leve e corajosa com que manifestou apoio à nossa candidatura. E a você, Marina [Silva], tenha absoluta certeza de que saberei a cada dia dos próximos quatro anos, se vier a ser o Presidente da República, honrar cada um dos compromissos que juntos assumimos.

Governo honrado e eficiente

Eu me preparei para fazer um governo honrado, um governo eficiente, que avance na qualidade da saúde pública, que enfrente com coragem o drama da criminalidade, que melhore a nossa qualidade da educação. Eu não permitirei que esse país seja dividido entre nós e eles. Eu quero fazer o governo da convergência, o governo da solidariedade, da generosidade. É possível, sim, termos um governo que permita que você viva melhor, que dê novas oportunidades para os seus filhos, que respeite as obras de outros governos. É para isso que eu me preparei e vou assumir a Presidência da República para honrar cada apoio e cada voto que vier a receber.

Conciliação

Venho aqui hoje representar não um partido politico, ou uma coligação de partidos. Mas um sentimento crescente na sociedade brasileira, que quer ver um governo conciliado com a nossa gente.  Um governo que olhe para o futuro, que seja generoso, que não caia nessa armadilha da divisão do Brasil entre nós e eles, entre Norte e Sul. Acredito muito que podemos ter um governo que una a eficiência com a decência. Um governo que tire o Brasil da lanterna de crescimento econômico e dos piores indicadores sociais de toda a nossa região. Estou aqui para apresentar as nossas propostas.

País parado

A grande verdade é que nos últimos quatro anos o Brasil parou de melhorar. Infelizmente, qualquer que seja o próximo presidente da República terá a inflação saindo do controle, uma recessão na economia, uma perda crescente de credibilidade do país e uma piora de todos os nossos indicadores sociais.

Candidata de oposição?

A impressão que tenho é que temos aqui dois candidatos de oposição. Não temos um candidato de continuidade. Quem vê a sua campanha acha que a senhora não governou o Brasil ao longo de todos esses anos. Lamento que não tenha feito ao longo do seu mandato o que se propõe a fazer agora.

Melhor saúde do Sudeste

Antes da regulamentação da emenda 29, que infelizmente o seu governo demorou muito a conduzir no Congresso Nacional, cada Estado definia com muita clareza quais eram os investimentos na saúde, como fizeram, por exemplo, os governos do PT. O governo da senhora, por exemplo, chegou num determinado momento a considerar os investimentos noBolsa Família como investimento em saúde. Minas Gerais é reconhecido pelo Ministério da Saúde no seu governo como o Estado que tem a melhor qualidade de saúde de toda região Sudeste.

Governo omisso na saúde

O governo federal vem diminuindo a sua participação ao longo dos últimos 12 anos do financiamento da saúde. Quando o governo do PT assumiu, 56% do conjunto dos investimentos em saúde pública vinham do governo federal. Doze anos se passaram e, hoje, são 45%.

Mais saúde

O que quero no Brasil é mais saúde, com mais investimento do governo federal. Essa proposta que a senhora apresenta do Mais Especialidades é a nossa proposta. Lamento que a senhora [candidata do PT] tenha preocupado com isso no momento em que seu governo termina. Não cuidou disso nos últimos 12 anos.

Saúde da Família e Santas Casas

Ministério da Saúde do governo [Dilma Rousseff] é quem diz que Minas Gerais, governada por mim, tem a melhor qualidade e atendimento de saúde de toda a região Sudeste. Vamos aumentar, por exemplo, o Programa Saúde da Família, que o seu governo abandonou, um programa extraordinário, criado no governo do presidente Fernando Henrique. Vamos formar mais médicos no Brasil. Vamos cuidar das Santas Casas, candidata, vamos reajustar a tabela do SUS, vamos cuidar com seriedade da saúde.

Bolsa Família

Os bons projetos estão aí para serem continuados. Ninguém é dono de bons projetos. O Bolsa Família vai continuar, porque vocês continuaram e unificaram, a partir do Bolsa Escola e do Bolsa Alimentação.

Plano Real

O maior programa de transferência de renda na nossa história contemporânea não foi o Bolsa Família, fruto do Bolsa Escola, do Bolsa Alimentação. Foi o Plano Real, a estabilidade da moeda, que vocês [do PT] combateram  com toda força.

Mais ovo, menos carne

Há mais de um ano venho alertando para a volta da inflação. A senhora [candidata do PT] tem dito que isso é conversa de pessimistas. A inflação de setembro está aí de volta, novamente uma inflação alta, estourando o teto da meta. O seu secretário de política econômica, Marcio Holland, deu uma sugestão para que nos enfrentemos a inflação. Ele disse que as pessoas deveriam parar de comer carne e passar a comer ovo. Será que essa é a política econômica para controle da inflação do seu governo? Será que não é a hora de reconhecer os equívocos? Não é vergonhoso alguém resolver admitir os erros, mostrar que falhou. Falhou na condução da economia, falhou porque não conseguiu fazer o Brasil crescer e falhou porque não consegui controlar a inflação.=

Inflação

Quando o presidente Fernando Henrique assumiu o governo, a inflação era de 916% ao ano. 916%! Ela chegou a 7% e aumentou para 12,5% depois da eleição do presidente Lula. Essa é a verdade. Vamos falar do presente, candidata, e vamos olhar para o futuro. A senhora disse no último debate que a inflação está sob controle. E não está. Eu pergunto à dona de casa que aí está. A senhora ir ao mercado, à feira, compra hoje a mesma coisa que comprava há seis meses com o mesmo dinheiro? É claro que não compra. É preciso ter humildade para admitir que fracassaram na condução da política econômica. A herança será muito ruim par ao próximo sucessor. Me sinto mais preparado para enfrentá-la.

Ministro da economia 

Felizmente, já tenho um nome que sinaliza para a previsibilidade, para a credibilidade da nossa política econômica. Mais uma grande diferença entre nós dois. Já tenho o meu futuro ministro da Fazenda. A senhora conseguiu demitir do cargo o atual ministro, que já não tinha tanta credibilidade, apesar de merecer o meu respeito pessoal.

Minha Casa, Minha Vida

Vamos dar transparência aos bancos públicos. Os subsídios adequados para o Minha Casa, Minha Vida vão avançar no nosso governo, inclusive na faixa onde seu governo não avançou, de até 3 salários mínimos. Vou dar transparência aos financiamentos, o que o governo não vem dando.

Melhor educação do Brasil

Educação é essencial para que qualquer país avance na busca de um futuro melhor. Um orgulho que tenho na vida foi ter levado Minas Gerais a ter a melhor educação fundamental do Brasil quando eu era governador, não sendo o mais rico dos Estados brasileiros e tendo o maior número de municípios entre todos os Estados brasileiros.

Ensino médio

Infelizmente, em todos os rankings internacionais, onde é avaliada a qualidade de educação no Brasil, estamos na lanterna. Falhamos na melhoria de qualidade do ensino médio. É preciso resgatar a qualidade da escola brasileira. É preciso que possamos fazer uma regionalização, uma flexibilização nos currículos, por exemplo, do ensino médio.

Creches

A nossa proposta para a educação começa exatamente por cumprir uma promessa que não foi cumprida pela candidata oficial: a construção das 6 mil creches ficaram pelo caminho. Temos que garantir a universalização do acesso das crianças de quatro anos na pré-escola.

Proteção à mulher

Me lembro quando essa discussão se iniciou, muito antes até do governo do presidente Lula. Foi um avanço extremamente importante que tem que ser mantido e aprimorado. Mas temos que avançar no apoio aos Estados e aos municípios que não têm tido a estrutura e a condição necessária ao enfrentamento da violência contra a mulher. Seja nos programas Disque-Denúncia, seja nas delegacia próprias, que temos que avançar. Tenho absoluta convicção de que temos como avançar muito no que diz respeito à proteção à mulher, a oportunidades para as mulheres terem um salário mais justo, mais próximo daqueles que têm os homens – estamos ainda extremamente longe disso.

Segurança Pública

Infelizmente, na questão da segurança pública também o governo fracassou, porque apenas 13% do conjunto dos investimentos em segurança pública no Brasil vêm do governo federal, 87% vêm dos Estados e dos municípios. A ausência de planejamento e de transferência dos recursos da área de segurança para os estados vem impedindo que eles avancem nessa e em outras áreas. Tenho uma proposta que proíbe o contingenciamento dos recursos de Segurança Pública, que pretendo implementar no meu governo. Não houve ao longo de todo esse período do seu governo um esforço maior para que os investimentos da área da segurança pública pudessem ser investidos na sua totalidade. Como não houve nasaúde, por exemplo. O Tribunal de Contas diz que nos governo foram R$20 bilhões que deixaram de ser gasto.

Redução da criminalidade

Durante meus 8 anos de governo honrado em Minas Gerais, os crimes de homicídio em Belo Horizonte diminuíram em 37%. Os crimes violentos no Estado diminuíram 48%. O Ministério da Justiça demonstrou que Minas foi o Estado que mais investiu em segurança pública dentre todos os estados da federação.

56 mil assassinatos

Foram 56 mil assassinatos no ano passado [no Brasil]. O governo federal o que diz? Terceiriza responsabilidades. Essa é a marca principal do seu governo. Na economia, problema é da crise internacional. Não importa se vários vizinhos nossos, países que habitam o mesmo planeta, estejam crescendo muito mais acelerado do que o nosso. Na segurança publica, é sempre a terceirização de responsabilidades. Quero dizer a você telespectador, que no meu governo eu vou assumir o comando de uma política nacional de segurança pública.

Meritocracia

Introduzi em Minas Gerais a meritocracia. Passamos a remunerar melhor aqueles que apresentavam melhores resultados. Essa foi a razão pela qual nós tivemos os resultados que tivemos, extremamente positivos na educação, na saúde. Infelizmente, nenhuma proposta no campo da valorização do servidor que presta serviço de boa qualidade foi incorporada no seu governo. Por que o governo federal, ao longo desses 12 anos, não buscou incorporar absolutamente nada que privilegiasse os serviços de boa qualidade nas suas propostas na área administrativa?

Indignação

Todos nós, brasileiros, acordamos a cada dia surpresos com novas denúncias. Em relação à Petrobras é algo absolutamente inacreditável.  Eu vi um momento apenas de indignação da candidata ao longo de todo esse período em que essas denúncias sucessivas chegaram aos brasileiros. O momento em que houve vazamento de alguns depoimentos desses últimos dias. Não vi indignação da candidata em relação ao conteúdo desses vazamentos. O diretor nomeado pelo seu governo está devolvendo R$ 70 milhões aos cofres públicos, portanto, assume que roubou, desviou dinheiro da Petrobras. Esse diretor que roubou esse dinheiro disse que distribuía para que partidos políticos – em especial o seu partido [PT] – fossem beneficiados.

Serviços prestados

Está na minha frente a ata em que o diretor Paulo Roberto renuncia, ao contrário do que a senhora [candidata do PT] disse na sua propaganda eleitoral e em outros debates, ele não foi demitido. Esse é a ata da Petrobras. E no final é dito o seguinte: ‘agradecemos o Sr. Paulo Roberto pelos relevantes serviços prestados à companhia. ‘Quero saber quais foram esses relevantes serviços? Foi a sua relação com o tesoureiro do partido [PT] onde, segundo ele, dois dos 3% desviados iam para o partido?

Propina

Recentemente, o Tribunal de Contas da União disse que na Refinaria Abreu e Lima, quando a senhora era presidente do conselho de administração da Petrobras, foi feito sobrepreço para pagar propina.

Libertação

Trago aqui a indignação dos brasileiros e brasileiras com os quais me encontro em toda as partes do Brasil, que me pedem que diga isso. Sabe qual a palavra, candidata, que eu mais tenho ouvido? É libertação. Os brasileiros têm me pedido é o seguinte: Aécio nos liberte desse governo do PT. Nós não merecemos tanta irresponsabilidade, tanto descompromisso com a ética e tanta incompetência.

Medo

Candidata, a senhora volta com o discurso do medo. Realmente, há medo hoje na sociedade brasileira. Há medo de o PT governar por mais quatro anos. Porque a grande verdade é que os empregos estão indo embora por uma lógica muito simples. País que não cresce não gera empregos, candidata. O pior desempenho da indústria de todos esses últimos 50 anos, candidata. O que vou fazer é resgatar a credibilidade do país.

Fim melancólico

Não é razoável que sejamos o lanterna no crescimento ao lado da Venezuela, esse ano na nossa região. Não vamos crescer nada esse ano. O seu governo, candidata, infelizmente perdeu a capacidade de atrair investimentos. Perdeu a confiança dos mercados. Quando falo em mercados é porque esses investimentos é que vão gerar empregos para os brasileiros. Os empregos de boa qualidade estão indo embora, candidata. O seu governo chega ao final de forma melancólica. A grande verdade é essa. Fracassou na condução da economia, inflação alta, crescimento baixo, fracassou na melhoria dos nossos indicadores sociais.

Anúncios

Anastasia: investimentos em cultura

Governador de Minas anunciou R$ 400 milhões em investimento e uma série de intervenções na melhoria dos aparelhos culturais.

Investimento em cultura e identidade mineira

Fonte: Agência Minas 

Cultura ganha impulso em Minas com anúncio de novas ações e obras em andamento

Governador Anastasia anunciou a doação de um importante acervo artístico e o início das obras da nova Escola de Design da Uemg, dentre outras novidades

Representantes da classe artística de Minas se reuniram nesta segunda-feira (17), no Palácio da Liberdade, para celebrarem as conquistas e novidades para o setor cultural no Estado. Entre elas estão o início das obras da Escola de Design da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg), no antigo prédio do Ipsemg, anunciado pelo governador Antonio Anastasia, e a doação do Acervo Artístico Priscila Freire à Uemg.

Acompanhado pela secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, o governador Antonio Anastasia comemorou ainda, com a categoria, a apresentação do Projeto Centro de Ensaios Abertos (Cena) – Prédio Verde, mais um equipamento a integrar o Circuito Cultural Praça da Liberdade. Além de premiar os vencedores dos programas Filme em Minas eCena Minas, o Governo do Estado divulgou o andamento das obras, anunciadas em setembro de 2013, na Fundação Clóvis Salgado (FCS)Circuito Cultural Praça da Liberdade, Minas Patrimônio Vivo e Estação da Cultura Itamar Franco. O valor global dos investimentos na área da cultura é da ordem de R$ 400 milhões em 2013 e 2014.

“Estamos dando continuidade a um ambicioso programa de investimentos na área cultural. Ao longo do ano passado e deste ano, serão cerca de R$ 400 milhões alocados no segmento cultural. E isso é muito importante, porque sabemos que a cultura não só tem um valor econômico fundamental na geração de empregos, no fortalecimento e no estímulo ao turismo, mas também porque significa e simboliza algo muito importante para nós mineiros, que é a nossa identidade cultural, a nossa trajetória histórica, que se consagra na cultura mineira tão valorizada”, afirmou Anastasia.

Governo de Minas adota medidas que, segundo o governador, vão levar cada vez mais a uma consolidação do polo cultural mineiro. “São investimentos na reforma e na melhoria do Palácio das Artes, da Fundação Clóvis Salgado, na área do patrimônio histórico, no Circuito Cultural Praça da Liberdade, inclusive com a reforma do prédio que será sede da Escola de Design da Universidade do Estado de Minas Gerais. Há também o anúncio de uma importante doação de acervo cultural para a Escola Guignard. Temos ainda, premiações culturais igualmente relevantes, inclusive o Filme em Minas, que terá mais uma edição em 2014. Só aí, são R$ 4 milhões a mais. Vários outros editais estão sendo lançados e estamos conseguindo apresentar um ponto muito positivo para o desenvolvimento cultural de Minas Gerais”, ressaltou Anastasia.

Ao lado do reitor da Uemg, Dijon Moraes, o governador destacou a importância das obras artísticas doadas à Universidade do Estado de Minas Gerais. No Acervo Artístico Priscila Freire constam pinturas, desenhos, gravuras, esculturas, cerâmicas do Vale do Jequitinhonha e tapeçarias de renomados artistas, como Alberto da Veiga Guignard, Tarsila do Amaral, Irma Lessa, Aldemir Martins, GTO e outros.

Reforços para o Circuito Cultural

Para a implantação da Escola de Moda e Design da Uemg, no antigo prédio sede do Ipsemg, na Praça da Liberdade, o Governo de Minas vai investir R$ 30 milhões. O espaço vai abrigar os cursos de Design de Produto, Design Gráfico, Design de Ambiente, Artes Visuais, Design de Modas. Está prevista a realização de cursos profissionalizantes, abertos à comunidade, e de especialização e doutorado. Pelo menos um novo curso, o de Design de Moda, deve ser criado com cerca de 300 vagas. As obras devem ser concluídas em 2016. No ano que em completa 25 anos de atividades, foi publicado, no último dia 4, o edital de licitação para a primeira fase de construção do Campus-BH da Uemg, compreendendo obras de infraestrutura e de instalação de duas unidades: a Escola de Música e a Faculdade de Educação. Os investimentos são da ordem de R$ 74 milhões.

Outra novidade para integrar o Circuito Cultural Praça da Liberdade é o Centro de Ensaios Abertos (Cena). As obras para implantação, na antiga sede da Secretaria de Viação e Obras (Prédio Verde), tem previsão de início no próximo semestre. Prevê a adaptação do edifício para acolher o maior número possível de grupos e artistas do teatro, dança, música e multimídia, para realizarem seus ensaios, experimentos e processos criativos.

Serão 25 salas de ensaios, além de um palco com todas as condições técnicas para a realização de testes de iluminação e de cenografia. O espaço abrigará também o Centro de Referência das Artes Cênicas, com um rico acervo bibliográfico, videográfico e espaço para pesquisa das Artes Cênicas de Minas Gerais. As obras serão concluídas em 2016.

Detalhamento de obras

No encontro, a Secretaria de Cultura detalhou a situação das obras anunciadas em setembro passado para melhoria da infraestrutura de alguns dos mais importantes redutos da cultura em Minas Gerais, como a Fundação Clóvis Salgado, o Circuito Cultural, a Estação da Cultura e do Minas Patrimônio Vivo.

“Esta solenidade de hoje é um grande momento de compartilhar com a classe cultural e com a sociedade os avanços na cultura e o estágio de desenvolvimento dos principais programas e projeto. Apresentamos um recorte do que o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, vem fazendo há três anos: descentralizando as políticas públicas para todas as dez macrorregiões do Estado, revitalizando e zelando pelo patrimônio cultural, fomentando toda a cadeia produtiva da cultura e contemplando os mais diversos segmentos artísticos que se encontram em plena efervescência no Estado de Minas Gerais”, afirmou a secretária Eliane Parreira.

Palácio das Artes e a Serraria Souza Pinto passam por obras de revitalização de suas instalações para otimizar o acesso do público. Estão sendo feitas reformas nas fachadas e piso e intervenções elétricas, entre outras. Já foram concluídas as obras do Cine Humberto Mauro, que teve as cadeiras e piso substituídos e o sistema de som reestruturado.

Com relação ao Minas Patrimônio Vivo, o programa está investindo na recuperação de igrejas, casarões, fazendas e prédios tombados pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha) em diversas regiões do Estado. Alguns exemplos são o Museu Casa Alphonsus de Guimaraens, em Mariana, iluminação de monumentos em Tiradentes, Fazenda Boa Esperança em Belo Vale, restauração de acervo composto por 19 imagens religiosas de nove municípios.

Outra obra de destaque é a Estação da Cultura Presidente Itamar Franco, conjunto arquitetônico que abrigará uma sala para concertos sinfônicos e a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, além dos edifícios-sede da Rádio Inconfidência e da Rede Minas de Televisão. As obras foram iniciadas em março de 2013. A abertura ao público será na temporada 2015 da Orquestra Filarmônica.

Já no Circuito Cultural Praça da Liberdade, está sendo iniciado o projeto de revitalização da iluminação da Praça da Liberdade e substituição e ampliação de postes de luz na região da Alameda Travessia e fontes da praça. Início de projeto no 1º trimestre de 2014 e conclusão da obra em dezembro de 2015. Também será iniciado o processo de reforma do Anexo Biblioteca Luiz de Bessa, do Museu Mineiro e do Centro de Informação ao Visitante (Rainha da Sucata), além do Arquivo Público Mineiro.

Cultura premiada

Além dos anúncios que contemplam equipamentos culturais, foram premiados os artistas vencedores das últimas edições de dois importantes programas de estímulo voltados à arte mineira: o Filme em Minas e o Cena Minas. O Filme em Minas, Programa de Estímulo ao Audiovisual, é uma das mais conceituadas iniciativas de incentivo à produção audiovisual no Brasil. Realizado por meio de parceria entre a Secretaria de Estado de Cultura e a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), é realizado bienalmente. Em seis edições, já contemplou 174 projetos, com aporte superior a R$ 21,5 milhões.

Dos 31 projetos contemplados nesta edição, os artistas que representam a classe e receberam a premiação das mãos do governador Antonio Anastasia são Marília Rocha, ganhadora na categoria de Produção de Longas-Metragens pelo projeto “A Cidade onde Envelheço”, e Rodrigo Carneiro, ganhador na categoria de Produção de Curtas e Médias-Metragens pelo projeto “Copyleft”.

O Edital 2014/2015 do Filme em Minas terá inscrições abertas em abril de 2014. Serão repassados R$ 4 milhões a projetos em seis categorias: Produção de longas-metragens, Finalização e distribuição de longas-metragens, Curtas e médias-metragens, Formato livre e Publicações, preservação e memória.

Cena Minas foi criado pelo Governo de Minas para incentivar as produções de teatro, dança e circo. Na 6ª edição do prêmio, foram distribuídos mais de R$ 1,6 milhão em prêmios a 54 projetos. Os projetos, cujos prêmios foram entregues pelo governador são Manutenção do Instituto Cultura In-cena (Teatro/Teófilo Otoni), Espaço, Ação e Continuidade (Dança/Belo Horizonte) e Circulando sob Lona para Todos (Circo/Muriaé).

Desde sua criação, o prêmio contemplou 235 projetos, com investimento de mais de R$ 7,6 milhões. Grande parte dos projetos tem sua execução preferencialmente realizada no interior do Estado, sendo uma média de 116 cidades contempladas, por edição, com ações do prêmio. Nesta 6ª Edição, o número de premiados aumentou de 45 para 54 grupos de teatro, dança e circo, com aporte de R$ 1,7 milhão em prêmios; ou seja, um aumento de mais de 27% em relação a 5ª edição no valor e 20% em relação à quantidade de prêmios distribuídos.

Choque de Gestão: 11 anos que mudaram Minas

Choque de Gestão: De 2002 a 2010, MG teve o maior aumento percentual dentro da economia brasileira. Passou de 8,6% do PIB para 9,3%.

Gestão Pública Eficiente

Artigo do presidente do PSDB-MG, deputado federal Marcus Pestana

Onze anos que mudaram Minas

Daqui a pouco mais de um mês estaremos completando 11 anos da posse de Aécio Neves como governador de Minas. Poucos governos em nossa história transformaram de maneira tão profunda a realidade. Na boa trilha de João Pinheiro e JK, construiu-se um ambiente caracterizado por mudanças consistentes nas políticas sociais e na infraestrutura para o desenvolvimento. O governadorAnastasia, figura central nos dois primeiros mandatos, garantiu a continuidade do projeto, avançando e inovando.

As políticas públicas não devem ser julgadas pela retórica oficial nem pelas intenções dos atores em cena, mas por seus resultados. Cabe registrar que o ciclo governamental liderado por Aécio e Anastasia iniciou-se a partir de uma gravíssima crise fiscal. Não há êxito só a partir de boas ideias e boa capacidade de gestão. Sem um padrão de financiamento saudável, não há programa de investimento e qualidade possíveis. O déficit orçamentário anual de R$ 2 bilhões resultava em atrasos com fornecedores e servidores. O equilíbrio fiscal foi alcançado já em 2004 através da estratégia que ficou conhecida como choque de gestão. O ajuste fiscal e a modernização da estrutura governamental não eram um objetivo em si. Visavam preparar o terreno para grandes avanços nos setores essenciais que afetam o cotidiano da população mineira.

Hoje é possível olhar para trás e aquilatar os fantásticos resultados colhidos pela gestão estadual com o apoio da sociedade mineira.

Um bom termômetro da qualidade da gestão mineira é o nível de investimento. A baixa taxa de investimento (18,5% do PIB) é uma das grandes responsáveis pelo voo de galinha da economia brasileiraMinas, no entanto, fez sua parte. Em 2002, o governo de Minas investia apenas R$ 775 milhões. Em 2012, esse número havia saltado para R$ 3,1 bilhões. Um crescimento de 310% contra uma inflaçãono período, medida pelo IPCA, de 61,6%. Mais do que Rio de Janeiro (238%), Rio Grande do Sul (188%) e Paraná (56%). Os créditos internacional e interno foram recuperados e os salários, colocados em dia.

A economia mineira acompanhou o bom desempenho dos investimentos públicos estaduais. De 2002 a 2010, Minas teve o maior aumento percentual dentro da economia brasileira. Passou de 8,6% do PIB brasileiro para 9,3%. Rio de Janeiro, São Paulo e a região Sul viram decrescer sua fatia no conjunto de riquezas produzidas no Brasil. Mesmo sendo Minas uma síntese do país, com enormesdesigualdades regionais, saímos do 12º lugar para o nono lugar no PIB per capita.

Consolidamos nossa posição privilegiada no agronegócio, fortalecendo a posição de maior produtor de café, leite, batata, reflorestamento e equinos. Também cristalizamos nossa liderança na indústria de bens intermediários, tais como cimento, ferro, aço, laminados e fosfato.

Nas próximas semanas, prosseguiremos na avaliação das políticas públicas estaduais que foram revolucionadas em Minas nos últimos 11 anos.

Governo Anastasia: Banco Mundial (Bird) libera US$ 461 milhões para investimentos no estado

Bird libera US$ 461 mi para o Estado

Fonte: Diário do Comércio

Washington – O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, e a vice-presidente para a América Latina e Caribe do Banco Mundial, Pamela Cox, assinaram na última sexta-feira, em Washington, nos Estados Unidos, contrato de financiamento no valor de US$ 461 milhões.

Os recursos serão aplicados nos programas sociais do governo do Estado, com destaque para os projetos de redução da pobreza no Norte de Minas e vales do Jequitinhonha e Mucuri. O objetivo é ampliar ainda mais as ações que vêm mudando a realidade social das regiões mais pobres, com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) em Minas. De 2003 a 2009, as ações do governo do Estado permitiram que o índice de pobreza da população reduzisse de 26,7% para 14,3%.

“É um momento de muita alegria para o Governo de Minas e para os mineiros. Estamos aqui consagrando uma grande operação com o Banco Mundial para investimentos nos projetos estruturadores de Minas Gerais. Essa parceria com o Banco Mundial já não é de hoje. Desde o início do Governo Aécio Neves, estamos nesta próxima sintonia com o banco e recebemos de maneira extremamente rara apoio do Banco Mundial para alocarmos recursos nos nossos projetos sem necessidade de contrapartida”, afirmou Anastasia.

A prioridade dada por Anastasia e pelo ex-governador Aécio Neves em investir nas regiões de baixo IDH trouxe resultados concretos na área social. A taxa de desnutrição no Norte de Minas, por exemplo, registrou queda de 55% entre 2003 e 2009. Já a taxa de mortalidade infantil reduziu 10,4% na mesma região, entre 2002 e 2007.

Na área de educação, houve aumento de 62,4% na proporção de alunos de oito anos com nível recomendável de leitura, entre 2006 e 2009, apontado pelo Programa de Avaliação da Alfabetização (ProAlfa), que mede o nível de escrita e leitura no 3º ano do ensino fundamental. Já nos vales do Jequitinhonha e Mucuri, o aumento foi de 87,2% no mesmo período.

Água tratada – No saneamento básico, o governo estadual criou, em 2007, a Copasa Serviços de Saneamento Integrado do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Copanor), subsidiária da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) que fornece água tratada, com tarifas reduzidas, para consumidores do Norte de Minas. Já são 134 mil pessoas atendidas em 64 localidade, com cerca de 37 mil ligações.

O financiamento de US$ 461 milhões assinado na última sexta-feira pelo governador Antonio Anastasia é o terceiro contrato sem a exigência de contrapartida financeira por parte do Estado. Nesta inovadora modalidade, a contrapartida estipulada pelo banco foram metas e resultados em áreas sociais e de gestão no Estado, como a redução de mortalidade e melhoria dos índices de alfabetização.

Em 2006, o então governador Aécio Neves assinou com o Bird o primeiro contrato nesta modalidade firmado pelo banco com um estado brasileiro, no valor de US$ 170 milhões para programas de infraestrutura, saneamento e modernização da administração fiscal do Estado. Já o segundo, firmado em 2008, no valor de US$ 976 milhões foi direcionado para segurança pública, saúde e infraestrutura viária. Os novos financiamentos nesta modalidade só foram firmados pelo cumprimento das metas.

Governador Antonio Anastasia recebe representantes da Força Sindical de Minas Gerais

Governador Antonio Anastasia se encontrou com representantes da Força Sindical

Governador se encontrou com representantes da Força Sindical

O governador Antonio Anastasia recebeu, nesta terça-feira (1º), no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, representantes da Força Sindical de Minas Gerais. Durante o encontro, o presidente da associação, Rogério Fernandes, e demais líderes sindicais apresentaram ao governador as principais demandas dos trabalhadores mineiros, dentre elas a padronização dos pisos salariais no Estado, incentivos para a qualificação da mão de obra e uma participação maior dos representantes sindicais nos Conselhos Institucionais do Estado. Eles também explicitaram a necessidade de destacar a importância do movimento sindical mineiro para o cenário nacional.

Antonio Anastasia ressaltou o empenho do Governo de Minas em melhorar as condições de trabalho em Minas Gerais, com a geração de empregos de qualidade. “Vamos investir mais na capacitação profissional e o Governo de Minas está de portas abertas e preparado para melhorar as condições de trabalho em Minas Gerais”, disse.