• Agenda

    agosto 2020
    S T Q Q S S D
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Conversa com os Mineiros: Aécio defende fábrica de amônia

Conversa com Mineiros: Aécio lembrou que fábrica será viabilizada em razão dos esforços feitos pelo governo de Minas nos últimos anos.

Conversa com os Mineiros: desenvolvimento

Aécio confiante em instalação da fábrica de amônia em Uberaba

Senador participou de Conversa com os Mineiros, evento da base aliada em Minas realizado no Triângulo Mineiro

presidente do PSDB, senador Aécio Neves, afirmou, nesta segunda-feira (28/10), estar convencido de que a fábrica de amônia será construída em Uberaba, no Triângulo Mineiro. A declaração foi dada em entrevista coletiva após o evento Conversa com os Mineiros, em Uberlândia, que contou com a presença do governador Antonio Anastasia e de lideranças do PSDB e de dez partidos aliados no Estado.

Aécio Neves lembrou que a fábrica de amônia será viabilizada em razão dos esforços feitos pelo governo de Minas nos últimos anos e afirmou estar confiante no entendimento entre os governadores Anastasia e Geraldo Alckmin, de São Paulo, para construção do gasoduto que ligará o interior de São Paulo ao Triângulo Mineiro, permitindo a instalação da fábrica.

“Foi uma negociação ampla conduzida por nós. O governo federal demorou muito a dar esta autorização e espero que possamos, em um entendimento de alto nível, do governador Anastasia e do governador Alckmin, ter rapidamente o anúncio do início da construção da fábrica. O importante é voltar ao passado e lembrar: só está sendo viabilizada essa fábrica porque o governo de Minas assumiu o compromisso com a construção do gasoduto. Achava inclusive que poderia ser feito pela própria Petrobras. Assumi esse compromisso, o governador Anastasia está honrando, e por isso estou convencido que a fábrica de amônia vem para Uberaba”, afirmou.

Histórico

Petrobras para instalação da fábrica foram iniciadas no governo Aécio Neves. A construção do gasoduto, no entanto, dependia de autorização do Ministério das Minas e Energia e da Agência Nacional de Petróleo, decidida apenas em julho passado.
A fábrica em Minas possibilitará o fornecimento de amônia para ambos os estados, mas também para Goiás, Mato Grosso e Tocantins. Como o gasoduto será feito pela empresa estatal mineira Cemig, sua construção depende de acordo entre os governos estaduais.

“Esta negociação para o gasoduto começou no meu governo, em 2008 e 2009, com objeção forte da Petrobras. Faço aqui uma homenagem ao ex-presidente José Alencar, que foi importante para que esta decisão fosse tomada. Mas só foi tomada porque assumi o compromisso, e o governador Anastasia está honrando, de a Cemig participar da construção do gasoduto. Se não, não teríamos sequer a possibilidade da fábrica de amônia vir para Uberaba”, afirmou Aécio Neves.

Governador Anastasia autoriza projeto para implementar gasoduto no Vale do Rio Doce

Governador Antonio Anastasia autoriza elaboração de projeto para implantação de gasoduto no Vale do Rio Doce

Fonte: Coligação Somos Minas Gerais

Com investimentos de R$ 150 milhões, gasoduto permitirá aumento da oferta de energia para desenvolvimento econômico e social de Governador Valadares e região

O governador Antonio Anastasia atendeu duas reivindicações históricas da região do Vale do Rio Doce. Durante visita a Governador Valadares, neste domingo (18/07), ele autorizou a elaboração do projeto básico para a extensão do gasoduto do Vale do Aço, entre o município e Belo Oriente. O ramal terá 80 km de extensão e demandará investimentos de cerca de R$ 150 milhões.

O gasoduto ampliará a oferta de energia para atender projetos de empresas privadas, contribuindo para melhoria da infraestrutura e o desenvolvimento econômico e social da região.

Outra importante conquista para o município foi a autorização para iniciar o processo de licitação das obras de pavimentação do acesso à penitenciária Nova Floresta – localizada no entroncamento da BR-381, no Distrito de Nova Floresta. A obra faz parte do programa Caminhos de Minas e está estimada em R$ 17,65 milhões. O governador ainda participou do encerramento da 41ª Exposição Agropecuária (Expoagro), no Parque de Exposições José Tavares Pereira.

“O Governo de Minas, ao longo dos últimos oito anos, tem se esforçado para melhorar a infraestrutura de Governador Valadares. Já implantamos projeto como o programa Travessia, Poupança Jovem, além de importantes investimentos na área de segurança. Com o gasoduto, vamos ter disponibilidade para atrair mais empresas para o município”, afirmou Antonio Anastasia.

Governo Aécio Neves apoia extensão de gasoduto até Governador Valadares

A extensão do gasoduto de Belo Oriente, no Vale do Aço, até Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, foi o principal compromisso assumido pelo Governo Aécio Neves por meio da fala do secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Sergio Barroso, durante o “Encontro para avaliação de investimentos no Vale do Rio Doce”, realizado nesta quinta-feira (12), na sede Regional da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), em Governador Valadares.

Sergio Barroso explicou à prefeita Elisa Costa e a lideranças políticas, empresariais, parlamentares, entidades da sociedade civil e instituições públicas da região, que participaram do evento, que, pessoalmente, fará gestões junto à diretoria da Vale (antiga Companhia Vale do Rio Doce) para que transforme suas locomotivas que transitam pela região em máquinas movidas a gás. “Apenas essas locomotivas demandariam um consumo superior a 200 mil metros cúbicos diários, o que viabilizaria a extensão do gasoduto, que somados a mais cerca de 40 a 50 mil metros cúbicos/dia de gás, demanda atual da cidade, já justificaria em 100% a extensão do gasoduto”, destacou. Lembrou que a oferta de gás natural é parte dos projetos estruturadores do Governo Aécio Neves, inserido no “Programa Gestão Estratégica dos Recursos e Ações do Estado”.

Estudos da Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig) já identificaram que o gasoduto necessita investimento de cerca de R$ 150 milhões, o que exigiria uma demanda mínima de 500 mil metros cúbicos diários. No entanto, o secretário de Desenvolvimento Econômico garantiu que, dentro da perspectiva do Governo Aécio Neves de priorizar o desenvolvimento social e sustentável, não medirá esforços para viabilizar a reivindicação da prefeita de Governador Valadares que, com o evento, deu o pontapé inicial.

Os representantes da região reafirmaram a importância do gasoduto para a indução do desenvolvimento regional, considerado fundamental para atração de novas indústrias para Governador Valadares e para a expansão das indústrias já existentes. “Sem o gasoduto, poderá ser desestimulada a expansão industrial e ocorrer evasão de empresas da região, em busca de energia mais barata”, destacou Elisa Costa.

A prefeita garantiu que estudos detalhados de custos operacionais por quilômetro linear da tubulação entre Belo Oriente e Governador Valadares demonstra que a topografia do trecho favorece a obra. Por isso, segundo ela, “a cidade considera inaceitável a finalização das obras do gasoduto em Belo Oriente, pois esse fato implica na perda de oportunidade e desestímulo para a economia regional”.

O encontro foi promovido pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento, com o objetivo de apresentar propostas de atividades econômicas em parceria com o Governo de Minas para implementar o desenvolvimento regional. O que segundo a prefeita Elisa Costa, “só acontecerá com a atração de um grande investimento de capital, capaz de impactar não só o município, mas toda a região”.

Além de Barroso, a Sede esteve representada no encontro pelos subsecretários de Indústria e Comércio, Marilena Chaves; de Desenvolvimento Minerometalúrgico e Política Energética, Paulo Sérgio Ribeiro; e de Assuntos Internacionais, Luiz Antônio Athayde. Também participaram do Encontro para Avaliação de Investimentos no Vale do Rio Doce, o presidente do Indi, Eduardo Lery, e o diretor Athos Avelino; o diretor do BDMG, Fernando Lage; e o diretor da Gasmig, Décio Abreu.

Desenvolvimento Regional

A prefeita Elisa Costa destacou que o Vale do Rio Doce precisa de uma base de crescimento econômico dinâmico, ou seja, produtividade, agregação de valor e expansão do emprego e renda. “A realidade local e regional somente será modificada se o processo de mudança for assumido pelo conjunto das lideranças e se houver um projeto estruturante que contribua para devolver o dinamismo econômico”, acrescentou.

Mais uma vez, o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico ofereceu para que o Governo Estadual seja parceiro daquela microrregião na busca de um projeto estruturante para o desenvolvimento local e regional. Convidou Elisa Costa e lideranças municipais para uma reunião nos próximos dias, em Belo Horizonte, quando delinearão as prioridades dos projetos e será iniciado um trabalho conjunto sobre o funcionamento de Arranjos Produtivos Locais (APLs).

O Vale do Rio Doce tem potencial para desenvolver APLs de gemas, confecções, estudo de potencialidade da fruticultura, estudo de prospecção mineral, pólo processador de rochas ornamentais, polo cerâmico – beneficiador e fatiador de granito.

Reconheceu que outra reivindicação, a implantação do Instituto Regional de Desenvolvimento Integrado, tendo como modelo o Indi, que oferece infraestrutura e capacidade técnica para elaboração de grandes projetos de desenvolvimento, poderá ser uma iniciativa de grande importância, mas que isto não impede o início da execução de projetos urgentes, que serão assessorados pelo órgão.

Sergio Barroso lembrou que, além de Governador Valadares ser a maior cidade da região, distante pouco mais de 300 Km de Belo Horizonte, já conta com um sistema de ensino superior representativo e em pleno crescimento, além de completa infraestrutura de energia, comunicação e transporte, especialmente, logística da Vale. Além do mais, acrescentou, a região tem disponibilidade de terras e oferece potencialidades para a construção de Pequenas Centrais Hidrelétricas, expansão do parque de mineração, de siderurgia e de celulose.

Novo Grupo

O secretário esclareceu que o Governo de Minas continua em negociação com a Aracruz Celulose, que em função da crise internacional no ano passado foi obrigada a adiar seu investimento de R$ 8,6 bilhões, para implantação de duas unidades industriais, para fabricação de celulose branqueada de eucalipto, além da aquisição de terras para plantio de eucalipto e áreas para preservação ambiental.

Anunciou que a Sede está em contato com o Grupo Suzano, do mesmo setor, que tem interesse de investir em Minas Gerais e que pode ser uma alternativa de investimento para Governador Valadares.

Investimentos na região

Além dos investimentos públicos e privados da ordem de R$ 16,19 bilhões já programados para a região do Vale do Rio Doce para o período 2003-2010, o secretário Sérgio Barroso chamou a atenção para a preocupação do Governo de Minas em atrair novos investimentos e elevar os níveis de produtividade. “É preciso lembrar que estamos trabalhando para ampliar os investimentos voltados para o crescimento das exportações, visando ao aproveitamento dos nichos de mercado no exterior. No caso de Governador Valadares, não mediremos esforços para a modernização e competitividade do segmento industrial de gemas e jóias”, disse.

Governador Valadares respondeu por 25,3% das exportações de pedras preciosas e semipreciosas de Minas Gerais. É um dos principais exportadores – 22,5% das exportações – de demais pedras e metais preciosos do Estado. Em 2008, o município exportou US$ 24,03 milhões, valor 26,43% maior do que o exportado em 2007 (US$ 19 milhões). Setenta e cinco empresas do município realizaram exportações no período. Dessas apenas três exportaram entre US$ 1milhão e 10 milhões, as demais venderam até US$ 1 milhão.

Entre janeiro e setembro de 2009, município exportou US$ 13,82 milhões, valor 29,75% menor que o verificado em igual período de 2008 (US$ 19,69 milhões). Valor equivale a 0,1% do total exportado por Minas Gerais. Dentre os principais produtos exportados pelo município, destacam-se: pedras preciosas, semipreciosas e ferro fundido. Em conjunto, estes produtos representaram mais de 94,3% do total exportado. Os principais destinos das exportações de Governador Valadares são Estados Unidos, Coréia do Sul, Hong Kong, China e Alemanha.

Governo de Aécio Neves estuda implementação de gasoduto no triângulo mineiro

O Governo de Aécio Neves, por meio da Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig), está iniciando negociação com a Petrobras para a instalação de um ramal do gasoduto Bolívia-Brasil, no Triângulo Mineiro. O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Sérgio Barroso, disse nesta terça-feira (19), em entrevista no Palácio da Liberdade, que a Gasmig está trabalhando num projeto que será entregue à Petrobras.

“Vamos mostrar que a Gasmig tem total condição de comprar todo o gás necessário para que a Petrobras tenha incentivo para colocar o gasoduto no Triângulo. Vamos apresentar que existe toda a capacidade técnica e econômica. Esse gasoduto tem uma rota não muito complexa de ser construída. E também já temos o comprador do gás”, disse o secretário, se referindo à Fosfertil, que pretende investir R$ 2 bilhões em uma nova fábrica de amônia e uréia, no Triângulo Mineiro, e que tem o gás natural como principal matéria-prima. A instalação do novo ramal de gasoduto levará entre 18 e 24 meses. “Para uma obra de infra-estrutura, não é um prazo grande”, disse o secretário.

Expansão

Em março deste ano, o governador Aécio Neves e a diretoria da Gasmig assinaram ordem de serviço para o início da segunda etapa de implantação do gasoduto no Vale do Aço. Estão sendo investidos R$ 635 milhões na construção de 278 quilômetros de rede subterrânea, entre os municípios de Ouro Branco e Belo Oriente. Durante as obras, que deverão durar um ano, serão gerados 2 mil empregos.

O Gasoduto do Vale do Aço é a principal obra do plano de expansão da Gasmig. A rede parte da derivação do gasoduto de transporte Rio-Belo Horizonte (Gasbel), no município de São Brás do Suaçuí. Na primeira etapa, concluída em 2006, foram construídos 53 km de duto entre São Brás do Suaçuí e Ouro Branco, atendendo também a Conselheiro Lafaiete, Congonhas, Ouro Branco e parte de Ouro Preto.

A Gasmig iniciou a implantação, em 2008, de um plano de expansão que levará a empresa a alcançar, em 2010, um incremento superior a 100% em malha de gasodutos e volume de distribuição de gás natural. Investimentos da ordem de R$ 1 bilhão permitirão à companhia ampliar a extensão de sua rede de distribuição (gasodutos), dos atuais 389 quilômetros, para 860 quilômetros. O volume de distribuição, que em 2008 foi de 600 milhões de metros cúbicos (excluindo o fornecimento às usinas termelétricas), saltará, em 2010, para 1,240 bilhão.

Criada em 1986, a Gasmig é a concessionária de distribuição de gás canalizado do Estado de Minas Gerais e controlada pela Cemig. A empresa está presente em 22 municípios mineiros, contando com 270 clientes, entre indústrias de pequeno, médio e grande portes; 90 postos de abastecimento de gás natural veicular (GNV); e duas usinas termelétricas (Ibirité e Juiz de Fora). O faturamento, em 2008, foi da ordem de R$ 700 milhões, com um lucro líquido de R$ 85,4 milhões. A companhia comercializa atualmente 1,6 milhão de m³/dia de gás natural.