• Agenda

    dezembro 2019
    S T Q Q S S D
    « out    
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Cemig corre contra o tempo para aprovar venda da Gasmig

Luta para fábrica de amônia

Fonte: Estado de Minas

Força-tarefa pela venda da Gasmig

Aliados correm para convencer Legislativo de que operação é a saída para fábrica de amônia da Petrobras em Minas

Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e o governo do estado correm contra um tempo exíguo e que esbarra no ritmo das eleições para tentarem aprovar a venda do controle acionário da Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig), subsidiária da Cemig. O ingresso de um sócio privado majoritário na Gasmig é a única opção, segundo o presidente da CemigDjalma Morais, para a implantação do gasoduto orçado em R$ 2 bilhões que atenderá a fábrica de amônia da Petrobras, com obras iniciadas em Uberaba, no Triângulo mineiro.

Se o aval do Legislativo não sair até 15 de agosto, dificilmente o negócio poderá ser  concretizado em prazo hábil para a entrega do insumo dentro de dois anos e meio, quando a unidade industrial entrará em funcionamento. Fonte da Cemig informou ao Estado de Minas que as obras do gasoduto terão de começar, no mais tardar, em fevereiro para que o governo cumpra o compromisso que assumiu de fornecer o gás à fábrica da Petrobras, disputada há quase 10 anos.

“Não há plano B por enquanto”, admitiu, ontem, Djalma Morais, ao ser provocado sobre a possibilidade de a Assembleia Legislativa recusar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 68, que permitirá a venda do controle da Gasmig. A Cemig negociou com a companhia espanhola Gas Natural Fenosa a sua participação numa holding de ativos de gás. Feito o negócio, a concessionária mineira manterá ao redor de um terço das ações da atual subsidiária, de acordo com Morais. O sócio privado bancaria 65% da construção do gasoduto.

A concessionária mineira firmou ontem a compra por R$ 600 milhões da participação de 40% das ações da Petrobras na Gasmig, passo inicial para viabilizar o projeto sem a estatal da petróleo. O governador de MinasAlberto Pinto Coelho, e o prefeito de UberabaPaulo Piau, aproveitaram a solenidade para fazer um apelo pela aprovação da venda da Gasmig. Piau disse que os prefeitos dos municípios beneficiados com o projeto vão se unir para sensibilizar os deputados. “É um investimento que se justifica porque com o gasoduto vamos levar desenvolvimento para todas as cidades no percurso”, disse o governador.

Pelo projeto, o duto de distribuição vai cortar 56 municípios ligando Queluzito, na Região Central de Minas, a Uberaba. Existe a perspectiva de extensão a Uberlândia. O insumo chegará ao estado por meio do gasoduto de transporte conhecido como Gasbel, que conduz o gás natural proveniente da Bacia de Campos (RJ) e processado na Refinaria Duque de Caxias.

O argumento usado por Piau, Aberto Pinto Coelho e Djalma Morais é o de que a solução de venda do controle da Gasmig é a mesma saída adotada pelo governo federal na concessão dos aeroportos que necessitavam de reforma e ampliação. Na Assembleia Legislativa, foi aprovada a constituição de uma comissão especial para discutir a PEC 68. Na volta do recesso na terça-feira que vem, haverá reunião para indicação do presidente e do vice-presidente. Em seguida o relator a ser designado terá prazo de 20 dias para apresentar seu parecer. Se aprovado o texto, a matéria irá a plenário em primeira votação e retorna a comissão e depois ao plenário para aprovação em segundo turno.

 A secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável informou que já foram realizadas algumas reuniões para apresentação do projeto do gasoduto, mas o pedido de licenciamento ainda não foi formalizado. O prazo médio de análise técnica na casa tem variado de 100 a 110 dias e o máximo é de seis meses.

Aecio Neves: Choque de Gestão desenvolve interior

Aecio Neves: Choque de Gestão – Quando assumiu governo de Minas determinação foi criar metas de serviço em diversas regiões do estado.

Aecio Neves: Choque de Gestão

Fonte: Jogo do Poder

Choque de Gestão de Aecio Neves: a ordem é interiorizar

Uma das principais metas do Choque de Gestão de Aecio Neves era interiorizar o desenvolvimento em Minas; a Gasmig se tornou um case de sucesso neste aspecto.

 Aecio Neves: Choque de Gestão desenvolve interior

Aecio Neves: Choque de Gestão – Quando assumiu governo de Minasdeterminação foi criar metas de serviço em diversas regiões do estado.

O conceito de Choque de Gestão de Aecio Neves, criado em Minas Gerais em 2003, não se ateve apenas à administração direta – superintendências, órgãos e secretarias – do Governo de Minas. As empresas controladas pelo Estado também tiveram um salto de qualidade no atendimento à população que hoje reflete diretamente no avanço da economia mineira.

A Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig) é um exemplo de sucesso empresarial no que se refere ao seu compromisso em levar desenvolvimento social e econômico para a população, o que é foi um dos pilares que formaram o conceito de Choque de Gestão de Aecio Neves e seu governo.

Em nove anos, o papel da empresa frente ao desenvolvimento do Estado mudou radicalmente. Deixou de ser apenas um braço da Cemigpara se tornar uma empresa sólida, com ampla presença em dezenas de cidade. Hoje, a Gasmig está entre as 50 maiores empresas de Minas Gerais e tem um plano traçado para atender o mercado mineiro com gás natural até 2030.

Uma das principais metas de Aecio Neves, quando assumiu o governo, era interiorizar o desenvolvimento em Minas Geraise, para isso, determinou que as secretarias, órgãos e empresas estaduais traçassem metas de ampliação da oferta de serviços nas diversas regiões do Estado. No caso da Gasmig, uma meta ousada foi traçada: abastecer o polo industrial do Vale do Aço.

Em 2013, quando a meta traçada por Aecio Neves completará 10 anos, o volume de vendas pelo ramal de abastecimento de gás da Gasmig no Vale do Aço chegará a 2 milhões de m³. Um crescimento superior a 50% em relação ao volume atual.

Para o próximo ano, além de expandir sua rede de distribuição para outras regiões do Estado, assim como fez com sucesso no Vale do Aço, a Gasmig tem planos para atingir 3,5 milhões de m³ de gás natural para todo o Estado.

E outra novidade na estatal reforça ainda mais o que Aecio Neves pensou ao pulverizar o conceito de Choque de Gestão no Governo de Minas: a Gasmig se prepara para atender o mercado doméstico e de pequenas empresas, ou seja, levará a máquina estatal e suas ações para mais pessoas, diminuindo desigualdades e ampliando oportunidades de desenvolvimento social e econômico.

Aecio Neves: Choque de Gestão

Governo de Minas: Gasmig publica resultados financeiros de 2011

Empresa registrou resultados históricos no faturamento e fornecimento de gás natural

A Diretoria Executiva da Gasmig publicou os resultados financeiros apurados no ano de 2011 nos jornais O Tempo e Minas Gerais, na edição da última quarta-feira (4). A publicação mostra que 2011 será sempre lembrado na história da empresa como o ano dos “dois bilhões”.

O valor se refere a dois resultados históricos registrados pela companhia no ano em questão. O primeiro, que é relacionado ao faturamento de R$ 1 bilhão, representa um crescimento excepcional de 46% da receita bruta, colocando a Gasmig dentre o seleto grupo das 500 maiores empresas brasileiras.

O segundo tem a ver com o recorde de comercialização obtido com o fornecimento de um bilhão de metros cúbicos de gás ao mercado em 2011. Em termos de quantidade consumida, o mercado industrial da Gasmig, que consome 90% do volume distribuído pela companhia, já é o segundo maior do país, atrás apenas de São Paulo.

O lucro líquido, que também foi recorde, atingiu R$ 123 milhões. Além dos reflexos positivos da entrada em operação do Gasoduto do Vale do Aço, os bons resultados são fruto também do esforço empreendido pela companhia para aproveitar oportunidades de aumentar suas vendas a partir da estrutura de rede já existente. A captação de clientes com perfil para o chamado “mercado secundário de gás natural”, modalidade de aquisição de gás lançada pela Petrobras há um ano, é um exemplo. Antes do final do ano, a Gasmig já vendia 500 mil m³ por dia nesta modalidade, e há identificada demanda suficiente para dobrar esse volume até o final de 2012.

De modo similar, a companhia teve participação de destaque nos leilões de gás promovidos pela Petrobras, mantendo-se como uma das três maiores compradoras desse produto dentre todas as distribuidoras de gás natural do país, o que contribuiu para manutenção de tarifas competitivas para o gás natural frente aos combustíveis concorrentes.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/gasmig-publica-resultados-financeiros-de-2011/

Governo de Minas: Gasmig amplia benefícios para taxistas que aderirem ao gás natural veicular

Parceria com Sincavir garante serviço gratuito de despachante, além de um bônus de 600 metros cúbicos de GNV

Gasmig/Divulgação
Desde 1998, a Gasmig é responsável pelo fornecimento do gás natural veicular em Minas
Desde 1998, a Gasmig é responsável pelo fornecimento do gás natural veicular em Minas

Além de conceder bônus de 600 metros cúbicos de gás natural, a Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig) está oferecendo serviços gratuitos de despachante, necessários à regularização da documentação dos veículos que forem convertidos para uso do gás natural veicular (GNV).

O benefício, fruto de convênio celebrado entre a Gasmig e o Sindicato dos Condutores Autônomos (Sincavir), é concedido aos primeiros 300 veículos que solicitarem o serviço no período de 15 de março de 2012 a 22 de agosto deste ano, quando também se encerra a promoção “Vou no Gás”. Têm direito ao benefício taxistas sindicalizados ao Sincavir.

Outras informações sobre este benefício concedido pela Gasmig estão disponíveis pelo telefone (31) 3426-3466 ou na sede do Sindicato dos Condutores Autônomos, à Rua Jacuí, 3761, Bairro Ipiranga, em Belo Horizonte.

Vou no Gás

A promoção “Vou no Gás” consiste na distribuição de bônus de 300 metros cúbicos e 600m³ de gás natural para proprietários de veículos que forem convertidos para o GNV a partir de 1° de maio de 2011. O bônus de conversão poderá ser utilizado em até 300 dias após o encerramento da promoção, ou seja, 20 de junho de 2013.

Para obter o bônus, o motorista deverá levar as notas fiscais do kit de GNV e da instalação a um dos Organismos de Inspeção Acreditados (OIAs) participantes da promoção. O benefício vale também para o consumidor que vai comprar ou que adquiriu, depois de 1º de maio de 2011, um veículo zero quilômetro movido a GNV, de fábrica. Basta levar a nota fiscal de compra do veículo a um dos OIAs e retirar os bônus.

Economia

Com 600 metros cúbicos de gás natural, bônus oferecido a frotistas e taxistas, o veículo pode rodar cerca de 8 mil quilômetros. O GNV é um combustível moderno, menos poluente e que apresenta menor custo e maior rendimento frente aos seus concorrentes (etanol, gasolina e diesel).

Desde 1998, a Gasmig é responsável pelo fornecimento do GNV em Minas Gerais e o projeto “Vou no Gás”, é um incentivo à conversão de veículos e ao aumento do consumo do gás natural.

Para mais informações sobre a promoção, onde converter, organismos de inspeção, postos GNV e calculadora da economia, acesse o site www.promocaovounogas.com.br.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/gasmig-amplia-beneficios-para-taxistas-que-aderirem-ao-gas-natural-veicular/

Gasmig adota nova tarifa para beneficiar pequenos empreendedores

A Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig) acaba de implantar nova faixa tarifária para atender uma classe de consumidores constituída por pequenas empresas comerciais e industriais. A Resolução n° 014, assinada pelo secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Sergio Barroso, foi publicada no “Minas Gerais” desse sábado (19).

O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico explicou que o objetivo desta classe tarifária é propiciar a este novo mercado de clientes uma tarifa que possa oferecer uma vantagem competitiva e permitir que o cliente possa realizar a adequação de seus equipamentos para a utilização do gás natural.

“Assim, a Gasmig pretende adotar, temporariamente para este novo segmento de mercado, uma tarifa inicial denominada PC-01, com uma redução de até 10% na parcela variável estudada”, destacou o secretário. “Esta tarifa especial será válida durante a vigência do primeiro contrato estabelecido com o cliente e poderá ter a duração máxima de cinco anos, a ser definida de comum acordo entre as partes”, acrescentou.

Benefícios

Atualmente, existe apenas a tarifa de uso geral, a UG-01, que é aplicada para clientes comerciais e industriais de consumo mensal até 60.000 m³. A tarifa UG-01 é aplicada para clientes conectados em rede com características de média e alta pressão e celebram com a Gasmig contratos individuais.

Já a nova tarifa é importante para este novo segmento, porque se aplicada em cascata decrescente, apresenta um valor de faixa inicial que eleva a tarifa média praticada para clientes não residenciais com utilização em volume menor, inviabilizando a captura e o fornecimento de gás natural a clientes deste porte.

Por isso, explica Sergio Barroso, “os clientes comerciais e industriais de menor porte, devido ao menor consumo de gás previsto, deverão ser supridos, principalmente, através de redes de distribuição de baixa pressão, conforme previsão de investimento da Gasmig para adensamento da rede existente”. A nova tarifa já está em vigor e vale para clientes na faixa de consumo até 3 mil metros cúbicos/mês.

Governador Antonio Anastasia anuncia R$ 2 bilhões em novos investimentos em Minas

O governador Antonio Anastasia anunciou, na manhã desta segunda-feira (24), em Patrocínio, no Alto Paranaíba, investimentos de R$ 2 bilhões da Fosfértil no município, com geração de 1.500 empregos diretos. O aporte será destinado à construção de um Complexo Industrial Químico para beneficiar, por ano, 1,6 milhão de toneladas de rocha fosfática – insumo utilizado para a produção de fertilizantes. Com a entrada em operação, em 2013, o novo projeto da Fosfértil ampliará em 34% a oferta de rocha fosfática no Brasil.

“Está confirmada a instalação da Fosfértil aqui no município de Patrocínio com um investimento no valor de R$ 2 bilhões que vão gerar 1.500 empregos diretos. Nos próximos dias, vamos assinar em Belo Horizonte o protocolo e aquilo que era uma aspiração, que era um desejo, que era um projeto se confirmou, após as negociações do Governo do Estado com a Fosfértil. Vamos ter aqui uma grande unidade que, certamente, modificará para melhor o perfil econômico não só de Patrocínio como da região”, afirmou o governador, que esteve em Patrocínio para assinar convênios entre o Governo de Minas e a prefeitura.

O governador Antonio Anastasia destacou a importância do investimento da empresa para Patrocínio. Segundo ele, o empreendimento vai favorecer o agronegócio, uma das principais atividades econômicas da região do Alto Paranaíba.

“É um dos maiores investimentos da história de Minas Gerais e que vai favorecer muito a questão da agricultura no Alto Paranaíba, no Triângulo Mineiro, e em todo o Estado. Porque 60% do maior insumo dos fertilizantes será feito aqui em Patrocínio. Isso vai significar não só muitos empregos, mas uma riqueza extraordinária para a região e também para o Estado”, disse.

Complexo industrial
Denominado Projeto Salitre, o novo aporte da Fosfértil terá ainda um mineroduto. O Complexo Industrial Químico terá capacidade para a produção de 560 mil toneladas/ano de ácido fosfórico, insumo intermediário para a produção de 1,2 milhão de toneladas/ano de fertilizantes fosfatados de alta concentração. Com a implantação deste projeto, a oferta brasileira de ácido fosfórico será ampliada em 60%.

Dos R$ 2 bilhões, R$ 120 milhões já foram investidos nas fases preliminares de engenharia, projetos e estudos de viabilidade. A Fosfértil já possui licenciamento prévio para a instalação da nova planta em Patrocínio.

Antonio Anastasia ressaltou que o Governo do Estado tem buscado criar novas alternativas para diversificar a economia de Minas e estimular o crescimento de emprego.

“Estamos tratando aqui de um grande complexo. A instalação da usina da Fosfértil significa grande avanço para a região, mas estamos empenhados junto a Petrobras para instalação da fábrica de ureia e amônia em Uberaba. Para tanto, a Gasmig fará junto com a Cemig um gasoduto trazendo gás de São Carlos para Uberaba e Uberlândia. Isso vai favorecer no futuro a fábrica da Fosfértil que terá insumos próximos e mais baratos. Há um planejamento bastante coordenado por parte do Governo do Estado para termos novas alternativas econômicas. E essa indústria vinculada à petroquímica, aos fertilizantes, é muito importante”, afirmou, ressaltando o empenho do governo em fortalecer a diversidade econômica em Minas Gerais.

De 2003 a 2010, os investimentos em Minas já totalizam R$ 204,8 bilhões, com a geração de 448.220 empregos diretos. A siderurgia e mineração respondem pela maior parte dos investimentos, somando R$ 63,6 bilhões e 48 mil empregos diretos. Especificamente na mineração, os investimentos são de R$ 25,3 bilhões, distribuídos entre 48 projetos de investimentos, com a criação de 17 mil empregos diretos.