• Agenda

    julho 2020
    S T Q Q S S D
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

PIB: Economia mineira cresce no 1º trimestre. Nos últimos 12 meses até março, a performance do PIB mineiro foi 1,9% maior, tanto quanto a do Brasil.

PIB: Minas

Fonte: Marta Vieira – Estado de Minas

PIB de Minas avança 2,1% e mostra leve recuperação

Economia do estado cresce mais que a do país no primeiro trimestre, em relação a igual período de 2011. Agropecuária e indústria fecham no vermelho, mas os serviços salvam

Ancorada no aquecimento do comércio, dos serviços de transportes e da construção civil, a economiamineira cresceu 2,1% no primeiro trimestre, em relação ao mesmo período do ano passado, conforme relatório publicado ontem pela Fundação João Pinheiro. Embora o resultado tenha superado a expansão bastante modesta de 0,8% do Brasil na mesma base de comparação, a soma da produção de bens e serviços do estado, medida pelo Produto Interno Bruto (PIB), mostrou, de fato, uma tímida recuperação. No quarto trimestre de 2011, o crescimento havia sido de 1,8%, sucedendo parcos 0,3% apurados no trimestre anterior, ambos comparados a idênticos meses de 2010. Por trás dos números, fica a dúvida sobre o caminho dessa reação, ainda sem impactos das medidas recentes lançadas pelo governo federal para reanimar a atividade produtiva no país.

Segmentos pesados na formação do PIB estadual, a agropecuária e a indústria fecharam o primeiro trimestre no vermelho. A queda do agronegócio, de 1%, só não foi maior graças às boas estimativas da produção de leite, soja, milho e feijão de primeira safra para este ano. Diferentemente do Brasil, que amargou recuo de 7,3% na atividade, as lavouras de Minas sofreram menos com o período chuvoso, avalia Thiago Rafael Corrêa de Almeida, especialista do departamento de contas regionais da Fundação João Pinheiro. No setor industrial, os movimentos foram contrários, no entanto, muito próximos. Em Minas, houve retração de 0,2%, enquanto a média nacional registrou ligeiro aumento de 0,1%, na prática uma situação de estabilidade. As empresas prestadoras de serviços contribuíram com expansão de 2,8% no estado durante o primeiro trimestre.

Nos últimos 12 meses até março. a performance do PIB mineiro foi 1,9% maior, tanto quanto a do Brasil. “Ainda é cedo para avaliarmos se essa tímida melhora do PIB vai se manter”, afirma Thiago Almeida, especialista em políticas públicas da Fundação João Pinheiro. A rigor, surgem dois lados da mesma moeda para a economia nos próximos trimestres. Com o bom desempenho esperado para a cultura do café, responsável por um terço do valor da produção agrícola mineira, a tendência é de uma performance mais positiva da agropecuária, assim como o benefício da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados(IPI) incidente nos automóveis deverá influenciar numa recuperação da indústria automotiva.

No sentido contrário, o aumento do endividamento das famílias brasileiras poderá frear as vendas do comércio e os rumos da crise internacional e do dólar não estão claros para reanimar outros braços daindústria que dependem do comércio internacional. “A presidente tomou medidas para reanimar aeconomia, mas elas só terão efeito no fim do ano. Até lá, temos de sobreviver”, afirma o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Olavo Machado Júnior. Para o industrial, são necessárias ferramentas complementares à expansão do crédito a taxas mais baixas e à desoneração da folha de pessoal de 15 setores da indústria.

A pressão da crise internacional e das importações sobre a demanda de produtos importantes da economia de Minas, como o aço, se refletiu numa queda de 10% da metalurgia básica, que engloba as siderúrgicas e os produtores de ferro-gusa, matéria-prima das usinas, puxando uma série de resultados negativos, como os das indústria automotiva (-4,7%), extrativa mineral (-4,4%) e o refino de petróleo e álcool (-2,7%). Respondendo por cerca de 10% do desempenho da indústria mineira, as mineradoras foram obrigadas a reduzir a produção, em decorrência das enchentes do começo do ano, e exportaram menos por força do crescimento menor da China, principal parceira do comércio do estado com o exterior.

Luz vermelha Com taxas de crescimento acima da média brasileira, a indústria da construção civil de Minas avançou 3,9%, em comparação ao período de janeiro a março de 2011, e preserva estimativas de expansão de 4,5% a 5% neste ano, segundo o economista Daniel Furletti, coordenador sindical do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Minas Gerais (Sinduscon-MG). No Brasil, o setor cresceu 1,5% ante os primeiros três meses do ano passado. A nova onda de construção de shopping centers no estado contribuiu para o bom desempenho.

Um risco que as empresas passaram a considerar, no entanto, e que pode abalar as previsões é a redução do volume de investimentos na economia brasileira, que caiu de 19% para 18% do PIB. “Esse movimento acende uma luz vermelha. Precisamos mudar esse patamar para no mínimo 25% do PIB, afinal na China osinvestimentos representam 44%”, afirma Daniel Furletti. Não há como prever o tempo em que as medidas de estímulo à economia serão assimiladas e só no fim do ano é que o quadro de crise internacional estará definido, e não solucionado, alerta Juliano Lima Pinheiro, diretor da corretora de valores Corval e professor de pós-graduação em finanças da escola de administração e negócios Ibmec. Ele trabalha com projeção de no máximo 3% de crescimento da economia brasileira em 2012.

Ritmo de fábricas recua 1,4% no ano

A produção industrial brasileira teve queda em oito das 14 regiões pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nos quatro primeiros meses deste ano. Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física divulgada ontem pela instituição. Em seis estados, houve recuo acima da média nacional, que ficou em -2,8%. A maior queda ocorreu no Rio de Janeiro (-7,5%), seguida de São Paulo (-5,1%), Santa Catarina (-5,1%), Amazonas (-4,5%), Ceará (-3,7%) e Espírito Santo (-2,9%). Em Minas, a taxa ficou em -1,4% e no Pará em -0,1%.

Nos quatro primeiros meses de 2012, a queda na produção em i e no Pará foi particularmente influenciada pela menor fabricação de bens de consumo duráveis (automóveis, motos, aparelhos de ar-condicionado, televisores, celulares e relógios) e de bens de capital (especialmente caminhões, caminhão-trator para reboques e semirreboques e veículos para transporte de mercadorias), além da menor produção nos setores extrativos (minérios de ferro), têxtil, vestuário, farmacêutica e metalurgia básica.

“O governo editou medidas visando estimular alguns setores, principalmente o automotivo, que tem linha de produção muito longa. Mas ainda é cedo para sentir os efeitos. O resultado da produção industrial é um olhar pelo retrovisor”, avalia Sérgio Cavalieri, vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). A indústria de fundição em Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas, já se ressente da queda na produção. Segundo o IBGE, a retração da produção na metalurgia básica do estado foi de -9,5% entre abril e março de -9,9% no acumulado do ano. “A gente sente dificuldades porque 60% do nosso setor é voltado para o atendimento da indústria automobilística”, explica Afonso Gonzaga, presidente regional da Fiemg no Centro-Oeste do estado.

Apesar disso, o segmento ainda não demitiu. O esforço caminha no sentido de ajustar o passo, dando férias e realocando funcionários porque a maior parte da mão-de-obra da indústria de fundição é especializada. “Se demitirmos agora e tivermos que contratar em três meses, enfrentaremos problemas. Por isso optamos por arcar com os custos e esperar a retomada do mercado.”

Governo de Minas: Antonio Anastasia participa da entrega do Prêmio Bom Exemplo 2012

Governador destaca trabalho voluntário como exemplo de cidadania e inclusão social, que vai se reproduzindo pelo Estado

Wellington Pedro/Imprensa MG
Anastasia participou da solenidade de entrega do Prêmio Bom Exemplo 2012, em Belo Horizonte
Anastasia participou da solenidade de entrega do Prêmio Bom Exemplo 2012, em Belo Horizonte

O governador Antonio Anastasia participou, na noite dessa terça-feira (17), na sede da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), em Belo Horizonte, da solenidade de entrega do Prêmio Bom Exemplo 2012. Anastasia destacou a iniciativa de valorização das ações sociais realizadas por pessoas e instituições que contribuem para a melhoria da qualidade de vida em Minas Gerais.

“É uma grande alegria aplaudir os vencedores deste belíssimo prêmio que nos dão excelentes exemplos de cidadania, de inclusão, que vão se reproduzindo pelo Estado afora. Ficamos muito orgulhosos de vermos nossos conterrâneos, instituições e pessoas físicas receberem o reconhecimento pelo seu trabalho social de educação e de inclusão. É a cidadania em primeiro lugar”, afirmou o governador.

Vencedores

O Prêmio Bom Exemplo tem o objetivo de destacar ações sociais que contribuem para a melhoria da qualidade de vida em Minas e valorizar pessoas que trabalham para mudar a realidade em suas comunidades. O prêmio tem nove categorias. É coordenado pela Fundação Dom Cabral e Rede Globo Minas, com apoio da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e jornal O Tempo.

Entre os vencedores desta edição está a Escola Estadual Bolivar Tinoco Mineiro, na categoria Educação. Localizada no bairro Ribeiro de Abreu, em Belo Horizonte, destacou-se pelo desempenho no Programa de Avaliação da Alfabetização (Proalfa), conseguindo reduzir os índices de evasão escolar. O exame implantado pelo Governo de Minas com o objetivo de medir o nível de leitura e escrita dos alunos com até oito anos de idade.

Na categoria Cidadania, o Prêmio Bom Exemplo foi entregue pelo governador Anastasia a Rodrigo Barcelos de Medeiros. O técnico em informática se destacou por oferecer transporte a pessoas em tratamento de saúde. Rodrigo Medeiros dá carona a 35 crianças e nove idosos com dificuldades de locomoção para escolas, cursos e hospitais. Ele arca com todos os custos.

Antonio Anastasia disse que todos devem aplaudir e torcer para que estes exemplos se espalhem por toda Minas Gerais. “São todos vencedores. É um trabalho voluntário, um trabalho amoroso feito com muito carinho. O Rodrigo tem um trabalho belíssimo, porque, com seus próprios recursos, leva as pessoas portadoras de deficiência. Ele foi o primeiro colocado na escolha popular. Mas são todos vencedores”, ressaltou o governador.

Também participaram da solenidade de entrega do Prêmio Bom Exemplo 2012 o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, a secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, a secretária adjunta de Estado de Educação, Maria Ceres Pimenta Spinola Castro, e a presidente do Serviço Voluntário de assistência Social (Servas), Andrea Neves, entre outras autoridades.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/antonio-anastasia-participa-da-entrega-do-premio-bom-exemplo-2012/

Governo de Minas: tratamento de resíduos sólidos pode render ganhos ambientais e econômicos

Workshop apresenta experiências lucrativas na destinação correta do lixo das grandes cidades

Divulgação/Sisema
Presidente da Feam, Ilmar Bastos, destacou a necessidade de se erradicar os lixões até 2014
Presidente da Feam, Ilmar Bastos, destacou a necessidade de se erradicar os lixões até 2014

Algumas das mais modernas e lucrativas técnicas para coleta e tratamento de resíduos sólidos produzido por grandes cidades foram apresentadas durante o Workshop Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos como Oportunidade de Negócios, promovido pela Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), órgão da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMAD), em parceria com a Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg). O evento reuniu empresários, ambientalistas, estudantes e profissionais ligados ao tema, que puderam debater a destinação do lixo como oportunidade de negócio e geração de empregos.

O presidente da Feam, Ilmar Bastos Santos, destacou a importância de se debater a implantação de alternativas de destinação para os resíduos. “Sabemos que a gestão de resíduos representa um desafio para os municípios, mas lembramos que 2014 é o prazo final para erradicação dos lixões no país”, ressaltou o presidente.

Ilmar discorreu sobre o Programa Minas Sem Lixões, que é desenvolvido pela Feam desde 2003. Por meio do programa, mais de 50% dos municípios mineiros já trabalham a gestão de resíduos com disposição final adequada.

O gerente de Meio Ambiente da Fiemg, Wagner Costa, frisou a importância da participação da indústria na gestão dos resíduos, com visão na geração de negócios. “O setor industrial não pode esquecer que, hoje, o bom aproveitamento dos resíduos gera lucros ambientais e econômicos”, avaliou.

 Experiências

A gerente comercial da Titech, que trabalha com gestão de resíduos, Carina Arita, apresentou as ações da empresa que tem como foco principal a seleção de resíduos. “Atualmente, processamos 190 mil toneladas por dia. Resíduo é riqueza”, afirmou Carina.

O diretor operacional da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU), Rogério Siqueira, abordou o trabalho desenvolvido na gestão de resíduos de Belo Horizonte. Segundo Siqueira, são coletadas diariamente 3.580 toneladas de resíduos sólidos urbanos e mais 28 toneladas de resíduos hospitalares. Siqueira fez um alerta, afirmando que “um aterro nunca deixa de ser operado, portanto deve-se avaliar um investimento de tempo e pesquisa a longo prazo”.

Outra experiência apresentada no workshop foi a Companhia Municipal de Limpeza Urbana do Município do Rio de Janeiro (Comlurb). Segundo o coordenador operacional, Fernando Alves Oliveira Pinto, o Rio produz cerca de 9.000 toneladas de lixo por dia. “Trabalhamos com reciclagem e produção de fertilizantes como alternativas à disposição dos resíduos”, explicou o coordenador.

O diretor de Novos Projetos do Grupo Estre, Breno Palma, relatou as atividades da organização, que abrangem coleta, reciclagem, tratamento, logística reversa e planejamento para geração de energia por meio da utilização dos resíduos. “Um ponto a ser melhorado é o design dos produtos, que não leva em consideração a desmontagem. Isso atrapalha o processo de reciclagem”, disse Palma. Ele concluiu, salientando a necessidade da promoção de ações de educação ambiental para minimizar os impactos causados pelos resíduos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/tratamento-de-residuos-solidos-pode-render-ganhos-ambientais-e-economicos/

Gestão Anastasia: papel do Sistema Mineiro de Inovação é ratificado em seminário de inovação tecnológica na Fiemg

Um dos destaques do evento foi a palestra “Academia-Empresa Hélice Tríplice: A prática do Sistema Mineiro de Inovação – Simi”

Diulgação/Sectes MG
Superintendente de Inovação Tecnológica da Sectes, José Luciano de Assis Pereira, durante a palestra
Superintendente de Inovação Tecnológica da Sectes, José Luciano de Assis Pereira, durante a palestra

A Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio, Indústria e Artesanato de Minas Gerais realizou, nesta quinta-feira (29), no auditório da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), o seminário Incentivos à Inovação Tecnológica. Um dos destaques do evento foi a palestra “Academia-Empresa Hélice Tríplice: A prática do Sistema Mineiro de Inovação – Simi”, proferida pelo superintendente de Inovação da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), José Luciano de Assis Pereira.

Em sua palestra, José Luciano apresentou os objetivos do Governo de Minas com o Sistema Mineiro de Inovação (Simi), que visa estimular a transferência de tecnologias em prol da inovação e promover aumento de renda e benefícios para a sociedade. Como explicado pelo superintendente, o Simi utiliza uma rede de inovação aberta para colocar em contato os três agentes da inovação: governo, empresa e universidade. Por meio do site, é possível que pesquisadores cadastrem e ofertem suas tecnologias, e que empresas divulguem suas demandas tecnológicas a fim de serem atendidas.

Além de seu site, o Simi também aproxima os agentes da inovação com sua metodologia de Encontros de Inovação, que “potencializa interações entre pesquisadores e empresas por meio de encontros presenciais”, como afirmado por Luciano. A prova do sucesso dos encontros está nos resultados mostrados na apresentação: 91% dos participantes afirmam que voltariam a outro encontro e a porcentagem das interações que geraram parcerias aumentou de 15% em 2008/2009 para 21% em 2010.

José Luciano abordou ainda outras ações promovidas pelo Simi, como os editais induzidos e o programa Inove em Minas, que visa à atração de centros de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) para o Estado, “a fim de aumentar investimentos que potencializem seu crescimento e oferecer oportunidades de atração e retenção de pessoal qualificado”. Por último, o superintendente falou do Programa Mineiro de Empreendedorismo na Pós-Graduação, que busca preparar o estudante universitário para o setor empresarial.

Incentivos do governo à inovação tecnológica

José Luciano também apresentou os ambientes e ferramentas de incentivo à inovação em Minas Gerais promovidos pela Superintendência de Inovação Tecnológica (Sint). Ele discursou acerca da importância não apenas dos parques tecnológicos mineiros – que são espaços essenciais para que exista uma maior interação e diálogo entre universidades e empresas (especialmente as médias e de base tecnológica) –, mas também das incubadoras de empresas. Ele lembrou que a incubadora de Viçosa foi eleita a melhor do Brasil em 2011. Em anos anteriores, outras incubadoras mineiras também já haviam sido campeãs pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), entidade que reúne incubadoras brasileiras.

O superintendente falou também do Programa de Incentivo à Inovação (PII), que por meio dos seus Estudos de Viabilidade Técnica, Comercial, Ambiental e Social (EVTECIAS) e do desenvolvimento de Planos Tecnológicos (PPtec) e Protótipos transforma projetos de pesquisa em inovações tecnológicas aplicadas. O programa já se tornou um sucesso entre os institutos de ciência e tecnologia mais renomados do Estado. “É importante que busquemos políticas públicas efetivas de incentivo à inovação. E é isso que a Sectes, em parceria com a Fapemig, está fazendo”, concluiu Luciano.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/papel-do-sistema-mineiro-de-inovacao-e-ratificado-em-seminario-de-inovacao-tecnologica-na-fiemg/

Gestão Antonio Anastasia: Governador visita São Lourenço e entrega comenda ambiental

Medalha das Águas faz parte das comemorações da Semana da Água

Wellington Pedro/Imprensa MG
O governador ressaltou a oportunidade do evento em promover e divulgar uma das grandes riquezas de Minas Gerais, que é a questão ambiental
O governador ressaltou a oportunidade do evento em promover e divulgar uma das grandes riquezas de Minas Gerais, que é a questão ambiental

O governador Antonio Anastasia visitou a cidade de São Lourenço, no Sul de Minas, neste domingo (25), onde presidiu a cerimônia de entrega da Comenda Ambiental Estância Hidromineral, a ‘Medalha das Águas’. O evento faz parte das comemorações da Semana da Água, organizada pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) em parceria com instituições públicas e privadas.

“Este é um evento muito importante porque dá a oportunidade de promover e divulgar uma das grandes riquezas de Minas Gerais, que é a questão ambiental. Nós temos no chamado ecoturismo, na qualidade das nossas águas, na hospitalidade em relação ao ambiente, um dos grandes trunfos de Minas Gerais e a estância hidromineral de São Lourenço tem o seu destaque”, afirmou Anastasia.

A Comenda foi criada em 2010 por Lei Municipal, sendo entregue anualmente no domingo próximo ao Dia Mundial da Água, comemorado no último dia 22. Durante o evento, o governador também destacou a importância da preservação do meio ambiente para o futuro e para a melhoria constante da qualidade de vida em todo o Estado.

“A nossa função estratégica é conservar e conservar crescendo. Agora em junho no Rio de Janeiro na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), nós teremos chefes de Estado do mundo inteiro, cientistas, profissionais de diversos países debatendo. E Minas Gerais estará presente mostrando que, como somos o Estado aonde brota o maior número de fontes de água para abastecer o Sul, o Sudeste e parte do Centro-Oeste de nosso país, nós estamos solidários à Federação, à República, mas da mesma forma queremos essa solidariedade invertida para que Minas Gerais tenha a proteção e as condições para proteger e proteger bem esses mananciais de água riquíssimos que fazem daqui, de fato, uma terra diferenciada, não só nossa porque não somos egoístas, mas de todos os brasileiros”, afirmou Anastasia.

Agraciados

Cento e sessenta pessoas foram agraciadas com a comenda, entregue pelo governador Anastasia. Na cerimônia, foram condecorados cidadãos brasileiros e estrangeiros que se destacaram no incentivo, apoio e divulgação das atividades relacionadas ao turismo, à preservação ecológica e ambiental, além do desenvolvimento socioeconômico e cultural de São Lourenço e de Minas Gerais.

O presidente da Associação Brasileira dos Membros do Ministério Público de Meio Ambiente (Abrampa), Sávio Renato Bittencourt Soares Silva, orador oficial do evento, lembrou a importância da água para o presente e o futuro da humanidade. Para ele, assim como o primeiro grito de independência ecoou de Minas para alcançar o Brasil, é do Estado mineiro que começa a sair o exemplo da união entre desenvolvimento sustentável e geração de empregos.

“O meio ambiente hoje é apontado como um entrave para o desenvolvimento. Isso é uma mentira. O meio ambiente é um campo generoso de oportunidades, de novas carreiras, de novas engenharias, de novos gestores e novos advogados, de novas produções jamais pensadas anteriormente que terão a oportunidade de dar à nova geração não só os empregos que precisamos, mas, sobretudo, a qualidade de vida que nós lhes devemos”, disse.

A condecoração é um tributo de São Lourenço às águas que deram origem ao Município e são, até hoje, as principais responsáveis pelo desenvolvimento da economia local. Há muitos anos as águas com propriedades medicinais atraíram visitantes que, em busca de tratamentos e curas, acabaram estimulando o desenvolvimento das cidades de Caxambu, Cambuquira, Lambari e São Lourenço. Juntas elas formaram o primeiro circuito turístico do País, o Circuito das Águas, até hoje um dos principais destinos turísticos do país, atraindo pessoas de vários locais do mundo.

Além da entrega da Comenda, outros dois eventos organizados pelo Governo de Minas marcaram a Semana da Água no Estado: o Seminário de Chuvas e Desastres Urbanos, realizado na quarta-feira última (22) em Ouro Preto, e o Seminário Rio+20: Água, Mudanças Climáticas e Economia Verde, na última sexta-feira (23), na sede da Federação das Indústrias (Fiemg), em Belo Horizonte.

Recursos Hídricos em Minas

A preservação dos recursos hídricos, com o objetivo de garantir um meio ambiente sustentável e a qualidade de vida dos cidadãos mineiros, é uma das prioridades do Governo do Estado. Minas Gerais é considerada a caixa d´água do Brasil, por possuir 8,3% de rios e lagos naturais e artificiais e 17 bacias hidrográficas federais, que banham quase 67% do território mineiro e mais de 10 mil cursos d’água.

Para garantir o uso sustentável dos recursos hídricos em Minas, o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) investiu na elaboração de planos, cadastro de usuários, ampliação da rede de monitoramento da qualidade das águas e na promoção da participação da sociedade na gestão das águas. Todas as ações são metas do Projeto Estruturador do Governo de Minas ‘Consolidação da Gestão de Recursos Hídricos em Bacias Hidrográficas’.

Aprovado pelo Conselho Estadual de Recursos Hídricos (CERH-MG) em 2010, o Plano Estadual é o principal instrumento para orientar a gestão das águas em Minas, e interage com o Plano Nacional de Recursos Hídricos, aprovado em 2006 e com os Planos Diretores de Recursos Hídricos das Bacias Hidrográficas do Estado. A elaboração do Plano dividiu-se em duas etapas: a primeira, concluída em 2006, apresentou um diagnóstico da situação das águas no Estado, com um panorama da implementação da gestão de recursos hídricos em Minas Gerais.

A segunda etapa de elaboração do Plano começou em 2008 e teve um investimento de cerca de R$ 3 milhões. O Plano indica novos critérios para a emissão de outorgas para o uso da água, programas de melhoria da quantidade e da qualidade das águas nos rios mineiros, ações para manejo do solo e de vegetação que são essenciais para a conservação dos recursos hídricos.

Além do Plano Estadual, 19 planos de bacias hidrográficas já foram concluídos. Estes planos são estratégicos para o planejamento e o controle adequado do uso da água no Estado e para subsidiar a tomada de decisões do governo e dos gestores locais no âmbito de cada bacia, incluindo o enquadramento dos cursos d’água, iniciativa inadiável para assegurar a total integração das políticas de meio ambiente e gerenciamento dos recursos hídricos.

Ao mesmo tempo, o Estado já criou 36 comitês de bacia hidrográfica (CBHs). São órgãos normativos e deliberativos que têm por finalidade promover o gerenciamento de recursos hídricos nas suas respectivas bacias hidrográficas. Os esforços realizados pelo governo de Minas, no período 2003-2010, colocaram o Estado no patamar mais avançado de gestão de recursos hídricos do país, incluindo a adoção de medidas que asseguram o financiamento de todos os Comitês e seu pleno funcionamento.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governador-visita-sao-lourenco-e-entrega-comenda-ambiental/

Governo Minas: Alberto Pinto Coelho se reúne com empresários do setor sucroenergético

Minas Gerais possui 41 usinas produtoras de açúcar, etanol e bioeletricidade, empregando diretamente 80 mil trabalhadores

Sebastião Jacinto Júnior
No encontro, o vice-governador destacou a importância da aliança entre Estado e iniciativa privada para o desenvolvimento do setor
No encontro, o vice-governador destacou a importância da aliança entre Estado e iniciativa privada para o desenvolvimento do setor

O vice-governador Alberto Pinto Coelho se reuniu, nesta quinta-feira (15), na sede da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), com empresários do setor sucroenergético e dirigentes públicos dos poderes executivo e legislativo. Durante o encontro, promovido pela Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais, ele destacou a importância da aliança entre Estado e iniciativa privada para o desenvolvimento do setor sucroalcooleiro.

O vice-governador salientou ainda que as situações conjunturais, ditadas por fatores internos ou internacionais, não podem colocar em risco aquele que é reconhecido, mundialmente, como o mais amplo e bem-sucedido projeto de substituição de combustíveis fósseis por renováveis do planeta. A meta, de acordo com o vice-governador, é dobrar, nos próximos cinco anos, a produção brasileira de cana-de-açúcar, atingindo o volume de 1,2 bilhão de toneladas.

“Vale usar a expressão de legítima defesa para a adoção de medidas tributárias, como a redução de impostos sobre o álcool combustível e a desoneração do PIS/Cofins, combinadas com ações estratégicas junto à Petrobrás para que o setor volte a crescer em bases sustentadas, nos níveis e perfis que se apresentavam antes da crise mundial de 2008”, destacou Alberto Pinto Coelho.

Atualmente, Minas Gerais possui 41 usinas produtoras de açúcar, etanol e bioeletricidade, empregando diretamente 80 mil trabalhadores. O Setor tem participação de 18% no PIB do agronegócio mineiro.

O presidente da associação, Luiz Custódio Cotta, agradeceu a presença e o apoio do vice-governador. “Agradeço ao Governo do Estado, que tem possibilitado um diálogo com todos os órgãos, ouvindo nossas necessidades, especialmente as secretarias de Estado de Ciência Tecnologia, Fazenda e Meio Ambiente. Sem dúvida alguma, o Estado tem dado uma sinalização de preferir os combustíveis renováveis aos fósseis”, ressaltou.

O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, também participou do encontro.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: IEF realiza reunião para apresentar projeto de proteção ao Pico do Ibituruna

O encontro será realizado nesta quarta-feira (14), a partir de 19h, no auditório da Federação das indústrias de Minas Gerais, em Governador Valadares

O Instituto Estadual de Florestas (IEF) realiza,nesta quarta-feira (14), uma reunião de esclarecimento para a população de Governador Valadares, no Leste de Minas, sobre a criação do Monumento Natural Estadual Pico do Ibituruna. A atividade faz parte do processo para garantir a proteção da área que já é já tombada pela Constituição Estadual e que, agora, pode ser legitimada como unidade de conservação ambiental, nos moldes previstos pela Lei Federal.

A reunião será realizada a partir de 19h, no auditório da Federação das indústrias de Minas Gerais (Fiemg), na avenida Brasil, número 4000, no Centro de Governador Valadares. Os interessados também podem participar da discussão sobre a criação da unidade de conservação por meio da consulta pública que está sendo realizada até o dia 17 de março.

Os documentos com as informações sobre a unidade de conservação estão disponíveis no site do IEF. As informações também se encontram a disposição dos interessados na sede do instituto em Belo Horizonte (rodovia Prefeito Américo Gianetti, s/n, Edifício Minas, 1º andar, bairro Serra Verde), na Regional Rio Doce em Governador Valadares e na Prefeitura de Governador Valadares (rua Barão do Rio Branco, 337, Centro).

A área proposta para criação do Monumento Natural do Pico do Ibituruna é de 1.076,211 hectares. Está inserida no bioma Mata Atlântica e é o maior remanescente florestal contínuo do município de Governador Valadares. A região é um dos mais importantes mananciais dos recursos hídricos da região do rio Doce e é fonte de abastecimento de água para a população local. O Pico do Ibituruna é um dos principais locais do mundo para a prática de vôo livre.

Reunião de Esclarecimentos Públicos para Criação/Adequação do Monumento Natural Estadual Pico da Ibituruna

Local: avenida Brasil, 4000, Centro, Governador Valadares, MG (auditório da Fiemg)
Data: 14/03/2012
Horário: 19h

Fonte: Agência Minas

Governador Anastasia convida seleção italiana a se instalar em Minas durante preparação para a Copa de 2014

Governador apresentou ao presidente da Federação Italiana de Futebol os investimentos que estão sendo feitos em Minas Gerais para a Copa do Mundo

Soraya Ursine/Imprensa MG
Governador Anastasia recebe do presidente da Federação, Giancarlo Abete, a camisa personalizada da seleção italiana
Governador Anastasia recebe do presidente da Federação, Giancarlo Abete, a camisa personalizada da seleção italiana

O governador Antonio Anastasia se encontrou, nesta terça-feira (6), em Roma, com o presidente da Federação Italiana de Futebol Giuoco Calcio (FIGC), Giancarlo Abete. O governador convidou a seleção italiana de futebol a se instalar em Minas Gerais durante a preparação para a Copa do Mundo de 2014.

“Estou aqui para oferecer Minas Gerais para, se for possível, dar todo suporte à seleção italiana de futebol. Sei dos critérios de escolha dos campos e dos locais onde as seleções vão se hospedar, mas já estamos nos preparando para receber seleções. O mais belo estádio do Brasil será o nosso, chamado Mineirão. Temos um estado muito rico, com muita diversidade e com uma imensa colônia italiana. Minas está abertíssima a receber permanentemente a selação italiana, como também os times italianos que queiram. Haverá as definiões das chaves, os sorteios, mas em um momento de escolha, Minas Gerais se coloca de portas abertas para receber a tão querida seleção italiana antes e durante a Copa de 2014”, enfatizou Anastasia.

O presidente Giancarlo afirmou que está acompanhando as transformações de Minas Gerais para a Copa e que se sente muito honrado em receber o primeiro convite de um estado brasileiro para abrigar a seleção italiana.

“Belo Horizonte é uma grande cidade, tem dois ótimos estádios e é uma honra estar recebendo aqui o primeiro convite de um estado brasileiro que se dispõe a nos dar todo suporte durante a Copa de 2014. Começaremos a fase de qualificação e preparação a partir de setembro de 2012. Não tenho dúvidas de que Belo Horizonte possui todas as características favoráveis para receber bem as seleções de futebol”, destacou o presidente da Giuoco Calcio. Durante o encontro, ele presenteou o governador com uma camisa personalizada da seleção italiana de futebol.

O secretário de Estado de Turismo, Agostinho Patrus, apresentou um book com os Centros de Treinamentos em Minas Gerais e os atrativos turísticos do Estado aos dirigentes da federação. Minas Gerais sediará seis jogos na Copa do Mundo.

“Ofertamos nosso Estado para sediar a seleção italiana, independente de jogar ou não em Belo Horizonte. Temos uma localização pivilegiada no Brasil, um aeroporto com ligação às principais outras sedes, temos um clima ideal e toda infraestrutura necessária. Já estamos recebendo investimentos de hotéis, as obras do nosso estádio já estão bem avançadas e ele estará pronto para a Copa das Confederações. Minas Gerais tem todas as condições necessárias para receber uma seleção importante como a da Itália”, disse o secretário.

O governador esteve na sede da Federação Italiana de Futebol acompanhado do presidente da Câmara Italiana de Comércio de Minas Gerais, Giacomo Regaldo; do secretário de Esportes e da Juventude, Bráulio Braz; do presidente da Fiemg, Olavo Machado; e de empresários da delegação mineira.

Ações do Governo para a Copa do Mundo 2014

Interiorização da Copa

Ações e objetivos: promover a escolha do maior número de cidade como CTS em Minas; organizar no interior do Estado, durante a Copa das Confederações e em 2014, eventos nos moldes das Fan Fests promovidas pela FIFA; elaborar guia especial para a Copa, reunindo os eventos já consolidados em Minas e que possam ser transferidos para o período da Copa; reforçar a mensagem de que Minas Gerais concentra 60% do Patrimônio Histórico do Brasil; as cidades históricas serão usadas como chamariz para turistas.

Experiências de outras Copas mostram que entre um jogo e outro, o turista tem interesse em conhecer o interior do estado. Por isso a importância de se estruturar bons pacotes turísticos e receptivos. Também serão desenvolvidas propostas para valorizar os produtos mineiros como os derivados do leite, o café e a cachaça. Segundo a Embratur, durante a Copa, Minas deve atrair 196,7 mil turistas estrangeiros  e 430,5 mil brasileiros.

Minas tem 19 municípios inscritos junto à Fifa para se qualificar como CTS: Araxá, Caxambu, Caeté, Divinópolis, Extrema, Formiga, Governador Valadares, Ipatinga, Juiz de Fora, Lagoa Santa, Montes Claros, Mathias Barbosa, Patos de Minas, Poços de Caldas, Sacramento, Sete Lagoas, Uberaba, Uberlândia e Varginha.A Fifa pré selecionou 14 campos em 7 cidades de Minas como possíveis Centro de Treinamento:Araxá, Extrema, Juiz de Fora, Matias Barbosa, Montes Claros e Uberlândia e Belo Horizonte.

Capacitação

Cerca de 5 mil pessoas devem ser capacitadas para a Copa até o final de 2012 (cursos de línguas, agentes de informação turística, guia de turismo, auxiliar de cozinha, camareira, garçom, recepcionista, gestão de negócio, planejamento de emergência hospitalar externa e princípios de medicina de catástrofe).

Empregos

14.496 empregos diretosgerados com obras da Copa em BH (Mineirão, Independência, BRT, Confins, hotéis). Mais de 61 empresas envolvidas: 67,21% (41) do total são de BH.

Hotelaria

O número de leitos em hotéis na região de BH crescerá até a Copa de 30.194 para 55.632. São 34 hotéis em construção, sendo um cinco estrelas, 13 quatro estrelas e 18 três estrelas. Destes, 15 possuem centros de convenção o que garante bom uso pós-copa.

Estádios

Independência

Construído para receber jogos da Copa do Mundo de 1950, o Estádio Independência , em Belo Horizonte, está sendo reformado para poder receber jogos do Campeonato Brasileiro, da Copa do Brasil e até da Libertadores durante o período de obras para a modernização do Mineirão.

O governo do Estado está investindo R$ 133 milhões, no projeto que eleva de 15 mil para 25 espectadores a capacidade da nova Arena, que terá de condições de receber outros espetáculos, além de partidas de futebol. Localizado na região central de Belo Horizonte, o estádio conta com estacionamento para 422 veículos, 32 bares e lanchonetes, 16 cabines de rádio e tv e 72 postos de trabalho para imprensa escrita, auditório para coletivas, camarotes para 2.225 pessoas.

Durante as Copas das Confederações e do Mundo, o Independência deverá ser usado como campo oficial de treinamento (COT), local onde as seleções treinam dois ou três dias antes do jogo oficial na cidade-sede.

Mineirão

O Estádio Mineirão será o primeiro a ter as obras para a Copa concluídas. O consórcio responsável tem, contratualmente, até 21 de dezembro de 2012 para entregá-lo. Os investimentos somam R$ 666,3 milhões, sendo R$ R$ 654 milhões via parceria público privada. O Mineirão tem sido bom exemplo de sustentabilidade com 90% dos resíduos da obra reaproveitados, árvores transformadas em artesanato.Atualmente, emprega 1.500 operários. Este mês, começa a montagem dos anéis de arquibancada inferior e chegam as treliças (estruturas em aço) da nova cobertura.

A capacidade será para 64 mil lugares, incluindo 80 camarotes e tribuna para cerca de mil jornalistas. Também está em construção uma esplanada, que poderá receber até 65 mil pessoas. A cobertura fará captação de energia solar, que, transformada em elétrica, poderá abastecer 1.200 residências de médio porte.

A Minas Arena – consórcio responsável pela construção e operação do estádio – contratou, em dezembro de 2011, a portuguesa Lusoarenas e a norteamericana Global Spectrum, duas empresas especializadas ementretenimento e lazer, com foco em estádios de futebol, arenas multiuso e centros de convenções, para auxiliar na gestão do Mineirão.

Aeroporto

As obras são de responsabilidade da Infraero, que vai investir R$ 236,65 milhões. O prazo de execução é de 28 meses. A expectativa de conclusão é para dezembro de 2013.

A área do Terminal 1 passará de 60,3 mil m² para 67,6 mil m². A pista de pouso e decolagem será ampliada em 600 metros.  O terminal receberá novas esteiras de bagagem, novos balcões de chek-in e sistema de ar condicionado, além de ampliação da área de embarque e desembarque, novas lojas, inclusive free shop.

O Plano Diretor do Aeroporto de Confins foi feito pela empresa Changi Airports International, de Cingapura, contratada pelo Governo de Minas. O Plano prevê três terminais de passageiros e três pistas de pouso e decolagem para atender a demanda estimada em 37 milhões de passageiros/ano, nos próximos 30 anos. Atualmente, a movimentação no Aeroporto chega a 8 milhões de passageiros/ano.

No dia 5 de outubro do ano passado, o Governo de Minas publicou edital de licitação internacional para a escolha da empresa que fará os projetos básico e executivo do Terminal 2. Na ocasião, foi confirmada também a publicação do edital para a concorrência que irá escolher o operador master do Aeroporto Indústria no sítio do AITN. A Infraero transferiu ao Estado R$ 10,6 milhões para a elaboração do projeto executivo do Terminal 2. A projeção é que o aeroporto receba cerca de 20 milhões  de passageiros, em 2020.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: Governador inicia agenda oficial na Itália para atrair novos negócios

Objetivo da viagem é atrair novos negócios e estreitar relações com as províncias italianas

O governador Antonio Anastasia embarca nesta sexta-feira (2) para a Itália, onde inicia agenda oficial nas regiões de Piemonte, Lazio e Campânia. A viagem tem o propósito de apresentar as potencialidades econômicas, tecnológicas e turísticas de Minas Gerais, de forma a atrair investimentos e fortalecer as relações entre o Governo de Minas e as províncias italianas. A agenda de trabalho do governador inclui reuniões com representantes do governo italiano, empresários e instituições acadêmicas. Os encontros irão acontecer nas cidades de Turim, Roma, Nápoles e Salerno, entre os dias 5 e 9 de março.

Acompanham o governador os secretários de Estado Dorothéa Werneck (Desenvolvimento Econômico), Agostinho Patrus Filho (Turismo), Bráulio Braz (Esportes e da Juventude) e Gil Pereira (Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas), além de delegação de empresários mineiros, organizada pela Câmara de Comércio Italiana de Minas Gerais e pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg).

Investimentos para Minas

No primeiro dia de encontros oficiais, próxima segunda-feira (5), em Turim, Antonio Anastasia e o presidente da Fiat Mundial, Sergio Machionne, assinam protocolo de intenções formalizando o acordo de parceria entre o Governo de Minas e a Case New Holland (CNH), garantindo a implantação de nova unidade da fábrica de máquinas de construção em Montes Claros, no Norte de Minas Gerais.

Serão investidos R$ 600 milhões, entre 2012 e 2014, quando a fábrica deverá entrar em operação. O governador anunciou a instalação da fábrica durante visita a Montes Claros, no dia 29 de fevereiro. A unidade vai gerar cerca de 2,7 mil empregos, sendo 700 diretos e dois mil indiretos.

Fortalecimento das parcerias

O governador também se reunirá com membros do governo da região de Piemonte para assinar Acordo de Cooperação Técnica, renovando por mais cinco anos a agenda de trabalho entre Minas Gerais e a Região. O acordo visa promover o desenvolvimento econômico, ambiental, científico, tecnológico, cultural e social de ambas as regiões.

O Governo de Minas e a Região de Piemonte já mantêm, há alguns anos, estreita relação em diversos setores. Um deles é a parceria com o Instituto Politécnico de Turim, por meio da realização do Programa Jovens Mineiros Cidadãos do Mundo, projeto de capacitação em áreas estratégicas, que contribui com o desenvolvimento do capital humano e aumenta a capacidade competitiva do Estado e da sociedade. É viabilizado por meio de intercâmbio de alunos de diversas graduações, que compartilham aprendizado e experiências e participam de treinamentos intensivos em universidades, centros de pesquisas ou órgãos governamentais.

O governador se reunirá com o reitor do Instituto, Marco Gilli, para discutir os resultados das cinco edições realizadas em parceria com o Instituto e a realização de uma próxima edição com a entidade de ensino italiana.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas reabre Museu Mineiro com estrutura ampliada

BELO HORIZONTE (18/01/12) – A secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, participou, nesta quarta-feira (18), da solenidade de reabertura do Museu Mineiro, após reformas em sua estrutura física. Juntamente com o superintendente de Museus e Artes Visuais da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), Léo Bahia, a secretária visitou com os convidados as salas de exposição do museu, que ganharam nova museografia, que inclui projeto luminotécnico e sistema elétrico restaurado e modernizado. O Museu Mineiro passou a contar, também, com uma Sala de Exposição Temporária, com 200 metros quadrados, e um espaço multiuso, para palestras e cursos, equipado com computadores.

Na ocasião, a secretária Eliane Parreiras ressaltou que o Governo de Minas reabre as portas do Museu Mineiro com grande satisfação, não só por seu respeitado acervo estar novamente disponibilizado ao público, mas, principalmente, por representar o esforço da SEC em fortalecer o Sistema Estadual de Museus.

Estiveram presentes à solenidade o presidente da Fiemg, Olavo Machado Júnior; o presidente da Casa Fiat de Cultura, José Eduardo de Lima Pereira; o ex-secretário de Estado de Cultura de Minas Gerais e presidente do BDMG Cultural, Washington Mello; além dos artistas plásticos Yara Tupinambá, Eymard Brandão e Priscila Freire.

Incentivo

Inaugurado em 1982 com a missão de preservar, pesquisar e difundir os registros da cultura mineira e de ser espaço de referência para as demais instituições museológicas de Minas Gerais, o Museu Mineiro teve sua obra de recuperação realizada com o patrocínio do BDMG, por meio do BDMG Cultural; da Fiat, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura; e da parceria com a Fiemg, por meio do Sesi.

A reinauguração foi realizada com a abertura da mostra “Coleções do Museu Mineiro” – com obras da Coleção Arquivo Público, Coleção Geraldo Parreiras, Coleção Pinacoteca do Estado e Coleção Amigas da Cultura. Na Sala de Exposição Temporária, também foi aberta a mostra “Palavras: dos homens, das coisas, das plantas e dos animais”, que reúne 145 desenhos criados por 71 professores índios de seis etnias de Minas Gerais.

Fonte: Agência Minas