• Agenda

    agosto 2019
    S T Q Q S S D
    « out    
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

  • Anúncios

Pimentel envergonha os mineiros ao fugir de debate pela segunda vez

Na falta do petista, o tempo destinado para perguntas e respostas foi dividido entre os demais candidatos, que não lhe pouparam críticas.

Eleições 2014

Fonte: Estado de Minas

Críticas inclusive para candidato ausente

Debate na TV Alterosa foi marcado por troca de farpas e por ataques a Fernando Pimentel

Na reta final da disputa pelo Palácio Tiradentes, o debate promovido pelos Diários Associados e transmitido pela TV Alterosa na noite de ontem foi marcado pela ausência do ex-ministro Fernando Pimentel (PT) – por motivo de saúde – e a troca de acusações e ataques entre os adversários Pimenta da Veiga (PSDB), Tarcísio Delgado (PSB) e Fidélis Alcântara (PSOL). Na falta do petista, o tempo destinado a ele para perguntas e respostas foi dividido entre os demais candidatos, que não lhe pouparam críticas.

A primeira artilharia veio de Pimenta da Veiga, que já no minuto destinado à sua apresentação lamentou a decisão do adversário de não participar do debate. “Ele foge porque não quer responder aqui notícias sobre seus procedimentos administrativos e pessoais. Tenho acusações a fazer frente a frente. Ele está fugindo, mas uma hora terá que aparecer”, afirmou o tucano. As acusações vieram no bloco destinado a perguntas entre os candidatos. Autorizado pelos organizadores, Pimenta dirigiu seu questionamento ao petista: “Ele está ultrapassando todos os limites da desconsideração com o eleitor. Será candidato mesmo tendo cinco processos judiciais por improbidade administrativa e corrupção?” Ainda foi dado a Pimenta um minuto para comentar a suposta resposta. “O PT está sonegando os fatos. Isso não faz jus às tradições mineiras”,completou.

O candidato do PSB, Tarcísio Delgado, também fez críticas a Pimentel ao dirigir sua pergunta a Fidélis Alcântara. Disse que o petista e a presidente Dilma não fizeram nada para evitar a exploração depredatória do minério em Minas Gerais. O candidato do Psol defendeu que as cidades envolvidas têm que ter controle sobre a exploração e acusou o PT e o PSDB de receber dinheiro das mineradoras para custear a campanha eleitoral de seus candidatos a governador e deputados. “Quem paga a banda escolhe a música, e quem paga a banda são as mineradoras”, reclamou.

Nas considerações finais, nova rodada de críticas ao PT. Pimenta voltou as baterias para o governo federal, citando supostos desvios de verbas na Petrobras. “Minas terá que se decidir se quer o modelo PT de governar. Com inflação alta, baixo crescimento e desemprego, que já está batendo na porta. Fora os escândalos, como o da Petrobras. Você precisa decidir, ou votará no candidato PT, que abandonou a verdade, para entregar a Cemig e a Copasa a quem destruiu a Petrobras, ou votará no nosso jeito de governar, que está sendo copiado por vários estados brasileiros”, afirmou Pimenta.

Pobreza Em dois blocos os candidatos responderam perguntas de representantes da sociedade civil e de jornalistas dos Diários Associados sobre segurança pública, saúde, educação, reforma tributária e ações sociais. O Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira, questionou as propostas para a população mais pobre. Sorteado para responder, Pimenta da Veiga (PSDB) prometeu superar a pobreza por meio da qualificação na educação. “O que deve ser feito é qualificar a pessoa, para que ela própria possa se desenvolver. Não adianta o assistencialismo barato que alguns fazem”, disse o tucano. Fidélis Alcântara apontou os investimentos do estado na saúde e na educação como forma de garantir os serviços básicos da população.

O presidente da seção mineira da Ordem dos Advogados do Brasil, Luís Cláudio Chaves, perguntou sobre as propostas para a segurança. Tarcísio Delgado criticou a atual gestão de Minas e citou o aumento nos índices de violência. “Nunca houve tanto crime como agora. Esse aumento fez até cair o índice de produtividade”, criticou Delgado. O candidato do PSDB rebateu, citando programas implementados pela atual gestão, como o Fica Vivo e o Olho Vivo.

O presidente da Associação Comercial, Roberto Luciano Fagundes, questionou sobre a possibilidade da redução dos tributos e da burocracia em Minas, enquanto o presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) quis saber qual será o peso da Secretaria da Fazenda no governo. Fidélis prometeu mudar as regras tributárias, enquanto Tarcísio Delgado defendeu segurança jurídica e tranquilidade para os empresários. Já Pimenta prometeu simplificar a vida do empresariado.

Após o debate, o candidato do PSDB atacou seu adversário petista. “Não pode vir ao debate, mas pode subir no palanque”, criticou Pimenta. Já Tarcísio Delgado preferiu não criticar o adversário ausente. “Não faço mau juízo de ninguém. Mandou dizer que está doente, eu quero acreditar que esteja. Se não estiver é uma coisa muito grave”, disse o socialista. Fidélis Alcântara lamentou a ausência de Pimentel, mas avaliou como positiva a possibilidade de apresentar suas propostas.

Anúncios

Anastasia refaz compromisso de agregar valor para fortalecer as exportações

Antonio Anastasia reafirma compromisso de atrair empresas para agregar valor aos produtos exportados por Minas Gerais

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Durante encontro com prefeitos das cidades polo, governador destacou o crescimento de 78,4% nas exportações mineiras em julho, acima da média nacional

As exportações das indústrias mineiras tiveram um crescimento superior ao nacional tanto no acumulado do ano, quanto em julho deste ano em relação ao mesmo mês de 2009. O desempenho do comércio exterior em Minas Gerais foi fundamental para o saldo positivo da balança comercial do país no mês passado. Durante encontro com prefeitos das cidades polo, nesta quinta-feira (26/08), o governador Antonio Anastasia destacou  avaliação da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), responsável pela elaboração das Estatísticas de Comércio Exterior divulgadas ontem. O estudo mostra que, sem a participação do Estado de Minas Gerais, o país teria déficit de US$ 460 milhões.

O governador Antonio Anastasia reiterou que, reeleito, dará prioridade na política econômica do Estado para que Minas aumente a participação de produtos de valor agregado na sua pauta de exportação. Segundo os dados da pesquisa Fiemg/Comex, os produtos básicos, ou seja, com baixo valor agregado, lideraram as vendas externas por Minas Gerais. O café é um exemplo. Minas Gerais é o maior produtor do país, mas quase não exporta o produto industrializado, que é o de maior valor no mercado.

“O Brasil só conseguiu superávit na balança de exportações em razão das exportações de Minas Gerais. Mas nós temos de diversificar isso, diversificar os nossos produtos, agregando valor. E para isso, esse programa de incentivos estratégicos vai priorizar empresas que venham com esse perfil, manufaturas, indústria de base, para permitir que tenhamos uma riqueza maior”, afirmou Antonio Anastasia.

A proposta que fará parte do Plano de Governo de Antonio Anastasia prevê a identificação da vocação de cada município e da região a que está inserido e atrair empresas que possam agregar valor ao produto primário.

Resultados expressivos
Os dados da pesquisa Fiemg Comex divulgados ontem apontaram que, em julho, o resultado de Minas foi o segundo maior da série histórica, com crescimento de 78,4%, para um total de R$ 2,822 bilhões. Este valor só é menor que o registrado em setembro de 2008, época em que se agravou a crise financeira internacional. Em todo o país a elevação foi de 25%. As exportações mineiras no acumulado de 2010 representaram 14,1% da pauta brasileira.

Não é apenas neste ponto que os resultados do estado superam os do país. No mês passado, o saldo da balança comercial de Minas Gerais (resultado das exportações menos as importações) foi positivo em R$ 1,9 bilhão, enquanto o Brasil fechou em R$ 1,3 bilhão. E. No acumulado do ano até julho, as exportações do estado totalizaram US$ 15,1 bilhões contra US$ 10,5 bilhões em 2009. As perspectivas traçadas pela própria Federação das Indústrias são de que se for mantido este cenário, as vendas externas das indústrias de Minas poderão atingir recordes neste ano, com uma movimentação superior a US$ 25 bilhões.

Desde janeiro e também em julho, Minas Gerais permanece com saldo superior ao brasileiro. As importações também cresceram bastante atingindo a US$ 5,32 bilhões, com expansão no acumulado de 39,6%, estimuladas principalmente pela agroindústria e indústria de transformação.

Emprego
Antonio Anastasia considerou que a agregação de valor aos produtos mineiros será fundamental para que Minas Gerais continue apresentando resultados positivos na geração de emprego. O governador também comentou destacou os resultados sobre a geração de empregos na Região Metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com as informações divulgadas ontem, a taxa de desemprego na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) em julho ficou em 8,3%, a menor taxa desde 1996, ano em que teve início a série histórica da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED).

O levantamento mostrou que a capital e os municípios do seu entorno detém o menor contingente de desempregados entre as sete regiões metropolitanas pesquisadas. E os trabalhadores da RMBH estão entre os mais bem remunerados. Em junho, o rendimento médio real dos ocupados foi de R$ 1.342, maior que a média nacional (R$1.265).

“O índice de desemprego na Região Metropolitana de Belo Horizonte voltou ao menor nível desde que iniciou seu levantamento em 1996. É o melhor do Brasil, o nosso. E o salário médio da Região Metropolitana de Belo Horizonte superou o de São Paulo e hoje só perde para o Distrito Federal. Mas, ainda que os números atuais sejam excelentes, Minas Gerais só vai conseguir evoluir economicamente de modo pleno quando nós diversificarmos a nossa economia”, disse Antonio Anastasia.