• Agenda

    janeiro 2020
    S T Q Q S S D
    « out    
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Aécio Neves diz que Dilma fez marketing ao cancelar viagem para Estados Unidos

Para o senador mineiro, Aécio Neves, presidente nacional dos tucanos, a decisão da presidente Dilma Rousseff ao cancelar ida para Washington nos Estados Unidos, foi uma “ jogada de marketing”. A viagem estava prevista para o dia 23 de outubro em resposta às denúncias de espionagem da NSA. Para o senador mineiro Aecio Neves, que é o atual presidente do partido dos tucanos, a presidente Dilma realizou uma jogada de marketing em suadecisão de adiar a visita de Estado que faria aos Estados Unidos em outubro pela suposta espionagem americana da qual foi vítima.

Dilma anunciou ontem (17) sua decisão de adiar a visita a Washington prevista para o dia 23 de outubro em resposta às denúncias que foi vítima da espionagem da Agência Nacional de Segurança dos EUA (NSA, na sigla em inglês).

A decisão foi anunciada em uma nota oficial que explica que foi tomada de comum acordo com o presidente dos EUA, Barack Obama, e que diz claramente que se deveu à espionagem sobre Dilma, empresas e cidadãos brasileiros.

No entanto, na opinião de Aecio Neves, “a decisão foi tomada não em reunião com o ministro das Relações Exteriores – ele me parece ter sido comunicado -, mas em reunião com aqueles que formulam a estratégia eleitoral da presidente”.

Outros líderes opositores repetiram o mesmo discurso. “Apoiamos uma reação forte de repúdio à espionagem, mas no contexto em que foi tomada a decisão ficou claro que houve um conflito entre diplomacia e interesses eleitorais. O que se quer é mobilizar os sentimentos de patriotismo no Brasil para fins eleitorais”, afirmou o senador Aloysio Nunes, também do PSDB.

Aécio Neves posta sobre espionagem no Brasil

O Facebook do presidente do PSDB, Aécio Neves, está sempre atualizado, em suas últimas postagens o senador mineiro compartilha nota sobre espionagem no Brasil.  Aécio falou, nesta terça-feira (3/09), em entrevista, sobre as denúncias feitas pela imprensa da ocorrência de espionagem pelo governo dos Estados Unidos no Brasil. Para Aécio, esta é uma questão que trata da soberania nacional, unindo governo e oposição.

“Em todo momento que houver qualquer risco à soberania nacional, a repulsa deve ser de todos. É preciso que o governo esteja mais atento a esses riscos, o que demonstrou também uma enorme fragilidade também no nosso sistema de defesa. Nesse momento, se confirmadas essas violações, tanto oposição quanto governo devem se unir na busca de respostas e explicações minimamente consequentes e razoáveis por parte do governo americano”.

A Comissão de Ciência e Tecnologia vai promover audiência pública para discutir a atuação dos ministérios da Justiça e das Relações Exteriores sobre as denúncias de espionagem dos Estados Unidos nas comunicações da presidente Dilma Rousseff. O requerimento que pede a reunião foi apresentado pelos deputados Paulo Abi-Ackel (MG) e Antonio Imbassahy (BA). Os tucanos sugerem a presença dos ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e de Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado.

“O vazamento das supostas escutas e espionagens que começou como “apenas” uma questão de segurança nacional interna aos Estados Unidos, logo evoluiu para uma questão embaraçosa junto aos seus aliados europeus e agora novas revelações indicam que além de cidadãos brasileiros também a própria presidente Dilma teve sua comunicações monitoradas”, explicam os deputados na justificativa do pedido.

De acordo com matéria publicada pelo “Estado de Minas”, o Brasil seria o país mais monitorado da América Latina e as escutas se dariam com a ajuda de empresas de telecomunicações que operam no país em cooperação com companhias privadas americanas. A nota foi compartilhada no Facebook de Aécio Neves, logo após de sair na imprensa.

Gestão da Educação: alunos da rede estadual representam Minas em feira internacional

Estudantes da Escola Estadual Manuel Antônio de Sousa, em Azurita, irão aos EUA em maio

Divulgação/SEE
Estudantes irão representar Minas Gerais em competição internacional nos Estados Unidos
Estudantes irão representar Minas Gerais em competição internacional nos Estados Unidos

Estudantes da rede estadual de ensino de Minas Gerais participarão, em maio, de um dos principais encontros internacionais de ciências do mundo. Tudo começou há pouco mais de cinco meses, quando Júlia Maria Resende Ferreira, Jaqueline Campos Costa e Cristopher Mateus Carvalho foram convidados pela professora de biologia, Fernanda Aires Guedes, a participarem de uma pesquisa que envolvia uma velha conhecida dos moradores da pequena Azurita, no distrito de Mateus Leme: o Pariri. O objetivo do trabalho era comprovar o potencial medicinal da planta. O que começou como uma pesquisa para ser apresentada na feira de ciências da escola, hoje tomou proporções inimagináveis.

Os estudantes do primeiro ano do ensino médio, da Escola Estadual Manuel Antônio de Sousa participarão no mês de maio, nos Estados Unidos, da International Science and Engineering Fair (Intel ISEF), a maior feira para estudantes que ainda não chegaram ao nível universitário.

“Em 2011, orientei um trabalho dos alunos do 3º ano do ensino médio da Educação de Jovens e Adultos (EJA), no qual eles analisaram a parte hematológica do Pariri, ou seja, a eficácia curativa. Esses estudantes se formaram e então resolvi dar continuidade ao trabalho com os três melhores alunos da escola. Fiz o convite e eles aceitaram”, conta a Fernanda Aires Guedes.

Na continuidade do trabalho, os estudantes analisaram o potencial anti-inflamatório e antimicrobiano da planta. A primeira parte foi a pesquisa de campo. Os alunos entrevistaram moradores da cidade que faziam uso do Pariri e perguntaram, por exemplo, como elas consomem a planta e a quantidade ingerida.

A segunda parte foi a análise das propriedades químicas da planta. O grupo analisou quais os princípios ativos que o Pariri tem e que faz com que ele haja em determinadas doenças. Essa etapa da pesquisa foi realizada em um laboratório de Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e contou com a coorientação do doutorando em Química, Fernando César Silva. “A maior parte da pesquisa foi realizada no laboratório da escola, mas para essa etapa precisamos de equipamentos mais sofisticados dos quais a escola não dispunha”, ressalta a professora de Biologia.

Após a análise e já de volta ao laboratório da escola, os estudantes estudaram o potencial de inibição do crescimento de bactérias utilizando estratos da planta. “Nós trouxemos os estratos do Pariri para escola e testamos em quatro bactérias (Salmonella, Lactobacillus, Ecoli e Shigella). Nessa fase, verificávamos quais estratos eram capazes de inibir a proliferação de bactérias”, afirma Júlia.

A última etapa do trabalho foi a produção de três produtos fitoterápicos. “Fizemos pomada, sabonete e hidratante. São produtos que são utilizados na cicatrização e lavagem de feridas”, conta Jaqueline. O controle de qualidade dos produtos também ficou por conta dos ‘jovens pesquisadores’. “Em todos os produtos fizemos testes para observar o PH, temperatura, concentração e textura ideais”, conclui a estudante.

Depois de todo trabalho, os estudantes já se sentem verdadeiros pesquisadores. “Aprendemos muitas coisas que não sabíamos como o nome de vários equipamentos do laboratório. Além disso, nós conseguimos provar que o Pariri consegue inibir o crescimento de bactérias e isso é muito importante”, ressalta Júlia.

Durante os cinco meses de pesquisa todo o trabalho realizado foi registrado no ‘livro de bordo’ e os números são surpreendentes. Para o estudo foi utilizado mais de 1Kg da folha, o que daria para encher mais ou menos quatro sacolas grandes. Essa quantidade deu para fazer 12 sabonetes, quatro vidros de hidratantes e quatro pomadas.

Vaga na Intel Isef

A oportunidade de participar da competição internacional foi conquistada após a participação do grupo na Feira Brasileira de Ciência e Tecnologia (Febrace), feira promovida pela Universidade de São Paulo (USP). Durante o evento, além de conquistar a vaga na Intel Isef, com a pesquisa ‘comprovação do potencial medicinal da planta pariri (Arrabidae Chica) e suas aplicações químicas em produtos fitoterápicos’, os estudantes receberam outras três premiações: primeiro lugar como melhor stand, segundo lugar na categoria ciências biológicas e professora destaque da feira.

A professora destaque, Fernanda Aires Guedes, ressalta a importância de incentivar os jovens a realizar pesquisas. “Eu sempre gostei de incentivar os alunos a trabalharem com pesquisas. Não são apenas eles que aprendem comigo, eu também aprendo muito com eles e faço tudo com muito amor”.

A participação na feira trará para os estudantes a chance de conquistar diferentes prêmios, entre eles uma bolsa na universidade de Havard, nos Estados Unidos. Mais de 60 trabalhos serão apresentados na Intel Isef e para competir em pé de igualdade com os outros projetos, os estudantes estão contando com uma maratona de preparação. “Estamos fazendo aulas de inglês, por causa da apresentação. A participação na feira é algo novo e diferente. Vai ser muito bom para o meu currículo, já que pretendo seguir carreira na área”, confessa Cristopher Mateus Carvalho.

Pariri

O Pariri é velho conhecido dos moradores de Mateus Leme. Segundo os estudantes, a planta começou a ficar famosa em 1995, quando um dentista da cidade estava fazendo um tratamento contra o câncer e ao começar a tomar o chá feito com a planta começou a perceber um aumento das hemácias. Ao ser curado, ele prometeu que iria divulgar os benefícios do Pariri. Então sempre que um morador pede ele distribui folhas já secas da planta e quando a pessoa começa a fazer uso frequente ele distribui as mudas do Pariri.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/alunos-da-rede-estadual-representam-minas-em-feira-internacional/

Gestão em Minas: governador Antonio Anastasia comemora anúncio de consulado dos EUA

Secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, anunciou instalação de consulado em Belo Horizonte

O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, comemorou o anúncio da instalação de consulado dos Estados Unidos em Belo Horizonte, feito nesta segunda-feira (9) pela secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton. Segundo o governador, a medida é resultado dos esforços empreendidos, nos últimos anos, pelo governo, entidades de classe, políticos e setores da sociedade civil do Estado.

A decisão mostra o reconhecimento da importância que Minas Gerais tem nas relações entre o Brasil e os Estados Unidos e facilitará o fluxo de pessoas, produtos e serviços de e para o Estado. “Minas Gerais é um parceiro importante para os Estados Unidos. Milhares de mineiros vivem no país ou o visitam a cada ano. O consulado é um novo patamar social e econômico para Minas Gerais”, comemorou o governador.

Em 2011, os Estados Unidos foram o terceiro principal destino dos produtores mineiros, atrás de China e Japão, segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic). As exportações mineiras somaram US$ 3,05 bilhões, 38% acima dos US$ 2,2 bilhões registrados em 2010. Com isso, o país norte-americano atingiu uma participação de 7,4% na pauta exportadora do Estado. Em relação às importações, os Estados Unidos foram o principal parceiro comercial dos mineiros, no ano passado. As importações de produtos “made in EUA” chegaram a US$ 2,17 bilhões.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governador-antonio-anastasia-comemora-anuncio-de-consulado-dos-eua/

Gestão Antonio Anastasia: projetos estratégicos do Governo de Minas são apresentados a diplomata norte-americana

Reta Jo Lewis está no Brasil para visitar as 14 cidades que devem sediar jogos da Copa

Renato Cobucci/Imprensa MG
Renata vilhena recebe a representante do governo dos EUA, Reta Jo Lewis, assessora sênior de Hillary Clinton
Renata vilhena recebe a representante do governo dos EUA, Reta Jo Lewis, assessora sênior de Hillary Clinton

Em visita oficial ao Brasil, a diplomata norte-americana Reta Jo Lewis, representante do governo dos Estados Unidos, esteve nesta segunda-feira (2) em Belo Horizonte, onde cumpriu compromissos na Cidade Administrativa. Ela foi recebida pela secretária de Estado de Planejamento de Gestão, Renata Vilhena. Assessora sênior do gabinete da secretária de Estado norte-america Hillary Clinton, Reta Jo Lewis está no Brasil para visitar as 14 cidades que devem sediar jogos da Copa do Mundo de 2014. Além de estreitar relações diplomáticas com o Brasil, a representante da Casa Branca manifestou interesse em conhecer alguns dos projetos de gestão estratégica implantados pelo Governo de Minas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/projetos-estrategicos-do-governo-de-minas-sao-apresentados-a-diplomata-norte-americana/

Gestão Anastasia: governo de Minas apresenta projeto Ecos das Gerais na ONU

O projeto prevê a introdução do aparelho de ultrassonografia portátil (USG) na atenção primária e nos serviços de urgência

Divulgação/SES-MG
O secretário Antônio Jorge de Souza Marques fez a apresentação na sede da Organização das Nações Unidas
O secretário Antônio Jorge de Souza Marques fez a apresentação na sede da Organização das Nações Unidas

O projeto Ecos das Gerais, voltado para a introdução da utilização do ultrassom portátil nos serviços de Urgência e na Atenção Primária, foi apresentado nesta quinta-feira (22), no evento INFOPORVETY, realizado na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova Iorque, Estados Unidos, pelo secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Antônio Jorge de Souza Marques.

O projeto Ecos das Gerais é uma parceria do Governo de Minas Gerais com o World Interactive Network Focused on Critical Ultrasound (WINFOCUS), organismo internacional, sem fins econômicos, que tem sede na Itália.

O INFOPORVETY é um evento organizado anualmente na ONU, com a participação do Parlamento Europeu e da Universidade de Oklahoma. Tem como objetivo central discutir e disseminar práticas inovadoras nas várias áreas da economia, baseadas em incorporação tecnológica, com vistas ao desenvolvimento sustentável da humanidade.

A utilização do aparelho de ultrassonografia (USG) portátil é antecedida de treinamento e incorporação de novos processos de trabalho médico. “É importante que seja usada uma nova metodologia, na qual o profissional médico adquira habilidades para a utilização do USG”, disse o secretário, ressaltando que essa é uma forma a fortalecer a capacidade clínica e, potencializando a capacidade do médico na solução de problemas que se apresentam na prática médica diária.

O WINFOCUS desenvolve forte ação de disseminação desta metodologia em todo mundo. Inúmeras evidências científicas começam a surgir, o que demonstra a eficácia e a efetividade na prática clínica com melhoria da gestão clínica, principalmente, na área de Urgência e Trauma. “A utilização da tecnologia não é especialista dependente e o impacto financeiro sobre os custos de exames complementares mostra-se vantajosa para os provedores públicos e privados”, assegurou Antônio Jorge. Além disso, completou o secretário, “esse projeto fortalecerá sensivelmente a tomada de decisão do medico regulador, através da transmissão da ultrassonografia a partir das ambulâncias do SAMU 192. Localidades remotas, com restrição de profissionais de saúde, poderão utilizar a telemedicina para a transmissão em tempo real. Isso possibilitará ao profissional obter uma segunda opinião de especialistas à distância”.

Projeto piloto

O projeto piloto do projeto Ecos das Gerais será desenvolvido na Macrorregião Norte de Minas. O objetivo é introduzir na Rede de Urgência e Emergência desta macrorregião a ultrassonografia clínica de uma forma inovadora, com formação, tecnologia, criação de protocolos clínicos e novas abordagens práticas para melhorar a qualidade dos atendimentos de emergência clínica e cuidados no trauma, garantindo a acessibilidade e a sustentabilidade. Outro objetivo é a introdução do USG também na Rede Materno-Infantil da Microrregião de Manga.

O investimento, R$ 5 milhões do Tesouro estadual, será utilizado na capacitação de 250 médicos e na aquisição de 50 equipamentos de ultrassonografia portátil. Os médicos e enfermeiros da linha de frente serão treinados no uso “ponto de cuidado” da ultrassonografia portátil. Os equipamentos serão usados em ambulâncias, hospitais locais, pronto socorros e também na atenção primária. A expectativa que até janeiro de 2013 o projeto esteja implantado em toda a Macrorregião Norte de Minas. “Acreditamos que essa experiência no Norte de Minas servirá como referência não só para todo o Estado de Minas Gerais, como também para a criação de um modelo nacional”, afirmou o secretário.

Fonte:  http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-apresenta-projeto-ecos-das-gerais-na-onu/

 

Governo de Minas: Estádio Independência homenageia torcedores de 1950

O grupo de torcedores teve a oportunidade de caminhar pelas arquibancadas e pelo gramado do novo estádio

Bruno Sales/Secopa MG
Torcedores revivem a emoção do Mundial de 1950 no Independência
Torcedores revivem a emoção do Mundial de 1950 no Independência

A história do Estádio Independência registrou um capítulo emocionante, nesta quarta-feira (14), com a visita ao estádio de dez torcedores que lá assistiram aos jogos da Copa de 1950. O Independência, que foi construído para o Mundial de 1950, foi palco de três partidas durante a competição. Uma delas, Estados Unidos versus Inglaterra, foi emblemática, já que os norte-americanos venceram os favoritos ingleses, tornando-se assim uma das maiores zebras do futebol mundial.

O grupo de torcedores teve a oportunidade de caminhar pelas arquibancadas e pelo gramado do novo estádio. Ainda receberam foto personalizada e autografaram uma camisa da Seleção Brasileira. Um dos momentos mais emocionantes da manhã foi a chegada ao local do advogado aposentado Salvador Velloso, de 78 anos. Por causa de uma deficiência física, ele foi levado até lá em uma maca do Corpo de Bombeiros. “Não poderia faltar. Estava muito ansioso para conhecer o novo estádio. Estou impressionado com a mudança. Cheguei a ver dois dos três jogos da Copa de 1950. Era um menino na época. Paguei porque tinha curiosidade de ver um time mítico, a Inglaterra. Deu no que deu”, lembra Velloso, vítima de poliomielite.

Outro personagem dessa crônica esportiva é o jornalista Márcio Rubens Prado, o Marcinho, natural de São Miguel y Almas de Guanhães (antigo nome da cidade de Guanhães, no Leste do Estado), como gosta de frisar. Americano convicto, tem na ponta da língua números e datas sobre a história de seu estádio preferido. “A única exigência da Fifa naquela época era que os três jogos da Copa rendessem 1,5 milhão de cruzeiros, o equivalente na época a U$S 75 mil. Como renderam US$ 38 mil, a prefeitura teve que completar o resto”, conta.

Segundo o cronista, redator, copidesque, editor e âncora, a seleção inglesa não deixou boas lembranças. “Eles resolveram se hospedar numa instalação da Mina do Morro Velho e se recusaram a visitar a Lagoa da Pampulha, como fizeram as outras seleções. Ficavam enfurnados lá em Nova Lima e não deram entrevista para ninguém. Não quiseram nem treinar antes da partida fatídica. Estavam convictos da vitória”, critica. O jornalista lembra que um jornal britânico chegou a publicar o placar Inglaterra 10 x 0 Estados Unidos. “A redação achou que era erro de digitação e fez essa barbaridade”, diverte-se.

 

Outro foco de atenção da manhã foi a presença do aposentado Elmo Cordeiro, 77 anos. Ele diz ter sido o gandula da maior zebra da história. “Eu fiquei atrás do gol da Inglaterra, pegando as bolas que saíam. Os ingleses atacaram muito, mas não marcaram. Daí, em um deslize da defesa inglesa, um haitiano marcou para os Estados Unidos. O estádio estava cheio e o pessoal torcia mesmo para os Estados Unidos. A Inglaterra gerou uma certa antipatia na cidade”, comenta.

História e modernidade

O secretário de Estado Extraordinário da Copa, Sergio Barroso, se emocionou com os relatos do grupo. “Foi um encontro da história com a modernidade. Esses torcedores são testemunhas de um período importante da história do estádio e do futebol. A Copa de 1950 foi o pontapé inicial da exposição do futebol mineiro para o mundo”, diz o anfitrião da homenagem.

Durante a visita, o advogado Afonso Celso Raso, presidente do conselho administrativo do América, também reviu amigos, relembrou histórias e reforçou a importância do estádio. “Fico emocionado de rever esses torcedores do clube porque o Independência é a casa do América para uso do esporte mineiro”, registrou.

Fonte: Agência Minas