• Agenda

    janeiro 2020
    S T Q Q S S D
    « out    
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Aécio Neves comemora incentivos dados por Anastasia para empresas se instalarem na Área mineira da Sudene

Aécio Neves comemora novos incentivos para empresas e empregos na Área mineira da Sudene

Fonte: Assessoria de imprensa do senador Aécio Neves

Senador Aécio Neves comemora novos incentivos para empresas e empregos na Área mineira da Sudene

“O que vemos hoje é o Governo do Estado tratando o Norte e os Vales do Jequitinhonha e do Mucuri com a dignidade e o respeito que merecem, e o governo federal virando as costas para essa região”, diz Aécio.

O senador Aécio Neves elogiou, nessa sexta-feira (15), o projeto de lei do governador Antonio Anastasia que cria linhas de crédito e incentivos tributários para empresas que se instalarem no Norte de Minas e nos Vales do Jequitinhonha e do Mucuri. Aécio Neves disse que, ao contrário do governo federal, a iniciativa demonstra que o governo de Minas vem priorizando, há nove anos, a área mais pobre do Estado, investindo ali três vezes mais por habitante do que no restante do estado.

“O governador Anastasia dá sequência àquilo que acreditamos vital para o governo do Estado. Priorizar a nossa região da Sudene. O Norte de Minas, o Vale do Jequitinhonha e o Vale do Mucuri devem ter instrumentos para alcançar o nível de desenvolvimento das outras regiões do Estado”, disse.

O senador destacou que o projeto anunciado por Anastasia mostra a diferença entre a ação do governo de Minas e a do governo federal, que vetou a emenda proposta por ele pela inclusão dos municípios mineiros da área da Sudene no conjunto de benefícios fiscais concedidos a Pernambuco pela Medida Provisória 512.

“O que vemos hoje é o Governo do Estado tratando o Norte e os Vales do Jequitinhonha e do Mucuri com a dignidade e o respeito que merecem, e o governo federal virando as costas para essa região. Criamos mecanismos para que alguns fornecedores pudessem vir para Montes Claros, para o Norte de Minas e para os nossos Vales. Infelizmente, o governo do PT vetou esses benefícios. O governador Anastasia faz o inverso. Prioriza com esse projeto essa região, cria quase que uma nova Sudene, estadual, permitindo que continue a haver investimentos como os da Alpargatas”, declarou Aécio.

Investimentos anunciados na região já geram mais 32 mil empregos

A empresa Alpargatas anunciou, este mês, que irá instalar uma fábrica de sandálias Havaianas em Montes Claros, no Norte de Minas. Também foram anunciados este ano a implantação de uma unidade de exploração de minério de ferro da Vale, em Porteirinha, enquanto o município de Chapada Gaúcha receberá a implantação de uma indústria de beneficiamento de borracha da Imbó Beneficiamento. Esses projetos representam R$ 785 milhões em investimentos gerando mais de 32 mil empregos diretos e indiretos.

“Em 2011, já foram quase 32 mil empregos entre diretos e indiretos gerados nessa região. O que estamos sinalizando é que é fundamental que, assim como o Governo do Estado vem fazendo, o governo federal compreenda que essa região não pode sair do mapa. Felizmente, o governador Anastasia tem demonstrado a sensibilidade que nós, ao longo dos últimos 8 anos, também havíamos demonstrado, ao fazer com que para cada R$ 1 investido no restante do Estado, fossem investidos R$ 3 nessa região. No ProAcesso, nos investimentos na saúde, na educação de melhor qualidade”, lembrou o senador.

Sudene Mineira

O projeto que o governador Anastasia encaminhará à Assembleia Legislativa incentiva o crescimento das regiões Norte de Minas, Vale do Jequitinhonha e Vale do Mucuri por meio da criação de linhas de crédito com recursos do Fundo de Equalização do Estado de Minas e do Fundo de Incentivo ao Desenvolvimento (Findes). Além disso, serão estabelecidas condições tributárias diferenciadas, beneficiando empresas que se instalarem nas regiões. Os 165 municípios dessa região integram a Área Mineira da Sudene.

Com licença, vou à luta: Antonio Anastasia lança programa de qualificação profissional para mulheres com mais de 40 anos

Anastasia lança Com licença, vou à luta, voltado às mulheres com mais de 40 anos desempregadas

Fonte: Agência Minas

Projeto tem objetivo de dar mais autonomia às mulheres, facilitando o ingresso ou retorno ao mercado de trabalho por meio de maior qualificação profissional e estudo 

O governador Antonio Anastasia lançou nesta quinta-feira (14/07) o projeto “Com licença, vou à luta”, de apoio às mulheres com mais de 40 anos que estejam desempregadas. Por meio de qualificação profissional e incentivos à melhoria do nível de escolaridade, o projeto busca dar mais autonomia a essas mulheres, facilitando o ingresso ou o retorno ao mercado de trabalho.

As 100 primeiras mulheres a serem atendidas participaram do lançamento do programa, que aconteceu na Cidade Administrativa. Elas vivem nos municípios de Capim Branco, Confins e Mateus Leme, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

“O nome do programa é uma homenagem à luta de tantas e tantas mulheres. Tenho certeza que a fibra e o valor da mulher mineira, tão conhecidos na história, nas artes, na cultura, no dia a dia, na política e na administração, se revela vitoriosa dentro da casa de cada um”, destacou Anastasia.

As participantes do projeto foram identificadas a partir de questionários aplicados por agentes do Porta a Porta, programa do Governo de Minas que está combatendo a pobreza e devolvendo a dignidade a milhares de pessoas. Inicialmente, o “Com licença, vou à luta” será instalado em nove municípios mineiros.

Emoção

Durante a solenidade, Mercedes Belmira do Nascimento fez um depoimento emocionado, contando a sua dificuldade de encontrar emprego por causa de sua baixa escolaridade.

“Eu fui entregar o meu currículo e na hora da entrevista a dona me perguntou: ‘que série você tem?’ Eu falei: eu tenho só até o primeiro ano. Por causa disso, eu não conseguia trabalho. Eu não pensava mais que ia estudar e estou estudando, gente. E eu falo para vocês, vamos à luta!”, disse Mercedes, que recebeu aplausos emocionados das participantes do projeto e também do governador e secretários de Estado que estavam no evento.

O “Com licença, vou à luta” vai ajudar pessoas como dona Mercedes, que precisam do emprego, mas que não encontram espaço por causa da escolaridade ou da baixa qualificação profissional.

“É por isso mesmo que estamos lançando, para milhares de outras donas Mercedes de Minas Gerais, esse programa. Iniciamos o projeto no âmbito do Programa Travessia, que é um grande programa que o Estado tem na área social, que dialoga inclusive com o Brasil sem Miséria do governo federal, com o objetivo sempre de resgatar tantas e tantas pessoas que precisam da inclusão no sentido pleno da palavra, educação, saúde, qualidade de vida, renda, saneamento, habitação. E nós sabemos que é um processo”, afirmou o governador.

As ações estarão focadas no aumento da escolaridade por meio da participação das mulheres em Comitês de Trabalho Solidário que promoverão cursos de qualificação profissional. Além disso, também serão trabalhados temas referentes aos direitos das mulheres, noções de cidadania e ética no trabalho.

Essas ações serão desenvolvidas com recursos do Estado, com o apoio de uma rede de oportunidades formada por entidades, empresas, serviços públicos e privados nos municípios parceiros. Depois de três meses participando do Comitê de Trabalho Solidário, as mulheres receberão um certificado de qualificação profissional. Os cursos vão levar em conta as demandas e vocações de cada município.

Oficina de Travessia

O “Com licença, vou à luta” faz parte do Oficina de Travessia, um grande projeto do governo de Minas, que contempla nove programas para melhorar a vida dos mineiros mais carentes e dar oportunidade de crescimento profissional e aumento de renda e qualidade de vida às pessoas.

“O programa Travessia é algo fundamental em nosso governo, porque ele pretende modificar a realidade. Muitas vezes eu fico lamentando porque nós não temos condições financeiras de fazermos esses programas todos no Estado inteiro ao mesmo tempo, isso em razão da estrutura tributária brasileira que não permite aos Estados fazer isso. Mas nós mostramos através de diversos programas que nós temos o diagnóstico da realidade, nós temos a condição exata de fazer o receituário. Mostramos ao Brasil que funciona e funciona bem”, afirmou o governador.

O objetivo do Travessia é justamente dar à população atendida a oportunidade de realizar a travessia de uma condição de privação social para uma melhor situação de vida. Até o fim deste ano o Governo de Minas investirá R$ 8,2 milhões nas ações do Oficina de Travessias.

Inicialmente o programa está sendo implantado em nove cidades: Capim Branco, Confins e Mateus Leme (na região metropolitana), Matutina (Alto Paranaíba), Santo Antônio do Jacinto e Itinga (Jequitinhonha), Ninheira (Norte), Presidente Kubitschek (Central), Arinos (Noroeste). Os municípios foram selecionados dentro de critérios técnicos, com base nos indicadores de vulnerabilidade social. Nesses nove municípios agentes do programa Porta a Porta identificou 7.789 mulheres desempregadas que serão atendidas com ações do “Com licença, vou à luta”.

Antonio Anastasia criará o Currículo do Trabalhador para assegurar mão-de-obra qualificada em Minas

Programa aumentará a escolaridade do trabalhador, garantirá qualificação profissional e experiência prática de trabalho

O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, criará em Minas Gerais o Currículo do Trabalhador, programa inovador que auxiliará os trabalhadores mineiros a encontrarem novas oportunidades de emprego. O programa é uma dos 365 compromissos do Plano de Governo de Antonio Anastasia, lançado na semana passada. O Currículo do Trabalhador permitirá que trabalhadores desempregados com baixa escolaridade possam reforçar seus currículos, criando novas oportunidades no mercado de trabalho e garantindo mais qualificação à mão-de-obra em Minas.

No programa, o trabalhador passará por um período de 12 a 18 meses de preparação para o mercado de trabalho. Aquele que não tiver concluído o Ensino Fundamental será encaminhado a um curso supletivo na rede pública de ensino para terminar os estudos. Em seguida, passará por um curso de capacitação de acordo com sua habilidade ou com a vocação da região onde morar.

Com o curso de capacitação profissional, o trabalhador será encaminhado a um posto de trabalho, onde atuará por três meses com os salários custeados pelo Estado. As vagas serão criadas dentro dos próprios órgãos estaduais (escolas, postos de saúde, autarquias, fundações, entre outros), no Sistema S (Senai e Sesc) e empresas parceiras. Ao final do período estipulado, o trabalhador terá escolaridade, qualificação profissional e experiência prática, um currículo completo para entrar no mercado de trabalho.

Antonio Anastasia destacou a importância do programa na inserção do trabalhador ao mercado de trabalho. Segundo ele, o Currículo do Trabalhador garantirá oportunidade de progredir e se manter no emprego.

“Com esse programa, o trabalhador mineiro vai encontrar e manter o seu trabalho. Hoje, o mercado de trabalho exige três componentes: escolaridade, qualificação e experiência. Para isso, vamos garantir as condições para que cada trabalhador termine a sua formação escolar. Vamos fazer também com que todo trabalhador possa ter o seu curso de qualificação profissional e vamos remunerar durante três meses aqueles que participarem do programa”, afirmou o governador.

Agentes de trabalho

Para garantir a implantação do programa Currículo do Trabalhador, o Governo de Minas contará com os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e escolas da rede pública em todo o Estado. Nesses locais, agentes de trabalho acompanharão o cumprimento das metas dos trabalhadores na conclusão do ensino fundamental, nos cursos de profissionalização até a inserção no mercado de trabalho.

O governador Antonio Anastasia afirmou ainda que o Currículo do Trabalhador interromperá um ciclo cruel de degradação que envolve toda a família quando um dos membros está desempregado e consegue retornar ao mercado de trabalho. Também contribuirá para que o jovem, que ainda não tem experiência de mercado, possa conseguir o primeiro emprego.

“Assim vamos ajudar trabalhadores adultos a voltar ao mercado de trabalho e vamos ajudar o jovem a conseguir o primeiro emprego, acabando com o ciclo que aflige a tantos pais e mães de família, que vêem seus filhos não conseguirem emprego porque não tem experiência, porque não conseguem uma primeira oportunidade”, disse.

Emprego para os jovens

Outra importante iniciativa do Plano de Governo de Antonio Anastasia voltada para a geração de empregos é o programa Rede Mineira de Inclusão dos Jovens. Por meio do programa, todos os alunos que concluírem o Ensino Médio pela rede pública terão a oportunidade de trabalhar durante três meses, com salários também custeados pelo Governo do Estado em órgãos estaduais ou em empresas parceiras.

“Durante três meses, todo aluno que se formar no ensino médio terá oportunidade de trabalhar, ser remunerado por isso e ganhar experiência fundamental para entrar bem no mercado de trabalho”, afirmou o governador Antonio Anastasia.

Mais emprego

Os esforços do governador Antonio Anastasia para o desenvolvimento da economia mineira fizeram com que no primeiro trimestre de 2010, Minas apresentasse um crescimento de 12%, um percentual maior que o do Brasil e até da China. Minas é o segundo polo gerador de empregos com carteira assinada no país.

Desde 2003, foram gerados 1 milhão 180 mil empregos, um desempenho que mereceu a manifestação do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, que aplaude as iniciativas adotadas por Anastasia e das parcerias firmadas pelo Governo de Minas para garantir trabalho e renda ao trabalhador mineiro. Com Anastasia, segundo o ministro Carlos Lupi, Minas vai continuar avançando.

“A principal marca de um governo republicano, que respeita a vontade do povo, é fazer parceria indistintamente. Parcerias para gerar emprego. Parcerias para gerar cidadania. Parcerias que estão dando certo. O povo de Minas sabe disso. Por isso ele quer continuar avançando, com parcerias, com responsabilidade, respeitando o direito do povo de Minas. É isso que o Anastasia, com certeza, irá fazer à frente do Governo do Estado”, enfatiza o ministro Carlos Lupi.

Esse reconhecimento aos esforços do Governo de Minas se traduz no crescimento do Estado acima da média nacional. Minas foi o estado do Sudeste que teve o maior crescimento de empregos nos últimos 12 meses e é também o estado do Sudeste que teve maior crescimento na geração de empregos em 2010. Nos últimos 12 meses, Minas gerou mais empregos do que a média brasileira. A Região Metropolitana de Belo Horizonte tem a menor taxa de desemprego do País.

Propostas e metas

O Plano de Governo de Antonio Anastasia com propostas e metas para o período de 2011 a 2014 está disponível para consulta da população pela internet. O documento denominado “Minas de Todos os Mineiros – As Redes Sociais de Desenvolvimento Integrado” inclui 365 compromissos para melhorar a qualidade de vida da população, os indicadores sociais do Estado e aumentar a renda dos mineiros.

A íntegra do Plano de Governo de Antonio Anastasia está disponível na internet (http://www.anastasia2010.com.br/#plano_de_governo) para que todos os cidadãos mineiros possam conhecer as suas propostas para o período 2011-2014. Os mineiros também poderão dar novas sugestões para ampliar as propostas do Plano de Governo.

O caminho proposto é assegurar o desenvolvimento em todas as regiões do Estado, interiorizando ações e programas de governo nas áreas de saúde, educação, habitação, infraestrutura dos municípios, geração de empregos, entre outros.

O Plano de Governo foi elaborado por um conjunto de 150 profissionais e especialistas de reconhecida atuação em diversos segmentos da sociedade, sob a coordenação do sociólogo Cláudio Beato e dividido em sete áreas, denominadas redes. São elas: Rede Gestão Eficiente, Rede de Atendimento em Saúde, Rede de Educação e Desenvolvimento, Rede de Infraestrutura, Rede de Desenvolvimento Social, Proteção e Segurança; Rede Desenvolvimento Sustentável e Cidades; e Rede de Identidade Mineira.

Plano de Governo do governador Antonio Anastasia: Conheça o Plano de Governo de Antonio Anastasia <http://www.anastasia2010.com.br/#plano_de_governo>

Região Metropolitana de Belo Horizonte tem a menor taxa de desemprego em 14 anos

Taxa de desemprego na RMBH é a menor desde 1996

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais

A taxa de desemprego na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) em julho ficou 8,3%, a menor desde 1996, ano em que teve início a série histórica da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED).  O levantamento mostrou também que a capital e municípios do seu entorno detém o menor contingente de desempregados entre as sete regiões metropolitanas pesquisadas. E os trabalhadores da RMBH estão entre os mais bem remunerados. Em junho, o rendimento médio real dos ocupados foi de R$ 1.342, maior que a média nacional (R$1.265) e até do que a média de São Paulo (R$1.320).

Em julho, com relação a junho, a taxa de desemprego na RMBH caiu 2,4%, passando de 8,5% para 8,3%, indicador só registrado em novembro de 2008. Este é o terceiro mês seguido que o percentual é o menor observado para o período em toda série histórica. Já na comparação com julho de 2009, quando o indicador era 11%, a queda chega a 24,5%. A PED foi divulgada na manhã de hoje (25/08) pela Fundação João Pinheiro (FJP), Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese).

A pesquisa mostrou também que das sete regiões metropolitanas pesquisadas, Belo Horizonte foi a que apresentou a menor taxa de desemprego, à frente de Porto Alegre (8,9%), Fortaleza (10,2%), São Paulo (12,6%), Distrito Federal (13,7%), Salvador (16,9%) e Recife (17,2%). A taxa da RMBH está 4,1 pontos percentuais abaixo da média nacional que é de 12,4%.
Ainda de acordo com a pesquisa, a População Economicamente Ativa (PEA) na RMBH é formada por 2,471 milhões de pessoas. Deste total, 2,266 milhões de trabalhadores estavam ocupados e 205 mil estavam desempregados no mês de julho. No mesmo período do ano passado, o número de pessoas à procura de uma vaga na RMBH era de 274 mil.

A queda da taxa de desemprego foi verificada em todas as faixas etárias pesquisadas. No comparativo anual, a taxa de desemprego dos jovens com idade de 16 a 24 anos caiu 25,6%. Entre os trabalhadores com idade entre 25 e 39 anos, o recuo foi de 18,9%. Já entre os trabalhadores de 40 a 49 anos, a taxa de desemprego caiu 21,9%.

Mais emprego e maior renda
Os trabalhadores da RMBH só ganham menos do que os de Brasília (R$1.901). Na capital e no entorno, o rendimento médio em junho chegou a R$1.342, um aumento de 7,3% na comparação entre os meses de junho de 2010 e 2009. Na comparação com o mês de maio de 2010, o crescimento foi de 1,7%. Nas demais regiões pesquisadas os valores médios, em junho, foram: São Paulo (R$1.320), Porto Alegre (R$1.294), Salvador (R$1.084), Recife (R$ 862) e Fortaleza (R$ 830).

Por setor
Os setores da economia que mais criaram vagas foram o da construção civil e do comércio, em julho. Nos canteiros de obras, a expansão nos postos de trabalho foi de 3,8%, no comparativo com o mês de julho de 2009, e de 6,9%, na comparação com o mês anterior. Somente em julho, 11 mil trabalhadores foram colocados no mercado. Já a participação dos ocupados no setor de comércio cresceu 8,5%. Na comparação com o mês de junho 2010, o crescimento foi de 3,4%, com a abertura de 12 mil novas vagas.

Criação de vagas
Minas Gerais bateu a marca de 1 milhão de empregos gerados desde 2003, início do atual Governo. No acumulado dos primeiros sete meses do ano, foram criadas um total de 245.926 vagas, o que representa um aumento de 7,02% na abertura de posto. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, o desempenho de Minas foi o segundo melhor de toda a série história para o período e superou a taxa de crescimento nacional, de 5,02%.
Em julho de 2010, ainda segundo os dados do Caged, foram gerados 13.354 empregos com carteira assinada, equivalentes a uma expansão de 0,36% em relação ao estoque de assalariados do mês anterior. A expansão é resultado do crescimento, principalmente, nos setores da construção civil (+5.727 postos), serviços (+5.147 postos), comércio (+3.453 empregos) e indústria de transformação (+1.160 postos)

Antonio Anastasia garante instalação de unidade do Corpo de Bombeiros especializada em patrimônio em Congonhas

Antonio Anastasia garante instalação de unidade do Corpo de Bombeiros especializada em patrimônio em Congonhas

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Em Congonhas, governador afirmou que vai instalar unidade dos Bombeiros especializada e reafirmou compromisso em gerar mais empregos na região
O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, afirmou, neste sábado (21/08), durante visita a Congonhas (Região Central), que, reeleito, instalará no município uma unidade do Corpo de Bombeiros especializada em patrimônio histórico. Antonio Anastasia afirmou que a medida será fundamental para dar mais segurança às importantes obras do Mestre Aleijadinho, que garantiu à cidade reconhecimento daUnesco como Patrimônio Cultural da Humanidade. Recentemente, um incêndio destruiu dois antigos casarões de Congonhas.

“Vamos trazer para Congonhas uma importante unidade dos bombeiros especializada em patrimônio histórico. Todo o Brasil assistiu assustado o incêndio no centro histórico de Congonhas. Há um ano, como vice-governador, inaugurei em Conselheiro Lafaiete uma bela guarnição do Corpo de Bombeiros que em 19 minutos estava aqui. Mas mesmo assim, sabemos que precisamos ter uma unidade especializada no Patrimônio Histórico aqui em Congonhas”, afirmou.

Nos últimos oito anos, o Governo de Minas promoveu importantes investimentos para melhorar o atendimento dos Bombeiros instalado em 47 unidades em todo o Estado. A corporação conta hoje com 1.067 viaturas, 712 carros a mais que em 2002. As unidades de Ouro Preto, São João Del Rei, Sabará e Diamantina já contam com viaturas especializadas para combater incêndios em cidades históricas. De pequeno porte, a viatura pode ser utilizada para combater incêndio e fazer salvamento em ruas estreitas.

Mais empregos
Em Congonhas, Antonio Anastasia reafirmou seu compromisso com a atração de empresas e geração de mais empregos para a população. Ele disse que o município, que tem como principal atividade econômica a mineração e a siderurgia, apresenta grandes condições de acompanhar o ciclo virtuoso de desenvolvimento do Estado.

“Precisamos também gerar empregos. Acho que essa região precisa de empregos de qualidade e, agora, com essa expansão econômica que Minas vem vivendo, tenho certeza que vamos expandir ainda mais. Expandir, gerar empregos e garantir a qualidade de vida das pessoas. É nosso compromisso”, afirmou.

Antonio Anastasia e Aécio Neves, acompanhados do vice-prefeito José de Freitas Cordeiro (PSDB), foram recebidos com entusiasmo pela população de Congonhas. Os candidatos participaram de uma carreata que começou na rodoviária e seguiu até a Rua Padre João Pinto, onde iniciaram uma caminhada. Os candidatos tiraram fotos, cumprimentaram eleitores e ouviram muitas mensagens de apoio. Cerca de 400 pessoas acompanharam a caminhada. Na Praça JK, mais conhecida como “quarteirão da Açominas”, Antonio Anastasia e Aécio Neves se encontram com lideranças políticas e reafirmaram o compromisso de manter o desenvolvimento regional.

Com 29 anos no serviço público estadual, a servidora Zita Ferreira de Castro disse que escolheu a continuidade das boas ações desenvolvidas em Minas Gerais nos últimos oito anos. Ela destacou a atenção especial do Governo aos servidores públicos, entre elas os reajustes de salariais e o fim da escala de pagamento que acabou com o atraso nos salários dos servidores.

“Com o governo de Aécio e Anastasia nunca deixamos de receber antes do quinto dia útil, além dos aumentos que já recebemos”, afirmou.

Ouro Branco
Antonio Anastasia e Aécio Neves encerraram as visitas de campanha neste sábado em Ouro Branco (Central). Eles caminharam com a população na praça Santa Cruz e comeram pastel na padaria São José. Antonio Anastasia participou de encontro com lideranças políticas no auditório do Sindicato dos Metalúrgicos de Ouro Branco onde participou de formatura de cursos de capacitação profissional promovido pela entidade.

Anastasia destaca que bom momento da economia mineira está ligado aos investimentos feitos pelo Governo de Minas

Antonio Anastasia destaca ambiente de prosperidade e otimismo em Minas Gerais

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Candidato à reeleição, governador ressalta que investimentos realizados nos últimos oito anos favorecem a atração de empresas para o Estado

“Minas vive hoje ambiente de prosperidade e otimismo”. A afirmação é do governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, que visitou São Sebastião do Paraíso (Sul de Minas), na tarde desta terça-feira (17/08/2010), ao lado do ex-governador Aécio Neves, candidato ao Senado. Ao receber o apoio de mais 30 prefeitos do Sul de Minas, Anastasia disse que em suas viagens por todas as regiões tem comprovado que as ações realizadas pelo Governo de Minas, nos últimos anos, garantiram as condições necessárias para que todo o Estado dê um salto de crescimento. Os investimentos em infraestrutura vêm possibilitando a atração de novas empresas e geração de mais empregos para a população.

“Há um clima muito positivo em Minas Gerais. É exatamente esse ambiente, esse clima, que queremos dar continuidade, tanto nas cidades grandes, quanto pequenas. O nosso governo se preocupou, desde o início, também com as pequenas cidades mineiras. Vejam a quantidade de estradas, a telefonia celular, o saneamento, a habitação popular, a melhoria das escolas, os novos postos de saúde e a recuperação dos hospitais. Houve grandes avanços. Tanto que temos hoje, em Minas, o maior número de empregos com carteira assinada proporcionalmente com o crescimento do PIB e estamos atraindo muitas empresas”, afirmou Antonio Anastasia.

O PIB de Minas Gerais registrou crescimento de 12,2% no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, contra um crescimento de 9% do PIB nacional. O aquecimento da economia mineira é resultado do esforço do Governo de Minas em garantir condições ideais para novos investimentos privados. Desde 2003, foram anunciados R$240 bilhões em investimentos de empresas privadas em Minas, com a criação de 448 mil empregos diretos. Desde 2003, Minas bateu o número de 1 milhão de empregos gerados em todos os setores, segundo dados do Ministério do Trabalho.

Apoio do Sul de Minas
Em São Sebastião do Paraíso, Antonio Anastasia e Aécio Neves receberam o apoio de 30 prefeitos do Sul de Minas. Uma grande carreata formada por dezenas de carros acompanhou os candidatos até o centro da cidade. Ao lado de dezenas de prefeitos, apoiadores e de moradores da cidade, os candidatos percorreram a avenida Angelo Calafiori, seguindo pela rua Pimenta de Pádua até a Praça da Matriz, onde foram recebidos com fogos de artifício e bandeiras da coligação.

O governador cumprimentou eleitores e comerciantes e foi abraçado por diversas pessoas que passavam pela principal praça da cidade. Depois de visitar a Sorveteria Sposito, a mais tradicional da cidade, com 99 anos, Antonio Anastasia e Aécio Neves voltaram à Praça da Matriz, onde subiram em um palco montado em frente ao coreto. Neste momento, a rua estava tomada por apoiadores e delegações de várias cidades do Sul de Minas, que estavam identificadas por placas.

Durante visita dos candidatos ao Sul de Minas, o prefeito de São Sebastião do Paraíso, Mauro Zanin (DEM), entregou ao governador manifesto de apoio de 12 prefeitos dos 17 municípios que compõem a Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Grande (Ameg). O documento contém 54 propostas de ações para desenvolvimento da região. Desde o início da campanha, Antonio Anastasia tem percorrido várias regiões do Estado para ouvir a população e levantar sugestões para seu Plano de Governo.

“Sabemos que um governo sério ajuda muito a administração dos nossos municípios. É isso que queremos que continue. Por isso que temos prefeitos do Democratas, do PSDB, até do PT e do PMDB de nossa região, que estão apoiando Antonio Anastasia porque reconhecem o trabalho que foi bem feito e querem continuar tendo um bom  parceiro para olhar para nossa região e para os nossos municípios”, afirmou Mauro Zanin.

Mais desenvolvimento
Antonio Anastasia afirmou que, reeleito, dará atenção especial ao desenvolvimento das diversas regiões de Minas. Ele garantiu que todas as regiões atendidas com a implantação de um grande hospital regional, com o objetivo de aumentar a qualidade do atendimento à saúde. O Plano de Governo que está sendo elaborado, para os próximos quatro anos, irá ampliar o número de hospitais regionais no Estado e fortalecer as ações de prevenção. O objetivo é avançar nas conquistas asseguradas pelo ProHosp, programa que proporcionou a melhoria da qualidade do atendimento em 128 hospitais que atendem pelo SUS em 112 municípios mineiros.

“Já avançamos muito na área da saúde. Conseguimos com uma grande rede, através do Pro-Hosp, recuperar hospitais em todo o Estado: municipais e filantrópicos. Precisamos avançar mais, a partir da criação de uma rede de hospitais regionais, como o que já está sendo construído em Uberlândia e se iniciando em Uberaba e Sete Lagoas, e em outras grandes cidades. Aqui no Sudoeste também teremos um grande hospital regional com esse objetivo, de ter uma qualidade maior da saúde na região, para não ter necessidade da pessoa sair daqui, de São Sebastião ou do Sudoeste mineiro, e ir para São Paulo, ou Belo Horizonte”, disse o governador.

Antonio Anastasia afirmou, ainda, que o Governo de Minas identificará as vocações industriais de cada região para incentivar a instalação de empresas estratégicas e oferecerá tratamento tributário diferenciado e linhas de créditos especiais. O governador afirmou que o perfil da região de São Sebastião do Paraíso, grande pólo da cafeicultura do Estado, pode atrair empresas do setor do agronegócio.

“Estamos propondo um programa de incentivo estratégico. Vamos identificar, em cada região, uma determinada área industrial para receber incentivos tributários e também crédito, para termos uma indústria estratégica, que vai atrair um cinturão de fornecedores e trazer empregos de melhor qualidade. Faremos isso por todo o Estado e, evidentemente, aqui no Sudoeste também. Certamente alguma grande indústria vinculada ao agronegócio, em razão do perfil da região”, afirmou Antonio Anastasia.

Estado de Minas: Política fiscal adotada por Aécio-Anastasia gera 76 mil empregos e começa a dar resultados

Estado de Minas: Minas reage à guerra fiscal e recupera investimentos

Fonte: Zulmira Furbino – Estado de Minas

Governo muda de postura e enfrenta a concorrência dos estados vizinhos. Resultado: R$ 13 bi em investimentos e 76 mil empregos

Minas contra-ataca

A Açotel, fabricante de aços para a construção civil que nasceu e cresceu em Juiz de Fora, na Zona da Mata, abriu uma unidade em Três Rios, no Rio de Janeiro, em 2007, mas está encerrando a temporada em terras fluminenses, transferindo a filial para sua terra natal. A abertura de mais uma unidade em Minas inicialmente vai gerar inicialmente 100 empregos diretos, mas a previsão é que em três anos esse número salte para 280. A uma semana de assinar um acordo para a construção de uma fábrica num estado do Nordeste, a Marluvas, produtora de calçados profissionais com origem em Dores de Campos, também na Zona da Mata, desistiu dos planos de investir fora de Minas e decidiu levar o empreendimento para Capitão Enéas, no Norte do estado. Por trás dessa reviravolta radical nos planos dessas empresas está a reação do governo estadual à guerra fiscal promovida por estados vizinhos – ou não tão próximos assim.

Ao enfrentar a concorrência com outros entes da federação, Minas já contabiliza 98 projetos – alguns já fechados e outros em negociação firme – que vão investir R$13 bilhões e deverão gerar 76 mil empregos no estado. A informação é do Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (Indi) e os números referem-se somente a este ano. A iniciativa marca uma alteração significativa na postura do estado em relação à atração e à perda de investimentos. E essa mudança não se restringe apenas à concessão de incentivos fiscais como descontos no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para equiparar as condições tributárias às ofertas dos concorrentes.

“Sempre estivemos em Minas e só abrimos uma filial no estado do Rio de Janeiro por conta da isenção parcial de ICMS, da Lei Rosinha”, diz Thiago Alvim, diretor-comercial da Açotel. Em março, a empresa foi procurada pelo Indi, que oferecia as mesmas condições para que a unidade viesse para Juiz de Fora. “Antes a gente tentava conversar para continuar aqui, mas não conseguia. Agora o ICMS, que era de 12%, passou a ser 2%. Por isso decidimos trazer o empreendimento para cá. Tudo o que construímos está aqui”, diz o empresário.

“Não vamos participar da guerra fiscal, mas também não vamos ficar parados. Minas sempre fez tudo corretamente. Aí as empresas vinham, faziam uma cotação, e iam se instalar em outros estados. Agora, uma empresa que trouxer um projeto definitivo receberá todos os incentivos do estado, desde que isso não afete a responsabilidade fiscal”, avisa o secretário de Desenvolvimento Econômico, Sérgio Barroso. Em dezembro do ano passado, o governo de Minas concedeu incentivos e facilidades fiscais a setores econômicos dos municípios afetados pelas perdas de empresas e novos investimentos para outros estados. O objetivo é garantir o desenvolvimento da economia, evitando a perda da capacidade competitiva nas empresas em função de condições tributárias desvantajosas em relação a estados vizinhos. As medidas de proteção podem ser adotadas por municípios de todas as regiões do estado, desde que sejam comprovados os prejuízos à competitividade de negócios instalados em Minas.

Há poucas semanas, o diretor-presidente da Suggar, Lúcio Costa, recebeu uma inesperada ligação do presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Olavo Machado Júnior. O propósito do telefonema do líder da indústria mineira ao empresário era instá-lo a desistir da ideia de abrir uma unidade de produção de máquinas de lavar roupa semi-automáticas em Camaçari, na Bahia, em favor de Minas Gerais. “O Indi ofereceu um ICMS de 2% para que abríssemos a unidade em Juiz de Fora. Foi a primeira vez que isso ocorreu e acredito que esse é um sinal de que a Fiemg e o governo estão preocupados com a perda de competitvidade das empresas instaladas em Minas”, analisa o empresário.