• Agenda

    janeiro 2020
    S T Q Q S S D
    « out    
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Recife: Terezinha Nunes diz que Aécio tem olhar diferenciado para o Nordeste

Deputada Terezinha Nunes (PSDB) destacou a visão do senador para contrair o Novo Nordeste um projeto que vai recuperar a irrigação.

Novo Nordeste

Fonte:  Site da deputada Terezinha Nunes

Terezinha Nunes destaca visita de Aécio Neves ao Recife

A deputada Terezinha Nunes (PSDB) destacou a importância da visita do candidato a presidente da República, senador Aécio Neves, ao Recife, na última quarta-feira (18).

A deputada falou, durante o plenário na quinta-feira(19), sobre o compromisso assumido pelo candidato de criar o Programa Novo Nordeste, que tem como principal foco acabar com os gargalos da infraestrutura da região, a exemplo do Arco Metropolitano, importante obra para facilitar o trânsito nas cidades que vêm recebendo grandes empreendimentos.

Aécio v, por considerar uma região carente e que precisa de um choque de infraestrutura para poder se sobressair no cenário da economia do país”.

Segundo a deputada, o senador mineiro reiterou que vai manter e aperfeiçoar os programas sociais. Outra proposta do Novo Nordeste é um projeto que recupere para o semiárido a capacidade de investimentos em irrigação.

De acordo com a parlamentar, ele ressaltou ainda que irá reunir esforços para concluir as obras paralisadas como a Transnordestina e a transposição do Rio São Francisco.

O senador mineiro veio ao Recife para encontro com lideranças e receber o título de cidadão recifense, concedido pela Câmara Municipal.

Governador do Piauí fecha apoio à candidatura de Aécio

Aécio Neves se reuniu com Zé Filho e recebeu o apoio do Governador do Piauí que acredita no projeto de mudança do candidato do PSDB

Eleições 2014

Aécio Neves recebe apoio do governador do Piauí

Fonte: Jogo do Poder

O governador do Piauí, Zé Filho (PMDB-PI), declarou, nesta sexta-feira (20/06), apoio a candidatura do senador Aécio Neves à Presidência da República. Candidato à reeleição ao governo do Estado tendo como vice o tucano Silvio Mendes, Zé Filho se reuniu com Aécio no Rio de Janeiro e ressaltou que tomou a decisão porque acredita no projeto de mudança proposto pelo candidato do PSDB.

Aécio sela aliança com PMDB-RJ

Aécio Neves fechou acordo com o PMDB do Rio para entrar na chapa do governador Luiz Fernando Pezão, um eleitor declarado de Dilma.

Eleições 2014

Fonte: Folha de S.Paulo 

Aécio sela união com PMDB no Rio e divide base de Dilma

Tucano faz acordo com Pezão depois de Campos apoiar petista Lindbergh

Presidente será forçada a dividir palanques no Estado com seus dois principais adversários na corrida presidencial

Alianças políticas costuradas nos últimos dias obrigarão a presidente Dilma Rousseff a dividir com seus principais adversários na corrida presidencial o apoio dos dois maiores palanques montados para as eleições deste ano no terceiro maior colégio eleitoral do país, o Rio de Janeiro.

No domingo (22), o senador mineiro Aécio Nevescandidato do PSDB à Presidência da República, fechou acordo com o PMDB do Rio para entrar na chapa do governador Luiz Fernando Pezão, um eleitor declarado de Dilma, que concorre à reeleição com o apoio do PMDB.

O acordo foi fechado no apartamento de Aécio no Rio, com a presença de Pezão e seu padrinho político, o ex-governador Sérgio Cabral. O apoio do PSDB garantirá a Pezão mais tempo para fazer propaganda no rádio e na televisão e a Aécio, estrutura para fazer campanha no Rio.

O acerto deverá ser anunciado nesta segunda-feira (23) por Pezão e pelo presidente do diretório estadual do PMDBJorge Picciani, principal mentor da aproximação com Aécio. No início de junho, ele reuniu 1.500 pessoas num ato de apoio ao presidenciável tucano no Rio.

Com o PSDB a seu lado, Pezão ampliará de 9 minutos para cerca de 12 minutos o tempo de sua coligação em cada bloco de 25 minutos de propaganda no horário eleitoral, que começa em agosto.

O acordo com o PMDB é o segundo golpe sofrido pela base governista no Rio em poucos dias. Na sexta (20), o PSB do ex-governador Eduardo Campos, outro rival de Dilma na eleição presidencial, selou aliança com o candidato do PT ao governo estadual, o senador Lindbergh Farias.

As duas alianças enfraquecem a campanha de Dilma, reduzindo o empenho que os candidatos dos dois maiores partidos da base governista poderiam ter na campanha da presidente se não tivessem se unido a seus adversários.

Embora a cúpula do PMDB esteja comprometida com a candidatura de Dilma à reeleição, o partido se distanciou do PT em vários Estados, num sinal do desconforto que a longa parceria com os petistas causa nas bases do partido.

O acordo de Pezão com Aécio abriu espaço na chapa do PMDB para outro adversário dos petistas, o vereador e ex-prefeito César Maia (DEM), que deverá concorrer ao Senado no lugar do ex-governador Cabral, que deixou o cargo com a popularidade em baixa e agora desistiu da disputa.

Com a aliança de Campos e Lindbergh Farias, o candidato da chapa petista ao Senado será o deputado e ex-jogador de futebol Romário (PSB), que já declarou que não votará em Dilma.

Contrário à aliança do PMDB com os tucanos e defensor do alinhamento com o governo federal, mas minoritário dentro do partido, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), divulgou nota em que classificou o acordo como um “bacanal eleitoral”.

“O conjunto de avanços que o Rio e a população vêm colhendo nos últimos anos é resultado de uma soma de forças políticas que têm trabalhado de maneira coerente”, afirmou Paes na nota.

Ele fez referência a declaração anterior do deputado Alfredo Sirkis (PSB-RJ), que na semana passada chamou de “suruba” a aliança feita por Campos com Lindbergh. “Depois da suruba, o que se vê agora é o bacanal eleitoral, e o Rio não pode ser vítima dele”, disse Paes.

Aécio: PTB expressa sentimento majoritário na sociedade brasileira por mudanças

PTB, em decisão da Executiva Nacional do partido, anunciou que integrará aliança em favor do senador Aécio Neves.

Eleições 2014

Fonte: Jogo do Poder

 PTB anuncia apoio à candidatura de Aécio Neves à Presidência

Em nota oficial, o PTB, em decisão da Executiva Nacional do partido, anunciou neste sábado (21) que integrará a aliança em favor do candidato do PSDB à Presidência da República, senador Aécio Neves. No próximo dia 27, em Salvador (Bahia), a decisão será formalizada durante a Convenção Nacional da legenda.

Na nota, assinada pelo presidente nacional do PTBBenito Gama, o partido reitera o desejo por mudanças e a confiança que Aécio reúne as condições para a retomada do crescimento econômico e a garantia da manutenção das conquistas sociais “hoje incorporadas à vida nacional”.

A seguir, a íntegra da nota oficial do PTB.

NOTA OFICIAL DO PTB

Executiva Nacional do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) sempre esteve sintonizada com os legítimos interesses do país. Por isso, participou do esforço da conquista da estabilidade econômica e dos avanços sociais que marcaram as últimas décadas no Brasil.

Hoje, mais uma vez sintonizada com o desejo de mudanças que vem sendo expressado pela ampla maioria do povo brasileiro, o PTB declara seu apoio ao senador Aécio Neves para as eleições presidenciais desse ano. Temos convicção de que Aécio reúne as condições para a retomada do crescimento econômico, seja na garantia da manutenção das conquistas sociais hoje incorporadas à vida nacional.

Essa decisão atende o clamor da maioria da bancada federal e de estados, onde os conflitos locais entre PTB e PT ficaram insustentáveis, como, por exemplo, Distrito Federal, Roraima, Piauí e Rio de Janeiro. Os estados ficam liberados para manter os acordos locais e esta decisão será apresentada na Convenção Nacional do PTB no próximo dia 27 de junho, em Salvador.

Salvador, 21 de junho de 2014

Benito Gama
Presidente Nacional do PTB

Entrevista do presidente do PSDB, senador Aécio Neves

São Paulo – 21-06-14

Sobre apoio do PTB

Recebi agora um comunicado do presidente do PTBBenito Gama, que se soma a nós. O PTB expressa um sentimento que é majoritário na sociedade brasileira por mudanças. E o PTB sempre foi um aliado tradicional do PSDB lá atrás. Esteve com o presidente Fernando Henrique no momento da estabilidade da economia, deu sustentação ao governo do presidente Lula e está buscando um caminho onde acho que encontrará maior convergência. No meu estado, em Minas Gerais, onde tenho uma relação, inclusive, pessoal com os dirigentes do PTB, fizemos uma bela travessia juntos ao longo desses 12 anos. Aqui em São Paulo, o PTB apoia historicamente o governador Geraldo Alckmin. Não cabe a mim fazer o julgamento individual de A ou B, cabe a mim perceber que há uma movimentação natural de partidos da base no caso específico agora, de setores de partidos da base já vem existindo há muito tempo. Agora, isso acaba fazendo com que um partido formalmente manifeste seu apoio à nossa candidatura. É bem-vindo e vamos fazer uma grande caminhada pelo Brasil.

Intenções de voto: Aécio sobe para 21%, mostra Vox Populi

Vox Populi: senador Aécio Neves (MG), subiu de 16% para 21%, em dois meses. A presidente Dilma Rousseff (PT) continua com 40%.

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Aécio sobe para 21%, mas Dilma venceria em primeiro turno, mostra Vox Populi

Senador tucano subiu cinco pontos. Já a presidente mantém 40% de intenção de voto

Pesquisa feita pela Vox Populi sobre as eleições presidenciais, a pedido da revista Carta Capital, divulgada nesta quarta-feira, revela que a intenção de voto do candidato do PSDB, o senador Aécio Neves (MG), subiu de 16% para 21%, em dois meses. A presidente Dilma Rousseff (PT) continua com 40% e venceria em primeiro turno. O ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), mantém os 8%.

pastor Everaldo (PSC), que tinha 2% em abril, também continua com o mesmo percentual de intenção de votos em junho. José Maria (PSTU) aparece pela primeira vez na pesquisa, com 1%. Os candidatos Randolfe Rodrigues (PSOL), Eymael (PSDC), Levy Fidelix (PRTB), Eduardo Jorge (PV), Mauro Iasi (PCB) e Denise Abreu (PTN) não atingiram 1%.

O número de eleitores indecisos caiu para 14%. Em abril chegava a 18%. O percentual daqueles que declararam que pretendem votar em branco ou anular o voto somaram 14% – antes eram 15%.

Vox Populi entrevistou 2,2 mil eleitores entre os dias 31 de maio e 1º de junho, em 161 municípios brasileiros. A margem de erro da pesquisa é de 2,1 pontos percentuais.

Ibope

Uma pesquisa feita pelo Instituto Ibope a pedido da União dos Vereadores do Estado de São Paulo (Uvesp) foi divulgada nesta terça-feira e mostra a presidente Dilma Rousseff com 38% das intenções de voto, o senador Aécio Neves (PSDB) com 22% e o ex-governador Eduardo Campos (PSB) com 13%. Dilma oscilou dois pontos percentuais para menos em comparação ao levantamento anterior do Ibope, realizado em maio. Aécio e Campos oscilaram dois pontos para mais.

Pesquisa Sensus: Aécio é o candidato com mais chance de crescer

Pesquisa: Sensus mostra que entre os eleitores que conhecem os candidatos, a vantagem de Dilma diminui e quem mais cresce é Aécio.

Tucano é também o menos rejeitado entre os 2 mil eleitores pesquisados.

Eleições 2014

Dilma na frente e Aécio com menor rejeição

ELEIÇÕES

Pesquisa mostra petista em 1º, mas vantagem em relação ao tucano fica menor entre os que conhecem os candidatos

Se as eleições fossem hoje, a presidente Dilma Rousseff (PT) venceria os adversários em todos os cenários, segundo pesquisa do Instituto Sensus feita entre os dias 17 e 21 de outubro em 136 municípios de cinco regiões do Brasil. O levantamento mostra, porém, que entre os eleitores que de fato conhecem os candidatos, a vantagem da petista diminui e quem mais cresce é o senador Aécio Neves (PSDB). O tucano é também o menos rejeitado entre os 2 mil eleitores pesquisados. Nesse quesito, o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) seria a pior opção do partido, por apresentar rejeição de quase metade dos entrevistados.

No primeiro cenário pesquisado, Dilma teria 40,2%, contra 18% do senador Aécio Neves e 10,6% do governador de PernambucoEduardo Campos (PSB). Indecisos, votos brancos e nulos somaram 31,3%. A margem de erro do levantamento encomendado pelo PSDB é de 2,2%. Quando são avaliados os mesmos nomes, mas entre os 1.117 entrevistados que declararam conhecer os três, a preferência por Dilma cai para 33,5% e a por Aécio sobe para 19,2%. Já as intenções de voto em Eduardo Campos atingem 13,3%.

Quando a ex-senadora Marina Silva é o nome do PSBDilma tem 38,2% das intenções de voto, Marina 18,4% e Aécio 17,8%. Nesse cenário, entre os que declaram conhecê-los, Dilma cairia para 33,5%, Aécio subiria para 21,3% – uma diferença de 12,2 pontos percentuais – e Marina para 19,9%.

Se o nome do PDDB for José Serra, a presidente vence com 38,8% dos votos. Nesse cenário, o tucano paulista teria 18,6% e Eduardo Campos 13,3%. Considerando o conhecimento dos eleitores sobre os nomes, Dilma teria 32,5%, Campos 18,5 e Serra 18,1%. Ainda com Serra na disputa, mas contra Marina pelo PSBDilma teria 38,2% dos votos, seguida por Serra com 18,3% e a candidata do PSB com 18%.

Em um eventual segundo turno, Dilma também venceria, mas Aécio é o que tem o melhor desempenho no embate entre os adversários. Com o mineiro candidato, ele teria 27%, contra 45,2% da petista. Essa diferença cai quando são considerados apenas os que declaram conhecer os candidatos. Nesse caso, Dilma teria 41,7% contra 30,2% de Aécio – 11,5 pontos percentuais. Para o diretor do Instituto Sensus, Ricardo Guedes, os dados da comparação entre conhecimento e voto são importantes pois mostram uma tendência de votação. “Hoje, a maior tendência, com o desenvolvimento do tempo e das campanhas , é termos um segundo turno entre Dilma e Aécio“, prevê.

Outro ponto importante que o PSDB deve observar, segundo o responsável pelo levantamento, são os índices de rejeição. Nesse critério, 47,4% dos entrevistados afirmaram que não votariam de modo algum em José Serra. Em seguida aparece Eduardo Campos, com rejeição de 39,7%, e Marina Silva, de 39,4%. Na ponta estão Dilma Rousseff, rejeitada por 36,1% e Aécio Neves, por 34,6%. ”A rejeição é um dos indicadores fundamentais da pesquisa, pois mostra um percentual do eleitorado que não votaria de jeito nenhum no candidato. Quem tem 40% ou mais está muito dificultoso no processo eleitoral”, afirmou Ricardo Guedes.

O pesquisador destacou que, além de SerraMarina e Eduardo Campos aparecem com percentuais próximos de 40%. “Quem tem entre 36% e 38% de rejeição é mais fácil, pois temos que, de 100% do eleitorado, 20% vão para branco, nulo ou abstenção. Os 80% restantes, se dividirmos por dois, dá 40%. Então, quem tem 40% ou mais não passa para o segundo turno”, explicou. O levantamento Sensus avaliou também as preferências partidárias. Preferem o PT 17,3% dos entrevistados e o PSDB 7,6%. Sobre o governo Dilma Rousseff, 39,4% consideram o resultado positivo e 38,1% regular. Para 20,8% a gestão da petista é considerada negativa.

Empate

senador Aécio Neves (PSDB) e a presidente Dilma Rousseff (PT) estão empatados na preferência dos eleitores do Espírito Santo para a sucessão presidencial em 2014. Segundo levantamento feito pela empresa Enquet, de Vitória, e publicado pelo jornal A Tribuna, Dilma tem 26,8% das intenções de voto, contra 26,5% de Aécio, uma diferença de 0,3 ponto percentual. O terceiro colocado nesse cenário, o governador do Pernambuco Eduardo Campos (PSB), aparece com 12,4% . Outros 14,4% responderam que votariam nulo ou em branco e 19,9% não souberam ou não opinaram. Quando o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB), é o candidato tucano, Dilma aparece no Espírito Santo com 27,5% contra 21,1% do rival. Nessa hipótese, Eduardo Campos tem 17,1%, brancos ou nulo 12,9% e não sabe ou não opinou 21,4%. Dilma apresenta também a maior rejeição naquele estado, com 40,1% dos entrevistados dizendo que não votariam nela. Foram ouvidas 1.400 pessoas. A margem de erro é 2,7% para mais ou para menos.

Eleições 2012: PSDB fica mais forte no Norte e Nordeste

PSDB:Norte e Nordeste 2014. Partido elege 691 prefeitos no 1º turno, no 2º disputa em 17 cidades. Guerra vai discutir eleições presidencial.

PSDB: Eleições 2012

 PSDB fica mais forte no Norte e Nordeste

PSDB: Eleições 2012 – Foto PSDB

Fonte: Raymundo Costa – Valor Econômico

Guerra destaca avanço do PSDB no Norte e Nordeste

O presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, apresentou o balanço do partido sobre o primeiro turno das eleições. O deputado destacou o fato de a sigla ter crescido “significativamente” no que ele chamou de “áreas de dificuldade” dos tucanos, as regiões Norte eNordeste, nas quais o PT teve amplo predomínio nas últimas eleições presidenciais.

O tucano criticou duramente o envolvimento do governo federal e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições. “Lula tem o vício de pensar que é o dono do povo. Mas o PT não tem a ‘reserva de mercado’ da população”, disse. “O PT é um partido que perdeu a sintonia com a opinião pública. Não adianta mais ao Lula dar conselhos ao povo. Se fizer isso, não será ouvido”, afirmou. Segundo Guerra, “a marca do PT é o mensalão“.

Entre as “áreas de dificuldade” Guerra citou como exemplos o caso do Recife, onde o PSDB lançou um candidato praticamente “secreto” (o deputado estadual Daniel Coelho) que teve quase o dobro de votos do candidato do PT, o senador Humberto Costa, indicado diretamente por Lula para a disputa. O segundo aspecto positivo destacado por Guerra foi a “renovação” ocorrida entre os tucanos. Além do exemplo de Daniel Coelho e sua surpreendente votação no Recife, o presidente do PSDB citou a eleição do deputado estadual Rui Palmeira em Maceió, a capital de Alagoas.

Segundo Sérgio Guerra, nenhum partido pode se declarar “hegemônico” e a eleição, na realidade, apresentou um quadro partidário fragmentado. O PSDB elegeu 691 prefeitos no primeiro turno e disputa o segundo em 17 cidades, das quais oito são capitais. São Paulo, João Pessoa, Manaus, Rio Branco, Teresina, Vitória, Belém e São Luís. Os tucanos comemoram o fato de terem conseguido entrar em “áreas de dificuldade” – quatro das oito capitais estão no Norte e Nordeste.

Os tucanos consideram que será “simbólica” a vitória do ex-senador Arthur Virgílio, em Manaus, devido ao envolvimento do governo para derrotar o ex-senador. Apesar do avanço nas regiões Norte e Nordeste, a direção do PSDB entende que o desempenho partidário nos “grandes centros formadores de opinião” é que pode ter influência na sucessão presidencial. A eleição de prefeitos nas cidades medias e pequenas é importante para a eleição proporcional. Neste caso, saudou a eleição de Marcio Lacerda em Belo Horizonte, que é do PSB, mas próximo do senador Aécio Neves, hoje o nome mais forte do PSDB para a disputa presidencial de 2014.

Guerra lamentou que a eleição em São Paulo tenha resvalado para a discussão do “kit-gay”, que considerou um assunto da sociedade mas irrelevante. Achou natural que o candidato José Serra não queira discutir o kit gay, pois o “foco” da campanha deve ser o governo da cidade de São Paulo. Apesar de as pesquisas demonstrarem que o PT deve vencer a eleição por ampla margem, Guerra insiste que as pesquisas internas demonstram uma disputa acirrada.

Guerra defendeu que o PSDB discuta a sucessão presidencial logo após a realização do segundo turno, não necessariamente para escolher um nome, mas dar uma indicação sobre para onde devem caminhar os tucanos. Se houver mais de um pretendente, acha que o partido deve realizar prévias. OPSDB começou um recadastramento nas eleições de 2010. Até agora, já foram recadastrados 100 mil filiados.

Guerra também defende a elaboração imediata de um estatuto para as prévias. Antes de ser questionado, Guerra falou sobre o chamado “mensalão mineiro”, que o PT cita como o similar tucano do esquemas pelo qual está sendo condenado no Supremo Tribunal Federal. “O [deputado federal] Azeredo é uma pessoa honesta e com uma grande trajetória. Não foi flagrado andando de jatinho e nem participando de negócios escusos. O que queremos em relação ao caso é também que ocorra um julgamento justo e que o Judiciário cumpra seu papel”, afirmou.

PSDB: 2014 – Link da matéria: http://www.valor.com.br/eleicoes2012/2870576/guerra-destaca-avanco-do-psdb-no-norte-e-nordeste