• Agenda

    agosto 2020
    S T Q Q S S D
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Governo de Minas: obras de construção da ponte de Guidoval estão a todo vapor

O contrato, assinado no dia 18 de janeiro, tem prazo previsto de cinco meses para a conclusão dos trabalhos
Divulgação/Setop
Obras para a construção da ponte sobre o Rio Xopotó, no município de Guidoval
Obras para a construção da ponte sobre o Rio Xopotó, no município de Guidoval

As obras para a construção da ponte sobre o Rio Xopotó, em Guidoval, destruída com as chuvas que castigaram grande a Zona da Mata, em janeiro, estão dentro do cronograma acertado pelo Departamento de Estradas de Rodagens de Minas Gerais (DER/MG). O contrato, assinado no dia 18 de janeiro, tem prazo previsto de cinco meses para a conclusão dos trabalhos.

A nova ponte de Guidoval terá 130 metros de comprimento por 11 de largura, com cinco metros de altura a mais e está sendo construída em local próximo a que havia anteriormente. Estão sendo investidos cerca de R$ 18 milhões, valor que também inclui a implantação de uma variante de 1,8 quilômetros que garante a mobilidade entre os dois lados da cidade.

Segundo o diretor de operações do DER/MG, Luiz Alberto Dias Mendes, tudo está acontecendo dentro do previsto. “Estamos cumprindo a etapa de fundação da ponte, faltando apenas à construção de dois pilares.” Para concluir essa fase é necessária a desapropriação de dois imóveis às margens do rio, e isso está programado para acontecer até o final da semana seguinte.

Para garantir a mobilidade dos moradores, o DER providenciou a melhoria dos acessos por estradas municipais e estaduais como alternativas de tráfego. A reconstrução imediata da ponte foi uma determinação do Governador Antônio Anastasia, em visita ao município. A força das águas destruiu além da ponte, casas, estradas e deixou famílias desabrigadas.

O município de Guidoval, localizado na Zona da Mata Mineira, foi um dos mais castigados pelas fortes chuvas do final do ano, que derrubaram a ponte que existia no local. O Exército Brasileiro construiu uma ponte provisória para garantir o acesso à região e não interromper o fluxo de caminhões.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: fiscalização do DER prepara operação para o próximo feriado

Ideia é manter a parceria entre as polícias Militar Rodoviária e Rodoviária Federal e realizar ações por meio de todas as coordenadorias regionais do departamento
Bernadete Amado
Para o feriado da Semana Santa, o DER vai promover blitze para combater transporte irregular
Para o feriado da Semana Santa, o DER vai promover blitze para combater transporte irregular

O Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG) já tem uma programação de fiscalização a ser utilizada durante o feriado da Semana Santa. A ideia será manter a parceria entre as polícias Militar Rodoviária e Rodoviária Federal e realizar ações por meio de todas as coordenadorias regionais do departamento, repetindo o resultado positivo alcançado durante a Operação Carnaval, finalizada em 29 de fevereiro.

Para o diretor de fiscalização do DER/MG, João Afonso Baeta, “os resultados foram positivos e isso deverá incentivar a manutenção das parcerias realizadas. Estamos com um planejamento em andamento, visando à preparação de um plano de ações para o próximo feriado prolongado, que será a Semana Santa, quando está previsto um aumento do número de veículos nas rodovias mineiras e de viagens fretadas. Temos de coibir o transporte clandestino e orientar tanto os motoristas que atuam com fretamento quanto os passageiros”, concluiu João Baeta.

Operação Carnaval

No Carnaval, a preparação das blitze foi feita com base em informações pesquisadas, monitoradas e planejadas com táticas de inteligência logística. A distribuição dos fiscais permitiu o mapeamento dos acessos e rotas de fugas dos acessos à Serra do Cipó, Diamantina, Pirapora, Ouro Preto, Mariana, São João del-Rei, Região Metropolitana de Belo Horizonte e alguns outros pontos mais regionalizados. Em todas as atividades foram utilizadas viaturas dotadas de equipamentos de última geração, que permitem checar em tempo real várias situações encontradas no trânsito, com acesso direto à internet, além de atuarem sem pontos fixos que, por sua natureza, permitiram antecipar situações de risco.

“A cada operação que fazemos, sentimos que os transportadores ilegais estão sendo sufocados e que muitos já pensam em parar com o negócio, devido à ostensividade e a permanente atuação de nossa fiscalização”, analisou o diretor de Fiscalização do DER/MG, João Afonso Baeta Costa Machado.

A estratégia elaborada para o período de Carnaval envolveu um trabalho que iniciou antes dos feriados, no dia 10 de fevereiro, e só terminou depois, em 29 de fevereiro. Durante este período, foram abordados 18.500 veículos em 450 ações de fiscalização e lavrados 2.100 autos. Somente de transporte irregular foram efetuadas 150 apreensões de veículos por estarem infringindo os dispositivos legais da legislação estadual e federal. Medidas administrativas de fiscalização foram responsáveis pelo desembarque de 1.100 passageiros de transporte, que viram suas viagens serem atrasadas e a folia prejudicada por terem feito a opção por um meio ilegal de transporte.

Resultado positivo

“Estamos considerando as blitze realizadas este ano um sucesso porque, apesar do maior número de ações de fiscalização realizadas, em relação ao ano anterior, do melhor mapeamento das rotas utilizadas no período de Carnaval e dos cerca de 2.000 agentes fiscalizadores que trabalharam durante a operação, o número de veículos autuados diminuiu, o que permite concluir que houve no período um uso menor do transporte ilegal, maior conscientização dos nossos passageiros e de quem se presta a atividade de fretamento”, analisou João Afonso Baeta.

O DER/MG realizou operações de fiscalização em todo o Estado, através das 40 coordenadorias regionais de departamento, com a participação de 250 agentes/fiscais da entidade, em parceria com as polícias Militar Rodoviária e Rodoviária Federal. Também no nível municipal, foram intensificadas as ações da RMBH e no hipercentro da capital, em conjunto com a BHTrans, ANTT, Polícia Civil e PMMG, com ênfase no transporte fretado intermunicipal e interestadual, visando coibir as ações de transporte irregular de passageiros.

Fonte: Agência Minas

Governo Anastasia distribui 135 toneladas de alimentos aos municípios atingidos pelas chuvas

Gestão Eficiente, apoio humanitário 

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas distribui 135 toneladas de alimentos aos municípios atingidos pelas chuvas

Osvaldo Afonso/Imprensa MG

Mantimentos abastecem os depósitos avançados do Governo de Minas

Mantimentos abastecem os depósitos avançados do Governo

BELO HORIZONTE (09/01/12) – Cerca de 135 toneladas de alimentos foram distribuídos peloGoverno de Minas Gerais, em todas as regiões do Estado, para vítimas de acidentes causados pelas chuvas. No total, o Governo distribuiu, desde outubro de 2011 até esta segunda-feira (9), 8.540 cestas básicas para moradores de 116 municípios. Também foram enviados 8.340 colchões, cerca de 7.000 cobertores, além de água potável, lonas, roupas, telhas e kits higiênicos.

Apenas entre a última sexta-feira (6) e esta segunda (9), os mantimentos foram enviados paras as cidades de Brumadinho, Matipó, Itabirito, Belo Vale, Alpercata, Ubá, Governador Valadares, Betim, Barbacena e Muriaé. Tanto o deslocamento de ajuda humanitária, quanto a distribuição das doações são conduzidos pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais (Cedec-MG).

Todas as cidades atingidas pelas chuvas, independentemente de haver decreto de situação de emergência, estão sendo beneficiadas pelo envio de alimentos, colchões, cobertores, roupas e água potável. Além de serem distribuídos aos municípios, os mantimentos abastecem os 13 depósitos avançados do Governo – completamente estruturados para armazenar as doações – estrategicamente espalhados por todas as regiões de Minas. Outros dois estão sendo construídos, um em Montes Claros e outro em Ubá. O depósito avançado de Pouso Alegre, no Sul do Estado, será inaugurado nesta terça-feira (10).

Foco na prevenção

Desde o início do ano passado, o Governo de Minas vem realizando uma série de ações preparatórios para o enfrentamento ao período chuvoso, com foco nas medidas preventivas. As prefeituras mineiras recebem apoio permanente do Estado. Entre outras ações, nos últimos anos o Governo de Minas Gerais tem investido na estruturação dos municípios para atuação em casos de emergência. Em 2004, dos 853 municípios mineiros, apenas 374 possuíam Coordenadorias Municipais de Defesa Civil (Comdecs). Desde então, este número quase dobrou. Atualmente, o Estado possui 696 Comdecs. O Estado oferece, ainda, cursos de treinamento e capacitação aos agentes municipais.

Desde setembro de 2011 – antes do início do período chuvoso –, o Governo de Minas promoveu a realização de reuniões técnicas quinzenais, envolvendo o Corpo de Bombeiros, as Polícias Militar e Civil, Cemig, Copasa, Feam, Igam, Emater e Ruralminas, além das Secretarias de Transportes e Obras Públicas, Saúde, Planejamento e Gestão, Meio Ambiente, Desenvolvimento Regional e Política Urbana, Desenvolvimento Social, e dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas. Durante estas reuniões, foram definidas as ações de preparação e resposta aos eventos adversos causados pelas chuvas, tanto para o atendimento emergencial quanto o apoio operacional durante as ocorrências.

Para coordenar o conjunto de ações realizadas em todo o Estado, o Governo de Minas lançou, em outubro do ano passado, o Plano de Emergências Pluviométricas (PEP) 2011/2012, que leva em conta o histórico dos períodos chuvosos de anos anteriores, contendo o detalhamento sobre os recursos humanos e logísticos da Cedec-MG e dos demais órgãos envolvidos no enfrentamento ao período chuvoso. As prefeituras de municípios afetados recebem do Estado, ainda, auxílio técnico para produzir a documentação necessária para a comunicação oficial de ocorrências em tempo hábil.

Link da matéria: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo/39050-governo-distribui-135-toneladas-de-alimentos-aos-municipios-atingidos-pelas-chuvas

Do total das obras de recuperação do Governo Anastasia em 110 cidades atingidas pelas chuvas

Gestão Pública Eficiente

Fonte: Agência Minas

Maioria das obras de recuperação em cidades atingidas por chuvas está concluída ou em andamento

Do total das obras de recuperação que o Governo de Minas está realizando, por meio do Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG), em 110 municípios mineiros atingidos pelas chuvas no final de 2010 e início do ano passado, 96 já estão concluídas ou em andamento. Outras dez cidades receberam autorização de início na última quinta-feira (5) e quatro ainda não foram iniciadas.

As obras foram viabilizadas por meio de convênio firmado entre o Governo de Minas e o Ministério da Integração Nacional, em fevereiro de 2011, com o repasse de R$ 70 milhões para o atendimento emergencial aos municípios mais atingidos pelas chuvas. Mas convênios com os municípios e os processos de licitação para a realização das obras só foram realizados, na sua grande maioria, no segundo semestre do ano passado, por conta das exigências legais que precisavam ser cumpridas.

O DER, o executor das obras, teve que realizar, para cada uma das obras, uma licitação em separado – 110 no total. Para atender as exigências legais, alguns projetos apresentados pelas prefeituras tiveram que ser corrigidos ou adequados ao valor estipulado para cada uma das obras. Em algumas das licitações, não apareceram empresas interessadas em realizar o trabalho, o que exigiu a abertura de novo processo licitatório, o que retardou o início do trabalho em algumas cidades.

Do recurso de R$ 70 milhões definido para a realização das obras, R$ 50 milhões foram repassados pelo governo federal e R$ 20 milhões pelo Governo do Estado. Os recursos estão sendo usados na recuperação da infraestrutura dos municípios, como vias públicas, estradas e pontes. Receberam os recursos os municípios mais afetados e que encaminharam relatórios sobre a Situação de Emergência ao conhecimento da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec-MG).

O critério para a liberação de recursos para os 110 municípios foi avaliado pelo Grupo de Trabalho Multidisciplinar, criado, na época, por determinação do governador Antonio Anastasia especialmente para dar suporte aos processos legais exigidos.

DER mobiliza sociedade para combater transporte clandestino no Norte de Minas

O Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG), por meio de sua Diretoria de Fiscalização, realizou nesta quinta-feira (10), em Montes Claros, reunião entre empresários do setor de transporte coletivo, sindicatos, Polícia Militar de Minas Gerais, Polícia Civil, Ministério Público, Secretaria de Estado de Fazenda (SEF) e órgãos públicos municipais do Norte de Minas. A finalidade foi traçar ações integradas, intensivas e ostensivas de combate ao transporte irregular de passageiros.

O diretor de Fiscalização do DER/MG, João Afonso Baeta Costa Machado, anunciou que ainda em novembro serão realizadas blitze que envolverão mais de 50 fiscais do órgão nas cidades e rodovias do Norte de Minas. Para que isso ocorra, serão deslocados agentes de Belo Horizonte, Barbacena, Passos, Diamantina, Curvelo, Pirapora, Januária e Janaúba, que atuarão em grupamentos articulados com informações e mapeamentos precisos dos transportadores ilegais.

Além da checagem dos procedimentos das operações de combate ao transporte clandestino, foram tratados temas, como a ampliação dos pátios de apreensão de veículos; a realização de ações educativas, destinadas à população, alertando sobre os riscos de se utilizar os meios de deslocamento irregular e a apresentação das iniciativas feitas junto às prefeituras na conscientização do dano causado pelo transporte intermunicipal por táxis. “Na região Norte há uma verdadeira epidemia de táxis realizando transporte ilegal de passageiros. Eles não estão observando que só podem realizar viagens deslocando as mesmas pessoas na ida e na volta; ou, na viagem de retorno, fazer o percurso vazio”, alertou Baeta.

O transporte intermunicipal por táxi não pode ser autorizado pelo DER/MG, em virtude de não estar incluído no Decreto nº 44.035/05, que normatiza a matéria. Outro ponto que foi amplamente ressaltado durante a reunião foi o do transporte remunerado realizado por veículos particulares, pois estes ao não serem habilitados a cobrar por qualquer transporte, o condutor pode ser enquadramento por exercício ilegal da profissão.

Um ponto comum entre todos os participantes é a conclusão que não se acaba com o transporte clandestino apenas com fiscalização, mas com a conscientização da população que este tipo de deslocamentos irregulares coloca em risco a vida do cidadão ao não oferecer viagens com qualidade e garantias de seguridade. Baeta afirmou que já foram detectados e apreendidos transportadores clandestinos dirigindo depois de terem efeito uso de bebidas alcóolicas, inabilitados e, mais grave, com vinculo com o contrabando, lavagem de dinheiro e tráfico de drogas.

O delegado de Trânsito de Montes Claros, Walter Suzart, informou que a cidade, ainda em novembro, ganhará dois novos pátios para depositar os veículos apreendidos. “Não podemos permitir que operadores irregulares coloquem em risco a vida das pessoas ao transportá-las em ônibus, veículos de médio e pequeno porte sem manutenção e sem garantias de cumprimento dos serviços contratados”.

Também foram abordados os aspectos de aplicação da Lei 19.445/11, que prevê multa de R$ 1.090 e cobrança do dobro do valor no caso de reincidência; transbordo das pessoas transportadas; apreensão do veículo; liberação do veículo apenas após o pagamento de todas as despesas relativas ao guincho, diárias de apreensão, além de todas as multas pendentes do infrator; abertura de processo administrativo e até mesmo o enquadramento do infrator no Art. 301 do Código de Processo Penal para quem é flagrado realizando transporte clandestino serão expostos durante a reunião.

Campanha “Sou pela Vida. Dirijo sem Bebida” apresenta resultados positivos

Há três semanas em vigor, a campanha “Sou pela Vida. Dirijo sem Bebida”, que visa coibir a mistura de álcool e direção, traz um balanço positivo para Minas Gerais. Nos dois primeiros finais de semana após o lançamento do projeto, um total de 1.999 veículos foram abordados em blitze realizadas nas ruas de Belo Horizonte e de cidades da Região Metropolitana.

Exatos 1.087 testes de etilômetro (bafômetro) foram feitos, sendo 154 motoristas autuados por infração de trânsito. Eles receberam multa de R$ 957,70 e tiveram a carteira recolhida. Outros 49 motoristas dirigiam com teor etílico acima de 0,34mg/l e, por isso, além da multa e do recolhimento da carteira, poderão ser processados criminalmente.

Desde o dia 14 de julho, as blitze passaram a fazer parte da rotina dos moradores de Belo Horizonte e Região Metropolitana. Estão sendo realizadas abordagens punitivas e educativas, em dias e horários flexíveis, com a possibilidade de ações itinerantes ao longo do dia ou da noite.

Campanha

Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) coordena a campanha com o apoio da Polícia MilitarPolícia CivilCorpo de Bombeiros, Guarda Municipal de Belo Horizonte e BHTrans. A campanha “Sou pela Vida. Dirijo sem Bebida” é resultado do trabalho do Comitê Gestor de Trânsito (CGT), criado em fevereiro pelo governador Antonio Anastasia, para diminuir o número de vítimas do trânsito.

O comitê é composto por cerca de 30 instituições ligadas ao trânsito, como Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG), Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Polícia Rodoviária Federal (PRF), entre outros. A campanha será, posteriormente, levada para cidades do interior de grande porte, como Juiz de Fora, Uberlândia, Governador Valadares e Montes Claros. Em um terceiro momento, cerca de 40 cidades polo de Minas Gerais também receberão as ações.

Campanha para coibir a mistura de álcool e direção apresenta resultados positivos

Há duas semanas em vigor, a campanha “Sou pela Vida. Dirijo sem Bebida”, que visa coibir a mistura de álcool e direção, traz um balanço positivo para Minas Gerais. Nos dois primeiros finais de semana após o lançamento do projeto, um total de 1.302 veículos foram abordados em blitze realizadas nas ruas de Belo Horizonte e de cidades da Região Metropolitana.

Cerca de 650 testes de etilômetro (bafômetro) foram feitos, sendo 98 motoristas autuados por infração de trânsito. Eles receberam multa de R$ 957,70 e tiveram a carteira recolhida. Outros 36 motoristas dirigiam com teor etílico acima de 0,34mg/l e, por isso, além da multa e do recolhimento da carteira, poderão ser processados criminalmente.

Desde o dia 14 de julho, as blitze passaram a fazer parte da rotina dos moradores de Belo Horizonte e Região Metropolitana. Estão sendo realizadas abordagens punitivas e educativas, em dias e horários flexíveis, com a possibilidade de ações itinerantes ao longo do dia ou da noite.

Campanha

Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) coordena a campanha com o apoio da Polícia MilitarPolícia CivilCorpo de Bombeiros, Guarda Municipal de Belo Horizonte e BHTrans. A campanha “Sou pela Vida. Dirijo sem Bebida” é resultado do trabalho do Comitê Gestor de Trânsito (CGT), criado em fevereiro pelo governador Antonio Anastasia, para diminuir o número de vítimas do trânsito.

O comitê é composto por cerca de 30 instituições ligadas ao trânsito, como Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG), Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Polícia Rodoviária Federal (PRF), entre outros. A campanha será, posteriormente, levada para cidades do interior de grande porte, como Juiz de Fora, Uberlândia, Governador Valadares e Montes Claros. Em um terceiro momento, cerca de 40 cidades polo de Minas Gerais também receberão as ações.

DER/MG vai intensificar ações de combate ao transporte clandestino na RMBH

Foi articulada nessa segunda feira (25) com a coordenação do Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG), uma força tarefa de combate ao transporte clandestino na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). A operação terá o apoio de diversos órgãos de segurança e transporte do Estado. Estiveram presentes na primeira reunião de planejamento das ações as Polícias Rodoviárias Federal e Estadual, a Diretoria de Meio Ambiente e Trânsito (Demat) ligada à Polícia Militar, Transbetim, Transcon e outros órgãos.

A ação conjunta tem o objetivo de combater a proliferação do transporte irregular de passageiros, que tem se apresentado de forma danosa, colocando em risco a vida do usuário. “A união dos principais atores vai permitir uma ação mais ostensiva e intensiva no combate do transporte clandestino” avalia o diretor de Fiscalização do DER/MG, João Afonso Baeta Costa Machado.

João Baeta ressalta, ainda, os danos causados pelo transporte clandestino. “Temos a consciência que o transporte irregular representa muitos riscos e é responsável por um grande número de acidentes. Esta força tarefa vai obter resultados satisfatórios para a população, ampliando a segurança dos usuários”, prevê.

Ele também destaca que o transporte clandestino tem relação direta com outras formas de violência. “Quando o transporte irregular é combatido, estamos freando também outras formas de violência que podem estar relacionadas, como assaltos, sequestros e outros. Por isso o DER/MG tem intensificado as ações para coibir esse transporte clandestino em conjunto com os órgãos gestores do transporte na Região Metropolitana de Belo Horizonte”, completa.

A criação da força tarefa deverá ser concluída no próximo mês de agosto, quando também deverão ser ampliadas as ações de combate ao transporte irregular.

Equipe do DER/MG apresenta balanço das ações do primeiro semestre de 2011

A equipe de educação para o trânsito do Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG)fecha o primeiro semestre de 2011 com um saldo de 363 ações realizadas em todo o Estado – praticamente duas por dia -, entre blitze educativas, palestras, cursos e seminários. O objetivo dos trabalhos, que nesse período alcançou cerca de 71 mil pessoas, é promover a educação e a segurança no trânsito, conscientizar os motoristas e pedestres e reduzir acidentes.

Segundo a coordenadora do Núcleo de Educação para o Trânsito do DER/MG, Rosely Fantoni, o programa educativo realizado pelo órgão busca atingir todos os atores envolvidos no trânsito, como pedestres, ciclistas, motociclistas, motoristas e usuários do transporte coletivo. “O trabalho também visa capacitar professores e educadores para que possam agir como multiplicadores, disseminando atitudes, valores e comportamentos que valorizem o respeito à vida”, enfatiza.

Fantoni adianta que já estão previstas outras ações para o segundo semestre de 2011, sobretudo nos municípios beneficiados pelo Programa de Pavimentação de Ligações e Acessos Rodoviários aos Municípios (Proacesso). Nesses locais onde o asfalto é novidade, o risco de acidentes é maior, exigindo uma nova postura da comunidade para garantir a segurança.

Blitze educativas

Foram realizadas 215 blitze educativas neste primeiro semestre, com abordagem de 18.547 veículos e mobilização de 58.128 pessoas. Elas receberam folhetos explicativos e informações sobre direção defensiva, leis de trânsito, álcool ao volante, importância do uso do cinto de segurança por todos os passageiros, entre outros assuntos. Foram realizados, ainda, 35 cursos e palestras para professores, jovens e adolescentes em todo o Estado.

Operação combate transporte clandestino no entorno do Aeroporto Internacional Tancredo Neves

Motoristas e usuários de transporte clandestino foram surpreendidos, nessa terça-feira (21), por uma operação conjunta que reuniu fiscais do Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG), e agentes das polícias Civil e Militar Rodoviária, no entorno do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

A operação para coibir o transporte irregular de passageiros durou o dia todo e resultou na apreensão de 20 veículos, levados para depósitos públicos, e na geração de quase uma centena de autos de infração.

Entre os flagrados estavam 15 veículos de passeios que fazem transporte de passageiros sem autorização, os chamados “piolhos”. A ação foi conduzida por cerca de 50 profissionais divididos em três equipes e posicionados em locais estratégicos no entorno do aeroporto.

O diretor de Fiscalização do DER/MG, João Afonso Baeta Costa Machado, alerta que a população precisa estar consciente dos perigos que envolvem a utilização do transporte pirata.  “Muitas vezes, o barato pode sair mais caro. As estatísticas comprovam: os acidentes envolvendo os veículos clandestinos – vans, carros e ônibus – matam cinco vezes mais que os do sistema regular”.

João Baeta esclarece que o transporte regular é submetido a constantes inspeções e vistorias, levando em conta todos os quesitos indispensáveis para se garantir a qualidade e o transporte seguro para os passageiros. “Não podemos compactuar com aqueles que insistem em colocar diariamente em risco a vida de milhares de pessoas, por isso iremos intensificar as ações nesse sentido”, acrescenta.

De acordo com o tenente da Polícia Militar, Geraldo Donizete, comandante da operação, o risco de pegar um transporte clandestino pode custar a vida. “Estamos nesta operação conjunta com o DER e a Polícia Civil no sentido de combater o problema sério do transporte irregular de passageiros. Desta forma estamos resguardando a segurança do usuário”, completa.

A abordagem dos chamados “piolhos”, geralmente, acontece próximo ao desembarque dos passageiros. Ali, eles tentam aliciar o cliente com a atratividade de preços mais baixos, e muitos passageiros alimentam esse sistema clandestino, com a justificativa do preço, mas sem nenhuma garantia.

Para coibir esse tipo de ação, a Infraero está fornecendo às equipes de fiscalização dados extraídos das câmeras de vigilância eletrônica existentes no aeroporto com o objetivo de facilitar a identificação dos aliciadores.

Os veículos abordados nas blitze estão sujeitos a autuações previstas no Código de Trânsito Brasileiro e na Lei 19.455, que podem resultar multas no valor em torno de R$ 1.090,00, e se houver reincidência, o valor dobra