• Agenda

    julho 2020
    S T Q Q S S D
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Governador Antonio Anastasia recebe 150 toneladas de produtos em doações para vítimas das chuvas em Minas

BELO HORIZONTE (16/01/12) – O governador Antonio Anastasia recebeu, nesta segunda-feira (16), representantes dos setores do comércio e indústria dos ramos de supermercados e alimentícios que doaram mais de 150 toneladas de alimentos e materiais para as famílias atingidas pelas chuvas em Minas Gerais. O governador determinou o envio imediato dos produtos para 27 cidades com maior carência de donativos no momento. Os 23 caminhões saíram da Praça da Liberdade na manhã desta segunda-feira.

“Em nome dos mineiros, agradeço essas empresas pelas doações que se fazem expressivas. Estamos diante de um gesto solidário, um gesto generoso de doação àquelas famílias afligidas e que foram afetadas pelas chuvas. As empresas demonstram o aspecto sempre generoso e solidário da alma mineira. É fundamental, porque nós temos em Minas centenas de milhares de famílias atingidas. Muitas cidades de Minas estão em situação difícil ainda, de reconstrução, de volta à normalidade. Essas doações são muito importantes”, afirmou Anastasia.

Os materiais foram destinados para as cidades de Acaiaca, Barra Longa, Barroso, Claro dos Poções, Conceição da Barra de Minas, Guaraciaba, Mariana, Matipó, Muriaé, Nazareno, Patrocínio de Muriaé, Ponte Nova, Prados, Raposos, Santa Cruz de Minas, São João del-Rei, São Sebastião da Vargem Alegre, Setubinha, Tiradentes e Visconde do Rio Branco. Outras cidades já foram atendidas com o envio de material da Defesa Civil e das doações recebidas por populares.

“Quero agradecer aos milhões de mineiros anônimos que também fizeram suas doações, levando seus produtos, suas roupas, gêneros alimentícios às unidades da Polícia Militar e dos Bombeiros por todo o Estado. A eles também o meu agradecimento muito forte, porque demonstra essa alma generosa do mineiro que auxilia o seu irmão na hora da dificuldade”, agradeceu o governador.

A arrecadação de donativos está sendo realizado pelo Movimento Minas Solidária, programa coordenado pelo Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec).

“A certeza que nós temos é que o atendimento que pode ser feito através das doações está sendo feito. Ou seja, não está faltando doação a nenhuma família mineira nesse momento. Dentro do âmbito da campanha Minas Solidária que começou há cerca de 10 dias já foram arrecadados 380 toneladas de donativos. A esse número se soma hoje mais 150 e ainda temos a previsão de uma série de outras doações que vão fazer com que esse número fique ainda mais significativo”, afirmou a presente do Servas, Andrea Neves.

O governador Antonio Anastasia lembrou que o Governo do Estado continua trabalhando para garantir a volta da normalidade às cidades mais afetadas pelas chuvas. Todas as secretarias estão mobilizadas para atendimento das demandas relativas às suas áreas. As secretarias de Desenvolvimento Social, Saúde, Fazenda, Desenvolvimento Regional e Política Urbana, Transporte e Obras Públicas, além da Cemig, Copasa, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar continuam mobilizados para garantir a ajuda aos municípios.

O governador afirmou que entrará em contato com mais empresários para também garantir a ajuda, especialmente com mobiliário, às famílias mais atingidas. “Nós vamos ver com os empresários da área mobiliária a possibilidade eventual de algum tipo de doação, porque, um primeiro momento, é a recuperação da normalidade, um segundo, a recomposição das casas”, lembrou o governador.

Nesse período chuvoso Anastasia já visitou as cidades de Florestal, Ubá, Guidoval, Dona Euzébia, Muriaé, Ouro Preto e Além Paraíba para verificar os estragos causados pela chuva e levar a ajuda do Estado às populações.

Solidariedade

As entidades que doaram os produtos atenderam ao chamado do Movimento Minas Solidária, coordenado pelo Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil. Até agora, computadas as doações recebidas pelas entidades, já foram arrecadados mais de 530 toneladas de leite, material de higiene pessoal e de limpeza doméstica, colchões, fogões, roupas e roupas de cama e banho.

Participaram das doações dessa segunda-feira a Associação Mineira de Supermercados (Amis), Sistema Fecomércio/Sesc, Sistema Fiemg/Sesi, e as empresas  Super Nosso, Bretas/Cencosud, Extra, BH, Wall-Mart, Carrefour, EPA, Verdemar, Vilma Alimentos, Cemil, Itambé e Drogarias Araújo.

Fonte: Agência Minas

Governador Antonio Anastasia lança Força Estadual de Saúde para atender vítimas das chuvas em Minas Gerais

BELO HORIZONTE (10/01/12) – O governador Antonio Anastasia se reuniu nessa terça-feira (10) com profissionais – médicos, enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais – que vão integrar a Força Estadual de Saúde, montada em caráter emergencial para atender e levar auxílio aos moradores das cidades mais atingidas pelas chuvas este ano. Cada equipe será formada por pelo menos um médico e um enfermeiro. Dependendo da necessidade, elas contarão também com um psicólogo ou assistente social.

Os profissionais atenderão nos abrigos ou tendas montadas pela Defesa Civil e contarão, para acesso aos locais mais difíceis, com 20 caminhonetes 4 x 4.  Os integrantes da Força Estadual de Saúde receberão ajuda de custo para alimentação e hospedagem nas cidades para os quais forem designados, além de todo o material necessário para atender a população.

O cadastro, realizado a partir de sexta-feira (6), pelo site da Secretaria de Estado de Saúde (SES), já reúne mais de 490 colaboradores. Os profissionais serão selecionados e designados de acordo com as necessidades de cada região ou município.

O objetivo da Força de Saúde é assistir aos pacientes que, devido aos estragos provocados pelas chuvas, estão com dificuldades de acesso aos hospitais e às Unidades Básicas de Saúde (UBS) e não encontram meios para garantir a continuidade de seus tratamentos. Tem como público alvo os pacientes hipertensos, diabéticos, cardíacos, em tratamento de quimioterapia e radioterapia e, ainda, grávidas a partir do sexto mês.

Também serão atendidos casos agudos, como febres, diarreias, entre outros sinais de alerta de doenças infecciosas, reduzindo, assim, as sequelas e mortes evitáveis, além de prestar assistência de qualidade e em tempo hábil às populações atingidas pelas enchentes.

Em caso de necessidade, os pacientes poderão ser encaminhados para a rede de assistência da região, cujo levantamento está sendo atualizado pela Secretaria de Saúde. As equipes também poderão fortalecer as equipes de plantão nas urgências dos hospitais de referência.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais doou, nesta segunda-feira (9), duas ambulâncias (doblô) e emprestou duas caminhonetes 4×4 para o município de Guidoval, na Zona da Mata, uma das regiões mais afetadas com o período chuvoso. O município também recebeu 100 pares de botas. Outro apoio foi a doação de kits de medicamentos e insumos estratégicos, conseguidos pela SES junto ao Ministério da Saúde.

Além de Guidoval, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais irá doar outras nove ambulâncias e dez carros Fiat Uno para os municípios afetados. A SES está realizando um levantamento das UBS que foram destruídas pela chuva ou estão muito danificadas para recuperá-las.

A criação da Força Estadual de Saúde conta com o apoio dos Conselhos Regionais de Medicina (CRM), Enfermagem (CRE) e Psicologia (CRP), Associação Médica de Minas Gerais (AMMG), além das fundações Ezequiel Dias (Funed), Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), Centro de Hematologia e Hemoterapia de Minas Gerais (Hemominas) e Ministério da Saúde.

Atendimento a calamidades

O Governo de Minas já colocou à disposição, por meio da SES, os “Kits de Atendimento às Calamidades” para uso em caso de enfermidades, decorrentes das chuvas, para a população de municípios afetados. Estão sendo distribuídos também medicamentos, de acordo com a demanda apresentada pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil.

Compõem os Kits 30 medicamentos e 18 insumos estratégicos, como ataduras, esparadrapos, seringas, equipamentos para soroterapia, além de amoxicilina, analségicos, paracetamol, sais de reidratação e sulfametoxazol. A quantidade de medicamentos é suficiente para atender 500 pessoas durante três meses.

Fonte: Agência Minas

Vice-governador dará início a operações em escritório estratégico na Zona da Mata

BELO HORIZONTE (06/01/12) – A partir desta segunda-feira (9), o Governo de Minas passará a contar com um escritório estratégico de apoio aos municípios afetados pelas chuvas. A unidade de apoio, que será integrada às ações da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais (Cedec-MG), funcionará em Ubá, na Zona da Mata. A iniciativa será desenvolvida em parceria com a União.
Os trabalhos do escritório serão abertos, às 14h, pelo vice-governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho, pelo coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Luis Carlos Dias Martins, e pelo diretor do Departamento de Minimização de Desastres da Secretaria Nacional de Defesa Civil, Rafael Schadeck. Técnicos do governo federal realizarão um workshop com gestores da região para o repasse de toda orientação necessária.
O escritório vai oferecer completo auxílio para que os prefeitos possam providenciar, conforme critérios legais, a documentação necessária para obtenção de recursos federais, além da análise de projetos de reconstrução, com o objetivo de agilizar as ações de enfrentamento ao período chuvoso. Os prefeitos também serão orientados sobre a aplicação adequada dos recursos e sobre a utilização do Cartão de Pagamento da Defesa Civil Nacional, distribuído às prefeituras para que elas possam normalizar a prestação dos serviços públicos essenciais à população.
O posto avançado irá funcionar na Câmara Municipal de Ubá.“Hoje, a maioria dos municípios afetados está na região da Zona da Mata. A partir desta segunda-feira (9), será implantada uma estrutura dos governos estadual e federal na cidade de Ubá, para que os técnicos do Estado e da União recebam os prefeitos e seus representantes, para que eles possam apresentar ao governo federal suas necessidades e, a partir dali, iniciarmos o processo de reconstrução. Esse trabalho vai ser feito pela equipe do governo federal porque os recursos serão federais. Todo esse processo será feito diretamente com municípios, evitando a intermediação no repasse das verbas de urgência”, destacou o coronel Martins.
Segundo a Cedec-MG, é fundamental que os municípios apresentem  o documento de avaliação de dados (Avadan), preparado pelas Coordenadorias Municipais de Defesa Civil (Comdec), e que  precisa ser agregado aos pedidos dos prefeitos à Secretaria Nacional de Defesa Civil. De acordo com coronel Luis Carlos Martins, esses projetos não irão requerer burocracia, porque deverão ser feitos e atendidos em caráter de emergência e poderão ser iniciados tão logo os projetos sejam aprovados pela Secretaria Nacional.
“Neste momento, está sendo realizado um apoio emergencial aos municípios atingidos. A orientação do governador Antonio Anastasia é de restabelecer a normalidade nos municípios, seja por meio das vias de acesso, do atendimento à saúde e apoiando as comunidades que foram atingidas diretamente, com ajuda humanitária, como distribuição de alimentos, água potável, material de limpeza e higiene pessoal. Vamos continuar com esse acompanhamento, com nossas equipes em todos os municípios. Então, temos que continuar nosso trabalho, emitir nossos alertas, orientar as cidades que eventualmente poderão ser atingidas e manter um atendimento específico e essencial a todos os municípios”, concluiu o coronel Martins.
Logo após a inauguração do escritório, o vice-governador irá até a cidade de Guidoval.
Fonte: Agência Minas

Governador Antonio Anastasia apresenta ações para restabelecer normalidade nas cidades atingidas pelas chuvas

BELO HORIZONTE (06/01/11) – O governador Antonio Anastasia anunciou nessa sexta-feira (6) as ações do plano do Governo de Minas para socorro e reconstrução das cidades atingidas pelas fortes chuvas que assolam o Estado. Para a fase de prevenção, o governador já havia solicitado à ministra do Planejamento, Miriam Belchior, em reunião realizada no dia 27 de dezembro do ano passado, em Brasília, recursos da ordem de R$ 1,5 bilhão.

Anastasia explicou que o plano será divido em três fases: volta à normalidade, reconstrução e prevenção. Para tanto, o Estado vai contar com a integração com prefeituras municipais e órgãos do governo federal. O anúncio das ações foi feito em entrevista coletiva depois que o governador se reuniu com os ministros dos Transportes, Paulo Sérgio, e da Integração, Fernando Bezerra, no Palácio Tiradentes.

A primeira fase, a volta da normalidade, já está em andamento e visa restabelecer de pronto o acesso por parte de todos os mineiros a água tratada, comida, abrigo e transporte. Para tanto, a Defesa Civil está trabalhando nos municípios atingidos, em parceira com bombeiros, Polícia Militar, técnicos da Secretaria de Saúde e de Transporte e Obras Públicas, além de voluntários.

“A prioridade do Governo do Estado tem sido a volta à normalidade, ou seja, a recompor a locomoção das pessoas, o acesso às áreas isoladas, voltar o abastecimento de água, de energia, permitir o fluxo de alimentação. Na cidade de Guidoval, que estava até ontem com problemas maiores de acesso, já foi restabelecido um acesso secundário por via terrestre, através do município de Dona Euzébia. Hoje pela manhã, o Exército está  instalando uma passarela no local da antiga ponte. A ponte será construída imediatamente tão logo o rio baixe, porque não podemos fazer a obra agora enquanto o rio está em seu volume maior. O DER já recebeu essa orientação”, afirmou Anastasia.

O Governo de Minas já está investindo cerca de R$ 70 milhões na recuperação das estradas e pontes sob responsabilidade do Estado, valor que pode aumentar dependendo das próximas necessidades.

Ainda para ajuda nessa fase o governador afirmou que pedirá a auxílio financeiro de cerca de R$ 25 milhões do governo federal, que se prontificou a colaborar com o Estado por meio do Cartão da Defesa Civil.

“Viemos colocar a disposição do Governo do Estado não só a solidariedade do governo federal, mas a solidariedade financeira no apoio ao socorro e assistência as populações atingidas, sobretudo no que diz respeito a abrigamento, mantimento, despesas com  combustível. Vamos aguardar a solicitação do governo de Minas para que a gente possa atender, através do novo instrumento que está sendo utilizado pela Defesa Civil que é o cartão de pagamento da Defesa Civil”, afirmou o ministro da Integração Nacional.

Em uma segunda fase, depois da baixa dos rios e da volta à normalidade, o Governo de Minas vai atuar também na ajuda da reconstrução dos municípios atingidos. “A reconstrução se dará especialmente através da recuperação da infraestrutura, das casas destruídas. Vamos contar com o apoio do governo federal”, afirmou o governador.

Prevenção

A terceira fase já está em andamento e se refere a mais medidas preventivas para amenizar os efeitos e estragos causados por chuvas nos municípios de Minas. A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana (Sedru) já tem os novos projetos de prevenção prontos e detalhados para serem apresentados na próxima terça-feira (10) à ministra do Planejamento em nova reunião em Brasília.

“São pedidos de obras estruturantes na área de prevenção e saneamento, investimentos que devem orçar R$1,5 bilhão nas cidades e regiões do Estado mais atingidas historicamente. A Defesa Civil Nacional listou para o Ministério do Planejamento aquelas cidades, não só de Minas, mas do Brasil, que tiveram incidentes provocados por enchentes ao longo dos últimos anos e essas cidades, essas regiões, portanto, estão recebendo esses projetos”, explicou o governador.

Paralelamente a essas ações, o Governo de Minas já está dando auxílio técnico aos municípios para produzirem seus projetos de contenção de encostas e de drenagem. “Ao mesmo tempo, o Governo do Estado vai investir mais do que investiu no ano passado, em dragagem, que é uma área de prevenção muito importante, especialmente nas regiões que estão mais atingidas. São medidas que estão sendo tomadas de maneira coordenada e integrada entre o Governo do Estado, as prefeituras e o Governo Federal”, ressaltou Anastasia.

O governador agradeceu a população de Minas que já começa a se mobilizar para ajudar no auxílio aos atingidos pelas chuvas. “Quero aproveitar para agradecer a solidariedade da população mineira que já está indo aos postos de ofertas levando gêneros, alimentos, especialmente roupas para as pessoas que foram atingidas. Isso é um dado muito importante da solidariedade no Estado que eu quero agradecer. Eu visitei as áreas atingidas tanto antes, ainda no final do ano passado, como nessa semana, e nós vimos que as pessoas perdem, de fato, bens pessoais que tem que ser recompostos”, completou.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: contas da Copasa e Cemig terão regras especiais para atingidos pelas chuvas

BELO HORIZONTE (06/01/12) – O governador Antonio Anastasia determinou que as contas de água daqueles consumidores que ainda não foram processadas deverão ser faturadas pela média de consumo, até que a situação decorrente dos danos causados pelas chuvas seja normalizada no município. Os imóveis com sério comprometimento, identificados pela Defesa Civil, terão as contas cobradas com base no consumo mínimo.

Outra medida é o adiamento por 15 dias do pagamento das contas a partir desta sexta-feira (6). O processamento de contas que ainda não foi feito também será adiado pela Copasa. Os usuários também poderão solicitar alteração na data do vencimento das contas para, no máximo, 31 de março de 2012, ou o parcelamento, com a primeira parcela vencendo em março. Caso haja, na conta de fevereiro, aumento motivado por problemas relacionados às chuvas, o consumidor poderá solicitar a retificação, com base na média de consumo referente ao faturamento de dezembro de 2011.

Contas de luz

Também os consumidores da Cemig diretamente atingidos, de acordo com constatação da Defesa Civil, terão o prazo de vencimento das contas prorrogados para a data do vencimento do mês seguinte, sem juros ou correção.  A companhia energética poderá, individualmente, como forma de facilitar para o consumidor, caso haja vencimento de duas contas, dividir os valores acumulados pelas dívidas vencidas, em pelo menos duas parcelas.

Abastecimento de água

Nesta sexta-feira, as cidades de Alpercata, Pingo D’Água, São Domingos do Prata, Itueta, Capela Nova, Naque, Nanuque e Nova Era estão com o abastecimento de água prejudicado devido às chuvas dessa madrugada, que afetaram as unidades de produção e distribuição de água da Copasa.

Em Divinópolis, cerca de 90% da cidade já está com o abastecimento normalizado. A estação ficou paralisada nos momentos mais intensos das cheias do Rio Itapecerica. A produção de água foi retomada ontem (05), assim que o nível de água nos sistemas baixou. Somente alguns pontos mais altos na cidade  estão com o abastecimento prejudicado.

Nas cidades de Barão de Cocais, Belo Vale e Cataguases, os sistemas de produção já estão funcionando, mas a normalização completa do abastecimento ainda está ocorrendo gradativamente. Equipes da empresa, em todas essas regiões, continuam mobilizadas para solucionar os problemas o mais rápido possível.

Governo de Minas monta força-tarefa para ajudar municípios da Zona da Mata

 

GUIDOVAL (05/01/12) – A redução das chuvas e a baixa do nível das águas do rio Xopotó, permitiram, nesta quinta-feira (5), que as equipes da defesa civil de Minas Gerais intensificassem o trabalho de atendimento à população de Guidoval, na Zona da Mata mineira. A estrada que liga a cidade a Visconde do Rio Branco foi desobstruída, o que possibilitou a chegada dos primeiros caminhões com alimentos, água, colchões, material de limpeza e agentes de saúde iniciaram o trabalho de vacinação da população.

Voluntários se juntaram a integrantes da força-tarefa do Governo de Minas para auxiliar no descarregamento dos caminhões e armazenamento dos produtos nas salas de aula da Escola Estadual Coronel Joaquim Martins. A entrega do material será feita porta a porta e está sob responsabilidade da equipe de assistência social do município. Cerca de 150 pessoas, entre técnicos da Defesa Civil, da Gerência Regional de Saúde em Ubá, da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), policiais militares e do Corpo de Bombeiros Militar, servidores do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) estão em Guidoval para prestar auxilio à população atingida, ao lado de servidores da prefeitura local e de municípios vizinhos.

Também os serviços públicos – fornecimento de água, telefonia e energia elétrica – começaram a ser normalizados. Na casa de Dona Alda Rodrigues Jorge, 79 anos, e Sebastião Jorge, 75 anos, localizada no centro da cidade, já tem água e luz. A Cedec contava, na tarde desta quinta-feira, 102 desabrigados. Quatro abrigos foram instalados para receber aqueles que foram obrigados a deixar suas residências e não tiveram para onde ir. Sebastião Jorge conta que nunca antes tinha acontecido nada igual na cidade. Dados ainda preliminares apontam para a existência de cem casas destruídas e outras 400 danificadas. “Nasci na zona rural e vim para Guidoval aos seis anos de idade. A ponte que caiu tinha mais de 100 anos”, conta.

Um posto de saúde foi instalado na unidade do Centro de Referência de Assistência Social (Cras), que foi abastecido com medicamentos transportados por helicóptero e barco. Vinte e seis profissionais da área da saúde, entre eles médicos e enfermeiros, revezam no atendimento à população. Estão disponíveis vacinas contra difteria e tétano.

Este é o momento da assistência humanitária, quando as pessoas recebem roupas, alimentos, kit higiene, até que a situação seja normalizada. “Nesta fase também é realizada a reabilitação de cenário, com o restabelecimento dos serviços de água, luz, telefone e a limpeza da área”, explicou o secretário executivo da Cedec, tenente-coronel Eduardo Reis, que está em Guidoval coordenando as ações de atendimento à população.

Paralelamente, começam os trabalhos de avaliação e extensão dos danos, trabalho realizado pela Coordenação Municipal de Defesa Civil (Comdec) da Prefeitura, com a orientação e o apoio do Corpo de Bombeiros e a Cedec-MG. São feitas vistoriais e preenchidos relatórios que, posteriormente, são encaminhados junto com projetos de recuperação, ao governo federal, para a obtenção de recursos para a reconstrução das áreas destruídas e recuperação dos equipamentos – casas, pontes, estradas, prédios públicos – danificados.

No fim da tarde de hoje, eles se reuniram no Posto de Comando da Defesa Civil, instalado ao lado do ginásio poliesportivo, para um balanço das atividades do dia e para o planejamento das ações do dia seguinte. Para esta quinta-feira, eles tinham programado 18 ações. De acordo com o major Anderson, responsável pelas operações da Cedec-MG, os objetivos foram alcançados totalmente ou parcialmente.

“Essas avaliações e planejamento evitam ações improvisadas, dando mais eficiência ao trabalho, já que antecipa possíveis demandas da população”, disse. Desde a terça-feira passada, cerca de 50 ações foram planejadas e executadas.

Além da equipe da Cedec-MG, participaram da reunião representantes da PM, Corpo de Bombeiros, prefeitura municipal, técnicos da Copasa, Banco do Brasil, Oi, entre outros. Segundo o prefeito Hélio Lopes dos Santos, o trabalho vem evoluindo bem. “Esperamos que esse momento difícil passe o mais rápido possível”, disse.

Fonte: Agênca Minas

Gestão Anastsia: Defesa Civil agiliza processo para União reconhecer situação de emergência em municípios

BELO HORIZONTE (05/01/12) – O chefe da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), coronel Luis Carlos Martins, se reuniu, nesta quinta-feira (5), no Palácio Tiradentes, com representantes do governo federal. O objetivo do encontro foi agilizar os procedimentos de reconhecimento, por parte da União, de situação de emergência nos municípios mineiros mais afetados pelas chuvas.

A Secretaria Nacional de Defesa Civil se comprometeu a fazer esse reconhecimento nos próximos dias, em caráter de urgência, permitindo aos municípios, após concluírem o levantamento das perdas e danos materiais, formalizar os pedidos de recursos federais para reconstrução e reparação de estragos. Os recursos serão liberados de acordo com as necessidades de cada cidade.

“Estamos solicitando à Secretaria Nacional de Defesa Civil que seja publicada e reconhecida a situação de emergência dos municípios afetados pelas chuvas. Esse reconhecimento é fundamental para que o governo federal possa atuar nos municípios e liberar recursos para a fase de reconstrução, de apoio, de ajuda humanitária. Temos uma tramitação legal de documentação que deve ser realizada”, explicou o coronel Martins.

O diretor do Departamento de Minimização de Desastres da Secretaria Nacional de Defesa Civil, Rafael Schadeck, participou da reunião e explicou que o prazo para a publicação do reconhecimento desses municípios, a partir da chegada dos documentos necessários ao governo federal, é até 10 dias. Disse que, entretanto, a Secretaria Nacional de Defesa Civil se esforçará para que esse reconhecimento ocorra de forma imediata.

Para agilizar esses processos e reforçar o trabalho de alerta e prevenção de desastres provocados pelas chuvas, o governo federal está enviando especialistas para Minas Gerais. Alguns já estão instalados em uma sala da Cedec, na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, e atuarão, juntamente aos técnicos da coordenadoria, para a elaboração de estratégias e ações para minimizar as perdas nos municípios mineiros.

Também participaram da reunião o coordenador estadual de Urgência e Emergência da Secretaria de Estado de Saúde, Rasível dos Reis Santos; a representante da Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Maria da Conceição Costa; além de técnicos da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) e da Secretaria Nacional de Defesa Civil.
O governador Antonio Anastasia recebe, nesta sexta-feira (6), às 9h, no Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra.
Fonte: Agência Minas

Antonio Anastasia acompanha estragos das chuvas na Zona da Mata

Fonte: Agência Minas

Veja o vídeo:
http://www.agenciaminas.mg.gov.br/images/stories/videos/20120105115434_chuvamg2_wmv v9.wmv

Ao longo de 2011, o Governo de Minas adotou uma série de medidas preventivas para o enfrentamento na temporada de chuvas. Dentre essas medidas, estão os investimentos feitos pela Cemig, da ordem de R$ 118 milhões, num plano de atendimento específico para o período chuvoso. O Governo investiu também na criação de coordenadorias municipais de defesa civil, na realização de cursos de capacitação de agentes para atuação em situações emergenciais, na construção de depósitos para armazenamento de donativos, na dragagem de rios e na vistoria e monitoramento de barragens e represas. Estas e outras ações estão detalhadas a seguir.

Estímulo e apoio à criação de 322 novas Coordenadorias Municipais de Defesa Civil

Em 2004, dos 853 municípios mineiros, apenas 374 possuíam Coordenadorias Municipais de Defesa Civil (COMDECs). Desde então, este número quase dobrou. Atualmente, 696 municípios mineiros já têm órgãos voltados exclusivamente para essa área. Apenas em 2011, o Governo de Minas estruturou a criação de 15 Coordenadorias Municipais.

A criação de 322 novas coordenadorias municipais foi feita com o incentivo e o apoio permanente do Governo de Minas, por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais (Cedec-MG). Além dos cursos para os agentes municipais, a CEDEC-MG disponibiliza suporte técnico às COMDECs.

Realização de 203 cursos de capacitação de agentes de defesa civil em 652 cidades

Para integrar as ações junto aos municípios mineiros, o Governo de Minas promoveu, no período de 2004 a 2011, um total de 203 cursos de capacitação em 652 cidades de todas as regiões do Estado, com um total de 5.048 alunos. Apenas em 2011 foram realizados 34 cursos para 1.147 agentes de 241 municípios.

Capacitação de 2.840 alunos de escolas situadas em áreas de risco

Ao longo de todo o ano de 2011, o Governo de Minas desenvolveu o projeto “Defesa Civil nas Escolas”, que capacitou 2.840 jovens e adolescentes de 8 a 18 anos, em escolas situadas em áreas de risco em Belo Horizonte, Nova Lima, Contagem, Betim, Santa Luzia, Raposos e Caeté. Os estudantes receberam treinamento sobre noções básicas de ação durante as tempestades, com ênfase nas medidas preventivas.

Cursos de capacitação para vistorias de represas e barragens

Com o apoio do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Minas Gerais (CREA-MG) e da Cemig o Governo de Minas realizou cursos de capacitação de agentes municipais de defesa civil para vistorias em barragens e represas e para a operação de reservatórios de usinas hidrelétricas. Essas iniciativas levaram à redução no tempo de recebimento de informações qualificadas, que permitem a tomada de decisões das autoridades através da descentralização das ações.

Investimento de prevenção feitos pela Cemig

A Cemig criou um plano de atendimento específico para o período chuvoso, com as ações específicas voltadas para o sistema elétrico. Apenas em 2011, a empresa investiu R$ 118 milhões na melhoria e manutenção da rede de transmissão e distribuição da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Tais investimentos têm o objetivo de diminuir o número de interrupções e restabelecer o fornecimento de energia no menor tempo possível, reduzindo os transtornos à população e às empresas.

Lançamento do Plano de Emergências Pluviométricas

Desde setembro de 2011 – antes do início do período chuvoso –, o Governo de Minas promoveu a realização de reuniões técnicas quinzenais, envolvendo o Corpo de Bombeiros, as Polícias Militar e Civil, Cemig, Copasa, Feam, Igam, Emater e Ruralminas, além das Secretarias de Transportes e Obras Públicas, Saúde, Planejamento e Gestão, Meio Ambiente, Desenvolvimento Regional e Política Urbana, Desenvolvimento Social, e dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas. Durante estas reuniões, foram definidas as ações de preparação e resposta aos eventos adversos causados pelas chuvas, tanto para o atendimento emergencial quanto o apoio operacional durante as ocorrências.

Em outubro de 2011, o Governo de Minas lançou o Plano de Emergências Pluviométricas (PEP) 2011/2012, que leva em conta o histórico dos períodos chuvosos de anos anteriores, contendo o detalhamento sobre os recursos humanos e logísticos da Cedec-MG.

Com base neste Plano, as prefeituras de municípios afetados recebem auxílio técnico para a documentação necessária à comunicação oficial de ocorrências em tempo hábil, bem como para a elaboração de projetos detalhados para obras de prevenção e reconstrução.

No dia 28 de dezembro último foi feito um treinamento de agentes dos municípios que decretaram situação de emergência para a elaboração de projetos e planos de trabalho para recebimento de recursos do governo federal para reconstrução.

Emissão de 13 avisos meteorológicos

Neste período chuvoso, a Defesa Civil do Estado já enviou 13 avisos meteorológicos para todas as regiões. Os envios são feitos via e-mail e SMS para celulares cadastrados dos prefeitos, coordenadores municipais de defesa civil, integrantes da Polícia Militar, Bombeiros, além de órgãos de imprensa. A fonte dos avisos meteorológicos é o Instituto Minas Tempo.

Construção de depósitos para armazenamento e distribuição de doações

O Governo de Minas implantou, desde 2003, 13 depósitos avançados estruturados para armazenar mantimentos e demais doações, estrategicamente espalhados por todas as regiões do Estado. Estes depósitos estão localizados nos seguintes municípios: Belo Horizonte, Barbacena, Bom Despacho, Diamantina, Governador Valadares, Lavras, Manhuaçu, Montes Claros, Passos, Teófilo Otoni, Ubá, Uberaba e Uberlândia. A previsão é que a construção dos outros três esteja concluída até o fim do mês ou início de fevereiro. Outros três estão sendo construídos em Montes Claros, Pouso Alegre e Ubá e já se encontram em fase de conclusão.

Deslocamento de 38 equipes de ajuda humanitária para o interior do Estado

Desde outubro de 2011 até agora, o Governo de Minas deslocou 21 equipes de transporte de ajuda humanitária do Estado para o abastecimento dos depósitos avançados no interior do Estado. Outras 17 equipes de prevenção e resposta a desastres foram deslocadas para municípios de diversas regiões.

Distribuição de alimentos e donativos

Desde outubro de 2011, o Governo de Minas já distribuiu 3 toneladas de alimentos, 1.720 colchões e 460 cobertores, além de telhas, kits com produtos de higiene pessoal, lonas e roupas para os moradores dos municípios atingidos pelas chuvas. A Copasa já disponibilizou 35 mil copos de água potável, para distribuição no Estado.

Recuperação de estradas afetadas pelas chuvas

De outubro de 2011 a janeiro de 2012, o Departamento de Estradas de Minas Gerais (DER-MG)recebeu 71 ocorrências relativas a problemas nas rodovias estaduais em decorrência das chuvas. Desse total, 33 já foram liberadas. Os trechos restantes foram sinalizados e o DER aguarda melhora do tempo para iniciar obras necessárias.

Antonio Anastasia aciona governo para intensificar ações para redução dos danos das chuvas

Fonte: Agência Minas

O governadorAntonio Anastasia afirmou, nesta quarta-feira (4), em Ouro Preto, que o Governo de Minas não poupará esforços para devolver a normalidade às famílias mineiras que vivem nas cidades atingidas pelas fortes chuvas. O governador e o vice Alberto Pinto Coelho percorreram as áreas mais afetadas nos municípios de Ubá, Guidoval, Dona Euzébia, Cataguases, Visconde do Rio Branco e Muriaé, na Zona da Mata, e ainda Ouro Preto, na região Central do Estado. Eles estavam acompanhados pelo coordenador estadual de Defesa Civil e chefe do Gabinete Militar do Governador, coronel Luis Carlos Dias Martins.

Segundo o governador, a prioridade é evitar a perda de vidas humanas e determinou a intensificação dos trabalhos da Defesa Civil para minimizar os efeitos da chuva. Ele afirmou que o Estado vai atuar em parceria com as prefeituras e com o governo federal para garantir os recursos necessários à reconstrução das cidades.

“O objetivo é restabelecer a normalidade da vida cotidiana das pessoas, com a retomada do abastecimento da água, da locomoção, energia elétrica, da questão relativa a alimentos e, ao mesmo tempo, minimizar os efeitos das perdas através de doações que já estão acontecendo, cestas básicas, colchões, para depois, quando as águas baixarem, identificarmos de modo preciso quais são os prejuízos, sua extensão exata e aí solicitar o apoio ao governo federal para fazer as obras de recuperação”, afirmou o governador, durante entrevista, em Ubá.

Ação imediata

Em Guidoval, uma das cidades mais castigadas, o governador determinou aos técnicos do Departamento de Estrada de Rodagem (DER) que o acompanhavam, a imediata reconstrução da ponte sobre o Rio Pomba, destruída pela ação das chuvas. A elaboração do projeto e a empresa responsável pela obra deverão ser contratadas em caráter emergencial. Uma ponte provisória deverá ser construída com a ajuda do Exército. Ele também determinou a melhoria do acesso da estrada que liga Guidoval ao município de Dona Euzébia, para garantir a mobilidade dos moradores.

“Determinei de pronto ao DER a reconstrução imediata da ponte que permite que a cidade de Guidoval seja ligada ao resto do Estado, porque ela está isolada neste momento. Vamos pedir também o apoio ao Exército para a construção de uma ponte provisória. São obras emergenciais e vamos gastar o que for preciso para restaurar, volto a dizer, a normalidade do cotidiano das pessoas”, disse o governador.

Muriaé foi outra cidade muita atingida em sua infraestrutura. A força das águas do Rio Muriaé destruiu casas, pontes e estradas, arrastou carros e deixou famílias desabrigadas. O governador assegurou a reconstrução da cidade e afirmou que apresentará um projeto para dragagem do rio à ministra do Planejamento, Miriam Belchior.

“Nós precisamos agora reconstruir isso, como já fizemos no passado. Estou apresentando ao governo federal uma proposta de dragagem dos rios das cidades maiores de Minas Gerais que são cortadas por rio, como é o caso de Muriaé. Tenho certeza que o governo federal será sensível e, também, com recursos do Estado nós vamos dragar e Muriaé será uma das primeiras cidades, passadas as chuvas, a ter um serviço de dragagem aqui”, afirmou.

Ouro Preto

Segundo o governador, Ouro Preto, Cidade Patrimônio Cultural da Humanidade, também será contemplada pelo projeto de dragagem de rios e contenção de encostas a ser apresentado ao governo federal. Ele defendeu a realização de obras que possam assegurar soluções mais definitivas, evitando a repetição dos prejuízos causados pelas chuvas ano após ano.  

“Precisamos de novos projetos com soluções mais definitivas, como alguns barramentos no Sul de Minas, a recuperação de barragens de contenção na Região Metropolitana de Belo Horizonte e de encostas em cidades como Ouro Preto e Muriaé, que são constituídas, aliás como a história indica, com os rios cortando as cidades ao meio, criadas ao longo de morros e de encostas em razão da nossa colonização. Precisamos esperar baixar as águas para mensurar a real extensão do dano causado. A partir daí, vamos elaborar os projetos”, disse ele.

Parceria

O vice-governador Alberto Pinto Coelho percorreu as cidades de Cataguases e Visconde do Rio Branco, acompanhado do secretário executivo da Cedec, tenente-coronel Eduardo Reis. Alberto Pinto Coelho destacou a boa estrutura da Defesa Civil Municipal de Cataguases, e o trabalho em parceria com a Cedec, além das ações preventivas realizadas pela prefeitura, como pontos a serem observados por outros municípios.

“O Governo Estadual está atento e busca levar todos os recursos possíveis àquelas cidades atingidas, tanto no que diz respeito a ações emergenciais quanto às que devem ser levadas adiante para evitar que situações se repitam no futuro. Entretanto, é fundamental que os municípios façam parte também desse esforço. Cataguases é um bom exemplo dos efeitos positivos que uma mobilização consciente e coordenada pode ter. Apesar dos danos, não tivemos perdas de vidas humanas. Isso graças a uma defesa civil municipal bem preparada para ordenar e colocar em prática planos de contigenciamento que incluem identificação e remoção da população que vivem em áreas de risco”, disse ele.

Em Visconde do Rio Branco, o vice-governador percorreu as ruas centrais da cidade, às margens do rio Xopotó, onde conversou com moradores e garantiu o apoio do Governo do Estado à população.

“Temos de acompanhar o mais de perto possível o que acontece com os mineiros, principalmente em situações como a atual, para podermos buscar soluções que confortem e tragam resultados positivos para nossa população”, afirmou o vice-governador.

O secretário nacional de Defesa Civil, Humberto de Azevedo Viana Filho, destacou o papel desempenhado pela defesa civil mineira, lembrando que o sistema de monitoramento reduziu as consequências das chuvas. “A quantidade de água que caiu levava a crer que tivéssemos um número maior de óbitos e maiores problemas. O sistema de monitoramento do Estado permite uma eficiência maior do sistema de defesa civil”, afirmou.

Palavra do Governador: Antonio Anastasia fala sobre plano de recuperação dos municípios atingidos pelos temporais em Minas

Chuvas em Minas, recuperação, gestão eficiente

Fonte: Agência Minas

GOVERNADOR ANTONIO ANASTASIA GARANTE AÇÕES PARA RECUPERAR CIDADES ATINGIDAS PELAS CHUVAS EM MINAS

“Vamos começar agora a recuperar os prejuízos e também, mais importante, desenvolver ações preventivas de médio e longo prazos para minimizar a ação das chuvas”.

– No primeiro Palavra do Governador de 2012, Antonio Anastasia fala sobre os danos causas pelas fortes chuvas que caíram sobre o Estado nos últimos dias e também sobre as providências que o Governo de Minas está tomando para minimizar o sofrimento da população atingida e para a reconstrução das cidades afetadas.

O governador fala sobre a visita que fez quarta feira (4) a várias cidades da Zona da Mata e da Região Central do Estado. “Vamos fazer uma atuação firme da Defesa Civil do Estado para permitir a volta à normalidade nesses municípios, através da locomoção das pessoas, dos acessos, do abastecimento de água e de energia, de tal modo que nós possamos devolver às pessoas as suas condições do dia a dia”, afirma.

Em Ouro Preto, o governador encontrou-se com o secretário Nacional de Defesa Civil, Humberto Viana Filho, que elogiou a atuação do Governo de Minas na preparação das defesas civis municipais do Estado. “Ficamos muito orgulhosos com esse elogio. Vamos continuar esse trabalho, especialmente nas questões de prevenção, para evitar a perda das vidas humanas, que deve ser sempre o nosso maior objetivo”, conclui Anastasia.

O Palavra do Governador poderá ser reproduzido por qualquer veículo de imprensa, sem ônus e de forma espontânea. O programa é disponibilizado todas as quintas-feiras nas modalidades texto (para jornais impressos e online), áudio (para rádio e podcast/web) e vídeo (em qualidade broadcast para TV).

                                                                                                                                Antonio Anastasia

Governador, o Sr. visitou, nessa quarta-feira, diversos municípios da Zona da Mata e da região Central do Estado que foram fortemente atingidos pelas chuvas. Como estão esses municípios hoje e qual a atuação do Governo de Minas para ajuda-los?

Antonio Anastasia: Visitamos esses municípios e, de fato, enfrentamos uma situação que é difícil. Os municípios sofreram com grandes volumes de chuva nessas regiões. Tiveram, de fato, uma situação extremamente delicada e em alguns municípios, como Guidoval, tivemos um quadro de uma tragédia praticamente generalizada. E agora vamos fazer uma atuação firme da Defesa Civil do Estado, que já está lá desde o primeiro momento para minimizar os efeitos dessas chuvas, para permitir a volta à normalidade através da locomoção das pessoas, dos acessos, do abastecimento de água e de energia, de tal modo que nós possamos devolver às pessoas as suas condições do dia a dia. E, num segundo momento, nós vamos iniciar as obras de recuperação daquilo que foi danificado.

Haverá integração com os órgãos federais e os municípios para o atendimento de urgência e a reconstrução desses municípios, governador?

Antonio Anastasia: Haverá e isso é fundamental. Nós vivemos num país que é uma federação, onde as esferas federal, estadual e municipal devem trabalhar integradas. Nós começamos um trabalho desde outubro do ano passado, através da Defesa Civil do Estado, em coordenação das defesas civis municipais. E foi exatamente este trabalho preventivo que permitiu minimizar os efeitos dessas violentas chuvas que estamos sofrendo agora. A este nosso esforço se soma o governo federal que, desde o primeiro momento do período chuvoso, tem se colocado ao nosso lado nesses trabalhos através de diversos ministérios.

O secretário Nacional de Defesa Civil, ligado ao governo federal, elogiou a atuação do Governo de Minas na preparação das defesas civis municipais. A Defesa Civil do Estado vai continuar atenta à situação dos municípios de Minas?

Antonio Anastasia: É verdade. Ficamos muito orgulhosos que o secretário de Defesa Civil do governo brasileiro tenha declarado publicamente que, sem demérito às demais defesas civis pelo Brasil afora, aonde ele se sente mais tranquilo é em Minas Gerais. Isso graças a um trabalho muito bem articulado do nosso sistema estadual de defesa civil, com a participação do Estado, das prefeituras e da sociedade civil como um todo. Vamos continuar esse mesmo trabalho, especialmente nas questões de prevenção, para evitar a perda das vidas humanas, que deve ser sempre o nosso maior objetivo. Evitar que haja morte, evitar que haja perdas de vidas humanas. Vamos começar agora a recuperar os prejuízos e também, mais importante, desenvolver ações preventivas de médio e longo prazos para minimizar a ação das chuvas.