• Agenda

    agosto 2020
    S T Q Q S S D
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Economia: Dilma não gera ‘boas expectativas’, diz Aécio

Candidato do PSDB à Presidência, Aécio disse que o governo Dilma “perdeu a capacidade de gerar expectativas positivas” na economia.

Eleições 2014

Fonte: O Globo 

Dilma não gera ‘boas expectativas’, diz tucano

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, disse, na manhã desse sábado (26), que o governo de Dilma Rousseff (PT) “perdeu a capacidade de gerar expectativas positivas” na economia.

A fala repercutiu reportagem da Folha que mostrou que analistas econômicos estão reavaliando as chances de vitória da petista.

“Há uma coisa essencial em economia: expectativa. Esses avaliações mostram que o atual governo perdeu a capacidade de gerar expectativas positivas, seja nos agentes internos, seja nos agentes externos”, afirmou.

Aécio falou sobre o tema depois de cumprir agenda no Parque da Juventude, em São Paulo, ao lado do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Após a caminhada, esvaziada pela chuva, Aécio alterou a agenda para acompanhar Alckmin a uma visita às obras sociais do padre Rosalvino, tido como influente líder católico, na zona leste da capital.

AEROPORTO

Ao final da visita, Aécio voltou a desconversar ao responder sobre o uso do aeroporto que construiu, quando governador, em Cláudio (MG).

“Já dei todos os esclarecimentos que julgava necessários. Se quiserem falar sobre o Brasil, estou aqui”, disse.

Alckmin, por sua vez, recuou da declaração, dada na última quinta-feira (24), de que poderia fazer campanha para Eduardo Campos, candidato do PSB ao Planalto –o partido tem a vaga de vice na chapa de Alckmin à reeleição.

“Quem é do PSB vai apoiar Campos, e quem é do PSDB vai apoiar Aécio Neves, que é meu candidato a presidente”.

ORIENTE MÉDIO

Sobre o posicionamento do Brasil em relação ao conflito no Oriente MédioAécio disse considerar que faltou um “brado mais claro” pedindo um cessar-fogo na região.

Para o tucano, a nota do Itamaraty foi equivocada, porque teve “viés unilateral” ao condenar a ação militar israelense na faixa de Gaza –a nota não fez menção aos ataques do Hamas a Israel.