• Agenda

    setembro 2020
    S T Q Q S S D
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    282930  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Gestão Anastasia: aumenta o interesse pela produção de mamona em Minas Gerais

Índice de produtividade das lavouras cresce mais de 100%

Divulgação/Seapa
O aumento da produção de mamona em relação à safra anterior será de 70,3%
O aumento da produção de mamona em relação à safra anterior será de 70,3%

Minas Gerais pode registrar na safra 2012 uma produção de 11 mil toneladas de mamona, informa a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), com base em dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O aumento em relação à safra anterior será de 70,3% e deve ser atribuído ao esforço dos produtores, em sua maioria agricultores familiares, para melhorar o índice de produtividade, que alcançou a média de 2 toneladas por hectare.

A produtividade registrada é 126,1% maior que a do ano passado, observa o superintendente de Desenvolvimento de Agropecuária e Silvicultura da Subsecretaria do Agronegócio, Bruno Barros Ribeiro de Oliveira. “Trata-se de um dado considerável na comparação com a produtividade das plantações brasileiras de mamona, que é de 708 quilos por hectare. A produção prevista para o Brasil é de 105,0 mil toneladas, uma variação negativa de 25,6%”, explica.

De acordo com Oliveira, o interesse pela produção de mamona no Estado aumentou especialmente com a criação da usina de biocombustível da Petrobras em Montes Claros, na região Norte, que responde praticamente por toda a safra mineira.

Já o coordenador estadual de Culturas e Biocombustível da Emater-MG, Waldir Pascoal Filho, considera que mesmo que haja problemas climáticos, o desempenho das lavouras será superior ao do ano passado. “Ainda que ocorra uma queda na produtividade anunciada, o desenvolvimento das lavouras é inegável, a perspectiva de  absorção das safras pela indústria de biocombustível estimula os agricultores.”

Recorde de grãos

O levantamento da Conab também mostra que a safra mineira de grãos 2011/2012, puxada pelo milho e a soja, deve alcançar 11,6 milhões de toneladas, um aumento de 9,3% em relação ao período anterior. Para o Brasil, a previsão é de 157,8 milhões de toneladas de grãos, uma variação negativa de 3,1%.

O milho segue com produção elevada em Minas, respondendo na nova estimativa por 63,7% da safra total de grãos do Estado. A previsão para este ano é de uma colheita recorde de 7,4 milhões de toneladas, volume que representa uma progressão de 13,6% em relação ao período anterior.

De acordo com avaliação da Seapa, o crescimento da produção de milho em Minas Gerais é consequência principalmente do aumento da demanda interna para utilização do produto na agricultura, suinocultura e bovinocultura. Além disso, os índices de preços alcançados pelo grão no mercado internacional, em 2011, estimularam os produtores a ampliar as áreas de cultivo, investir mais em tecnologia e adotar boas práticas nas lavouras.

A soja também continua com boas perspectivas. A produção estimada é de 3 milhões de toneladas, um volume 4,8% superior ao do ano passado.

fonte: Agência Minas

 

Gestão Anastasia: Minas Gerais deverá ter em 2012 a maior produção de café e de grãos da história

BELO HORIZONTE (10/01/12) – As previsões de safra divulgadas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), nesta terça-feira (10), indicam que Minas Gerais deverá ter uma produção recorde de café e de grãos em 2012. No caso do café, a produção mineira deverá ficar entre 25,5 milhões e 27,1 milhões de sacas (60 kg). Os números superam os recordes de 2002 e 2010, quando o Estado produziu 25,1 milhões de sacas.

Em relação a 2011, a produção de café em Minas Gerais deverá crescer entre 15,2% e 22,3%. “A expectativa de uma safra recorde é o resultado da melhoria dos tratos culturais nas lavouras e da bienalidade da cultura, que alterna um ano de safra alta e outro de safra baixa”, explica o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Elmiro Nascimento.

Segundo o secretário, o bom momento vivido pelo setor cafeeiro, com preços elevados nos mercados interno e internacional, justifica o investimento na produção. O crescimento de Minas supera a média nacional, que numa previsão mais otimista terá um aumento da safra de 20,2%. A pesquisa também mostra que, neste ano, o Estado será responsável por 52% da safra brasileira. Os números da Conab se referem aos dados coletados entre 8 de novembro e 17 de dezembro.

Grãos

A Conab também estima que a safra mineira de grãos será recorde, com um crescimento de 2,4% em relação a 2011, até então o melhor ano de produção mineira. Para 2012, a expectativa é de uma colheita de 10,9 milhões de toneladas, segundo o levantamento realizado entre 15 e 21 de dezembro.

“Ainda é cedo para informar se as chuvas de janeiro irão interferir nesta estimativa de produção. Até agora, não houve perdas significativas nas principais regiões produtoras de grãos no Estado”, explica o superintendente de Política e Economia da Secretaria de Agricultura, João Ricardo Albanez.

A produção de milho é o carro-chefe da safra mineira. A colheita deve atingir 6,8 milhões de toneladas, 4,7% a mais que em 2011. Já a produção de soja deverá ser de 2,9 milhões de toneladas, praticamente a mesma quantidade que no ano passado. A produção de feijão deverá ter uma redução de 2,1%. Segundo a Conab, a produção desse grão em Minas Gerais dever ser de 589,5 mil toneladas.

Números de Minas Gerais – safra 2012

Café: 25,5 milhões a 27,1 milhões de sacas (alta de 15,2% a 22,3%)

Grãos: 10,9 milhões de toneladas (alta de 2,4%)

Minas Gerais terá produção recorde de açúcar e álcool em 2010

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Ministério da Agricultura estima colheita de 56,2 milhões de toneladas em setembro

Minas Gerais colherá safra recorde de cana-de-açúcar este ano, segundo estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), do Ministério da Agricultura. São 56,2 milhões de toneladas previstas para o final da colheita em setembro, volume 12,6% maior que o colhido ano passado. Nos últimos anos, o setor sucroalcooleiro tem se destacado no agronegócio mineiro. Das 43 usinas de cana-de-açúcar em funcionamento no Estado, 23 foram implantadas na gestão do ex-governador Aécio Neves, candidato ao Senado, e do governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, que estarão no Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba nesta segunda-feira (26/07), visitando as cidades de Araguari, Iturama e Araxá.

Os investimentos do setor no Estado somam R$ 10,1 bilhões viabilizados desde 2003, gerando 60,7 mil empregos diretos, principalmente, no Triângulo Mineiro, onde se concentra a maior parte das usinas.

Segundo a Conab, a produção de etanol pelas indústrias do Estado neste ano irá crescer 11,5% e chegar a 2,5 bilhões de litros. Já produção de açúcar será de 3,2 milhões de toneladas. Um crescimento de 20,8%. Minas é o segundo maior produtor nacional de açúcar e terceiro produtor de etanol.

Redução de ICMS

Em 2011, o setor vai ganhar um novo impulso com a redução pelo Governo do Estado da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para o etanol. A partir de 1º de janeiro, o imposto será reduzido de 25% para 22%. O Projeto de Lei 4.641/10 já foi aprovado em segundo turno pela Assembleia e aguarda parecer da redação final pelo Plenário antes da sanção pelo governador Antonio Anastasia.

“É um esforço do governo, no sentido de tornar o nosso álcool cada vez mais competitivo. E o álcool é um produto mineiro. Ou seja, o álcool é produzido em Minas, gera emprego em Minas, gera riqueza em Minas, ocupa e produz em terras mineiras. Então, isso é muito importante”, afirmou o governador em entrevista.

Mais álcool nas bombas

Hoje, entre dez carros produzidos no Brasil, nove são bicombustíveis e a medida de redução do ICMS adotada pelo Governo de Minas ampliará a oferta de etanol a preços mais competitivos e provocará um grande benefício para o consumidor final. O governo também reduziu a alíquota de 25% para 12% nas operações das usinas para as distribuidoras. A legislação do ICMS também foi alterada para estabelecer tratamento tributário simplificado para operações dos produtores de etanol, o que representa um componente importante para a diminuição do custo Brasil das empresas, favorecendo, assim, a competitividade desse produto.

Desenvolvimento sustentável

O desenvolvimento do setor sucroalcooleiro em Minas Gerais é realizado de maneira sustentável. Em 2008, o ex-governador Aécio Neves, candidato ao Senado Federal, assinou protocolo com o Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool de Minas Gerais (Siamig/Sindaçúcar-MG) para eliminar totalmente a queima da cana-de-açúcar no Estado até 2014. Neste período, a queima em Minas será substituída gradualmente pela mecanização.