• Agenda

    janeiro 2020
    S T Q Q S S D
    « out    
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Pimenta vai atrair empresas da chamada Nova Economia

Pimenta quer trabalhar para atrair empresas da chamada Nova Economia, cujos produtos geram emprego e têm maior valor agregado.

Eleições 2014

Fonte: PSDB-MG

Pimenta da Veiga quer novo salto econômico e mais empregos

Candidato a governador pela Coligação Todos por Minas quer atrair empresas da chamada Nova Economia para agregar valor à produção do Estado

Diversificar a economia e investir na geração de emprego de qualidade são as principais estratégias do candidato a governador Pimenta da Veiga para garantir que os bons resultados da economia mineira alcance patamares ainda maiores. Ao participar, nesta quarta-feira (20/08), em Belo Horizonte, da inauguração do comitê de campanha do candidato a deputado estadual Gilvan Pinho Tavares (PV), Pimenta ressaltou que nos últimos dez anos o PIB per capita em Minas cresceu quase 200% e que no mesmo período o Estado recebeu perto de R$ 200 bilhões de investimentos privados. Segundo ele, é preciso continuar atraindo investimentos para assegurar o desenvolvimento econômico e social.

”Queremos que todos os investimentos que possam vir para Minas cheguem efetivamente aqui para construir uma economia mais forte e mais diversificada”, afirmou. Para Pimenta da Veiga, existe a necessidade de agregar valor ao que é produzido em Minas Gerais. “O que nós queremos é aproveitar a nossa produção, sejam os grãos, seja o minério para que ele seja melhor aproveitado aqui dentro e em mais etapas, fazendo um aproveitamento dessas matérias primas aqui. Vamos atuar em todos os setores”, disse ele.

Tecnologia de ponta

Além dos setores já tradicionais da economia mineira, Pimenta da Veiga quer trabalhar para atrair empresas da chamada Nova Economia, cujos produtos têm maior valor agregado e geram emprego de qualidade. São empresas dos setores de Tecnologia da Informação e Comunicação, do setor aeroespacial, farmacêutico e eletrônico. “Minas Gerais tem um grande ambiente para a Nova Tecnologia. Queremos criar todas as condições para que esses investimentos ocorram”, afirmou.

Nos últimos anos, várias empresas dessa área se instalaram em Minas Gerais, entre elas a Six Semicondutores, que deve iniciar a produção de semicondutores em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, no ano que vem. Já operam no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, os centros de manutenção de aeronaves da Gol e da Azul/Trip.

Também escolheram Minas Gerais para expandir seus negócios grandes empresas da área farmacêutica, como a fábrica de capsulas para medicamentos ACG Worldwide, em Pouso Alegre; o Centre Suisse d’Electronique et de Microtechnique (CSEM Brasil), em Belo Horizonte, que realiza investimentos em pesquisa básica e aplicada nos campos das nano e microtecnologias, engenharia de sistemas, tecnologias de informação e telecomunicação e ainda a fábrida da Biomm em Nova Lima, que atua na área de biotecnologia e vai fabricar insulina.

Para Pimenta, “governar não é ato individual, é ato coletivo”

Coligação Todos por Minas apresentou segmentos contemplados no Plano de Governo e anunciou construção de 100 mil casas populares.

Eleições 2014

Fonte: Site do candidato Pimenta da Veiga

Diversidade social é marca na campanha de Pimenta da Veiga

Coligação Todos por Minas apresenta segmentos contemplados no Plano de Governo; candidato anuncia, ainda, construção de 100 mil casas populares

Mais de 50 entidades mineiras de 18 segmentos sociais passaram a integrar a campanha do candidato a governador Pimenta da Veiga, participando ativamente de eventos e contribuindo com a formulação do Plano de Governo da Coligação Todos por Minas. O evento de apresentação dos colaboradores, na manhã desta segunda-feira (11/8), em Belo Horizonte, lotou o auditório do comitê central da campanha. O especialista em administração Marcelo Lana, com larga experiência em entidades estaduais e nacionais, é o coordenador de Segmentos Sociais da coligação.

“Para conversar diretamente com todos, a campanha se segmentou buscando identificar demandas de cada setor. Como a campanha cresce a cada dia e o número de entidades diversas é cada vez maior, foi criada a coordenação de segmentos”, explicou Lana. “Nesta grande estrutura estão associações, sindicatos, fundações e toda a pluralidade do segmento social: mulheres, jovens, idosos, negros, LGBT, sindicalistas, cooperativas, esportistas, catadores de papel, artesãos, enfim, todos estão representados aqui”, completou.

Ao lado do candidato a governador Pimenta da Veiga e do candidato a senador Antonio Anastasia, o coordenador Marcelo Lana disse que essa parceria é fundamental para a elaboração do Plano de Governo, que será apresentado à população mineira em setembro. “Assim, a campanha estabelece um diálogo com cada público, com olhar sensível e respeitando suas especificidades. Conosco, a sociedade caminha junto, opinando, colaborando e construindo uma campanha plural, democrática e inclusiva”, afirmou Lana.

O diálogo aberto com a sociedade sempre foi uma das marcas de Pimenta em todos os cargos públicos em que ocupou. Segundo ele, essa característica da campanha representa um passo fundamental de interação com todos os mineiros. “Governar não é ato individual, é ato coletivo. Por onde passei, sempre valorizei de todos os modos a participação popular. Tudo deve ser feito ouvindo os segmentos sociais e é isso que estamos fazendo. É assim que queremos governar, sempre ouvindo toda a sociedade”, destacou Pimenta.

Habitação popular

Antes do início do encontro com representantes dos segmentos sociais, Pimenta da Veigadestacou as ações realizadas pelo Governo de Minas nos últimos anos na área habitacional. Ele anunciou, ainda, a construção de 100 mil casas populares. “O Governo do Estado nos últimos anos construiu 35 mil habitações para população de baixa renda em todas as regiões. Nós temos um plano ambicioso a esse respeito. No nosso período de governo vamos construir 100 mil casas Minas Gerais”, afirmou.

“Vamos atender a toda demanda de baixa renda, atender a população que mora em áreas de risco e, ainda, atender cidadãos ligados a alguns setores específicos, como, os profissionais das áreas de segurança e educação, entre outras. É um programa, audacioso, é um grande esforço que o governo fará. A questão da casa própria será tratada de modo prioritário no nosso governo”, explicou, ao destacar a necessidade de buscar novos avanços neste setor.

Implantado em 2005 como principal programa habitacional do Governo de Minas, o Lares Geraes Habitação Popular, executado pela Companhia de Habitação do Estado de Minas Gerais (Cohab Minas), reduziu o déficit de moradias em cerca de 19% nos municípios com até 20 mil habitantes, que são 80% do total de cidades mineiras. Foram aplicados, de 2005 a junho de 2014, mais de R$ 1 bilhão para construção de casas para famílias de baixa renda.