• Agenda

    agosto 2019
    S T Q Q S S D
    « out    
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

  • Anúncios

Gestão Anastasia: centros vocacionais tecnológicos trabalham pelas vítimas das enchentes em Minas

BELO HORIZONTE (20/01/12) – O excesso de chuvas em Minas Gerais durante todo o mês de dezembro e início de janeiro trouxe prejuízos de toda ordem, incluindo vidas humanas que se foram. Milhares de famílias tiveram suas casas destruídas, ficaram sem roupas e alimentos. Diante desse quadro dramático vivido por parte significativa do território mineiro, os centros vocacionais tecnológicos (CVTs) de Patos de Minas, Lavras e Manhumirim têm trabalhado com empenho para ajudar as vítimas das chuvas. Segundo a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), são cerca de 50 mil pessoas desalojadas e 4,7 mil desabrigadas, principalmente em municípios da Zona da Mata.

O CVT de Patos de Minas já arrecadou mais de 170 kg de alimentos não-perecíveis. Para conseguir esses donativos, a equipe centro pediu a todos os alunos que realizaram matrículas para os cursos deste ano, a contribuição de pelo menos 1 kg de mantimento. “Como a população está envolvida em ajudar as vítimas dessa fatalidade, o CVT também se solidarizou. Todo o material foi entregue para a Polícia Militar que, juntamente com o Corpo de Bombeiros e o Sindicato dos Produtores Rurais de Patos de Minas, trabalha na campanha em favor das vítimas das enchentes em Minas Gerais”, destacou o coordenador-geral do CVT, Gustavo Gonçalves.

Em Lavras, os funcionários do CVT têm agido de maneira rápida e solidária. A unidade divulgou, por meio da internet e rádio, a campanha de recolhimento de materiais destinados a todos os afetados pela chuva na região do Campo das Vertentes. O programa busca reunir o maior número possível de roupas, agasalhos, calçados e material de limpeza. De acordo com o coordenador do CVT, Marcelo Junqueira, “até o momento, foi arrecadada uma boa quantidade de roupas, mas é necessário coletar mais produtos de limpeza”. Para isso, toda a equipe do CVT estará entre 21 e 22 de janeiro, na praça Doutor Augusto Silva, recebendo doações da comunidade local. “Caso a pessoa não esteja na cidade nessas datas, ela pode ir ao CVT de Lavras até segunda-feira (23)”, esclarece Junqueira. Na próxima semana, todo o material arrecadado será encaminhado à Polícia Militar.

O CVT de Manhumirim, junto com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial de Minas Gerais (Senac-MG), aderiu ao projeto Ação Solidária. “A iniciativa contemplará os municípios indicados pela Defesa Civil Estadual em situação de emergência”, afirmou Uelisson Nascimento, coordenador-geral do CVT. A unidade está recebendo materiais, como roupas de cama, cobertores, toalhas de banho e alimentos não-perecíveis. As doações podem ser feitas até a primeira semana de fevereiro.

Endereço dos CVTs:

– CVT Lavras

Rua Raul Soares, 65/1º andar – Centro

(35) 3694 4158

– CVT Manhumirim

Av. Teófilo Tostes, 75 – Centro

(33) 3341 2003

Fonte: Agência Minas

Anúncios

Governo de Minas: Caravana Solidária ajuda a restabelecer normalidade nas cidades atingidas pelas chuvas

BELO HORIZONTE (18/01/12) – Restabelecer a normalidade nos municípios mineiros atingidos pelas chuvas está entre as principais metas do Governo de Minas para os próximos dias. Com esse intuito, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) vem empregando inúmeras ações de apoio humanitário, auxílio técnico e dando toda a assistência necessária à população, para assegurar o fornecimento de serviços públicos, a distribuição de donativos, o envio de medicamentos e a reconstrução de áreas afetadas.

Dentre as medidas determinadas pelo governador Antonio Anastasia para auxiliar a população mineira está o Programa Emergencial de Socorro a Empresas e Cooperativas com Empreendimentos Afetados por Chuvas Intensas (Fundese Solidário). Trata-se de uma linha de crédito especial, disponibilizada pelo Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), para atender às empresas que sofreram prejuízos com as chuvas. Serão R$ 30 milhões destinados a apoio financeiro para a reparação de danos causados a micro e pequenas empresas e cooperativas de municípios em situação de emergência ou em regiões específicas de cidades atingidas.

“O que a Defesa Civil mais observou nos municípios atingidos pelas fortes chuvas é que o comércio também foi muito afetado. O Fundese Solidário é mais uma ação que o Governo de Minas coloca à disposição dos empresários, para que busquem o restabelecimento de suas atividades comerciais”, disse o coordenador estadual de Defesa Civil, coronel Luis Carlos Martins.

O financiamento tem carência de até seis meses para o início do pagamento, que pode ser feito em até três anos, com juros de 6% ao ano. Podem ser financiados de R$ 5 mil a R$ 100 mil por empresa, com valor limitado a 20% do faturamento anual. Os recursos poderão ser usados em investimentos fixos, como realização de obras físicas, reparos de ativos danificados e também para recomposição de capital de giro, para cobrir gastos com a folha de pagamento, fornecedores, impostos, taxas, aquisição de insumos, mercadorias para revenda e material de consumo.

O gerente do Departamento de Micro e Pequenas Empresas do BDMG, Roberto Emílio de Senna, explica que a linha de crédito representa um importante meio de recuperação das economias locais. “Os recursos servem não apenas para recuperar os danos causados pelas chuvas, mas ajudam a manter a atividade da economia local, principalmente os postos de trabalho, evitando que o dano seja maior”, afirmou.

Caravana Solidária

Para apresentar o programa e esclarecer as dúvidas dos micro e pequenos empresários, equipes do BDMG realizam caravanas pelas cidades mineiras atingidas pelas chuvas. Nesta semana, a Caravana Solidária do BDMG visitará pelo menos 12 municípios.  O cronograma visa atender a todas as regiões do Estado e inclui, nesta primeira etapa, as cidades de Além Paraíba, Dona Euzébia, Cataguases, Guidoval, Ubá, Miraí, Viçosa, Muriaé, Ponte Nova, Leopoldina, Ouro Preto e Itabirito.

“O BDMG, mais uma vez, está à disposição dos empresários neste momento tão difícil. O banco é mais um instrumento do Governo de Minas para minimizar os efeitos das enchentes que assolaram nosso Estado”, destaca Roberto Emílio de Senna. O empresário interessado nos recursos desta linha de crédito deve fazer a solicitação pelo site do BDMG ou procurar um dos parceiros do banco – Cecremge, Crediminas, Fiemg, FCDL, Fecomércio, Federação dos Contabilistas, Federaminas e Sebrae-MG – na cidade ou região em que está localizada a empresa. Este ano, o BDMG conta com a parceria das cooperativas de crédito que estão trabalhando como correspondentes bancárias do banco. Há 36 cooperativas já credenciadas, que poderão auxiliar as empresas a solicitar o financiamento.

O programa Fundese Solidário, que está na sexta edição, é destinado às empresas e cooperativas localizadas nos municípios declarados em situação de emergência, que sofreram danos em decorrência das chuvas. Além de documentos técnicos, os interessados devem agregar ao processo um laudo da Defesa Civil, estadual ou municipal, comprovando o prejuízo. Os pedidos de financiamento devem ser encaminhados ao BDMG até o dia 31 de maio de 2012 e a documentação, até 30 de junho. Mais informações sobre o Fundese Solidário, bem como o cronograma de municípios que serão visitados pela Caravana Solidária do BDMG, estão disponíveis pelo telefone 0800-283-83-37 ou pelo e-mail solidario@bdmg.mg.gov.br.

Este é um dos benefícios já anunciados por Antonio Anastasia, em continuidade aos esforços do governo para restabelecer a normalidade à população atingida pelas chuvas. As ações incluem a prorrogação de prazo para recolhimento do ICMS, remissão do pagamento de IPVA e taxa de licenciamento de veículos, além de inúmeras facilidades para pagamento das contas de água e luz. Quanto às medidas emergenciais, cerca de 380 toneladas de alimentos já foram distribuídas a 142 municípios mineiros. O governo vai, ainda, adiantar os recursos do Piso Mineiro de Assistência Social dos próximos seis meses aos municípios que tiveram situação de emergência homologada e que têm direito ao benefício em 2012. A reconstrução de pelo menos 650 casas destruídas pelas enchentes também foi assegurada pelo Governo de Minas.

BELO HORIZONTE (18/01/12) – Restabelecer a normalidade nos municípios mineiros atingidos pelas chuvas está entre as principais metas do Governo de Minas para os próximos dias. Com esse intuito, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) vem empregando inúmeras ações de apoio humanitário, auxílio técnico e dando toda a assistência necessária à população, para assegurar o fornecimento de serviços públicos, a distribuição de donativos, o envio de medicamentos e a reconstrução de áreas afetadas.

Dentre as medidas determinadas pelo governador Antonio Anastasia para auxiliar a população mineira está o Programa Emergencial de Socorro a Empresas e Cooperativas com Empreendimentos Afetados por Chuvas Intensas (Fundese Solidário). Trata-se de uma linha de crédito especial, disponibilizada pelo Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), para atender às empresas que sofreram prejuízos com as chuvas. Serão R$ 30 milhões destinados a apoio financeiro para a reparação de danos causados a micro e pequenas empresas e cooperativas de municípios em situação de emergência ou em regiões específicas de cidades atingidas.

“O que a Defesa Civil mais observou nos municípios atingidos pelas fortes chuvas é que o comércio também foi muito afetado. O Fundese Solidário é mais uma ação que o Governo de Minas coloca à disposição dos empresários, para que busquem o restabelecimento de suas atividades comerciais”, disse o coordenador estadual de Defesa Civil, coronel Luis Carlos Martins.

O financiamento tem carência de até seis meses para o início do pagamento, que pode ser feito em até três anos, com juros de 6% ao ano. Podem ser financiados de R$ 5 mil a R$ 100 mil por empresa, com valor limitado a 20% do faturamento anual. Os recursos poderão ser usados em investimentos fixos, como realização de obras físicas, reparos de ativos danificados e também para recomposição de capital de giro, para cobrir gastos com a folha de pagamento, fornecedores, impostos, taxas, aquisição de insumos, mercadorias para revenda e material de consumo.

O gerente do Departamento de Micro e Pequenas Empresas do BDMG, Roberto Emílio de Senna, explica que a linha de crédito representa um importante meio de recuperação das economias locais. “Os recursos servem não apenas para recuperar os danos causados pelas chuvas, mas ajudam a manter a atividade da economia local, principalmente os postos de trabalho, evitando que o dano seja maior”, afirmou.

Caravana Solidária

Para apresentar o programa e esclarecer as dúvidas dos micro e pequenos empresários, equipes do BDMG realizam caravanas pelas cidades mineiras atingidas pelas chuvas. Nesta semana, a Caravana Solidária do BDMG visitará pelo menos 12 municípios.  O cronograma visa atender a todas as regiões do Estado e inclui, nesta primeira etapa, as cidades de Além Paraíba, Dona Euzébia, Cataguases, Guidoval, Ubá, Miraí, Viçosa, Muriaé, Ponte Nova, Leopoldina, Ouro Preto e Itabirito.

“O BDMG, mais uma vez, está à disposição dos empresários neste momento tão difícil. O banco é mais um instrumento do Governo de Minas para minimizar os efeitos das enchentes que assolaram nosso Estado”, destaca Roberto Emílio de Senna. O empresário interessado nos recursos desta linha de crédito deve fazer a solicitação pelo site do BDMG ou procurar um dos parceiros do banco – Cecremge, Crediminas, Fiemg, FCDL, Fecomércio, Federação dos Contabilistas, Federaminas e Sebrae-MG – na cidade ou região em que está localizada a empresa. Este ano, o BDMG conta com a parceria das cooperativas de crédito que estão trabalhando como correspondentes bancárias do banco. Há 36 cooperativas já credenciadas, que poderão auxiliar as empresas a solicitar o financiamento.

O programa Fundese Solidário, que está na sexta edição, é destinado às empresas e cooperativas localizadas nos municípios declarados em situação de emergência, que sofreram danos em decorrência das chuvas. Além de documentos técnicos, os interessados devem agregar ao processo um laudo da Defesa Civil, estadual ou municipal, comprovando o prejuízo. Os pedidos de financiamento devem ser encaminhados ao BDMG até o dia 31 de maio de 2012 e a documentação, até 30 de junho. Mais informações sobre o Fundese Solidário, bem como o cronograma de municípios que serão visitados pela Caravana Solidária do BDMG, estão disponíveis pelo telefone 0800-283-83-37 ou pelo e-mail solidario@bdmg.mg.gov.br.

Este é um dos benefícios já anunciados por Antonio Anastasia, em continuidade aos esforços do governo para restabelecer a normalidade à população atingida pelas chuvas. As ações incluem a prorrogação de prazo para recolhimento do ICMS, remissão do pagamento de IPVA e taxa de licenciamento de veículos, além de inúmeras facilidades para pagamento das contas de água e luz. Quanto às medidas emergenciais, cerca de 380 toneladas de alimentos já foram distribuídas a 142 municípios mineiros. O governo vai, ainda, adiantar os recursos do Piso Mineiro de Assistência Social dos próximos seis meses aos municípios que tiveram situação de emergência homologada e que têm direito ao benefício em 2012. A reconstrução de pelo menos 650 casas destruídas pelas enchentes também foi assegurada pelo Governo de Minas.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: entidades empresariais vão ajudar na construção das casas dos atingidos pelas chuvas

 

BELO HORIZONTE (17/01/12) – O governador Antonio Anastasia se reuniu, nesta terça-feira (17) com o senador Aécio Neves, o coordenador estadual de Defesa Civil, coronel Luis Carlos Martins, a presidente do Servas, Andrea Neves, e os presidentes da Fiemg, Olavo Machado, e da Fecomércio, Lázaro Luiz Gonzaga. Eles discutiram propostas para ajuda do setor privado para a reconstrução de casas destruídas pelas chuvas que assolaram o Estado.

As entidades se comprometeram com o governador a doar material para a construção de casas para a população atingida pelas chuvas em Minas. A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) já fez um levantamento das famílias que precisarão de apoio do poder público, constatando que hoje seria preciso a construção de cerca de 650 unidades.

“Depois dos anúncios relativos ao adiamento do recolhimento de ICMS, às tarifas de energia e de água, a entrega de materiais, a questão tributária, a questão do Fundese, nós tivemos uma reunião com a presença do presidente da Federação do Comércio e da Federação das Indústrias para tomar uma iniciativa sugerida pelo senador Aécio, que é a reconstrução das casas totalmente destruídas pelas enchentes. Nós vamos contar mais uma vez com a parceria das entidades empresariais e das prefeituras. Estamos estimando em cerca de 650 casas. Vamos entregar para as prefeituras o material de construção, que será originário de doações organizadas pela Fiemg e a Fecomércio, bem como assistência técnica”, anunciou o governador.

Anastasia explicou que a ação faz parte das duas primeiras etapas da estratégia do Governo para o atendimento às vítimas das chuvas, que são a volta à normalidade e a reconstrução das regiões afetas. A ideia é que terminado o período de chuvas já se tenha toda logística do sistema montado e identificado qual apoio técnico será necessário.

“É um esforço importante que o Governo vai realizar em parceria com a sociedade com o objetivo de restaurar essa normalidade no prazo mais curto. Claro que só vamos começar esse tipo de procedimento tão logo haja o término do período chuvoso e que deve ser, no mais tardar, no final do mês de fevereiro. Enquanto isso, vamos identificar todas as questões de logística. E vamos continuar sempre identificando outras possibilidade de minimizar as questões relativas aos danos das enchentes”, assegurou Anastasia.

A intenção é que o material de construção seja repassado para as prefeituras que ficarão encarregadas de construir as casas. O governo do Estado e as entidades, que participarão desse esforço, vão solicitar ao Ministério Público Estadual que fiscalize a aplicação dos recursos. “A Federação das Indústrias e a Federação do Comércio serão responsáveis, junto com as empresas, pela doação do material de construção. Vão identificar qual o material necessário para a construção dessas casas e vão ser responsáveis para que esse material seja doado. Nós vamos levá-los às prefeituras e também vão participar com assistência técnica, com engenheiros, com técnicos para orientarem as prefeituras, claro, de acordo com cada realidade, na reconstrução das casas”, explicou.

Referência

O senador Aécio Neves, presente na reunião que discutiu o plano para reconstrução das casas, destacou o trabalho que o governo de Minas vem fazendo para atendimento das regiões mais afetadas pelas chuvas. “Desde o início do período chuvoso, mesmo no ano passado, tenho conversado quase que diariamente com o governador Anastasia. A nossa Cedec é reconhecida pelo Governo Federal hoje como a mais bem estruturada do país”, disse.

“Eu trouxe ao governador Anastasia essa sugestão, que obviamente ele já trabalhava, e hoje nós iniciamos uma conversa com as duas principais entidades de classe de Minas Gerais para que nós voltemos a ter o apoio solidário das empresas que podem contribuir para a reconstrução. Acho que é uma resposta efetiva que nós podemos dar a partir da experiência que nós acumulamos ao longo dos últimos nove anos”, afirmou o senador mineiro.

Depois da intervenção do governador, que pediu a União agilidade na liberação dos recursos para ajuda aos municípios, o Estado recebeu hoje o primeiro repasse do Governo Federal para o atendimento emergencial para as vítimas das chuvas. O dinheiro será gasto para garantir a volta da normalidade aos municípios mais atingidos, primeira etapa do plano feito pelo Governo de Minas para atendimento às comunidades mineiras.

“Depois que o governador Anastasia requereu ao ministro da Integração o repasse dos recursos, o Governo do Estado conseguiu, hoje, receber o primeiro depósito, que é pertinente ao Estado. Foram R$ 3 milhões de R$ 10 milhões que serão repassados ao Estado de Minas. Outros quatro municípios, Muriaé, Ouro Preto, Vespasiano e Cipotânea, também receberam recursos do repasse emergencial direto do Governo Federal”, afirmou o coordenador da Cedec, coronel Luis Carlos Martins.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Bombeiros de Muriaé priorizam vistorias e boletins de ocorrência após chuvas

MURIAÉ (12/01/12) – O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Minas Gerais em Muriaé, após um período crítico de chuvas na cidade, está priorizando vistorias às áreas de risco e os boletins de ocorrência para a população mais afetada. Foram realizadas vistorias em cinco bairros: Aeroporto, Patrocínio São José, São Cristovão, Encoberta e Santa Teresinha.

O objetivo foi avaliar o risco de deslizamentos, que ainda podem ocorrer. Segundo o tenente Tassi, comandante do Corpo de Bombeiros de Muriaé, é importante que as pessoas que residem próximas a barrancos fiquem atentas caso volte a chover. “Os moradores de locais próximos a encostas estão orientados a saírem de suas casas, caso haja alguma alteração. Orientamos também o isolamento de cômodos em que possa haver risco”, destaca.

Segundo ele, foi feito também um cadastro das pessoas que precisarão do boletim de ocorrência e as equipes estão dando continuidade a esse procedimento. “O bairro Barra, por exemplo, um dos pontos que foi alagado, tem muitas lojas comerciais, então os proprietários precisarão do boletim de ocorrência para solicitar o seguro”, relata. Até o momento, já foram feitos cerca de 50 boletins.

O Corpo de Bombeiros em Muriaé resgatou, durante as chuvas, mais de 500 pessoas ilhadas, com o auxílio de quatro embarcações da corporação. De acordo com o cabo Eduardo, a principal função foi mesmo de busca e salvamento. “Trabalhei das 8h às 20h, retirando gente das casas, inclusive do segundo pavimento das residências”, afirma. Segundo ele, com as chuvas, o rio Muriaé subiu cerca de seis metros acima do nível normal. Nessa quinta-feira (12), o rio está apenas dois metros acima do nível normal.

Mobilização

Em todas as cidades mais afetadas pelas chuvas no restante do Estado, o Corpo de Bombeiros também foi mobilizado e está apoiando a Defesa Civil no resgate de pessoas ilhadas e na distribuição de medicamentos, cestas básicas, água, colchões, cobertores e roupas.

Para Além Paraíba, que se encontra em situação crítica, o governador Antonio Anastasia, após visita à cidade, determinou novas medidas emergenciais nas áreas de transportes e obras públicas, saúde e abastecimento de água, para o retorno imediato à normalidade.

Além disso, 15 toneladas de donativos e materiais de ajuda humanitária foram encaminhados, nessa quarta-feira (11), a famílias atingidas pelas chuvas no Estado. A primeira entrega de doações, arrecadadas pelo Movimento Minas Solidária, lançado no último dia 6 pelo Governo de Minas e executado pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), em parceria com o Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), saiu de Belo Horizonte, levando alimentos, leite em pó, roupas, calçados, material de higiene e limpeza e fraldas descartáveis para os municípios de Jeceaba, Juatuba, Ponte Nova e São João del-Rei.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas libera mantimentos para as populações de São João del-Rei e Carandaí

BELO HORIZONTE (11/01/12) – As populações de São João del-Rei e Carandaí, no Campo das Vertentes, começarão a receber mantimentos enviados pelo Governo de Minas para auxiliar as famílias mais afetadas pelas chuvas dos últimos dias. Os donativos já foram liberados pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) e incluem colchões, cobertores e cestas básicas.

Em Carandaí, de acordo com a Defesa Civil Municipal, o rio que corta a cidade subiu mais de seis metros acima do nível normal. Oito bairros da cidade foram inundados e a estimativa é de que tenha chovido 120 milímetros na madrugada do último dia 9. Já em São João del-Rei, o Rio das Mortes e o Córrego do Lenheiro transbordaram, deixando, segundo a Defesa Civil do município, cerca de 300 pessoas desalojadas e 16 desabrigadas.

Neste ano de 2012, o Governo de Minas já enviou comboios com mantimentos para 40 cidades afetadas, mas as ações do Estado de enfrentamento aos efeitos das chuvas não param por aí. O governo também está arrecadando donativos (roupas e alimentos), que podem ser entregues pela população nos Batalhões da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

Além disso, esta semana, o governador Antonio Anastasia lançou a Força Estadual de Saúde, que, por meio de médicos, enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais, vai atender às populações dos municípios mais atingidos pelas chuvas. Segundo Anastasia, os voluntários começarão, em primeiro lugar, por Guidoval e Dona Euzébia, na Zona da Mata, e dali deverão circular pela região.

“Temos em torno de 450 voluntários e o cadastramento ainda está aberto. Foi feito um cadastramento pela internet e telefone. Temos profissionais que são do Estado e que não são de Minas. Essas pessoas devem receber sempre o nosso aplauso. Vamos montar 20 equipes, com 60 profissionais. Eles irão em uma caminhonete com tração para poderem chegar a lugares com dificuldade de acesso. Cada caminhonete vai ter uma equipe com um motorista e três profissionais de saúde”, explica o governador.

Kits de Atendimento às Calamidades

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) também está atuando junto aos municípios afetados pelas chuvas e está disponibilizando Kits de Atendimento às Calamidades para a população. Estão sendo distribuídos também medicamentos, de acordo com a demanda apresentada pela Cedec.

Os kits contêm itens que atendem às principais necessidades dos municípios para a prevenção e o atendimento em casos de enfermidades decorrentes do período chuvoso, como amoxicilina, analgésicos, paracetamol, sais de reidratação e sulfametoxazol. A SES garante também a vacinação nos municípios mais afetados. A vacina contra o tétano (dupla adulto) é a mais solicitada no período chuvoso. As 28 Superintendências / Gerências Regionais de Saúde estão com estoque garantido e as doses são encaminhadas de acordo com demanda dos municípios.

Novas medidas

O governador Antonio Anastasia anunciou, ainda, uma série de medidas para minorar os efeitos das chuvas para a população e as atividades empresariais, no âmbito da Copasa, Cemig, Banco de Desenvolvimento (BDMG) e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese).

Ações preventivas

Desde setembro de 2011 – antes do início do período chuvoso –, foram realizadas reuniões técnicas quinzenais, envolvendo Corpo de Bombeiros, Polícias Militar e Civil, Cemig, Copasa, Feam, Igam, Emater e Ruralminas, além das secretarias de Transportes e Obras Públicas, Saúde, Planejamento e Gestão, Meio Ambiente, Desenvolvimento Regional e Política Urbana, Desenvolvimento Social, e dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas.

Durante as reuniões, foram definidas as ações de preparação e resposta aos eventos adversos causados pelas chuvas, tanto para o atendimento emergencial quanto para o apoio operacional durante as ocorrências.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas envia ajuda humanitária a municípios do Sul do Estado

BELO HORIZONTE (11/01/12) – A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) disponibilizou, nessa terça (10) e nesta quarta-feira (11), ajuda humanitária aos municípios de Ijaci e Ribeirão Vermelho, atingidos pelas chuvas nesta semana.

A ajuda humanitária enviada à cidade de Ijaci, nesta terça-feira (10), é composta por cestas básicas, cobertores, colchões, roupas, kits de limpeza e telhas, e já começou a ser distribuída aos atingidos pelas chuvas. Já a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil de Ribeirão Vermelho receberá, nesta quinta-feira (12), cestas básicas, colchões, lonas e kits de limpeza.

Balanço

Desde outubro de 2011, início do período chuvoso, a Cedec enviou ajuda humanitária a outros três municípios da região do Sul do Estado: Andrelândia, Jacutinga e São João da Mata.

Em todo o Estado, já foram cerca de 135 toneladas de alimentos distribuídos pelo Governo de Minas, em todas as regiões, para vítimas de acidentes causados pelas chuvas. No total, o governo distribuiu, desde outubro de 2011 até esta quarta- feira (11), 8.540 cestas básicas para moradores dos municípios. Também foram enviados 8.390 colchões, cerca de 7.000 cobertores, além de água potável, lonas, roupas, telhas e kits higiênicos.

Os municípios atingidos pelas chuvas, independentemente de haver decreto de situação de emergência, estão sendo beneficiados pelo envio de alimentos, colchões, cobertores, roupas e água potável. Além de serem distribuídos aos municípios, os mantimentos abastecem os 13 depósitos avançados do governo – completamente estruturados para armazenar as doações – estrategicamente espalhados por todas as regiões de Minas.

Fonte: Agência Minas

 

Governo de Minas: Campanha de solidariedade inicia entrega de doações às vítimas das chuvas

 

BELO HORIZONTE (11/01/12) – Quinze toneladas de donativos e materiais de ajuda humanitária foram encaminhadas, nesta quarta-feira (11), a famílias atingidas pelas chuvas no Estado. Essa é a primeira entrega de doações, arrecadadas pelo Movimento Minas Solidária, campanha de solidariedade às vítimas das chuvas, lançada no último dia 6 pelo Governo de Minas. A campanha está sendo executada pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) em parceria com o Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas).

O primeiro comboio do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais saiu às 9h30, da Academia de Bombeiros, em Belo Horizonte, levando alimentos, leite em pó, roupas, calçados, material de higiene e limpeza e fraldas descartáveis para os municípios de Jeceaba, Juatuba, Ponte Nova e São João del-Rei.

Já foram arrecadadas 130 toneladas de alimentos e outros materiais essenciais ao suprimento das necessidades básicas da população, como higiene e limpeza. Segundo a Cedec, nesta quarta-feira (11) cerca de 25 mil pessoas estavam desalojadas e mais de 2,4 mil desabrigadas, em 182 municípios mineiros.

Para a presidente do Servas, Andrea Neves da Cunha, a solidariedade do povo mineiro demonstra o esforço de todo um Estado para ajudar aqueles que sofrem com perdas em decorrência das fortes chuvas.

“O ritmo da campanha está, felizmente, muito positivo. Já arrecadamos, de sexta-feira até hoje, 130 toneladas de alimentos e, nesse momento, eu gostaria de agradecer a cada um que pode colaborar com esse esforço que, na verdade, é um esforço de toda Minas Gerais. Esse é o primeiro comboio, vamos chamar assim, que já está partindo com essas doações, 15 toneladas estão saindo hoje para quatro municípios atingidos pelas chuvas. Nossa expectativa é que possamos continuar todos juntos mobilizados porque infelizmente ainda estamos atravessando um período difícil para Minas Gerais”, disse Andrea Neves.

Segundo o secretário-executivo da Cedec-MG, coronel Eduardo César Reis, os materiais de ajuda humanitária irão ajudar famílias que, hoje, estão sem acesso a produtos de necessidades básicas, levando em conta que, além de residências, o comércio das cidades atingidas pelas chuvas também foi afetado.

“O balanço inicial da campanha é altamente positivo, reflete o espírito de solidariedade do povo mineiro que é externado a cada dificuldade que a comunidade enfrenta em razão do período das chuvas. Sabemos, por exemplo, no caso de Guidoval, que boa parte da área comercial da cidade foi afetada e isso inviabiliza o acesso das pessoas a terem suas necessidades básicas de alimentação, de vestuário e de higiene atendidas, porque eles não vão encontrar no mercado local esses itens”, explica o coronel Eduardo.

O secretário-executivo da Cedec-MG disse que a Defesa Civil já distribuiu um volume significativo de cestas básicas, em torno de 10 mil unidades, além de colchões, cobertores, roupas, medicamentos, lonas plásticas, kits de higiene e de limpeza, que foram entregues à população logo após a ocorrência dos desastres.

Distribuição

Uma força tarefa com 50 bombeiros militares e com meninos que integram o projeto social “Voluntários da Cidadania” fizeram o carregamento de três caminhões, uma carreta e dois furgões do Corpo de Bombeiros, com as cestas básicas e o material de ajuda humanitária.

A prioridade é arrecadar leite em pó, fraldas, material de higiene e de limpeza, além de utensílios domésticos. Segundo Andrea Neves, o Governo de Minas se compromete a fazer com que as doações cheguem a quem precisa. A campanha durará o tempo indispensável ao suprimento dessas necessidades. “Estamos todos juntos acompanhando o desenvolver das chuvas, para que possamos estar o mais próximo possível dessas centenas de famílias até o momento em que elas possam retomar a sua rotina de vida diária. O nosso compromisso com cada um que fizer doação é garantir que essa doação chegue a quem realmente precisa”, destacou.

Nos municípios beneficiados, esse material será distribuído às famílias pelas coordenadorias municipais de Defesa Civil, em um trabalho articulado entre o Governo de Minas, por meio da Cedec, do Servas, do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar, com o apoio das prefeituras. A Defesa Civil e o Servas dispõem de recursos para o transporte dos donativos. “Também vamos solicitar às prefeituras municipais que tiverem condições para buscar os donativos em uma unidade da Polícia Militar ou do Corpo de Bombeiros mais próxima, fazendo com que o recurso chegue imediatamente à comunidade”, explicou coronel Eduardo.

As doações podem ser feitas nas unidades do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, na capital e no interior, e também na sede do Servas, em Belo Horizonte, localizada na avenida Cristóvão Colombo, nº 683, bairro Funcionários. As doações financeiras devem ser depositadas no Banco do Brasil, C/C 64.529-X, agência 1229-7.

Também acompanharam a saída do primeiro comboio do Corpo de Bombeiros com os donativos o chefe interino de Comunicação Social do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, major Rubem Cruz; o superintendente técnico operacional da Cedec, major Edylan Arruda; e o chefe de comunicação da Polícia Militar, major Freitas.

Fonte: Agência Minas