• Agenda

    agosto 2019
    S T Q Q S S D
    « out    
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

  • Anúncios

Gestão Anastasia: caravana Mães de Minas encerra atividades em Divinópolis

As oficinas levaram informações bem práticas ao dia a dia das mães e familiares

Willian Pacheco/SES-MG
As oficinas passaram informações essenciais que a mulher precisa saber durante a gravidez
As oficinas passaram informações essenciais que a mulher precisa saber durante a gravidez

A caravana Mães de Minas, da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), encerrou suas atividades nessa segunda-feira (16), em Divinópolis, com mais 105 gestantes cadastradas no programa. As oficinas levaram informações bem práticas ao dia a dia das mães e familiares, com a participação das moradoras de Medeiros, Campo Belo, Santo Antônio do Monte, Carmo do Cajurú e Lagoa da Prata.

Informações essenciais que a mulher precisa saber neste momento especial da vida, como a posição adequada para a amamentação, o que é o colostro, horário e duração das mamadas, arroto, elementos presentes no leite materno, cuidados com o umbigo, ter atenção para cor das fezes, assaduras, cólicas, troca de fraldas e banho do bebê foram alguns dos temas abordados nas oficinas em formato de roda de conversa.

Além de participar das oficinas, gestantes, mães e familiares tiveram a oportunidade de gravar seus depoimentos no Stand Roda de Conversa, onde puderam expor suas expectativas e sentimentos com relação à maternidade. Os interessados puderam, também, tirar fotos na cabine disponibilizada no local do evento.

A superintendente adjunta da Regional de Saúde de Divinópolis, Kênia Carvalho, explica que a caravana faz parte do programa Mães de Minas e tem como principal objetivo a redução da mortalidade infantil e materna. “O programa deriva do Viva Vida e busca atender as gestantes tanto da rede pública quanto da privada. E a caravana veio para isto. Para orientar mães e familiares  durante a gestação”, explica.

Para a moradora de Divinópolis, Renata Cristina, grávida de quase nove meses, e participante da Oficina de Brinquedos, a caravana foi muito proveitosa. “Gostei muito, principalmente de tirar fotos na cabine. É uma recordação”, conta. A moradora de Campo Belo, Jéssica Amanda, grávida de seis meses, compartilha da mesma opinião. “Eu adorei. Foi ótimo. Eu participei da Oficina de Brinquedos, contei minha história e tirei fotos”, comenta.

Para a secretária de Saúde de Divinópolis, Rosenilce Cherrie Mourão, a caravana é um exemplo nítido de promoção à saúde. “O que está acontecendo em Divinópolis é promoção e valorização da saúde da gestante. São esclarecimentos de tudo aquilo que as mães e gestantes precisam saber”.

Caravana      

A caravana já passou por Ribeirão das Neves e Divinópolis, e ainda passará por Juiz de Fora, Varginha, Diamantina, Governador Valadares, Montes Claros, Teófilo Otoni, Patos de Minas, Uberaba e Uberlândia. Ela é formada por uma equipe de 15 pessoas, entre técnicos da área de saúde, lideranças comunitárias e profissionais com experiência em trabalhos voltados para a mulher.

A capacitação foi acompanhada pela SES e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), instituição que também desenvolve ações em parceiras com o Governo de Minas no combate à mortalidade infantil e materna no Norte e Nordeste do Estado.

Serviço 155

Para ser acompanhada e garantir uma gravidez saudável, a gestante assistida pela rede pública e particular deve ligar para o call center 155 e se cadastrar no Sistema de Identificação da Gravidez. Já foram cadastradas, até o momento, 5.093 gestantes, de 377 municípios mineiros. Feito o cadastro, as mulheres passam a ter acompanhamento especializado.

A equipe de atendentes é formada por avós e mães treinadas para oferecer atendimento humanizado. Elas checam se a gestante foi à consulta agendada; ligam para saber sobre o parecer médico e resultado de exames, se foram diagnosticadas com gravidez de alto risco.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/caravana-maes-de-minas-encerra-atividades-em-divinopolis/

Anúncios

Antonio Anastasia reduz alíquota do ICMS do álcool e deixa Minas mais competitiva

Fonte: Valor Econômico

Álcool de Minas Gerais

A alíquota do ICMS do álcool foi reduzida de 22% para 19% em Minas Gerais. A tributação menor passou a valer no primeiro dia de 2012 para o produto utilizado para fins carburantes, ou seja, para o abastecimento de veículos. A alíquota de 19% será aplicada apenas nas operações realizadas internamente no Estado.

A previsão está na Lei estadual nº 19.989, publicada no dia 30 de dezembro. “A medida atende demanda do setor que estava sujeito a alíquota majorada. Enquanto a média de tributação da maioria dos produtos é de 18%, o do álcool era de 22%”, diz o advogado Marcelo Jabour, diretor da Lex Legis Consultoria Tributária.

O dispositivo também trouxe mudanças na utilização de créditos de ICMS do ativo imobilizado. A partir de agora, as empresas que transferirem o ativo para estabelecimentos do mesmo dono poderão repassar também o saldo do crédito remanescente para o destinatário. Até então, Minas proibia a operação. Ou seja, a empresa perdia o crédito acumulado na aquisição de máquinas, por exemplo. A transferência será permitida a partir do 12º mês de utilização dos créditos.

A Constituição Federal e a Lei Kandir (Lei complementar nº 87, de 1996) possibilitam deduzir o ICMS devido com os créditos na aquisição de ativos imobilizados em até 48 meses. De acordo com Jabour, Minas segue a postura de São Paulo, que já permite a transferência. Além disso, ele diz que a possibilidade é de grande impacto para o contribuinte. “Os valores dos créditos do ativo são expressivos. Se abrisse mão deles poderia recolher tributos maiores”, afirma. (Bárbara Pombo, de São Paulo)

Governador Anastasia concede tratamento diferenciado e simplificado às micro e pequenas empresas, setor terá prioridade nas compras até R$ 80 mil

Fonte: Agência Minas

Governo dará exclusividade às micro e pequenas empresas nas compras de até R$ 80 mil

O Governo de Estado desenvolve três linhas de ações visando fomentar a participação de MPEs nas compras do Estado: capacitação de empreendedores e servidores públicos; simplificação de processos, eliminando exigências; e revisão constante da legislação

O governador Antonio Anastasia determinou, nesta quarta-feira (5), em cerimônia na sala Tomaz Gonzaga, do Palácio Tiradentes, a alteração do Decreto 44.630/07, que concede tratamento diferenciado e simplificado às micro e pequenas empresas (MPEs) nas compras do Governo de Minas. O novo decreto prevê que os órgãos da administração direta e indireta do Estado darão exclusividade às MPEs nas aquisições de bens e serviços até o valor de R$ 80 mil.

Com a medida, a expectativa é que as micro e pequenas empresas, grandes geradoras de emprego e renda, ampliem a participação nas compras governamentais. A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) estima  crescimento de 90% no volume de recursos repassados para as MPEs, nas aquisições até R$ 80 mil, após o primeiro ano de entrada em vigor da nova norma, passando dos atuais R$ 50 milhões para R$ 90 milhões, a partir de 2012.

O novo decreto passa a vigorar a partir de 6 de dezembro. Em todas as licitações a regra deverá estar expressamente prevista no edital.

Pioneirismo

Em seu pronunciamento, o governador Anastasia ressaltou o pioneirismo da medida. Ele lembrou que a Constituição Federal de 1988 já previa tratamento diferenciado às MPEs.

“Logo, logo, tenho certeza, como outras coisas vindas de Minas, outros estados e municípios também seguirão nessa mesma trilha, porque é um caminho que dá oportunidade ao pequeno empreendedor, que merece não só o nosso respeito, mas a nossa atenção, o nosso estímulo e o nosso fomento”, disse Antonio Anastasia.

A secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, afirmou que o ato demonstra a confiança do Governo de Minas na capacidade de entrega das MPEs.

“Sem dúvida, o decreto hoje assinado representa um marco na política pública do Governo de Minas para o fortalecimento e desenvolvimento sustentável das MPEs. Porém, talvez ainda mais significativa seja a mensagem implícita em seu conteúdo. Dar exclusividade a uma empresa significa ter confiança na capacidade de entrega dessa entidade. E nós, do Governo de Minas, temos total confiança na qualidade e nos bons resultados que as MPEs já trazem para a nossa economia e que poderão crescer ainda mais a partir de agora”, disse.

O presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae Nacional, Roberto Simões, aprovou a medida do Governo de Minas. Ele destacou ainda que as MPEs representam 99% das empresas constituídas no país e geram seis vezes mais emprego que os demais setores.

“Portanto, é uma exclusividade para um setor que merece e que responde na forma de emprego, de empreendedorismo e de negócios. É um projeto extremamente bem-vindo”, completou.

Descomplicar

A política do Governo de Minas para dar tratamento diferenciado e simplificado às MPEs está inserida no Projeto Estruturador Descomplicar, cujo objetivo é simplificar as relações entre os cidadãos e empresas com o Estado.

O Governo de Estado desenvolve três linhas de ações visando fomentar a participação de MPEs nas compras do Estado: capacitação de empreendedores e servidores públicos; simplificação de processos, eliminando exigências; e revisão constante da legislação.

O segmento conta, ainda, com importantes canais de comunicação, como o LigMinas (155) e o Portal de Compras (www.compras.mg.gov.br), além do atendimento presencial – Posto Uai Praça Sete, além de 16 pontos no interior.

O esforço do Governo de Minas em simplificar o acesso das MPEs já mostra resultados. Em 2008, as MPEs eram 26% do total de fornecedores cadastros e em 2011, o percentual saltou para 37%. Por lei, é considerada micro-empresa o estabelecimento que registra receita bruta anual de R$ 240 mil. Já a pequena empresa é a que tem faturamento bruto de até R$ 2,4 milhões.

Pregão eletrônico

Na modalidade de pregão eletrônico, estima-se que, para cada 100 contratos ofertados, 85 serão firmados com micro e pequenas. Hoje, a relação é de 68%. Já na modalidade Cotação Eletrônica (Cotep), em que as compras não podem ultrapassar R$ 8 mil, o número de contratos firmados deverá chegar a 100%.

De acordo com o novo decreto, a exclusividade das MPEs nas compras até R$ 80 mil não se aplicará quando o tratamento diferenciado não for vantajoso para a administração ou representar prejuízo ao conjunto do objeto a ser contratado. Outros casos previstos são quando a licitação for dispensável ou inexigível e quando houver comprometimento da continuidade de atividades de educação, saúde ou segurança pública.

Também participaram da cerimônia o vice-governador Alberto Pinto Coelho, os secretários de Estado Bilac Pinto (Desenvolvimento Regional e Política Urbana) e Ana Lúcia Gazzola (Educação), além de representantes de órgãos públicos, da iniciativa privada e do Governo de Minas.

Aécio Neves abre canal de diálogo com STF para criar medidas que facilitem a adoção

Aécio Neves se reunirá com presidente do STF para falar sobre ações que possam ajudam a adoção

Fonte: Assessoria de Imprensa do senador Aécio Neves

Sobre a reunião com o presidente do STF, Cezar Peluso

Entrevista do Senador Aécio Neves à Rádio Itatiaia

Essa é uma iniciativa extremamente positiva do Congresso Nacional – que deve tratar de temas que dizem respeito à vida das pessoas. Temos responsabilidades com questões institucionais, mas as pessoas vêem hoje o Parlamento muito distante do seu dia a dia. No momento em que aceitei compor essa Frente, ao lado de parlamentares de outros partidos, como o senador Lindbergh, do PT, do deputado Chalita, agora no PMDB, o deputado Reguffe, de Brasília, do PDT, além de outros companheiros, estamos dando um caráter suprapartidário que tem dois objetivos centrais: primeiro, do ponto de vista da legislação, desburocratizá-la.

Temos que, de alguma forma, criar mecanismos que agilizem o processo de adoção, que é muito moroso no Brasil hoje. Temos hoje cerca de 27 mil famílias interessadas em adotar uma crianças e apenas cerca de 4 mil crianças em condições de adoção. Vamos falar com o presidente Peluso, do Supremo Tribunal Federal, ele é também presidente do Conselho Nacional de Justiça, portanto, responsável por esse cadastro. É preciso que ele seja atualizado, existem discrepâncias de informação em relação ao número real tanto de famílias quanto de crianças em condições de adoção.

E vamos criar uma série de facilitadores também do ponto de vista legislativo, enquanto a Justiça e o Ministério Público, aqueles que estão na ponta, também têm que agilizar a sua ação. Acho que será um grande mutirão em favor da adoção inclusive ajudando a desmitificar um certo preconceito que existe em relação às crianças que ultrapassaram, por exemplo, três anos de idade. Cai muito, cai a cerca de 10% os interessados em adotar crianças acima de três, quatro anos de idade. E devemos estimular algumas outras parcerias, a adoção afetiva, por exemplo, que possibilita que uma família acompanhe a vida, o crescimento de uma criança. Até participar desse crescimento, sem eventualmente adotá-la efetivamente, nos padrões tradicionais. Então, o que queremos é dar um, vamos dizer, choque de revitalização no processo de adoção no Brasil hoje.

Sobre o prazo para a desburocratização.

Não temos um prazo definido, nem podemos ter. Mas, a nossa ideia é, do ponto de vista legislativo, já nesse segundo semestre, definir, a partir talvez do mês de setembro e outubro, o conjunto de matérias a serem votadas, para que elas possam ser votadas ainda nesse segundo semestre.

Estado de Minas: Política fiscal adotada por Aécio-Anastasia gera 76 mil empregos e começa a dar resultados

Estado de Minas: Minas reage à guerra fiscal e recupera investimentos

Fonte: Zulmira Furbino – Estado de Minas

Governo muda de postura e enfrenta a concorrência dos estados vizinhos. Resultado: R$ 13 bi em investimentos e 76 mil empregos

Minas contra-ataca

A Açotel, fabricante de aços para a construção civil que nasceu e cresceu em Juiz de Fora, na Zona da Mata, abriu uma unidade em Três Rios, no Rio de Janeiro, em 2007, mas está encerrando a temporada em terras fluminenses, transferindo a filial para sua terra natal. A abertura de mais uma unidade em Minas inicialmente vai gerar inicialmente 100 empregos diretos, mas a previsão é que em três anos esse número salte para 280. A uma semana de assinar um acordo para a construção de uma fábrica num estado do Nordeste, a Marluvas, produtora de calçados profissionais com origem em Dores de Campos, também na Zona da Mata, desistiu dos planos de investir fora de Minas e decidiu levar o empreendimento para Capitão Enéas, no Norte do estado. Por trás dessa reviravolta radical nos planos dessas empresas está a reação do governo estadual à guerra fiscal promovida por estados vizinhos – ou não tão próximos assim.

Ao enfrentar a concorrência com outros entes da federação, Minas já contabiliza 98 projetos – alguns já fechados e outros em negociação firme – que vão investir R$13 bilhões e deverão gerar 76 mil empregos no estado. A informação é do Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (Indi) e os números referem-se somente a este ano. A iniciativa marca uma alteração significativa na postura do estado em relação à atração e à perda de investimentos. E essa mudança não se restringe apenas à concessão de incentivos fiscais como descontos no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para equiparar as condições tributárias às ofertas dos concorrentes.

“Sempre estivemos em Minas e só abrimos uma filial no estado do Rio de Janeiro por conta da isenção parcial de ICMS, da Lei Rosinha”, diz Thiago Alvim, diretor-comercial da Açotel. Em março, a empresa foi procurada pelo Indi, que oferecia as mesmas condições para que a unidade viesse para Juiz de Fora. “Antes a gente tentava conversar para continuar aqui, mas não conseguia. Agora o ICMS, que era de 12%, passou a ser 2%. Por isso decidimos trazer o empreendimento para cá. Tudo o que construímos está aqui”, diz o empresário.

“Não vamos participar da guerra fiscal, mas também não vamos ficar parados. Minas sempre fez tudo corretamente. Aí as empresas vinham, faziam uma cotação, e iam se instalar em outros estados. Agora, uma empresa que trouxer um projeto definitivo receberá todos os incentivos do estado, desde que isso não afete a responsabilidade fiscal”, avisa o secretário de Desenvolvimento Econômico, Sérgio Barroso. Em dezembro do ano passado, o governo de Minas concedeu incentivos e facilidades fiscais a setores econômicos dos municípios afetados pelas perdas de empresas e novos investimentos para outros estados. O objetivo é garantir o desenvolvimento da economia, evitando a perda da capacidade competitiva nas empresas em função de condições tributárias desvantajosas em relação a estados vizinhos. As medidas de proteção podem ser adotadas por municípios de todas as regiões do estado, desde que sejam comprovados os prejuízos à competitividade de negócios instalados em Minas.

Há poucas semanas, o diretor-presidente da Suggar, Lúcio Costa, recebeu uma inesperada ligação do presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Olavo Machado Júnior. O propósito do telefonema do líder da indústria mineira ao empresário era instá-lo a desistir da ideia de abrir uma unidade de produção de máquinas de lavar roupa semi-automáticas em Camaçari, na Bahia, em favor de Minas Gerais. “O Indi ofereceu um ICMS de 2% para que abríssemos a unidade em Juiz de Fora. Foi a primeira vez que isso ocorreu e acredito que esse é um sinal de que a Fiemg e o governo estão preocupados com a perda de competitvidade das empresas instaladas em Minas”, analisa o empresário.

Combustível mais barato em Minas: Governador Antonio Anastasia sanciona lei que reduz ICMS do álcool etanol

Antonio Anastasia sanciona lei que reduz ICMS do álcool combustível

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Medida válida a partir de janeiro ampliará oferta de etanol e estimulará crescimento do setor sucroalcooleiro

O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, sancionou a lei que reduz a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para o álcool combustível em Minas Gerais. A partir de 1º de janeiro, o imposto será reduzido de 25% para 22%. A Lei nº 19.098/2010, de autoria do governador Antonio Anastasia, foi aprovada pela Assembleia Legislativa e sua sanção foi publicada na edição de sábado (07/08) do Diário Oficial do Estado.

A redução do ICMS adotada pelo Governo de Minas ampliará a oferta de etanol a preços mais competitivos, beneficiando o consumidor final. Hoje, entre dez carros produzidos no Brasil, nove são bicombustíveis. A mudança do imposto sobre o etanol estimulará novos investimentos do setor no Estado, gerando mais empregos. Os investimentos da indústria sucroalcooleira em Minas, desde 2003, somam R$ 10,1 bilhões, principalmente no Triângulo Mineiro, onde se concentra a maior parte das usinas.

A nova também lei altera de 25% para 27% a alíquota do imposto sobre a gasolina. A mudança nas alíquotas do ICMS sobre combustíveis atende as exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal, que prevê a qualquer renúncia fiscal uma medida de compensação que garanta a manutenção da receita do Estado. A elevação da alíquota da gasolina em dois pontos percentuais, portanto, compensará a redução de três pontos no ICMS do etanol.

Setor sucroalcooleiro
Minas terá safra recorde de cana-de-açúcar este ano, segundo estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), do Ministério da Agricultura. São 56,2 milhões de toneladas previstas para o final da colheita em setembro, volume 12,6% maior que o colhido ano passado. Nos últimos anos, o setor sucroalcooleiro tem se destacado no agronegócio mineiro. Das 43 usinas de cana-de-açúcar em funcionamento no Estado, 23 foram implantadas na gestão do ex-governador Aécio Neves, candidato ao Senado, e do governador Antonio Anastasia.

O setor sucroalcooleiro é um dos principais responsáveis pelo PIB do agronegócio mineiro que, neste ano, deve atingir valor recorde de R$ 91,6 bilhões, segundo estimativas do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da USP. Somente as indústrias de açúcar e álcool são responsáveis 15,5% do total faturamento do agronegócio de Minas Gerais.

Desenvolvimento sustentável
O desenvolvimento do setor sucroalcooleiro em Minas Gerais é realizado de maneira sustentável. Em 2008, o ex-governador Aécio Neves, candidato ao Senado Federal, assinou protocolo com o Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool de Minas Gerais (Siamig/Sindaçúcar-MG) para eliminar totalmente a queima da cana-de-açúcar no Estado até 2014.  Neste período, a queima em Minas será substituída gradualmente pela mecanização.

Governador Antonio Anastasia defende criação de política nacional de crédito e garantias de safra para o agronegócio

Antonio Anastasia defende criação de política nacional de crédito e garantias de safra para o agronegócio

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Ao lado de Aécio Neves, Itamar Franco e Alberto Pinto Coelho, Anastasia foi recebido por lideranças políticas, apoiadores e moradores de Uberaba

O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, seu vice na chapa, deputado Alberto Pinto Coelho, e os candidatos ao Senado da coligação “Somos Minas Gerais”, Aécio Neves e Itamar Franco, foram recepcionados por centenas de apoiadores, na tarde desta segunda-feira (09/08), em Uberaba (Triângulo Mineiro). O clima de festa e música acompanhou toda a caminhada dos candidatos pelo centro da cidade.

Em entrevista, o governador Antonio Anastasia afirmou que, reeleito, cobrará uma posição firme do Governo Federal em relação às garantias de crédito e preços de safra para os produtores rurais. Ele afirmou que a valorização da agropecuária passa também por uma articulação com o Governo Federal, no sentido de viabilizar novas oportunidades de crédito para o produtor rural.
“Por isso, nosso esforço na eleição do presidente Serra, para termos de maneira mais clara a questão do crédito a favor do produtor rural, o preço mínimo da safra e uma questão equilibrada na área do meio ambiente. Com esses três tópicos, mais uma segurança jurídica no campo, teremos condições de ter uma política bastante positiva. Estou muito animado que o agronegócio mineiro tem condições de se fortalecer ainda mais, já que fizemos a infraestrutura e vamos articular mais com o Governo Federal para dar as garantias econômicas aos produtores”, disse Antonio Anastasia.

PIB recorde do agronegócio
O governador também destacou o grande desempenho do agronegócio mineiro em relação à produção nacional. O Produto Interno Bruto do agronegócio de Minas deverá encerrar o ano de 2010 com um valor recorde de R$91,6 bilhões. A estimativa é do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da USP, que projeta o crescimento com base no desempenho do setor nos cinco primeiros meses do ano.

Somente nos primeiros cinco meses do ano, o PIB do agronegócio mineiro cresceu 8,48% na comparação com o mesmo período de 2009. Com esse desempenho recorde, o Estado passará a ser responsável por 12,3% do PIB do agronegócio do país. É a maior participação de Minas no cenário nacional nos últimos dez anos. Em 2003, esse percentual era de 9,3%.

“Estou muito animado com o agronegócio mineiro, que já é muito bom,  e tem condições de fortalecer ainda mais, já que fizemos a infraestrutura e vamos articular mais com o Governo Federal para dar as garantias econômicas aos produtores”, disse Anastasia.

Parceiro das prefeituras
Ao som de tambores, cerca de 200 pessoas, entre lideranças políticas e apoiadores com bandeiras nas cores da coligação “Somos Minas Gerais”, lotaram o calçadão da rua Artur Machado, no Centro de Uberaba, para receber Antonio Anastasia, Aécio Neves, Itamar Franco e Alberto Pinto Coelho.

Os candidatos caminharam pelo calçadão, tradicional ponto do comércio de Uberaba, onde foram cumprimentados por comerciantes e pedestres e ganharam até jingles de campanha em ritmo sertanejo, música muito ouvida na região do Triângulo Mineiro.

Antonio Anastasia, Aécio Neves, Itamar Franco e Alberto Pinto Coelho fizeram parada na lanchonete Todo Suco, onde comeram pão de queijo e tomaram suco e água.  O funcionário da lanchonete ficou entusiasmado. “É uma honra recebê-los. Acredito no trabalho e na honestidade do governador Antonio Anastasia”, disse Silvio Lopes, que serviu os candidatos.

A prefeita de Frutal Maria Cecília Marchi (PR), afirmou que Antonio Anastasia é o grande parceiro das prefeituras e é quem deve dar continuidade aos avanços conquistados por Minas no governo Aécio Neves.

“Ele sempre foi parceiro das prefeituras. A saúde não pode parar, a habitação, a educação, o social, o comprometimento com os municípios não podem parar. O Triângulo tem sido olhado e vai continuar a ser olhado com carinho. As nossas dificuldades são as mesmas, em qualquer situação, seja no Triângulo, no Norte, ou no Sul. Nosso governador tem a plena lucidez como professor na firmeza das atitudes, na honestidade e no companheirismo com os prefeitos”, afirmou a prefeita.

O ex-prefeito de Uberaba, deputado federal Marcos Montes (DEM), destacou que Antonio Anastasia representa o futuro do desenvolvimento de Minas. “Provavelmente, é o único homem público do Brasil que tenha por princípio básico a gestão. Não podemos mais tirar da questão da política, a gestão. Anastasia é o ápice da gestão brasileira. Minas com certeza continuará caminhando neste rumo de desenvolvimento que vem caminhando nesses últimos anos. A gestão foi incorporada por Anastasia como secretário e vice-governador. Agora, Anastasia incorpora a parte política de Aécio e faz a gestão que ele está acostumado a fazer. Quem vai ganhar com isso, é Uberaba, Uberlândia. É o Triângulo Mineiro e, principalmente, Minas Gerais”, afirmou.

Uberlândia

Antonio Anastasia, Aécio Neves, Itamar Franco e Alberto Pinto Coelho  se deslocaram para Uberlândia onde fizeram, no final da tarde, caminhada ao lado de 30 prefeitos e parlamentares do Triângulo Mineiro e do Alto Paranaíba. O prefeito de Uberlândia, Odelmo Leão (PP), preparou uma grande festa na cidade para receber os candidatos da coligação “Somos Minas Gerais” desde o aeroporto até o Centro da cidade.