• Agenda

    janeiro 2020
    S T Q Q S S D
    « out    
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Mais dois políticos envolvidos em corrupção são nomeados no governo Pimentel

José Benedito Nunes (PT), ex-prefeito de Janaúba e que integrará a pasta na região do Vale do Mucuri, é acusado de desviar R$ 300 mil do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais.

Outro nomeado que possui histórico criminal é o ex-vice-prefeito de São Romão, Herbert Levi Pereira Nunes (PCdoB), que chegou a ser cassado, em 2013, por abuso de poder.

Fonte: O Tempo 

Governo Pimentel nomeia mais dois políticos envolvidos em escândalos de corrupção

Governo Pimentel: não é a primeira vez que pessoas com perfis polêmicos são nomeadas. Foto: Sergio Lima / Folhapress

Lei também:

Governo Pimentel nomeia denunciada pelo MP para diretoria de Saúde em Manhumirim

Governo Pimentel: assaltante condenado e foragido é nomeado para secretaria de Desenvolvimento

Sedinor nomeia mais dois políticos réus por corrupção

O Governo de Minas nomeou, na terça-feira (31), dois políticos envolvidos em escândalos de corrupção para ocuparem cargos na Secretaria de Estado de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Sedinor).

José Benedito Nunes (PT), ex-prefeito de Janaúba e que integrará a pasta na região do Vale do Mucuri, é acusado de desviar R$ 300 mil do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais quando comandava a administração municipal. Ele, que chegou a ser preso pela Polícia Federal durante a operação Violência Invisível, realizada em 2013, ainda responde ao processo.

As ações continuam em curso na Comarca de Janaúba e, atualmente, se encontram em fase de instrução. José Benedito Nunes também foi denunciado, em 2013, por ter imposto um dano ao erário de R$ 3,5 milhões.

Na época, os promotores acusaram Benedito de ser um dos chefes do esquema criminoso de falsificação e venda de títulos falsos da dívida pública federal. Ele teria, inclusive, falsificado um documento da Receita Federal.

Outro nomeado que possui histórico criminal é o ex-vice-prefeito de São Romão, Herbert Levi Pereira Nunes (PCdoB), que chegou a ser cassado, em 2013, por abuso de poder. Na época, Herbert foi acusado, junto com o então prefeito Leonardo Ribeiro (PMN), de ter entregue dinheiro a eleitores em troca de votos na eleição municipal de 2012.

Além disso, eles teriam contratado o ex-prefeito da cidade Lúcio José Resende dos Santos (PMN) para realizar serviços de topografia em período vedado, fato que beneficiaria a candidatura de Leonardo Ribeiro.

No ano passado, o TRE decidiu por afastar a sanção de inelegibilidade, mantendo apenas a denúncia a respeito da contratação ilegal.

Não é a primeira vez que o governo estadual nomeia pessoas com perfis polêmicos para esta secretaria. No início de março, o Aparte denunciou a nomeação do ex-prefeito de Virgem da Lapa Averaldo Moreira Martins (PT), que responde a processo por improbidade administrativa e chegou a ter os bens bloqueados a pedido do Ministério Público, como diretor do Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais.

Questionada a respeito das nomeações de José Benedito Nunes e de Herbert Nunes, a Sedinor informou, por meio de nota, que “não há nenhum impedimento jurídico para as nomeações citadas”. Além disso, a secretaria afirma que, com a absolvição de Herbert na ação de inelegibilidade, em 2014, ele está apto para assumir qualquer função pública.

A pasta informa ainda que José Benedito já apresentou todas as provas de que desconhecia qualquer irregularidade n a aquisição de títulos da dívida pública federal pelo município.

“A Sedinor afirma que todas as nomeações atendem a critérios técnicos e políticos e que, pela capacidade de gestão já comprovada, ambas as indicações apresentam plenas condições de exercício dos cargos”.

Gestão Anastasia: cresce mais de 700% o número de micro e pequenas empresas abertas em Minas

Levantamento mostra perfil dos proprietários e tempo de mercado dos pequenos negócios no Estado

Nos últimos cinco anos, o número de micro e pequenas empresas abertas em Minas Gerais aumentou 787%.  Os dados são referentes a mais de 559 mil Micro e Pequenas Empresas (MPE) ativas na Junta Comercial de Minas Gerais (Jucemg), que em parceria com o Sebrae-MG fizeram um levantamento sobre o perfil do empresário e o tempo de existência da empresa.

De acordo com o estudo, em 2007 eram aproximadamente 20 mil MPE em Minas. Em 2011, esse número subiu para mais de 130 mil. “Uma das justificativas para este aumento, pode ser o crescimento da economia brasileira nos últimos anos. Os estímulos da Lei Geral às MPE e as facilidades e vantagens da formalização com a criação do Empreendedor Individual, também devem ser considerados no surgimento dos novos empreendimentos de pequeno porte”, explica o analista da Unidade de Inteligência Empresarial do Sebrae-MG, Luander Falcão.

Em relação ao perfil das MPE, nota-se que 37% dos estabelecimentos são comandados por mulheres, grande parte com idade entre 30 a 49 anos. O setor de comércio é o que concentra mais da metade do número de MPE abertas, 52%, seguida por serviços (28%), indústria (16%) e construção civil (4%). “A pesquisa apresenta dados que nos ajudam a compreender o comportamento e a evolução das micro e pequenas empresas no Estado de Minas Gerais”, afirma Ângela Pace, presidente da Jucemg.

Quarenta e três por cento das MPE têm mais de 5 anos de mercado. Dessas, a maioria é do setor de comércio, ao todo, 143,7 mil das MPE. As atividades que apresentaram o maior número de MPE com este tempo de mercado são comércio varejista de vestuário, alimentos, ferragens e material de construção, restaurante e comércio de peças e acessórios para veículos.

Já os empreendimentos com até um ano de existência representam 39% do total das MPE mineiras, 32% delas administradas por empresários entre 24 e 39 anos. Os setores de comércio (96.215 MPE) e serviços (73.100 MPE) são os que apresentam o maior número de empresas que estão há menos tempo no mercado.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cresce-mais-de-700-o-numero-de-micro-e-pequenas-empresas-abertas-em-minas/

Governo de Minas: moradores do bairro São João Batista terão a chance de sair da informalidade

A ação será realizada no bairro São João Batista (Rua Elcir Ribeiro, nº 96), de 9h às 14h

Divulgação/Sedese
O cabeleireiro Geraldo Magela de Carvalho, de 35 anos, foi um dos beneficiados e saiu da informalidade
O cabeleireiro Geraldo Magela de Carvalho, de 35 anos, foi um dos beneficiados e saiu da informalidade

O cabeleireiro Geraldo Magela de Carvalho, de 35 anos, trabalhou durante onze anos na informalidade.  Nesse período, ele não teve direito a vários benefícios de um trabalhador formal, como auxílio-doença, aposentadoria por invalidez ou por idade, entre outros.  Porém, desde 27 de março, Geraldo, que tem um salão na Vila Atila de Paiva, no Barreiro, se tornou um empreendedor formal.

O cabeleireiro é um dos 50 moradores de vilas e favelas de Belo Horizonte beneficiados por uma ação da Assessoria de Assuntos Sociais para Vilas e Favelas, vinculada à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), e o Sebrae, que incentiva trabalhadores a formalizar suas atividades. Nesta terça-feira (10), das 9h às 14h, a ação será realizada no bairro São João Batista (Rua Elcir Ribeiro, nº 96).

Os moradores não precisam sair do local onde moram para serem atendidos, uma vez que a estrutura do Sebrae, com unidade móvel, internet e técnicos, vai até a comunidade e o CNPJ fica pronto imediatamente. E foi justamente essa comodidade que incentivou Geraldo Magela. “Nunca soube como se fazia para me formalizar. Agora está tudo mais fácil e mais próximo. Também antes, as taxas eram bem mais altas. Hoje está ficando mais acessível”, disse o cabeleireiro.

De acordo com o responsável pela Assessoria de Vilas e Favelas, Weslei Morais, quem opta pela formalidade tem vários benefícios: salário-maternidade, auxílio-doença, aposentadoria por invalidez ou por idade, pensão por morte e até auxílio-reclusão.

A formalidade também possibilita a expansão dos negócios, pois o trabalhador passará a emitir nota fiscal.  “Agora tenho condições de abrir crédito em várias lojas”, comemora Geraldo. “Fico mais tranquilo. Tomara que nada venha a acontecer, mas, se ocorrer, tenho uma válvula de escape”, completou o cabeleireiro, referindo-se aos benefícios legais, como auxílio-doença.

Taxas

O empreendedor formal paga para a prefeitura uma taxa anual, que varia de R$ 120 a R$ 140 (depende da função), além de R$ 30 ou R$ 36 por mês para o INSS.

Agenda

A ação no bairro São João Batista será a terceira realizada neste ano. Antes, moradores das vilas Santa Rosa (Região da Pampulha) e Atila de Paiva (Barreiro) foram atendidos. No dia 24 deste mês, a ação será realizada na Vila Oeste, em Belo Horizonte. A iniciativa acontece duas vezes por mês.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/moradores-do-bairro-sao-joao-batista-terao-a-chance-de-sair-da-informalidade/

Gestão Anastasia: empresas de base tecnológica e siderúrgica investem R$ 35,98 milhões em Minas

Fernando Martuscelli, diretor da Anovati,Kenneth Orozco, João Vitor Garcia
Fernando Martuscelli, diretor da Anovati,Kenneth Orozco, João Vitor Garcia

BELO HORIZONTE (24/01/12) – As empresas Anovati Indústria e Comércio, Importação Exportação de Equipamentos de Informática Ltda., Revolight Indústria, Comércio, Importação e Exportação Ltda. e a Cisam Siderurgia anunciaram, nesta terça-feira (24), investimentos totais de R$ 35,98 milhões em Minas Gerais. Os protocolos de intenções das três empresas foram assinados pelo Governo de Minas, por meio do Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (Indi), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede).

Para reforçar o setor de informática e tecnologia, o Vale da Eletrônica do Sul de Minas receberá uma unidade industrial do Grupo Anovati, que será responsável pela geração de 25 empregos diretos e 50 indiretos. A empresa, fabricante de produtos eletrônicos e com atuação no mercado de informática, principalmente como distribuidora de mochila e maletas para notebooks, investirá R$ 5,3 milhões no novo empreendimento.

Segundo o diretor do Grupo, Kenneth Alexander Orozco, “essa nova unidade será destinada à fabricação e comercialização de produtos eletroeletrônicos, tais como alto falantes, caixas de som e mp3”, explica. A previsão é que o funcionamento da nova unidade, em Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas, seja iniciado em fevereiro deste ano.

O Grupo Anovati é uma corporação voltada para os segmentos de informática e tecnologia e composto pelas empresas Annova Serviços e Negócios Ltda. e Bellatrix Indústria, Comércio, Importação e Exportação Ltda.

Já em Belo Horizonte, a Revolight expandirá sua capacidade industrial destinada à fabricação e comercialização de lâmpadas de LED. Para isso, a empresa irá investir R$ 9,6 milhões no projeto iniciado em janeiro deste ano, com previsão de conclusão para dezembro de 2012 e que irá gerar 33 empregos diretos e 69 indiretos.

De acordo com o diretor presidente da empresa, Guilherme Rocha Rabello, a ampliação da fábrica em Belo Horizonte é um reflexo do aumento da atuação da tecnologia LED. “Acredito que nos próximos cinco anos, o LED ainda terá um elevado custo no Brasil. Mas, com o aumento progressivo da demanda, conseguiremos reduzir esse custo”, projeta.

Atualmente, os LEDs são bastante usados em aparelhos eletrônicos, lanternas de automóveis, semáforos e fachadas comerciais. Com a tecnologia Revolight, os novos emissores de luz têm ganhado um espaço maior. Algumas cidades, como Ann Arbor, em Michigan (Estados Unidos), contam com projetos para que 100% da iluminação seja feita com LED. As perspectivas são de que a utilização em larga escala se transforme em tendência mundial.

A empresa

A Revolight foi criada em 2007 com o objetivo de inovar mercado de luminárias no Brasil. Os sócios, com formação nas áreas de engenharia eletrônica e biomédica, sempre trabalharam com tecnologia de ponta para desenvolver produtos inovadores, a princípio com sistemas de iluminação de alta intensidade, o que propiciou o uso do LED em ruas, avenidas, pátios, escritórios, lojas, indústrias e residências.

O último protocolo assinado foi com a Cisam Siderurgia, que investirá R$ 21 milhões para expandir sua produção de aço, em Pará de Minas, região Central do Estado. Os investimentos serão responsáveis pela geração de 20 empregos diretos e 40 indiretos.
De acordo com o diretor presidente da empresa, Eduardo Fonseca Santos, a Cisam atua no mercado de aços especiais. “Somos os únicos produtores independentes de aço do Brasil. Trabalhamos para suprir a demanda de fornecedores de aços em menor quantidade, tendo em vista que as três maiores siderúrgicas do país não atendem esses clientes”, afirma.

O cronograma de expansão da fábrica, iniciado em janeiro de 2012, está previsto para ser concluído em dezembro de 2013. “Estamos na fase final do projeto e a nossa expectativa é produzirmos 320 mil toneladas de aço por ano, sob forma de lingotes e tarugos”, planeja Eduardo.

A Cisam Siderurgia, antiga Ciafal, foi fundada em 1962 para atuar na comercialização de sucata de ferro e aço. Desde 2005, com o objetivo de atingir um novo patamar de produção e qualidade, a Cisam iniciou o desenvolvimento de um ambicioso projeto que introduziu no Brasil o conceito de micro mill, ou seja, o de usina siderúrgica integrada de pequeno porte com alta tecnologia, o que permite enorme flexibilidade de produção.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Exportaminas coordena participação de produtores do Jaíba na Fruit Logística

Carlos Alberto/Imprensa MG
Feira de frutas na Alemanha conta com participação de produtores do Jaíba
Feira de frutas na Alemanha conta com participação de produtores do Jaíba

BELO HORIZONTE (24/01/12) – A Central Exportaminas coordenará, pelo terceiro ano consecutivo, a participação de produtores de frutas de Minas Gerais na Feira Fruit Logística, considerada um dos principais eventos mundiais da cadeia de frutas, verduras e legumes. Realizada anualmente, em Berlim (Alemanha), a feira possui forte e consolidado perfil comercial. Paralelamente, ocorre a Freshconex – Feira de Produtos de Conveniência Frescos.

O pavilhão oficial do Brasil será organizado pelo Instituto Brasileiro de Frutas (Ibraf), em conjunto com a Agência Brasileira de Promoção das Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), sob a identidade visual “Brazilian Fruit”. A presença na feira faz parte do Projeto Setorial Integrado de Frutas e conta com o apoio da Apex-Brasil para a participação de empresas.

“Estão confirmadas as participações de 38 empresários e produtores de frutas da região do Jaíba, alguns deles pela primeira vez e outros com o objetivo de conhecer novos mercados para seus produtos”, afirma o diretor da Central Exportaminas, Ivan Barbosa Netto. A delegação chega a Berlim em 7 de fevereiro e retorna a Minas Gerais no dia 11. A feira vai de 8 a 10 de fevereiro.

A Central Exportaminas será responsável pela organização do espaço Minas Gerais, localizado no Pavilhão Brazilian Fruit. O espaço contará com área de 40 metros quadrados, formado por um estande único com cinco módulos individuais; imagens e logotipo; infraestrutura de cozinha e depósito; Business Center com dois computadores; impressora e internet wireless; sala de reuniões; recepcionistas trilingues (português, inglês e alemão); catálogo Brazilian Fruit de expositores com informações dos participantes; lâminas individuais dos participantes; presença no Virtual Market Place (site oficial do evento) por um ano; convite pré-evento (e-mail marketing) enviado a potenciais importadores e comunicação junto à imprensa especializada; além de visitas técnicas à central de abastecimento de Berlim e ao Supermercado do Futuro – projeto inovador do grupo alemão Metro, totalmente integrado à tecnologia RFID, PDAs, carrinhos, balanças inteligentes e máquinas que fazem o check-out dos clientes.

Uma novidade desta edição é a participação, junto à delegação brasileira, de um aluno do curso de Comércio Exterior do Centro Universitário Newton Paiva. “Pretendemos, com esta experiência, lançar um projeto que contemple a participação de alunos dos cursos de Comércio Exterior e Relações Internacionais, em parceria com as faculdades mineiras, com o objetivo de oferecer-lhes a oportunidade de experimentar na prática o ambiente e a movimentação de uma feira internacional de grande porte. Ele estará em contato com compradores, vendedores e expositores internacionais, praticando o aprendizado adquirido em sala de aula. Esta é mais uma ação da Exportaminas na formação de novos profissionais neste setor, carente de mão de obra especializada”, completa Ivan Barbosa Netto, lembrando que todos os custos da viagem serão custeados pelo próprio aluno ou subsidiados pela instituição de ensino.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: idosos aprovados no PEP 2012 mostram que nunca é tarde para se profissionalizar

 BELO HORIZONTE (23/01/12) – No período de matrícula do Programa de Educação Profissional (PEP), que se inicia nesta segunda-feira (23), a maioria dos candidatos que estarão na fila para ingressar num curso técnico é de jovens. No último edital, o Programa ofereceu 30 mil vagas para cursos em 123 municípios mineiros, às quais puderam concorrer estudantes a partir do 2º ano do ensino médio, que têm, em média, 16 anos. Entre os milhares de jovens e adolescentes, contudo, alguns aprovados no PEP dão exemplo de que nunca é tarde para buscar uma qualificação.

Um bom exemplo é Tarcisio de Queiroz Ribeiro. Ele está entre os 30 mil aprovados na 6º edição do PEP. Com 72 anos, Tarcísio é um estudante voraz e garante que vai servir de exemplo para os colegas mais novos. “Eu sempre gostei muito de estudar. Terminei um curso de licenciatura em Matemática com 69 anos. Agora vou fazer o curso técnico em Química e depois pretendo fazer Biologia. O meu objetivo é ter condições de ensinar o que eu aprender”, conta.

Além da chance de realizar seu grande desejo, Tarcisio vê no curso uma oportunidade para trocar experiências. “Vou fazer o curso com a tranquilidade de um estudante antigo. Não tenho problema nenhum em estar em uma sala com pessoas mais novas. É a oportunidade de trocar experiências”, afirma.

Assim como Tarcísio, Maria das Dores Rosa, de 64 anos, também não pensa em parar de estudar. Maria cursou os primeiros anos do ensino fundamental ainda menina, mas só foi completar a educação básica depois dos 50 anos, na Educação de Jovens e Adultos (EJA). Aprovada no curso técnico em secretaria escolar pelo PEP, ela não quer mais ficar longe das salas de aula. “Eu fiz a Educação de Jovens e Adultos e formei no ensino médio no ano passado. Escolhi esse curso porque gosto muito do contato com o público, de números e de organização. Minha expectativa é me capacitar cada vez mais”.

O desejo de aprender, ou melhor, de não parar de aprender, também levou Geraldo José Soares, de 63 anos, a se inscrever no Programa de Educação Profissional. Aprovado para o curso técnico em informática, Geraldo está de olho nas novas tecnologias.  “Eu sempre gostei de estudar. Essa é uma área nova e desejo aprender mais”, afirma.

Matrículas

As matrículas para os 60 cursos ofertados pelo PEP deverão ser realizadas entre os dias 23 de janeiro e 3 de fevereiro. Para as próximas chamadas, as matrículas serão efetuadas entre os dias 13 e 17 de fevereiro.

Para consultar o local, horário e o dia de matrícula, o candidato deve clicar no link do resultado do exame, que está disponível no site da Secretaria de Estado de Educação (SEE) e no ambiente virtual do PEP, e informar o número do Cadastro de Pessoa Física (CPF). Nesse link irá aparecer o endereço da instituição e os documentos necessários no ato da matrícula.

Para efetuar a matrícula, o candidato selecionado deverá comparecer à instituição credenciada de sua escolha entre 8h e 22h, na nas datas estipuladas pela lista de classificação. Cada candidato terá apenas três dias para fazer sua matrícula e, caso não possa comparecer, deverá autorizar, por meio de procuração, que outra pessoa o represente. O classificado que não obedecer aos dias e horários estipulados no site será considerado desistente e perderá o direito à vaga.

Documentos necessários

Para se matricular no curso, os aprovados devem se dirigir à instituição de ensino credenciada, munido de histórico escolar, comprovando a escolaridade requerida para ingresso no PEP ou com a declaração de conclusão do ensino médio (validade 30 dias); declaração de frequência, assinada pelo diretor ou representante da escola estadual, se o candidato estiver regularmente matriculado no 2º ou no 3º ano do ensino médio, ou 1º ou 2º ano do curso de Educação de Jovens e Adultos, na modalidade presencial; certidão de nascimento ou casamento; CPF; carteira de identidade; título eleitoral e comprovante de quitação com o serviço eleitoral, para maiores de 18 anos; comprovante de quitação com o serviço militar, se maior de 18 anos – sexo masculino; uma foto 3×4 recente e comprovante de residência.

Orientação para os classificados no curso técnico em Radiologia

A Superintendência de Desenvolvimento da Educação Profissional da SEE orienta que os alunos aprovados no curso técnico em Radiologia, no ato da matrícula, devem comprovar idade mínima de 18 anos e a conclusão do ensino médio. A Secretaria segue as diretrizes do Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia (Conter), que determina que todos os candidatos a esse tipo de curso devem cumprir esses requisitos.

Programa de Educação Profissional

Criado pelo Governo de Minas em 2007, o PEP oferece oportunidade de capacitação profissional gratuita aos jovens mineiros. Com a 6ª edição, o programa ultrapassa a marca de 200 mil estudantes atendidos e o investimento total chega a R$ 569 milhões. Os cursos do PEP são oferecidos em escolas credenciadas (sistema S e particulares), em escolas públicas conveniadas e em escolas da rede estadual. Essas instituições formam a Rede Mineira de Formação Profissional Técnica de Nível Médio.

Fonte: Agência Minas

Favorecimento: Aécio Neves critca Governo Dilma por não fiscalizar aliados

Fonte: Folha de S. Paulo

Marca de Dilma é o favorecimento político, ataca Aécio

O senador Aécio Neves (MG) criticou ontem em entrevista à Folha o governo Dilma Rousseff e anunciou a decisão do PSDB de criar uma central de acompanhamento dos gastos federais.

“A marca do governo da ‘gerente’ é o abuso dos critérios políticos em detrimento dos interesses da população”, disse Aécio.

O ataque aconteceu no mesmo dia que a Folha mostrou que, em nome de Aécio, o PSDB evitaria ataques ao ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra (PSB).

Na esperança de contar com o apoio do PSB em 2014, líderes tucanos procuraram o DEM para informar que não atuariam como protagonistas na oposição a Bezerra.

Segundo Aécio, a inauguração da central está prevista para o mês que vem.

A estrutura é uma resposta à avaliação de que o tucanato poupa aliados de Dilma sonhando com uma coligação na eleição de 2014.

Além da central, o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra (PE), disse que três equipes serão destacadas para fiscalização de políticas públicas do governo, como saúde e sustentabilidade.

Segundo Guerra, Aécio telefonou-lhe ontem para perguntar sobre a central.

“Não recebi nenhuma orientação de Aécio para que Bezerra seja poupado.”

Guerra é um dos que defendem que, em 2012, o PSDB exerça uma oposição mais vigorosa do que no primeiro ano do governo Dilma.

Potencial candidato à Presidência, Aécio flerta com partidos da base do governo.

No fim do ano passado, por exemplo, chegou a se reunir com o DEM para avaliar a hipótese de apoio à candidatura de Gabriel Chalita (PMDB) à Prefeitura de São Paulo.

INVESTIGAÇÃO

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, decidiu encaminhar para a primeira instância do Ministério Público Federal o pedido do DEM para investigar Coelho.

Gurgel entende que os fatos apresentados pelo partido, por enquanto, não trazem indícios de crime.