• Agenda

    setembro 2014
    S T Q Q S S D
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    2930  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Pimenta vai liderar busca por novo pacto federativo

Pimenta da Veiga reafirmou que a administração regionalizada e o apoio às prefeituras serão bandeiras do seu governo.

Eleições 2014

Fonte: Pimenta 45

Pimenta da Veiga vai liderar busca por novo Pacto Federativo e fortalecimento dos municípios

Em encontro na sede da AMM, candidato reafirmou que a administração regionalizada e o apoio às prefeituras serão bandeiras do seu governo

A revisão do Pacto Federativo, com o consequente fortalecimento do poder de ação dos municípios, será uma bandeira primordial do governo de Pimenta da Veiga. Durante solenidade de abertura do 102º Encontro de Prefeitos das Cidades Polo de Minas Gerais, realizado na sede da Associação Mineira de Municípios (AMM), em Belo Horizonte, nesta terça-feira (02/09), Pimenta afirmou que vai conduzir, logo nos primeiros dias de seu mandato, uma ampla articulação política, junto à bancada mineira no Congresso Nacional, em defesa da revisão do atual modelo de partilha de recursos entre os entes da Federação.

“Tenho percorrido todo o Estado, conversado com centenas de prefeitos e fico impressionado com as dificuldades que esses administradores enfrentam, com o sacrifício a que são submetidos, em razão da concentração de recursos nos cofres da União. Há uma profunda inversão de prioridades, com o governo federal recolhendo dois terços das rendas públicas, e estados e municípios, sufocados, com um terço das arrecadações. Isso tem que mudar com urgência. Juntos, vamos assumir essa articulação política”, afirmou Pimenta, diante de uma plateia formada por prefeitos de diversas regiões de Minas.

Pimenta explicou, ainda, porque defende o fortalecimento das gestões municipais. “Sou aliado dos prefeitos na luta pela alteração da distribuição das rendas públicas. Quem está mais perto faz melhor. Assim, a prefeitura sempre fará um trabalho mais adequado à realidade da população. Por isso defendo uma melhor distribuição da arrecadação pública, tenho essa sensibilidade. Vou governar ao lado dos prefeitos na luta pela revisão do Pacto Federativo. A ação política que vamos conduzir em Minas será essencial para reivindicarmos essa revisão junto ao Congresso Nacional e ao governo federal”, disse ele.

Além de destacar os êxitos de sua trajetória política, Pimenta reafirmou seu compromisso em promover um modelo regional de administração. “À frente do Governo de Minas quero trocar experiências, dialogar, fortalecer o poder de ação dos municípios. Fui prefeito da Capital, conheço bem a realidade da gestão municipal. Meu estilo de gestão é: quanto mais perto o poder público estiver do problema, mais perto estará das soluções. No meu governo, saúde, educação e segurança terão administração regional, dentro da realidade de cada região, com processos decisórios tomados efetivamente nas regiões”, afirmou.

Diálogo

A organização do encontro convidou outros candidatos ao Governo de Minas para falar sobre suas propostas. Apesar da abertura deste importante canal de diálogo com os prefeitos, o candidato do PT não compareceu e, segundo a AMM, sequer justificou a ausência. O prefeito de Itabirito, Alex Salvador (PSD), lamentou esse desrespeito às prefeituras e às associações municipalistas por parte do petista. “É importante saber a ideia dos candidatos. Acho que todos deveriam participar. O candidato do PT deveria ter vindo debater suas ideias. Essa ausência é lamentável”, afirmou Alex Salvador.

Na chegada ao local do encontro, Pimenta foi recebido pelo presidente da AMM, Antônio Carlos Andrada, e pelo presidente da Frente Mineira de Prefeitos, o prefeito de Divinópolis, Vladimir Azevedo. “Aqui, os prefeitos discutem políticas públicas com os candidatos ao Governo de Minas. O evento foi planejado e formatado com tempo igual aos candidatos convidados. Nossa surpresa e pesar é que não tivemos a participação do candidato (do PT), mesmo tendo confirmado presença e não comparecendo no último momento, sem nenhuma comunicação prévia”, lamentou o presidente da Frente Mineira de Prefeitos.

Pimenta afirma que adversário do PT é o ‘ministro do atraso’

Pimenta da Veiga: “O que desenvolve o país é a economia. Não adianta prometer diversos programas sociais, se a economia não vai bem”.

Eleições 2014

Fonte: Hoje em Dia

Pimenta eleva o tom e classifica adversário de ‘ministro do atraso’

Ana Luiza Faria

O candidato ao governo de Minas pela coligação “Todos por Minas”, Pimenta da Veiga(PSDB), questionou nessa terça-feira (02) a capacidade de seu adversário Fernando Pimentel(PT), da coligação “Minas pra Você”, de garantir o desenvolvimento econômico e social do Estado. “O meu adversário anda dizendo que vai desenvolver o Estado, mas eu fico pensando como ele fará isso. Ele ocupou o cargo de ministro do Desenvolvimento, e o Brasil está em recessão. Como que vai desenvolver? Alguém que, como ministro do Desenvolvimento, foi na verdade o Ministro do atraso”, alfinetou.

Para Pimenta, o que desenvolve o país é a economia. De acordo com o candidato, não adianta prometer diversos programas sociais, pois se a economia não vai bem não dá para fazer nada. “Não adianta ter a melhor das intenções na parte social se não tem dinheiro. Não tem como fazer. Portanto, o resultado da economia deve ser bem distribuído”, argumentou.

O candidato do PSDB criticou a posição adotada pelo governo do PT em relação àsParcerias Público-Privadas (PPPs) nos primeiros dez anos de gestão petista. “O aprendizado do PT custou muito caro ao Brasil. Levaram uma década acusando a nós, do PSDB, que tínhamos privatizado estradas, que isso foi criminoso. Agora, a partir do ano passado, começaram a privatizar”, afirmou.

Segundo Pimenta, nesse período o “mundo inteiro” queria investir no Brasil, mas era “proibido”. Agora, de acordo com o ele, esses possíveis investidores perderam a expectativa no país.

Em encontro nessa terça com representantes da Federação da Agricultura e Pecuária de Minas Gerais (Faemg), Pimenta da Veiga afirmou que independentemente de como for definida a sucessão presidencial, caso eleito não aceitará o “abandono, a omissão e o desinteresse” que o governo do PT teve com Minas Gerais. “Minas terá uma ação política muito profunda e bem articulada”, disse.

O tucano prometeu que todas as obras e projetos estaduais iniciados no Estado serão concluídos, e que todos os serviços serão mantidos. “Não vamos paralisar nada. Fico horrorizado ao viajar pelo Brasil e constatar obras de rodovias, ferrovias e portos inacabadas. Isso é desperdício de dinheiro público. Isso é inadmissível”.

Agropecuária

De acordo com Pimenta da Veiga é preciso “reverenciar” o produtor agropecuário, que representa um setor fundamental na economia do Estado. “Os empregos gerados pelo setor são fundamentais e sustentam milhões de mineiros, e os produtos compõem de forma significativa a nossa pauta de exportações, por isso, o governo estadual deve dar à agropecuária toda a sua atenção”, pontuou.

Órgãos reguladores têm que entender a produção rural’

Pimenta da Veiga enfatizou em seu discurso a questão da agilidade das concessões de licenças ambientais. Ele afirmou que as empresas que regulam o meio ambiente “precisam compreender a importância da produção rural”.

“É preciso estabelecer regras que sejam, em primeiro lugar, simples, para serem eficientes, e rápidas. Então, não pode? Negue. Pode, autorize logo”, explicou.

Segundo Pimenta da Veiga, os produtores rurais devem estar intimamente ligados à questão do meio ambiente. De acordo com o tucano, ninguém depende mais do meio ambiente do que o produtor rural, cujo trabalho depende da terra, do clima e da água.

Em relação à indenização dos produtores rurais que tiveram áreas cedidas para unidades de conservação e ainda não foram indenizados, Pimenta garantiu que agilizará todos os processos. “Os parques deviam ser criados, era importante para a preservação de bens naturais. Agora, não é o proprietário que tem de ser vítima disso. Ao contrário, tem de receber. Nós vamos agilizar os processos”, afirmou.

Tucano destaca investimento em ferrovias

Em pronunciamento na Faemg, Pimenta da Veiga anunciou que ampliará as ferrovias e melhorará as rodovias do Estado. “O governo federal atrasou a definição do processo ferroviário brasileiro. Se é com participação de capitais privados, vamos fazer logo. Minas precisa de mais ferrovias. Precisamos construí-las”, afirmou.

Para resolver o problema da malha rodoviária, o candidato do PSDB propõe uma parceira com a União. “Temos 30 mil quilômetros de rodovias que precisam estar em boas condições, e por isso nós queremos estudar parcerias com o governo federal para cuidar das rodovias federais”, afirmou.

De acordo com o tucano, essas iniciativas irão melhorar a logística para o comércio dos produtos agrícolas. “A questão da logística é essencial, porque não há como o produtor rural atender aos seus mercados se o Estado não tiver malhas rodoviária e ferroviária cada vez melhores, porque os volumes da produção do campo são muito grandes”.

Educação

Pimenta destacou a importância em investimentos na educação para o desenvolvimento tecnológico do setor agropecuário. “A minha principal tarefa é desenvolver a educação no seu sentido amplo: ciência, tecnologia e cultura”, afirmou. Segundo o candidato do PSDB, sua intenção é ver Minas como o Estado da inovação. “Para mim, inovação é isso, é desenvolvimento da tecnologia. E isso só é possível com educação de qualidade”, disse.

Pimenta declarou apoio ao sistema produtivo rural do Estado destacando a redução da burocracia, e parceira nas questões de crédito e questões tributárias e fiscais.