• Agenda

    agosto 2014
    S T Q Q S S D
    « jul   set »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728293031
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Pesquisa: Aécio é preferido pelos goianos

Marconi Perilo lidera com 15,4 pontos porcentuais de vantagem. Aécio Neves, candidato do PSDB à Presidência, tem 31% das intenções de votos

Eleições 2014

Fonte: Diário da Manhã

Marconi lidera com 43,2% das intenções de voto

O governador Marconi Perillo (PSDB) lidera a disputa para o Governo de Goiás com 15,4 pontos porcentuais de vantagem sobre o segundo colocado, o ex-prefeito de Goiânia Iris Rezende (PMDB), mostra a terceira rodada da Pesquisa Veritá, realizada entre os dias 28 e 30 de julho. O tucano tem 43,2% das intenções de votos e o peemedebista obtém 27,8%, segundo o levantamento

O candidato do PSB, Vanderlan Cardoso, aparece na terceira posição, com 6,2% das intenções de voto. O pessebista está empatado com o candidato do PT, Antônio Gomide, que tem 4,1% das intenções de voto, mostra o levantamento. O candidato do PSOL, professor Weslei, tem 1% dos votos. A candidata do PCBMarta Jane, tem 0,5%. Alexandre Magalhães, do PSDC, tem 0,4%.

Os eleitores que afirmam que votariam em branco ou nulo somam 9,7% e 7,2% afirmam estar indecisos quanto à escolha do candidato a governador. O Veritá entrevistou 2.203 eleitores em todo o Estado. A margem de erro da pesquisa é de 2,09 pontos porcentuais, para mais ou para menos.

Em porcentual de votos válidos, Marconi tem 52% das intenções e Iris aparece com 33,4%. Os números mostram que a eleição pode ser definida já no primeiro turno, com a vitória do tucano. Vanderlan tem 7,4% dos votos válidos e Gomide, 5%.

Na espontânea, Marconi tem 32%

A vantagem do governador Marconi Perillo (PSDB) sobre o ex-prefeito de Goiânia Iris Rezende (PMDB) na corrida pelo Governo de Goiás é ainda maior na pesquisa espontânea, mostra a última rodada da pesquisa Veritá, realizada entre os dias 28 e 30 de julho. O tucano tem 32% das intenções, diante de 17% do peemedebista.

Vanderlan Cardoso (PSB) tem 3,3% das intenções e Antônio Gomide tem 2%. Professor Weslei (PSOL) e Marta Jane (PCB) têm menos de 1% das intenções e o candidato do PSDCAlexandre Magalhães, não foi citado. Os eleitores que afirmam estar indecisos somam 38,1% e aqueles que afirmam que votarão em branco ou nulo totalizam 7,2% dos eleitores entrevistados.

Marconi vence Iris em eventual segundo turno

governador Marconi Perillo (PSDB) venceria o ex-prefeito de Goiânia Iris Rezende (PMDB) numa eventual disputa de segundo turno, mostra a pesquisa Veritá realizada entre os dias 28 e 30 de julho. O tucano tem 48,4% dos votos válidos, diante de 34,5% obtidos pelo peemedebista.

Os eleitores que disseram não saber em quem votariam ou não responderam à pergunta totalizam 4,4% dos eleitores. Outros 12,7% afirmaram que votariam em branco ou anulariam o voto da disputa de segundo turno.

Em votos válidos – em que se excluem brancos, nulos e indecisos – Marconi tem 58,4% das intenções de votos, diante de 41,6% de Iris.

Vilmar cresce na corrida ao Senado, Caiado cai

O deputado federal Vilmar Rocha (PSD) reduziu a diferença em relação ao deputado federal Ronaldo Caiado (DEM) na disputa para a vaga da eleição ao Senado, mostra a última rodada da pesquisa Veritá, realizada entre os dias 28 e 30 de julho. O parlamentar do DEM tem 29,9% das intenções de voto e o deputado pessedista alcança 16,5% das intenções.

Na comparação com a rodada anterior, realizada entre os dias 9 e 12 de julho, a distância de Vilmar para Caiado caiu de 15,9 pontos porcentuais para 13,4 pontos porcentuais. A suplente de deputada federal Marina Sant’Anna (PT), que tinha 14,9% das intenções de votos na rodada anterior, tem agora 14,3%, mostra o Veritá.

Na rodada atual, o candidato do PSBAguimar Jesuíno, tem 1,4% das intenções de votoAntônio Neto, do PCB, obtém 1,3%. Elder Sampaio (PSOL) e Aldo Muro (PSDC) têm 0,5% cada.

O porcentual de eleitores indecisos soma 19,4% dos eleitores entrevistados e 16,3% afirmam que votarão em branco ou nulo para o Senado.

Aécio está à frente de Dilma

O candidato do PSDB à Presidência da República, senador Aécio Neves (MG), lidera a disputa na preferência do eleitorado goiano, mostra a última rodada da pesquisa Veritá. O tucano tem 31% das intenções de votos, diante de 29,5% da petista.

O candidato do PSB, o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, aparece com 6% das intenções de votosPastor Everaldo, do PSC, tem 3,4% das intenções. Os demais candidatos não alcançaram 1% das intenções.

Os eleitores que afirmam que votarão em branco ou nulo somam 15,1% dos eleitores entrevistados e 13,1% não saber em quem votarão para presidente da República ou não responderam à pergunta.

Em votos válidos, Aécio tem 43,1% das intenções, diante de 41,1% de DilmaEduardo Campos tem 4,3%Pastor Everaldo obtém 4,7% das intenções e os demais candidatos não atingiram 1% dos votos válidos.

Na disputa de segundo turnoAécio vence Dilma com folga. O tucano tem 42,5% dos votos, enquanto a petista tem 33,9% das intenções. Os eleitores que afirmam que votarão em branco ou nulo somam 16,9% e 6,7% afirmaram que não sabem em quem votar ou não responderam.

Pretendo resgatar de forma definitiva a Embrapa, diz Aécio

Aécio: “Pretendo resgatar de forma definitiva a Embrapa como o mais vigoroso instrumento de pesquisa do Brasil.”

Eleições 2014

Fonte: Jogo do Poder

Aécio Neves destaca importância de instituições de pesquisa no setor agropecuário

 “Pretendo resgatar de forma definitiva a Embrapa como o mais vigoroso instrumento de pesquisa do Brasil”

O candidato da Coligação Muda Brasil à Presidência da República, Aécio Neves, participou, nesta quarta-feira (06/08), de sabatina na Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA), em Brasília. Ao lado do candidato à Vice-Presidência, Aloysio NunesAécio destacou a importância das instituições de pesquisa no setor agropecuário, em especial, da Embrapa.

“Pretendo resgatar de forma definitiva a Embrapa como o mais vigoroso instrumento de pesquisa do Brasil. A Embrapa é a nossa joia da coroa. Se na década de 1970 ela fez o que fez no cerrado, vamos agora falar da segunda geração da Embrapa”, disse.

O candidato à Presidência anunciou que pretende criar plataformas de pesquisa nos seis biomas brasileiros – cerrado, mata atlântica, caatinga, floresta amazônica, pantanal e pampa – com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e das universidades e institutos de pesquisa, com o objetivo de aprofundar conhecimentos.

“Vamos discutir nossos potenciais em cada um desses biomas. O aproveitamento da água, do solo, flora, fauna, clima. Isso está em nossas mãos, e pode se transformar, no futuro, no nosso mais valioso ativo”, ressaltou.

Direitos trabalhistas no campo

Um dos temas discutidos durante a sabatina foi a segurança jurídica. Aécio defendeu uma maior atenção do governo federal ao cumprimento dos direitos dos trabalhadores rurais, assim como acontece com os trabalhadores urbanos.

“Esse entrave gera insegurança e muitas vezes custos adicionais a quem trabalha. Tenho dito que a primeira medida do meu governo será a apresentação de um projeto de simplificação do sistema tributário, focando principalmente nesse emaranhado de impostos indiretos que tornam, além da altíssima carga tributária, a própria estrutura de pagamento desses impostos extremamente onerosa”, afirmou.

Sob fortes aplausos, ele reafirmou ainda um compromisso com a desoneração total dos investimentos e das exportações. “Não haverá qualquer tipo de tributação às exportações agropecuárias no governo, até porque é um tiro no pé. No jargão futebolístico que o ex-presidente gostava muito, é jogar contra o patrimônio”, acrescentou.

Reforma agrária

Aécio definiu ainda a reforma agrária como uma prioridade. Segundo ele, em seu governo, as fazendas invadidas não serão desapropriadas por um prazo de dois anos, em “respeito ao direito de propriedade”. A alternativa a ser buscada será transformar os assentamentos do país em geradores de renda.

“Distribuir a terra simplesmente não significa gerar renda. Posso usar até a expressão de um ministro do governo, que dizia que os assentamentos no Brasil viraram favelas rurais. O que temos que fazer é garantir aos pequenos produtores a renda necessária para que vivam bem e com qualidade”, avaliou.

E completou: “Apenas nos últimos três governos, do Fernando Henrique, do Lula e da atual presidente, 72 milhões de hectares foram distribuídos para reforma agrária. Dos 72 milhões, apenas 2,5 milhões foram distribuídos no governo da presidente Dilma. E a área plantada de grãos no Brasil ocupa 55 milhões de hectares. É preciso dar uma atenção adequada à ocupação no campo, mas com o viés da renda. Esses cidadãos precisam de dignidade”.

Propostas: Aécio quer reajuste na tabela do imposto de renda e no salário mínimo

Aécio discursou para cerca de 100 trabalhadores da empresa Voith e prometeu reajuste na tabela do imposto de renda e no salário mínimo.

Eleições 2014

Fonte: Portal Terra 

Em porta de fábrica, Aécio promete reajuste da tabela do IR

O candidato do PSDB à presidência da República Aécio Neves discursou para cerca de 100 trabalhadores na porta da empresa Voith por volta das 7h30 desta quinta-feira, na cidade de São Paulo, e prometeu reajuste na tabela do imposto de renda e no salário mínimo. Ao lado do candidato a deputado federal Paulinho da Força, o tucano disse que pretende isentar os trabalhadores que ganham até R$ 4,5 mil do pagamento do imposto de renda. Hoje quem ganha até dois salários mínimos não paga o IR.

“Queremos regras absolutamente claras, defesa dos direitos dos trabalhadores, reajuste real do salário mínimo, da tabela do imposto de renda, mas nós temos hoje as melhores condições para que os investimentos voltem para o Brasil. Sem investimento não há crescimento, emprego. Esse governo perdeu a capacidade de sinalizar na retomada docrescimento. Além disso, queremos tolerância zero com a inflação. A partir do dia 1 de janeiro, a herança maldita desse governo será um quadro de estagflação. Seremos o País que menos vai crescer na América do Sul”, afirmou Aécio.

No evento na porta da fábrica participaram também o governador e candidato à reeleição Geraldo Alckmin (PSDB), o candidato ao Senado José Serra (PSDB) e o vice de Aécio, Aloísio Nunes, além de candidatos a deputado federal e estadual.

Principal foco dos adversários da petista Dilma Rousseff, a crise econômica novamente foi alvo das críticas ao atual governo federal. De acordo com o candidato do PSDB, hoje o Brasil vive “a maior crise de desindustrialização de toda a história”. Para ele, não há confiança dos investidores em injetar capital no País.

“Estamos hoje na porta da Voith para alertar o Brasil. O governo não inspira confiança e assim não há investimento e agora o desemprego começa a chegar no Brasil. É hora de ter um novo processo de crescimento no Brasil, com controle da inflação, regras claras que permitam a retomada do capital. Não podemos continuar como estamos porque se hoje a crise é grave, no futuro vai ser mais grave ainda. O governo perdeu a capacidade de agir, é um governo à beira de um ataque de nervos. Está na hora de deixar na mão de quem sabe, porque o Brasil não merece mais quatro anos assim”, disse.

Apoio sindical
No mesmo dia em que a presidente Dilma Rousseff irá participar de um ato com sindicalistas de seis importantes centrais sindicais do Brasil, incluindo a Força Sindical, Aécio também encontrou com trabalhadores. Apesar da Força estar dividida, o tucano minimizou o fato de a petista ter a maior parte do apoio no setor.

“Ninguém quer ter o monopólio de nada. Eu agradeço sempre à Força não apenas esse ano, mas todos os anos. Infelizmente as lideranças do PT que tiveram no evento da própria CUT não tiveram a mesma recepção, quem sabe aquilo não é um sinal do sentimento real das pessoas. A presidente está no direito de fazer sua campanha. Estimulo que ela vá às ruas, não só nos eventos programados, que possa olhar no olho das pessoas a descrença”, cutucou Aécio.

10% dos candidatos são barrados pelo TRE-MG

Eleições 2014

Fonte: Estado de Minas

TRE barra 10% dos candidatos

Tribunal indefere em Minas 173 pedidos de registros de nomes para a disputa de outubro. Doze deles caíram na Lei da Ficha Limpa. Para governador, apenas uma chapa está ameaçada

Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) concluiu ontem o julgamento de 1.975 pedidos de registros de candidaturas, sendo que quase 10% deles, ou seja, 173 casos, foram indeferidos, por razões que vão desde analfabetismo, inobservância de percentual de mulheres e falta de documentação até candidatos fichas-sujas. Do total de 1,2 mil pedidos de impugnação apresentados pelo Ministério Público Eleitoral, 12 registros de candidaturas para deputado estadual e federal foram indeferidos em razão da Lei da Ficha Limpa, aplicada pela primeira vez em eleições gerais. Entre eles, está o do ex-prefeito de Uberaba e ex-ministro dos Transportes Anderson Adauto (PRB), que tenta disputar uma cadeira na Câmara dos Deputados. Dos 20 pedidos de impugnação com base na Ficha Limpa, sete foram considerados improcedentes e foi homologada uma renúncia.

Mesmo sendo absolvido no escândalo do mensalão, Adauto foi considerado inelegível por ter sido condenado em órgãos colegiados em ações penal e civis públicas de improbidade administrativa decorrentes de irregularidades na realização de concurso público municipal, pela contratação direta de empresa com dispensa ilegal de licitação e em virtude de uso de informativo público, custeado pelo erário, para promoção pessoal.

Nas eleições municipais de 2010, foram apresentadas 675 impugnações – um pouco mais da metade registradas este ano – do total de 1.790 pedidos de registro de candidatura. Ao fim dos julgamentos, 195 pedidos foram indeferidos.

Para a disputa dos cargos de governador e vice-governador do estado, o tribunal recebeu oito pedidos de registros de chapas, sendo que sete foram deferidos. Caso não coubesse recurso, a candidata ao governo do estado pelo Partido da Causa Operária (PCO), Cleide Donária deOliveira, estaria fora da disputa eleitoral, assim como toda a chapa, pois não a legenda não reservou o mínimo de 30% das vagas para candidatas a deputada estadual e federal, conforme estabelece a Lei 9.504/97.

RECURSO Em relação à chapa do PCO, a decisão foi monocrática do juiz Maurício Pinto Ferreira e, somente se houver recurso, a Corte Eleitoral vai analisar o caso. Os partidos políticos ou coligações ainda podem apresentar hoje pedidos de registro de candidatura para os cargos proporcionais nas eleições de outubro, devido a vagas remanescentes ou substituições.

Já a substituição de candidatos a cargos majoritários por coligação ou partido político pode ser feita até 20 dias antes das eleições, regra aplicada pela primeira vez este ano. Em razão disso, diante das possibilidades de pedido de registro ou de apresentação de recursos, ainda não se pode considerar que o quadro atual de candidaturas seja definitivo.

Para conseguir cumprir o prazo de análise das candidaturas, encerrado oficialmente ontem, oTRE-MG promoveu um esforço concentrado com sessões diárias na segunda quinzena de julho e sessões pela manhã e à tarde ontem e na segunda-feira. O presidente do tribunal, desembargador Geraldo Augusto, disse, ao encerrar a sessão na tarde dessa terça-feira, que o “trabalho continuará, mas a satisfação pelo dever cumprido não pode deixar de ser registrada neste momento”. Também ressaltou o esforço do Ministério Público, dos advogados e representantes dos partidos no sentido de atender as exigências e prazos legais.

HORÁRIO GRATUITO

TRE-MG faz audiência pública hoje, às 19h, para sorteio da ordem de veiculação e distribuição do tempo da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão. Participam da reunião representantes das emissoras de rádio e de televisão que vão veicular os programas, além de representantes dos partidos políticos e coligações que concorrem às eleições. Serão tornados públicos os tempos a que cada partido ou coligação terá direito no rádio e na TV. O calendário eleitoral estabelece que a propaganda será veiculada de 19 de agosto a 2 de outubro, três dias antes das eleições. Os programas destinados aos candidatos aos cargos de governador, senador e deputado estadual serão veiculados nas segundas, quartas e sextas. No caso dos candidatos à Presidência da República e a deputado federal, será nas terças, quintas e sábados. No rádio, a veiculação será das 7h às 7h50 e das 12h às 12h50; na TV, das 13h às 13h50 e das 20h30 às 21h20.