• Agenda

    julho 2014
    S T Q Q S S D
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Vitória da oposição melhora perspectiva econômica, diz Aécio

Aécio: “Quanto mais provável estiver a possibilidade de uma candidatura da oposição, melhor o ambiente e as expectativas de futuro.”

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Aécio diz que expectativa de vitória da oposição melhora perspectiva econômica

O candidato do PSDB à PresidênciaAécio Neves, disse nesta segunda-feira que uma vitória da oposição na eleição de outubro provocará uma melhora nas perspectivas da economia e voltou a criticar a condução da política econômica no governo da presidente Dilma Rousseff.

“Infelizmente para o Brasil de hoje, quanto mais provável for a eleição da presidente, os indicadores econômicos serão piores. Quanto mais provável estiver a possibilidade de uma candidatura da oposição, melhora o ambiente e as expectativas de futuro, que movem a economia”, disse o tucano a jornalistas, após reunião com empreendedores sociaisem São Paulo.

Aécio aproveitou ainda para criticar a reação de Dilma a um comentário enviado pelo Banco Santander aos seus clientes de alta renda, no qual o banco afirmou que uma vitória da petista representava uma piora do cenário econômico.

Nesta segunda-feira, em sabatina promovida pelo jornal Folha de S.Paulo, portal UOL, rádio Jovem Pan e Rede SBT, realizada no Palácio da Alvorada, a presidente classificou o episódio envolvendo o Santander de “inaceitável”.

Na última sexta-feira, quando o comentário do Santander a clientes veio a público, o presidente do PTRui Falcão, disse que instituições financeiras não poderiam fazer manifestações que interfiram na decisão do voto.

Aécio afirmou que “não adianta dirigente partidário questionar, cobrar demissões dentro de uma instituição financeira, porque teriam que demitir praticamente todos os analistas de todas as instituições financeiras, porque todos eles são muito céticos com o cenário da economia brasileira se continua o atual governo”.

“A resposta adequada do governo seria garantir um ambiente estável, de confiança, regulado, para que os investimentos pudessem voltar ao país, para que a inflação pudesse ser controlada, para que nós tivéssemos o crescimento da economia”, criticou.

Após o encontro com os empreendedores sociais, Aécio defendeu também um maior diálogo com a sociedade civil e um marco civil para o terceiro setor. De acordo com o tucano, o Brasil “desperdiça” iniciativas bem-sucedidas de organizações não-governamentais em diversas áreas, como por exemplo a redução da criminalidade.

Aécio foi questionado ainda sobre as declarações do governador de São Paulo, o tucano Geraldo Alckmin, de que aceitaria fazer campanha no Estado ao lado do candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos. O PSB tem o candidato a vice na chapa de reeleição de Alckmin.

“O que posso dizer é que para mim é extremamente honroso ter o apoio explícito, a linkagem das campanhas do governador Alckmin com a nossa”, disse Aécio.

Santander: Aécio diz que atual governo terceiriza responsabilidades

Aécio disse não considerar o comunicado do banco interferência no cenário político-eleitoral e criticou dirigentes do PT.

Sinal vermelho na economia

Fonte: O Globo

Aécio rebate Dilma e critica pedido de demissões no Santander pelo PT

Presidente disse que foi “inadmissível” o banco enviar uma carta a clientes que a associava à piora do quadro econômico no país

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Nevesrebateu nessa segunda-feira as declarações da presidente Dilma Rousseff de que foi “inadmissível” o Santander enviar uma carta a clientes na semana passada que a associava à piora do quadro econômico no país. O tucano disse não considerar o comunicado do banco uma interferência no cenário político-eleitoral, como defendeu Dilma, e criticou dirigentes do PT pela cobrança de demissões dos responsáveis na instituição financeira.

— Não adianta um dirigente partidário questionar, cobrar demissões dentro de uma instituição financeira porque teriam que demitir praticamente todos os analistas de todas as instituições financeiras. Todos eles são muito céticos em relação ao cenário da economia brasileira se continuar o atual governo — afirmou Aécio.

Para o tucano, a reação do governo não foi adequada.

— A resposta adequada do governo não é de questionamento ou pedir que cabeças rolem, mas seria o de garantir um ambiente estável, de confiança, regulado para que os investimentos possam voltar ao país.

Dilma disse na tarde de ontem, durante sabatina organizada pelo Grupo Folha, SBT e rádio Jovem Pan, em Brasília, que foi “inadmissível” a carta distribuída a clientes pelo Santander.

Para o candidato, o que o Santander fez “foi explicitar” uma falta de confiança do mercado financeiro sobre um eventual segundo governo da presidente. Aécio voltou a dizer que o atual governo “terceiriza responsabilidades” e que o adversário tem se esforçado em “desconhecer” a gestão da presidente.

— Nos períodos Fernando Henrique e Lula, nós tivemos um crescimento do Brasil muito próximo da média da América Latina. No período da presidente Dilma, vamos crescer dois pontos a menos, em média. Por isso o esforço do governo em desconhecer o período da presidente DilmaBuscam fazer sempre uma avaliação em relação à soma dos períodos de Lula e de Dilma, como se não fossem dois governos.

— Infelizmente para o Brasil de hoje, quanto mais provável estiver a reeleição da presidente, os indicadores econômicos serão piores e o ambiente se deteriorará porque não há mais confiança. A nossa candidatura e a da oposição tem essa capacidade de resgatar a confiança.

MAIS MÉDICOS

Aécio também respondeu à declaração de Dilma de que a posição dele sobre a colaboração de Cuba no programa Mais Médicos expõe uma visão fundamentalista do tucano.

— Se há fundamentalismo na relação com Cuba, ela não tem origem nas nossas posições — ironizou o tucano.

MENSALÃO

O presidenciável do PSDB cobrou de Dilma um posicionamento oficial e público dela sobre o julgamento do mensalão.

— Nós não tivemos ainda uma palavra da presidente sobre o julgamento do mensalão e se ela concorda ou não com o presidente Lula de que foi um julgamento político.

Muda Brasil: Aécio quer ampliação das políticas públicas para Jovens

Aécio Neves defendeu a ampliação das políticas públicas destinadas aos jovens e o fomento ao empreendedorismo.

Eleições 2014

Fonte: Jogo do Poder

Em São Paulo, Aécio Neves defende políticas públicas para jovens e fomento ao empreendedorismo

candidato à Presidência da República pela Coligação Muda BrasilAécio Neves, defendeu, neste sábado (26), a ampliação das políticas públicas destinadas aos jovens e o fomento ao empreendedorismo. Ao lado do candidato à reeleição ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, do ex-ministro José Serra, que disputa uma vaga ao Senado, e do deputado federal José Aníbal (PSDB-SP) e ex-governador Alberto Goldman, Aécio visitou o Parque da Juventude, complexo cultural e esportivo, e a 3ª Feira Tecnológica da Zona Leste de São Paulo, na região de Itaquera.

“Esse é o Brasil que precisa ser construído. É o Brasil do empreendedorismo. É o Brasil que qualifica as pessoas para buscarem espaço no mercado de trabalho para crescerem. É uma palavra que o Brasil precisa buscar cada vez mais: empreender. E só se empreende com resultado e êxito com qualificação”, disse Aécio em entrevista coletiva.

No Parque da Juventude, construído no local do antigo presídio do Carandiru, Aécio tomou um café na cantina do local, cumprimentou funcionários e conheceu as instalações da Biblioteca de São Paulo, que conta com computadores, teclados e mouses adaptados para oferecer acessibilidade aos estudantes.

“É um recurso interessante esse suporte técnico que nós temos aqui na biblioteca, além da inclusão digital. Tem bastante gente de idade, senhores, e aqui tem cursos básicos, uma gama muito boa de estrutura, internet, livros de qualquer parte do mundo. Projetos como esse têm que ser expandidos porque é acesso à cultura, uma coisa que o povo brasileiro não tem”, opinou o estudante de Gastronomia Luiz Carlos, 27 anos.

Aécio também caminhou pelas quadras esportivas do Parque e visitou a Escola Técnica Estadual (ETEC), iniciativa que classificou como referência para o país.

“Precisamos estendê-las cada vez mais ao Brasil. São escolas extremamente qualificadas que têm um foco extremamente importante, porque buscam qualificar as pessoas para o mercado de trabalho real, que exista naquelas regiões que elas atuam.  Por isso a diversificação enorme dos cursos. Tivemos experiências em Minas Gerais, anteriores inclusive ao Pronatec, e nas ETECs de São Paulo, que precisarão continuamente ser aperfeiçoadas. É um bom programa, mas que precisa ter esse foco: atender às demandas reais dos mercados de trabalho”, afirmou Aécio.

Motivação

Acompanhado pelo governador de São Paulo, Geraldo AlckminAécio seguiu para a 3ª Feira Tecnológica da Zona Leste de São Paulo, evento realizado na Obra Social Dom Bosco, em Itaquera. Ao lado do idealizador do evento, o padre Rosalvino Morán, o candidato à Presidência da República visitou estandes, conversou com estudantes, assistiu a apresentações de música e dança e parou para comer um pastel.

“O que vamos fazer também nessa campanha é apresentar ações que melhorem, e melhorem muito, a vida das pessoas. Em São Paulo, por onde se olha, você vai  encontrar exemplos exitosos de uma gestão pública eficiente, focada em grande parte no que estou dizendo: educação de qualidade e capacitação das pessoas para o mercado de trabalho”, acrescentou Aécio.

Para o padre Rosalvino, a visita de Aécio Neves ao local é importante pois prestigia a iniciativa de uma comunidade “que está buscando o que está faltando no país: motivação”.

“Dar a motivação para a juventude de que uma profissão, um trabalho, vale muito mais do que o tráfico, a droga, o alcoolismo ou coisas afins. O objetivo dessa nossa feira de tecnologia é dizer ‘você é capaz. É possível você mudar sua vida’. Não simplesmente com Bolsa Família, com outros benefícios que a Lei concede na emergência. É preciso libertar o povo, dar-lhe autonomia, autoestima e motivação. Aí o país vai mudar”, salientou.

Muda Brasil: Aécio quer ampliação das políticas públicas para Jovens

Aécio Neves defendeu a ampliação das políticas públicas destinadas aos jovens e o fomento ao empreendedorismo.

Eleições 2014

Fonte: Jogo do Poder

Em São Paulo, Aécio Neves defende políticas públicas para jovens e fomento ao empreendedorismo

candidato à Presidência da República pela Coligação Muda BrasilAécio Neves, defendeu, neste sábado (26), a ampliação das políticas públicas destinadas aos jovens e o fomento ao empreendedorismo. Ao lado do candidato à reeleição ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, do ex-ministro José Serra, que disputa uma vaga ao Senado, e do deputado federal José Aníbal (PSDB-SP) e ex-governador Alberto Goldman, Aécio visitou o Parque da Juventude, complexo cultural e esportivo, e a 3ª Feira Tecnológica da Zona Leste de São Paulo, na região de Itaquera.

“Esse é o Brasil que precisa ser construído. É o Brasil do empreendedorismo. É o Brasil que qualifica as pessoas para buscarem espaço no mercado de trabalho para crescerem. É uma palavra que o Brasil precisa buscar cada vez mais: empreender. E só se empreende com resultado e êxito com qualificação”, disse Aécio em entrevista coletiva.

No Parque da Juventude, construído no local do antigo presídio do Carandiru, Aécio tomou um café na cantina do local, cumprimentou funcionários e conheceu as instalações da Biblioteca de São Paulo, que conta com computadores, teclados e mouses adaptados para oferecer acessibilidade aos estudantes.

“É um recurso interessante esse suporte técnico que nós temos aqui na biblioteca, além da inclusão digital. Tem bastante gente de idade, senhores, e aqui tem cursos básicos, uma gama muito boa de estrutura, internet, livros de qualquer parte do mundo. Projetos como esse têm que ser expandidos porque é acesso à cultura, uma coisa que o povo brasileiro não tem”, opinou o estudante de Gastronomia Luiz Carlos, 27 anos.

Aécio também caminhou pelas quadras esportivas do Parque e visitou a Escola Técnica Estadual (ETEC), iniciativa que classificou como referência para o país.

“Precisamos estendê-las cada vez mais ao Brasil. São escolas extremamente qualificadas que têm um foco extremamente importante, porque buscam qualificar as pessoas para o mercado de trabalho real, que exista naquelas regiões que elas atuam.  Por isso a diversificação enorme dos cursos. Tivemos experiências em Minas Gerais, anteriores inclusive ao Pronatec, e nas ETECs de São Paulo, que precisarão continuamente ser aperfeiçoadas. É um bom programa, mas que precisa ter esse foco: atender às demandas reais dos mercados de trabalho”, afirmou Aécio.

Motivação

Acompanhado pelo governador de São Paulo, Geraldo AlckminAécio seguiu para a 3ª Feira Tecnológica da Zona Leste de São Paulo, evento realizado na Obra Social Dom Bosco, em Itaquera. Ao lado do idealizador do evento, o padre Rosalvino Morán, o candidato à Presidência da República visitou estandes, conversou com estudantes, assistiu a apresentações de música e dança e parou para comer um pastel.

“O que vamos fazer também nessa campanha é apresentar ações que melhorem, e melhorem muito, a vida das pessoas. Em São Paulo, por onde se olha, você vai  encontrar exemplos exitosos de uma gestão pública eficiente, focada em grande parte no que estou dizendo: educação de qualidade e capacitação das pessoas para o mercado de trabalho”, acrescentou Aécio.

Para o padre Rosalvino, a visita de Aécio Neves ao local é importante pois prestigia a iniciativa de uma comunidade “que está buscando o que está faltando no país: motivação”.

“Dar a motivação para a juventude de que uma profissão, um trabalho, vale muito mais do que o tráfico, a droga, o alcoolismo ou coisas afins. O objetivo dessa nossa feira de tecnologia é dizer ‘você é capaz. É possível você mudar sua vida’. Não simplesmente com Bolsa Família, com outros benefícios que a Lei concede na emergência. É preciso libertar o povo, dar-lhe autonomia, autoestima e motivação. Aí o país vai mudar”, salientou.

Eleições 2014: economistas prevêem vitória de Aécio Neves

Chance de vítória da oposição passou de 60% para 70%. Economistas e analistas estão pessimistas com a gestão petista de Dilma.

Economia e eleições 2014

Fonte: PSDB

Análises do mercado financeiro atestam fracasso da política econômica atual, avalia Aécio Neves

Economistas e analistas divulgaram, nesta semana, análises que refletem a preocupação de investidores com o futuro da atual política econômica da presidente Dilma Rousseff. Para os analistas, o pessimismo com a gestão petista faz com que as chances de vitória da oposição nas eleições presidenciais cheguem a 60%. Segundo economistas, os índices já estão em 70%.

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, avaliou que os resultados “apontam na mesma direção: o fracasso da política econômica da atual presidente da República”.

“Existe algo quando se fala de economia que é essencial e fundamental, chama-se expectativa. A economia se move em função de expectativas. A inflação se move em função de expectativas. Se você tem uma função represada, há uma expectativa de que, em determinado momento, ela vai ser liberada. Isso já gera uma prevenção, que acaba por alimentar a inflação. O atual governo, da presidente Dilma, perdeu a capacidade de gerar expectativas positivas, seja nos agentes internos, seja nos agentes externos. Isso impacta fortemente no nosso crescimento”, disse ele durante visita à 3ª Feira de Tecnologia da Zona Leste de São Paulo.

Para Aécio, é hora do governo federal parar de terceirizar responsabilidades, já que países vizinhos com economias menos complexas e estruturadas crescem mais do que o Brasil.

“O governo da presidente Dilma fracassou, e concordo com a maioria dessas análises. Mais quatro anos do atual governo do PT significa mais quatro anos de baixíssimo crescimento, mais quatro anos com a inflação sem controle e, infelizmente, com impactos que já começamos a perceber também no emprego”, acrescentou.