• Agenda

    julho 2014
    S T Q Q S S D
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Nordeste: no ritmo do xaxado, conheça trabalho e a vida pessoal de Aécio Neves

Conheça um pouco mais sobre o trabalho e a vida de Aécio Neves, marido da Letícia, pai de Gabriela, Julia e Bernardo e neto de Tancredo.

Governador de Minas por duas vezes, Aécio neves, terminou sua gestão com 92% de aprovação.

Fonte: Jogo do Poder com Correio do Estado 

Senador Aécio Neves (MG) vai realizar uma “caravana” pelo Nordeste no início de sua campanha ao Palácio do Planalto, em agosto, como tentativa de fortalecer seu nome na região -reduto político do PT desde o governo Lula. O tucano pretende visitar três Estados do Nordeste por dia para apresentar seu programa de governo, que terá como foco obras de infraestrutura para a região.

Aécio defende obras a serem implementadas na região Nordeste se caso seja eleito, como a conclusão da rodovia Transnordestina e da transposição do rio São Francisco.

O candidato quer mostrar “gargalos” de obras na região, apontando o que considera “erros” de governos do PT. O tucano vai mencionar obras de infraestrutura realizadas no período em que governou Minas Gerais como modelo para serem repetidos na região.

Aécio também espera contar com o que chama de “exército” de militantes no Nordeste depois dos palanques que construiu na região.

Eleição 2014: Aécio defende integração entre Mercosul e União Europeia

“Temos hoje uma política externa que prioriza o alinhamento ideológico em parcerias comerciais. Esperamos que em 2015 mude – diz Aécio”.

Eleição 2014

Fonte: PSDB

Aécio defende acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda BrasilAécio Neves, afirmou na segunda-feira (21/07) que o acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia será uma das prioridades de seu governo. Segundo Aécio, a atual política externa brasileira, que prioriza o alinhamento ideológico e promove alianças apenas com países vizinhos, é responsável pelo atraso nas negociações, que se arrastam há quinze anos.

As afirmações foram feitas após reunião entre o candidato e o presidente da Comissão Europeia (CE), José Manuel Durão Barroso, que durou cerca de uma hora. Aécio afirmou que o acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia só deverá voltar para a agenda de discussões do país em 2015. Ao final do encontro, Aécio contou que, durante a conversa, os dois lamentaram o tempo que o Brasil vem perdendo para receber os benefícios econômicos da parceria com a União Europeia.

“Infelizmente, temos hoje uma política externa que prioriza o alinhamento ideológico em detrimento de parcerias comerciais que poderiam gerar mais renda, mais emprego, a inclusão das empresas brasileiras nas cadeias globais de produção. No momento em que tivermos um governo que não busque apenas aliança entre vizinhos, mas alianças que possam ajudar a desenvolver a nossa economia, o entendimento com a União Europeia vai avançar. Espero que isso possa ocorrer a partir de 2015”, disse.

Aécio afirmou ainda que está preocupado com o atraso nessas negociações principalmente porque, enquanto não se chega a um acordo com Mercosul, a União Europeia tem feito parcerias bilaterais com vários países e regiões. Ele destacou a recente associação com a Aliança do Pacífico, formada pelo bloco México, Colômbia, Peru e Chile, e com os Estados Unidos.  “Tudo isso vai tirando espaço das negociações que poderiam beneficiar o Brasil”, destacou Aécio.

Tanto o candidato a presidente como Durão Barroso consideram fundamental o avanço dessas negociações para que se chegue logo a um acordo. “O ministro Durão Barroso é um homem de centro, é um homem do equilíbrio e tem sido, ao longo desses últimos dez anos, o ponto de convergência da União Europeia. Ele reitera a sua convicção da força do Euro, mas busca no limite dos seus esforços pessoais de alguma forma apressar, antecipar os entendimentos com a nossa região que ele considera extremamente salutar tanto para nós como para a União Europeia. Infelizmente, essa agenda ficou para 2015”, afirmou Aécio Neves.