• Agenda

    julho 2014
    S T Q Q S S D
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Tucanafro Brasil entrega a Aécio propostas para enfrentamento ao racismo

Aécio recebeu do presidente do Tucanafro documento para ser incorporado ao programa de governo.

Muda Brasil: Política de Promoção da Igualdade Racial

Fonte: PSDB

Aécio Neves recebe propostas para a promoção da igualdade social e racial

O candidato da Coligação Muda Brasil à Presidência da República, Aécio Neves, recebeu, nessa quinta-feira (17/07), em Brasília, proposta do Secretariado Nacional de Militância Negra do PSDB – Movimento Tucanafro Brasil para ser incorporada ao programa de governo da candidatura presidencial.

O documento apresenta sugestões para o enfrentamento ao racismo por meio da Política de Promoção da Igualdade Racial. O texto reúne 37 proposições.

Aécio recebeu a proposta do presidente do Tucanafro BrasilJuvenal Araújo. Juvenal disse que as sugestões foram elaboradas a partir de seminários, conferências e reuniões com líderes de movimentos de promoção da igualdade social e racial de todo o Brasil.

Para o presidente do TucanafroAécio Neves é uma forte referência para o movimento pelos avanços verificados durante a gestão do candidato frente ao Governo de Minas (2003-2010).

Juvenal apontou como exemplos a instituição da Política de Promoção da Igualdade Racial do Estado, a implantação dos sistemas de cotas ou reservas de vagas na Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG) e na Universidade de Montes Claros (Unimontes), além da realização de conferências que resultaram na criação do Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial, em 2009.

Propostas

O documento consolida as 37 propostas em três pontos.

Um deles é a criação do Fundo Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, vinculado ao Conselho Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.

Tucanafro coloca ainda, no elenco de proposições, o apoio efetivo para a implementação, em todo o país, de coordenadorias, ouvidorias, delegacias especializadas nas macrorregiões e comarcas, Conselhos, Assessorias e Secretarias de Igualdade Racial, bem como de fóruns intersetoriais de gestores com atuação nos âmbitos federal, estadual e municipal.

Também está na proposta a elaboração de um censo para o mapeamento das comunidades tradicionais quilombolas, povos e comunidades tradicionais de matriz africana, ciganas e indígenas, seguido da implantação de órgãos específicos responsáveis pelo acompanhamento, reconhecimento e certificação dos grupos.

O objetivo, segundo o Tucanafro, é ampliar a integração dessas comunidades e a participação nos mecanismos de participação popular e nas ações governamentais de assistência, bem como dar mais agilidade nos processos de titulação dos territórios dos povos e comunidades tradicionais.

Secretariado Nacional de Militância Negra do PSDB (Tucanafro) tem o objetivo de promover discussão sobre temas relacionados à promoção da igualdade social e racial. Foi implantado há dois anos e tem representantes regionais em 25 Estados.

Aécio: a meritocracia deve se sobrepor ao absurdo do aparelhamento

Em Florianópolis, Aécio Neves fez duras críticas a gestão econômica do governo e prometeu restabelecer a confiança do país.

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Tucano afirmou ainda que governo gasta bilhões com propaganda para mostrar Brasil ‘irreal’

candidato do PSDB à Presidência Aécio Neves fez duras críticas a gestão econômica do governo nesta quinta-feira, em ato político na capital catarinense. Em discurso, Aécio prometeu controlar a inflação e restabelecer a confiança no Brasil.

— É mais que uma eleição que está em jogo. (O governo PT) É um modelo e uma visão de gestão pública diferente dessa que está aí, em que a meritocracia deve se sobrepor ao absurdo do aparelhamento da máquina pública. Vamos implantar um modelo de estabilização da moeda e de controle inflacionário — disse o tucano.

Sem citar a presidente DilmaAécio afirmou que a economia brasileira está “paralisada”, sem controle da inflação, e não demonstra capacidade de “reverter essa situação”.

— O governo do PT vai entregar o país no pior cenário possível. O Brasil vive a estagflação, crescendo 1%, o menor (índice) em toda a América Latina. A inflação já está estourando o teto da meta. Isso traz um clima de desânimo para aqueles que querem empreender. No momento em que se olha para o futuro, não se enxerga nesse governo, capacidade para fazer o país crescer — atacou.

O senador tucano defendeu a ideia que o governo federal fracassou na economia e na gestão pública:

— Na verdade, o Brasil está no final da fila dos principais rankings internacionais de educação, como o Pisa (Programme for International Student Assessmen), por exemplo. A saúde publica é trágica. Há uma omissão crescente do governo federal na segurança pública.

Para Aécio, o governo gasta bilhões em propaganda para mostrar um “Brasil irreal”.

— O que não dá mais para aguentar é o que vem acontecendo no Brasil. Um Brasil virtual, vendido numa propaganda bilionária, quase uma lavagem cerebral, como se fossemos um país quase sem miséria. A grande verdade vai ficar clara na campanha, quando o Brasil real for confrontado com o Brasil virtual.

PALANQUES NOS ESTADOS

O senador também declarou “ver problemas” em dividir palanques com o candidato Eduardo Campos (PSB). A declaração foi dada para explicar o apoio a chapa que reúne Paulo Bauer (PSDB) como candidato a governador, e Paulo Bornhausen (PSB) para concorrer na vaga ao Senado:

— Da minha parte, sempre que os candidatos do PSDB estiverem fortes, nós estaremos fortes. Agradeço o apoio dos candidatos do PSB em vários estados, não apenas aqui.

Aécio Neves: Datafolha mostra empate com Dilma no 2º turno

Datafolha: Queda de Dilma e crescimento da oposição no 2º turno tem a ver com aumento de eleitores que julgam governo ruim ou péssimo.

Eleições 2014

Fonte: Folha Poder

Dilma lidera com 36%, mas empata com Aécio no 2º turno, diz Datafolha

Datafolha faz levantamento de candidatos à Presidência - Arte O Globo

Com 36% das intenções de voto na simulação de primeiro turno, a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, mantém a liderança da disputa pelo Palácio do Planalto. Mas, pela primeira vez, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) aparece tecnicamente empatado com ela no teste de segundo turno.

Segundo o Datafolha, se o turno final da disputa fosse hoje, Dilma teria 44% dos votos, Aécio alcançaria 40%. Como a margem de erro do levantamento é de dois pontos para mais ou para menos, eles estão na situação limite de empate técnico.

Num eventual disputa de segundo turno contra o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), o resultado seria 45% para Dilma contra 38% para Campos. É também a menor diferença entre os dois na série de nove pesquisas do Datafolha com este cenário desde agosto de 2013.

Em relação à pesquisa anterior, feita no começo do mês, o quadro do primeiro turno apresenta pouca diferença. Em 15 dias, Dilma oscilou de 38% para 36%. Aécio manteve os 20%. Campos oscilou de 9% para 8%.

Juntos, todos os rivais de Dilma também somam 36%. Considerando a margem de erro, portanto, não é possível dizer se haveria ou não segundo turno se a disputa fosse hoje.

A oscilação negativa de Dilma no primeiro turno e a aproximação de seus rivais em simulações de segundo turno são coerentes com o aumento do percentual de eleitores que julgam o atual governo como ruim ou péssimo.

Conforme a pesquisa, 29% desaprovam a gestão Dilma. Este é, numericamente, o maior percentual de ruim e péssimo para a petista desde o início de sua gestão, em 2011.

Já o total de eleitores que classificam a administração como boa ou ótima são 32% agora, praticamente a mesma taxa apurada no fim de junho de 2013, imediatamente após a grande onda de protestos pelo país. Naquela ocasião, a taxa de aprovação à gestão petista despencou de 57% para 30%.

Em relação à pesquisa anterior, a taxa de rejeição a Dilma subiu de 32% para 35%. O segundo mais rejeitado é o candidato Pastor Everaldo (PSC), que tem 3% das intenções de voto, mas 18% de rejeição. Os que rejeitam Aécio oscilaram de 16% para 17%. Campos mantém os 12% da pesquisa anterior.

O Datafolha ouviu 5.377 eleitores em 223 municípios na terça (15) e nesta quarta-feira (16). O levantamento foi encomendado pela Folha em parceria com a TV Globo.