• Agenda

    novembro 2013
    S T Q Q S S D
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    252627282930  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Aécio Neves: Lula age como sombra de Dilma

Aécio: “O que eu vejo é o PT hoje muito ansioso, aflito, duvidando das condições da presidente da República”.

Eleições 2014

Fonte: Folha de S.Paulo

Lula age como ‘sombra’ de Dilma, diz Aécio

Senador tucano afirma que PT está inseguro sobre as chances de reeleição da presidente e que, por isso, está ‘aflito’

Para o PSB, partido do presidenciável Eduardo Campos, Lula se coloca na linha de frente para ser ‘cover’ da sucessora

Opositores do PT disseram ontem que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se coloca como “sombra” e “cover” da presidente Dilma Rousseff porque tem dúvidas sobre a capacidade dela de se reeleger em 2014.

As críticas são uma reação aos ataques do petista à política econômica do governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) e às declarações da ex-senadora Marina Silva, que recentemente defendeu a gestão tucana.

Segundo o senador mineiro Aécio Neves (PSDB), possível rival de Dilma no pleito do próximo ano, Lula “vai criando uma sombra” sobre Dilma “mesmo sem querer”.

“O que eu vejo é o PT hoje muito ansioso, aflito, duvidando das condições da presidente da República, que eu acho que não são boas. Alguém para disputar a reeleição deveria estar numa condição muito melhor do que ela está.”

O tucano diz que o PT vive “inseguranças internas” decorrentes da suposta pressão para que Lula assuma a candidatura no lugar de sua sucessora. Segundo Aécio, o governo Dilma deixará duas marcas principais: a ineficiência e os desvios éticos.

Lula, que esteve anteontem com Dilma no evento dos dez anos do Bolsa Família, criticou a ex-aliada Marina Silva por ela destacar a contribuição do governo Fernando Henrique Cardoso para a estabilidade econômica do país. Segundo o petista, Marina tem tomado lições erradas de economia.

Marina se aliou em outubro ao projeto presidencial do governador Eduardo Campos (PE), cujo partido, o PSB, apoiou os governos do PT desde 2003, tendo só recentemente rompido com Dilma.

Para AécioLula tem que “parar de brigar com a história”. Ele também criticou o que chamou de “agenda de candidata” de Dilma.

“Os brasileiros pagaram um ato de campanha eleitoral no ato de comemoração dos dez anos do Bolsa Família. Nada ali é de governo, mas às custas do governo.”

Entre os aliados da dupla Campos e Marina a ordem é mirar em Dilma mediante a avaliação de que o PT tem a estratégia de colocar Lula na linha de frente para poupar a presidente.

“O Lula é o craque do PT e temos que registrar apenas o quanto ele é importante e o quanto ele está preocupado com a gente. Por que ele não fala do Aécio?”, diz o deputado federal Márcio França (PSB-SP), um dos principais aliados de Campos.

“O Lula está querendo ser o cover’ da Dilma e nós não vamos entrar nessa, queremos debater é com a Dilma, que é quem tem a caneta. Ao Lula, rendemos nosso carinho e homenagem por tudo o que ele fez pelo país”, afirmou o líder da bancada do PSB na Câmara, Beto Albuquerque (RS).