• Agenda

    setembro 2013
    S T Q Q S S D
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

“É obrigação do PSDB ter um projeto novo de Brasil.” – Aécio Neves

O presidente nacional do PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira), senador Aécio Neves (MG), abriu os encontros regionais que o partido fará pelo país até o final do ano. O evento aconteceu no sábado (21), em Maceió (AL). Para Aécio, o partido tem a responsabilidade de apresentar aos brasileiros um novo projeto. O senador está sendo cotado pelas principais lideranças do PSDB para disputar, em nome do partido, as eleições presidências de 2014.

 

Segundo a legenda, durante os encontros regionais serão debatidos os problemas enfrentados nos municípios e estados, além da formulação de propostas para a construção de uma agenda a ser apresentada aos brasileiros nas eleições estaduais e nacionais do ano que vem. “É obrigação do PSDB ter um projeto novo de Brasil. Um projeto que passe pela refundação da Federação, com o resgate dos municípios e dos estados, por uma generosidade maior do governo federal no financiamento da saúde, da segurança, pela eficiência na busca dos investimentos para a região”, diz Aécio Neves.

 

Acompanhado de lideranças tucanas, Aecio Neves, pré candidato a presidente em 2014, destacou a necessidade da criação de oportunidades para os mais jovens. O senador lamentou que investimentos em qualificação e outras áreas essenciais para a população, como saúde e educação, sejam comprometidos pela dívida dos estados com a União, que o governo federal se recusa a negociar. “Os jovens dessa região precisam ter oportunidades, precisam ser qualificados para entrar no mercado de trabalho de forma competitiva. Não é justo que o governador Teotônio Vilela tenha que assinar um cheque de R$ 50 milhões todo mês e repassar à União, porque a União não quer renegociar a dívida dos estados. Esse dinheiro tinha que ficar aqui para investimentos em saúde, saneamento, educação, em qualificação dos jovens. O governo do PT, a grande verdade é essa, vem fazendo muito mal ao país”.

 

Aécio Neves disse que o país precisa de um governo eficiente para resgatar a credibilidade do país, lamentando que “a população tenha que conviver com o atraso e desperdício de recursos públicos em obras como a Transnordestina, a transposição do Rio São Francisco, a Refinaria Abreu e Lima e a Fiol, todas na região Nordeste”, disse.

 

Aécio Neves (PSDB-MG) é eleito melhor senador

Prêmio congresso em Foco: Aécio Neves foi escolhido como o melhor representante da sociedade no Congresso pelo voto dos internautas.

Senador eficiente

Fonte: Jogo do Poder 

Aécio Neves (PSDB-MG) foi eleito o melhor senador no Prêmio Congresso em Foco

Aécio Neves (PSDB-MG) foi eleito o melhor senador no Prêmio Congresso em Foco.

Prêmio Congresso em Foco: Aécio Neves é eleito como melhor senador por internautas

Aécio Neves foi o vencedor da votação espontânea que elegeu o melhor representante da população no Congresso.

Aécio Neves (PSDB-MG) foi eleito o melhor senador no Prêmio Congresso em Foco. Aécio foi escolhido como o melhor representante da sociedade no Congresso por votos espontâneos dos internautas. Aécio Neves foi eleito com 909 votos.

O prêmio possuía diversas categorias com uma relação de parlamentares selecionados por jornalistas especializados. Mesmo sem figurar na relação pré-estabelecida, Aécioconseguiu receber votos da sociedade, que o consagrou como melhor senador.

Criado em 2006, o Prêmio Congresso em Foco é considerado como uma das principais ferramentas para acompanhar o desempenho dos congressistas, reconhecendo e valorizando aqueles que se destacam, de maneira positiva, no exercício do mandato.

Veja AQUI o resultado do Prêmio Congresso em Foco

Aécio Neves, presidente do PSDB, critica PT em encontro do partido

Neste último sábado em visita à Maceió, o  senador Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, classificou durante encontro regional do partido na cidade, como uma “cruzada” sua caravana pelo Brasil. “Começamos hoje uma linda caminhada”, disse o tucano para uma plateia de lideranças do PSDB, prefeitos, deputados e governadores do Nordeste.

Ao discursar, Aécio voltou a atacar o PT. “Pegaram ontem mais um com a mão na botija no Palácio do Planalto fazendo tráfico de influência”, acusou, referindo-se ao ex-assessor especial Idaílson José Vilas Boas Macedo, da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República.

O presidente do PSDB, Aecio Neves, ainda atacou o programa Bolsa Família:”Para nós, o Bolsa Família é o ponto de partida, para o PT é o ponto de chegada”, disse Aécio. “O DNA do PSDB está nos programas de transferência de renda. Começamos isso no sertão de Alagoas. Depois, a esse programa se juntou o Bolsa Escola. Veio daí o Bolsa Família”, afirmou.

Apesar das críticas contra o PT, o senador Aécio Neves não irá usar o caso “mensalão” em sua campanha eleitoral, quem afirma a situação é seu próprio marqueteiro, Renato Pereira, que concedeu entrevista  ao jornalista Fernando Rodrigues. Pereira afirmou que o ponto central da campanha de Aécio será outro. “É ´quem muda o Brasil é você´. Por quê? Por duas razões. A grande mudança nos últimos anos – redução da desigualdade e a emergência de milhões de brasileiros – se deve em grande parte ao esforço de cada uma dessas pessoas. Os brasileiros conquistaram melhor lugar ao sol graças ao mérito próprio. O segundo ponto tem a ver com a agenda mais liberal que o PSDB carrega em relação à economia. É uma visão de que o agente da mudança não é essencialmente o Estado. O agente da mudança está na sociedade. São os indivíduos, são as empresas, é a sociedade civil organizada”. afirma.

Aécio Neves quer ampliar espaços do PSDB

No caso de Salvador, a visita vai além de um simples acarajé com o prefeito Antonio Carlos Magalhães Neto. Trata-se de uma demonstração de apreço e prestígio a um antigo aliado tucano, o Democratas. O DEM até hoje não conheceu um candidato próprio a presidente da Republica. Seu antecessor, o PFL fez uma incursão nesse campo apenas em 1989. (Naquele ano, depois de fracassada a aliança com o então candidato tucano, Mário Covas, com a saída de Roberto Magalhães da chapa, o PFL lançou Aureliano Chaves).

Aécio Neves, pré candidato para 2014, não quer ver o aliado lhe escorrer pelos dedos. Sabe que existe um movimento do deputado Ronaldo Caiado, de Goiás, no sentido de levar apoios do partido ao governador de Pernambuco, Eduardo Campos. Embora Aécio e Eduardo tenham uma relação cordial e respeitosa, ali vale o ditado “amigos, amigos, eleições à parte”. Aécio Neves não ficará quieto vendo o DEM seguir outros caminhos, que não o da aliança com o PSDB. Portanto, essa reaproximação no sentido de minar os gestos de Caiado é o pano de fundo do encontro de hoje entre o senador e ACM Neto. Vale lembrar que, em 2010, ACM Neto queria Aécio como o nome da aliança para concorrer contra a presidente Dilma Rousseff, mas os tucanos escolheram José Serra.

Já em Maceió, Aécio tem outros objetivos. Ali, na cidade administrada por Rui Palmeira, do PSDB, os tucanos querem demonstrar que, assim como Dilma e Eduardo Campos, também têm seus planos para a região, que vão além do Bolsa Família do governo federal. Para isso, o partido começou a mobilizar seus prefeitos, vereadores e também deputados estaduais. “Em 20 anos, reduzimos em 80% os índices de mortalidade infantil, mas não atingimos a média nacional. Se não tivermos uma política diferenciada para oNordeste, não sairemos do lugar”, comenta Rui Palmeira. A ordem deste fim de semana, portanto, será fugir da agenda negativa que tomou conta do noticiário, com a segunda rodada do julgamento do mensalão, e tentar colar no PSDB uma imagem de preocupação com a vida das pessoas, coisa que Dilma também tenta fazer em seu governo.

Aécio Neves realizará bate-papo ao vivo no novo site do partido

Lançado em maio deste ano, o site conversa com brasileiros, o novo portal do PSDB para  se aproximar dos cidadãos, contará hoje(19) com a presença do senador mineiro Aecio Neves, que vem de uma família com vasta biografia na política. O presidente nacional dos tucanos, Aécio Neves (MG), também será o protagonista da propaganda eleitoral do partido que vai ao ar hoje no horário gratuito em cadeia de rádio e televisão, com duração de 10 minutos. O tucano vai manter a linha das inserções que estão no ar desde o dia 10, com críticas ao governo da presidente Dilma Rousseff (PT), e pretende mostrar as diferenças entre PSDB e PT.

Depois de focar em Minas, no primeiro programa, que foi ao ar em maio, o senador agora vai aparecer em várias regiões do país, como vem acontecendo nas inserções. Ele gravou o programa com jovens da periferia de São Paulo, com produtores rurais em Sorriso (MT), com feirantes em Campina Grande (PB) e na Estação Central do Brasil, no Rio de Janeiro. No Ceará, ele fez críticas às obras da transposição do Rio São Francisco. A intenção é atingir um novo eleitor, da classe emergente. Mantendo o slogan “Quem muda o Brasil é você”, ele vai enfocar os principais temas que preocupam o brasileiro, como inflação, educação, saúde e transporte público.

Aécio Neves, que apresenta 30 anos de dedicação à vida pública em sua biografia, finalizará a conversa com um convite, para que os telespectadores participem do bate papo on-line, que acontecerá ao vivo às 20:45 no site lançado em maio pelo partido. A conversa vai durar cerca de uma hora, com a participação do sociólogo Cláudio Beato; do coordenador do Afroreggae, José Júnior; e do economista Samuel Pessoa.

No Nordeste, Aécio dá início a construção de nova agenda

Aécio Neves afirmou que o Brasil precisa de um governo eficiente para resgatar a credibilidade do país.

Aécio Neves no Nordeste

Fonte: Site Aécio Neves Senador

Aécio Neves inicia encontros regionais do PSDB pelo Nordeste e destaca construção de nova agenda

“Temos uma responsabilidade enorme com o Brasil. Queremos que o Brasil
 dê um salto de qualidade. Por mais bilionária que seja,
a propaganda oficial não vai mascarar a realidade”, diz Aécio

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves, abriu nesse sábado (21/09), em Maceió (AL), os encontros regionais que o PSDB fará pelo país até o final do ano. Aécio destacou que o partido tem a responsabilidade de apresentar aos brasileiros um novo projeto para o país. Durante os encontros regionais, o partido quer debater os problemas enfrentados nos municípios e estados e formular propostas para a construção de uma agenda a ser apresentada aos brasileiros nas eleições estaduais e nacionais ano que vem.

“É obrigação do PSDB ter um projeto novo de Brasil. Um projeto que passe pela refundação da Federação, com o resgate dos municípios e dos estados, por uma generosidade maior do governo federal no financiamento da saúde, da segurança, pela eficiência na busca dos investimentos para a região. Temos uma responsabilidade enorme com o Brasil. Queremos que o Brasil dê um salto de qualidade. Não podemos aceitar que o Brasil cresça na América do Sul apenas mais que a Venezuela, como vai ocorrer esse ano. Ano passado, crescemos mais apenas que o Paraguai. Não é justo com os brasileiros. Nenhuma propaganda, por mais maciça, por mais bilionária que seja, como a propaganda oficial, vai mascarar a realidade”, afirmou Aécio em entrevista coletiva.

Acompanhado do governador de Alagoas, Teotônio Vilela, do prefeito de Maceió, Rui Palmeira, e do presidente do ITV, deputado federal Sérgio Guerra, além de senadores, deputados e lideranças tucanas, Aécio ressaltou a necessidade da criação de oportunidades para os brasileiros, sobretudo os mais jovens. O presidente do partido lamentou que investimentos em qualificação e outras áreas essenciais para a população, como saúde e educação, sejam comprometidos pela dívida dos estados com a União, que o governo federal se recusa a negociar.

“Os jovens dessa região precisam ter oportunidades, precisam ser qualificados para entrar no mercado de trabalho de forma competitiva. Não é justo que o governador Teotônio Vilela tenha que assinar um cheque de R$ 50 milhões todo mês e repassar à União, porque a União não quer renegociar a dívida dos estados. Esse dinheiro tinha que ficar aqui para investimentos em saúde,saneamento, educação, em qualificação dos jovens. O governo do PT, a grande verdade é essa, vem fazendo muito mal ao país”.

Grandes obras precisam de governo eficiente

Aécio Neves afirmou que o Brasil precisa de um governo eficiente para resgatar a credibilidade do país. Ele lamentou que a população tenha que conviver com o atraso e desperdício de recursos públicos em obras como a Transnordestina, a transposição do Rio São Francisco, a Refinaria Abreu e Lima e a Fiol, todas na região Nordeste.

“A Ferrovia de integração Oeste Leste (Fiol) sem um palmo de trilho colocado. A Transnordestina, programada para estar pronta há dois anos, dos 1.700 Km não tem 300 Km prontos. A Transposição do São Francisco é de doer o coração. Obras há três anos abandonadas. Isso não é normal. Obras custando duas ou três vezes o orçamento inicial e não concluídas. Isso é maior desperdício dedinheiro público que se pode ter. Ninguém vai me convencer que é normal uma obra como a Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, ser orçada em R$ 4 bilhões, já ter gasto R$ 30 bilhões e não estar pronta. Isso é assalto aos cofres públicos. O Brasil precisa de governo eficiente para que não percamos definitivamente a nossa credibilidade”, disse Aécio Neves.

Leia também:

Aécio Neves: PT faz cooptação com dinheiro público

Aecio Neves convida brasileiros para bate-papo na internet hoje à noite

O senador mineiro Aécio Neves irá ao ar hoje em rede nacional na rádio e televisão por dez minutos. Ao fim da propaganda o senador Aécio Neves, que já conta com 30 anos de dedicação à vida pública em sua biografia,  irá convidar o telespectador para um bate papo on-line, no site lançado em maio. A conversa vai durar cerca de uma hora, com a participação do sociólogo Cláudio Beato; do coordenador do Afroreggae, José Júnior; e do economista Samuel Pessoa.

Depois de focar em Minas, no primeiro programa, que foi ao ar em maio, o senador Aecio Neves, que vem de uma família com vasta biografia política agora vai aparecer em várias regiões do país, como vem acontecendo nas inserções. Ele gravou o programa com jovens da periferia de São Paulo, com produtores rurais em Sorriso (MT), com feirantes em Campina Grande (PB) e na Estação Central do Brasil, no Rio de Janeiro. No Ceará, ele fez críticas às obras da transposição do Rio São Francisco. A intenção é atingir um novo eleitor, da classe emergente. Mantendo o slogan “Quem muda o Brasil é você”, ele vai enfocar os principais temas que preocupam o brasileiro, como inflação, educação, saúde e transporte público.

Ainda esta semana, o senador Aécio Neves comentou sobre a decisão de Dilma Rousseff ao cancelar a sua viagem para os Estados Unidos.

O mineiro qualificou como uma “jogada de marketing” a decisão da presidente Dilma Rousseff de adiar a visita de Estado que faria aos Estados Unidos em outubro pela suposta espionagem americana da qual foi vítima.

“Era a oportunidade de a presidente ter uma agenda afirmativa em defesa dos interesses do País. Ela opta, mais uma vez por privilegiar o marketing”, criticou Aécio, candidato mais provável do PSDB às eleições de outubro do ano que vem, nas quais Dilma deverá tentar um novo mandato de quatro anos.

Aécio: Vozes do Brasil, coluna Folha #vamosconversar

#Vamosconversar – Aécio: “Precisamos ouvir mais uns aos outros para a construção de um projeto coletivo, capaz de acolher os diferentes sonhos e esperanças”.

Aécio: coluna Folha de S.Paulo

Aécio: Conversa com Brasileiros e as Vozes do Brasil

Aécio: “o diálogo com a população é um processo necessário, irreversível e saudável”. Foto: George Gianni

Fonte: Folha de S.Paulo

Vozes do Brasil

Coluna de Aécio Neves

Semana passada, vivi uma rica experiência ao participar de um debate ao vivo na internet, com convidados de áreas diversas e internautas de todo o país, sobre os grandes desafios nacionais.

Foi uma conversa franca, na qual ficou claro que o diálogo com a população é um processo necessário, irreversível e saudável. E cada vez mais possível com os novos recursos tecnológicos. São fronteiras ampliadas de interlocução, de uma forma nunca antes experimentada por quem carrega a responsabilidade da representação.

Não há mais ambiente para as verdades inflexíveis, soluções generalistas e discursos retóricos vazios. Para representar o desejo coletivo, é necessário dar espaço e ressonância à voz do outro. A impaciência e a revolta que emanaram das ruas são sintomas de uma sociedade que deseja ser ouvida de verdade e com urgência.

Se quer respostas, o brasileiro deseja também contribuir, participar. Viajando pelo país como presidente do PSDB, o que sinto é uma imensa vontade do cidadão de se engajar num projeto de país realmente transformador. Mesmo com sotaques e regionalismos diversos, perdura o sentimento de uma forte unidade, em um cenário de grande diversidade cultural. Se é fato que a maioria reconhece as conquistas das últimas décadas, a percepção geral é a de que ainda não chegamos lá.

Comerciantes, industriais, jovens de todas as classes sociais, gente que quer empreender e fazer acontecer relatam o cotidiano de um país estrangulado, injusto e desigual, com infraestrutura insuficiente e as mazelas de um governo cada vez mais intervencionista, pesado e pouco eficaz. O pior é o sentimento de que muitas conquistas dos brasileiros estão em risco com o baixo crescimento e a inflação alta.

Foi uma boa conversa, mas ainda insuficiente. Precisamos ouvir mais uns aos outros para a construção de um projeto coletivo, capaz de acolher os diferentes sonhos e esperanças. Entre as muitas certezas revigoradas, trago uma constatação: não há rede oficial de rádio e TV capaz de abafar as vozes do Brasilreal.

PS: Não poderia encerrar a coluna de hoje, em que falo de internet, sem manifestar minha solidariedade às atrizes Carol Castro, Rosamaria Murtinho, Nathalia Timberg, Susana Vieira e Bárbara Paz. Para quem não acompanhou, exercendo o legítimo direito de expressão –que deve ser garantido a todo brasileiro, qualquer que seja sua opinião– elas manifestaram a decepção pessoal com o resultado da votação dos embargos no caso do mensalão. Acabaram vítimas de violentos e injustos ataques realizados pelo exército digital, que, aparelhado, tenta constranger e intimidar todos aqueles que não se alinham às causas do projeto de poder instalado no país.

AÉCIO NEVES escreve às segundas-feiras nesta coluna.

Aécio Neves diz que Dilma fez marketing ao cancelar viagem para Estados Unidos

Para o senador mineiro, Aécio Neves, presidente nacional dos tucanos, a decisão da presidente Dilma Rousseff ao cancelar ida para Washington nos Estados Unidos, foi uma “ jogada de marketing”. A viagem estava prevista para o dia 23 de outubro em resposta às denúncias de espionagem da NSA. Para o senador mineiro Aecio Neves, que é o atual presidente do partido dos tucanos, a presidente Dilma realizou uma jogada de marketing em suadecisão de adiar a visita de Estado que faria aos Estados Unidos em outubro pela suposta espionagem americana da qual foi vítima.

Dilma anunciou ontem (17) sua decisão de adiar a visita a Washington prevista para o dia 23 de outubro em resposta às denúncias que foi vítima da espionagem da Agência Nacional de Segurança dos EUA (NSA, na sigla em inglês).

A decisão foi anunciada em uma nota oficial que explica que foi tomada de comum acordo com o presidente dos EUA, Barack Obama, e que diz claramente que se deveu à espionagem sobre Dilma, empresas e cidadãos brasileiros.

No entanto, na opinião de Aecio Neves, “a decisão foi tomada não em reunião com o ministro das Relações Exteriores – ele me parece ter sido comunicado -, mas em reunião com aqueles que formulam a estratégia eleitoral da presidente”.

Outros líderes opositores repetiram o mesmo discurso. “Apoiamos uma reação forte de repúdio à espionagem, mas no contexto em que foi tomada a decisão ficou claro que houve um conflito entre diplomacia e interesses eleitorais. O que se quer é mobilizar os sentimentos de patriotismo no Brasil para fins eleitorais”, afirmou o senador Aloysio Nunes, também do PSDB.

“Queremos reestatizar a Petrobras, que foi partidarizada pelo PT”, provoca Aécio Neves

Não é de agora que vem o discurso de Aécio Neves para salvar a Petrobras. O tempo urge

e com ele a necessidade de mudanças. Se a Petrobrás é nossa, devemos cuida-la, e não

aceitarmos o que é imposto e sim decidirmos em conjunto, porque sabemos que a nossa

gasolina é uma das mais caras do mundo sem sentido.

Ainda no início do ano, o senador tucano, e pré candidato a presidente em 2014, Aécio Neves

abriu discurso dizendo:

“Queremos reestatizar a Petrobras, que foi partidarizada pelo PT”, provocou o senador Aécio

Neves (PSDB-MG) logo que chegou ao seminário ‘Recuperar a Petrobras é o Nosso Desafio’,

organizado pelo PSDB na Câmara dos Deputados. Pré-candidato do PSDB à Presidência da

República em 2014, Aécio seria o principal palestrante do evento, e, como era esperado, bateu

duro nas gestões petistas da estatal.

Segundo o senador, “essa discussão faz parte do Brasil de hoje e do Brasil do futuro”. “Cabe a

nós, da oposição, estar atentos, condenando abusos e apresentando alternativas ao que está

aí”, discursou, criticando que, em vez de autossuficiência, “estamos hoje importando cada

vez mais combustíveis”. O tucano criticou ainda a falta de leilões na área de exploração desde

2008 e disse que isso revela falha de gestão. Falando em “gestão temerária”, o senador disse

que “me parece irreal manter a Petrobras em 30% da exploração de cada campo de petróleo”.

Segundo o PSDB, o número anual médio de gasolina importada passou de 471 mil barris entre

2000 e 2002 – últimos três anos da gestão de Fernando Henrique Cardoso – para 13,5 milhões

entre 2010 e 2012, no governo do PT.

O custo médio com a importação também registrou alta: de US$ 14,2 milhões, entre 2000 a

2002, para US$ 1,64 bilhão, entre 2010 e 2012. Em relação ao óleo diesel, a média anual de

barris importados subiu de 39,3 milhões para 55,1 milhões, também na comparação entre os

mesmos períodos.

Já para a querosene de aviação, a variação foi de 6,5 milhões de barris anuais em média, de

2000 a 2002, para 11,3 milhões, de 2010 a 2012.

Aproveitando as críticas à Petrobras, Aécio mencionou a necessidade de “construir uma nova

agenda”, o que seria uma “obrigação do PSDB, da oposição e dos brasileiros”. “Precisamos

contrapor e mostrar aos brasileiros o Brasil real com o Brasil da propaganda”, defendeu,

alfinetando a presidente Dilma Rousseff mais uma vez: “O Brasil só acabará de uma vez por

todas com a miséria com educação e desenvolvimento, e não com um decreto”.