• Agenda

    agosto 2012
    S T Q Q S S D
    « jul   set »
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Anastasia: santuário da Piedade ganha decreto

Anastasia: santuário da Piedade ganha decreto – Conjunto paisagístico, artístico e cultural é o primeiro atrativo de Minas considerado de Especial Relevância.

Anastasia: governador

Fonte: Agência Minas

 Anastasia: santuário da Piedade ganha decreto

Antonio Anastasia assina decreto para valorizar potencial turístico da Serra da Piedade

Governador declara o conjunto Atrativo Turístico de Especial Relevância e dá ordem para segunda etapa de implantação do Caminho Religioso, ligando os santuários da Piedade e de Aparecida

O governador Antonio Anastasia assinou, nesta terça-feira (31), na Serra da Piedade, decreto que declara Atrativo Turístico de Especial Relevância o conjunto paisagístico, artístico e cultural do Santuário Estadual Nossa Senhora da Piedade, em Caeté, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O título aumentará a visibilidade do local, além de fomentar o turismo e atrair recursos, gerando mais empregos de qualidade, mais cultura e mais renda para os mineiros. O decreto prevê a adoção de políticas públicas como a preservação da biodiversidade do entorno do Santuário. Este é o primeiro atrativo de Estado considerado de Especial Relevância.

O ato, que coincide com a celebração dos 52 anos da proclamação de Nossa Senhora da Piedade Padroeira de Minas, foi citado pelo governador como importante ação de preservação do conjunto religioso, histórico e cultural da Serra da Piedade.

 Anastasia: santuário da Piedade ganha decreto

Anastasia: santuário da Piedade ganha decreto

“Ao fazer esta declaração, estamos determinando às áreas de governo que realizem ações voltadas para as grandes potencialidades que temos, não só no turismo religioso, mas, de todo esse acervo que é único. A Serra da Piedade é um dos maiores patrimônios de Minas Gerais e do Brasil pela sua beleza física, pelo seu significado religioso, histórico e cultural”, destacou Anastasia.

“Tenho certeza de que estamos, em fidelidade ao passado e a muitos personagens, abrindo um horizonte cada vez largo, de modo que o futuro religioso, turístico e cultural de Minas Gerais possa ganhar mais espaço e grandes incentivos”, disse o arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, Dom Walmor de Azevedo.

Mais infraestrutura

O governador anunciou que a Cemig vai iluminar o portal da Serra da Piedade e eletrificar a bomba d´água (em nascente ao pé da Serra) para regular o abastecimento no topo do Santuário. Ele falou sobre a importância de investimentos em infraestrutura para o estímulo e segurança dos turistas.

“Estamos autorizando a Cemig a fazer a iluminação da entrada e do alto da Serra. Pretendemos, juntamente com a prefeitura de Caeté, no próximo ano, fazer a iluminação do trecho da estrada municipal que liga a rodovia ao topo da Serra. E, claro, fazemos eco ao pedido de duplicação da BR-381, fundamental não só para Caeté, mas para todo Leste do Estado, para o desenvolvimento econômico e segurança de todos que trafegam por esta artéria. São obras de infraestrutura fundamentais para o bem de Minas e dos mineiros”, ressaltou. As obras da BR-381 são de responsabilidade do Governo Federal.

Rota de Peregrinação

A Serra da Piedade será um dos pontos de partida do Caminho Religioso Estrada Real (Crer), cuja segunda etapa de implantação foi oficializada pelo governador e pelo secretário de Estado de Turismo, Agostinho Patrus Filho, durante a solenidade.

O Caminho será um trajeto para peregrinação de aproximadamente 850 quilômetros de extensão, que liga os santuários da Padroeira de Minas e da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, em São Paulo. A rota coincidirá com parte da Estrada Real, passando por 37 cidades, sendo 32 em Minas e cinco em São Paulo. O projeto abrange, ao todo, 86 municípios mineiros.

Com recursos de R$ 2 milhões, a etapa de implantação do Crer será concluída até maio de 2013, a tempo da Jornada Mundial da Juventude no Brasil. Na primeira etapa, iniciada em 2011, foram elaborados projetos para estruturação do Caminho e investidos R$ 299 mil.

Minas Gerais já tem, pela sua tradição histórica, uma força muito grande da religiosidade da sua gente e dos turistas que vem aqui também sob o aspecto religioso. Ao construirmos esse caminho da Serra da Piedade até Aparecida, no Estado de São Paulo, onde está a basílica da Padroeira do Brasil, vamos estimular o turismo, permitir o conhecimento de belas paisagens entre Minas Gerais e São Paulo e, sobretudo, estimular a fé das pessoas”, disse Anastasia.

O Caminho Religioso poderá ser percorrido a pé, de bicicleta ou a cavalo, e disponibilizará infraestrutura de apoio para os peregrinos como quiosques para descanso, bebedouros, paraciclos e estrutura para cavalo. Em trilhas serão feitas correção do solo e instalação de guarda-corpo.

“O percurso será sinalizado e serão confeccionados guias ilustrados com mapas para orientação. Será instituída uma credencial a ser carimbada em pontos pré-estabelecidos e, ao final do percurso, um Certificado de Conclusão do Caminho Religioso será emitido para aqueles que tiverem todos os carimbos”, explicou o secretário Agostinho Patrus Filho. O projeto é inspirado no Caminho de Santiago de Compostela, famoso em todo o mundo, que percorre um trajeto da França à Espanha em 750 km.

Proteção do Santuário e da Serra da Piedade

Caeté é um dos municípios eleitos pela Secretaria de Turismo como destino indutor do desenvolvimento turístico regional de Minas, devido à importância do turismo religioso. Recentemente, numa votação popular pela internet, para escolha das Sete Maravilhas da Estrada Real, a Serra da Piedade foi premiada como hors-concours.

O Conjunto Arquitetônico e Paisagístico foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 1956, e pelo Estado em 1989, que o declarou como Monumento Natural e Cultural de Minas Gerais, e pelo município de Caeté, em 2001. Lei estadual de 2004 definiu os limites da Área de Proteção Ambiental da Serra da Piedade.

Em 2005, a Unesco entregou o título de “reserva da biosfera” ao trecho mineiro do maciço da Serra do Espinhaço, que inclui a Serra da Piedade. Em maio de 2006, o governador Aécio Neves homologou a extensão do tombamento do Conjunto Paisagístico da Serra da Piedade nos municípios de Caeté e Sabará, que foi aprovado pelo Iphan em 2010.

O Santuário atrai peregrinos desde o século XVIII, quando os portugueses Antônio da Silva Bracarena e Irmão Lourenço construíram um eremitério e uma igreja dedicada a Nossa Senhora, no alto da montanha, a 1.746 metros de altitude.

Turismo religioso

O segmento de Turismo religioso é um dos que mais cresce no mundo. Levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisas da Universidade de São Paulo mostra que existem cerca de 15 milhões de brasileiros interessados em destinos religiosos. Mais de 8,1 milhões de viagens domésticas no Brasil são motivadas pela fé.

Em 2013, Belo Horizonte vai sediar o II Congresso Mundial de Universidades Católicas (CMUC), que deverá reunir cerca de quatro mil pessoas. O CMUC é um dos eventos que antecede a Jornada Mundial da Juventude, que será realizada no Rio de Janeiro.

Anastasia: governador – Link da matéria: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/multimidia/galerias/antonio-anastasia-assina-decreto-para-valorizar-potencial-turistico-da-serra-da-piedade/

Governo Anastasia: rastreamento de medicamentos garante mais segurança a pacientes

Gestão da Saúde: Projeto foi implantado com recursos do Governo de Minas

Os medicamentos do Hospital César Leite na Zona da Mata passam agora por um processo de rastreamento
Os medicamentos do Hospital César Leite na Zona da Mata passam agora por um processo de rastreamento
 

Um rastreamento rigoroso dos medicamentos do Hospital César Leite (HCL), em Manhuaçu, na Zona da Mata, está trazendo mais segurança e qualidade no tratamento para os pacientes e economia para a instituição. Isso por que a gerência farmacêutica tem o controle, em tempo real, de tudo que foi ministrado a cada paciente; lote, quantidade dispensada e data de validade.

O projeto de rastreabilidade foi implantado com recursos do Prêmio Célio de Castro, concedido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). São beneficiadas as instituições de destaque no Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS (Pro-Hosp), do Governo de Minas. O HCL ficou em segundo lugar no Estado e recebeu a quantia de R$ 300 mil que, necessariamente, deveriam ser revertidos em benefícios aos pacientes.

“A farmacovigilância possibilita o controle exato do lote de cada medicamento encaminhado ao paciente. Se houver uma notificação da Anvisa, alertando para algum lote de medicamento com desvio de qualidade, nós sabemos em tempo real quais os pacientes que fizeram uso. Outra vantagem é no caso de paciente apresentar alguma reação adversa não esperada; assim é possível saber quais os pacientes que também tomaram e identificar se o problema é com o paciente ou com o medicamento”, explica Chardson Roberto da Paixão, farmacêutico responsável do Hospital.

Ele também ressalta os benefícios na gestão da farmácia do HCL. “Diminuímos o desperdício, pois sabemos tudo o que vai vencer nos próximos meses e já posicionamos para serem utilizados no período de validade”, conta. O rastreamento é feito a partir da leitura do código de barra do medicamento e identificadores para cada usuário. Assim, fica armazenado no sistema exatamente o que foi ministrado para o paciente, datas, quantidade e lote dos medicamentos.

O trabalho na gerência farmacêutica foi beneficiado, ainda, diretamente pelo Pro-Hosp. A direção do HCL destinou parte dos recursos do Estado para a reestruturação das unidades farmacêuticas dentro do hospital e viabilizou a construção da farmácia da UTI. O almoxarifado, que funcionava em um espaço de 88 m², hoje ocupa 272 m². Atualmente, 25 funcionários trabalham no setor.

Gestão hospitalar

O Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS repassa, desde 2007, recursos para o Hospital César Leite, em Manhuaçu. Os investimentos, até o momento, somam R$ 6,5 milhões e, além da melhoria no atendimento, o programa promoveu a profissionalização da gestão hospitalar.

A administradora do HCL, Ana Lígia de Assis Garcia, destaca a modernização não só tecnológica, como também gerencial, propiciada pelo Pro-Hosp. “Você recebe o recurso, mas tem que aplicar também em profissionalização, como a participação em curso de formação de gerentes hospitalares”, relata.

Para ela, o foco na qualidade da gestão, foi um ganho principalmente para os hospitais do interior. O diretor técnico do HCL, Gláucio Quarto Martins, confirma. “O Pro-Hosp trouxe não só o recurso, como a mudança gerencial, mais motivação. O relacionamento da administração, com funcionários e corpo clínico é melhor hoje”, diz. Os investimentos para a melhoria da gestão incluíram aquisição de computadores, impressoras, material para educação continuada e treinamento de pessoal.

Obras e equipamentos

No Hospital César Leite, além do rastreamento de medicamentos e da profissionalização, os recursos do Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS foram aplicados em obras, como a ampliação do Centro de Tratamento Intensivo, da Central de Material Esterilizado, enfermaria, centro cirúrgico e portaria; reforma do apoio ao diagnóstico, farmácia e vestiário; e pintura do hospital.

Também foram adquiridos materiais e equipamentos para o centro cirúrgico, como aparelho de anestesia, monitores cardíacos, cardioversores, sistema de ventilação mecânica, carro de emergência, compressor, bisturis, filtro de absorção, mesas cirúrgicas, carros para anestesia completos para cirurgia de alta complexidade e kits para intubação; UTI, como kit de fisioterapia, ventiladores, berços aquecidos e fototerapia; CME; pediatria; e lavanderia.

“Um dos principais ganhos foi a condição de receber o paciente e ter equipamento para dar segurança para o monitoramento, para as cirurgias. O paciente de UTI é monitorado em todos os leitos. Não falta nenhum respirador para nenhum leito”, ressalta o angiologista Gláucio Quarto Martins.

O hospital referência para a microrregião e, atualmente, atende a 22 municípios. Em junho deste ano foram realizados 3327 atendimentos ambulatoriais; 1062 internações; uma média de 300 partos no mês; e mais de 800 cirurgias. Para o provedor do HCL, Sebastião Onofre de Carvalho, o Pro-Hosp é fundamental para atender à demanda na instituição. “Temos uma população flutuante grande, duas BRs passam próximas à cidade. Sem equipamentos de primeiro mundo, a assistência ao paciente não teria a mesma excelência”, afirma.

O paciente José Hilário Ferraz, 72 anos, é capixaba, se acidentou na estrada e recebeu atendimento no HCL. “Fizeram chapa, cirurgia no joelho, pontos no braço. Estou sendo muito bem cuidado”, conta, pouco antes de receber alta.

De Ipanema, no Leste do Estado, o paciente Nilson Gomes de Oliveira, também não tem do que reclamar. “Tive uma queda da escada e quebrei o braço. Passei por cirurgia, colocaram um pino na minha mão. Foi muito bem sucedida, porque eu poderia até ter perdido movimento. É minha primeira vez nesse hospital e estou tendo atendimento de primeira”, declara.

Pro-Hosp na Zona da Mata

Em toda a Zona da Mata, desde o início do programa, o Governo de Minas já investiu, por meio do Pro-Hosp, R$ 72,7 milhões. Foram beneficiadas, além de Manhuaçu, as cidades de Além Paraíba, Carangola, Cataguases, Juiz de Fora, Leopoldina, Lima Duarte, Manhumirim, Muriaé, Ponte Nova, Rio Casca, Santos Dumont, São João Nepomuceno, Ubá e Viçosa.

Fontehttp://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/rastreamento-de-medicamentos-propicia-seguranca-a-pacientes-de-hospital-do-interior/

Governo Anastasia: rastreamento de medicamentos garante mais segurança a pacientes

Gestão da Saúde: Projeto foi implantado com recursos do Governo de Minas

Os medicamentos do Hospital César Leite na Zona da Mata passam agora por um processo de rastreamento
Os medicamentos do Hospital César Leite na Zona da Mata passam agora por um processo de rastreamento
 

Um rastreamento rigoroso dos medicamentos do Hospital César Leite (HCL), em Manhuaçu, na Zona da Mata, está trazendo mais segurança e qualidade no tratamento para os pacientes e economia para a instituição. Isso por que a gerência farmacêutica tem o controle, em tempo real, de tudo que foi ministrado a cada paciente; lote, quantidade dispensada e data de validade.

O projeto de rastreabilidade foi implantado com recursos do Prêmio Célio de Castro, concedido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). São beneficiadas as instituições de destaque no Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS (Pro-Hosp), do Governo de Minas. O HCL ficou em segundo lugar no Estado e recebeu a quantia de R$ 300 mil que, necessariamente, deveriam ser revertidos em benefícios aos pacientes.

“A farmacovigilância possibilita o controle exato do lote de cada medicamento encaminhado ao paciente. Se houver uma notificação da Anvisa, alertando para algum lote de medicamento com desvio de qualidade, nós sabemos em tempo real quais os pacientes que fizeram uso. Outra vantagem é no caso de paciente apresentar alguma reação adversa não esperada; assim é possível saber quais os pacientes que também tomaram e identificar se o problema é com o paciente ou com o medicamento”, explica Chardson Roberto da Paixão, farmacêutico responsável do Hospital.

Ele também ressalta os benefícios na gestão da farmácia do HCL. “Diminuímos o desperdício, pois sabemos tudo o que vai vencer nos próximos meses e já posicionamos para serem utilizados no período de validade”, conta. O rastreamento é feito a partir da leitura do código de barra do medicamento e identificadores para cada usuário. Assim, fica armazenado no sistema exatamente o que foi ministrado para o paciente, datas, quantidade e lote dos medicamentos.

O trabalho na gerência farmacêutica foi beneficiado, ainda, diretamente pelo Pro-Hosp. A direção do HCL destinou parte dos recursos do Estado para a reestruturação das unidades farmacêuticas dentro do hospital e viabilizou a construção da farmácia da UTI. O almoxarifado, que funcionava em um espaço de 88 m², hoje ocupa 272 m². Atualmente, 25 funcionários trabalham no setor.

Gestão hospitalar

O Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS repassa, desde 2007, recursos para o Hospital César Leite, em Manhuaçu. Os investimentos, até o momento, somam R$ 6,5 milhões e, além da melhoria no atendimento, o programa promoveu a profissionalização da gestão hospitalar.

A administradora do HCL, Ana Lígia de Assis Garcia, destaca a modernização não só tecnológica, como também gerencial, propiciada pelo Pro-Hosp. “Você recebe o recurso, mas tem que aplicar também em profissionalização, como a participação em curso de formação de gerentes hospitalares”, relata.

Para ela, o foco na qualidade da gestão, foi um ganho principalmente para os hospitais do interior. O diretor técnico do HCL, Gláucio Quarto Martins, confirma. “O Pro-Hosp trouxe não só o recurso, como a mudança gerencial, mais motivação. O relacionamento da administração, com funcionários e corpo clínico é melhor hoje”, diz. Os investimentos para a melhoria da gestão incluíram aquisição de computadores, impressoras, material para educação continuada e treinamento de pessoal.

Obras e equipamentos

No Hospital César Leite, além do rastreamento de medicamentos e da profissionalização, os recursos do Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS foram aplicados em obras, como a ampliação do Centro de Tratamento Intensivo, da Central de Material Esterilizado, enfermaria, centro cirúrgico e portaria; reforma do apoio ao diagnóstico, farmácia e vestiário; e pintura do hospital.

Também foram adquiridos materiais e equipamentos para o centro cirúrgico, como aparelho de anestesia, monitores cardíacos, cardioversores, sistema de ventilação mecânica, carro de emergência, compressor, bisturis, filtro de absorção, mesas cirúrgicas, carros para anestesia completos para cirurgia de alta complexidade e kits para intubação; UTI, como kit de fisioterapia, ventiladores, berços aquecidos e fototerapia; CME; pediatria; e lavanderia.

“Um dos principais ganhos foi a condição de receber o paciente e ter equipamento para dar segurança para o monitoramento, para as cirurgias. O paciente de UTI é monitorado em todos os leitos. Não falta nenhum respirador para nenhum leito”, ressalta o angiologista Gláucio Quarto Martins.

O hospital referência para a microrregião e, atualmente, atende a 22 municípios. Em junho deste ano foram realizados 3327 atendimentos ambulatoriais; 1062 internações; uma média de 300 partos no mês; e mais de 800 cirurgias. Para o provedor do HCL, Sebastião Onofre de Carvalho, o Pro-Hosp é fundamental para atender à demanda na instituição. “Temos uma população flutuante grande, duas BRs passam próximas à cidade. Sem equipamentos de primeiro mundo, a assistência ao paciente não teria a mesma excelência”, afirma.

O paciente José Hilário Ferraz, 72 anos, é capixaba, se acidentou na estrada e recebeu atendimento no HCL. “Fizeram chapa, cirurgia no joelho, pontos no braço. Estou sendo muito bem cuidado”, conta, pouco antes de receber alta.

De Ipanema, no Leste do Estado, o paciente Nilson Gomes de Oliveira, também não tem do que reclamar. “Tive uma queda da escada e quebrei o braço. Passei por cirurgia, colocaram um pino na minha mão. Foi muito bem sucedida, porque eu poderia até ter perdido movimento. É minha primeira vez nesse hospital e estou tendo atendimento de primeira”, declara.

Pro-Hosp na Zona da Mata

Em toda a Zona da Mata, desde o início do programa, o Governo de Minas já investiu, por meio do Pro-Hosp, R$ 72,7 milhões. Foram beneficiadas, além de Manhuaçu, as cidades de Além Paraíba, Carangola, Cataguases, Juiz de Fora, Leopoldina, Lima Duarte, Manhumirim, Muriaé, Ponte Nova, Rio Casca, Santos Dumont, São João Nepomuceno, Ubá e Viçosa.

Fontehttp://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/rastreamento-de-medicamentos-propicia-seguranca-a-pacientes-de-hospital-do-interior/

Governo Anastasia: rastreamento de medicamentos garante mais segurança a pacientes

Gestão da Saúde: Projeto foi implantado com recursos do Governo de Minas

Os medicamentos do Hospital César Leite na Zona da Mata passam agora por um processo de rastreamento
Os medicamentos do Hospital César Leite na Zona da Mata passam agora por um processo de rastreamento
 

Um rastreamento rigoroso dos medicamentos do Hospital César Leite (HCL), em Manhuaçu, na Zona da Mata, está trazendo mais segurança e qualidade no tratamento para os pacientes e economia para a instituição. Isso por que a gerência farmacêutica tem o controle, em tempo real, de tudo que foi ministrado a cada paciente; lote, quantidade dispensada e data de validade.

O projeto de rastreabilidade foi implantado com recursos do Prêmio Célio de Castro, concedido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). São beneficiadas as instituições de destaque no Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS (Pro-Hosp), do Governo de Minas. O HCL ficou em segundo lugar no Estado e recebeu a quantia de R$ 300 mil que, necessariamente, deveriam ser revertidos em benefícios aos pacientes.

“A farmacovigilância possibilita o controle exato do lote de cada medicamento encaminhado ao paciente. Se houver uma notificação da Anvisa, alertando para algum lote de medicamento com desvio de qualidade, nós sabemos em tempo real quais os pacientes que fizeram uso. Outra vantagem é no caso de paciente apresentar alguma reação adversa não esperada; assim é possível saber quais os pacientes que também tomaram e identificar se o problema é com o paciente ou com o medicamento”, explica Chardson Roberto da Paixão, farmacêutico responsável do Hospital.

Ele também ressalta os benefícios na gestão da farmácia do HCL. “Diminuímos o desperdício, pois sabemos tudo o que vai vencer nos próximos meses e já posicionamos para serem utilizados no período de validade”, conta. O rastreamento é feito a partir da leitura do código de barra do medicamento e identificadores para cada usuário. Assim, fica armazenado no sistema exatamente o que foi ministrado para o paciente, datas, quantidade e lote dos medicamentos.

O trabalho na gerência farmacêutica foi beneficiado, ainda, diretamente pelo Pro-Hosp. A direção do HCL destinou parte dos recursos do Estado para a reestruturação das unidades farmacêuticas dentro do hospital e viabilizou a construção da farmácia da UTI. O almoxarifado, que funcionava em um espaço de 88 m², hoje ocupa 272 m². Atualmente, 25 funcionários trabalham no setor.

Gestão hospitalar

O Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS repassa, desde 2007, recursos para o Hospital César Leite, em Manhuaçu. Os investimentos, até o momento, somam R$ 6,5 milhões e, além da melhoria no atendimento, o programa promoveu a profissionalização da gestão hospitalar.

A administradora do HCL, Ana Lígia de Assis Garcia, destaca a modernização não só tecnológica, como também gerencial, propiciada pelo Pro-Hosp. “Você recebe o recurso, mas tem que aplicar também em profissionalização, como a participação em curso de formação de gerentes hospitalares”, relata.

Para ela, o foco na qualidade da gestão, foi um ganho principalmente para os hospitais do interior. O diretor técnico do HCL, Gláucio Quarto Martins, confirma. “O Pro-Hosp trouxe não só o recurso, como a mudança gerencial, mais motivação. O relacionamento da administração, com funcionários e corpo clínico é melhor hoje”, diz. Os investimentos para a melhoria da gestão incluíram aquisição de computadores, impressoras, material para educação continuada e treinamento de pessoal.

Obras e equipamentos

No Hospital César Leite, além do rastreamento de medicamentos e da profissionalização, os recursos do Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS foram aplicados em obras, como a ampliação do Centro de Tratamento Intensivo, da Central de Material Esterilizado, enfermaria, centro cirúrgico e portaria; reforma do apoio ao diagnóstico, farmácia e vestiário; e pintura do hospital.

Também foram adquiridos materiais e equipamentos para o centro cirúrgico, como aparelho de anestesia, monitores cardíacos, cardioversores, sistema de ventilação mecânica, carro de emergência, compressor, bisturis, filtro de absorção, mesas cirúrgicas, carros para anestesia completos para cirurgia de alta complexidade e kits para intubação; UTI, como kit de fisioterapia, ventiladores, berços aquecidos e fototerapia; CME; pediatria; e lavanderia.

“Um dos principais ganhos foi a condição de receber o paciente e ter equipamento para dar segurança para o monitoramento, para as cirurgias. O paciente de UTI é monitorado em todos os leitos. Não falta nenhum respirador para nenhum leito”, ressalta o angiologista Gláucio Quarto Martins.

O hospital referência para a microrregião e, atualmente, atende a 22 municípios. Em junho deste ano foram realizados 3327 atendimentos ambulatoriais; 1062 internações; uma média de 300 partos no mês; e mais de 800 cirurgias. Para o provedor do HCL, Sebastião Onofre de Carvalho, o Pro-Hosp é fundamental para atender à demanda na instituição. “Temos uma população flutuante grande, duas BRs passam próximas à cidade. Sem equipamentos de primeiro mundo, a assistência ao paciente não teria a mesma excelência”, afirma.

O paciente José Hilário Ferraz, 72 anos, é capixaba, se acidentou na estrada e recebeu atendimento no HCL. “Fizeram chapa, cirurgia no joelho, pontos no braço. Estou sendo muito bem cuidado”, conta, pouco antes de receber alta.

De Ipanema, no Leste do Estado, o paciente Nilson Gomes de Oliveira, também não tem do que reclamar. “Tive uma queda da escada e quebrei o braço. Passei por cirurgia, colocaram um pino na minha mão. Foi muito bem sucedida, porque eu poderia até ter perdido movimento. É minha primeira vez nesse hospital e estou tendo atendimento de primeira”, declara.

Pro-Hosp na Zona da Mata

Em toda a Zona da Mata, desde o início do programa, o Governo de Minas já investiu, por meio do Pro-Hosp, R$ 72,7 milhões. Foram beneficiadas, além de Manhuaçu, as cidades de Além Paraíba, Carangola, Cataguases, Juiz de Fora, Leopoldina, Lima Duarte, Manhumirim, Muriaé, Ponte Nova, Rio Casca, Santos Dumont, São João Nepomuceno, Ubá e Viçosa.

Fontehttp://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/rastreamento-de-medicamentos-propicia-seguranca-a-pacientes-de-hospital-do-interior/

Governo Anastasia: rastreamento de medicamentos garante mais segurança a pacientes

Gestão da Saúde: Projeto foi implantado com recursos do Governo de Minas

Os medicamentos do Hospital César Leite na Zona da Mata passam agora por um processo de rastreamento
Os medicamentos do Hospital César Leite na Zona da Mata passam agora por um processo de rastreamento
 

Um rastreamento rigoroso dos medicamentos do Hospital César Leite (HCL), em Manhuaçu, na Zona da Mata, está trazendo mais segurança e qualidade no tratamento para os pacientes e economia para a instituição. Isso por que a gerência farmacêutica tem o controle, em tempo real, de tudo que foi ministrado a cada paciente; lote, quantidade dispensada e data de validade.

O projeto de rastreabilidade foi implantado com recursos do Prêmio Célio de Castro, concedido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). São beneficiadas as instituições de destaque no Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS (Pro-Hosp), do Governo de Minas. O HCL ficou em segundo lugar no Estado e recebeu a quantia de R$ 300 mil que, necessariamente, deveriam ser revertidos em benefícios aos pacientes.

“A farmacovigilância possibilita o controle exato do lote de cada medicamento encaminhado ao paciente. Se houver uma notificação da Anvisa, alertando para algum lote de medicamento com desvio de qualidade, nós sabemos em tempo real quais os pacientes que fizeram uso. Outra vantagem é no caso de paciente apresentar alguma reação adversa não esperada; assim é possível saber quais os pacientes que também tomaram e identificar se o problema é com o paciente ou com o medicamento”, explica Chardson Roberto da Paixão, farmacêutico responsável do Hospital.

Ele também ressalta os benefícios na gestão da farmácia do HCL. “Diminuímos o desperdício, pois sabemos tudo o que vai vencer nos próximos meses e já posicionamos para serem utilizados no período de validade”, conta. O rastreamento é feito a partir da leitura do código de barra do medicamento e identificadores para cada usuário. Assim, fica armazenado no sistema exatamente o que foi ministrado para o paciente, datas, quantidade e lote dos medicamentos.

O trabalho na gerência farmacêutica foi beneficiado, ainda, diretamente pelo Pro-Hosp. A direção do HCL destinou parte dos recursos do Estado para a reestruturação das unidades farmacêuticas dentro do hospital e viabilizou a construção da farmácia da UTI. O almoxarifado, que funcionava em um espaço de 88 m², hoje ocupa 272 m². Atualmente, 25 funcionários trabalham no setor.

Gestão hospitalar

O Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS repassa, desde 2007, recursos para o Hospital César Leite, em Manhuaçu. Os investimentos, até o momento, somam R$ 6,5 milhões e, além da melhoria no atendimento, o programa promoveu a profissionalização da gestão hospitalar.

A administradora do HCL, Ana Lígia de Assis Garcia, destaca a modernização não só tecnológica, como também gerencial, propiciada pelo Pro-Hosp. “Você recebe o recurso, mas tem que aplicar também em profissionalização, como a participação em curso de formação de gerentes hospitalares”, relata.

Para ela, o foco na qualidade da gestão, foi um ganho principalmente para os hospitais do interior. O diretor técnico do HCL, Gláucio Quarto Martins, confirma. “O Pro-Hosp trouxe não só o recurso, como a mudança gerencial, mais motivação. O relacionamento da administração, com funcionários e corpo clínico é melhor hoje”, diz. Os investimentos para a melhoria da gestão incluíram aquisição de computadores, impressoras, material para educação continuada e treinamento de pessoal.

Obras e equipamentos

No Hospital César Leite, além do rastreamento de medicamentos e da profissionalização, os recursos do Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS foram aplicados em obras, como a ampliação do Centro de Tratamento Intensivo, da Central de Material Esterilizado, enfermaria, centro cirúrgico e portaria; reforma do apoio ao diagnóstico, farmácia e vestiário; e pintura do hospital.

Também foram adquiridos materiais e equipamentos para o centro cirúrgico, como aparelho de anestesia, monitores cardíacos, cardioversores, sistema de ventilação mecânica, carro de emergência, compressor, bisturis, filtro de absorção, mesas cirúrgicas, carros para anestesia completos para cirurgia de alta complexidade e kits para intubação; UTI, como kit de fisioterapia, ventiladores, berços aquecidos e fototerapia; CME; pediatria; e lavanderia.

“Um dos principais ganhos foi a condição de receber o paciente e ter equipamento para dar segurança para o monitoramento, para as cirurgias. O paciente de UTI é monitorado em todos os leitos. Não falta nenhum respirador para nenhum leito”, ressalta o angiologista Gláucio Quarto Martins.

O hospital referência para a microrregião e, atualmente, atende a 22 municípios. Em junho deste ano foram realizados 3327 atendimentos ambulatoriais; 1062 internações; uma média de 300 partos no mês; e mais de 800 cirurgias. Para o provedor do HCL, Sebastião Onofre de Carvalho, o Pro-Hosp é fundamental para atender à demanda na instituição. “Temos uma população flutuante grande, duas BRs passam próximas à cidade. Sem equipamentos de primeiro mundo, a assistência ao paciente não teria a mesma excelência”, afirma.

O paciente José Hilário Ferraz, 72 anos, é capixaba, se acidentou na estrada e recebeu atendimento no HCL. “Fizeram chapa, cirurgia no joelho, pontos no braço. Estou sendo muito bem cuidado”, conta, pouco antes de receber alta.

De Ipanema, no Leste do Estado, o paciente Nilson Gomes de Oliveira, também não tem do que reclamar. “Tive uma queda da escada e quebrei o braço. Passei por cirurgia, colocaram um pino na minha mão. Foi muito bem sucedida, porque eu poderia até ter perdido movimento. É minha primeira vez nesse hospital e estou tendo atendimento de primeira”, declara.

Pro-Hosp na Zona da Mata

Em toda a Zona da Mata, desde o início do programa, o Governo de Minas já investiu, por meio do Pro-Hosp, R$ 72,7 milhões. Foram beneficiadas, além de Manhuaçu, as cidades de Além Paraíba, Carangola, Cataguases, Juiz de Fora, Leopoldina, Lima Duarte, Manhumirim, Muriaé, Ponte Nova, Rio Casca, Santos Dumont, São João Nepomuceno, Ubá e Viçosa.

Fontehttp://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/rastreamento-de-medicamentos-propicia-seguranca-a-pacientes-de-hospital-do-interior/

Governo Anastasia: rastreamento de medicamentos garante mais segurança a pacientes

Gestão da Saúde: Projeto foi implantado com recursos do Governo de Minas

Os medicamentos do Hospital César Leite na Zona da Mata passam agora por um processo de rastreamento
Os medicamentos do Hospital César Leite na Zona da Mata passam agora por um processo de rastreamento
 

Um rastreamento rigoroso dos medicamentos do Hospital César Leite (HCL), em Manhuaçu, na Zona da Mata, está trazendo mais segurança e qualidade no tratamento para os pacientes e economia para a instituição. Isso por que a gerência farmacêutica tem o controle, em tempo real, de tudo que foi ministrado a cada paciente; lote, quantidade dispensada e data de validade.

O projeto de rastreabilidade foi implantado com recursos do Prêmio Célio de Castro, concedido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). São beneficiadas as instituições de destaque no Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS (Pro-Hosp), do Governo de Minas. O HCL ficou em segundo lugar no Estado e recebeu a quantia de R$ 300 mil que, necessariamente, deveriam ser revertidos em benefícios aos pacientes.

“A farmacovigilância possibilita o controle exato do lote de cada medicamento encaminhado ao paciente. Se houver uma notificação da Anvisa, alertando para algum lote de medicamento com desvio de qualidade, nós sabemos em tempo real quais os pacientes que fizeram uso. Outra vantagem é no caso de paciente apresentar alguma reação adversa não esperada; assim é possível saber quais os pacientes que também tomaram e identificar se o problema é com o paciente ou com o medicamento”, explica Chardson Roberto da Paixão, farmacêutico responsável do Hospital.

Ele também ressalta os benefícios na gestão da farmácia do HCL. “Diminuímos o desperdício, pois sabemos tudo o que vai vencer nos próximos meses e já posicionamos para serem utilizados no período de validade”, conta. O rastreamento é feito a partir da leitura do código de barra do medicamento e identificadores para cada usuário. Assim, fica armazenado no sistema exatamente o que foi ministrado para o paciente, datas, quantidade e lote dos medicamentos.

O trabalho na gerência farmacêutica foi beneficiado, ainda, diretamente pelo Pro-Hosp. A direção do HCL destinou parte dos recursos do Estado para a reestruturação das unidades farmacêuticas dentro do hospital e viabilizou a construção da farmácia da UTI. O almoxarifado, que funcionava em um espaço de 88 m², hoje ocupa 272 m². Atualmente, 25 funcionários trabalham no setor.

Gestão hospitalar

O Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS repassa, desde 2007, recursos para o Hospital César Leite, em Manhuaçu. Os investimentos, até o momento, somam R$ 6,5 milhões e, além da melhoria no atendimento, o programa promoveu a profissionalização da gestão hospitalar.

A administradora do HCL, Ana Lígia de Assis Garcia, destaca a modernização não só tecnológica, como também gerencial, propiciada pelo Pro-Hosp. “Você recebe o recurso, mas tem que aplicar também em profissionalização, como a participação em curso de formação de gerentes hospitalares”, relata.

Para ela, o foco na qualidade da gestão, foi um ganho principalmente para os hospitais do interior. O diretor técnico do HCL, Gláucio Quarto Martins, confirma. “O Pro-Hosp trouxe não só o recurso, como a mudança gerencial, mais motivação. O relacionamento da administração, com funcionários e corpo clínico é melhor hoje”, diz. Os investimentos para a melhoria da gestão incluíram aquisição de computadores, impressoras, material para educação continuada e treinamento de pessoal.

Obras e equipamentos

No Hospital César Leite, além do rastreamento de medicamentos e da profissionalização, os recursos do Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS foram aplicados em obras, como a ampliação do Centro de Tratamento Intensivo, da Central de Material Esterilizado, enfermaria, centro cirúrgico e portaria; reforma do apoio ao diagnóstico, farmácia e vestiário; e pintura do hospital.

Também foram adquiridos materiais e equipamentos para o centro cirúrgico, como aparelho de anestesia, monitores cardíacos, cardioversores, sistema de ventilação mecânica, carro de emergência, compressor, bisturis, filtro de absorção, mesas cirúrgicas, carros para anestesia completos para cirurgia de alta complexidade e kits para intubação; UTI, como kit de fisioterapia, ventiladores, berços aquecidos e fototerapia; CME; pediatria; e lavanderia.

“Um dos principais ganhos foi a condição de receber o paciente e ter equipamento para dar segurança para o monitoramento, para as cirurgias. O paciente de UTI é monitorado em todos os leitos. Não falta nenhum respirador para nenhum leito”, ressalta o angiologista Gláucio Quarto Martins.

O hospital referência para a microrregião e, atualmente, atende a 22 municípios. Em junho deste ano foram realizados 3327 atendimentos ambulatoriais; 1062 internações; uma média de 300 partos no mês; e mais de 800 cirurgias. Para o provedor do HCL, Sebastião Onofre de Carvalho, o Pro-Hosp é fundamental para atender à demanda na instituição. “Temos uma população flutuante grande, duas BRs passam próximas à cidade. Sem equipamentos de primeiro mundo, a assistência ao paciente não teria a mesma excelência”, afirma.

O paciente José Hilário Ferraz, 72 anos, é capixaba, se acidentou na estrada e recebeu atendimento no HCL. “Fizeram chapa, cirurgia no joelho, pontos no braço. Estou sendo muito bem cuidado”, conta, pouco antes de receber alta.

De Ipanema, no Leste do Estado, o paciente Nilson Gomes de Oliveira, também não tem do que reclamar. “Tive uma queda da escada e quebrei o braço. Passei por cirurgia, colocaram um pino na minha mão. Foi muito bem sucedida, porque eu poderia até ter perdido movimento. É minha primeira vez nesse hospital e estou tendo atendimento de primeira”, declara.

Pro-Hosp na Zona da Mata

Em toda a Zona da Mata, desde o início do programa, o Governo de Minas já investiu, por meio do Pro-Hosp, R$ 72,7 milhões. Foram beneficiadas, além de Manhuaçu, as cidades de Além Paraíba, Carangola, Cataguases, Juiz de Fora, Leopoldina, Lima Duarte, Manhumirim, Muriaé, Ponte Nova, Rio Casca, Santos Dumont, São João Nepomuceno, Ubá e Viçosa.

Fontehttp://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/rastreamento-de-medicamentos-propicia-seguranca-a-pacientes-de-hospital-do-interior/

Governo Anastasia: rastreamento de medicamentos garante mais segurança a pacientes

Gestão da Saúde: Projeto foi implantado com recursos do Governo de Minas

Os medicamentos do Hospital César Leite na Zona da Mata passam agora por um processo de rastreamento
Os medicamentos do Hospital César Leite na Zona da Mata passam agora por um processo de rastreamento
 

Um rastreamento rigoroso dos medicamentos do Hospital César Leite (HCL), em Manhuaçu, na Zona da Mata, está trazendo mais segurança e qualidade no tratamento para os pacientes e economia para a instituição. Isso por que a gerência farmacêutica tem o controle, em tempo real, de tudo que foi ministrado a cada paciente; lote, quantidade dispensada e data de validade.

O projeto de rastreabilidade foi implantado com recursos do Prêmio Célio de Castro, concedido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). São beneficiadas as instituições de destaque no Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS (Pro-Hosp), do Governo de Minas. O HCL ficou em segundo lugar no Estado e recebeu a quantia de R$ 300 mil que, necessariamente, deveriam ser revertidos em benefícios aos pacientes.

“A farmacovigilância possibilita o controle exato do lote de cada medicamento encaminhado ao paciente. Se houver uma notificação da Anvisa, alertando para algum lote de medicamento com desvio de qualidade, nós sabemos em tempo real quais os pacientes que fizeram uso. Outra vantagem é no caso de paciente apresentar alguma reação adversa não esperada; assim é possível saber quais os pacientes que também tomaram e identificar se o problema é com o paciente ou com o medicamento”, explica Chardson Roberto da Paixão, farmacêutico responsável do Hospital.

Ele também ressalta os benefícios na gestão da farmácia do HCL. “Diminuímos o desperdício, pois sabemos tudo o que vai vencer nos próximos meses e já posicionamos para serem utilizados no período de validade”, conta. O rastreamento é feito a partir da leitura do código de barra do medicamento e identificadores para cada usuário. Assim, fica armazenado no sistema exatamente o que foi ministrado para o paciente, datas, quantidade e lote dos medicamentos.

O trabalho na gerência farmacêutica foi beneficiado, ainda, diretamente pelo Pro-Hosp. A direção do HCL destinou parte dos recursos do Estado para a reestruturação das unidades farmacêuticas dentro do hospital e viabilizou a construção da farmácia da UTI. O almoxarifado, que funcionava em um espaço de 88 m², hoje ocupa 272 m². Atualmente, 25 funcionários trabalham no setor.

Gestão hospitalar

O Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS repassa, desde 2007, recursos para o Hospital César Leite, em Manhuaçu. Os investimentos, até o momento, somam R$ 6,5 milhões e, além da melhoria no atendimento, o programa promoveu a profissionalização da gestão hospitalar.

A administradora do HCL, Ana Lígia de Assis Garcia, destaca a modernização não só tecnológica, como também gerencial, propiciada pelo Pro-Hosp. “Você recebe o recurso, mas tem que aplicar também em profissionalização, como a participação em curso de formação de gerentes hospitalares”, relata.

Para ela, o foco na qualidade da gestão, foi um ganho principalmente para os hospitais do interior. O diretor técnico do HCL, Gláucio Quarto Martins, confirma. “O Pro-Hosp trouxe não só o recurso, como a mudança gerencial, mais motivação. O relacionamento da administração, com funcionários e corpo clínico é melhor hoje”, diz. Os investimentos para a melhoria da gestão incluíram aquisição de computadores, impressoras, material para educação continuada e treinamento de pessoal.

Obras e equipamentos

No Hospital César Leite, além do rastreamento de medicamentos e da profissionalização, os recursos do Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS foram aplicados em obras, como a ampliação do Centro de Tratamento Intensivo, da Central de Material Esterilizado, enfermaria, centro cirúrgico e portaria; reforma do apoio ao diagnóstico, farmácia e vestiário; e pintura do hospital.

Também foram adquiridos materiais e equipamentos para o centro cirúrgico, como aparelho de anestesia, monitores cardíacos, cardioversores, sistema de ventilação mecânica, carro de emergência, compressor, bisturis, filtro de absorção, mesas cirúrgicas, carros para anestesia completos para cirurgia de alta complexidade e kits para intubação; UTI, como kit de fisioterapia, ventiladores, berços aquecidos e fototerapia; CME; pediatria; e lavanderia.

“Um dos principais ganhos foi a condição de receber o paciente e ter equipamento para dar segurança para o monitoramento, para as cirurgias. O paciente de UTI é monitorado em todos os leitos. Não falta nenhum respirador para nenhum leito”, ressalta o angiologista Gláucio Quarto Martins.

O hospital referência para a microrregião e, atualmente, atende a 22 municípios. Em junho deste ano foram realizados 3327 atendimentos ambulatoriais; 1062 internações; uma média de 300 partos no mês; e mais de 800 cirurgias. Para o provedor do HCL, Sebastião Onofre de Carvalho, o Pro-Hosp é fundamental para atender à demanda na instituição. “Temos uma população flutuante grande, duas BRs passam próximas à cidade. Sem equipamentos de primeiro mundo, a assistência ao paciente não teria a mesma excelência”, afirma.

O paciente José Hilário Ferraz, 72 anos, é capixaba, se acidentou na estrada e recebeu atendimento no HCL. “Fizeram chapa, cirurgia no joelho, pontos no braço. Estou sendo muito bem cuidado”, conta, pouco antes de receber alta.

De Ipanema, no Leste do Estado, o paciente Nilson Gomes de Oliveira, também não tem do que reclamar. “Tive uma queda da escada e quebrei o braço. Passei por cirurgia, colocaram um pino na minha mão. Foi muito bem sucedida, porque eu poderia até ter perdido movimento. É minha primeira vez nesse hospital e estou tendo atendimento de primeira”, declara.

Pro-Hosp na Zona da Mata

Em toda a Zona da Mata, desde o início do programa, o Governo de Minas já investiu, por meio do Pro-Hosp, R$ 72,7 milhões. Foram beneficiadas, além de Manhuaçu, as cidades de Além Paraíba, Carangola, Cataguases, Juiz de Fora, Leopoldina, Lima Duarte, Manhumirim, Muriaé, Ponte Nova, Rio Casca, Santos Dumont, São João Nepomuceno, Ubá e Viçosa.

Fontehttp://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/rastreamento-de-medicamentos-propicia-seguranca-a-pacientes-de-hospital-do-interior/