• Agenda

    abril 2012
    S T Q Q S S D
    « mar   maio »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

  • Anúncios

Aécio Neves: artigo

Aécio Neves: artigo

Fonte: artigo do senador Aécio Neves – Folha de S.Paulo

Eleições municipais

eleição de 2012 será a primeira sob a vigência da Lei da Ficha Limpa. A novidade poderá representar um importante divisor no mundo da política e um avanço no processo de construção do país, como o foi, a seu tempo, a Lei de Responsabilidade Fiscal – que colocou um freio na gastança do dinheiro público, passando a exigir um mínimo de responsabilidade administrativa por parte dos governantes.

Pela maior proximidade com a vida das comunidades, as eleições municipais tendem, naturalmente, a colocar foco na disputa política local e nos problemas urbanos que afligem os moradores. Muitas vezes, infelizmente, chegam até mesmo a gravitar em torno de querelas paroquiais, como se decisões tomadas no nível municipal não guardassem relação com a realidade do Brasil como um todo.

O pleito de 2012 pode ser uma boa oportunidade para que partidos e candidatos coloquem na ordem do dia temas comuns que nos ajudem a construir, das bases, uma agenda importante para o país.

Três deles estão a exigir prioridade nos dias atuais: a transparência na administração pública, aqualidade da gestão e o enfraquecimento dos municípios e dos Estados frente ao governo federal, cada vez mais concentrador de riquezas. Não se trata, é claro, de tentar dar um caráter nacional a uma eleição tipicamente local, mas de transformar esse momento em possibilidade para amplificarmos e aprofundarmos o debate.

São os pleitos municipais que mais aproximam os candidatos dos cidadãos, pois colocam na pauta, de forma mais dramática, a carência de hospitais e postos de saúde, o aumento da criminalidade, a pouca qualidade do ensino, o deficit de saneamento, o caos no trânsito ou a falta de opções de lazer e cultura.

Para enfrentar esses problemas, as prefeituras não podem mais prescindir das modernas ferramentas de gestão, que fazem do compromisso com os resultados – e não com o discurso – a sua prioridade.

Candidatos a prefeito precisam exigir uma distribuição mais justa dos recursos da arrecadação em poder do governo federal. Esta é uma bandeira que está acima dos partidos e das definições de quem é situação ou oposição. Repactuar a Federação interessa a todos.

É, ainda, urgente que a reivindicação por transparência se alastre também para os municípios. Atransparência nos gastos é uma arma eficaz no combate à corrupção e encurta o fosso que costuma separar promessas de ações.

Eleições municipais são um momento magnífico, especialmente na vida democrática de um país com a dimensão territorial do nosso. Oportunidade para o nascimento de ideias e para a renovação e o fortalecimento de compromissos.

AÉCIO NEVES escreve às segundas-feiras nesta coluna.

Aécio Neves: artigoLink: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/40061%2deleicoes%2dmunicipais.shtml

Anúncios

Senador Aécio Neves participa de encontro do PSDB e sindicatos em São Paulo

Fonte: Assessoria de imprensa do senador Aécio Neves

Senador Aécio Neves participa de encontro do PSDB e sindicatos em São Paulo

“Não queremos centrais sindicais a serviço de um projeto de poder. Queremos os sindicalistas construindo a nova e inadiável agenda brasileira”, diz Aécio

 Senador Aécio Neves lidera encontro com sindicatos

O senado Aécio Nevesr afirmou que a reaproximação com o sindicalismo reafirma a identidade social democrata do PSDB

senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou, nesta sexta-feira (27/04), que o PSDB quer a colaboração dos sindicatos para a agenda que o partido vai apresentar ao país. A declaração foi dada durante o 1º Congresso Sindical do PSDB, realizado em São Paulo. Aécio Neves frisou que o partido não deseja sindicatos submissos a um projeto de poder, e sim parceiros no debate dos problemas estruturais do Brasil.

“”Não queremos centrais sindicais a serviço de um partido político ou de um projeto de poder. Queremos os sindicalistas construindo ao nosso lado a nova e inadiável agenda brasileira. Hoje, o PSDB fica mais forte, mais robusto e mais identificado com aquilo que é essencial para que o Brasil avance, gerando bem-estar para a sua gente, o respeito e a defesa dos trabalhadores brasileiros””, disse Aécio.

senador afirmou que a reaproximação com o sindicalismo reafirma a identidade social democrata do PSDB. Ele considerou o encontro de hoje como um dos mais importantes para o partido.

“”Estamos participando de um dos mais importantes eventos realizados pelo PSDB ao longo da sua história. Não só pelas lideranças presentes, não só pelo que significa nossa aproximação do movimento sindical. Estamos retornando às nossas origens. Não existe em nenhuma parte do mundo partido socialdemocrata sem forte inserção no movimento sindical””, observou o senador Aécio Neves.

Empregos e desindustrialização

Aécio defendeu a participação de trabalhadores na discussão de políticas para as áreas da educação,saúde e segurança, e sobre a qualidade dos empregos gerados no país. Ele disse que a ampliação da agenda sindical faz parte da modernização desses movimentos.

“”O sindicalismo moderno pressupõe não apenas defesa de melhores salários, de melhores condições detrabalho, da pauta específica do trabalhador, mas a opinião do trabalhador na discussão da qualidade dasaúde, da própria qualidade do emprego, a questão educacional. Queremos isso, esse núcleo sindical participando da formulação do novo programa do PSDB””, afirmou.

E acrescentou: ““Vejo o governo federal comemorar com muito entusiasmo os índices de empregogerados no país. Agora, já não comemora tanto, porque deixaram de ser gerados com muito vigor. Mas a grande verdade é que mais de 90% dos empregos gerados no Brasil nos últimos dez anos foram até dois salários mínimos. O que está havendo é uma troca perversa de empregos mais qualificados por empregode menor qualificação””, disse o senador Aécio Neves.

O senador criticou também a omissão do governo federal no enfrentamento dos problemas que estão levando o país a uma crescente desindustrialização.

“”Estamos acompanhando com enorme preocupação o gravíssimo processo de desindustrialização por que passa o Brasil. O governo sempre com medidas paliativas, sem entrar na questão estrutural, que passa pelo câmbio sobrevalorizado, pela altíssima carga tributária, pela absoluta ausência deinfraestrutura adequada para escoamento da produção brasileira, além da competição extremamente perversa que ainda sofremos em relação a produtos importados. O governo gasta muito e gasta mal””, disse o senador Aécio Neves.

PSDB Sindical

Cerca de duas mil pessoas estiveram presentes na abertura do congresso, que contou com a participação do presidente nacional do PSDBdeputado federal Sérgio Guerra, do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin e do presidente do Conselho Político do partido e pré-candidato a prefeito de SP, José Serra. Também presentes os presidentes da Força Sindical, deputado federal Paulinho; do PSDB Sindical, Antônio Ramalho; do PSDB Sindical de Minas, Rogério Fernandes, e dirigentes de sindicatos. 

núcleo sindical do PSDB está organizado em todos os estados do país e tem coordenadores nas cinco regiões do Brasil. Reúne hoje representantes de cerca de 200 sindicatos. As centrais sindicais União Geral dos Trabalhadores (UGT), Força Sindical e Nova Central concentram maior número de filiados.

Os temas em discussão no encontro são: mudanças na política econômica, redução dos juros, desenvolvimento do país, distribuição de renda, fortalecimento do mercado interno, políticaeducacional, jornada de trabalho e salário para mulheres em condições de igualdade com os homens.

Senador Aécio Neves – Link da matéria http://www.aecioneves.net.br/2012/04/aecio-neves-participa-de-encontro-do-psdb-e-sindicatos-em-sao-paulo/

Dilma e Aécio Coerência é para os fracos

Fonte: artigo do deputado estadual (PSDB-MG)

Dilma e Aécio

Coerência é para os fracos

Dilma e Aécio – Se o PT pudesse se olhar hoje num imaginário espelho das virtudes, certamente teria um susto. No lugar da face da presidente Dilma Rousseff surgiria, na verdade, a figura de seu oponente, o senador Aécio Neves. O que é qualidade em Dilma aparece como defeito em Aécio entre os militantes e entusiastas do governo federal.

poderoso marketing oficial procura vender a imagem de Dilma Rousseff como uma mulher sintonizada com as modernas técnicas de gestão. Já o Choque de Gestão, o programa de Aécio que virou referência nacional e é recomendado pelo Banco Mundial para aplicação em muitos países em desenvolvimento, não passa de deplorável manifestação do neoliberalismo para enfraquecer o Estado.

Quando Aécio governou Minas Gerais por sete anos, com uma ampla base partidária de apoio, resultante de sua capacidade de aglutinação política, ele foi acusado de tentar acabar com a oposição. Já a base aliada de Dilma, que representa mais de 70% do Congresso Nacional, é alardeada pelos petistas como um atributo positivo – e não como o rolo compressor que de fato é.

Quando Aécio anunciava, como governador, que não prejudicaria prefeitos de outros partidos na distribuição de verbas, era cooptação de adversários com dinheiro público, no linguajar agressivo dos petistas. Se Dilma tenta mostrar que faz o mesmo, ela está sendo republicana.

A postura diante das concessões para execução e manutenção de determinados serviços públicos, como as rodovias e os aeroportos, quando é Dilma que faz, só elogios. Quando é Aécio, foi mais um ato de entreguismo do patrimônio público para as mãos privadas.

Ter nascido em Minas é uma qualidade em Dilma, mesmo tendo morado a maior parte da sua vida no Rio Grande do Sul. Em Aécio, tenta-se colar o rótulo de carioca, já que viveu no Rio a sua juventude e lá vive sua filha, na tentativa de negar a mineiridade que lhe é de direito, por nascimento, moradia e pertencimento a uma família fortemente enraizada no Estado.

Os petistas apostam na eventual memória curta da humanidade. Por exemplo, quem se tornou guru para o programa de gestão de Dilma é o empresário Jorge Gerdau Johannpeter, que colaborou com oChoque de Gestão de Aécio logo no início do seu primeiro governo, há quase uma década.

Contra a crítica de adesão ao neoliberalismo, tratado como ofensa, é melhor entregar a palavra aos especialistas. Estudo recente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), órgão do governofederal, revelou: a redução da pobreza em Minas Gerais supera a média nacional.

O PT lustra a biografia de seus líderes tentando amplificar o que considera feitos e virtudes. E, se essas características também se fazem presentes em adversários, o melhor a fazer é desqualificá-las, como se mazelas fossem. Parafraseando uma brincadeira das redes sociais, coerência é para os fracos.

Dilma e Aécio  Link do artigo – http://www.otempo.com.br/otempo/noticias/?IdNoticia=202077,OTE&IdCanal=2

Veja também: site do deputado estadual Romulo Viegas

CPI sem guerra política: Senador Aécio Neves disse que apuração não pode ser transformada em instrumento de disputa política

Fonte: Assessoria de Imprensa do senador Aécio Neves

Senador Aécio Neves diz que CPI deve investigar envolvidos nos setores públicos e privado

“”Queremos fazer uma CPI em favor da verdade””

senador Aécio Neves (PSDB/MG) defendeu, nesta quinta-feira (26/04), que a CPI Mista sobre o caso Cachoeira investigue todos os envolvidos, seja no setor público ou privado. Aécio afirmou que uma investigação ampla é o desejo da população brasileira.

“”Temos, não apenas enquanto membros da oposição, mas enquanto cidadãos brasileiros, a expectativa de que seja uma investigação profunda, serena, mas que aponte todos os vínculos da contravenção, seja no Congresso Nacional, seja na administração pública em todos os níveis – municipal, estadual e federal –, e também os links, as relações da contravenção com o setor privado”,” disse Aécio Neves.

senador ressaltou que a apuração não pode ser transformada em instrumento de disputa política. Para ele, esta deve ser uma investigação em favor da verdade.

““Queremos fazer uma CPI em favor da verdade, e tampouco aceitaremos que a base do governo faça uma CPI contra a oposição. Ela não pode ser uma CPI seletiva, onde aqueles que têm maioria focam nos aliados daqueles que têm minoria. O clima que percebo é de seriedade, inclusive da sociedade, repito, para que não seja uma CPI onde a retaliação, a guerra política, prevaleça sobre a realidade dos fatos””, afirmou o senador Aécio Neves.

CPI – Nessa quarta-feira (25/04), a CPI Mista do caso Cachoeira realizou sua primeira reunião noCongresso. Ela terá 180 dias, prorrogáveis por outros 180, para realizar as investigações.

link da matéria: http://www.aecioneves.net.br/2012/04/aecio-neves-diz-que-cpi-deve-investigar-envolvidos-nos-setores-publicos-e-privado/

Gestão Eficiente: Cidade Administrativa é o símbolo da gestão eficiente de Aécio

Fonte: Jogo do Poder

Cidade Administrativa é o símbolo da gestão eficiente de Aécio

 Gestão Eficiente: Aécio Neves

Cidade Administrativa é o símbolo da gestão eficiente de Aécio

Uma das principais preocupações da gestão eficiente de Aécio Neves era gastar menos com o governodo estado de MG e mais com a população.

Com esta premissa, Aécio Neves, em sua gestão, implantou o Choque de Gestão, um conjunto de medidas administrativas responsável pelo saneamento das finanças e pela melhoria dos serviços prestados à população.

A Cidade Administrativa é, talvez, o principal exemplo de ousadia e símbolo da eficiência e economiapara a administração pública. Projetada por Oscar Niemeyer, a nova sede do Governo de Minasconsolida o modelo de gestão pública de Aécio Neves, implantado com o Choque de Gestão.

Na Cidade Administrativa, todas as secretarias e órgãos da administração direta do Estado atuam em um mesmo local. São 16 mil servidores que atuam em um complexo de prédios dotado de melhores condições de trabalho, integrados a uma grande rede informatizada. Com as novas rotinas, o tráfego de documentos oficiais e os processos governamentais são mais eficientes.

A integração das secretarias e órgãos públicos também proporciona significativa economia ao governoque deixou de alugar prédios para instalar as instituições. No único complexo, os servidores podem otimizar os serviços de conservação e manutenção, limpeza, telefonia, transporte entre outros.

Os prédios que formam a Cidade Administrativa são equipados com avançados sistemas de iluminação, água e ventilação. Outra economia é gerada com a utilização de esgoto a vácuo em todo o complexo de prédios.

O aproveitamento da luz natural no complexo e o sistema de iluminação automatizada, além de elevadores inteligentes contribuem para racionalizar o consumo de energia elétrica, gerando economia aos cofres públicos.

A Cidade Administrativa é o resultado da gestão eficiente de Aécio Neves.

Link da matéria: http://www.jogodopoder.com/blog/gestao-publica-2/gestao-eficiente/gestao-eficiente-aecio-neves/

Aécio Neves aprova prévias presidenciais

Fonte: Assessoria de Imprensa do Senador Aécio Neves

Proposta do senador Aécio Neves que estabelece prazo para realização de prévias é aprovada

 Senador Aécio Neves aprova prévias presidenciais

Senador Aécio Neves aprova prévias presidenciais

senador Aécio Neves (PSDB/MG) teve aprovada, nesta quarta-feira (25/04), proposta de sua autoria que estabelece prazos para a realização de prévias partidárias para escolha de candidato àPresidência da República. O senador apresentou emenda, aprovada naConstituição e Justiça (CCJ) do Senado, prevendo que as prévias poderão ser realizadas a partir de um ano antes da data da eleição até o primeiro domingo de junho do ano eleitoral.

A emenda de Aécio Neves refere-se aoprojeto de lei do Senado 156, de 2011, aprovado em caráter terminativo, e que cria regras para a realização de prévias partidárias para candidatos à Presidência. Se não houver recurso, o PLS segue para votação na Câmara dos Deputados.

A proposta não obriga os partidos a promoverem as chamadas eleições primárias que, por serem de âmbito partidário, não torna necessária a desincompatibilização de pré-candidatos com cargo no Executivo.

Para o senador Aécio, a realização de prévias é essencial para valorizar a militância e fortalecer os partidos.

“Essa é uma matéria estruturante na vida partidária. Vem ao encontro de um anseio que os partidos políticos têm, ou deveriam ter, de participação cada vez maior da militância partidária, não só nas campanhas, mas também na definição dos candidatos e dos programas. O momento em que regulamentamos as prévias, damos uma sinalização à militância, de que eles terão papel importante, até decisivo, na escolha daqueles que serão candidatos aos cargos majoritários”, disse Aécio.

O PLS 156 é de autoria do senador Álvaro Dias e foi relatado na Comissão de Constituição e Justiça pelo senador Pedro Taques.

Link da matéria: http://www.aecioneves.net.br/2012/04/proposta-de-aecio-neves-que-estabelece-prazo-para-realizacao-de-previas-e-aprovada/

CCJ do Senado aprova projeto que regulamenta prévias presidenciais

Fonte: Bruno Peres – Valor Econômico 

Comissão de ConstituiçãoJustiça e Cidadania (CCJ), do Senado, aprovou ontem a formalização da pré-campanha eleitoral para postulantes à Presidência da República. De autoria do senador Alvaro Dias (PSDB-PR), a proposta disciplina a realização de eleições primárias para a escolha partidária do candidato, instituindo a realização de pré-campanha.

Foram acrescidas à proposta do senador duas emendas. A primeira delas é a possibilidade de realização de pré-campanha desde um ano antes do pleito até a realização das eleições primárias, no primeiro domingo de junho.

O relator da proposta, senador Pedro Taques (PDT-MT), considerou que o período abre espaço para “apresentação de ideias” que colaboram para “o amadurecimento do sistema eleitoral como um todo”.Inicialmente, o texto previa cerca de 60 dias para a realização de pré-campanha. “As prévias já podem ser feitas, o que há de novo aqui? A possibilidade de pré-campanha. Essa é a inovação”, justificou o relator da proposta, Pedro Taques (PDT-MT), ao acolher emenda proposta pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Ao relatar a proposta, Taques acrescentou outra emenda, tornando obrigatório o acompanhamento por parte da Justiça Eleitoral de todo o processo. Assim, serão definidas regras para a realização da pré-campanha e também das prévias, assegurando o regulamento mínimo para a briga interna dos partidos na busca por votos de militantes.

O projeto foi criticado pela senadora Marta Suplicy (PT-SP). Marta é um dos quadros petistas lembrados para a sucessão do governo paulista em 2014. Para a senadora, trata-se de “um projeto de ocasião”.

A proposta, aprovada em caráter terminativo, seguiria para análise da Câmara, sem passar pelo plenário, mas senadores contrários à proposta anunciaram que vão apresentar requerimento para uma nova deliberação dos senadores em plenário. “Se você quer fazer uma reforma política com seriedade, tem que debater o financiamento de campanha. Não pode ir pelas bordas, é preciso debater primeiro o financiamento de campanha e depois tratar de outras questões”, disse o senador Inácio Arruda (PCdoB-CE). Para garantir que a proposta seja analisada em plenário, Arruda, precisa do apoio de um quinto do Senado.

Senador Aécio Neves – Link da matéria: http://www.valor.com.br/politica/2633720/ccj-do-senado-aprova-projeto-que-regulamenta-previas-presidenciais

Aécio Neves ao falar sobre Demóstenes disse lamentar “profundamente” que um senador da República se disponha a defender interesses de um contraventor.

Fonte: Rosa Costa, da Agência Estado

Aécio se diz ‘traído’ por Demóstenes por indicação de prima de Cachoeira

Escustas da PF mostraram que senador intercedeu junto ao ex-governador de MG para arrumar emprego a Mônica Vieira; tucano negou ter ligações com contraventor
 Senador Aécio Neves diz que foi traído
Aécio Neves: senador diz que foi traído por Demóstenes

BRASÍLIA – O senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse nesta terça-feura, 24, que se sente “traído” pela iniciativa dosenador Demóstenes Torres (sem partido-GO) de lhe pedir a nomeação da prima do contraventor Carlinhos Cachoeira em um cargo comissionado. A prima do bicheiro, Mônica Beatriz Silva Vieira, assumiu o cargo de diretora regional da Secretaria de Estado de Assistência Social, em Uberaba, em 25 de maio do ano passado.

Segundo reportagem publicada nesta terça pelo Estado, do pedido de Cachoeira a Demóstenes até a nomeação de Mônica bastaram apenas 12 dias e 7 telefonemas. A informação de que Demóstenes fez o pedido a Aécio, atendendo a uma demanda de Cachoeira, está comprovada pela escuta telefônica da Polícia Federal, na Operação Monte Carlo. Ele lembrou que, na época, comunicou ao presidente do DEM, José Agripino (RN), que aquela demanda estava sendo atendida. Aécio garantiu que não tem nenhum tipo de relação com Cachoeira.

Ele alegou que, há um ano, não tinha motivos para questionar um pedido de Demóstenes, tido então como “um senador acima de qualquer suspeita”. “Eu me sinto traído na minha boa fé, mas fiz aquilo que faço quando recebo indicação de partidos aliados”, afirmou. “Ele fez uma indicação que cabia ao seu partido e como ela tinha qualificação, encaminhei o pedido à Secretaria de Governo”.

Aécio disse lamentar “profundamente” que um senador da República se disponha a defender interesses de um contraventor. “E só ontem ficamos sabendo disso”, lembrou. “Nem eu nem ninguém no Brasil sabia há um ano atrás dessas ligações do senador Demóstenes, a imprensa dava a ele a aura de combatente contra a corrupção, o grande legalista e todo mundo está absolutamente decepcionado”, justificou.

O senador tucano concordou que o episódio mostra o risco em atender aos pedidos motivados pelo apadrinhamento político. “Acho que essa cautela tem de ter. O governo de Minas Gerais é a referência hoje no que diz respeito à administração de qualidade, à meritocracia”, destacou. Ainda assim, entende que a indicação política não pode, por si só, ser vista como uma ilegalidade: “O que ninguém pode esperar é ser instrumento para interesse de terceiros, de interesses que eu diria do campo do ilícito e não da política, agora o cuidado com a indicação tem de ter”, constatou.

O senador Aécio Neves disse que, nesse caso, fez o que faria “10 outras vezes”. “Indiquei à secretaria, o currículo era compatível. O brasileiro não tem bola de cristal para imaginar as ligações do seu Demóstenes”, reiterou. “Uma indicação do seu Demóstenes credenciava o indicado, um ano se passou e fomos surpreendidos com a ligação desse senador com a contravenção”. No seu entender, Demóstenes, “violentou a confiança da Casa”. “Há um ano atrás, ninguém poderia imaginar. Eu me sinto traído na confiança. O que fiz foi atender a uma demanda partidária”.

Link da matéria: http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,aecio-se-diz-traido-por-demostenes-por-indicacao-de-prima-de-cachoeira,864910,0.htm