• Agenda

    janeiro 2012
    S T Q Q S S D
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Aécio e Anastasia visitam Ouro Preto

FonteAssessoria de Imprensa do senador Aécio Neves

Aécio Neves visita Ouro Preto e diz que Minas trabalha para receber turistas

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) visitou, nesta terça-feira (17/01), o município de Ouro Preto, a 98 quilômetros de Belo Horizonte, onde prestou solidariedade aos familiares dos mortos no desabamento ocorrido em razão das chuvas e participou da reabertura do acesso à rodoviária da cidade, interditada desde 3 janeiro.

Ao lado do governador Antonio Anastasia e do prefeito de Ouro Preto, Angelo Oswaldo, o senador destacou a importância da retomada das atividades turísticas nos municípios históricos de Minas que sofreram danos causados pelas chuvas.

“”Essas cidades estarão plenamente preparadas para recebê-los com a hospitalidade tradicional, com a hospitalidade de sempre. Saio de Ouro Preto convencido de que o pior realmente passou. Trouxemos nossa solidariedade às famílias das vítimas que tivemos oportunidade de nos encontrar, e vamos continuar fazendo o que sempre fizemos ao longo dos últimos oito anos em Minas Gerais. Trabalhando para minimizar os efeitos da tragédia””, disse o senador.

Ouro Preto abriga um dos principais acervos artísticos e arquitetônicos do país. Nenhum deles sofreu prejuízos em decorrências das chuvas ou do deslizamento de terras ocorrido em 3 de janeiro, soterrando os taxistas Juliano Alves e Denílson de Araújo e destruindo parte da rodoviária local. Os trabalhos de remoção de terras do acesso ao local foram encerrados hoje, após a retirada de 3.500 caminhões. A reabertura do tráfego de carros no local está prevista para o final da semana. A prefeitura estima em R$ 30 milhões os recursos emergenciais necessários.

“A cidade está pronta para receber o fluxo de turistas que normalmente vêm nessa época do ano, em especial para o carnaval. Houve uma ação rápida, parceira, do Estado com a prefeitura municipal, com a sociedade organizada. Nossa presença aqui tem o sentido de dar tranqüilidade àqueles que já fizeram suas reservas ou que têm intenção de vir a Ouro Preto ou a qualquer outra cidade do Circuito Histórico”.

Em entrevista, Aécio Neves voltou a cobrar agilidade do governo federal na liberação dos recursos prometidos para atendimento dos municípios em situação de emergência.

“”É preciso que haja agilidade na liberação desses recursos. Não vou dizer que não há boa vontade, mas temos tantos trâmites burocráticos, os recursos acabam chegando alguns ou muitos meses depois do acontecido. O Governo do Estado, ao longo dos últimos anos, vem se organizando, a Defesa Civil de Minas Gerais é reconhecida pelo governo federal, pelo Ministério da Integração, como a mais bem equipada e mais bem preparada do Brasil. Mas, é preciso que haja uma parceria mais efetiva entre os governos estaduais, o governo federal e os municípios onde tradicionalmente essas chuvas ocorrem. Não apenas durante o período da calamidade, mas durante todo o ano””, alertou.

Na Igreja de São Francisco de Paula, datada de 1804, o senador Aécio Neves participou de uma cerimônia em memória das vítimas das chuvas em Minas. O estado registrou 15 mortes decorrentes das chuvas este ano. A cerimônia foi celebrada pelo bispo Emérito de Oliveira, Dom Francisco Barroso Filho, com a presença das famílias de vítimas.

Reconstrução 

Em Belo Horizonte, Aécio Neves participou de reunião de trabalho do governador Antonio Anastasia com o coordenador estadual de Defesa Civil, coronel Luis Carlos Martins, a presidente do Servas, Andrea Neves, e os presidentes da Federação da Indústria de Minas Gerais (Fiemg), Olavo Machado, e Federação do Comercio (Fecomércio), Lázaro Luiz Gonzaga, quando foi anunciada a doação de material de construção para as famílias desabrigadas pelas chuvas no Estado.

O  material de construção será repassado às prefeituras que construirão as casas. O Governo do Estado e as entidades vão solicitar ao Ministério Público Estadual que fiscalize a aplicação dos recursos. Segundo balanço da Defesa Civil, 174 cidades mineiras decretaram estado de emergência, 53.437 pessoas estão desalojadas e 4.683 estão desabrigadas.

“Iniciamos uma conversa hoje com as duas principais entidades de classe de Minas Gerais para que voltemos a ter o apoio solidário das empresas que podem contribuir para a reconstrução das casas que foram totalmente destruídas. Faremos isso em parceria com as prefeituras, com o monitoramento do Ministério Público e acho que é uma resposta efetiva que poderemos dar a partir da experiência que acumulamos ao longo dos últimos nove anos”, afirmou o senador.

Governo de Minas: candidado aprovado no PEP já pode consultar local, dia e horário de matrícula

BELO HORIZONTE (18/01/12) – Os cerca de 30 mil candidatos classificados para a 6º edição do Programa de Educação Profissional (PEP) já podem consultar o seu dia de matrícula e a instituição de ensino na qual deverá se matricular. A consulta pode ser feita pelo site da Secretaria de Estado de Educação (SEE) ou no ambiente virtual do programa. As matrículas deverão ser feitas a partir do dia 23 de janeiro.

Para consultar o local, horário e o dia de matrícula o candidato deve clicar no link do resultado do exame e informar o número do CPF. Nesse link irá aparecer o endereço da instituição e os documentos necessários no ato da matrícula.

Em sua 6ª edição, o PEP ofereceu 30 mil vagas em 60 cursos técnicos gratuitos. Os cursos estão distribuídos em 123 municípios mineiros.

Documentos necessários para matrícula

Para se matricular no curso, o aprovado deve se dirigir à instituição de ensino credenciada, munido de histórico escolar, comprovando a escolaridade requerida para ingresso no PEP, ou declaração de conclusão do ensino médio (validade 30 dias); declaração de frequência, assinada pelo diretor ou representante da escola estadual, se o candidato estiver regularmente matriculado no 2º ou no 3º ano do ensino médio, ou 1º ou 2º ano do curso de Educação de Jovens e Adultos, na modalidade presencial; certidão de nascimento ou casamento; CPF; carteira de identidade; título eleitoral e comprovante de quitação com o serviço eleitoral, para maiores de 18 anos; comprovante de quitação com o serviço militar, se maior de 18 anos – sexo masculino; uma foto 3×4 recente, e comprovante de residência.

Programa de Educação Profissional

Criado pelo Governo de Minas em 2007, o PEP oferece oportunidade de capacitação profissional gratuita aos jovens mineiros. Com a 6ª edição, o programa ultrapassa a marca de 200 mil estudantes atendidos. O investimento total chega a R$ 569 milhões. Os cursos do PEP são oferecidos em escolas credenciadas (sistema S e particulares), em escolas públicas conveniadas e em escolas da rede estadual. Essas instituições formam a Rede Mineira de Formação Profissional Técnica de Nível Médio.

Governo de Minas: Plug Minas realiza 2ª Mostra de Artefatos com entrada gratuita até 17 de março

 

BELO HORIZONTE (18/01/12) – Com entrada gratuita, já está aberta à visitação a 2ª Mostra de Artefatos do Plug Minas. A exposição, que está em cartaz na galeria do Núcleo Caminhos do Futuro, se estende até 17 de março e traz na interatividade com os visitantes uma de suas marcas mais expressivas. A mostra inaugura a temporada de exposições do Plug Minas em 2012 e reúne uma série de projetos desenvolvidos durante o ano passado pelos jovens e educadores do Centro de Formação e Experimentação Digital.

A gerente de Produção do Plug Minas, Laura Bastos, explica que além dos artefatos, o chão da galeria do Núcleo Caminhos do Futuro é uma atração à parte. “O piso da galeria está todo revestido com papel craft. Dessa maneira, o público participará ativamente da exposição, seja com um desenho ou com um texto, ele estará interagindo com a mostra”, revela Laura.

Segundo a gerente, o ideal é que as visitas sejam realizadas em grupos. “São mais de 20 artefatos sugeridos pelos núcleos que integram o Plug Minas, a maioria deles propõe a interatividade com o visitante, como animações, jogos e vídeo-instalações. Além disso, temos monitores que vão acompanhar grupos durante as visitas, com o intuito de explicar o funcionamento da mostra e propor um trabalho de percepção, sensibilização e concentração do público em jogos interativos”, avalia.

Para estimular a visita em grupos, a equipe do Plug Minas já trabalha para fechar parcerias com projetos sociais e escolas, sobretudo, a partir de fevereiro. Dentre outras atrações, a 2ª Mostra de Artefatos vai reunir: ‘Boneco Articulado’, ‘Argon Loader’, ‘Onde está o Jogo?’, ‘Vídeo Atrative’, ‘Plug Defense’, ‘Híbrido – obra’, ‘Cristo’, Vídeo ‘Fruit Flavor’, ‘Carpinteiro’, ‘Olho Mágico’, Vídeo ‘Bazar das Pulgas’, ‘Dream’, animação em vídeo ‘Torres Gêmeas’, vídeo e figurino do espetáculo ‘A Lira e o Tambor’.

2ª Mostra de Artefatos

Local: Plug Minas – Centro de Formação e Experimentação Digital – Galeria do Núcleo Caminhos do Futuro

Endereço: Rua Santo Agostinho, número 1441 – Bairro Horto

Data: de 17 de janeiro até 17 de março

Horário de visitação:

De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h (Durante o mês de janeiro)

De segunda a sexta-feira, das 9h às 21h, sábado, das 9h às 13h (De fevereiro em diante)

Horário das atividades monitoradas:

De segunda a sexta-feira, das 9h às 15h30

Contato: 31 3484-1015

www.plugminas.mg.gov.br

Entrada Gratuita

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: pesquisa aborda ações da Emater-MG para conservação do solo e da água

 

FUNILÂNDIA (18/01/12) – Conservar o solo e a água. Esse é o objetivo de um projeto desenvolvido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) em parceria com outras instituições no município de Funilândia, região Central. O trabalho tem ajudado a melhorar, por exemplo, a infiltração de água no solo e a evitar erosões. Além de visar a preservação ambiental, o projeto despertou o interesse do setor acadêmico e foi tema de uma pesquisa do curso de engenharia ambiental do Centro Universitário de Sete Lagoas (Unifemm).

O projeto de monitoramento de conservação do solo e da água em Funilândia foi implantado em 2008. A iniciativa é desenvolvida em parceria da Emater-MG com prefeitura, Câmara Municipal, Ruralminas, Instituto Estadual de Florestas (IEF), Grupo de Pesquisa em Recursos Hídricos (GPRH) da Universidade Federal de Viçosa e Comitê da Bacia Hidrográfica do Ribeirão Jequitibá. O trabalho desenvolvido no município tem como objetivo a revitalização da bacia do ribeirão Jequitibá, que deságua no rio das Velhas, um dos mais importantes afluentes do rio São Francisco.

O primeiro passo para a implantação do projeto foi orientar os agricultores sobre a importância de se preservarem o solo e a água. O trabalho de educação ambiental da Emater envolveu quatro comunidades do município. Os produtores participaram de palestras e cursos.

Além da educação ambiental, outras ações também foram realizadas, como a construção de terraceamentos e bacias de captação de águas pluviais e de enxurradas. Além de evitar erosões, assoreamento de rios e melhorar a infiltração de água no solo, os terraceamentos e, principalmente, as bacias de captação contribuem para a conservação das estradas rurais. O cercamento de nascentes é outra ação do projeto de preservação do solo e da água no município. A medida é necessária para evitar, por exemplo, que o local seja pisoteado por animais.

O trabalho de conservação do solo e da água em Funilândia tem um diferencial. Com o auxílio de aparelhos apropriados, foi possível saber o volume de água captado pela bacia e o quanto infiltrou no solo. Depois de coletados, os dados foram analisados com o auxílio de um software. “Para isso, nós contamos com a ajuda do GPRH da Universidade Federal de Viçosa, que cedeu os equipamentos instalados nos terraços e bacias de captação, para verificar o volume de água que infiltra no solo”, explica o extensionista da Emater-MG Adenilson de Freitas.

De acordo com o técnico, esse tipo de verificação é pouco comum em projetos como o desenvolvido em Funilândia. Neste caso, a iniciativa foi dele e permitiu um monitoramento sistematizado das ações realizadas e propor novas medidas. As ações desenvolvidas no município de Funilândia estão inseridas no Programa de Revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco. A iniciativa é dos governos federal e estadual, e executada pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Paranaíba (Codevasf), em parceria com a Emater-MG.

Pesquisa

O projeto desenvolvido em Funilândia despertou o interesse do setor acadêmico. A pesquisa “Educação Ambiental e Monitoramento de Práticas Mecânicas de Conservação do Solo e da Água” foi realizada pelo extensionista da Emater-MG e aluno do curso de engenharia ambiental da Unifemm, Adenilson de Freitas, orientado pela professora Marília Queiroz de Rezende.

O trabalho acadêmico teve como proposta demonstrar a eficiência das práticas mecânicas para a conservação do solo e da água, associada à educação ambiental. Para isso, ele analisou as ações desenvolvidas no projeto de conservação do solo e da água em Funilândia. Segundo Freitas, a captação de água de chuvas e enxurradas melhorou a recarga do lençol freático. “O monitoramento das bacias de captação demonstraram resultados satisfatórios, sendo capazes de armazenar e infiltrar 12,3% do total precipitado”.

Outro ponto importante destacado pela pesquisa foi o trabalho de conscientização dos produtores rurais. De acordo com Freitas, apesar de os agricultores se preocuparem com a poluição dos rios, eles não conheciam as práticas de conservação. “Por isso, o trabalho de educação ambiental é muito importante. Sem essa orientação, não é possível alcançar bons resultados na preservação do meio ambiente”, explica. Freitas ainda lembra que é fundamental a continuidade e manutenção das ações realizadas, como a construção de bacias de captação e terraços para a preservação da microbacia do ribeirão Jequitibá. No geral, o trabalho acadêmico demonstrou a importância de práticas mecânicas associadas à educação ambiental para a conservação do solo e da água.

Reconhecimento

A pesquisa de Adenilson de Freitas ficou em terceiro lugar na categoria Estudante de Nível Superior do 10º Prêmio Ouro Azul,  no fim de 2011. O prêmio é uma realização dos Diários Associados em parceria com Furnas Centrais Elétricas. A iniciativa tem como objetivo valorizar ideias viáveis para revitalização e conservação dos recursos hídricos. Nesta edição do Furnas Ouro Azul, foram inscritos 72 projetos em sete categorias.

Fonte: Agência Minas

Governador Antonio Anastasia vistoria trabalhos de remoção de terra em Ouro Preto

 

OURO PRETO (17/01/12) – O governador Antonio Anastasia, acompanhado do senador Aécio Neves, da presidente do Servas, Andrea Neves, e do coordenador estadual de Defesa Civil de Minas Gerais (Cedec-MG), coronel Luis Carlos Dias Martins, vistoriou, nesta terça-feira (17), os trabalhos finais de remoção de terra e entulhos em Ouro Preto, um das 174 cidades mineiras que decretaram situação de emergência em função dos estragos da chuva. No último dia 2, um deslizamento de terra no Morro do Piolho avançou sobre trecho da rua Padre Rolim, principal via de acesso à cidade, soterrando parte do terminal rodoviário, provocando a morte de duas pessoas.

Recebido pelo prefeito Ângelo Oswaldo, o governador Anastasia acompanhou os trabalhos de máquinas e caminhões para a remoção da terra. Ele se solidarizou com familiares dos dois taxistas mortos, devido ao soterramento. Antonio Anastasia também participou de manifestação religiosa, na Igreja São Francisco de Paula, em solidariedade às vítimas. Ao lado do pároco da igreja, padre Marcelo Moreira Santigo, e de Dom Francisco Barroso Filho, Anastasia assinou o livro de registro da sua visita.

“Essa visita de solidariedade a Ouro Preto também é uma demonstração para Minas e o Brasil de que a cidade histórica está em plenas condições de receber os turistas. O turismo é muito importante para a cidade, sendo a principal fonte de renda para Ouro Preto”, afirmou o governador.

Clique aqui para ver entrevista e imagens da visita de Antonio Anastasia a Ouro Preto.

Projetos

Em entrevista coletiva, o governador de Minas disse que a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana (Sedru) recebeu da prefeitura de Ouro Preto uma lista de projetos de recuperação e prevenção de desastres de chuva. Com investimentos da ordem de R$ 9,1 milhões, as intervenções incluem contenção de encostas, drenagem de ruas e construção de muros de arrimo.

“Os projetos apresentados pelo prefeito Ângelo Oswaldo foram recebidos pela Sedru, estão sendo compatibilizados e serão nencaminhados ao Ministério do Planejamento. São projetos que visam basicamente à contenção de encostas, na medida que Ouro Preto, pela sua geografia, é uma cidade que sofre muito com o deslizamento das encostas”, afirmou.

É a segunda vez que o governador Anastasia visita a cidade histórica em razão dos estragos da chuva. Há duas semanas, Anastasia foi ao local do deslizamento de terra para acompanhar os trabalhos do Corpo de Bombeiros para o resgate das vítimas do acidente.

Solidariedade

Antonio Anastasia lembrou que medidas da ordem tributária, de estímulo às empresas, de recomposição da vida das pessoas, como o adiamento do pagamento de tarifas de energia e de água, entre outras ações, estão contribuindo para a volta a normalidade dos municípios atingidos. Ele aproveitou para agradecer mais uma vez a solidariedade do povo mineiro, diante dos desastres.

“Queria agradecer a solidariedade de todos os mineiros na campanha que está sendo feita pelo Servas, de doação de bens, alimentos, água, e todos os tipos de utensílios, para recompor um pouco as perdas que aconteceram”, disse.

O senador Aécio Neves disse que, graças às ações integradas, Ouro Preto se recompôs rapidamente e está pronta para receber turistas. Ele cobrou do governo federal agilidade na liberação de recursos para a reconstrução da cidade. “Não vou dizer que não há boa vontade, mas temos tantos trâmites burocráticos que acabam fazendo, como já ocorreu no passado, os recursos chegem alguns ou muitos meses depois do acontecido. É preciso que haja uma parceria mais efetiva do governo federal com os governos estaduais e municípios onde tradicionalmente as chuvas ocorrem”, disse.

Turismo

A expectativa da prefeitura municipal é que o trecho da rua Padre Rolim, afetado pelo deslizamento, seja liberado para tráfego de carros e pedestres na próxima semana. Um terminal rodoviário provisório foi instalado próximo ao posto oficial de informações turísticas da cidade, a menos de 500 metros da rodoviária.

O prefeito Ângelo Oswaldo agradeceu a visita do governador Antonio Anastasia. Ele ressaltou que Ouro Preto venceu os obstáculos trazidos pelos temporais e conjuga hoje obras de recuperação dos pontos críticos com a plena normalização da vida urbana. Segundo a prefeitura, existem no município 32 famílias desabrigadas e outras 85 desalojadas.

“A cidade voltou a receber intensos fluxos turísticos e todos que desejam conhecer esse patrimônio que compartilhamos com o mundo inteiro são muito bem-vindos e serão testemunhas da beleza da nossa cidade. O centro histórico não foi afetado e todas as cidades do Circuito do Ouro estão de igual modo de portas abertas para o turismo, responsável pro milhares de empregos da nossa comunidade”, afirmou o prefeito.

Fonte: Agência Minas

Aécio Neves diz que Governo Dilma do PT virou as costas para a saúde

Fonte: O Estado de S.Paulo

Estados temem impacto fiscal de verbas à saúde

A sanção, com vetos, pela presidente Dilma Rousseff da lei complementar que fixa os recursos mínimos a serem investidos em saúde, a Emenda 29, recebeu ontem duras críticas de parlamentares oposicionistas e já preocupa governadores. Durante um encontro com o governador de Minas, Antonio Anastasia (PSDB), o senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou em Belo Horizonte que o governo federal “virou as costas” para a saúde.

Aécio reclamou do veto da presidente aos dispositivos que previam gasto mínimo de 10% da receita da União e aumento do investimento federal caso haja revisão para cima do Produto Interno Bruto (PIB), ao qual os gastos são vinculados.

Para ele, do jeito que foi sancionada, a lei é “praticamente inócua” para a União. “O ônus recai quase que exclusivamente sobre Estados e municípios. Os Estados vêm se adequando. Fazendo historicamente esforços nessa direção. A União fez o contrário. Infelizmente não há esforço solidário do governo federal”, disse.

No fim de seu segundo mandato, Aécio foi alvo de ação civil pública proposta pelo Ministério Público Estadual, que o acusou de improbidade administrativa. O MP apontou “fraude contábil” nas prestações de contas do governo mineiro referentes às despesas com saúde. O governo rebateu, alegando que houve uma interpretação errada por parte da Promotoria. A sanção da lei vai obrigar o governo mineiro a readequar a previsão orçamentária para 2012. O Estado ainda não sabe de quanto será o impacto nas contas públicas.

O Rio Grande do Sul, governado pelo petista Tarso Genro, precisaria destinar R$ 945 milhões a mais por ano para atender a exigência da Emenda 29 que manda os Estados destinarem 12% de sua receita corrente líquida para a área da saúde. O Estado não dispõe desses recursos, mas, segundo o secretário do Planejamento, João Motta, vai se enquadrar na norma até 2014.

Com um acréscimo de R$ 340 milhões no orçamento deste ano, o governo do Paraná acredita que conseguirá cumprir o porcentual de 12% das receitas estaduais no setor de saúde. “O que fizemos foi economizar no supérfluo, fechar as torneiras do desperdício e melhorar a gestão pública”, disse o governador Beto Richa (PSDB).

Segundo Richa, o Estado retirou da rubrica da saúde o plano de saúde dos servidores, as pensões para hansenianos e alguns programas de saneamento básico. O governador também reclamou da derrubada do dispositivo que destinava 10% das receitas federais para o setor. / MARCELO PORTELA, ELDER OGLIARI e EVANDRO FADEL

Governo de Minas: micro e pequenos empresários do Triângulo e Alto Paranaíba já podem ter acesso a financiamentos do BDMG

BELO HORIZONTE (17/01/12) – Cooperativas de crédito do Triângulo e do Alto Paranaíba  já podem oferecer, a partir deste mês, financiamentos de baixo custo a micro, pequenas e médias empresas da região. A iniciativa faz parte do projeto Correspondentes Bancários do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). O objetivo do Governo de Minas, por meio da instituição, é facilitar o acesso a crédito para o pequeno empresário do interior do Estado.

Ao todo, 11 cooperativas de crédito do Triângulo e Alto Paranaíba concluíram neste mês, em Uberlândia, o primeiro treinamento regional dentro do projeto. Participaram as cooperativas Sicoob Credicopa, com sede em Patos de Minas; Unicred Comércio e Sicoob Crediara, ambas com sede em Araxá; Sicoob Credicarpa, em Carmo do Paranaíba; Sicoob Credicampina, em Campina Verde; Sicoob Uberaba; Sicoob Coopacredi, em Patrocínio; Sicoob Creditril,  em Uberlândia; Sicoob Crediparnor, em Paracatu; Sicoob Aracoop, em Araguari; Sicoob Credipinho, em João Pinheiro; e Sicoob Credisg, em São Gotardo.

“A partir de agora, todas já estão aptas a representar o BDMG em suas respectivas cidades como correspondentes bancários”, afirma a gerente executiva do projeto Aline Verneque.

Segundo Aline, com o programa de correspondentes bancários, os pequenos  empresários terão acesso a financiamentos para investimentos em seus negócios com menos burocracia e sem percorrer grandes distâncias. “São linhas de crédito específicas para micro e pequenas e médias empresas com faturamento anual inferior a R$ 10 milhões, para quase todas as finalidades, desde capital de giro até investimento fixo ou misto”, destaca.

Na linha de crédito mais utilizada por micro empresas, o BDMG Gera Minas, o empresário poderá adquirir, por exemplo, investimentos com juros de cerca de 12% ao ano, o correspondente a 0,95% ao mês.

Estão credenciadas, no momento, 36 cooperativas em todo o Estado. Até o final do ano, o número deve chegar a 70, cobrindo todas as regiões.  A expectativa do Governo de Minas é que o número de micro e pequenas empresas atendidas pelo BDMG chegue a 6 mil, o dobro da quantidade atual.

Fundese Solidário

Para ajudar as vítimas das chuvas em Minas, o governador Antonio Anastasia determinou ao BDMG a criação do Programa Emergencial de Socorro a Empresas e Cooperativas com Empreendimentos Afetados por Chuvas Intensas (Fundese Solidário VI). Trata-se de uma linha de crédito especial para atender às empresas que sofreram prejuízos com as chuvas.

Técnicos do banco estão, nesta semana, na região da Zona da Mata se reunindo com empresários e líderes políticos da região para explicar como as pessoas que tiveram prejuízos com os temporais poderão ter apoio para reerguer os negócios. As primeiras cidades visitadas foram Além Paraíba, Guidoval e Dona Eusébia.O cronograma, que se estenderá ao longo dos próximos dias, visa atender a todas as regiões do Estado afetadas pelas chuvas.

O empresário interessado nos recursos dessa linha de crédito deve fazer a solicitação pelo site do BDMG. Se preferir, pode também procurar um dos parceiros do banco – Cecremge, Crediminas, Fiemg, FCDL, Fecomércio, Federação dos Contabilistas, Federaminas e Sebrae-MG – na cidade ou região em que está localizada a empresa.

Gestão Anastasia: parceria entre Governo do Estado e União vai levar água para comunidades rurais

 

BELO HORIZONTE (17/01/12) – O Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana (Sedru), assinou nesta terça-feira (17), no auditório do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea-MG), convênios com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) para realização de obras na área de saneamento em 28 cidades do Norte de Minas e dos vales do Jequitinhonha e Mucuri. As obras consistem na implantação de Sistema de Esgotamento Sanitário e de Abastecimento de Água em comunidades com menos de 200 habitantes que, nos últimos anos, sofreram com a falta d’água e de condições sanitárias.

A assinatura desses convênios é resultado de uma parceria entre a Sedru, Copasa e Funasa, que visa assegurar o abastecimento de comunidades, em sua maioria de zonas rurais, com água tratada e acesso a rede de esgoto. Dos 28 convênios assinados, 12 são para a implementação de sistemas de abastecimento de água e 16 são para a construção de sistemas de esgotamento sanitário. Para a realização dessas obras serão investidos R$ 15,8 milhões, sendo R$ 12,7 milhões de recursos da União e R$ 3,1 milhões de contrapartida do Governo de Minas.

“A implementação dos sistemas de saneamento nesses municípios tem o objetivo de melhorar as condições sanitárias e o acesso a água tratada de milhares de famílias, proporcionando a melhoria da qualidade de vida, o aumento dos índices sociais, além de devolver a dignidade para pessoas que não tem em casa água tratada para beber, cozinhar, dar banho nas crianças ou lavar roupa”, destacou o secretário de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana, Bilac Pinto.

Resposta ao legislativo

Em setembro do ano passado, foi entregue ao secretário Bilac Pinto um relatório elaborado pela Comissão de Assuntos Municipais da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), por meio da Caravana do Jequitinhonha, que percorreu cidades no semiárido mineiro, identificando as localidades que mais necessitava de intervenções sanitárias.

Com esse diagnóstico em mãos, a Sedru, juntamente com a Copasa, elaborou uma proposta de ações pontuais nessas comunidades para acabar com os problemas de falta de água e melhora das condições sanitárias. Esta proposta foi apresentada à Funasa, que aprovou a execução de obras em 28 cidades da região.

“Quero destacar a importância da parceria entre o governo federal, Governo de Minas e Poder Legislativo. Foi graças a essa combinação de força política que hoje celebramos a ajuda aos municípios que sofrem com a seca no Estado de Minas Gerais. Uma demanda que surgiu por intermédio de uma caravana da Assembleia na região e que foi passada para o governador Antonio Anastasia, que determinou à Sedru o atendimento a esses municípios detectados. Assim, procuramos a Funasa que, prontamente, atendeu nossa demanda, por meio do presidente Gilson Queiroz”, disse Bilac Pinto.

Municípios atendidos

As cidades que vão receber obras de abastecimento de água são: Araçuaí, Berilo, Catuji, Francisco Badaró, Itaipé, Jenipapo de Minas, Luislândia, Mirabela, Novo Cruzeiro, Ponto dos Volantes e Virgem da Lapa.

Já as obras de esgotamento sanitário serão realizadas nas cidades de: Águas Formosas, Ataléia, Capelinha, Carlos Chagas, Catuji, Chapada do Norte, Delfinópolis, Diamantina, Felisburgo, Frei Gaspar, Grão Mogol, Itambacuri, Ladainha, Minas Novas, Pescador e São Roque de Minas.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: DER-MG define empresa para reconstrução de ponte sobre o rio Xopotó, em Guidoval

BELO HORIZONTE (17/01/12) – O Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de Minas Gerais (DER-MG) abriu, nesta terça-feira (17), as propostas para reconstrução da ponte sobre o rio Xopotó, em Guidoval. O município, localizado na Zona da Mata Mineira, foi um dos mais castigados pelas chuvas. Serão investidos cerca de R$ 18 milhões, valor que inclui a implantação de uma variante de 1,8 quilômetro.

A escolha da empresa foi por meio da modalidade Dispensa de Licitação, devido à urgência e quatro empresas apresentaram propostas. A vencedora foi a Aterpa M.Martins S.A, que terá prazo de cinco meses para construção da nova ponte e da variante.

A nova ponte de Guidoval terá 130 metros de comprimento por 11 metros de largura e será implantada em outro local, com cinco metros de altura a mais do que a ponte antiga.

Medida emergencial

Para garantir a mobilidade dos moradores de Guidoval, o DER-MG providenciou a melhoria dos acessos por estradas municipais e estaduais como alternativas de tráfego.

A reconstrução imediata da ponte foi uma determinação do governador Antonio Anastasia, em visita ao município em que, além da ponte, a força das águas destruiu casas, estradas e deixou famílias desabrigadas.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: entidades empresariais vão ajudar na construção das casas dos atingidos pelas chuvas

 

BELO HORIZONTE (17/01/12) – O governador Antonio Anastasia se reuniu, nesta terça-feira (17) com o senador Aécio Neves, o coordenador estadual de Defesa Civil, coronel Luis Carlos Martins, a presidente do Servas, Andrea Neves, e os presidentes da Fiemg, Olavo Machado, e da Fecomércio, Lázaro Luiz Gonzaga. Eles discutiram propostas para ajuda do setor privado para a reconstrução de casas destruídas pelas chuvas que assolaram o Estado.

As entidades se comprometeram com o governador a doar material para a construção de casas para a população atingida pelas chuvas em Minas. A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) já fez um levantamento das famílias que precisarão de apoio do poder público, constatando que hoje seria preciso a construção de cerca de 650 unidades.

“Depois dos anúncios relativos ao adiamento do recolhimento de ICMS, às tarifas de energia e de água, a entrega de materiais, a questão tributária, a questão do Fundese, nós tivemos uma reunião com a presença do presidente da Federação do Comércio e da Federação das Indústrias para tomar uma iniciativa sugerida pelo senador Aécio, que é a reconstrução das casas totalmente destruídas pelas enchentes. Nós vamos contar mais uma vez com a parceria das entidades empresariais e das prefeituras. Estamos estimando em cerca de 650 casas. Vamos entregar para as prefeituras o material de construção, que será originário de doações organizadas pela Fiemg e a Fecomércio, bem como assistência técnica”, anunciou o governador.

Anastasia explicou que a ação faz parte das duas primeiras etapas da estratégia do Governo para o atendimento às vítimas das chuvas, que são a volta à normalidade e a reconstrução das regiões afetas. A ideia é que terminado o período de chuvas já se tenha toda logística do sistema montado e identificado qual apoio técnico será necessário.

“É um esforço importante que o Governo vai realizar em parceria com a sociedade com o objetivo de restaurar essa normalidade no prazo mais curto. Claro que só vamos começar esse tipo de procedimento tão logo haja o término do período chuvoso e que deve ser, no mais tardar, no final do mês de fevereiro. Enquanto isso, vamos identificar todas as questões de logística. E vamos continuar sempre identificando outras possibilidade de minimizar as questões relativas aos danos das enchentes”, assegurou Anastasia.

A intenção é que o material de construção seja repassado para as prefeituras que ficarão encarregadas de construir as casas. O governo do Estado e as entidades, que participarão desse esforço, vão solicitar ao Ministério Público Estadual que fiscalize a aplicação dos recursos. “A Federação das Indústrias e a Federação do Comércio serão responsáveis, junto com as empresas, pela doação do material de construção. Vão identificar qual o material necessário para a construção dessas casas e vão ser responsáveis para que esse material seja doado. Nós vamos levá-los às prefeituras e também vão participar com assistência técnica, com engenheiros, com técnicos para orientarem as prefeituras, claro, de acordo com cada realidade, na reconstrução das casas”, explicou.

Referência

O senador Aécio Neves, presente na reunião que discutiu o plano para reconstrução das casas, destacou o trabalho que o governo de Minas vem fazendo para atendimento das regiões mais afetadas pelas chuvas. “Desde o início do período chuvoso, mesmo no ano passado, tenho conversado quase que diariamente com o governador Anastasia. A nossa Cedec é reconhecida pelo Governo Federal hoje como a mais bem estruturada do país”, disse.

“Eu trouxe ao governador Anastasia essa sugestão, que obviamente ele já trabalhava, e hoje nós iniciamos uma conversa com as duas principais entidades de classe de Minas Gerais para que nós voltemos a ter o apoio solidário das empresas que podem contribuir para a reconstrução. Acho que é uma resposta efetiva que nós podemos dar a partir da experiência que nós acumulamos ao longo dos últimos nove anos”, afirmou o senador mineiro.

Depois da intervenção do governador, que pediu a União agilidade na liberação dos recursos para ajuda aos municípios, o Estado recebeu hoje o primeiro repasse do Governo Federal para o atendimento emergencial para as vítimas das chuvas. O dinheiro será gasto para garantir a volta da normalidade aos municípios mais atingidos, primeira etapa do plano feito pelo Governo de Minas para atendimento às comunidades mineiras.

“Depois que o governador Anastasia requereu ao ministro da Integração o repasse dos recursos, o Governo do Estado conseguiu, hoje, receber o primeiro depósito, que é pertinente ao Estado. Foram R$ 3 milhões de R$ 10 milhões que serão repassados ao Estado de Minas. Outros quatro municípios, Muriaé, Ouro Preto, Vespasiano e Cipotânea, também receberam recursos do repasse emergencial direto do Governo Federal”, afirmou o coordenador da Cedec, coronel Luis Carlos Martins.

Fonte: Agência Minas