• Agenda

    dezembro 2011
    S T Q Q S S D
    « nov   jan »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

  • Anúncios

Companheiros abandonam Rogério Correia que fica isolado no PT

Fraude do PT, PT em Minas, estelionato do PT, lista falsa, fraude do PT, mar de lama do PT

O isolamento de Rogério Correia

Quando o barco começa a afundar, cada um pula para um lado. É isso o que está acontecendo no PT desde a matéria em que a revista Veja denunciou a participação de deputado do PT e do falsário Nilton Monteiro na fraude da Lista de Furnas.

O primeiro a pular do barco e deixar Rogério Correia foi José Dirceu. Na entrevista concedida à revista o advogado do falsário William dos Santos – ligado ao grupo deRogério Correia – disse que seus contatos na época com José Dirceu teriam outro objetivo.

No dia seguinte, foi desmentido pelo próprio Dirceu. O ex-chefe da Casa Civil do Governo Lula disse que o advogado o procurou pedindo ajuda para o falsário que hoje se encontra preso – acusado de golpes de mais de R$ 300 milhões. Dirceu, que é réu do mensalão, confirmou o pedido de ajuda mas disse que resolveu ficar longe do assunto. Leia entrevista do Zé Dirceu.

Recentemente, foi a vez de Rogério Correia tentar pular do barco. Em entrevista coletiva concedida na última segunda-feira (12/12), mudou todas as versões que já havia dado sobre o caso e jogou a culpa sobre o falsário de ser o único responsável pela fraude.  Veja em O Tempo e no Estado de Minas.

Por fim, não por acaso, hoje o ex-prefeito Patrus Ananinas liderança máxima do grupo que sempre se opôs à aliança com o PSDB na prefeitura de BH – grupo no qual se destaca Rogério Correia – veio a público subitamente mudando de posição e passou a apoiar a aliança que antes criticava. O gesto deixa claro que Patrus busca se distanciar de Rogério Correia e que pretende se manter afastado da presença indesejada do deputado.

É, pelo visto está todo mundo nervoso…

Anúncios

Governo de Minas anuncia ações de combate à dengue em 2012

BELO HORIZONTE (13/12/11) – O governador Antonio Anastasia anunciou nesta terça-feira (13), no Palácio Tiradentes, as ações do Governo de Minas para o enfrentamento à dengue em 2012. As novas medidas darão continuidade ao trabalho que vem sendo realizado com sucesso pela Força Tarefa de combate à doença, formada por integrantes do Exército e por agentes de saúde. O número de casos notificados em Minas caiu 77% em 2011, em relação ao ano anterior, resultado Programa Estadual de Controle Permanente da Dengue, criado pelo Estado, em 2010.

Durante a solenidade, o governador alertou para a gravidade da doença e pediu que a população continue em alerta para que ela seja erradicada. “É fundamental que cada cidadão, no âmbito de sua residência, de sua casa, consiga combater a dengue, diminuindo ou eliminando os focos do mosquito. Só assim a dengue será vencida de maneira absoluta. Então é fundamental que haja essa mobilização, para a qual a imprensa é fundamental, mas que cada pessoa, na sua casa, consiga a reversão e acabar com o foco do mosquito dentro de casa”, afirmou o governador em entrevista.

Reforço

O governador entregou, durante a solenidade, 44 veículos às equipes da Força Tarefa, sendo 31 caminhonetes Strada, dez micro-ônibus e três caminhões. Também foram entregues equipamentos de segurança para o uso dos profissionais durante a aplicação de inseticida – máscara, luvas, capacete, protetor de ouvido, óculos de segurança, avental impermeável – e bombas costais para pulverização.

A Força Tarefa é formada por 432 pessoas, sendo 200 soldados do Exército, 40 da Aeronáutica e 192 agentes de saúde. Para eliminar os possíveis focos do mosquito, são feitas varreduras nas áreas consideradas de risco, como casas, lojas e lotes baldios. Atualmente são utilizados dez ônibus; 70 carros fumacê; 600 bombas costais; nove caminhões (Dengue móvel) e 20 Dengômetros (estandes onde as pessoas têm acesso às informações sobre a doença).

“Nesta ação permanente, estamos intensificando aquilo que geramos e que deu resultado positivo. Acho que o resultado mais positivo foi a participação da sociedade. Então continuamos obsessivamente intensificando a mobilização das pessoas. Os focos estão nos domicílios, a maior parte dos criadouros são gerados por lixo doméstico. Precisamos, então, de fato ganhar essa guerra com uma grande adesão da sociedade. Essa não é uma inovação, é uma segurança de que continuamos no caminho certo”, afirmou o secretário de Saúde, Antônio Jorge, que apresentou o Programa Estadual de Controle Permanente da Dengue.

Mobilização

Os dois municípios mineiros que apresentaram as melhores experiências no combate à dengue, a partir dos critérios epidemiológicos e de dados da área de mobilização social da Secretaria de Saúde, foram premiados pelo governador.

Primeira colocada, a Prefeitura de Conselheiro Lafaiete recebeu um Fiat Fiorino caracterizado para o combate à dengue na cidade. Representando todos os municípios mineiros que lutam contra a doença, o prefeito do município, José Milton de Carvalho Rocha, falou da importância da união e conscientização. “Essa mobilização fez com que os prefeitos de todas as comunidades de Minas Gerais despertassem para o seu dever, para a sua participação efetiva nesse esforço comum de controle da dengue no Estado”, reconheceu.

A Prefeitura de Patos de Minas recebeu um tablet (Samsung Galaxy Tablet), doado pela operadora Vivo. O equipamento será utilizado na coleta e formatação das informações sobre a doença na cidade. O prêmio foi entregue à secretária de saúde do município, Janaína Maria Silva Araújo Souza.

Durante o lançamento foi apresentado, pelo grupo de teatro Saúde em Cena, o espetáculo “Um por todos e todos contra a Dengue”. Na montagem, os personagens Athos, Porthos e Aramis têm o desafio de acabar com a Milady Gaga Dengue. A peça, uma adaptação contemporânea do texto Os Três Mosqueteiros, de Alexandre Dumas, conta a história da mosquita da espécie Aedes aegypti que deseja contaminar as pessoas com a doença e se tornar uma cantora lírica.

Cenário 2010/2011

Em 2010, o número de notificações da dengue foi de 261.915 mil casos. Em 2011, esse número caiu para 60.357 mil casos registrados (até novembro). O número de internações também diminuiu de 3.783, em 2010, para 1.227, em 2011. A Força Tarefa de combate à dengue percorreu os 42 municípios do Estado com maior incidência do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, e visitou 180 mil residências. Mais de 1 milhão de recipientes com potencial para o desenvolvimento do mosquito foram eliminados.

Os municípios com maior número de casos notificados em 2011 foram Belo Horizonte (7.858), Juiz de Fora (2.935), Governador Valadares (2.750), Uberaba (2.585) e Contagem (1.999). Eles representam 30% dos casos.

Ações previstas para 2012:

• Avaliação da semana epidemiológica;

• Regulação de acesso às internações de média e alta complexidades;

• Disponibilidade de leitos contingenciais para dengue em instituições Pro-Hosp: 803 leitos pediátricos e 1.059 leitos clínica médica;

• Transporte aéreo para casos críticos;

• Videoconferências para Centrais de Regulação Assistencial: educação continuada;

• Possibilidade de registro de denúncias via celular, por meio de aplicativo desenvolvido para o iPhone;

• Parceria com os catadores de lixo;

• Orientação quanto ao acolhimento rápido com hidratação, dados vitais e hemograma;

• Nova proposta de treinamento rápido: Modelo Recife – 10 minutos de treinamento, com alcance de 80% das equipes de saúde;

• Médicos Regionais: contratação de 50 médicos para monitoramento assistencial e apoio aos gestores municipais;

• Contratação de containers (em desenvolvimento), como local de hidratação, em caso de epidemia: seis containers equipados para serem disponibilizados para os municípios em crise.

Gestão Anastasia: Minas Gerais é referência para a Comissão de Combate às Drogas da Câmara Federal

BELO HORIZONTE (13/12/11) – As políticas de combate e prevenção às drogas da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) são citadas e servem de referência nacional no relatório da Comissão de Políticas Públicas de Combate às Drogas, da Câmara Federal. A comissão apresentou na Câmara dos Deputados uma série de propostas de alterações e todas foram aprovadas.

“A comissão buscou experiências tanto no Brasil quanto no exterior e identificou algumas necessidades de redesenho das políticas públicas de combate às drogas, mas o ambiente é favorável e todos os envolvidos no combate e prevenção estão empenhados no sucesso das políticas públicas”, explica Cloves Benevides, subsecretário de Políticas sobre Drogas (Supod).

O relator geral da Comissão de Políticas Públicas de Combate às Drogas, deputado federal Givaldo Carimbão, após ter visitado todos os estados brasileiros, além de 15 países, afirmou que “Minas Gerais e Alagoas são os dois estados que se sobressaem no país em relação às políticas de combate e prevenção às drogas”.

O parlamentar enumera alguns dos motivos para o destaque de Minas no cenário nacional: possui uma pasta específica para cuidar do problema, há aporte de recursos e existe uma rede de parceiros selecionada e coordenada pela Subsecretaria de Políticas sobre Drogas.

Alterações

As principais mudanças apresentadas e aprovadas na Câmara Federal tratam do fim da propaganda de bebida alcoólica, da proibição de venda de bebida alcoólica gelada fora do local de consumo, do controle rigoroso para a comercialização de éter e acetona, e a destinação dos bens apreendidos no tráfico de entorpecentes para as ações de combate e tratamento das drogas.     

Gestão Anastasia: município de Carmo do Rio Claro ganha Posto de Educação Continuada

BELO HORIZONTE (13/12/11) – O município de Carmo do Rio Claro, no Sul de Minas, vai ganhar, a partir de fevereiro de 2012, um Posto de Educação Continuada (Pecon) para atender estudantes da Educação de Jovens e Adultos na modalidade do ensino fundamental. O Pecon será vinculado ao Centro Estadual de Educação Continuada Doutor Hélio Ferreira Lopes (Cesec), no município de Alpinópolis.

Com a coordenação da Secretaria de Estado de Educação (SEE), o Pecon vai ofertar os estudos na modalidade não presencial. Apesar da frequência não ser obrigatória, o estudante poderá comparecer ao posto para tirar dúvidas sobre os conteúdos estudados.

“O Pecon oferece ao aluno um atendimento individualizado, de acordo com sua necessidade. O estudante vai concluir o ensino fundamental no seu tempo e sempre vai contar com um professor para tirar suas dúvidas”, explica a diretora de Educação de Jovens e Adultos da SEE, Edir Petruceli Carayon Xavier.

Em todo Estado existem 101 Centros Estaduais de Educação Continuada e 31 Postos de Educação Continuada.

Atendimento

A instalação de uma unidade do Posto de Educação Continuada no município de Carmo do Rio Claro foi definida em reunião realizada na Secretaria de Estado de Educação. Estiveram presentes no encontro a secretária de Estado de Educação, Ana Lúcia Gazzola; a assessora da Subsecretaria de Desenvolvimento da Educação Básica da SEE, Marília Alkimim; e a prefeita de Carmo do Rio Claro, Cida Vilela, que destacou a importância do Pecon para a sua região. “Essa parceria é muito importante para o nosso município, pois já temos uma grande demanda para a conclusão do ensino fundamental por meio do supletivo”, destacou.

Fonte: Agência Minas

Governo do PT se eximir da responsabilidade de investir na saúde

Gestão da Saúde, Gestão deficiente

Fonte: Caio Nárcio, presidente da JPSDB=MG

Governo do PT se recusa a ter responsabilidade com a saúde do povo brasileiro

Em um primeiro ano de governo, o trivial, o esperado, é que se mantenha a popularidade das urnas e a esperança depositada nelas pela população. O tempo é ótimo para isso e as condições são boas. Logo, espera-se que se inicie o prometido, as reformas e projetos. E não foi isso que vimos neste primeiro ano pós-eleições: o que vimos foi uma representante que, por vezes, se mostrava omissa e presa a um sistema de loteamente de ministérios. Parafraseando o emblemático Lula: nunca antes, na história desse país, se viu um presidente trocando tanto de ministros envolvidos em escândalos, como agora.

Dilma teve a chance de não frustrar a agenda, através da Emenda 29 que, por anos fora protelada e, agora, o governo federal mobilizou-se para votar contra a essência da proposta que o próprio partido apresentou: piso sobre a receita de 10% para a União, 12% para os Estados e 15% para municípios, como investimentos obrigatórios em saúde.

O que o governdo do PT quer com isso? Se eximir de qualquer responsabilidade com a saúde dos mais necessitados? Transferir toda a responsabilidade pela gestão e investimento em saúde para estados e municípios? Ou seja, se não tem vaga, remédio, medico, hospital… é culpa de prefeitos e governadores? E onde está o compromisso do governo federal com a saúde do povo que votou nele? Não tem? Era só promessa de campanha?

“Vale a pena conhecer alguns números. Em 2000 a administração federal respondia por 60% dos gastos públicos em saúde, os Estados por 18% e os municípios por 22%. Em 2008, apesar da crescente concentração de receitas na União, o governo federal respondia por 43%, os Estados por 27% e os municípios por 30%. Essa tendência agride o princípio da Federação, que prevê, antes de tudo, solidariedade e responsabilidades partilhadas.”, explicou o senador Aécio Neves e artigo recente escrito para a Folha de S.Paulo

Comemoramos aqui, junto de toda a população brasileira a votação da Emenda 29, mas não podemos nos esquecer que, ainda assim, não temos os recursos necessários para a saúde, uma vez que o nível de investimentos federais é muito inferior ao piso proposto.

Rogério Correia não convence imprensa que acredita na participação do deputado na elaboração da Lista de Furnas

Fraude do PT, PT em Minas, estelionato do PT, lista falsa, fraude do PT, mar de lama do PT

Fonte:Juliana Cipriani e Baptista Chagas de Almeida – Estado de Minas

Explicações de petista sobre caixa dois eleitoral da lista de Furnas não convencem

Acusado de encomendar documento fraudulento para comprometer adversários políticos, deputado Rogério Correia (PT) tenta se explicar, mas não apresenta provas que o inocentem

O deputado estadual Rogério Correia (PT) tentou, nessa segunda-feiram sem sucesso, explicar as acusações feitas por uma revista semanal de que, junto do lobista Nilton Monteiro, teria forjado a chamada Lista de Furnas, na qual integrantes da oposição aparecem como receptores de dinheiro de caixa 2 eleitoral. O petista não apresentou provas novas que possam inocentá-lo. Ele usou o mesmo laudo da Polícia Federal citado pela publicação para tentar se isentar, alegando que, ao final, ficou constatada a autenticidade da assinatura do então presidente de Furnas Centrais Elétricas, Dimas Fabiano Toledo, no documento supostamente original.

A denúncia de que a Lista de Furnas era um documento forjado para incriminar adversários do PT já tinha sido feita pelo Estado de Minas anos atrás. Em 23 de março de 2006,  reportagem do EM noticiou que Rogério Correia havia convocado uma entrevista sobre o assunto, mas não compareceu. A mesma matéria mostrou que  laudo do Instituto Nacional de Criminalística (INC), órgão ligado à Polícia Federal, considerou falsa a lista. O laudo apontava haver montagens, alterações ou implantes na última página do documento. O EM chegou a reproduzir outras duas perícias que atestavam a falsificação.

No laudo apresentado  por Correia ontem, a PF já havia concluído que a cópia, anteriormente avaliada, não tem nenhuma relação com o documento original apresentado pelo lobista Nilton Monteiro somente em 5 de maio de 2006. “Observou-se que ele apresentava as mesmas características e o mesmo conteúdo daquele examinado por este serviço de perícias documentoscópicas no laudo, entretanto, havia algumas diferenças entre esses dois materiais, indicando que a cópia que foi analisada e descrita no laudo anterior não foi originada a partir do documento que é objeto do exame do presente laudo”, descreve o relatório.

Segundo Rogério Correia, o resultado final da perícia concluiu que a assinatura na lista original era de Dimas Fabiano Toledo. “Não está em questão o conteúdo, mas a autenticidade. Então se quiserem processar que o façam com o nome dele (Dimas)”, afirmou. Sobre a cópia antes apresentada por ele à PF não corresponder ao original encaminhado por Nilton posteriormente, o deputado alega que Dimas Fabiano assinou quatro originais e que as cópias não são consideradas como provas pela investigação da PF.

Rogério e o ex-deputado Agostinho Valente (ex-PT e atual PDT) são apontados como “fabricantes” da lista. Transcrições de gravações revelaram uma conversa entre um funcionário de Rogério, o assessor Simeão de Oliveira, e o lobista Nilton Monteiro sobre os nomes que aparecem no suposto esquema de caixa 2. Rogério Correia afirma que as conversas teriam sido para cobrar o original da lista, já que Monteiro só havia fornecido uma cópia.

Justiça
O PSDB nacional está orientando todos os seus filiados citados na Lista de Furnas a entrarem com ações criminais e indenizatórias por danos morais contra os responsáveis pela fraude. O partido vai ingressar entre hoje e amanhã com uma representação na Procuradoria Geral da República contra falsificação de documentos. O presidente nacional da legenda, Sérgio Guerra, e o secretário-geral, Rodrigo de Castro, informaram que os tucanos também vão requisitar à Polícia Federal cópias de todas as gravações envolvendo a chamada Lista de Furnas.

Os tucanos manifestaram repúdio à fraude “arquitetada por integrantes do PT com o intuito de criar falsas acusações contra adversários políticos” e desviar atenções sobre o escândalo do mensalão, tendo em vista que a lista foi divulgada na mesma época. O PSDB alega ainda que Nilton Monteiro está preso e responde a acusações de falsificação de promissórias que somam R$ 300 milhões. Entre os supostos beneficiários da Lista de Furnas são citados o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias.

Leia também: 

Leia mais: