• Agenda

    dezembro 2011
    S T Q Q S S D
    « nov   jan »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Governo de Minas: Antonio Anastasia recebe prefeitos de municípios atendidos pelo Programa Novo Somma

BELO HORIZONTE (01/12/11) – O governador Antonio Anastasia recebeu, nesta quinta-feira (1º), no Palácio Tiradentes, prefeitos de 31 municípios mineiros que serão atendidos com linha de crédito especial do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), por meio do Programa Novo Somma. Os contratos representam financiamentos globais de R$ 61,34 milhões e vão beneficiar uma população total estimada em 990 mil pessoas.

“Esse programa permite aos municípios realizar junto ao BDMG empréstimos expressivos que permitem, na área de infraestrutura, na área de equipamentos, um reforço muito grande dos municípios mineiros que necessitam muito desse apoio. Mais de mil equipamentos já foram adquiridos só neste ano de 2011. Pelos números apresentados, em 2012, a sequência desse programa continuará beneficiando de maneira muito efetiva os municípios mineiros independente de cor partidária, com um aspecto republicano e federativo fundamental dentro da nossa estrutura política”, afirmou o governador.

Os recursos serão destinados a obras de infraestrutura em vias públicas que incluam pavimentação ou drenagem e para compra de máquinas e equipamentos. O Novo Somma é uma linha de financiamento criada com recursos próprios do BDMG para apoiar a modernização dos municípios e a melhoria da qualidade de vida da população mineira, conforme orientação do Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (PMDI).

O programa oferece três linhas especiais: Novo Somma Maq, que financia especificamente compra de máquinas e equipamentos; Novo Somma Urbaniza, cujos recursos são direcionados para projetos de mobilidade urbana, saneamento e drenagem; e o Novo Somma Eco, que financia projetos de disposição adequada de resíduos sólidos. Os três subprogramas do Novo Somma foram criados após uma avaliação das demandas dos municípios, possibilitando maior eficiência e interiorização das ações no Estado.

“A questão dos municípios em nosso Estado é relevantíssima. Temos, e não canso de reiterar, que dos 853 municípios mineiros, mais de 700 tem menos de 10 mil habitantes. Durante muitas décadas, esse municípios ficaram à margem da ação coordenada do poder público. Nos últimos anos, felizmente, conseguimos levar benefícios não só nos municípios maiores, mas também para os municípios menores. E o Novo Somma se enquadra bem nesse quadro”, ressaltou Anastasia.

O presidente do BDMG, Matheus Cotta Carvalho, lembrou que na entrada do 12º mês de governo de Anastasia, essa foi a terceira cerimônia de assinatura de contrato entre o banco e prefeituras. “Desde o início do ano, chegamos a 143 contratos assinados com prefeituras mineiras, somando um total de R$ 206 milhões e atingindo uma população de mais de R$ 5 milhões de pessoas”, disse.

Participaram do evento prefeitos dos municípios de Alvarenga, Arinos, Betim, Brumadinho, Cambuí, Capinópolis, Carlos Chagas, Carneirinho, Carvalhópolis, Conceição das Alagoas, Cuparaque, Curvelo, Delfim Moreira, Iraí de Minas, Itajubá, Itambacuri, Itaú de Minas, Jaboticatubas, Janaúba, Jesuânia, Malacacheta, Padre Carvalho, Perdigão, Perdões, Salinas, Santana do Paraíso, São Brás do Suacui, São João do Manteninha, São Thomé das Letras, Tumiritinga e Vermelho Novo.  O prefeito de Carlos Chagas, Milton José Tavares de Quadros, assinou, durante o ato, o contrato representando os demais chefes de Executivo municipais.

“Esse benefício, somado a todos os outros que mudaram a face das nossas regiões, principalmente do Norte e do Jequitinhonha, prepara Minas para o enfrentamento de qualquer crise”, afirmou o prefeito de Salinas, José Antonio Prates, que falou em nome dos demais prefeitos.

Estado referência

Minas é um dos poucos estados do país que garante aos municípios recursos de um banco de desenvolvimento com juros diferenciados e abaixo dos praticados pelo mercado: 4% (ou 7% no Novo Somma Maq) ao ano mais correção pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP). O prazo para pagamento pode variar de 66 meses (cinco anos e meio) a 180 meses (15 anos).

“Hoje, felizmente, em todos os indicadores, Minas Gerais apresenta uma posição extremamente positiva e isso é motivo de orgulho e nos torna cada vez mais objeto de atenção e de cópia por outros estados da Federação e pelos organismos internacionais que nos visitam amiúde. Esse quadro, extremamente positivo, vai se repetir e vai permitir a atratividade de empresas e, fundamentalmente, da diminuição das desigualdades regionais, ainda uma realidade que temos de enfrentar em nosso Estado”, lembrou o governador.

O processo de contratação da operação de crédito passa pelas seguintes etapas: análise da capacidade de endividamento pelo BDMG; aprovação de lei municipal que autoriza o financiamento; encaminhamento pelo município da documentação exigida pela Secretaria do Tesouro Nacional, além de providências quanto ao processo licitatório para a execução do objeto contratado por parte do município. A entrega das máquinas e a execução das obras têm também o acompanhamento do BDMG.

Minas é mais emprego

Durante a cerimônia, o governador comemorou dados divulgados nessa quarta-feira (30) que mostram que, em outubro, a Região Metropolitana de Belo Horizonte apresentou a menor taxa de desemprego dos últimos 15 anos. A taxa caiu de 6,4% para 6% e é a menor entre as sete regiões metropolitanas avaliadas (Belo Horizonte, Distrito Federal, Fortaleza, Recife, Porto Alegre, Salvador e São Paulo).

Os dados são parte da Pesquisa de Emprego e Desemprego na Região Metropolitana de Belo Horizonte (PED-RMBH) e foram divulgados pela Fundação João Pinheiro (FJP), Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (Sete), Dieese e Fundação Seade.

“Há de fato uma crise econômica mundial hoje, que agudiza na Europa e traz desdobramentos mundo afora. Festejamos aqui dados divulgados ontem na área do emprego na Região Metropolitana de Belo Horizonte, onde temos hoje praticamente pleno emprego. Seis por cento de desemprego. O menor índice da série histórica. O menor índice de todas as regiões metropolitanas do Brasil está aqui em Minas Gerais. Uma situação extremamente positiva”, afirmou o governador.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: Minas Gerais tem três municípios entre os 20 melhores no PIB agropecuário brasileiro

BELO HORIZONTE (01/12/11) – O município de Unaí, no Noroeste de Minas, ocupa o sexto lugar no grupo dos 100 melhores desempenhos no quadro do Produto Interno Bruto (PIB) da agropecuária nacional, informa o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A avaliação tem por base dados de 2009, que correspondem à apuração mais recente do instituto.

O levantamento mostra que os 100 maiores PIBs do setor agropecuário brasileiro somam R$ 26,4 bilhões, sendo a cidade de Sorriso, no Mato Grosso, a detentora do maior PIB agropecuário, R$ 791,1 milhões.

Em Minas Gerais, ao lado de Unaí, que tem um PIB do agronegócio de R$ 512,3 milhões, estão os municípios de Uberaba e Uberlândia, na região do Triângulo, que ocupam o nono e o 20º lugar, respectivamente, com os valores de R$ 505,5 milhões e R$ 331,1 milhões.

Dados da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa-MG) mostram por que Unaí alcançou uma boa posição no levantamento. Segundo maior produtor de milho do Estado, o município registrou na safra 2010/2011 um volume de 249 mil toneladas em lavouras espalhadas por 30 mil hectares.

Na produção de soja, Unaí lidera a produção estadual com 330 mil toneladas em 110 mil hectares. Está em primeiro lugar também na produção mineira de sorgo, que alcançou 84 mil toneladas em 20 mil hectares. Neste caso, o município responde por 23% da safra estadual de sorgo.

Outro produto das lavouras de Unaí com destaque no PIB da agropecuária é o feijão, cuja produção apurada pelo IBGE em 48 mil hectares foi, neste ano, de 72,2 mil toneladas. E na pecuária, a criação de bovinos é expressiva, com 340 mil cabeças.

Uberaba

Já a cidade de Uberaba garante a sua boa posição no levantamento principalmente com as 4,4 mil toneladas de cana-de-açúcar em canaviais que se estendem por 46,0 mil hectares, de acordo com dados do IBGE. O município lidera a produção estadual de cana, que no Triângulo alcança 39,7 mil toneladas ou 58,4% da safra estadual.

Uberaba também lidera a produção de milho, com o registro da colheita de 329,2 mil toneladas do grão em 47,8 mil hectares, ainda de acordo com os dados do IBGE, que cita também a produção de 240 mil toneladas de soja em 80 mil hectares.

De acordo com a Secretaria Municipal de Agricultura de Uberaba, também é crescente no município a produção de hortaliças, que ocupa, atualmente, cerca de 4 mil hectares.

Polo de produção de gado zebu, Uberaba conta com 220 mil bovinos, informa a secretaria. A produção de leite alcança 80 milhões de litros por ano. Além disso, o município tem 84 fazendas destinadas à produção de material genético para o setor (sêmens e embriões).

Uberlândia

Em Uberlândia, um dos destaques da agricultura são os 48 mil hectares de soja, com a produtividade média de 3,1 mil quilos por hectare, segundo avaliação da Emater. O setor se beneficia da possibilidade de agregação do valor à soja no próprio município, onde três indústrias têm capacidade de fazer o esmagamento de 7,1 mil toneladas de soja por dia, que resultam no farelo e óleo, entre outros produtos.

No caso do milho, há 18 mil hectares plantados em Uberlândia, e a produtividade média é de 9 mil quilos do grão por hectare. A média estadual é um pouco abaixo de 5 mil hectares, segundo a Emater-MG. Ainda na agricultura, Uberlândia tem o cultivo de hortaliças e frutas em cerca de 700 hectares. A silvicultura é representada por 7 a 8 mil hectares de eucalipto.

Uberlândia conta com 278,9 mil cabeças de bovinos, e a produção de leite é da ordem de 90 milhões de litros/ano. Já a suinocultura é composta de um plantel de 13 mil cabeças de matrizes. As granjas avícolas do município alojam 17 milhões de aves, que devem gerar um volume da ordem de 170 milhões de toneladas de carne neste ano.

Reforço para a economia

Para o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Elmiro Nascimento, a participação de Unaí, Uberaba e Uberlândia no grupo dos 20 municípios com maior PIB agropecuário do país mostra o expressivo potencial de Minas Gerais nas múltiplas atividades ligadas à produção de alimentos. “O desempenho desses municípios e dos 14 demais que integram o grupo dos 100 representa um expressivo esforço para o fortalecimento da economia estadual, sobretudo com a expansão, a cada ano, dos índices de exportação dos produtos originados das propriedades mineiras”, finaliza.

Fonte: Agência Minas

Governador Antonio Anastasia assiste a espetáculo apresentado por jovens do Programa Valores de Minas

BELO HORIZONTE (01/12/11) – O governador Antonio Anastasia assistiu, na noite dessa quarta-feira (30), no Centro de Formação e Experimentação Digital (Plug Minas), em Belo Horizonte, ao espetáculo “A Lira e o Tambor”. Apresentada por cerca de 450 jovens do Programa Valores de Minas, a peça será exibida até este domingo (4).

“O espetáculo que temos ao final de cada ano é sempre muito bonito e permite aos alunos que integram o programa do Plug como um todo, e em especial o Valores de Minas, demonstrar o que o seu nome diz, o seu valor, ou seja, sua capacidade artística de aprender, quer nas artes circenses, na arte dramática, na música, no canto, na dança, todas aquelas expressões que tiveram durante o ano”, disse o governador em entrevista.

“A Lira e o Tambor” é o sétimo espetáculo produzido pelo Valores de Minas, programa criado em 2005 pelo Governo de Minas em parceria com o Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e que, em 2009, se transformou em um núcleo do Plug Minas. O projeto beneficia 500 jovens a cada ano e oferece oportunidades para o desenvolvimento pessoal de estudantes de escolas públicas da rede estadual. Já formou mais de 3.500 pessoas, entre alunos, multiplicadores e professores de arte da rede estadual de ensino.

“O Valores de Minas é um projeto vitorioso, que depois agregou-se ao Plug Minas, igualmente um projeto extremamente bem sucedido. O Plug Minas, em primeiro lugar, tem a grande vantagem de se instalar fisicamente num espaço anteriormente deteriorado e, até mesmo, digamos, com um destino que não era bom, era praticamente um presídio para menores. Naquele tempo, existia a antiga Febem e foi transformado em um local de aprendizagem, um local de inclusão digital e social, local extremamente avançado para que os alunos do ensino da rede pública estadual pudessem ter aqui alternativas”, afirmou o governador.

O Plug Minas é um projeto dedicado à juventude. Jovens de 14 a 24 anos que estudam ou se formaram em escolas públicas de Belo Horizonte e Região Metropolitana participam de atividades nas áreas da cultura digital, das artes e do empreendedorismo. A ideia é ajudar na construção de um caminho, colocando em prática o direito ao trabalho, à educação e à participação.

A estrutura do Plug Minas é dividida em sete núcleos. Todos contam com a parceria de empresas privadas e instituições da sociedade civil para desenvolver as atividades. O educador também tem espaço garantido em um núcleo inteiramente dedicado aos professores da rede pública de ensino. A comunidade é convidada especial de vários projetos realizados durante o ano dentro do centro.

A gestão do projeto é feita pela Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) Instituto Cultural Sérgio Magnani. Patrocinam o Valores de Minas a Cemig, Fiat, Sindicato das empresas de Transporte de Passageiros Metropolitanos (Sintram) e a Shell. Esse ano conta ainda com o patrocínio do BMG.

O espetáculo

“A Lira e o Tambor” narra o encontro de um casal de jovens que, ao subir no palco, representam as principais matrizes sonoras do país: a música erudita e a popular, a europeia e a africana. Essa combinação diferente toma forma na Escola de Samba Barracão Brasil, cujo enredo do ano é a riqueza e beleza da música nacional. A direção do espetáculo é assinada por Cida Falabella.

A montagem é inspirada nas canções, movimentos e ritmos da cultura do Brasil, além de incluir um pouco da história de cada um dos meninos e meninas que fizeram parte do Núcleo Valores de Minas em 2011. O resultado é uma mistura entre a dança, teatro, circo, música e as artes visuais.

Foram quatro meses de trabalho e pesquisa sobre a história da música brasileira, tudo conduzido por um plano pedagógico que valorizou tanto o resultado final (a peça), quanto o processo criativo. Todas as etapas do espetáculo, desde a definição do tema, cenários, trilha sonora, figurinos e adereços, têm a participação dos jovens que, no segundo semestre, iniciaram o processo de criação.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: PALAVRA DO GOVERNADOR destaca busca de recursos para o desenvolvimento do Estado

BELO HORIZONTE (01/12/11) – No Palavra do Governador desta semana, Antonio Anastasia explica os projetos de leis enviados esta semana pelo Governo de Minas à Assembleia Legislativa, solicitando autorização para que o Estado possa contrair empréstimos junto a bancos nacionais e estrangeiros.

De acordo com o governador, parte dos recursos será destinada ao pagamento de uma dívida que o Estado tem com a Cemig. Outra parcela será utilizada para implantar projetos em áreas de grande importância para o desenvolvimento de Minas, como infraestrutura rodoviária, mobilidade urbana e segurança pública. “Uma das prioridades na aplicação dos recursos será um programa muito importante chamado Caminhos de Minas, que significa a construção de novas estradas asfaltadas entre as regiões de Minas Gerais”, exemplifica Anastasia.

O governador destaca também que todas as operações de empréstimos foram aprovadas e autorizadas pelo governo federal. “É o chamado aval do Tesouro Nacional. Isso só é possível porque Minas Gerais cumpriu o chamado ajuste fiscal, ou seja, nós fizemos o nosso dever de casa ao longo desses anos. Isso é muito positivo porque permite que Minas levante recursos para os investimentos tão necessários para o desenvolvimento de nosso Estado”, conclui.

O Palavra do Governador poderá ser reproduzido por qualquer veículo de imprensa, sem ônus e de forma espontânea. O programa é disponibilizado todas as quintas-feiras nas modalidades texto (para jornais impressos e online), áudio (para rádio e podcast/web) e vídeo (em qualidade broadcast para TV).

Fonte: Agência Minas

Clique aqui para assistir a outras edições do Palavra do Governador.