• Agenda

    novembro 2010
    S T Q Q S S D
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    2930  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Governador Antonio Anastasia transmite cargo ao presidente da Assembleia

 

O governadorAntonio Anastasia reuniu-se nesta sexta-feira (5) com o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado estadual Alberto Pinto Coelho (PP). O encontro marcou a transmissão de cargo ao presidente da Assembleia em função de viagem do governador ao exterior. Deputados e secretários de Estado participaram do encontro no Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves. O governador Antonio Anastasia retorna ao Governo de Minas no dia 15 deste mês.

Com apoio do Governo Anastasia empresa investe R$ 48 milhões e multiplica empregos no Sul de Minas

A PP Print, empresa mineira especializada na fabricação de rótulos para produtos diversos, vai investir R$ 48 milhões para a expansão de sua unidade industrial em Varginha, no Sul de Minas, gerando mais de 1.200 empregos, entre diretos e indiretos.

O anúncio foi feito na tarde desta sexta-feira (5), durante assinatura de protocolo de intenções entre o presidente do Instituto de Desenvolvimento Integrado (Indi), Adriano Magalhães, e o presidente da PP Print, Rene Brunelli Junior.

O presidente do Indi afirmou que o investimento contribui com o esforço que o Governo Antonio Anastasia tem feito para atrair um número cada vez maior de investimentos para o Estado, tornando sua economia ainda mais competitiva. “A confiança que o empresário tem no nosso trabalho contribui para o crescimento sólido da economia do Estado, gerando, assim, cada vez mais empregos”, destacou o presidente do Indi, Adriano Magalhães.

Os R$ 48 milhões anunciados se destinam a obras civis, aquisição de máquinas e capital de giro para a empresa produzir e comercializar rótulos de BOPP (presentes nas embalagens pet), filmes laminados e embalagens de alumínio. Segundo o presidente da PP Print, Rene Brunelli, os investimentos vão possibilitar a expansão do mercado em potencial.

“Além de quintuplicar nossa capacidade de produção, vamos comprar máquinas mais potentes e aumentar nosso parque industrial, para que possamos atender a crescente demanda do mercado”, explica Adriano Magalhães.

O projeto, iniciado em abril deste ano, tem término previsto para dezembro de 2012 e irá gerar 620 empregos diretos e 609 indiretos. A empresa estima que o faturamento de R$ 23 milhões, previsto para este ano, deve chegar a R$ 66 milhões em 2011 e R$ 83 milhões de 2012 em diante.

A empresa

A PP Print foi fundada em 1996, em Varginha, inicialmente dedicada exclusivamente à produção de rótulos de bebidas. Em 2004, a empresa foi comprada pelo Grupo Sol Embalagens, quando passou a atuar também no mercado de embalagens flexíveis, atendendo a clientes como Coca Cola, Nestlé, Bimbo, Panco e São Braz.

Atualmente, a empresa é líder na fabricação de rótulos para bebidas e produtos de limpeza. Além de rótulos, a empresa fabrica filmes laminados para embalagens de biscoitos, doces e massas e filmes especiais para empacotamento e agrupamento para embalagens de yakut e kits de bebidas.

 

Fhemig realiza 2º fórum para apresentar produção científica da rede de saúde de Minas

“Pesquisa e inovação a serviço da qualidade e efetividade em saúde” é o tema do II Fórum Científico da Fhemig, que será realizado desta segunda (8) a quarta-feira (10), na Associação Médica de Minas Gerais. Foram inscritos 284 trabalhos (271 temas livres e 13 artigos originais), superando a primeira edição, realizada em 2009, quando foram apresentados 170 trabalhos.

O presidente da Fhemig, Antônio Carlos de Barros Martins, destacou a importância do investimento que a instituição vem fazendo em pesquisas. “São 22 unidades na capital, Região Metropolitana e interior do Estado que atendem nas mais diversas especialidades, possibilitando que nossos profissionais discorram sobre os mais diversos assuntos e que o resultado destas pesquisas sirvam de base para políticas públicas de saúde”.

Para o diretor de Desenvolvimento Estratégico e Pesquisa da Fhemig, Josiano Gomes Chaves, o fórum fortalece o processo de aprendizado organizacional desenvolvido na atual gestão, um dos eixos estratégicos da Fhemig – a Política de Pesquisa, Inovação Tecnológica e Proteção ao Conhecimento.

Hoje, a Fhemig é a quinta instituição que realiza pesquisa envolvendo seres humanos no Estado, ficando atrás apenas de universidades. São 16 grupos de pesquisa cadastrados no CNPq, com 178 pesquisadores envolvidos, inclusive de parcerias interinstitucionais.

O tema deste ano visou envolver os profissionais na otimização de recursos, na avaliação de novas tecnologias e na tomada de decisão clínica e gerencial baseada em evidências, melhorando a relação custo e efetividade/qualidade das ações de saúde.

Pesquisa

Os trabalhos têm como mote pesquisas que favorecem o conhecimento sobre temas que beneficiam a população. Exemplo disso são as pesquisas do médico Délio Campolina, responsável pelo setor de Toxicologia do Hospital João XXIII (HPS), em parceria com a farmacêutica Fátima Cabral, do mesmo setor, sobre a sazonalidade da incidência de acidentes com escorpiões, lagartas, aranhas e serpentes atendidos no hospital, num período de 14 anos (1994 a 2008).

Em parceria com mais três profissionais e colaboração de toda a equipe do setor de Toxicologia do HPS, eles fizeram um mapeamento das ocorrências de picadas desses animais peçonhentos, nos pacientes atendidos no pronto-socorro. “Com esse trabalho conhecemos os tipos de animais peçonhentos que são encontramos na região. Assim sabemos, por exemplo, em quais épocas do ano precisamos ficar mais atentos e estocar maior quantidade de soro,” explica Fátima Cabral.

A Maternidade Odete Valadares (MOV), apresenta, entre outros temas, uma pesquisa sobre os casos de diabetes gestacional e diagnóstico de diabetes pós-parto, ocorridos na unidade.

Outro trabalho é do Hospital Galba Veloso (HGV), de autoria da médica Eliane Mussel em parceria com outros sete profissionais, que aponta o perfil dos pacientes em uma análise descritiva das hipóteses diagnósticas dos atendimentos no Centro de Acolhimento da Crise do HGV.

 

Governo Anastasia lança edital de apoio a Pesquisas sobre Mudanças Climáticas em Minas

Atenta ao alerta e à discussão a respeito de questões como o aquecimento global e emissão de gases na atmosfera, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) acaba de lançar um edital inédito, em parceria com a Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam). O Edital de Apoio a Pesquisas sobre Mudanças Climáticas no Estado de Minas Gerais (Edital 21/2010) recebe propostas até 2 de março de 2011.

A iniciativa atende ao Decreto 45.229, de 3 de dezembro de 2009, que regulamenta medidas do Poder Público do Estado referentes ao combate às mudanças climáticas e à gestão da emissão de gases de efeito estufa. As propostas apresentadas devem abordar ao menos uma entre quatro linhas temáticas: 1) Monitoramento, Análise e Modelagem do Clima do Estado de Minas Gerais; 2) Aprimoramento de Inventários e de Métodos para Realização de Estimativas de Gases de Efeito Estufa para Minas Gerais; 3) Redução das Emissões de Gases de Efeito Estufa em Minas Gerais e 4) Impactos e Adaptação às Mudanças Climáticas em Minas Gerais. Serão destinados R$ 3 milhões para as propostas aprovadas. Cada uma deve obedecer ao limite de R$ 300 mil.

Mudanças Globais

Os relatórios divulgados pelo Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima (IPCC, sigla em inglês) deixam claro: a temperatura média do planeta subiu e continuará subindo nos próximos anos. De acordo com os relatórios, é muito provável que, até o fim do século, o aumento da temperatura seja de 3ºC, valor suficientemente alto para provocar o derretimento de geleiras, mudanças no regime de chuvas e a migração de vetores de doenças endêmicas.

O IPCC é um órgão da Organização das Nações Unidas (ONU) composto por cerca de 600 especialistas de 40 países. Eles são responsáveis por apresentar fundamentações técnicas e científicas para as negociações acerca das mudanças climáticas. Entre as revelações feitas pelo grupo, está a concentração inédita de gases de efeito estufa na atmosfera, como o dióxido de carbono e o metano. Esses gases são produzidos pela queima de petróleo e seus derivados, de carvão e pelo desmatamento de florestas tropicais.

Emissão de gases no Brasil

O Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) apresentou dados sobre as emissões de gases de Efeito Estufa no Brasil, durante a reunião anual do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas. Segundo os dados, as emissões brasileiras de gases como o dióxido de carbono (CO2) aumentaram 60% de 1990 a 2005. O número faz parte do novo inventário nacional de emissões, que será apresentado à Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas antes da próxima Conferência das Partes (COP), que acontece este mês, no México. O inventário anterior trazia dados de 1990 a 1994. O novo relatório deveria apresentar dados até o ano 2000, mas acabou avançando e incluindo dados até 2005.

Conforme adiantou o MCT, o desmatamento é responsável por 61% das emissões de gases prejudiciais à atmosfera. A agricultura vem em segundo lugar, com 19% das emissões nacionais e o setor de energia, em terceiro, com 15%. A indústria e o tratamento de resíduos emitem, respectivamente, 3% e 2% de gases de efeito estufa na atmosfera.

 

Governo Anastasia: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado lança edital de Apoio às Incubadoras de Empresas de Base Tecnológica

A manutenção e o desenvolvimento das incubadoras de base tecnológica são foco do edital de Apoio às Incubadoras de Empresas de Base Tecnológica (19/2010), que acaba de ser lançado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig). O edital destinará, ao todo, R$ 1 milhão a incubadoras mineiras, a fim de propiciar o aprimoramento dos processos internos e métodos de gestão, além de estimular o intercâmbio de conhecimentos entre elas.

Cada proposta deve obedecer a um limite de valor, de acordo com a quantidade de empreendimentos tecnológicos amparados por cada incubadora. Aquelas que tenham de um a quatro empreendimentos devem solicitar apoio máximo de R$ 40 mil; de cinco a oito, R$ 60 mil; de nove a 12, R$ 75 mil e acima de 13, o valor máximo deve ser de R$ 100 mil.

Podem concorrer propostas advindas de incubadoras de empresas, sediadas em Minas Gerais, de base tecnológica ou mistas, com empresas residentes e intensivas em tecnologia. As propostas apresentadas devem induzir o desenvolvimento de ações associativas e compartilhadas entre as incubadoras, contribuir para a graduação de novas empresas de base tecnológica e envolver, preferencialmente, mecanismos de cooperação entre incubadoras, que poderão, juntas, apresentar uma só proposta.

As propostas podem ser enviadas até 21 de dezembro, por meio da plataforma eletrônica AgilFap (http://agilfap.fapemig.br).