• Agenda

    setembro 2010
    S T Q Q S S D
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    27282930  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Antonio Anastasia relembra compromisso com o Hospital Regional de Sete Lagoas

Antonio Anastasia e Itamar Franco fazem campanha em Sete Lagoas

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Governador reafirma compromisso com a construção do Hospital Regional, cujas obras devem ser iniciadas em novembro

O compromisso com construção do Hospital Regional de Sete Lagoas (região Central) foi reafirmado neste domingo (26/09), na visita em que o governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, e o ex-presidente Itamar Franco, candidato ao Senado Federal pela coligação “Somos Minas Gerais”, fizeram à cidade. A obra, que é de responsabilidade da Prefeitura de Sete Lagoas, está inserida no Plano de Governo para os próximos quatro anos, que prevêem a descentralização dos serviços de atenção à saúde, como forma de aproximar o atendimento do cidadão.

O Governo do Estado já liberou R$ 10 milhões para a construção do Hospital Regional de Sete Lagoas. O empreendimento será construído em parceria com a prefeitura e demandará investimentos de R$ 38 milhões. A unidade de saúde é uma antiga reivindicação da população e terá 231 leitos, para reforçar o atendimento à saúde para toda a região.

“O Governo do Estado nos últimos anos investiu muito em Sete Lagoas, não só na questão relativa à infraestrutura, mas nas políticas públicas. Cito o próprio caso do hospital regional, alvo até de alguma polêmica, mas fundamental para o futuro de Sete Lagoas. Convênio assinado, dinheiro depositado, licitação na praça. Tudo feito em boa harmonia com a Prefeitura de Sete Lagoas para atender toda essa microrregião importante”, afirmou o governador.

O hospital ocupará área de 15.876 metros quadrados. Do total de leitos, 30 serão destinados à UTI adulta, 10 à UTI pediátrica, 43 à urgência e emergência, 62 à clínica médica e cirúrgica, 62 à clínica médica de urgência, 17 à clínica pediátrica e sete para vítimas de queimaduras.

Recursos assegurados
Antonio Anastasia e Itamar Franco chegaram de helicóptero ao terreno do antigo aeroporto, local onde será construído o hospital regional. O prefeito do município, Mário Marcio Campolina Paiva, o Maroca (PSDB), reforçou que a prefeitura já conta com R$ 10 milhões assegurados para o projeto. A previsão é que as obras, que já estão em fase de licitação, sejam iniciadas ainda em novembro deste ano e concluídas depois de 20 meses.

“Estamos neste terreno, onde será construído o hospital regional. Toda a região espera e isso será a redenção da saúde para Sete Lagoas. Este é apenas um dos benefícios que foram trazidos para Sete Lagoas. Já temos R$ 10 milhões depositados em conta para iniciarmos a construção do hospital. Estamos na fase de processo licitatório. O Governo do Estado tem sido um parceiro maravilhoso, não só para Sete Lagoas como para toda a região”, afirmou o prefeito.

Nos últimos oito anos, o município de Sete Lagoas recebeu investimentos de R$ 14,9 milhões para a área da saúde. Deste total, R$ 3,5 milhões foram assegurados por meio do ProHosp, programa criado para tornar os serviços hospitalares mais eficientes e com melhor qualidade para o cidadão. Além disso, foram destinados recursos para a melhoria da atenção básica, compra de instrumentos e custeio de equipes do Programa de Saúde da Família (PSF) e agentes comunitários.

Domingo na feira
Do aeroporto, Anastasia e Itamar seguiram em uma grande carreata e durante todo o percurso, foram saudados por bandeiras e cumprimentados por eleitores. Ao chegar à feira de alimentação e artesanato da Boa Vista, uma das mais tradicionais da região, os candidatos foram recebidos com festa pela população local, que acompanhou toda a caminhada.

Na feira, Anastasia conversou com uma eleitora especial, dona Hilda da Costa, de 83 anos. Pela idade, a moradora não é obrigada a votar. Mas mesmo assim, ela garantiu que irá, no próximo domingo, votar bem cedo no governador. “Anastasia foi o braço direito do ex-governador Aécio Neves. É o melhor para Minas Gerais”, disse.

Da feira do Boa Vista, Anastasia e Itamar saíram em carreata até a feira do Bairro Nova Cidade. Lá, também conversaram com comerciantes e clientes. Mais uma vez, o governador e o ex-presidente foram recebidos com festa. Dona Divina Terezinha Batista, de 60, fez questão de apertar as mãos dos candidatos. “Anastasia é o melhor candidato. Vencerá a eleição para dar continuidade ao bom governo de Aécio Neves”, afirmou.

Plano de Governo do governador Antonio Anastasia: Conheça as propostas e ações para a Saúde no período de 2011 a 2014 <http://www.anastasia2010.com.br/plano-de-governo/rede-de-atendimento-em-saude>

Veja: Diretor dos Correios em Minas enviou telegrama a eleitores para promover Hélio Costa

O “mala direta”

Fonte: Revista Veja

Imerso em denúncias de corrupção e enfrentando graves problemas de gestão, os Correios atravessam uma crise sem precedentes. No meio desse enrosco, seu diretor em Minas Gerais, Fernando Miranda, enviou milhares de telegramas a eleitores mineiros propalando que a empresa foi apontada com uma das melhores do país pela revista Seleções. Miranda diz que fez uma ação comercial. Candidato à reeleição, o governador Antonio Anastasia (PSDB) alega que a ação promove seu adversário do PMDB, Hélio Costa, ex-ministro das Comunicações. Nomeado por Costa, Miranda apareceu em duas dezenas de atos públicos com o peemedista.

Leia também:

1.    Veja: Ex-diretor dos Correios, indicado por Hélio Costa, ameaça abrir a boca e diz que “era tudo robalheira”

2.    ISTOÉ denuncia ações de Hélio Costa e aponta indícios de que ex-ministro montou esquema para lavagem de dinheiro da Telebrás

Coligação “Somos Minas Gerais” esclare declarações de Hélio Costa sobre metrô de BH

A verdade sobre o metrô de Belo Horizonte

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Em relação às declarações do candidato do PMDB, Hélio Calixto Costa, neste domingo (26/09), a Coligação “Somos Minas Gerais”, mais uma vez, esclarece:
A administração do metrô de Belo Horizonte é de responsabilidade exclusiva do governo federal por meio da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). O Governo de Minas é impedido por lei de aplicar recursos do Tesouro do Estado em empresas ou obras de responsabilidade federal sob pena de responder judicialmente.

O ex-governador Aécio Neves, durante o período em que esteve à frente do Governo de Minas, apresentou ao governo federal, em várias ocasiões, propostas de transferência para o Estado da administração do metrô. O objetivo era justamente realizar as obras de expansão necessárias aos moradores de Belo Horizonte. Não houve resposta por parte do governo federal.

O metrô de BH opera hoje com 150 mil passageiros por dia e registra um déficit de R$ 36 milhões por ano. Há exatos 10 anos não recebe qualquer investimento por parte da União para construção de novas linhas, embora essa tenha sido uma promessa feita publicamente nas campanhas presidenciais de 2002 e 2006.

O Governo de Minas, juntamente com as bancadas de Minas no Congresso, têm feito ao longo desses anos reiterados esforços para a liberação dos recursos federais necessários para construção das novas linhas.

Ano passado, o Governo de Minas e a Prefeitura de Belo Horizonte propuseram ao governo federal a transferência do metrô para o Estado com o objetivo de realizar uma Parceria Público-Privada (PPP) para execução das obras de expansão. Novamente, o governo federal não respondeu à proposta para solucionar o problema do metrô da capital.

Belo Horizonte, 26 de setembro de 2010.

Hélio Costa não disse a verdade aos mineiros em debate, diz Aécio Neves

Aécio Neves diz que candidato do PMDB faltou com a verdade em debate com os mineiros

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Ex-governador cobrou ausência de Hélio Costa, em Brasília, na defesa dos interesses de Minas nos últimos oito anos

O ex-governador Aécio Neves respondeu, neste sábado (25/09), às afirmativas feitas pelo candidato do PMDB, Hélio Costa, com relação ao metrô de Belo Horizonte e às obras de duplicação da BR-381. Em entrevista, em Juiz de Fora (Zona da Mata), o ex-governador e candidato ao Senado pela coligação “Somos Minas Gerais” afirmou que Hélio Costa faltou com a verdade para com os eleitores ao declarar que houve liberação de recursos pelo Ministério das Cidades para a implantação de novas linhas do metrô da capital. Ao contrário do que o candidato do PMDB disse, não houve recursos liberados.

Aécio Neves afirmou, ainda, que, em oito anos como senador e ministro, Hélio Costa não atuou junto ao governo federal em favor da população de Minas Gerais, não tendo contribuído também nos esforços feitos pelo Governo do Estado e a bancada mineira no Congresso Nacional para a liberação de recursos destinados à duplicação da BR-381, conhecida como “rodovia da morte” e de responsabilidade da União.

“Estou absolutamente estarrecido com a forma como alguns candidatos acham que podem ganhar a eleição em Minas Gerais mentindo para a população. Faço esse registro para dizer que não se ganha eleição em Minas Gerais mentindo, subestimando a inteligência da população mineira. E é por isso que o governador Anastasia cresce nas pesquisas. Eu poderia sintetizar todas as suas propostas numa palavra apenas: Anastasia fala a verdade e o outro candidato, não. E é por isso que Anastasia vai vencer as eleições”, disse Aécio Neves, em entrevista.

O ex-governador aproveitou para esclarecer à população mineira que as obras de ampliação do metrô de Belo Horizonte e a duplicação da BR-381 são administradas exclusivamente pelo governo federal.

“Antes do início da campanha eleitoral, o candidato Hélio Costa usou propaganda do PMDB para afirmar que os recursos para o metrô de Belo Horizonte estavam liberados. Ele foi desmentido, em primeiro lugar, pelo ministro do governo atual, o ministro das Cidades, que disse que o metrô não era prioridade. Estão aí as declarações do ministro. E desmentido agora pelos fatos. Mais uma vez, ele volta a dizer que fará o metrô de Belo Horizonte, se eleito. Mentira. Porque não fez quando podia ter feito. Ou não ajudou quando podia ter ajudado. Fala agora que no primeiro dia do seu governo fará a duplicação da BR-381. Durante oito anos, como senador e como ministro, não deu uma palavra em relação à 381”, disse Aécio Neves.

Verdade sobre o metrô de BH
A administração do metrô de Belo Horizonte é de responsabilidade do governo federal por meio da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). O Governo de Minas é impedido por lei de aplicar recursos do Tesouro do Estado em empresas ou obras de responsabilidade federal sob pena de responder judicialmente.

O ex-governador Aécio Neves, durante o período em que esteve à frente do Governo de Minas, apresentou ao governo federal, em várias ocasiões, propostas de transferência para o Estado da administração do metrô. O objetivo era justamente realizar as obras de expansão necessárias aos moradores de Belo Horizonte. Não houve resposta por parte do governo federal.

O metrô de BH opera hoje com 150 mil passageiros por dia e registra um déficit de R$ 36 milhões por ano. Há exatos 10 anos não recebe qualquer investimento por parte da União para construção de novas linhas, embora essa tenha sido uma promessa feita publicamente nas campanhas presidenciais de 2002 e 2006.

O Governo de Minas, juntamente com as bancadas de Minas no Congresso, têm feito ao longo desses anos reiterados esforços para a liberação dos recursos federais necessários para construção das novas linhas.  Ano passado, o Governo de Minas e a Prefeitura de Belo Horizonte propuseram ao governo federal a transferência do metrô para o Estado com o objetivo de realizarmos uma Parceria Público-Privada (PPP) para execução das obras de expansão. Novamente, o governo federal não respondeu à proposta para solucionar o problema do metrô da capital.

Verdade sobre a rodovia BR-381
A BR-381, que liga São Paulo ao Espírito Santo, é de responsabilidade da União e o Governo do Estado é impedido, por lei, de fazer qualquer intervenção nas rodovias federais. Nos últimos anos, o Governo do Estado, na gestão de Aécio Neves e Antonio Anastasia, cobrou por diversas vezes do governo federal a duplicação da BR-381.

A duplicação da estrada, construída na década de 50, é uma das mais antigas reivindicações da população mineira em razão dos frequentes acidentes registrados no trecho entre Belo Horizonte e Governador Valadares. Considerada a “rodovia da morte”, a BR-381 registra em média 8 mil acidentes todos os anos, matando cerca de 500 pessoas.

A maioria dos acidentes na BR-381 é provocada por colisões frontais e poderiam ser evitados se a rodovia tivesse pistas duplicadas. A rodovia exerce influência em 56 cidades mineiras onde vivem mais de 6 milhões de pessoas.

Projeto do governo federal para duplicação da BR-381, de Belo Horizonte a Governador Valadares ainda não saiu do papel e a licitação só tem previsão de iniciar em 2011. Projetada para comportar fluxo médio de 500 veículos por dia, a BR-381, no Vale do Aço, registra atualmente movimentação de 63 mil carros/dia. Único trecho da rodovia duplicado, entre Belo Horizonte e São Paulo, concluído em 2005, demorou sete anos para ser construído.

Tribunal Superior Eleitoral afirma que Hélio Costa divulgou informações “sabidamente inverídicas”

TSE concede 5 direitos de resposta para Anastasia no programa eleitoral de Hélio Calixto Costa

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

O entendimento do ministro Gilmar Mendes foi de que informações divulgadas na propaganda eleitoral do candidato do PMDB foram distorcidas e sabidamente inverídicas

O programa eleitoral de Hélio Calixto Costa divulgou informações inverídicas sobre a alíquota do ICMS nestes estados. Para o ministro Gilmar Mendes a informação divulgada na propaganda eleitoral é “sabidamente inverídica com o fim de atingir de forma relevante e prejudicial perante o eleitorado, ainda que indiretamente e no contexto da discussão crítica às diretrizes traçadas pelo Poder Executivo Estadual, o candidato e a Coligação alinhados ao atual governo mineiro”.

O ministro Gilmar Mendes destaca em sua decisão, “que é público e notório o fato de que as alíquotas do ICMS aplicadas às operações internas de circulação de mercadorias e serviços são estabelecidas e regulamentadas por leis e decretos dos Estados e do Distrito Federal. É o que se verifica, inclusive, no art. 155 da constituição federal. Nesse sentido, parece ser suficiente a consulta à legislação estadual pelos responsáveis do programa eleitoral impugnado, por se tratar de dado objetivo, específico e de fácil pesquisa”.

Prefeito mineiro do PT faz discurso de apoio a Anastasia

Prefeito de São Francisco, do PT, discursa em apoio a Anastasia

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Trecho do discurso do prefeito de São Francisco Padre José Antônio (PT), em apoio à reeleição do governador Antonio Anastasia, na Praça Centenário

“É com muita alegria que temos hoje a honra de receber o nosso governador e candidato à reeleição Antonio Anastasia. Há alguns meses, estive no Palácio Tiradentes, onde fiz a ele o convite de vir visitar a nossa terra, dizendo: ‘governador, o povo de São Francisco reconhece todos os benefícios que o senhor concedeu à nossa terra. O povo de São Francisco tem um grande apreço pelo senhor. O povo de São Francisco quer ter a honra de tê-lo em nosso meio.’ E aí o governador me respondeu, falando que por aquele momento não era possível sua visita aqui, mas que viria, sim, durante a campanha. E nós, governador Anastasia, aguardamos com ansiedade a presença de vossa excelência aqui em nosso meio. É um momento de todos nós agradecermos o benefício do ProHosp, das escolas urbanas e rurais, o grande benefício do asfalto, através do ProAcesso. Governador, as nossas cidades e vozes vão ficar interligadas. Então, é toda a região que está aqui hoje representada, estou vendo aqui prefeitos de todas as regiões vizinhas, para agradecer ao senhor. Para dizer que estamos juntos com o senhor nessa caminhada. E para desejar sucesso, governador, nessa jornada.”

Revista ISTOÉ faz denúncia sobre ações de Hélio Costa e aponta indícios de que ex-ministro montou esquema para lavagem de dinheiro da Telebrás

A lavanderia do ex-ministro

Fonte: Hugo Marques – Revista ISTOÉ

Documento em poder da Procuradoria-Geral da República aponta indícios de lavagem de dinheiro no caso do desvio de R$ 169 milhões da Telebrás, envolvendo o candidato do PMDB ao governo de Minas, Hélio Costa

Investigado por causa de um acordo que, segundo a Advocacia-Geral da União (AGU), provocou um prejuízo de R$ 169 milhões na Telebrás, o ex-ministro das Comunicações e candidato do PMDB ao governo de Minas, Hélio Costa, é agora apontado como suspeito de participar de um esquema de lavagem de dinheiro. Os indícios que comprometem o ex-ministro estão relacionados em um documento entregue na última semana ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel.

Trata-se de um relatório elaborado pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), órgão do Ministério da Fazenda, emitido como resposta a uma consulta feita pelo procurador Marinus Marsicus. Ele está apurando o desvio dos R$ 169 milhões da Telebrás e pediu que o Coaf investigasse as movimentações financeiras do ex-ministro e de mais sete pessoas (uma jurídica) ligadas a ele: Ana Catarina Figueiredo Xavier Costa, mulher de Hélio Costa; Eugênio Alexandre Tollendal Costa, filho do ex-ministro; Jorge da Motta e Silva, ex-presidente da Telebrás; Manoel Elias Moreira, assessor da Telebrás; Uadji Moreira e Jaciara Menezes Moreira.

O Coaf constatou a existência de indícios de lavagem de dinheiro nas movimentações financeiras realizadas por diversas pessoas listadas pelo procurador Marsicus. Há movimentações financeiras atípicas de algumas pessoas indicadas, registra o documento. O procurador-geral não se manifestou sobre detalhes do caso, por se tratar de investigação sob sigilo, mas uma nova frente de apuração será aberta na Procuradoria-Geral da República.

CRIME: O deputado Carlos Sampaio diz que o caso é criminoso e não apenas uma falha administrativa

“Temos a convicção de que o acor do feito pelo ex-ministro com seu amigo Uadji Moreira é irregular e nosso objetivo é rastrear os R$ 169 milhões desviados da Telebrás para tentar reaver esse dinheiro”, diz o procurador Marsicus, que atua junto ao Tribunal de Contas da União. “Pedimos a colaboração do Coaf exatamente para saber os caminhos percorridos pelo dinheiro.”

A sangria dos R$ 169 milhões dos cofres da Telebrás ocorreu a partir de um acordo firmado pelo então ministro Hélio Costa, em 2006. O empresário Uadji Moreira, amigo de Costa há mais de 30 anos, proprietário da VT Um Produções, cobrava judicialmente uma dívida da estatal decorrente de serviços de 0900 para sorteios em programas de tevê. A legislação determina que, em casos como esse, os organismos estatais devem esgotar todos os recursos jurídicos antes de fazer qualquer acerto financeiro.

Não foi o que fez Hélio Costa. Na condição de ministro responsável pela Telebrás, ele determinou a realização do acordo antes que o Judiciário se manifestasse em última instância. Com o aval de Hélio Costa, a Telebrás assinou um acordo com Uadji se comprometendo a pagar R$ 253 milhões. O Ministério Público já havia pedido ao Coaf levantamento de todas as transferências financeiras feitas pela Telebrás para a VT Um Produções.

Uma das transferências foi feita logo depois de fechado o acordo, no valor de R$ 59,5 milhões. A partir desse pagamento, Uadji passou a receber da Telebrás 40 parcelas mensais de R$ 900 mil. Parte do acordo, no valor de R$ 107 milhões, seria paga em créditos que a Telebrás tem com a Receita Federal.

As autoridades envolvidas na investigação suspeitam que o acordo foi uma espécie de negócio entre amigos. Hélio Costa é íntimo de Uadji há mais de 30 anos, desde que trabalharam juntos em uma emissora de tevê. Processo semelhante ao promovido contra a Telebrás também foi movido por Uadji contra a Embratel, a quem prestara os mesmos serviços pelo mesmo período. Nesse último caso, porém, ficou determinado que a dívida a ser paga para a VT Um era de R$ 44 milhões, 17% do valor que a Telebrás pagou com o aval de Hélio Costa. A comparação entre os dois casos foi uma das razões que levaram a AGU a concluir que o desvio da Telebrás foi de R$ 169 milhões.

RESTITUIÇÃO: O procurador Marsicus (ao lado) quer reaver o dinheiro que já foi pago ao empresário Uadji (à esq.), amigo de Hélio Costa

Desde que foi descoberta a falcatrua, o caso da Telebrás vem sofrendo uma investigação com o objetivo de reaver o dinheiro e comprovar irregularidade administrativa. Com os dados levantados pelo Coaf na última semana, a investigação ganhará outro rumo. “O relatório indica a necessidade de inquérito criminal”, diz o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP).

“O ex-ministro Hélio Costa fala que o assunto já foi encerrado, mas isso é uma falácia”, conclui o deputado. Hélio Costa argumenta que o STF já arquivou um inquérito que pretendia investigar o acordo. É verdade. Mas o ministro do STF Ricardo Lewandowski não tinha em mãos, à época, o levantamento da AGU acusando prejuízo de R$ 169 milhões, o que já possibilitou a reabertura das investigações.

Para o Ministério Público junto ao TCU, o que aumentou ainda mais a suspeita em torno do acordo do amigo de Hélio Costa foram as declarações de pessoas ligadas ao ex-ministro. Em agosto, o diretor da Rede Globo Roberto Talma disse à ISTOÉ que recorreria ao STJ para receber 20% do acordo fechado por Uadji, com quem mantinha uma parceria. Talma suspeita que parcela do dinheiro do acordo de Uadji foi parar na atual campanha de Hélio Costa ao governo de Minas.

Os procuradores que acompanham o caso também estão de olho no patrimônio do ex-ministro das Comunicações. Em 2002, Hélio Costa declarou bens no valor de R$ 359 mil. Este ano, ele apresentou ao TSE uma declaração de renda com um patrimônio de R$ 1,3 milhão. Um dos bens adquiridos por Hélio Costa após o acordo foi um apartamento avaliado em R$ 2,5 milhões no sofisticado edifício Top Green, no bairro Belvedere, em Belo Horizonte. Hélio Costa declarou à Justiça ter comprado “uma fração do apartamento em Belvedere” por R$ 1 milhão. As contas de Hélio Costa, agora, estão na Procuradoria-Geral da República.

Leia também:

1.    Veja: Ex-diretor dos Correios, indicado por Hélio Costa, ameaça abrir a boca e diz que “era tudo robalheira”

2.    Veja denuncia: Diretor dos Correios em Minas enviou telegrama a eleitores para promover Hélio Costa

Vox Populi: Antonio Anastasia abre 10 pontos para Hélio Costa; pesquisa indica vitória no 1º turno

Vox Populi: Anastasia abre dez pontos sobre Costa, em Minas

Fonte: Portal IG

O tucano venceria no primeiro turno: ele subiu 16 pontos percentuais e seu adversário, Hélio Costa (PMDB), caiu quatro

O candidato tucano ao governo mineiro, Antonio Anastasia, subiu 16 pontos percentuais e foi de 26%, em agosto, para 42%, em setembro, segundo pesquisa Vox/Populi/Band/iGdeste sábado. Seu principal adversário, Hélio Costa (PMDB), caiu de 36% para 32%. Com isso, o tucano abriu dez pontos sobre Costa.

Segundo a sondagem , Vanessa Portugal (PSTU) manteve 1%. Os candidatos Zé Fernando (PV), Edilson Nascimento (PT do B), Professor Luiz Carlos (PSOL) e Fabinho (PCO), que tinham 1% em agosto, não pontuaram em setembro. Os brancos e nulos somam 6% e os indecisos 19%. Levando em conta apenas os votos válidos, Anastasia venceria no primeiro turno.

Na pesquisa espontânea, Anastasia tem 28% e Costa, 21%.

Senado

Segundo o Vox Populi, Aécio Neves (PSDB) seria eleito senador com 71% dos votos. O ex-presidente Itamar Franco (PPS) deve ficar com a segunda vaga no Senado, com 42%. O ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel (PT) ficaria de fora, com 30% das intenções de voto.

O Voz Populi ouviu 1.000 pessoas entre os dias 18 e 21 de setembro. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional de Minas Gerais (TRE-MG) sob o número 74.029/10 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 31.709/10.

Ibope e DataTempo mostram Antonio Anastasia com ampla vantagem e vitória consolidada no 1º turno; diferença para Costa chega a 13 pontos

Anastasia abre 13 pontos sobre Hélio Costa em MG

Fonte: Estado de S.Paulo

Segundo Ibope, candidato do PSDB tem 46%, enquanto adversário do PMDB soma 33%; com 57% dos votos válidos, ele venceria no primeiro turno

O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB), que concorre à reeleição, subiu quatro pontos porcentuais em três dias e ampliou a vantagem sobre o peemedebista Hélio Costa. Se a eleição fosse hoje, ele venceria no primeiro turno, segundo pesquisa Ibope/Estado/TV Globo

Anastasia tem 46% das intenções de voto, 13 pontos porcentuais a mais que Costa, com 33%. Na pesquisa anterior, eles apareciam com 43% e 34%, respectivamente.

Com esse resultado, o tucano teria 57% dos votos válidos – os efetivamente dados aos candidatos, sem contar nulos e brancos. Para vencer no primeiro turno, um candidato precisa de 50% mais um dos votos válidos.

Na disputa pelo Senado não houve alterações no quadro. Aécio Neves (PSDB), primeiro colocado, teria 69% dos votos totais e 46% dos válidos. Em segundo está Itamar Franco (PPS), com 44% dos votos totais e 30% dos válidos. O petista Fernando Pimentel, que tenta tirar de Itamar a segunda vaga em disputa no Estado, oscilou um ponto para baixo. Ele tem 29% dos votos totais e 19% dos válidos.

Na corrida presidencial, a candidata do PT, Dilma Rousseff, se mantém na frente em Minas Gerais, mas sua vantagem em relação aos adversários diminuiu.

Em três dias, Dilma oscilou de 51% para 49%. O tucano José Serra se manteve com 25%, e Marina Silva (PV) passou de 13% para 15%.

O Ibope ouviu 2.002 eleitores em 113 municípios de Minas entre os dias 23 e 25 de setembro. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número 31.796/2010.

Para ler no original: Anastasia abre 13 pontos sobre Hélio Costa em MG<http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100927/not_imp615782,0.php>