• Agenda

    julho 2010
    S T Q Q S S D
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Antonio Anastasia lidera e já é o segundo governador melhor avaliado no país, revela Pesquisa Datafolha

Antonio Anastasia lidera pesquisa espontânea em BH e Região Metropolitana

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Datafolha mostra que Governo de Antonio Anastasia tem segunda melhor avaliação do país entre governadores que assumiram cargos este ano

Pesquisa espontânea do Datafolha, divulgada esta semana, mostrou que Antonio Anastasia lidera as intenções de voto entre os eleitores que moram em Belo Horizonte e na Região Metropolitana e que já decidiram seu voto. Realizada entre dias 20 e 23 de julho, a pesquisa indicou que Antonio Anastasia tem a preferência dos eleitores onde seu trabalho como governador é mais conhecido. A avaliação do ranking dos governadores realizada pelo Datafolha indicou Antonio Anastasia com a segunda a melhor avaliação do país entre os governadores que assumiram o cargo este ano. A avaliação positiva do governador é de 61% entre os entrevistados.

A pesquisa espontânea aponta que 73% dos eleitores mineiros de todas as regiões do Estado ainda não sabem em quem vai votar. Segundo a pesquisa, Antonio Anastasia tem 14% entre os eleitores de Belo Horizonte que já declararam espontaneamente o voto, quatro pontos à frente do candidato peemedebista, citado por 10% dos entrevistados. No levantamento realizado na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o Datafolha mostra também a liderança do governador Antonio Anastasia com 12% da preferência do eleitorado, três pontos à frente do principal adversário.
Os resultados, segundo os analistas, mostram que os eleitores ainda não fizeram a opção de voto, o que naturalmente ocorrerá a partir do início da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão, onde serão conhecidas as propostas de governo de cada candidato. Os analistas concordam que nesta etapa da disputa eleitoral as pesquisas espontâneas são aquelas que, de fato, indicam a real intenção de voto dos eleitores.

“As pesquisas refletirão a real tendência do eleitorado apenas quando os candidatos tiverem o mesmo nível de conhecimento. A partir do início do programa eleitoral é que devemos ter mudanças nas pesquisas eleitorais em Minas Gerais”, afirmou o presidente do PSBD em Minas, deputado federal Narcio Rodrigues.
O deputado ressaltou que os eleitores de Belo Horizonte e da Região Metropolitana com maior acesso a informações sobre Antonio Anastasia e Aécio Neves, querem dar continuidade aos avanços sociais obtidos em Minas.

“A liderança de Antonio Anastasia na Região Metropolitana de Belo Horizonte demonstra que os eleitores que conhecem o governador escolheram a continuidade. Vamos caminhar ainda pelo interior de Minas mostrando ao eleitor mineiro a força e a solidez da campanha de Antonio Anastasia para dar continuidade ao trabalho nacionalmente reconhecido de Aécio Neves”, afirmou o deputado.
Na metodologia da pesquisa espontânea, ao contrário da pesquisa estimulada, que é induzida, os nomes dos candidatos não são apresentados ao entrevistado. O eleitor responde à pesquisa indicando espontaneamente o voto no candidato escolhido.

Aprovação de Antonio Anastasia
A pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada na terça-feira (27/07), também mostrou que Antonio Anastasia é o segundo governador melhor avaliado entre aqueles que assumiram o cargo em 31 de março. Com apenas quatro meses de mandato, o governo de Antonio Anastasia já é classificado como ótimo/bom por 35% dos entrevistados. O Datafolha mostrou que 26% das pessoas que participaram da pesquisa consideraram o governo como regular. Este resultado representa uma avaliação positiva de 61% pelos entrevistados.

A sondagem revelou ainda que o índice de popularidade do governador Antonio Anastasia é de 141 (numa escala de 0 a 200), segundo mais alto do país, superado apenas pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), que foi o primeiro colocado no ranking de governadores brasileiros e cumpre o mandato desde 2006.

Ricardo Teixeira, presidente da CBF, diz a Antonio Anastasia que Mineirão leva vantagens para sediar jogo de abertura da Copa 2014

Ricardo Teixeira fala sobre as vantagens do Mineirão para sediar a abertura da Copa de 2014

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Leia a entrevista de Ricardo Teixeira

Queria aqui agradecer a presença, desculpem a expressão, do desempregado Aécio aqui, mas eu não podia de maneira nenhuma deixar de convidar porque foi quem iniciou esse projeto todo. Queria agradecer ao governador Anastasia, aos presidentes de clubes, principalmente por terem a paciência de esperar a obra do Mineirão, não utilizando o estádio. Meu caro Márcio, prefeito de Belo Horizonte e efetivamente estou muito feliz por saber que Belo Horizonte, inegavelmente, é a sede e o estádio que está mais avançado não só no projeto, como com relação à obra. De forma que a expectativa é exatamente essa, que a participação do Mineirão seja bastante importante no contexto da Copa do Mundo de 2014.

Presidente, quais são os pontos positivos de Belo Horizonte e do Mineirão, por exemplo, para se fazer uma abertura da Copa, e o que ainda é negativo, que precisa ser melhorado, por exemplo, rede hoteleira…

Sobre a rede hoteleira é muito oportuno você me falar, porque eu tive um relatório já na África do Sul, o prefeito já tinha me feito esse relatório e aqui ele deu mais detalhes das perspectivas que têm, com relação à parte de empresas multinacionais que irão fazer hotéis novos aqui em Minas Gerais e em Belo Horizonte, que obviamente tem que ter um certo segredo empresarial, na medida em que essas empresas são investidores que não gostariam de ter seus nomes revelados, mas enfim, eu tenho convicção de que isto será sanado em Belo Horizonte com essa perspectiva, e nos próximos meses teremos contratos de grandes multinacionais da área de hotelaria, que estão interessados em fazer hotéis aqui.

Presidente, se Belo Horizonte está à frente de outros em termos de reforma, em termos de estrutura para a Copa, por que já não definir a cidade como sede da abertura da Copa do Mundo?

Porque a Fifa tem um cronograma e ela vai cumprir o cronograma dela. Na época oportuna de análise de todos os jogos importantes, de todas as chaves da Copa do Mundo, é que será definida a abertura e o fechamento. Não tem definida nem a abertura e nem o fechamento.

É a mais cotada, presidente, é favorita?

Pelo fato de ter iniciado, você há de convir comigo que ela já iniciou na frente dos outros, é a vantagem.

E a situação de São Paulo, como está?

São Paulo está com problema, porque São Paulo não tem estádio. São Paulo, hoje, para o comitê organizador, São Paulo não tem estádio apresentado para a Copa do Mundo, com relação nem a sede em si. Não há nenhum estádio que esteja definido em São Paulo para a Copa do Mundo.

Além de São Paulo outros três estados ainda não começaram as obras ou assinaram contratos para os estádios e em relação ao cronograma da Fifa estão atrasados. Alguma chance de não sediarem mais a Copa?

Isto não está mais em pauta até porque você tem estádios e estádios. Você tem estádios que necessariamente, como é o caso do Mineirão, como é o caso do Maracanã, provavelmente, como é o caso dos grandes estádios de mais de 60 mil lugares, que irão ter uma participação ativa, começando em 2013, enquanto que outros estádios só começarão em 2014, na Copa do Mundo.

O senhor acha que o Brasil está preparado mesmo e vai dar o exemplo para sediar a Copa do Mundo de 2014. Pode fazer uma copa do mundo melhor que a da África do Sul e Alemanha?

Não estamos preocupados em fazer Copa melhor nem que a Alemanha e nem que a África. Nós queremos fazer a Copa do Mundo com as características brasileiras e vai ser uma copa brasileira, com a alegria do nosso povo, com o amor que ele tem ao futebol. Não estamos preocupados em competir com a Alemanha, de 2006, não estamos preocupados em competir com a África, de 2010, nem com o eventual candidato de 2018. Queremos fazer a Copa do Brasil, uma copa bem feita.

Presidente, além dos estádios que são as estrelas da Copa do Mundo, também há outros problemas. O senhor já mencionou aeroportos, também tem a questão da mobilidade urbana. Quais são os principais problemas, além dos estádios, que o Brasil deve enfrentar para realizar uma Copa bem feita, eu diria até perfeita?

Vou plagiar o presidente da Fifa, Blatter, que quando estava dando uma entrevista agora, nos últimos tempos, e um jornalista coincidentemente brasileiro fez a mesma pergunta pra ele. Ele respondeu que não está preocupado com problemas. Ele está preocupado com as soluções.

Eu queria agradecer ao governador Anastasia, porque efetivamente ele tem, desde o início, foi quem comandou este processo na parte administrativa com relação à sede de Minas Gerais. Sempre nos atendeu a nós da Fifa e nós, da CBF, do Comitê Organizador, muito bem e quero parabenizá-lo governador, porque efetivamente se demonstra a sua capacidade de gestão. Parabéns e boa sorte!

Estadão online: “Belo Horizonte, inegavelmente, é a sede e o estádio que está mais avançado não só no projeto, como com relação à obra”, elogiou Ricardo Teixeira em conversa com Governador Anastasia

Estadão Online: Ricardo Teixeira vê Mineirão em vantagem para abrir Copa

Fonte: Agência Estado

“Belo Horizonte, inegavelmente, é a sede e o estádio que está mais avançado não só no projeto, como com relação à obra”, elogiou o presidente da CBF

Depois de visitar nesta quarta-feira as obras de reforma do Mineirão, Ricardo Teixeira afirmou que Belo Horizonte está em “vantagem” na disputa entre algumas cidades brasileiras para ser a sede da abertura da Copa de 2014. Mas o dirigente, que é presidente da CBF e do Comitê Organizador Local, ressaltou que a decisão sobre o palco do jogo inaugural do Mundial será tomada em conjunto com a Fifa, em data ainda a ser definida.

A favorita para receber a abertura da Copa ainda é São Paulo, mas a capital paulista está sem estádio definido após o veto ao Morumbi. Brasília já se candidatou para ser a sede do jogo inaugural, apostando na construção do novo Mané Garrincha, visitado na terça-feira por Ricardo Teixeira, como grande trunfo. E Belo Horizonte também quer essa honra, como o governador Antonio Anastasia deixou claro no encontro desta quarta.

Antonio Anastasia acompanhou Ricardo Teixeira na visita desta quarta-feira às obras do Mineirão. “Estamos aqui com o objetivo de mostrar que estamos dentro do cronograma”, explicou o governador de Minas Gerais. “O Mineirão é o primeiro estádio, que está em primeiro lugar (entre as sedes brasileiras na execução das obras de preparação para a Copa), e, por isso mesmo, tem condições de sediar a abertura e grandes jogos.”

“Belo Horizonte, inegavelmente, é a sede e o estádio que está mais avançado não só no projeto, como com relação à obra”, elogiou Ricardo Teixeira, admitindo que isso pode ajudar o Mineirão a ser escolhido como sede da abertura da Copa – a reforma do estádio começou no dia 26 de junho, sendo que já está sendo feita a retirada do gramado. “Pelo fato de ter iniciado, você há de convir comigo que ela já iniciou na frente dos outros, é a vantagem.”

Link da matéria: http://www.estadao.com.br/noticias/esportes,teixeira-ve-mineirao-em-vantagem-para-abrir-copa,587236,0.htm

Aécio Neves e Anastasia recebem Ricardo Teixeira que elogia a gestão das obras de reforma do Mineirão e os preparativos para Copa 2014

O Mineirão em obras recebe a visita de Ricardo Teixeira, recepcionado por Antonio Anastasia, Aécio Neves e prefeito Marcio Lacerda

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Presidente da CBF verifica cumprimento de cronograma de obras e destaca estádio mineiro como o de melhores condições para sediar abertura da Copa de 2014

O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, e o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, vistoriaram juntos hoje as obras de modernização do Mineirão para a Copa do Mundo de 2014. As obras do Mineirão são as mais adiantadas entre todos os outros estádios que sediarão jogos do mundial no Brasil. O ex-governador Aécio Neves e o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, participaram da visita ao Mineirão, nesta quarta-feira (28/07). As obras foram iniciadas, em janeiro, pelo então governador Aécio Neves e estão previstas para serem concluídas em dezembro de 2012, dentro do cronograma previsto pela Fifa.

Ricardo Teixeira afirmou que o cronograma das obras em dia classifica o Mineirão entre os estádios com melhores condições para receber a abertura da Copa. “Estou muito feliz por saber que Belo Horizonte, inegavelmente, é a sede que tem o estádio que está mais avançado não só no projeto, como em relação à obra. De forma que a expectativa é exatamente essa, que a participação do Mineirão seja bastante importante no contexto da Copa do Mundo de 2014”, afirmou o presidente da CBF.

Ricardo Teixeira ressaltou o empenho do governador Antonio Anastasia em garantir o andamento dos trabalhos de acordo com o previsto, e o rigor no cumprimento das exigências da Fifa.
“Queria agradecer ao governador Anastasia, porque efetivamente, desde o início, foi quem comandou este processo na parte administrativa com relação à sede de Minas Gerais. Sempre atendeu muito bem, a nós da Fifa, da CBF e do Comitê Organizador. Quero parabenizá-lo porque efetivamente demonstra a sua capacidade de gestão. Parabéns e boa sorte!”, disse Ricardo Teixeira.

O Mineirão já está na segunda fase de obras. Operários e máquinas estão dentro do estádio demolindo parte das arquibancadas inferiores e da geral. Nesta quarta-feira, foi iniciada a retirada do gramado que tem área de 8,25 mil metros quadrados. Em seguida, será iniciado o rebaixamento do campo do Mineirão em 3,5 metros para melhorar a visibilidade dos torcedores. Com capacidade para 65 mil pessoas, o Mineirão é o segundo maior estádio do país.

Cronograma em dia

O governador Antonio Anastasia ressaltou a importância da visita do presidente da CBF a Minas Gerais para confirmar o esforço do Governo do Estado em garantir o cumprimento do cronograma de obras de modernização do Mineirão. Segundo o governador, ainda este ano será iniciada a terceira e maior etapa da obra do estádio realizada em parceria com a iniciativa privada. Nesta fase, estão previstos investimentos de cerca de R$ 650 milhões. A obra de modernização do Mineirão será finalizada em dezembro de 2012, com ampliação da capacidade para 70 mil torcedores.

“Estamos dando continuidade às obras do Mineirão, tão importantes para Belo Horizonte e Minas, com o objetivo de mostrar que estamos dentro do cronograma. É o grande esforço que Estado e prefeitura têm feito para mostrar que Belo Horizonte quer ser não mais uma sede, mas de fato a melhor sede da Copa do Mundo de 2014 no Brasil, pleiteando naturalmente os grandes jogos. Esta segunda etapa, do rebaixamento do gramado ficará concluída até o final do ano, até novembro, e a partir de então o estádio começará sua grande obra. Em agosto, teremos a entrega da licitação da terceira etapa. Então, está tudo dentro do cronograma e eu espero que o acompanhamento feito pela CBF e pela Fifa seja sempre permanente até para mostrarmos o que estamos fazendo”, afirmou Antonio Anastasia.

Mineiros querem abertura em BH
Durante a vistoria às obras do Mineirão, Antonio Anastasia e Ricardo Teixeira, ao lado de Aécio Neves e Márcio Lacerda, assistiram à apresentação do arquiteto responsável pela obra, Gustavo Penna, sobre o andamento dos trabalhos e acompanharam a movimentação dos operários. Ricardo Teixeira também recebeu documento com 64 mil assinaturas do coordenador do Movimento Abre a Copa Mineirão, Wadson Ribeiro, com apoio de todos os clubes mineiros e da população para realização da abertura da Copa do Mundo em Belo Horizonte.

O ex-governador Aécio Neves destacou as ações do Governo do Estado em parceria com a Prefeitura de Belo Horizonte para dotar a capital mineira de infraestrutura adequada para sediar a abertura da Copa do Mundo.
“Na parte viária, desde o início do governo, fizemos a Linha Verde, a Antônio Carlos e, agora, o viaduto da Abrahão Caram, que é mais um acesso fácil ao Mineirão. Em relação à rede hoteleira, o prefeito Marcio Lacerda tem nos adiantado que inúmeros processos estão em andamento. Poderemos ter em torno de 4 a 5 mil novos leitos disponibilizados até a Copa do Mundo. A localização de Belo Horizonte é única. Ao lado dos principais grandes centros do Brasil, a locomoção dos torcedores que estarão no Brasil, a maioria deles é muito facilitada”, afirmou Aécio Neves.

Aécio Neves creditou a Antonio Anastasia e sua equipe de governo, o mérito do cumprimento do cronograma de obras do Mineirão. “A competência do governador Anastasia, enquanto vice-governador, na coordenação do projeto, como disse o presidente Ricardo Teixeira, foi fundamental. Queremos sim, eu digo com todas as letras, fazer aqui a abertura da Copa do Mundo”, disse Aécio Neves.

Mais investimentos para aeroporto
Durante a vistoria ao Mineirão, Aécio Neves cobrou investimentos do governo federal nas obras de ampliação do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, fundamental para aumentar a capacidade de recepção dos turistas e torcedores em Minas.

“Temos agora que aguardar que o governo federal faça as obras no aeroporto, que me parece o grande gargalo. Estamos buscando isso há muito tempo, não há ainda garantia dos investimentos nem para o terminal 1 e precisamos do terminal 2 para chegarmos na Copa do Mundo com capacidade para receber aqui cerca de 14 milhões de passageiros/ano”, afirmou.

Antonio Anastasia comemora resultados positivos de pesquisa que aponta queda no desemprego e criação de 31 mil vagas em junho

Minas é o segundo em geração de empregos no país, segundo Caged

Fonte: Coligação Somos Minas Gerais

Governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, comemorou resultados positivos de pesquisa que aponta queda no desemprego e criação de 31 mil vagas em junho

O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, destacou os resultados da Pesquisa de Emprego e Desemprego da Fundação João Pinheiro, divulgada nesta quarta-feira (28/07), que apontaram, em junho deste ano, aumento de 31 mil empregos na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O governador afirmou que o aumento da oferta de trabalho é resultado do aquecimento da economia de Minas e dos importantes investimentos do setor privado em todas as regiões do Estado. Desde 2003, Minas recebeu R$ 240 bilhões em investimentos privados com geração de 448,2 mil empregos diretos.

“Felizmente temos apresentado indicadores melhores que a média brasileira. A Região Metropolitana de Belo Horizonte apresentou um dado muito positivo, queda do desemprego de 8,5%. Isso demonstra o aquecimento da atividade econômica em Minas Gerais, fruto do grande esforço do governo em parceria com o setor privado”, afirmou o governador Antonio Anastasia em entrevista durante vistoria às obras de modernização do estádio Mineirão.
De acordo com a pesquisa divulgada nesta quarta-feira, a taxa de desemprego total na região caiu para 8,5% da População Economicamente Ativa (PEA) no mês de junho, depois de ter atingido 9,6% em maio. O levantamento demonstrou que foram criados 31 mil postos de trabalho em junho, elevando o número de ocupados para 2,27 milhões de trabalhadores. Em relação ao mesmo mês anterior, o nível de ocupação aumentou 1,7%, com a criação de 47 mil vagas.

Rendimentos

O rendimento dos trabalhadores na RMBH, segundo a pesquisa, também apresentou crescimento. Entre abril e maio deste ano, o rendimento aumentou em 1,4%. O salário real médio passou para R$ 1.364, com um aumento de 0,7%. Já o rendimento médio dos autônomos ficou em R$ 1.139, com variação de 0,6%. Em relação a maio de 2009, o rendimento real médio dos ocupados aumentou 6,6%, passando para R$ 1.342. No setor privado o crescimento foi de 2,8%, enquanto que entre os autônomos o acréscimo foi de 14,7%. O salário médio dos trabalhadores com carteira assinada aumentou 1,8% e o dos trabalhadores sem registro em carteira teve acréscimo de 8,8%.

Caged

O aumento do nível de emprego em Minas foi demonstrado também pelo Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged), divulgado pelo Ministério do Trabalho e Emprego. No primeiro semestre de 2010, Minas obteve o segundo melhor resultado na criação de novas vagas no país, com crescimento de 6,64%, em relação ao mesmo período de 2009. Esse acréscimo representou 232.572 novos postos formais.

O levantamento mostra que, em números de vagas criadas, Minas atingiu o seu melhor desempenho em toda a série histórica do cadastro no primeiro semestre e o segundo melhor tanto na Região Sudeste quanto no Brasil. Nos últimos 12 meses, o crescimento do nível de emprego no Estado foi de 6,95%, com mais 242.734 postos de trabalho. Apenas em junho deste ano foram criadas 38.870 vagas, o que representa um aumento de 1,05%, em relação ao mês de maio.
No interior de Minas a alta foi de 8,07% no primeiro semestre de 2010, com mais 172.376 postos. Já na Região Metropolitana, o destaque foi Belo Horizonte com um aumento de 4,41%, ou mais 60.196 postos.

Investimentos recordes

A economia mineira iniciou 2010 em franco processo de recuperação, superando os efeitos da crise financeira que abalou os mercados mundiais a partir de setembro de 2008. Segundo o Instituto de Desenvolvimento Integrado (Indi), ligado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, apenas no primeiro semestre do ano, foram anunciados em Minas investimentos privados de R$ 38,43 bilhões, distribuídos por diversas cadeias produtivas, gerando 37 mil empregos diretos e mais de 95 mil empregos indiretos. O PIB de Minas Gerais, segundo a Fundação João Pinheiro, apresentou crescimento de 12,2% com relação ao mesmo período do ano passado, contra um crescimento de 9% do PIB nacional.

Aécio diz em Ituiuitaba que Minas tem o melhor modelo de gestão do Brasil

Aécio Neves diz em Ituiuitaba fala sobre gestão e os rumos do cenário nacional

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Sobre a visita a Ituiutaba
Falar primeiro aqui da alegria nossa de no momento em que realmente a campanha se inicia, e nós sabemos que essa semana é o início efetivo da campanha, os materiais estão aí, os candidatos estão se movimentando, os candidatos a deputado federal e estadual, e o governador Anastasia fez questão de iniciar essa etapa fundamental da sua campanha ao lado do prefeito municipal, ao lado das lideranças políticas do Pontal do Triângulo, porque daqui, o que se fala aqui, se irradia por toda Minas Gerais. E tenho absoluta confiança de que os mineiros do Pontal e os mineiros das outras regiões de Minas querem ver Minas avançando, querem ver Minas continuando um trabalho que vem sendo feito até agora com inovações e com avanços. Minas hoje é respeitada no Brasil inteiro como o melhor modelo de gestão do país. Isso significa mais rodovias, mais saúde, mais educação, mais segurança. E Minas não merece um retrocesso. Por isso eu chego ao Pontal hoje, chego a Ituiutaba, ao lado do meu companheiro Romão, ao lado de tantas lideranças políticas para dizer que, a partir daqui, é que vamos iniciar a grande virada em favor de Minas Gerais. A vitória de Anastasia não é a vitória de um candidato apenas, é a vitória do que há de melhor em Minas Gerais, nossos melhores valores, da ética e, sobretudo, da competência na vida pública.

Como o senhor está avaliando o cenário nacional, o senhor acha que há realmente um clima de terrorismo, como se diz por aí?

Não, olha, acho que estamos entrando na fase mais aguda da campanha. É natural que uma disputa polarizada como essa, no campo nacional, ela sugira farpas daqui e de lá. Acho que o candidato Serra tem buscado construir a sua campanha em torno de propostas, em torno de projetos, tem ouvido muito as nossas sugestões, o Serra recebeu, meu caro prefeito, uma sugestão construída pelo governador Anastasia, ouvidos os prefeitos, as lideranças de todas as regiões, sobre aquilo que é prioritário para Minas Gerais. Ele, portanto tem, hoje, condições de construir um discurso regional, que é absolutamente fundamental e acredito que, no momento em que o embate passar a se dar entre o candidato José Serra e a candidata do governo, do PT, ficará muito claro para os brasileiros quem é aquele que tem melhores condições de dar continuidade aos avanços que vem ocorrendo também no Brasil. Nós não desconhecemos os avanços que vêm ocorrendo no Brasil, mas seria um equívoco e até mesmo uma imprudência acharmos que o Brasil começou a avançar a partir de 2003. Não, esses avanços vêm desde a redemocratização, eles passam por ações do governo do PSDB, como a Lei de Responsabilidade Fiscal, como o Plano Real, fundamental para os êxitos do próprio governo do presidente Lula, então nos sentimos partícipes, parte integrante dos avanços que o Brasil vem vivendo. E acho que José Serra é quem tem melhores condições de fazer o Brasil avançar ainda mais.

Mas, voltando, por exemplo, teve a menção ao MST. O senhor acha que isso é tema de campanha mesmo, o Sérgio Lins tinha dito que invadiria, teria mais.

Olha, no momento em que o MST toma uma posição na campanha eleitoral, é natural também que reações ocorram. Todos nós somos absolutamente favoráveis à reforma agrária, e ela tem que haver, o Brasil precisa de uma reforma agrária, mas uma reforma agrária organizada e que respeite a propriedade da terra. Essa é uma divergência que temos, profunda, em relação a um governo que, de alguma forma, estatiza os movimentos sociais. Isso é algo que não achamos adequado. Um governo que financia, com recursos públicos, movimentos sociais, que atrela a si esses movimentos. O que queremos mostrar é que nós respeitaremos quaisquer que sejam esses movimentos, e têm causas legítimas como aqueles que lutam efetivamente pela reforma agrária, mas eles não podem ser parte de um governo e contra outras propostas de governo, porque aí eles se tornam ilegítimos.

Governador, os aposentados do Brasil têm carecido de uma maior cobertura do governo. O senhor sendo eleito vai lutar pelos aposentados dentro do Senado Federal?

Sem dúvida alguma. Os aposentados que construíram, principalmente eles, o Brasil no qual vivemos hoje. Sempre com responsabilidade, mas principalmente com respeito aos aposentados é que o Brasil vai avançar. Temos uma agenda que, a partir do programa eleitoral vai se tornar conhecida, de ações prioritárias no âmbito do Congresso Nacional. Não quero uma vaga no Senado apenas para ser um figurante, quero ajudar com outros senadores eleitos, se vier a ser eleito, claro, a construir uma agenda nova para o Brasil, que passa fundamentalmente pelo Senado da República e que incluirá, claro, os direitos dos aposentados.

Lula demite apadrinhados de candidato Hélio Costa dos Correios por má gestão e rombo em fundo de pensão, revela Folha

Lula demite presidente dos Correios – Decisão de despedir Carlos Henrique Custódio e seu diretor de Gestão de Pessoas visa estancar crise política

Fonte: Folha de S.Paulo

Ambos foram indicados por Hélio Costa, que tem apoio do PT em Minas e nega contágio; sucessor trabalhou com Roriz

Na tentativa de evitar a politização da crise dos Correios, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva demitiu o presidente da empresa, Carlos Henrique Custódio, e o diretor de Gestão de Pessoas, Pedro Magalhães Bifano.
O engenheiro David José de Matos, que trabalhou nos governos de Joaquim Roriz e José Roberto Arruda, no Distrito Federal, vai assumir a vaga de Custódio.

As demissões devem ser publicadas no “Diário Oficial da União” de hoje. Os dois foram indicados pelo ex-ministro das Comunicações Hélio Costa, candidato do PMDB ao governo de Minas Gerais.
Lula seguiu recomendação de Erenice Guerra (Casa Civil) e Paulo Bernardo (Planejamento), que foram escalados para fazer um raio-X da instituição em junho, após uma crise de gestão que culminou com o atraso na entrega de correspondências.

O ministro das Comunicações, José Artur Filardi, e a cúpula do PMDB não foram consultados. José Serra (PSDB) fez menções críticas, ao longo da campanha, à administração dos Correios.
O relatório dos ministros apontava três problemas: 1) atraso na licitação de 1.429 franquias cujos contratos vencem em novembro e que podem causar um “apagão postal”; 2) logística falha; 3) demora na realização do concurso público que atraiu mais de 1 milhão de inscritos.

SEM COMUNICAÇÃO
O raio-X apontou ainda que os diretores não se comunicavam e não funcionavam como um colegiado, emperrando todas decisões administrativas da estatal.

Na gestão de Custódio, no posto desde 2006, os Correios tiveram o menor lucro na era Lula (em 2009). O ganho foi impactado pelo rombo do fundo de pensão Postalis, como revelou a Folha.
Nesta semana, surgiu nova crise com a revelação de que o site dos Correios tinha um manual ensinando os candidatos a conquistar eleitores. Ele foi alterado após a Folha publicar a notícia.
Pedro Magalhães era o responsável pela realização do concurso. Será substituído por Nelson de Oliveira, uma indicação do PT.

O ex-ministro Hélio Costa minimizou as demissões. “Não vejo como nada de excepcional. Não tenho nada a dizer.” O mesmo tom foi adotado pelo líder do PMDB, Henrique Alves (RN). “”Não vai ter nenhuma repercussão política. Foi uma avaliação técnica baseada em problemas administrativos internos.” A Folha apurou que o PMDB decidiu não brigar por mais seis meses de cargo.