• Agenda

    julho 2010
    S T Q Q S S D
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Candidato Hélio Costa, do PMDB, peca novamente pela inverdade e demonstra desconhecer avanços conquistados pelos servidores em Minas nos últimos 8 anos

Coligação “Somos Minas Gerais”

O candidato do PMDB peca novamente pela inverdade e demonstra, mais uma vez, desconhecimento sobre os avanços conquistados pelos servidores públicos em Minas nos últimos oito anos, entre eles o atendimento a reivindicações históricas, como  o fim da escala de pagamentos, a implantação dos Planos de Carreira e o pagamento de 100% das verbas retidas. O Governo de Minas também é o único no Brasil a pagar Prêmio por Produtividade ao conjunto dos servidores estaduais.

É incorreta também a afirmativa feita por ele de que os servidores federais tiveram 500% de reajustes salariais nos últimos anos. Os números são claros e demonstram que, em termos nominais (sem descontar a inflação), a variação da folha federal foi de 122% e a real de  50%.  Nesse valor estão incluídos reajustes e novas contratações. Não existe a menor possibilidade, portanto, de se alcançar 500%, como foi declarado.

Sobre o programa Luz para Todos, o candidato volta a considerar como recursos da União valores que são, na verdade, empréstimos concedidos à Cemig, num claro esforço para confundir a população de Minas. Afinal, quando o cidadão vai ao banco e faz um empréstimo para comprar um carro, o carro pertence a quem? Ao banco que emprestou o dinheiro ou ao cidadão que paga o empréstimo?

Lamentamos, por fim, que o candidato do PMDB trate a administração pública pela lógica de mandatos eleitorais que se esgotam a cada quatro anos. Minas Gerais é hoje referência administrativa no Brasil, e reconhecida pelos organismos federais e internacionais, exatamente pelo atual governo ter adotado medidas de longo alcance, regidas pela lógica do interesse da população e do bem comum, e não de eventuais governos.

Minas merece que o debate eleitoral seja feito com respeito aos mineiros e à verdade.

Antonio Anastasia discute metas para o plano de governo com a classe artística

O governador Antonio Anastasia garante empréstimos de US$ 598 milhões para investimentos em educação, saúde, infraestrutura e meio ambiente em Minas Gerais.

“Movimento cultural apoia Antonio Anastasia”, diz arquiteta Jô Vasconcelos

O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição ao governo de Minas, recebeu o apoio de nomes importantes da cultura no Estado. A arquiteta Jô Vasconcelos prestigiou o governador.

Em Minas, estilista Teresinha Santos declara apoio a Antonio Anastasia

O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição ao governo de Minas, recebeu o apoio de nomes importantes da cultura no Estado. A estilista Terezinha Santos é um deles.

Gestão: Governador Antonio Anastasia fala em Washington sobre os recursos obtidos com o BID para projetos estruturadores do Governo de Minas

O governador Antonio Anastasia garante empréstimos de US$ 598 milhões para investimentos em educação, saúde, infraestrutura e meio ambiente em Minas Gerais.

Roberto Vellutini, do BID, comenta emprésitmo assinado por Anastasia e fala da ação inovadora com o Governo de MG

Governador Antonio Anastasia garante empréstimos de US$ 598 milhões para investimentos em educação, saúde, infraestrutura e meio ambiente

Governo Anastasia: Banco Mundial (Bird) libera US$ 461 milhões para investimentos no estado

Bird libera US$ 461 mi para o Estado

Fonte: Diário do Comércio

Washington – O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, e a vice-presidente para a América Latina e Caribe do Banco Mundial, Pamela Cox, assinaram na última sexta-feira, em Washington, nos Estados Unidos, contrato de financiamento no valor de US$ 461 milhões.

Os recursos serão aplicados nos programas sociais do governo do Estado, com destaque para os projetos de redução da pobreza no Norte de Minas e vales do Jequitinhonha e Mucuri. O objetivo é ampliar ainda mais as ações que vêm mudando a realidade social das regiões mais pobres, com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) em Minas. De 2003 a 2009, as ações do governo do Estado permitiram que o índice de pobreza da população reduzisse de 26,7% para 14,3%.

“É um momento de muita alegria para o Governo de Minas e para os mineiros. Estamos aqui consagrando uma grande operação com o Banco Mundial para investimentos nos projetos estruturadores de Minas Gerais. Essa parceria com o Banco Mundial já não é de hoje. Desde o início do Governo Aécio Neves, estamos nesta próxima sintonia com o banco e recebemos de maneira extremamente rara apoio do Banco Mundial para alocarmos recursos nos nossos projetos sem necessidade de contrapartida”, afirmou Anastasia.

A prioridade dada por Anastasia e pelo ex-governador Aécio Neves em investir nas regiões de baixo IDH trouxe resultados concretos na área social. A taxa de desnutrição no Norte de Minas, por exemplo, registrou queda de 55% entre 2003 e 2009. Já a taxa de mortalidade infantil reduziu 10,4% na mesma região, entre 2002 e 2007.

Na área de educação, houve aumento de 62,4% na proporção de alunos de oito anos com nível recomendável de leitura, entre 2006 e 2009, apontado pelo Programa de Avaliação da Alfabetização (ProAlfa), que mede o nível de escrita e leitura no 3º ano do ensino fundamental. Já nos vales do Jequitinhonha e Mucuri, o aumento foi de 87,2% no mesmo período.

Água tratada – No saneamento básico, o governo estadual criou, em 2007, a Copasa Serviços de Saneamento Integrado do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Copanor), subsidiária da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) que fornece água tratada, com tarifas reduzidas, para consumidores do Norte de Minas. Já são 134 mil pessoas atendidas em 64 localidade, com cerca de 37 mil ligações.

O financiamento de US$ 461 milhões assinado na última sexta-feira pelo governador Antonio Anastasia é o terceiro contrato sem a exigência de contrapartida financeira por parte do Estado. Nesta inovadora modalidade, a contrapartida estipulada pelo banco foram metas e resultados em áreas sociais e de gestão no Estado, como a redução de mortalidade e melhoria dos índices de alfabetização.

Em 2006, o então governador Aécio Neves assinou com o Bird o primeiro contrato nesta modalidade firmado pelo banco com um estado brasileiro, no valor de US$ 170 milhões para programas de infraestrutura, saneamento e modernização da administração fiscal do Estado. Já o segundo, firmado em 2008, no valor de US$ 976 milhões foi direcionado para segurança pública, saúde e infraestrutura viária. Os novos financiamentos nesta modalidade só foram firmados pelo cumprimento das metas.