• Agenda

    maio 2010
    S T Q Q S S D
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Governo Anastasia: Cetec se reúne com pequenas e médias empresas para implementação de programa tecnológico para os setores de metal-mecânica e cosméticos

Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (Cetec) realiza nos dias 6 e 7 de maio reuniões de trabalho com empresas mineiras dos setores metal-mecânico e de cosméticos. A iniciativa acontecerá em parceria com o Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), para o qual o Cetec está realizando uma etapa do programa “Desenvolvimento e Internacionalização de pequenas e médias empresas”.

Com recursos da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), captados pela Fiemg, o programa apoia 94 empresas distribuídas por todas as regiões do Estado, das áreas de alimentos, calçados, cosméticos e metal-mecânico. A fundação está iniciando o trabalho de identificação de necessidades de adequação tecnológica dos produtos dessas empresas para que elas possam atuar de maneira competitiva no mercado europeu.

De acordo com a pesquisadora Maria Cezarina Vitor de Sousa, que juntamente com a especialista Regina Lúcia Tinoco Lopes são responsáveis pelo planejamento e desenvolvimento desta ação, a Fiemg propôs ao Cetec a parceria devido à experiência que a instituição possui na área de adequação tecnológica. “O Setor de Informação Tecnológica (STI) possui um Know How acumulado por meio da realização do Programa de Apoio Tecnológico à Exportação (Progex), do qual o Cetec fez parte durante sete anos. Agora, com o Sibratec, daremos continuidade a essas ações no âmbito da Rede Mineira de Extensão Tecnológica para a Inovação no Segmento de Micro e Pequenas Empresas”, explica.

O Cetec está realizando os encontros com as empresas, por segmento, desde abril nas unidades da Fiemg em BH, Nova Serrana e Juiz de Fora. Ao todo, serão realizados oito eventos. Além da capital, Pouso Alegre e Araxá também receberão a equipe do STI em maio. Na terra de Dona Beja, a temática abordada será diferente das anteriores. “Lá falaremos especialmente sobre doces, que são o ponto forte do comércio da região”, conta a pesquisadora. Está previsto ainda, em setembro, um workshop na área de confecção a ser realizado dentro da programação do Minas Trend Preview.

Segundo Maria Cezarina, o trabalho desenvolvido pelo Cetec está sendo feito da seguinte forma: primeiramente foi realizado um levantamento técnico para os quatro setores das exigências técnicas do mercado europeu, com uma prioridade para o estudo das leis relacionadas. Depois, uma síntese das principais exigências técnicas daquele mercado é apresentada ao grupo de empresas, que individualmente preenche um formulário de avaliação do atendimento das empresas às exigências de mercado. Ao final, serão emitidos relatórios de cada empresa participante. A parte técnica da programação dos eventos está sendo ministrada por Regina. “Inclusive já estamos entregando cartas de intenção para aquelas que já participaram de todo o processo, para que elas encaminhem à coordenação da Rede. Isso fará com que estas empresas tenham atendimento prioritário quando começarmos a atendê-las dentro do Sibratec. Esse atendimento será uma continuidade do trabalho iniciado em parceria com a Fiemg, o que garante que as mudanças estruturais necessárias a que elas se tornem aptas a exportar aconteçam efetivamente”, completa Cezarina.

Das empresas participantes do programa da Fiemg, 35 estarão envolvidas nos oito workshops, número que corresponde a aquelas que já têm mercado vislumbrado no exterior e preparam-se para fornecer em breve aos europeus. “Precisam de alguns ajustes para se tornar exportadoras efetivamente. As muitas exigências técnicas podem dificultar a entrada dos produtos no mercado pretendido. Algumas dessas vêm dos apelos de consumo. São os clientes, que querem um produto ambientalmente correto, que atenda a requisitos de responsabilidade social e tenha várias certificações”, finaliza a pesquisadora.

Governo Antonio Anastasia assina protocolo de intenções com empresa tecnológica de monitoramento e segurança

A Invit Information Service Ltda está investindo cerca de R$ 17 milhões na implantação e desenvolvimento do projeto “Guarda-Costa”, que visa implementar um conjunto de ferramentas, aproveitando a proliferação de smartphones e da computação em nuvem, destinado a monitoração pessoal, integrando pessoas entre si, profissionais e área pública à monitoração autônoma.

Isso é o que estabelece protocolo de intenções assinado nessa terça-feira (4), na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), no Triângulo Mineiro, pelo secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Sergio Barroso, e pelo sócio-diretor da empresa, Sérgio Garcia Paim. A Invit é uma empresa de tecnologia da informação que desenvolve sistemas de grande complexidade tecnológica sob medida, visando solucionar problemas de alta relevância para grandes empresas.

O projeto “Guarda-Costas” foi concebido recentemente e já está aprovado na Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), empresa pública vinculada ao Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT) e que tem por finalidade promover o desenvolvimento econômico e social do país por meio do fomento público à Ciência, Tecnologia e Inovação em empresas, universidades, institutos tecnológicos e outras instituições públicas ou privadas. A empresa recebeu da Finep subvenções da ordem de R$ 10 milhões para o seu desenvolvimento.

O empreendimento vai gerar 180 empregos diretos em Uberlândia e está sendo iniciado neste mês. O início de operação está previsto para julho do ano que vem, quando deverá apresentar um faturamento da ordem de R$ 5 milhões. A previsão é que o faturamento salte para R$ 60 milhões em 2012 e para R$ 230 milhões em 2013.

“Guarda-Costas”

O “Guarda-Costas” é o mais novo (e mais inovador) dos empreendimentos da Invit. Voltado para a área de segurança pessoal e patrimonial, o projeto aprovado pela Finep, em seu programa de Subvenção Econômica à Inovação (edição 2009), obteve destaque ao receber o teto máximo do edital de R$ 10 milhões (não reembolsáveis). Este programa é hoje um dos principais instrumentos governamentais de apoio à inovação e, pela relevância e visibilidade, conta com uma junta de especialistas que avaliam o grau de inovação, o impacto social, a viabilidade técnica e mercadológica, a capacidade da empresa e, ainda, o potencial de internacionalização.

O projeto concilia pesquisa aplicada, tecnologias no estado da arte e um modelo de negócio de grande potencial internacional. Ele aplica as últimas inovações da indústria de TI, como computação móvel (3G, GPS), interface de voz, computação em nuvem, SaaS (Software-as-a-Service), web semântica (Web 3.0) e inteligência artificial. Além disso, o projeto é um excelente exemplo de cooperação empresa-escola, ao contar com a participação de pesquisadores da UFU e da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) – mestres, doutores e pós-doutores em Engenharia Elétrica, Engenharia Biomecânica, Matemática e Ciência da Computação.

Numa estreita parceria estratégica e operacional com a Microsoft, é um dos principais projetos de inovação do país a utilizar as suas mais recentes tecnologias, notadamente Windows Azure, NET Framework 4.0 (Dublin) e RIA (WPF & Silverlight). Mais informações em: www.invit.com.br/guardacostas.