• Agenda

    maio 2010
    S T Q Q S S D
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Comércio exterior de Minas cresce 8,1% no primeiro quadrimestre de 2010

Durante o primeiro quadrimestre de 2010 as exportações mineiras atingiram o patamar de US$ 6,54 bilhões. O valor registrado é 8,1% superior ao do igual período de 2009, quando foi contabilizada a importância de US$ 6,05 bilhões. Com estes números Minas Gerais continua respondendo por 12% do total nacional.

Embora nos quatro primeiros meses do ano os dados continuem favoráveis, observa-se que as exportações estaduais estão apresentando um comportamento instável. Após crescerem em fevereiro e março, as vendas externas cairam em abril, passando de US$ 1,84 bilhão para US$ 1,7 bilhão.

A queda foi de 1,4% em relação a abril de 2009, caracterizando uma retração de 7,6% em relação a março de 2010. O minério de ferro continua sendo o principal item da balança comercial de Minas Gerais, e um dos principais itens exportados pelo Brasil em abril.

Também as importações de abril apresentaram redução em relação a março de 2010, mas cresceram em relação a abril de 2009. Em comparação a março de 2010, houve retração de 7,7% do valor importado, atingindo o valor de US$ 724 milhões. Em relação a abril de 2009, o aumento foi de 48,8%, demonstrando que mesmo com queda de valor, as importações de abril aparecem entre os maiores valores no período pós-crise.

As importações mineiras totalizaram US$ 2,7 bilhões nos quatro primeiros meses de 2010, com aumento de 38% em relação o mesmo período de 2009. As importações de Minas representaram 5,2% do total importado pelo país.

O saldo comercial do Estado no primeiro quadrimestre foi 6,2% inferior ao saldo registrado em igual período de 2009, mas foi superior ao saldo brasileiro em 75,8% do valor nacional. Após apresentar saldos comerciais superiores ao saldo nacional, o saldo estadual foi equivalente a 76,3% do brasileiro. Com valor de, aproximadamente, US$ 978 milhões, o saldo mineiro de abril foi 7,5% inferior ao valor do mês anterior e 21,1% inferior a abril de 2009.

Por outro lado, a corrente de comércio também apresentou redução. Em abril, a queda foi de 7,6% em relação a março de 2010, mas ainda foi superior ao valor de abril de 2009 em 9,7%. Já a participação mineira quadrimestral na corrente de comércio reduziu para 8,7%. Enquanto o comércio exterior brasileiro cresceu 32,7%, Minas Gerais cresceu 15,5%.

Governador Antonio Anastasia inaugura Frigorífico Minerva, que vai gerar mais empregos para Região do Triângulo

O governador Antonio Anastasia participou, nesta terça-feira (4), da inauguração do Frigorífico Minerva, em Campina Verde, no Triângulo Mineiro. Durante a solenidade, o governador assinou protocolo de intenções com os diretores do grupo empresarial formalizando investimento de R$ 59 milhões da empresa nos próximos dois anos em Minas Gerais.

“O grupo Minerva é um dos maiores do Brasil e instala aqui em Campina Verde uma unidade que vai se expandindo. Acho que é um tempo novo para a questão frigorífica aqui no Triângulo e em Minas”, frisou o governador Antonio Anastasia para um auditório lotado na cidade de Campina Verde.

O frigorífico foi comprado pelo Grupo Minerva, sediado em Barretos (SP) e, antes de entrar em operação, passou por processo de reforma. Com os novos investimentos, o empreendimento será ampliado e modernizado para abate de bovinos. As obras serão concluídas em março de 2012. Do total de R$ 59 milhões previstos no projeto, R$ 50 milhões serão destinados à expansão da unidade industrial e R$ 9 milhões para a instalação do Centro de Distribuição na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em local ainda a ser definido.

Mais empregos

O governador afirmou que o empreendimento intensificará o desenvolvimento econômico da região com a geração de novos empregos e permitirá melhor infraestrutura para os moradores da cidade e da região. A expectativa é a de que com a implantação do projeto sejam gerados 980 empregos diretos e 2.000 indiretos.

“O frigorífico significa empregos, significa, naturalmente, renda, vai significar também a possibilidade de trazer novas alternativas econômicas para a cidade. E a grande responsabilidade do poder público é colocarmos a infraestrutura, é trazermos e mantermos saúde, segurança, educação, estradas”, disse.

Durante a solenidade, o diretor do Grupo Minerva, Edvair Vilela Queiroz, ressaltou que a empresa nasceu em Minas Gerais e tem orgulho de ampliar os seus investimentos no Estado. Ele destacou que a implantação do frigorífico só foi possível em razão dos investimentos do Estado na região, que garantiu o asfaltamento de estradas interligando os municípios e viabilizando o escoamento da produção. O município foi beneficiado com o programa de Potencialização da Infraestrutura Logística da Fronteira Agroindustrial com a pavimentação do trecho de 50,3 km, entre Campina Verde e o distrito de Honorópolis.

“Campina Verde ficou muito tempo isolada por falta de estradas asfaltadas. Mas no atual governo, as estradas foram ou estão sendo asfaltadas. Isso facilitou o escoamento da produção agrícola, pecuária e industrial. A história de Campina Verde vai mudar com a indústria de alimentos Minerva”, frisou.

O prefeito de Campina Verde, Reinaldo Tannus, afirmou que a chegada do frigorífico ao município é resultado de uma parceria entre o Governo de Minas, a prefeitura e a iniciativa privada. O deputado estadual José Maia, que também participou da inauguração, disse que o apoio do governo foi fundamental para a implantação do frigorífico. O deputado federal Nárcio Rodrigues afirmou que os investimentos do Estado na região são uma demonstração clara da preocupação do Governo de Minas com o desenvolvimento do Triângulo Mineiro.

Governo Antonio Anastasia cria resolução que normatiza ações dos agentes públicos, da administração direta e indireta, durante o período das eleições

O Governo Antonio Anastasia, através da Secretaria de Estado de Governo (Segov) e da Advocacia Geral do Estado, publicou, nesta terça-feira (4), no Minas Gerais, órgão oficial do Estado, resolução conjunta que normatiza as ações dos agentes públicos, da administração direta e indireta, durante o período das eleições deste ano. A resolução tem como objetivo sistematizar normas eleitorais federais já em vigor, de modo a assegurar que as ações de Governo sejam realizadas em conformidade com os princípios democráticos.

De acordo com o texto, os agentes públicos ficam proibidos de ceder ou usar, em benefício de qualquer candidato ou partido político, bens pertencentes à União, Estados ou municípios, com exceção para a realização das convenções partidárias. Não podem também usar materiais ou serviços custeados pela administração pública a favor de candidatos ou partidos ou ceder servidores públicos para comitês de campanha, durante o horário de expediente, a não ser que o servidor esteja licenciado. Os agentes públicos também não podem fazer a distribuição gratuita de bens e serviços de caráter social, custeados pelo Poder Público, para promover candidatos ou partidos.

A resolução também trata de normas no âmbito do funcionalismo público e reitera disposição da legislação federal com validade em todo o país que veda, de abril de 2010 até a posse dos eleitos, a revisão geral da remuneração dos servidores, que exceda a recomposição da perda de seu poder aquisitivo ao longo do ano da eleição.

A partir de 3 de julho, os agentes públicos também ficam proibidos de nomear, contratar, admitir, demitir sem justa causa, suprimir ou readaptar vantagens, transferir ou exonerar servidor público, a não ser os casos de nomeação ou exoneração de cargos em comissão, designação ou dispensa de funções de confiança; nomeação para cargos do Poder Judiciário, do Ministério Público, dos Tribunais ou Conselhos de Contas e dos órgãos do Governo Estadual; nomeação dos aprovados em concursos públicos; nomeação ou contratação necessária à instalação ou ao funcionamento inadiável de serviços públicos essenciais, com prévia e expressa autorização do chefe do Poder Executivo; transferência ou remoção ex officio de militares, de policiais civis e de agentes penitenciários.

Transferências de recursos

A resolução conjunta também proíbe os agentes públicos, no período de 3 de julho até o encerramento das eleições, de realizar transferência voluntária de recursos para municípios e entidades de qualquer nível de governo. Estão excluídos deste item, os recursos destinados ao cumprimento de obrigação formal já existente antes do período vedado, para execução de obra ou serviço em andamento e com cronograma prefixado. Ficam também de fora os recursos destinados a atender situações de emergência e de calamidade pública devidamente comprovadas.

Também fica vedada, durante o ano todo, a distribuição gratuita de bens, valores ou benefícios diretamente à população em geral, pela administração pública ou através de entidades privadas sem fins lucrativos, exceto nos casos de calamidade pública, de estado de emergência ou de programas sociais autorizados em lei e já em execução orçamentária no exercício anterior. Não será permitido, no ano eleitoral, o início ou a continuidade de programa social executado por entidade nominalmente vinculada a candidato ou por este mantida.

Publicidade

A resolução, em cumprimento à legislação eleitoral federal, determina que no período de 1° de julho até o primeiro dia após o fim da eleição, só poderá ser realizada a publicidade legal (atos administrativos, portarias, atas e editais), a propaganda de produtos e serviços que tenham concorrência no mercado e publicidade institucional nos casos de necessidade pública, desde que previamente autorizada pela Justiça Eleitoral. Neste período, fica proibida a realização de publicidade institucional de atos, programas, obras, serviços e campanhas de órgãos públicos federais, estaduais ou municipais, ou de entidades da administração indireta.

Também fica proibida a realização de pronunciamentos em cadeia de rádio e televisão, fora do horário eleitoral gratuito, salvo quando a Justiça Eleitoral autorizar. Não é permitido ainda realizar, no primeiro semestre de 2010, despesas com publicidade que excedam a média dos gastos dos três últimos anos anteriores ou do ano passado, prevalecendo como parâmetro aquele de menor valor.

A contratação de shows artísticos pagos com recursos públicos, para a realização de inaugurações, fica proibida a partir de 3 de julho, assim como a participação de qualquer candidato, a partir desta mesma data, em inaugurações de obras públicas.

Marca institucional

Não será permitido, a partir de 1º de julho, a utilização e divulgação da marca institucional utilizada pelo Governo de Minas. Todas as placas relacionadas a obras deverão ser alteradas com a retirada ou cobertura da marca institucional. As placas de obras já concluídas devem ser retiradas antes desse período. A distribuição de material de publicidade institucional, por parte da administração indireta estadual, também fica suspensa a partir de 1º de julho.

Internet

A resolução também determina que a partir de 1º de julho deverão ser retirados dos sites oficiais a marca institucional do Governo de Minas Gerais, os conteúdos caracterizados como publicidade institucional e o noticiário, de modo que sejam disponibilizados apenas as informações e serviços que já eram regularmente prestados à população.

Fica proibida ainda a publicação de jornais e qualquer outro tipo de publicação, como, por exemplo, revistas, folhetos, informativos, no período eleitoral.

Eventos

Somente poderão ser realizados eventos que não sejam considerados publicidade institucional. As solenidades para a formalização de atos administrativos, inauguração ou visitação a obras e dependências de governo, congressos e seminários podem ser feitas durante o período eleitoral, desde que não seja colocada a marca de governo, banners, faixas e outras peças de comunicação. Feiras e exposições dependem de consulta à Justiça Eleitoral.

Campanha

De acordo com a resolução, não será permitido a qualquer candidato fazer campanha ou distribuir material de campanha nas repartições públicas da administração direta ou indireta do Estado.

Os servidores públicos só podem participar de campanhas políticas ou de eventos eleitorais fora do horário de trabalho. Também não será permitido o uso de e-mail e computadores do Estado para realização de manifestações eleitorais, mesmo que fora do horário do expediente.

Sanções

O erro ou descumprimento da legislação eleitoral e da resolução acarreta a responsabilização penal, civil, eleitoral e administrativa do agente. Dentre as sanções previstas, estão a demissão, multa, suspensão dos direitos políticos, proibição de contratar com o Poder Público e ressarcimento do dano. Em alguns casos, além da suspensão imediata da conduta vedada, caberá a aplicação de multa, ficando o candidato beneficiado sujeito à cassação do registro da candidatura ou do diploma.

Antonio Anastasia defende em congresso mais autonomia financeira para os municípios

O governadorAntonio Anastasia defendeu nesta terça-feira (4), durante abertura da 27 Edição do Congresso Mineiro de Municípios, a revisão do pacto federativo brasileiro, garantindo maior autonomia financeira para as prefeituras. O governador ressaltou que, há muitos anos, a União concentra grande parte da arrecadação do país, sem uma divisão justa com Estados e municípios.

“A esfera central tem uma grande concentração de poderes. Sem a vontade do governo central nada se move no Brasil. A Constituição de 1988 não conseguiu corrigir essa deformação e sem recursos não existe autonomia”, destacou, ao discursar para os prefeitos, vereadores e lideranças políticas que participaram da abertura do Congresso, no Expominas, em Belo Horizonte.

Anastasia destacou que, em Minas, nos últimos anos, o Governo do Estado tem atuado em parceria com os municípios, por entender que as prefeituras têm condições de realizar obras e serviços com preços melhores, com mais rapidez e eficiência.

“Em Minas, contamos com os nossos parceiros, os municípios, porque esse é o governo da parceria, da harmonia, da integração dos esforços, seja com os municípios maiores, seja com os pequenos. Todos recebem apoio, coordenadas, estímulos e fomento do Governo do Estado”, explicou.

Para aprofundar ainda mais as parcerias com as prefeituras, o governador destacou que o desafio do Governo do Estado, neste momento, é reduzir as diferenças regionais. Anastasia ressaltou que a administração do Estado foi colocada em ordem, com o programa Choque de Gestão, e que metas para a administração pública foram firmadas com o Estado para Resultados.

“A terceira fase da nossa administração se preocupa com as disparidades regionais. Sabemos que as distorções acontecem mesmo nas regiões mais desenvolvidas, e a nossa preocupação se centra nesses desequilíbrios”, afirmou.

O governador foi recebido no Expominas pelo presidente da Associação Mineira de Municípios, José Milton, que estava acompanhado do prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, do presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho, e de vários parlamentares e prefeitos.

Durante o Congresso, serão discutidos temas relevantes para a administração municipal, entre Gestão e Tecnologia. O governador destacou que incorporar a tecnologia no serviço público, trazendo benefícios para a população, é um grande desafio.

Governador Antonio Anastasia participa da inauguração da Usina Vale do Tijuco, em Uberaba

O governador Antonio Anastasia participou, nesta terça-feira (4), da inauguração da Usina Vale do Tijuco, em Uberaba, no Triângulo Mineiro. A usina pertence à Companhia Mineira de Açúcar e Álcool (CMAA), que está investindo na construção de outras duas unidades em Uberlândia – Usina Uberlândia e Usina Floresta dos Lobos.

Com capacidade inicial de moagem de dois milhões de toneladas de cana por ano, a Usina Vale do Tijuco permite a produção de 180 milhões de litros de etanol, gerando 140 mil MWh durante a safra. A CMAA investiu R$ 300 milhões no empreendimento, com a geração de 500 empregos diretos.

“É sempre um momento de felicidade para qualquer gestor público participar da inauguração de uma indústria que vai gerar empregos, gerar renda, progresso, desenvolvimento. Ainda mais sabendo que é o primeiro de uma série de investimentos. O grupo vai inaugurar mais duas usinas, o que demonstra como esse polo da açúcar e do álcool no Triângulo Mineiro está dando certo”, afirmou Antonio Anastasia, em entrevista. Durante o evento, o governador foi presenteado pelo diretor acionista da CMAA, José Francisco dos Santos, com o primeiro litro de álcool produzido na Usina Vale do Tijuco.

Participaram da solenidade de inauguração da usina, além do governador, o prefeito de Uberaba, Anderson Adauto; o prefeito de Uberlândia, Odelmo Leão; o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Sergio Barroso; o presidente do Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool (Sindaçúcar), Luiz Custódio Cotta Martins; empresários do setor sucroalcooleiro; deputados e vereadores da região.

Incentivo ao setor

O governador, ao lado do diretor acionista da CMAA, José Francisco dos Santos, falou sobre a disposição do Governo do Estado de trabalhar em parceria com o setor do açúcar e do álcool, na busca de avanços e ganhos de produtividade.

“No dia 13 de maio teremos uma reunião muito proveitosa, no sentido de nos tornarmos competitivos no combustível álcool no nosso Estado. O trabalho está sendo coordenado pelas Secretarias de Desenvolvimento Econômico e da Fazenda. Nessa importante reunião discutiremos, em alto nível, quais são as alternativas e opções possíveis. Tenho a mais serena convicção de que chegaremos a uma solução adequada, que será de interesse do Estado, dos produtores, e especialmente dos consumidores, a quem devemos respeito e muita atenção”, afirmou Antonio Anastasia.

O prefeito de Uberaba, Anderson Adauto, em seu pronunciamento, agradeceu o esforço do Governo de Minas em consolidar o polo sucroalcooleiro no Triângulo Mineiro.

“O Estado disse sim aos interesses da nossa região. Esse setor cresceu graças ao apoio político que recebeu de todos os parlamentares e do Governo. O governador Antonio Anastasia, quando ainda era secretário, foi a pessoa que participou das primeiras discussões e que aconselhou que o Governo desse continuidade ao nosso projeto”, disse o prefeito de Uberaba.

Investimentos da CMMA

A CMMA trabalha com a perspectiva de expandir a capacidade de produção da Vale do Tijuco para quatro milhões de toneladas, com o acréscimo de R$ 150 milhões de investimento na usina. Nessa segunda etapa, também será produzido açúcar, além do etanol.

O investimento total que a CMAA está fazendo nas usinas em Uberlândia é de R$ 1,6 bilhão, para uma capacidade de moagem total de 12 milhões de toneladas. Esse montante permitirá a produção de 1,08 bilhão de litros de etanol e geração 840 MWh de energia. Serão criados três mil empregos diretos e 7,5 mil indiretos.

Cemig

Parte da energia gerada pela Usina Vale do Tijuco reforçará o sistema elétrico da Cemig. Por meio da Efficientia, subsidiária da Cemig, foi feita parceria com a CMAA, para integrar energia à rede de distribuição da estatal. Além de etanol, a Vale do Tijuco irá gerar 45 MW, chegando em 2012 a 65 MW. A previsão é que haja excedente de 25 MW na primeira fase e 45 MW na fase final, o suficiente para fornecer energia elétrica a 120 mil residências.

“É uma produção que não é um subproduto. É tão nobre quanto o álcool, que é a energia, que será comprada pela Cemig, para a sua redistribuição. Observamos como a tecnologia chegou a tal ponto, que uma indústria vocacionada para uma atividade específica, gera energia não só para a sua atividade, mas também para um excedente que lhe dará renda”, ressaltou o governador Antonio Anastasia.

Produção recorde

A produção mineira de cana-de-açúcar destinada à indústria sucroalcooleira, em 2010, deve alcançar 56,2 milhões de toneladas, superando o recorde de 49,9 milhões de toneladas registrado no período anterior. O aumento previsto é de 12,6%, enquanto para a safra nacional do produto, com as mesmas finalidades, a previsão é de 664,33 milhões de toneladas e, neste caso, o crescimento é de 9,9%, também garantindo recorde. Os números foram divulgados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Com base nesse levantamento Minas Gerais se consolida como o segundo maior produtor de cana-de-açúcar do país. São 648 mil hectares dentro da área total do país reservada para este segmento.

“Vamos trabalhar firme, ainda que demore um pouco, mas quero ver ainda Minas Gerais no primeiro lugar na produção nacional do açúcar e do álcool. E tenho certeza de que muitos que estão aqui participarão ativamente desse nosso esforço”, disse o governador, durante a solenidade.

A produção de açúcar no Estado, em 2010, deve crescer 20% em relação à safra passada. Já o crescimento da produção de álcool deve ser de 11%. O Triângulo Mineiro é a principal região produtora do Estado e Uberaba lidera a produção de cana-de-açúcar entre os municípios, com destaque também para Conceição das Alagoas, Ituiutaba, Frutal e Iturama. Das 10 usinas que entram em funcionamento nesta safra no Brasil, três estão em Minas Gerais.

Minas alcançou o posto de segundo maior produtor de cana-de-açúcar, etanol e açúcar do país, na safra 2009/2010, ultrapassando o Paraná. O maior produtor é São Paulo. A produção de açúcar em Minas atingiu 2,68 milhões de toneladas, com crescimento de 21,4% em relação ao ano anterior. A produção de etanol está em 2,24 bilhões de litros, aumento de 3,9% em relação aos 2,16 bilhões de litros da safra passada.

Os investimentos no setor, em Minas Gerais, entre 2003 e 2010 somam US$ 5 bilhões, com a implantação de 22 usinas de açúcar e álcool. Esses investimentos geraram cerca de 40 mil empregos diretos, conforme os números do Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool de Minas Gerais (Siamig/Sindaçúcar-MG).

Atualmente, há 43 usinas de açúcar e álcool em produção no Estado, sendo que 23 delas estão localizadas no Triângulo Mineiro, representando 66% do total da produção mineira.

Governo Antonio Anastasia firma acordo de incentivo a universitários na solução de desafios de negócios e produção de inovações

Governo Antonio Anastasia, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), firmou acordo com a empresa Battle of Concepts (BoC) para desenvolver um programa de relacionamento e incentivo a universitários na solução de desafios de negócios e produção de inovações.

A parceria é inovadora e fará parte da programação da Inovatec 2010, que ocorrerá em outubro. Com a ação. universitários de Minas Gerais e de todo o país estarão mais próximos das empresas sediadas no Estado, resolvendo problemas reais do dia a dia do empresariado.

A empresa Battle of Concepts, representada no Brasil pela TerraForum e sócios privados, foi criada na Holanda há seis anos para motivar jovens universitários a apresentarem suas visões e explorarem a criatividade na solução de problemas empresariais e governamentais. O Battle of Concepts funciona por meio de um website exclusivo, no qual as corporações e instituições governamentais lançam suas “batalhas” ou desafios para os jovens universitários exercerem seus conhecimentos e criatividade ao propor conceitos e soluções específicas.

A participação dos universitários é gratuita e os melhores “conceitos” são premiados em dinheiro. Sucesso absoluto na Holanda, o BoC já distribuiu mais de € 500 mil, aproximadamente R$ 1.250.000 em prêmios. No Brasil, com apenas seis meses de atuação, o BoC já conta com a participação de mais de três mil universitários ligados a 44 universidades e já foram realizadas “batalhas” para empresas como Vopak, Philips, Whirpool, Tecnisa e Fundação Pró-Sangue. Ainda neste mês será lançada no site uma nova batalha, a da empresa imobiliária Alphaville Urbanismo.

Com o objetivo de promover o conceito de Inovação Aberta no Estado de Minas Gerais, a parceria prevê o desenvolvimento da Batalha Inovatec, a promoção do evento anual da Inovatec, e a oferta do programa, em condições especiais, às principais empresas de Minas Gerais, para que as mesmas possam apresentar suas “batalhas” ao mercado em busca de alternativas inovadoras para seus desafios empresariais e tecnológicos.

A experiência, tanto na Holanda, como no Brasil, demonstra que os jovens universitários têm menos barreiras a exporem ideias criativas e são mais abertos à inovação, propondo conceitos que muitas vezes surpreendem positivamente as empresas e o governo. “O universitário ainda não tem as amarras corporativas no processo de criatividade”, comenta o CEO do BoC, Hans van Hellemondt. “Este programa está obtendo excelentes resultados para empresas, entidades de classe, governos e estudantes no sentido de promoção de criatividade e relacionamento, além de ampliar a atuação da chamada Inovação Aberta”.

O secretário de Estado de Ciência e Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais, Alberto Duque Portugal, tem a expectativa de atrair a atenção dos alunos do ensino superior do Estado, principalmente, para participarem das batalhas revelando o potencial de Minas Gerais em desenvolvimento de tecnologias, Gestão da Inovação e da criatividade. “A Batalha Inovatec incorpora a dinâmica da BoC trazendo para Minas Gerais a oportunidade de mobilizar estudantes a criar uma sociedade comprometida com a cultura da inovação. Temos a certeza que as empresas mineiras têm muito a ganhar com os desafios ” , declara.

A Inovatec 2010 é um ótimo fórum para tais ações serem desenvolvidas por concentrar a atenção em torno da importância à inovação, necessária para que seja mantido o ritmo de crescimento da economia. Nas próximas semanas, as empresas localizadas em Minas Gerais receberão mais informações sobre como poderão participar do programa. As principais universidades do Estado também receberão a visita das equipes do BoC e da Inovatec para apresentação das atividades a serem desenvolvidas.

Sobre o Battle of Concepts

O Battle of Concepts Brasil (BoC) representa no país o programa de relacionamento e incentivo à inovação voltado a universitários de até 30 anos de idade. Promove disputas de criatividade e inovação entre os estudantes a partir de demandas reais de empresas e governos. O BoC atua como interface entre as empresas e os estudantes, estruturando todo o processo de desenvolvimento das batalhas.

Sobre a TerraForum

A TerraForum é uma consultoria proeminente na área de Gestão do Conhecimento no Brasil, tendo realizado projetos para as maiores organizações nacionais e internacionais. É sócia do Battle of Concepts no Brasil. Oferece expertise de consultores com ampla capacidade executiva e gerencial no Brasil e no exterior, que proporcionam a entrega de soluções focadas em excelência e resultados concretos. A TerraForum foi fundada em agosto de 2002 e conta atualmente com cerca de 100 colaboradores. A empresa tem escritórios em São Paulo, Curitiba, Rio de Janeiro e Toronto, no Canadá. A empresa possui três unidades de negócio, que trabalham de maneira integrada: consultoria, tecnologia e design.