• Agenda

    abril 2010
    S T Q Q S S D
    « mar   maio »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    2627282930  
  • Categorias

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Antonio Anastasia entrega Planejamento Estratégico Integrado para a Copa 2014

O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, e o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, apresentaram, nesta quinta-feira (29), no auditório do BDMG, o Planejamento Estratégico Integrado para a Copa 2014.

O documento irá orientar o trabalho das equipes do Governo de Minas e da Prefeitura de Belo Horizonte responsáveis pela implantação de 54 projetos nas áreas de infraestrutura esportiva, mobilidade, turismo, comunicação e marketing, entre outras, que irão preparar a capital mineira para a realização do mundial de futebol.

Para o governador Antonio Anastasia, o planejamento eficiente é o único caminho que irá garantir o sucesso de Belo Horizonte como cidade sede da Copa do Mundo e para outros grandes eventos. “Realizar a Copa do Mundo de 2014 e no ano anterior a Copa das Confederações, em Belo Horizonte, também utilizando a estrutura do Estado nas subsedes do interior, é um grande desafio e esse desafio tem que ser preparado através do primeiro passo fundamental que é o planejamento. Sem planejamento não vamos a lugar algum”, afirmou em seu pronunciamento.

A integração dos projetos do Governo do Estado e da prefeitura garantirá agilidade na implantação dos projetos e cumprimento de prazos, além do melhor aproveitamento dos recursos públicos. Os projetos estão sendo realizados com recursos do Governo do Estado, da prefeitura e do governo federal. Antonio Anastasia destacou ainda que o planejamento integrado possibilitará ganhos permanentes para a cidade e para o Estado.

“Temos de ter uma estrutura permanente posterior à Copa para aproveitar essa oportunidade singular de colocar Belo Horizonte no mapa do turismo de negócios e de lazer do mundo inteiro. Vamos ter restaurantes, hotéis, a infraestrutura muito melhorada, a mobilidade avançada e teremos o mais belo e funcional estádio do Brasil, servindo não só o futebol, mas também a outros eventos esportivos e culturais. Temos de aproveitar esses investimentos que serão maciços tanto do poder público federal, estadual, municipal e como também privado para darmos alternativas sustentáveis para que Belo Horizonte e o Estado recebam um passo importante para o nosso desenvolvimento”, explicou o governador.

O prefeito Marcio Lacerda também destacou que a preparação para a Copa do Mundo é um momento importante para que Belo Horizonte e outras cidades brasileiras superem dificuldades de infraestrutura que ainda são enfrentadas.

“Esse é um esforço inédito, um desafio inédito, mas tenho convicção que é um desafio possível de ser cumprido. É o momento de superarmos alguns gargalos de infraestrutura com investimentos públicos e privados. As tarefas são gigantescas, mas estamos dando a cada dia um passo positivo”, afirmou.

Parcerias

O Planejamento Estratégico foi preparado pelo Governo de Minas e pela prefeitura em parceria com a Fundação Dom Cabral. A partir da elaboração desse documento, cada um dos 54 projetos passa a contar com metas e prazos que irão assegurar o cumprimento das exigências e do cronograma de obras e investimentos em Belo Horizonte firmado junto à Federação Internacional de Futebol (FIFA).

“Estamos dando cada vez mais o exemplo de que o trabalho integrado das esferas de governo sempre é positivo e favorável para as políticas públicas e em especial neste caso porque, se assim não fosse, certamente não teríamos condições de apresentar o que estamos fazendo com esse planejamento integrado”, disse o governador, destacando ainda a importância da parceria com a sociedade civil e os empresários na preparação para a Copa do Mundo.

Durante a apresentação do Planejamento Estratégico, o governador entregou uma cópia do documento para osecretário de Estado de Esportes e da Juventude, Alberto Rodrigues, e o prefeito Marcio Lacerda para o secretario municipal de Políticas Urbanas, Murilo Valadares. Os dois secretários representaram as equipes estadual e municipal que estão envolvidas no trabalho e que, a partir de agora, contam com esse instrumento de gestão.

Modernização dos estádios

Um dos mais importantes projetos previstos no Planejamento Estratégico para a Copa 2014 é a modernização e adequação do Estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão. A obra está sendo realizada em três etapas. Na primeira, iniciada em janeiro, estão sendo realizadas intervenções estruturais nas vigas de sustentação. A segunda etapa, com início previsto para julho, inclui a demolição da “geral” e o rebaixamento do gramado.

Para a terceira fase de modernização do Mineirão, que deve começar em dezembro, o Governo de Minas terá uma empresa ou consórcio como parceiro para a realização dos investimentos nas obras, no processo de operacionalização e manutenção do estádio por 25 anos.

Segundo o governador Anastasia, o projeto e as obras de modernização do Mineirão farão do estádio um dos melhores do Brasil, com capacidade para sediar a partida de abertura da Copa do Mundo em 2014.

“Temos um esforço muito grande do Estado e da prefeitura para termos aqui a abertura da Copa do Mundo. Tudo o que está sendo feito tem esse objetivo, de cumprir as exigências, com todo rigor, da Fifa, e colocar nosso estádio em plenas condições para disputarmos com vantagem a possibilidade de abrirmos a aqui a Copa do Mundo”, explicou.

A partir da segunda etapa, o Mineirão será fechado. Neste período, os jogos dos times da capital serão realizados na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, que está sendo reformado pelo Governo de Minas. No segundo semestre deste ano, os jogos também poderão acontecer no estádio Independência, em Belo Horizonte, que também está sendo modernizado pelo Governo do Estado e pelo governo federal.

Mobilidade

A mobilidade urbana também é um ponto estratégico do Planejamento Integrado. Obras importantes já vinham sendo realizadas antes mesmo da escolha de Belo Horizonte como uma das sedes da Copa de 2014. Entre elas estão a implantação da Linha Verde e o alargamento da avenida Antônio Carlos, empreendimentos realizados pelo Governo do Estado, Prefeitura de Belo Horizonte e governo federal. Novas intervenções fundamentais para a melhoria do trânsito já estão sendo planejadas.

“O caso da mobilidade é o que vai ficar de mais perene para a população. É a melhoria da velocidade média principalmente no transporte coletivo em alguns dos eixos mais importantes da cidade”, ressaltou o prefeito Marcio Lacerda.

Entre as intervenções viárias mais importantes que serão realizadas nos próximos anos, Marcio Lacerda destacou a cobertura do Arrudas levando o boulevard da rua Carijós ao bairro Coração Eucarístico; a duplicação da avenida Pedro I; melhorias de acesso ao Mineirão; e a ligação da avenida Bernando Vasconcelos à Andradas, acompanhando a linha do metrô.

Atendimento ao turista

O Planejamento Estratégico Integrado também prevê ações que garantam bom atendimento aos milhares de turistas que devem visitar o Estado em função dos jogos da Copa do Mundo. O Governo de Minas e a prefeitura já estão incentivando a implantação de hotéis, apart-hotéis, cinemas, teatros, auditórios, bibliotecas, museus e centros de convenções ou feiras, além de incrementar as atividades de apoio aos hospitais que prestam atendimento de urgência e emergência.

Belo Horizonte já conta com uma legislação ambiental que irá simplificar o licenciamento de projetos hoteleiros. Também está sendo realizado um levantamento para identificar como está o conhecimento em língua inglesa por parte da população de Belo Horizonte.

Outra grande preocupação do Governo de Minas e da Prefeitura de Belo Horizonte é a segurança pública. Dentro do Programa Permanente de Qualificação Profissional (Capacitur), desenvolvido em parceria com o Ministério do Turismo, cerca de 300 agentes da Polícia MilitarCorpo de Bombeiros, Guarda Municipal, Defesa Civil e BHTrans participaram do Curso de Qualificação em Turismo para Agentes de Segurança Pública.

Acesso

O Governo de Minas e a prefeitura também têm preocupação com o acesso à Belo Horizonte. Entre outras medidas, o Planejamento Estratégico prevê a ampliação do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins. Em março, o Governo do Estado e a Infraero assinaram termo aditivo ao acordo de cooperação técnica para a ampliação do aeroporto, prevendo que o poder estadual é o responsável pelo projeto executivo e pela licitação da obra, e a Infraero pelo repasse dos recursos.

A ampliação do Terminal 1 aumentará a capacidade anual do aeroporto dos atuais 5,5 milhões para sete milhões e deve ser iniciada em 2011. Já o projeto para a construção do Terminal 2 deve estar pronto em um ano e as obras devem ampliar a capacidade para 12 milhões de passageiros.

Belo Horizonte também está sendo preparada para receber os visitantes que chegarão de ônibus. Para isso, até o final de 2012, com investimentos de R$ 100 milhões, será construído o Novo Terminal Rodoviário, localizado no bairro São Gabriel.

Para ver os principais projetos estratégicos do Governo de Minas e da prefeitura para a Copa de 2014 clique aqui(documento do word)

Governo Antonio Anastasia premia os melhores no II Prêmio Comunicador do Futuro

Governo Antonio Anastasia entregou, nesta quarta-feira (28), em Belo Horizonte, o II Prêmio Comunicador do Futuro. Criado em 2008, a premiação tem o objetivo de estimular a reflexão dos futuros profissionais da Comunicação Social e é dividida em três áreas: ensaio fotográfico, texto jornalístico e peças publicitárias.

Os trabalhos da segunda edição foram desenvolvidos de acordo com a temática do prêmio em 2009: “Água, fonte inesgotável?”. O objetivo foi levar os estudantes de comunicação social a refletirem sobre os problemas ambientais e as práticas inovadoras voltadas para o uso sustentável dos recursos hídricos.

Durante a solenidade de entrega dos certificados aos vencedores de cada categoria, o subsecretário de Comunicação Social do Governo de Minas, Sérgio Esser, destacou que o prêmio tem o objetivo de valorizar a comunicação social. “A comunicação tem uma função relevante e estratégica no Governo de Minas. A premiação mostra o reconhecimento que o governo dá à formação de novos profissionais”, destacou Esser.

Na segunda edição do prêmio o número de inscritos dobrou em relação à primeira edição. Em 2008 foram 82 estudantes, já em 2009 foram 168 inscritos nas três categorias.

Os primeiros lugares de cada categoria receberão R$ 5 mil, os que ficaram em segundo R$ 3 mil e os em terceiro R$ 2 mil. Além da premiação em dinheiro, os trabalhos vencedores em primeiro lugar, em cada uma das categorias, serão também publicados em jornais de grande circulação em Minas Gerais.

Satisfação

O estudante do 8º período de publicidade e propaganda da Faculdade Estácio de Sá, em Juiz de Fora, Diego Siqueira de Souza, foi o primeiro lugar na categoria peças publicitárias com a peça “Ufa! Era só uma mangueira dobrada”. “O prêmio mostra que o governo se importa com a educação das universidades e ações como esta nos incentiva a nos aprimorarmos sempre”, destacou o futuro publicitário.

Também vencedora, mas na categoria texto jornalístico, a jornalista Bárbara Consuelo Câmara, que na época do prêmio era estudante da Faculdade Unidas do Norte de Minas (Funorte), em Montes Claros, destaca que o prêmio é a certeza de que o jornalismo é muito gratificante.

“O Jornalismo está a serviço das pessoas e é uma ferramenta de inclusão social”, destacou o 1º lugar com a matéria “A história de Messias e Zelita: exemplo de consciência e dedicação”, que fala de uma família de Porteirinha, no Norte de Minas, que sobrevive com pouca água e prova que, mesmo assim, o recurso ainda pode ser preservado.

Responsável pela orientação dos três primeiros lugares da categoria texto jornalístico, o professor Elpídio Rodrigues da Rocha Neto, da Funorte, afirmou que é fundamental que o governo incentive a produção acadêmica. “O prêmio é uma experiência profissional para esses alunos e o nosso papel é incentivar a participação de nossos alunos em prêmios como o do Comunicador do Futuro”, disse.

Após a solenidade de premiação, os vencedores de cada categoria realizaram uma visita técnica a Subsecretaria de Comunicação do Governo de Minas que é formada pelas Superintendências de Imprensa e de Publicidade.

Comissão

Formada por profissionais de cada uma das categorias do prêmio, a comissão julgadora do II Prêmio Comunicador do Futuro foi integrada pelo secretário de Estado de Cultura, Washington Mello, e pelos publicitários José Luiz Silva, Levi Carneiro e Antônio Morais; pelos fotojornalistas Valdez Maranhão, da Associação de Repórteres Fotográficos de Minas (Arfoc Minas), Maurício de Souza e Elmo Alves; e pelos jornalistas Hiram Firmino e Fátima de Oliveira, do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais.

Para conhecer os trabalhos dos vencedores de cada categoria e ter mais informações sobre o prêmio acessewww.premiocomunicadordofuturo.com.br.

Governo Anastasia: Banco de Desenvolvimento de Minas firma convênio com OAB para modernização e implementação de escritórios

Em solenidade realizada nesta quarta-feira (28), na sede do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), o presidente do Banco, Paulo Paiva, e o presidente da OAB Minas, Luis Cláudio da Silva Chaves, firmaram convênio que visa estreitar o relacionamento entre as duas instituições no apoio aos escritórios de advocacia em Belo Horizonte e nas 185 subseções da OAB no Estado.

A presidente do Conselho de Administração do BDMG e idealizadora do convênio, Ângela Pace, destacou que esta parceria é inédita no país, pois vai viabilizar financiamentos tanto para implantação de novos escritórios como para modernização daqueles que estão há mais tempo no mercado. “O intercâmbio entre o BDMG e a OAB/MG será fundamental para fomentar nos advogados o espírito empreendedor. Com esta iniciativa, o banco reforça seu compromisso com o fomento a uma economia cada vez mais dinâmica e que cresce com a força da inovação”, afirmou.

O presidente da OAB Minas explicou que a abertura de linhas de crédito para escritórios de advocacia é propícia num momento em que é necessário incentivar a cultura do empreendedorismo entre os profissionais do setor. “Com linhas de crédito adequadas é possível equipar melhor os escritórios, fortalecendo a atividade em toda Minas Gerais”, disse. Segundo dados da OAB/MG, atualmente estão inscritos na ordem, em Minas Gerais, 70 mil advogados, e o número de escritórios de advocacia é de 2.540.

Como vai funcionar a parceria

De acordo com o gerente do BDMG, Roberto Emílio de Senna, para apoiar as empresas de advocacia, o banco disponibiliza variadas soluções de financiamento, com recursos para investimentos fixos, como implantação, aquisição de imóvel comercial e de móveis e equipamentos; também investimentos intangíveis, como capacitação e treinamento.

Para mais informações, os advogados devem fazer uma consulta preliminar pela internet, no site do BDMG. Em breve, o banco vai disponibilizar na rede uma nova ferramenta, o BDMG Net. Através dela, empresas com faturamento de até R$ 10,5 milhões/ano, poderão solicitar financiamentos diretamente pela internet.

Sobre o BDMG

Fundado em 1962, o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) é o braço financeiro do Estado. Por meio de operações de financiamentos de médio e longo prazos, e sempre com taxas de juros atraentes, o BDMG apoia empreendimentos que operam ou chegam para se instalar em Minas Gerais, promovendo o desenvolvimento sustentável com inclusão social.

O Banco chegou a 2010 com 9,6 mil clientes ativos em 76% dos municípios mineiros, ultrapassando a marca histórica de mais de R$ 1 bilhão em desembolsos, tanto para empreendimentos do setor privado quanto para o setor público. Com um forte crescimento nas liberações já no primeiro trimestre de 2010, R$ 358,6 milhões, 78% a mais do que o valor desembolsado no mesmo período de 2009, o BDMG pretende injetar R$ 1,35 bilhão na economia mineira até o final do ano.

Mais empregos: Antonio Anastasia recebe plano de expansão da Stola, forncedor de carrocerias e peças para Fiat

Diretores da Stola Spa e Stola do Brasil, uma das principais fornecedoras de carrocerias e peças da Fiat Automóveis, apresentaram ao governadorAntonio Anastasia o novo plano de expansão de sua fábrica em Belo Horizonte. O anúncio foi feito na manhã desta quarta-feira (28), durante visita de cortesia realizada no Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves.

A estimativa para o novo investimento é de R$ 180 milhões, parte dos quais, de acordo com o administrador-geral da Stola do Brasil, Enrico Negri, a empresa deverá buscar financiamento dos bancos de fomento brasileiros – Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Com a expansão da fábrica, a empresa, segundo ele, deverá gerar mais de 500 novos empregos diretos.

Governo Antonio Anastasia promove o desenvolvimento econômico do Estado investindo em infraestrutura física e social, buscando a atratividade das empresas para a geração de riqueza e empregos de qualidade. Os projetos visam desde a melhoria dos serviços de saúde, educação, segurança pública e transportes, até a capacitação de mão de obra, acesso às modernas tecnologias e desburocratização dos processos de instalação de empresas.

Participaram do encontro o presidente do Conselho de Administração da Stola Spa, Roberto Ginatta; o administrador-geral da Stola no Brasil, Enrico Negri; o diretor da Stola Itália, Ricardo Bussolati; o diretor Stola Spa, Stefano Bustreo; o diretor Engineering, Giuseppe Facchin; o diretor industrial da empresa o Brasil, Célio de Castro Neto; o diretor de relações industriais, Marcos Pacheco; e o diretor administrativo e financeiro, Tadeu Renattini.

Stola do Brasil

Em 1998, a Stola se instalou em Minas atraída pelo programa de mineirização da Fiat, em parceria com o Governo de Minas, que consistia na atração de fornecedores da montadora para se instalar nas proximidades da fábrica de Betim.

É a segunda maior indústria de Belo Horizonte, a primeira é a Mannesmann, e ocupa área de 220 mil m². Ela fornece peças e carrocerias montadas para as picapes Strada e Fiorino, Doblò e para o monovolume Idea. A Stola produz diariamente 700 carrocerias para esses veículos. A fábrica funciona em três turnos e consome diariamente 250 toneladas de aço. O faturamento anual da empresa é da ordem de R$ 200 milhões.

Governo Antonio Anastasia implementa sistema de controle eletrônico que vai reduzir custo com transportes de carga

O terceiro módulo do Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) está implementado em Minas Gerais, com a autorização da Secretaria de Estado de Fazenda (SEF), do primeiro Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e). Trata-se de um documento de existência apenas digital, emitido e armazenado eletronicamente, com o intuito de documentar, para fins fiscais, uma prestação de serviço de transporte de cargas realizada por qualquer modal (rodoviário, aéreo, ferroviário, aquaviário e duto-viário).

A validade jurídica do documento é garantida pela assinatura digital do emitente (garantia de autoria e de integridade) e pela recepção e autorização de uso dada pelo fisco. O Conhecimento de Transporte Eletrônico tem validade em todos os estados da federação, segundo a Superintendência de Arrecadação e Informações Fiscais (Saif).

Atualmente a legislação nacional permite que o CT-e, modelo 57, substitua os diversos documentos utilizados pelos modais para cobertura de suas respectivas prestações de serviços: Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas, modelo 8; Conhecimento de Transporte Aquaviário de Cargas, modelo 9; Conhecimento Aéreo, modelo 10;  Conhecimento de Transporte Ferroviário de Cargas, modelo 11; Nota Fiscal de Serviço de Transporte Ferroviário de Cargas, modelo 27; e  Nota Fiscal de Serviço de Transporte, modelo 7, quando utilizada em transporte de cargas.

De acordo com a Saif, em Minas Gerais aproximadamente 11 mil estabelecimentos dos diversos segmentos de transporte de carga poderão utilizar o CTE em substituição aos documentos fiscais emitidos em papel, gerando uma significativa economia para os contribuintes.

Entre os benefícios para os emitentes do CT-e (empresas de transporte de cargas), a unidade fazendária aponta a redução de custos de impressão do documento fiscal, uma vez que o documento é emitido eletronicamente; redução de custos de aquisição de papel; e redução de custos de armazenagem de documentos fiscais.

As empresas tomadoras da Prestação de Serviços do Conhecimento Eletrônico (compradoras) também são beneficiadas, uma vez que com o CT-e é possível a eliminação da digitação de conhecimentos na recepção das prestações de serviços de transporte. A empresa poderá adaptar seus sistemas para extrair as informações, já digitais, do documento eletrônico recebido. Tem ainda a redução de erros de escrituração, devido à eliminação de falhas na digitação.

De acordo com a Saif, os benefícios se estendem à sociedade com a redução do consumo de papel, acarretando um impacto positivo em termos ecológicos, com incentivo ao comércio eletrônico e ao uso de novas tecnologias e com a padronização dos relacionamentos eletrônicos entre empresas.

Mais informações sobre o Conhecimento de Transporte Eletrônico podem ser obtidas no Portal Estadual do CT-e.

Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais leva caravana o Norte de MiNas

Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) leva ao Norte de Minas, nesta semana, a Caravana do Desenvolvimento. O projeto, cujo objetivo é levar crédito ao empreendedor do interior do Estado, consiste na apresentação das melhores condições de financiamento para empreendimentos localizados tanto na cidade quanto no campo. Nesta terça-feira (27), uma equipe de profissionais do Banco irá passar por Francisco Sá (às 8h30, rua Olímpio Dias, nº 180, Centro) e Montes Claros (às 18h30, na Fiemg, avenida Deputado Esteves Rodrigues, nº 1489, Vila Brasília). O evento é aberto ao público e inclui café de boas-vindas, palestra e atendimento a empresários.

De acordo com o gerente do BDMG que coordenará a Caravana nas cidades do Norte de Minas, Leonardo Leão, a visita do grupo se relaciona diretamente com o desenvolvimento econômico do Norte de Minas. “Sabemos que um dos fortes da região é a agropecuária. Por meio das linhas de financiamento, esperamos contribuir não só para o avanço do agronegócio, mas também de outros setores. Nosso objetivo é mostrar a todos os empreendedores que existe uma maneira viável de desenvolver a economia local, contribuindo para o progresso dos municípios, do Estado e da sociedade”, afirma.

Até esta quinta-feira (29), a Caravana também passa por Bocaiuva, Pirapora e Várzea da Palma. Para promover os encontros, o BDMG conta com o apoio da Fiemg, Sebrae-MG, CDLs, associações comerciais, sindicatos ligados à Federação do Comércio, contabilistas e cooperativas de crédito ligadas a Crediminas e Cecremge.

Neste ano, a Caravana do Desenvolvimento já passou por 14 cidades de Minas Gerais, como Patos de Minas, Teófilo Otoni, Sete Lagoas, Nanuque, Aimorés e Divinópolis. Ao todo, 63 municípios de Minas Gerais receberão a visita em 2010.

Sobre o BDMG

Fundado em 1962, o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) é o braço financeiro do Estado. Por meio de operações de financiamentos de médio e longo prazos, e sempre com taxas de juros atraentes, o BDMG apoia empreendimentos que operam ou chegam para se instalar em Minas Gerais, promovendo o desenvolvimento sustentável com inclusão social.

O Banco chegou a 2010 com 9,6 mil clientes ativos em 76% dos municípios mineiros, ultrapassando a marca histórica de mais de R$ 1 bilhão em desembolsos tanto para empreendimentos do setor privado quanto para o setor público. Com um forte crescimento nas liberações já no primeiro trimestre de 2010 (R$ 358,6 milhões, 78% a mais do que o valor desembolsado no mesmo período de 2009), o BDMG pretende injetar R$ 1,35 bilhão na economia mineira até o final do ano.

Governo Antonio Anastasia assina acordo de cooperação técnica com a Austrália

Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) assinam Memorando de Entendimento (MOU) e Acordo de Cooperação com a Universidade de Queensland, na Austrália, nesta segunda-feira (26), às 10 horas, na reitoria da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte. Serão investidos US$ 2 milhões em pesquisa e desenvolvimento. Os recursos sairão 50% da Fapemig e 50% da Universidade de Queensland.

Os entendimentos para se chegar ao Memorando de Entendimento e ao Acordo de Cooperação foram feitos pela Assessoria de Captação de Recursos e Parcerias Internacionais da Sectes, Polo de Excelência Mineral e Metalúrgico e Fapemig. O primeiro documento expressa o interesse em estabelecer uma relação próspera e frutífera entre a Sectes/Fapemig e a Universidade de Queensland para promover a inovação, o desenvolvimento econômico e social em ambas as regiões, por meio de projetos e programas. Pelo Estado de Minas Gerais assinará o documento, o secretário-adjunto da Sectes, Evaldo Vilela, e o presidente da Fapemig, Mário Neto Borges; pela Universidade de Queensland, o vice-reitor Paul Greenfield.

O segundo documento é o primeiro desdobramento do MOU e visa à cooperação efetiva na pesquisa nos campos da geoquímica, impacto ambiental e qualidade da água em áreas afetadas pela indústria mineradora. As ações primordiais nesse acordo serão o intercâmbio de pesquisadores e doutorandos e o lançamento de editais conjuntos. Os dois estados têm muitas semelhanças na economia, principalmente nas áreas de mineração, metalurgia e siderurgia. O Acordo de Cooperação será assinado pelo presidente da Fapemig, Mário Neto Borges e pelo vice-reitor da universidade australiana, Paul Greenfield.

De acordo com o gerente executivo do Polo de Excelência Mineral e Metalúrgico, Renato Ciminelli, as parcerias que serão oficializadas nesta segunda-feira (26) consolidam o trabalho iniciado em fevereiro de 2008, quando o então vice-governador Antonio Anastasia chefiou delegação mineira em visita à Austrália. Naquela ocasião, o polo recebeu a orientação para fazer avançar as parcerias. A partir daí várias comitivas científicas e empresariais foram recebidas em Minas e alguns trabalhos já se encontram em andamento entre as universidades federais de Minas Gerais, Ouro Preto e Viçosa com a universidade australiana. Os professores Virgínia Ciminelli (UFMG) e Massimo Gasparon (Universidade de Queensland) foram fundamentais em todas as conversações ao longo desse tempo e no planejamento e definições do acordo. Eles trabalharam pelo fortalecimento das avenidas de cooperação científica internacional entre os dois estados.